FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

18. Declarações


Fic: Mudando o Passado - continuação: NOVO TEMPO


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Gina acordou, deitada em sua cama, com Hermione preocupada tirando a sua pressão, e um Harry apreensivo em pé, ao lado da cama.


- O que está sentindo, Gina? - perguntou Mione, num tom profissional.


- Mione, eu estou bem. Só foi uma indisposição. - a amiga arqueou as sobrancelhas, duvidando. - Olhe, antes de vir para cá, eu tive um sonho horrível em que Gui morria. - olhou para Harry, pedindo ajuda. - Quando o vi, o medo que tive nesse pesadelo voltou, e eu desmaiei.


- Ela teve esse sonho, mesmo. - confirmou Harry, apesar de achar essa história muito esfarrapada. - Gina está bem mesmo, Mione?


- Pelo que pude ver, foi só o susto, mesmo. Gina e -


- Mione, será que eu posso conversar com Harry? - cortou a amiga, vendo que talvez ela desse a notícia a Harry.


- Claro. - saiu e fechou a porta.


- O que aconteceu, Gina? - aproximou-se, nervoso. Ela teria rido, se não tivesse com tanto medo da reação dele. - Você está diferente, Foguinho... O que está me escondendo, hein?


- Harry... - começou, ainda espantada por ele ter percebido que ela escondia algo dele, algo que ela nem sabia há pouco tempo. - Eu não sei como você vai reagir a isso. - falou, baixinho.


- Você está doente? O que foi? - não conseguia esconder a ansiedade.


- Eu estou... - era muito estranho dizer isso, já que só tinham passado uma noite juntos. - estou grávida. - baixou a cabeça.


- Grávida? - perguntou, depois de um bom tempo. - Eu vou ser pai, é isso? - falou, sem esconder a felicidade na voz. Gina olhou pra ele.


- Eu não sabia como você ia receber a notícia...


- Temos o resto da vida pra você me conhecer melhor, Gina. Então você vai perceber que eu só podia ficar exultante ao saber que vou ter um filho seu! - puxou-a para mais perto, e a beijou. Ela pôde sentir como ele estava feliz, e, por ela, nunca mais sairiam daquele quarto, mas sabia que a família devia estar em polvorosa, à espera de notícias.


- Harry, é melhor descermos e contar pra todos. Eles devem estar bastante apreensivos. - resolveu brincar um pouco, e falou num tom pretensamente sério. - E é melhor que o senhor nem me beije, nos próximos meses...


- Como é que é, mulher? Tá doida?


- Veja bem: se em uma noite você me deixa grávida de 4 semanas, tenho certeza de que se você me beijar, vão ser quíntuplos!


- Jorge ia me matar! - começou a rir, puxando-a para descerem.


Desceram de mãos dadas, Harry com um sorriso bobo no rosto. Quando apareceram na sala, a Sra. Weasley começou a chorar. Gina correu para a mãe e consolou-a, dizendo que não havia acontecido nada demais. Depois correu para um estupefato Gui e lhe deu um abraço apertado, dizendo-lhe que estava com muita saudade. As mulheres estavam todas emocionadas, com exceção de Fleur, que não sabia o que se passava. Os homens olhavam para Harry, esperando uma explicação.


- Parabéns, Sr. Weasley. - virou-se para o sogro. - O senhor vai ter mais um neto!


A sala voltou à algazarra de mais cedo, todos abraçando e parabenizando o casal e o Sr. e a Sra. Weasley. Rony deu um abraço apertado em Harry, e Mione se aproximou, abraçando os dois. De repente, o tempo não havia passado. Eram novamente três amigos, felizes.


- Ei, cara, parabéns! - os gêmeos se aproximaram.


- Brigado, Fred. E Jorge, há uma possibilidade de você perder a aposta, sabia? Mione falou que podem ser trigêmeos! - provocou Harry.


- Ei, não vale isso! Gina, você não pode trair os seus irmãos desse jeito! - disse à irmã, que se aproximava.


- Trair os irmãos? Que conversa é essa? - olhou pro marido.


- Foguinho, eu já disse a eles que são trigêmeos... - fez um olhar inocente.


