FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

18. Mito ou Realidade?


Fic: Os Descendentes Divinos


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Mito ou Realidade?


Fernanda Thurner estava em Tokyo, ela, porém, deixara seu nome de batismo, e agora era conhecida como SilverCat, uma espia que servia somente a Harry, Anne e Leonardo. A mulher tinha treinado por algum tempo com Leonardo, tempo que parecia maior na central dos Lobos, agora ela estava em uma missão, e, provavelmente, estava sendo seguida pelos Adagas Negras, um grupo de bruxos das trevas que se aliou a Voldemort, eles eram especialistas nas artes do ninjitsu, a maioria eram espiões infiltrados no Ministério Japonês.

_Pare ai SilverCat. -Falou um homem, vestido de preto dos pés à cabeça, as costas dela, fazendo-a se virar e antes que o estranho pudesse fazer algo SilverCat o tinha pego pelo pescoço e o levantou do chão com tanta facilidade que o homem parecia ser feito de papel.

_Skull Jack. Falou SilverCat num tom baixo que só o estranho pode ouvir. _O que você quer? Perguntou aumentando a pressão no pescoço do estranho que estava surpreso.

_Como sabe o meu nome? Perguntou o tal Skull Jack com o tom de voz estrangulado, mas SilverCat não respondeu simplesmente aumentou a força no pescoço do inimigo e disse.

_Responda-me de uma vez. Skull Jack começou a se debater estava sem ar e o sangue não estava circulando para sua cabeça.

_Conversar. Qual ele respondeu isso SilverCat simplesmente o soltou fazendo o homem cair de joelhos no chão com a cabeça baixa e tossindo em busca de ar.

_Hoje não estou de bom humor. Falou SilverCat. _Fale o que quer antes que eu te resolva te matar de uma vez. O tom da mulher não era de falsa ameaça e ate mesmo um cavaleiro negro temeria diante desse tom.

_Você se tornou famosa em apenas um mês ou menos. Falou Skull Jack se levantando ainda mantendo seu rosto escondido por trás de um capuz. _Uma das maiores espias e caçadora de tesouros que eu já ouvi falar. O tom de voz so homem parecia conter uma sertã ironia. _Meus superiores querem sua cabeça já que você nos roubou muito nesses últimos tempos mas antes eles querem que você devolva algo.

_A lótus negra? Perguntou a mulher num tom de quem achava aquilo muito chato. _Só vou deixar você vivo por que não tenho tempo a perder. Depois disso ela rapidamente deu um soco na barriga do homem que por um instante pareceu não sentir nada, mas logo depois ele tossiu sangue e caiu mais uma vez de joelhos com a cabeça baixa e SilverCat simplesmente deu as costas para ele e saiu andando pelas ruas escuras onde estava.

SilverCat caminhava pelas ruas como se estivesse passeando. Ela estava um ouço afastada do centro da cidade e o silencio dominava as ruas, mas isso estava mudando, pois como se tivesse saído do nada muitas luzes apareceram e uma extensa rua cheia de lojas dos mais variados tipos dês de sorveterias a loja de conveniências. Ela percebeu que aquela era uma rua normal um pequeno centro comercial para as pessoas que não queriam ir porá o centro ou outros lugares para fazer compras tinha vários trouxas naquela rua mesmo com a hora avançada talvez por causa da proximidade do natal ou algo assim, mas ela também viu que no meio dos trouxas tinham bastantes bruxos ou feiticeiros orientais que não ligavam em estar no meio de trouxas, apenas andavam e se divertiam vendo o movimento.

Foi andando por essa rua que ela pode esquecer um pouco do seu trabalho de quem era e do que tinha acontecido na antiga fortaleza ela estava se distraindo se arriscava ate a sorrir um pouco o que atraia a atenção de muitos já que ele era muito bonita e o seu estilo de roupa não era muito comum, mas mesmo assim ela não se incomodava . Passando por algumas lojas distraidamente observando adultos e crianças, sem contar alguns adolescentes, mas quando ela estava passando em frente a um beco ela ouve um barulho ensurdecedor como se algo a chama-se e quando o barulho parou ela notou que muitos olhavam para ela sem entender nada aparentemente sem nem terem ouvido aquele enorme barulho que mais parecia o som de um choro.

“Venha”. Falou uma voz que parecia ser feminina vindo de dentro do beco a mesma voz do choro as pessoas que estavam em volta dela não entendia o por que da mulher olhar tanto para o beco, mas acabaram por deixar quieto e começaram a seguir os seus caminhos e quando SilverCat estava para fazer a mesma coisa ela ouve a mesma voz só que mais forte. “Finalmente nos encontramos... Venha me pegar nos precisamos uma da outras” Sem perceber SilverCat avia entrado no beco e quando percebeu ela estava andando por uma rua totalmente paralela onde só tinha a parede das lojas e quando caminhou por mais dois minutos ela encontrou uma velha loja parecendo extremamente velha. As portas estavam abertas e uma luz fraca emanava de dentro da loja e ela pode ver recortado sobre a luz fraca a imagem de uma mulher de cabelos brandos e como se uma força a puxa-se para dentro ele adentrou a loja a viu com grande surpresa que a luz emanava de uma velha espada enferrujada uma Katana que estava sopre um balcão empoeirado e logo atrás da Katana estava uma bainha longa e de coloração azul escura com uma única pedra provavelmente de prata.

SilverCat se aproximou da espada sentia um calor agradável quando fazia isso e mesmo a espada estando enferrujada ela demonstrava ser muito bonita e atrativa. Ela alcançou o balcão e esticou a mão para pegar a espada, mas antes de toca-la a espada brilhou mais forte e por trás do balcão apareceu uma linda mulher com semblantes tristes e longos cabelos brancos apesar dela não demonstrar ter mais de trinta anos.

“Há muito tempo espero aquela em que devo confiar” A voz da mulher parecia vir de longe apesar de que SilverCat via a mulher mover os lábios. “Espero aquela que seja digna de me portar de que finalmente me de um nome” Apesar de querer se mover SilverCat não conseguia somente observava o rosto triste da mulher. “Fui forjada a muito tempo em tempos onde cada espada tinha seu próprio espírito fui empunhada por muitos guerreiros valentes mas eles só matavam sem sentido, não tinham propósito, nem mesmo o de vingança. Eles só queria o poder. Me mancharam de sangue e não me deram um nome”

_O que você quer que eu faça? Perguntou SilverCat com um tom calmo mais calmo do que a situação pedia.

“Depois de muito ser manchada de sangue e infelizmente ter saciado a sede de sangue de muitos guerreiros eu ganhei a liberdade de escolher quem me portaria, assim mais uma vez de fazer a mim feliz por ter um propósito, alguém que me de um nome verdadeiro” A mulher levantou o seu braço e passou sua mão no rosto de SilverCat que estava estática, mas viu como aquele toque era macio. “Você tem sua missão e eu quero segui-la, eu vi que você é digna antes mesmo de você nascer agora me de um nome e juntas nos seremos fortes, seremos uma só.

SilverCat não sabia o que fazer, não sabia o que dizer, ela fitava os olhos da mulher e do nada percebeu que os olhos eram prateados como a luz do luar mas continha tristeza uma tristeza semelhante que ela SilverCat já passara a de perder uma parte de si mesma e a de tentar recupera-la.

_Skalian. SilverCat não sabia ao certo de onde vinha aquele nome, sabia o significado mas não sabia como havia pensado nele, mas não se importou muito pois logo depois pegou a espada pelo cabo e falou. _Juntas seguiremos nossos destinos e cumpriremos nossos propósitos para assim poder descansar em paz, por isso que te dou o nome de Skalian, que significa “O Caminho a ser seguido”.

Depois de ter falado isso ela se voltou para a mulher que sorria e seus olhos já não tinham mais tristeza do passado, mas esperança no futuro.

“Assim a servirei e seremos uma só para seguirmos esse caminho” Falou a mulher e logo depois uma intensa luz branca tomou conta da loja, à mulher parecia ter virado vapor e esse vapor ia em direção da espada como se estivesse voltando para onde pertencia. A ferrugem da espada sumiu e mostrou uma linda lamina prateada que parecia mostrar a verdadeira imagem e logo depois como se estivesse sendo chamada a bainha apareceu na cintura de SilverCat, amarrada por uma fita vermelha a espia simplesmente fez um movimento com a espada a guardou na bainha perfeitamente sentindo o espírito da espada vibrar de satisfação por finalmente ter um nome e um propósito.

_Agora vamos juntas terminar essa missão e depois partir para outra. Falou SilverCat logo depois de ser envolta por uma nuvem cinzenta e desaparecer.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Já fazia duas horas que Harry e Draco estavam inconscientes e Anne já avia aplicado o tal remédio que falara para os amigos. Todos estavam sentados nos sofás da sala da Alcatéia quietos durante essas duas horas só pensando e revendo em suas mentes cada parte do combate violento, tentando saber o que realmente aconteceu nele. Eles sabiam que a extensão dos poderes que aqueles dois demonstraram foi muito maior do que o normal, mas não sabiam como e também tentavam reviver cada feitiço que fora lançado que mesmo sem eles perceberem alguns feitiços nem foram pronunciados, apenas lançados.

Hermione ainda tentava lembrar de onde ela tinha ouvido aquele ultimo feitiço que definiu o combate ela sabia que o conhecia, mas não sabia de onde. A garota que estava de cabeça baixa olhando diretamente para o fogo da lareira imersa nos seus pensamentos levantou vagarosamente sua cabeça e olhou lentamente cada um dos seus amigos que ali estavam todos com faces serias e pensativas menos duas pessoas uma ela nem ligou, já que Luna sempre tinha aquela expressão avoada, mas ela estranhou ver Anne com seu rosto calmo, porém ainda pensativo.

_Você pode nos explica o que realmente aconteceu lá? Perguntou Hermione para Anne assustando a todos que imediatamente olhou para a jovem Potter que simplesmente suspirou e pareceu afundar mais na poltrona onde estava sentada.

_Explicar o que exatamente? Perguntou Anne com um tom cansado.

_Tudo. Dessa vez quem falou não foi Mione e sim Neville. _Como eles conseguiram fazer aquela devastação em uma simples batalha?

_A Zona Zero é bem especifica, em certo ponto vocês tem de lembrar que ela foi criada para antigos magos poderem utilizar seus poderes com total liberdade, por isso que vai para aquela dimensão pode usar todo o seu potencial, sem nem mesmo saber. Sabe lá se as leis de lá são iguais ao nosso mundo, como a gravidade e tudo mais, mas por ser um lugar relativamente artificial nós, e quando eu digo “nós” quer dizer todos nessa sala, ou em qualquer mundo, bom nós simplesmente utilizamos tudo o que temos e quebramos algumas barreiras, é um ótimo lugar para treinamento. Falou Anne já esperando por outra pergunta.

_Quer dizer que tanto o Harry quanto o Draco não podem utilizar todo aquele poder nesse nosso mundo? Perguntou Fred com um tom serio que não combinava com ele.

_Ao contrario eles podem muito bem utilizar cada gota de poder nesse mundo do mesmo jeito que usaram na Zona Zero. A resposta surpreendeu os a todos, mas Anne ainda estava calma. _O fato de alguns não estou falando só do Harry e do Draco, mas de alguns outros grandes magos e feiticeiros muito poderosos no passado não utilizarem todo esse poder nesse nosso mundo é que inconscientemente eles sabem as conseqüências que isso pode trazer. Todos lançaram um olhar curioso na direção da menina. _Imaginem se o Draco utilizasse todo o poder daquele ultimo feitiço que ele lançou sei lá em qualquer lugar do mundo imaginem a destruição que traria ou se o Harry utilizasse seu ultimo feitiço num local onde tem muita gente alguns iam ser atingidos indiretamente por ele e sofrer as mesmas conseqüências, os outros que escaparam iriam entrar em pânico e ate enlouquecer com a onda de pânico e medo que as vitimas exalariam. Quando Anne terminou de falar viu seus amigos todos de olhos fechados e estranhamente pálidos por simplesmente imaginar aquilo acontecendo.