- Não se preocupe, Jorge! - disse Gina, rindo. - Se eu tiver trigêmeos, mato o Harry! Onde já se viu, três filhos de uma vez? Quer acabar comigo, Potter? - fez cara de zangada, beijando o marido no rosto.


- Certo, ruiva... Todo mundo sabe que você manda em mim, mesmo... Vamos fazer cada um dos nossos 15 filhos de cada vez, certo?


- Harry! - e lhe deu um tapinha no braço.


Já estava quase amanhecendo, quando a Sra. Weasley finalmente conseguiu com que subissem, falando que Gina e Alícia tinham que descansar.


* * * * * * * * *


- Bom dia, ruiva! - disse Harry, dando-lhe um selinho.


- Bom dia, Harry. - viu-se abraçada a ele, que fazia carinho nos seus cabelos. - Que horas são?


- Deve ser mais de meio-dia... - deu uma espreguiçada e a abraçou novamente.


- Harry, tá muito tarde! O que as pessoas vão pensar?


- Vão pensar que somos marido e mulher, e estamos na cama, comemorando a notícia do nosso primeiro filho! Porque você não se acostuma a isso?


- Enquanto não falarmos com Dumbledore, não vou me dar ao luxo de curtir essa situação. Tenho medo de me acostumar e não te ter mais...


- Como o mundo dá voltas, hein, Foguinho? Eu me afastei de você naquela época justamente por causa disso! E você cansou de me dizer que, se a gente se amava, não importava o que acontecesse no dia seguinte, porque estar ao lado do outro por um segundo que fosse, já bastava.


Gina enrubesceu. Era verdade. Mas também era muito difícil se entregar a essa nova realidade. Não que ela fosse ruim, o problema era justamente o contrário: era tudo o que ela sonhara. E não estava acostumada a ter o que sonhava; sempre havia uma sombra, algo que destoasse. Agora não: esperava a tempestade, que viria destruir a bonança.


- Desculpa, Harry. - pediu, baixinho.


- Não há o que pedir desculpas... Eu também tenho medo, mas desde que a gente tá junto, acho que nunca fui tão feliz na vida. Se por acaso terminasse amanhã, eu sempre iria me lembrar desse tempo com muita alegria. Mas eu não quero que termine; vou lutar para que não aconteça.


Gina se aproximou dele e o beijou. Ele estava certo: era hora de aceitar a felicidade que estavam tendo. Desceram duas horas depois, felizes e um pouco cansados, dos "acontecimentos" pós-conversa.


- Bom dia, meus queridos! - disse a Sra. Weasley, colocando pratos na mesa pra eles.


- Onde estão todos, Sra. Weasley?


- Rony foi resolver algumas pendências, Mione foi com Alícia, Angelina e Danny ao Beco Diagonal fazer compras, e os outros estão no trabalho. Além de vocês estão Gui e Fleur, lá fora, conversando.


- Mamãe, desculpa termos descido tão tarde, nós -


- Vocês estavam comemorando, eu sei. - e sorriu pra eles. - Eu mal acredito que vocês estão juntos, sabe? - disse, com uma expressão nostálgica no rosto. - Brigavam tanto que eu pensava que nunca fossem perceber que se amavam...


- Nós nunca brigamos assim, mamãe! - tentou se defender.


- Ah, minha filha, francamente! Só muito amor, mesmo, pro Harry ter paciência e ainda ficar com você, depois de tudo o que aprontou com ele! Se bem que ele também não era muito dócil...


- Mas eu nunca -


- Você pode fazer questão de esquecer isso, mas meus futuros netos vão saber das doidices de vocês!


- Qual a sua história favorita, Sra. Weasley? - pediu, rindo da cara indignada da esposa, e curioso deste passado.


- Ah, são tantas! Teve aquela vez que você deixou o Harry de cabelo roxo... Ou quando você o deixou trancado no vestiário de quadribol um dia inteiro... - ria-se. - Mas a melhor de todas foi quando você perdeu a aposta, e teve que ir ao baile com o Harry, e ele apareceu com uma roupa laranja ridícula!! Você estava passada de vergonha...