_Por que o Harry se descontrola? Perguntou Luna que chama mais atenção para essa questão.

_Como eu disse aqui nosso subconsciente nos impede de fazer muita coisa ate mesmo nosso consciente e por alguma ração a mente de Harry tentando superar esse limite digamos que desliga o senso de realidade o transforma completamente em algo que só quer lutar ate cair, mas tem outra coisa que faz ele se descontrolar, e essa é pior do que o que aconteceu na Zona Zero. Todos olharam para Anne como se aquilo fosse impossível já que nada podia ser pior do que aquilo.

_O seria isso? Perguntou uma Gina muito relutante.

_Ódio ou Fúria extrema alem do limite, mas ai ele não vai querer só lutar ate cair não ele vai se focar num objetivo e não ai parar ate atingi-lo ele não dormira, não cairia, e muito menos morreria antes desse objetivo estiver pronto, nem que para isso ele tenha de levar o mundo inteiro junto. Anne afundou cada vez mais na Poltrona. _Nos sabemos disse por que fizemos uma simulação numa realidade alternativa igual à Zona Zero só que lá não é você que luta, mas tipo um clone seu e vimos que ele só parou quando conseguiu o seu objetivo na época ele não tinha tanto poder quanto agora, mas foi o suficiente para levar pelo menos 95% da Grã Bretanha com ele.

_O Harry Sabia disso? Perguntou Jorge que só foi respondido com um mero aceno da cabeça de Anne.

_Pensando bem isso faz sentido. Falou Rony num tom sombrio atraindo a atenção para ele ate mesmo a de Anne. _Se formos pegar de todos dessa sala somente duas pessoas conhecem o Harry tão bem e essas pessoas sou eu e a Hermione sem querer te desmerecer Anne, mas nos o conhecemos a cinco anos convivendo diretamente com ele. Anne concordou com um maneio da cabeça como se não ligasse muito para aquilo. _Nesses cinco anos eu e a Hermione já vimos o Harry nervoso, mas realmente nervoso e é uma coisa assustadora, aquele que aparece na frente dele ele descarrega essa fúria, só que nunca em força física mas geralmente em agressões verbais e infelizmente ate psicológicas, mas como era sempre eu e a Mione que ficávamos perto dele nesses momentos então nos éramos os alvos ou raramente o Malfoy por isso ninguém sabe disso.

_É verdade. Falou Hermione. _Principalmente no nosso quinto ano quando começaram a pressiona-lo de todos os lados sem ele nem saber direito o por que era o Ministério o difamando, os alunos falando mal dele ate o achando um louco, Dumbledore o prendendo com os tios insuportáveis e nem mesmo falando com ele direito para lhe tirar as duvidas e por fim o obrigando a ter aulas de oclumencia com o Snape fazendo ele reviver lembranças realmente dolorosas para ele e no fim e o pior de tudo foi a Morte de Sirius.

_Pelo que eu soube o Harry quase que literalmente destruiu metade do escritório de Dumbledore num acesso de raiva. Sabe, a morte de Sirius foi a gota d’água, ele não resistiu, antes disso ele simplesmente guardava o sofrimento para ele, mesmo como no caso dos castigos da Sapa Velha. Ta certo que ele descarregou uma vez ou outra sua raiva em mim ou na Mione, mas no geral estava tudo guardado. Falou Rony assim que percebeu que Hermione não conseguiria continuar. _Sinceramente eu tive medo de que para se vingar Harry pudesse a vir num futuro não muito longe a se transformar em algo pior do que Voldemort sabe não medir conseqüências até que sua vingança estivesse completa, passando por cima de tudo e de todos. Dessa vez ate mesmo Anne se surpreendeu com as palavras de Rony, mas esse pareceu não se importar. _Eu realmente fiquei aliviado ao saber que ele não faria isso, que ele não lutaria só para vingança isso tirou um peso provavelmente não só dos meus ombros, mas nos de Hermione também já que se esse fosse o destino que Harry escolhe-se eu provavelmente iria com ele para tentar amenizar o Maximo que pudesse as conseqüências dessa escolha. Quando Rony falou isso Hermione simplesmente concordou com um aceno da cabeça. _E digo que não só nos dois iríamos com o Harry, mas talvez muitos dos que estejam nesse castelo também iriam.

_Bom o que o Rony disse em parte eu realmente acredito que seja verdade, digo em parte por que o resto de nos não sabíamos como o Harry realmente era, nos só conversávamos com ele ou nem isso sabíamos que ele tentava ser alegre e ate podia ser, mas nada alem disso. Quando Gina falou isso todos concordaram silenciosamente com um maneio da cabeça.

_Anne. Chamou Hermione cautelosamente pela jovem Potter que tinha voltado a ficar pensativa, mas logo se voltou para ela. _Que feitiço foi aquele que o Harry usou no Draco e o por que eu acho que já o conheço? Aquela era a pergunta que ela realmente queria fazer e em parte a que todos queriam saber a resposta.

_Primeiro o feitiço não é uma Maldição Negra para falar a verde ele nem tem classificação ele é de uma magia muito antiga e provavelmente você sabe dele por pura Herança Hereditária ou genética já que de algum modo você é descendente direta da grande Circe não só herdeira de sangue, mas provavelmente de poder. Mione fitou Anne com curiosidade. _Entre os bruxos, Feiticeiros ou magos é possível um descendente herdar o poder de tipo seu avô ou Bisavô ou ate de um parente mais antigo.

_Bom então o que você ta tentando dizer é que eu herdei a sabedoria de alguns feitiços de Circe? Perguntou Mione como se aquilo fosse loucura.

_É. A resposta de Anne foi tão simples que fez Hermione ate duvidar que aquilo era realmente uma historia inventada. _Mas você não sabe desse feitiço só por ser descendente dela, mas também por que foi ela em conjunto com outros seres que inventou o que na época foi chamada de As Quatro Maldições Divinas, mas como eu disse esses feitiços realmente não tem classificação direta entre luz e trevas. Dizem que esses feitiços só foram inventados para destruir um grande deus maligno que queria derrubar o Olimpo, mas não se sabe se isso realmente é verdade.

_A sim, você me diz que eu sou descendente daquela que foi chamada de a Rainha das Feiticeiras que não passa de uma velha lenda Grega que foi inventada há tanto tempo que ninguém sabe quando começou, e que ainda por cima eu posso saber de feitiços tão poderosos e terríveis que podia atingir ate um deus. O tom que Hermione usava era de puro deboche. _E depois de tudo isso você quer que eu acredite? O tom da garota surpreendeu a todos, mas quase todos que estavam ali concordaram com ela, pois ate entre os bruxos algumas lendas da Mitologia Grega ou de alguns outros povos eram conhecidas, mas é claro só aquelas que falavam de magia ou algo assim, o resto era resto.

_Você deve saber muito de mitologia Grega, pois é uma nascida trouxa e provavelmente gostava de ler sobre isso já que podia fugir um pouco da realidade. Quando Anne falou isso Mione concordou silenciosamente. _Então me diga uma coisa. Os olhos de Anne brilharam como um sinal de vitória. _Depois de que você entrou no mundo bruxo você não viu coisas que só tinham em velhas lendas Gregas ou de algum outro povo antigo? Essa pergunta fez Hermione relembrar os primeiros livros bruxos que leu sobre criaturas mágicas ou algumas que ela já tinha visto e que ela já tinha lido em livros de mitologia. _Se você ta em duvida lembre-se de dois povos distintos que temos aqui perto dentro da Floresta Proibida.

_Os Elfos e os Centauros. Quem falou não foi Anne, mas sim Luna, mas aquilo não importou muito para Hermione, pois essa revelação fez todas as suas defesas que ela tinha construído para não acreditar naquilo caírem pro chão. _Os elfos são geralmente da mitologia nórdica e Celta os Centauros da mitologia Grega e Romana.

_Não é possível. Falou a garota olhando para Rony se também achava aquilo coincidência de mais. _Mas mesmo se isso for verdade como você sabe que eu justamente EU sou descendente de Circe já que tem milhares de bruxas e bruxos no mundo inteiro alem de que eu nem nasci bruxa.

_Simplesmente por você ser nascida trouxa. Hermione olhou confusa para Anne. _Dizem que Circe não aceitaria que nenhum Homem recebe-se seus poderes, sabe uma cisma que ela tinha contra os homens, então ela fez um feitiço em que ate que não nascessem por três gerações seguidas mulheres sua família nunca teria poderes mágicos. Hermione baixou a cabeça e tentou puxar pela memória algo assim na sua família. _Vejamos acho que isso por parte da sua mãe. Anne parou e levantou três dedos no ar. _Sua avó foi a primeira menina que nasceu na família dela depois de uns cem anos, depois veio sua mãe e em seguida a terceira que é você e foi escolhida como descendente de Circe.

_Bom eu já ouvi falar de que alguns bruxos das trevas de antigamente lançavam esse tipo de maldições; em parentes denominados “Puro Sangue” que se casavam com trouxas ou nascidos touxas. Falou Neville.

_Olha nem nos os Bruxos sabemos, ou melhor, nos ignoramos ate aonde vai a barreira de lendas e realidade como por exemplo os centauros que aparecem em algumas lendas Gregas ou dragões que aparecem em lendas da maioria dos povos que já caminharam pela terra então não sabemos exatamente ate onde isso é verdade. Quem falou foi Luna que olhava para um ponto distante nas chamas da lareira. _Mas você só respondeu uma pergunta. Falou a loira olhando diretamente nos olhos de Anne. _E alem de querer saber qual feitiço era aquele que o Harry usou que fez o Draco sei lá parecer que viu o inferno eu quero saber quais são os outros três que você falou.

_Essa ate eu quero saber. Falou Neville.

_Vou te dizer o que eu sei, mas peco que vocês se preparem, pois mesmo com a simples menção do nome do feitiço todos nos sentiremos talvez um certo arrepio ou um frio enorme. Todos ficaram quietos por um tempo e depois se entre olharam e com um aceno de suas cabeças Anne se preparou para falar. _O feitiço que o Harry usou pode-se dizer que é o mais fraco dos quatro, cada um tem uma função específica. Anne parou por um instante respirou fundo e falou. _ O primeiro foi o que o Harry usou no Draco e se chama Skiren Arlian. Ao dizer isso foi como seu o ar tivesse ficado três vezes mais pesado e um frio imenso passou pelo castelo fazendo todos se arrepiarem as chamas da lareira diminuíram levemente, mas logo depois voltaram ao normal, mas mesmo assim todos ainda sentiam o efeito das palavras. _Ele significa Julgamento dos Condenados basicamente o começo do julgamento ele transporta você para o seu pior pesadelo não estou falando de medos fúteis como os que um bicho papão produz a não se fosse so isso seria bom não ele busca no canto mais profundo de sua alma e de seu coração o seu maior medo o como somos humanos a maioria de nos temos medo da morte e do que pode acontecer depois sempre pensando em um castigo ou coisa assim dizem que cada pessoa cria o seu inferno é exatamente isso que acontece, você é lançado nesse inferno sofrendo todas as conseqüências. Aqueles que ouviam Anne falar pediam sinceramente para nunca, mas nunca mesmo, receber tal castigo. _Mas a casos em que a pessoa tem medo de outras coisas então essas coisas aparecem, mas é MUITO raramente e o feitiço é quase igual a Maldição Cruciatos por causa da dor que você sente mas com a diferença de que cada machucado e cada tortura que você recebe realmente é feita em seu corpo não só na sua mente e quando se realiza esse feitiço acontece uma pequena distorção temporal dependendo do poder de quem o lançou por exemplo o que para nos foi cinco minutos que o draco gritou para ele poderia ter sido centena ou milhares de anos recebendo aquele castigo continuamente fazendo ele perder a noção de tempo e realidade.