Harry gargalhava, acompanhado da Sra. Weasley. Gina tentou ficar séria, mas não conseguiu; ficou imaginando a cena do baile, todo mundo arrumado e Harry com vestes laranja... sabia que ele tinha feito isso pra deixá-la envergonhada, e com certeza, conseguira.


- Do que é que vocês riem tanto, hein? - perguntou Gui, ao entrar na cozinha, acompanhado de Fleur.


- De como a Gina foi má comigo, antes de admitir que me amava... - brincou Harry.


- Rapaz, eu não sei como você conseguiu domar a fera. Devo confessar que de início, pensei que você tivesse usado uma Poção do Amor, mas depois eu vi como vocês se adoram, e que eram teimosos demais pra admitir isso...


- Eu não sou teimosa!


Todos na sala começaram a rir, e Gina tentou ficar séria, mais uma vez. "Estou sendo desmoralizada, aqui. Mas deixe, Potter! Sua família vai chegar e eu me vingo!"


* * * * * * * * *


Mione e os outros voltaram do Beco Diagonal pouco mais de 6 da tarde, e, quando a Medibruxa entrou na casa, uma coruja negra esperava por ela.


- Harry, porque seus pais me mandariam uma carta? - perguntou, acariciando a cabeça do animal e desenrolando o pergaminho da sua pata.


- Eu me esqueci de avisá-lo que Ônix estava aqui. - falou a Sra. Weasley, apressada, passando com um punhado de roupas nas mãos. - Mas a carta era pra você, mesmo...


- O que diz, Mione? - Harry tentava segurar a ansiedade.


Ele e Gina tinham combinado manter as aparências, ao menos, até falar com Dumbledore. Eles não sabiam quem podia saber da viagem, a não ser o diretor ou os pais e os antigos Marotos, mas Harry sabia que era muito provável que tivessem feito um feitiço de memória neles.


- Sua mãe te conhece, hein, Harry? Era pra dizer que tinha certeza que vocês viriam pro casamento, mas que talvez não tivessem chegado. Disse que não mandou Ônix diretamente pra você porque não queria atrapalhar a tão merecida Lua-de-Mel. Está confirmando que amanhã cedo estará aqui, mesmo que Liam não consiga acordar.


- Liam? - não conseguiu evitar a pergunta.


- Eu sei que você deve estar espantado, mas seu pai acabou convencendo o seu irmão a ir à Nova Zelândia com eles e Ellen. Falando na sua irmã, você sabia que ela vai ser monitora da Grifinória?


Harry ficou sem fala. "Irmãos? E agora, como vou manter essa mentira?" - pensava freneticamente.


- Nós achamos que os pais de Harry iam sair numa segunda Lua-de-Mel, Mione. - inventou Gina.


- A trigésima Lua-de-Mel, você quer dizer, não é? Quero que a nossa relação seja igual a deles, Mione. - interrompeu Rony, que havia acabado de chegar.


- Oi, amor! - beijou o noivo. - Acho que os pais de Harry estão esperando o ano letivo começar, pra poder fazer a viagem a dois...


Gina perguntou a Mione o que tinham comprado, mais para mudar o assunto. Acompanhou-a até o quarto dela com Rony, e Harry ficou com os rapazes, combinando a despedida de solteiro de Rony.


* * * * * * * * *


As garotas combinaram uma farra básica para Mione, até porque ela tinha que dormir cedo, pois o dia seguinte ia ser puxado. o casamento está marcado para 5 da tarde, nos jardins d’A Toca.


Já os garotos... resolveram acabar com Rony. Primeiro o embebedaram com FireWhisky, depois o jogaram no lago perto da casa, rasparam um pedaço da sua barba, e então o convenceram a fazer uma serenata pra Mione, que, nessa hora, devia estar no enésimo sono.


Foram todos para a frente da casa, e apesar de Rony estar às quedas, os outros não estavam muito melhor. Fazia uns bons dez minutos que Harry só ria. Talvez fosse porque olhar para Rony com a barba antes bem-feita totalmente disforme, completamente bêbado, tentando se manter em pé e segurando um violão ao mesmo tempo fosse demais pra sua pouca consciência do que estavam fazendo.