_Mas isso é pura crueldade. Falou Gina se exaltando e ninguém estranhou isso já que todos pensavam a mesma coisa ate mesmo Luna.

_Você julga ser crueldade. Falou Anne com um tom profundo e sombrio sua aura branca apareceu em uma camada fina fazendo a pele da garota brilhar estranhamente, mas logo depois a aura ficou negra mas não maligna. _Mas e se, por exemplo, o Neville usa-se esse feitiço para vingar os pais dele ou se o Harry usa-se para destruir Voldemort você manteria essa opinião de crueldade? Gina baixou a cabeça, pois sinceramente não sabia a resposta ela não sabia qual era a dor de alguém perder os pais antes mesmo de conhece-los ou pior de que seus pais estejam vivos, mas nem lhe reconhecer como no caso de Neville os pais dele estavam tão próximos porem tão longe. _Eu posso responder que muitas vezes a palavra crueldade é só uma desculpa para aqueles que não aceitam algo não estou dizendo que concordo que saiam torturando as pessoas por ai, mas se isso for realizado de um modo em que suas crenças ou seus objetivos e ideais estejam contra você chamaria isso de crueldade mas eu e o Harry concordamos que ninguém merece isso não importa os ideais ou as crenças fazer isso é imperdoável pois isso só trará dor e sofrimento não importa como. Anne parou por um instante e todos os amigos olhavam para ela surpresos com sua aura negra e por um instante eles acharam que ela era mais velha do que parecia. _Para o Harry e para muitos torturar é uma coisa má ate mesmo entre os servidores de Voldemort só que para eles isso só é cruel se um parceiro deles for torturado, mas se for alguém com a Hermione ou como os Weasley ai eles não se importam, pois isso é pelo bem de sua causa.

_O que você ta tentando dizer é que o sentido de crueldade e não crueldade depende de cada pessoa e de cada ideal que essas pessoas carregam? Perguntou Hermione com um tom tão sombrio quanto o de Anne.

_Basicamente isso apesar de que em algumas partes todas as pessoas concordam não importa o ideal ou a crença, só alguns loucos que não concordam com isso, mas só. Anne olhou para cada um e voltou a falar. _Por exemplo, mesmo para os comensais com todo o ideal e poder que eles tem eles acham crueldade alguém matar suas famílias simplesmente por eles seguirem um ideal diferente só que isso acontece a mesma coisa com aqueles que não seguem o ideal dos comensais, ou seja, tudo é questão de ponto de vista e dos atos de cada um.

_E quais são os outros três feitiços? Perguntou um Rony relutante, pois sinceramente ele não queria saber.

_Eu só sei dizer mais um e mesmo assim só a tradução os outros dois só o Harry sabe e creio que ele não ira contar para ninguém por motivos óbvios. Falou Anne se referindo ao alto nível de periculosidade que os feitiços podiam causar. _O nome é ate meio obvio sabe é Sentença dos Condenados ela é mais violenta do que a primeira pós ela não envia somente a mente para o seu pior pesadelo, mas também sua alma e seu corpo, mas é só isso o que eu sei.

_Olha Anne eu agradeço que você so saiba isso por que se não eu não sei como estaria o meu estado mental agora. Falou Fred tremendo de imaginar esse segundo feitiço.

_Mas Anne. Falou Luna com um tom interrogativo. _Você disse que nesse segundo feitiço é possível lançar não só a mente, mas o corpo no seu pior pesadelo ou coisa parecida. Anne afirmou com a cabeça e Luna continuou. _Então por que aqueles machucados apareceram no Draco depois do que o Harry fez? Os amigos não gostaram muito daquela pergunta simplesmente por que não queriam saber a resposta, pois tinham medo da resposta.

_Simples. Falou Anne sua aura ainda aparecendo. _A mente dele interpretou ser real não só o cociente, mas o subconsciente. Anne respirou fundo fechou os olhos por alguns segundos e depois falou. _Vejam bem nossa mente é mais poderosa do que vocês imaginam, por exemplo, se eu de algum modo sem ser por magia, mas por uma sugestão diretamente no subconsciente de um bruxo sei lá falar que ele não pode usar magia nunca mais ele nunca mais vai usar mas claro isso depende de o quanto sua mente é forte.

_Que nem a maldição Cruciatos. Falou Hermione mais para si do que para os outros.

_Isso mesmo. Falou Anne fazendo Hermione perceber o que tinha dito. _A maldição Cruciatos manda uma sugestão a sua mente uma sugestão de que você esta sentindo muita dor muita mesmo e o seu corpo simplesmente obedece a sua mente e você começa a sentir como se facas em brasas estivessem perfurando sua pele, mas a maldição tem uma falha comum à de que você sempre tem de manter contato visual com a vitima alem é claro de focalizar somente nela a maldição por que se não ela não produz efeito por isso ela é difícil de ser realizada e outra se o oponente tiver uma mente bem estruturada ele pode resistir tempo suficiente ate escapar da maldição.

_Então isso é simples. Falou Jorge com um tom pensativo.

_Parece simples, mas não é. Falou Anne ma logo ela sorriu sua aura negra desapareceu e todos sentiram ambiente da sala melhorar. _Bom agora vamos dormir por que não vai adiantar de nada nos ficarmos cansados esperando o Harry e o Draco acordarem, pois isso vai demorar um pouco por isso vou ajeitar a sala para que se passe uma semana aqui dentro não mais do que um dia lá fora.

_Apesar de achar que não vou conseguir dormir direito eu concordo com a Anne. Falou Neville se levantando do sofá e indo em direção a um dos quartos dos fundadores logo em seguida foi acompanhado pelos seus companheiros por ultimo Anne.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Mais uma vez as criaturas da floresta de Enterius estavam inquietas e assustadiças qualquer ser que aparecesse por perto elas o atacariam, não importava quem eram, isso era por causa de mais uma vez na mesma clareira onde os ceifador e o Blarog estava tendo mais um ritual, algo grandioso, não se podia dizer que eram tão temerosos quanto o ritual do ceifador ou o do Balrog, não, mas era grande.

A clareira era circular com mais de cinqüenta metros de circunferência só que diferente do ultimo ritual realizado ali a clareira estava totalmente coberta por escritas e runas antigas amaldiçoadas. Atos profanos iam ser realizados ali e Voldemort estava ansioso, insanamente ansioso, pois seu exercito alcançaria um grau já mais vistos em qualquer era nem mesmo na era de Sauron, o senhor do escuro.

Um pouco mais ao centro da clareira tinham mais de cinqüenta seres altos vestindo capas de uma coloração vermelha sangue com estranhos símbolos negros. Quem visse a face desses seres poderiam afirmar que eles não eram humanos, o que era a mais absoluta verdade, eles deixaram de ser simples humanos.

Os Espadas negras eram bruxos que assim como voldemort passaram por uma serie de rituais e poções para adquirirem mais poderes e assim conquistar o mundo, mas seus poderes não eram nada comparado ao do Lord negro, mas mesmo assim esses rituais os deformaram dando-lhes algumas características animais. Voldemort agora tinha o controle sobre todos daquele grupo que o seguiria cegamente ate no mais profundo abismo.

_Tomem suas posições. Falou a voz gélida de voldemort no meio dos Espadas negras que saíram do centro da clareira, mas cada um foi para um canto, quase encostando nas arvores podres da floresta e Voldemort já não estava mais no centro da clareira mas sim se afastado dali mas num lugar em que pudesse ver tudo. _Comecem.

Os cinqüenta espadas negras começaram a entoar um encanto em alguma língua antiga e conforme as primeiras palavra iam sendo ditas os símbolos e runas que estavam na clareira começavam a brilhar em todas as cores possíveis e impossíveis, as nuvens cinzentas do céu da ilha começaram a girar rapidamente como se um furacão estivesse acontecendo e conforme o resto do encanto eram pronunciado a terra começou a tremer e a pouca claridade que vinha do céu sumiu mergulhando tudo na ilha em uma imensa escuridão. Todos os Vampiros e Lobisomens ficaram em alerta como se algo perigoso se aproxima-se.

Do céu cinzento desceu um roda moinho muito forte que sugava as arvores para si mas os Espadas negras não saiam do lugar continuavam a realizar o encantamento e a cada palavra se condenavam a maldições piores do que a morte pois estavam quebrando leis acima das leis mortais. Do nada o rodamoinho sumiu, mas os troncos de arvores que ele sugara não haviam caído, eles simplesmente sumiram. Os Espadas negras se calaram e com isso varias linhas começaram a ligar os símbolos e runas uns nos outros formando o que parecia o projeto de uma enorme teia de aranha a luz avia se tornado branca por alguns segundos mas logo depois ficou negra, e um imenso portal pegando quase todo o chão da clareira apareceu sua cor era negra como o ébano e a energia que saia dele era enorme. Cada Espada negra levantou as mãos aos céus e linhas mágicas os ligaram.

Um urro assustador saiu do portal e logo depois mais urros foram ouvidos como se de dentro do portal tivesse ume exercito de bestas, mas os urros se silenciaram e de repente o que pareciam ser no mínimo uns trinta borrões de varias cores escuras saíram do portal e pousaram na floresta, a não mais de vinte metros da clareira, mas mesmo assim era possível ver que criaturas eram aquelas ate mesmo do castelo do lorde negros.

Os comensais que estavam de vigia no castelo viram com grande pavor trinta enormes criaturas se apoiando nas patas traseira seus corpos escamosos lembravam muito os dos dragões, mas seus pescoços eram mais alongados e suas patas dianteiras maiores e mais fortes e suas cabeças mais finas como de um monstro marinho elas tinham no mínimo vinte metros de altura. Ali estava o que ate mesmo os bruxos consideravam lenda ali estavam trinta enormes Hidras que olhavam para um ponto a menos de dez metros dela onde se encontrava Lord Voldemort sorrindo e olhando para cima, mas ele saia que ainda tinha mais.

Logo depois das Hidras saíram toda a ilha pode ouvir passos como se um exercito estivesse marchando em direção deles, só que os passos vinham do portal que ainda não fechara, mas não importava, pois o que saiu do portal fez ate os Espadas Negras se surpreenderem. No mínimo uns duzentos Seres altos com uns três metros e meio mais ou menos com corpo humanóide so que suas pernas eram fortes com uma pelagem marrom e em vez de pés aviam grandes cascos negros e em vez de cabeças humanas eles tinham cabeças de touro com grandes chifres ali estavam mais uma coisa que era considerada lenda pelos bruxos, ali estavam um exercito de Minotauros com seus olhos negros e corpos cobertos por armaduras antigas.

Os Minotauros continuaram a marchar pesadamente ate onde se encontrava Lord Voldemort e quando eles viram o Lorde negro todos se ajoelharam com suas cabeças baixas e as hidras urraram com força como se saudassem ao seu novo mestre logo depois veio um silencio mortal que foi quebrado por uma gargalhada fria a e cruel do Lorde das Trevas.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Avia se passado uma semana dês de que SilverCat encontrara sua nova espada, mas ela ainda estava em Tokyo em sua missão, para ser mais exato ela estava ao pé do monte Fuji do lado norte olhando intensamente para uma rocha enorme e lisa. Lá se aproximou da rocha e a tocou com a palma da mão com calma sentindo a testura da rocha que, definitivamente, era diferente da testura de uma rocha vulcânica, como se aquilo tivesse sido colocado ali por alguém ou alguma coisa.