- Miooooone! - gritou Rony.


As luzes dos quartos estavam todas apagadas. As garotas já tinham ido dormir há horas, e não houve resposta pro grito do noivo.


- Miooooooooooooooooooooooooooone!!! - gritou de novo, acompanhado dos irmãos, bêbados. Harry tinha o riso entrecortado por soluços, recostado a uma árvore, imaginando a cara da Mione quando visse o estado do noivo.


As luzes de todos os quartos se acenderam, e as mulheres apareceram na janela.


- Artur, o que está acontecendo? - gritou a Sra. Weasley, da sacada.


- Molly, querida! - o Sr. Weasley oscilava. - Rony vai cantar pra Hermi-hic-one, e eu vou cantar pra você... - e mandou-lhe um beijo desajeitado.


Todos riram, enquanto a Sra. Weasley ficava da cor dos cabelos, mas sorria. Harry sentiu-se um pouco mais seguro, ao ver que Hermione não ia jogar um balde de óleo fervente neles, e quando viu Gina sorrindo, recostando-se no parapeito da janela, empolgou-se e foi pra perto de Rony.


Rony tentou tocar alguma coisa, mas a coordenação motora o havia abandonado fazia tempo. Os outros também não sabiam o que fazer e recomeçaram a rir.


- Hermioneeeeeeee! Eu não vou conseguir cantar, mas... - caiu no chão. Os gêmeos o seguraram de cada lado. - ... mas eu te amoooooooooooooo!!! - gritou, abrindo os braços. - Eu te amo, Mione. Obrigado por casar comigo. - caiu de novo. - Obrigado por me fazer tão feliz. - disse, do chão.


- Oh, Rony... - Mione mal conseguia conter as lágrimas. Ele estava completamente bêbado, mas ela nunca tinha ouvido nada mais bonito. As outras seguraram as lágrimas e começaram a aplaudir. Incentivados pela aprovação feminina, cada um dos que estava lá se declarou para a sua mulher, e elas desceram para pegá-los.


- Ruiva, ruiva... - cambaleou Harry, quando Gina se aproximou, de robe. - Eu te amo, Gina. - e a abraçou. - Eu queria ter vivido tudo isso que a sua mãe contou de nós... O cabelo roxo, ter sido trancado no vestiário... nada disso seria problema, se a gente estivesse junto...


- Eu também, Harry. Vamos subir, meu amor. - e o puxou para o quarto.


Beijaram-se com ternura, quando a porta foi fechada. Harry a deitou na cama, e deitou-se ao seu lado, fitando-a. Ela fez menção de se aproximar, mas ele impediu.


- O que houve, Harry?


- Eu não quero que você se canse hoje. É o casamento do seu irmão, meus pais vem aí, e teremos uma conversa muito séria. - disse, estranhamente sério. - Por mais que eu queira passar o resto da madrugada fazendo amor com você, eu vou ter que me conter.


- E o que eu quero, não conta? - provocou.


- Infelizmente, ruiva, você está em minoria. Tenho certeza que o nosso filho vai preferir uma noite tranquila.


Gina riu. Não ia discutir; esse Harry estava se saindo muito protetor pro gosto dela, apesar de ser muito bom sentir esse carinho e essa preocupação dele. Ela dormiu logo, mas ele velou seu sono por muito tempo, lembrando-se do medo dela mais cedo, e com receio pela conversa que viria.


* * * * * * * * *


Gente, o próximo é o último! Eu ia fazer tudo nesse, mas ia ficar enoooooooooorme.


Estou lisonjeada com o apoio e os elogios. =D


A continuação da fic vai ser a época de Harry e Gina em Hogwarts, mas eu ainda não decidi o nome. Só sei que vai ser maior que essa, mas os capítulos vão ser um pouco mais espaçados. Não dá pra ficar nesse ritmo muito tempo. (esta fic começou dia 03/09, e hoje é 19/09)


Obrigada mesmo, e até o derradeiro capítulo! Bjos. =D

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.