A mulher passou a mão por um instante na rocha ate que parou e pressionou como se acertasse um botão, logo depois um grande barulho espantou os pássaros que estavam ali por perto, mas SilverCat estava atrás da rocha que simplesmente afundou no chão mostrando a entrada de uma enorme caverna que mais parecia ter sido feita pelo homem do que pela natureza.

SilverCat olhou a caverna por um tempo tentando enxergar mais a fundo, mas a escuridão não permitia então ela entrou na caverna nesse momento tochas se ascenderam de ambos os lados da caverna dando uma boa iluminação ao local e mostrando que a caverna descia para uma profundidade indescritível ou parecia ser assim. A mulher olhou aquilo e soltou um suspiro cansado fechou os olhos por alguns segundos e logo depois abriu, sorriu calmamente e saiu correndo tão rápido para dentro da caverna que surpreendeu ate mesmo uma figura estranha que observava tudo de trás de algumas arvores essa figura também entrou na caverna e começou a correr numa velocidade incrível tentando seguir SilverCat.

Conforme a mulher ia passando pelo “túnel” ela acionava muitas armadilhas, dês de flechas com pontas afiada ate lanças eram lançadas em sua direção, mas devido a sua velocidade esses objetos mal a tocavam, uma vez ou outra uma rocha subia para impedir a passagem mas esta era logo retalhada pela espada da mulher ou quando um pedaço do teto caia para esmagar a intrusa ela simplesmente só de birra parava e ficava segurando a rocha e depois saia correndo rapidamente para não ser esmagada. Essas gracinhas ela fazia de propósito, já que ela queria dar mais trabalho para o seu perseguidor que nem tinha notado que ela já o havia percebido.

SilverCat descia cada vez mais no solo e já tava imaginando onde seria o fim daquilo, ate que ela chegou em um local enorme onde avia varias passagens. Ela não sabia qual tomar e parou por um tempo para pensar e aproveitava descabeçar um pouco.

“A Terceira contando do centro”. Falou uma voz vindo da espada da intrusa que olhou para espada com interece, mas logo deixou isso do lado e olhou para a passagem indicada logo depois sussurrou um “Obrigado” com se tivesse falando com alguém, e correu para a passagem que lhe fora indicada, ela correu por mais trinta minuto já pensando que aquilo não teria fim ate que para surpresa dela ela entrou no que parecia ser o enorme salão de um templo com pilares enormes, subindo para além da vista dela já que não se podia ver o teto e a mais ou menos cinqüenta metros da entrada onde ela estava tinha uma enorme estatua de um Homem com vestes antigas e num altar aos pés da estatua estava o objeto da missão de Silvercat.

Uma espada numa bainha negra sem adornos, mas o cabo da espada era cinzento, não como de um metal, mas sim diferente, não se sabia como. SilverCat foi em direção da espada caminhando com mais cautela pois naquela sala devia ter armadilhas mais perigosas do que as dos corredores, mas ela conseguiu chegar ate o altar onde estava a espada. Fernanda observava a bainha simples de uma espada que parecia ser do estilo celta um pouco mais longa que o normal, mas parecia não ter nada de mais, mas quando ela ia tocar a espada um barulho da entrada chamou sua atenção e ela se virou a tempo de ver Skull Jack desaparecer e reaparecer ao seu lado.

_Obrigado por encontra-la para mim. Disse Skull Jack com uma voz doentia. _Agora morra. Falou tirando uma faca das vestes e tentando golpear SilverCat que deu dois passos para trás e deu um soco no rosto do Homem que cai de costas no chão meio atordoado, e ela ia aproveitar para pegar a espada mas foi impedida por uma luz vindo de Skalian sua espada e de um berro que foi ouvido ate por Sukul Jack.

“Não” Berrou Skalian e SilverCat recuou a mão da espada do altar rapidamente mas Skull Jack aproveitou isso e tentando sair na frente ele pegou a espada do altar e a tirou da bainha o que veio a seguir SilverCat nunca saberia descrever completamente pois só ouviu um berro de dor e desespero como se algo estivesse sendo queimado ou retalhado de uma forma bem dolorosa e um clarão cinzento, depois do clarão ela viu o Corpo de Skull Jack caído não chão aparentemente morto, ela se aproximou dele e pode ver os seus olhos que ainda demonstrava ter vida mas também transmitia uma onda interminável de dor e sofrimento.

_Mas que merda é essa? Perguntou a mulher para si mesma.

“A espada dos mortos” Falou Skalian se materializando em sua forma humana em frente de SilverCat. “Ninguém a não ser o dono dessa espada pode toca-la e se toca-la você é lançado aos portões do outro mundo só que só metade dele vai ou seja em quanto ele estiver vivo nesse mundo ele continuara sobre o efeito da espada.”

_E como eu vou pegar essa espada? Perguntou a mulher olhando para Skalian.

“Ora você é uma Bruxa” Falou Skalian com um tom obvio. “Coloque a espada na bainha com magia e ai você pode toca-la já que dentro da bainha ela é inofensiva”. Silver Cat fez o que Skalian sujeriu e com um certo medo tocou o meio da bainha e para sua surpresa a bainha parecia estar vazia de tal leve. Uma missão cumprida” Ao terminar de dizer isso o templo tremeu fortemente alguns dos pilares caíram uns sobre os outros se derrubando como se fossem domino aquilo estava desmoronando tudo a passagem para o “túnel” Estava bloqueada SilverCat ia em direção a Skull Jack mas antes de chegar um pedaço de algum pilar caiu em cima do inimigo que provavelmente morreu sem escolha ela abriu um portal azul e Skalian desapareceu voltando para a espada e assim as duas passaram pelo portal levando a Espada dos Mortos.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

EM Hogwarts um certo moreno de olhos brancos acorda sentindo dores em seus braços apesar de já ter passado uma semana dês da batalha contra Draco os efeitos da luta ainda eram sentidos mesmo com as poções, mas isso não era nada, pois Harry ainda se punia por ter perdido o controle. Draco nem se dizia toda vez que aparecia na sala da Alcatéia com seus lobinhos parecia mais pálido do que o normal e algumas olheiras apareciam em seus olhos isso era por causa dos pesadelos que ele vinha tendo graças ao feitiço que Harry usou para finalizar a luta, mas segundo Gina os pesadelos já estavam desaparecendo e que não duraria muito e o loiro voltaria ao normal.

Harry entrou na Sala da Alcatéia e lá encontrou todos os seus companheiros e seus aprendizes sentados nos sofás e poltronas, alguns mo chão lá estavam ate mesmo os aprendizes de Harry.

_E ai Harry. Falou Fred com um sorriso maroto nos lábios.

_Pensamos que você não nos veria ir embora. Falou Jorge.

_A é vocês já tiraram seus diplomas. Falou Harry como se tivesse esquecido daquilo. _Bom vocês já sabem o que tem de fazer lá fora com os assuntos da Alcatéia, só que eu quero falar uma coisa em particular com vocês. Falou o moreno e logo em seguida os gêmeos se levantaram e foram com o Harry ate o lado oposto dos demais, que observavam aquilo com interece. _Se alguém ouvir o que eu vou falar com eles vai receber uma boa punição. Falou o moreno lançando um olhar em especial para Anne e Gina que tremeram baixaram suas cabeças.

_Fala chefinho. Falaram os gêmeos ao mesmo tempo.

_Como vocês sabem vocês pegarão vários discípulos lá fora, mais do que o normal. Os gêmeos afirmaram com um aceno da cabeça. _Muito dos lobinhos que vocês vão procurar estão numa lista que eu já coloquei em suas malas e nem me perguntem como eu fiz isso. Falou olhando as espreções de surpresa dos gêmeos. _Vocês poderão escolher, na maioria são nascidos trouxas que acharam que a carta das escolas de magia era uma brincadeira ou coisa parecia, mas não é isso que eu queria dizer pois vocês já sabiam disso.

_Então o que é? Perguntou Jorge.

_Eu conheço vocês muito bem e o seus “Fraco” com mulheres, e já vou avisando vocês agora. Os olhos de Harry escureceram um pouco fazendo os gêmeos levarem aquilo a seria. _Muitos dos possíveis lobinhos são garotas de todas as idades dês de onze anos ate dezoito ou dezenove anos. Os gêmeos se olharam com sorrisos maliciosos imaginando como seriam as garotas que tinha é claro mais de quatorze anos. _ e se eu souber e acredite eu saberei, mas se eu souber que vocês fizeram alguma coisa com alguma delas eu juro que atingirei vocês da pior forma possível, pior do que ate mesmo eu fiz com o Draco, só que não vai ser com feitiço nenhum, só vou dizer que vocês perderão algo muito importante, então não abusem. Os Gêmeos tremeram tão violentamente que todos olharam para eles com certa pena, mesmo não sabendo o que os três estavam falando. _Bom, mas não desaprovarei nada se uma delas quiserem, dês que vocês assumam as responsabilidades depois, pois se não assumirem vocês nunca terão Herdeiros. O tom de Harry foi assustador e serio, só que logo depois de ter dito isso ele sorriu como se nada tivesse acontecido e com a maior calma do mundo perguntou para os gêmeos. _Entenderam? Os gêmeos afirmaram fervorosamente com acenos da cabeça e Harry foi em direção aos sofás e se sentou no chão ao lado de Anne logo depois os gêmeos foram na mesma direção tão pálidos quanto Malfoy mas logo depois começaram a brincar e comemorar suas ultimas horas em Hogwarts.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

O mundo Trouxa estava um caos não so o trouxa mas o bruxo também não se passava um dia sem ter ao menos um ataque a pequenas cidades e vilas ou a famílias importantes as mortes estavam aparecendo em todos os cantos os trouxas se convenceram que tudo era culpa do terrorista o tal de Lord Voldemort e de seus seguidores e com isso todo o mundo trouxa começou mais uma vez a Corrida Armamentista e muitas famílias se preparavam para lutar para proteger os seus parentes.

E isso não era so no mundo trouxa mas no Bruxo também todos estavam procurando algo que lhes pudessem lhes defender e a cada ataque mais e mais agentes da alcatéia apareciam para impedir, capturar e em ultimo caso matar os comensais da morte e cavaleiros negros sem contar os lobisomens e vampiros alguns gigantes e dementadores. No fim varias nações começaram a oferecer recompencas gigantescas por informações que lvassem a captura de Voldemort mas ninguém conseguia achar o “Terrorista” como os trouxas falavam.

A situação estava realmente critica estado de emergência já tinha sido declarado em vários paises não so de terceiro mundo mas daqueles que eram considerados de primeiro mundo. Os comensais aviam arrebentado varias represas no mundo inteiro so para afundar as cidades mais rápido e já estava quase imposivel ocultar o mundo bruxo dos Trouxas para falar a verdade alguns Ministérios da Magia de alguns paises já desistiram de tentar ocultar alguma coisa e se preocuparam a proteger mais sua população.

N/A: Valeu por esperarem esse cap ele nao esta muito bom sabe como é crise de autor. MAs ta ai valeu.

N/A2: Para aqueles que nao gostaram da fic e tentaram esculhamba-la nos comentarios so vou dizer uma coisa. VOCES LERAM POR QUE QUERIAM POIS EU NAO OS FORCEI A NADA. VAleu pela atencao.

N/A3: Agradeco aqueles que me insentivaram a continuar a escrever e pelos BONS comenstarios entao a T+

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.