FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

33. Reflexões


Fic: Brincar de viver (R/Hr - H/G - Atenção - cenas NC18)


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Cantar não era algo que fazia Ron sentir-se confortável. Ele achava o som da própria voz um tanto quanto inapropriada, irritante e estridente... claro que não era a opinião de Mione, mas enfim...

Depois dos momentos maravilhosos vividos na noite anterior, Ron queria algo especial. Um café da manhã romântico e diferente, uma canção que conseguisse dizer o que ele não conseguia... Antes de Harry e Ginny darem sinal de vida, Ron, munido de toda coragem que conseguiu reunir antes de Mione descer (ela tinha subido para trocar-se), respirou fundo e escolheu uma música que havia ouvido na casa de Harry e que achava bastante apropriada para cantar à sua Mione naquela manhã toda especial... pegou o aparelho, ligou e colocou-se à postos. Quando viu Mione vestindo uma calça de moleton confortável e uma camiseta baby-look vermelhas, os cabelos num lindo rabo-de-cavalo, o rosto completamente mudado (é fato comprovado que a mulher, após perder a virgindade, adquire um ar mais maduro, feminino...), ele colocou a música (o nome é “Is it okay if I call you mine?” O cantor é Paul McCrane, a música é bem antiga, se não me engano dos anos 70) de fundo bem baixinha e começou a cantar, timidamente:


“Is it ok if I call you mine (Está tudo bem se eu te chamar de minha)
just for a time? (só uma vez?)
And I will be just fine (e eu ficarei muito bem)
If I know that you know that I'm (se eu souber que você sabe que eu estou)
wanting, needing your love (querendo, precisando do seu amor)

If I ask of you is it alright (se eu te pedir isso, tudo bem?)
If I ask you to hold me tight (se eu te pedir pra me abraçar bem forte)
through a cold tough night (numa noite fria e difícil)
'cause there may be a cloudy day inside (porque pode ser que haja um dia nublado dentro de mim)
and I need to let you know that I might be needing your love (e eu preciso fazer com que você saiba que eu posso estar precisando do seu amor)

And what I'm trying to say isn't really new (E o que eu estou tentando te dizer não é realmente uma novidade)
It's just the things that happen to me when I'm reminded of you (são apenas as coisas que me acontecem quando eu me lembro de você)

Like when I hear your name (assim como quando eu escuto seu nome)
or see a place that you've been (ou vejo um lugar onde você esteve)
or see a picture of your grin (ou quando eu vejo uma fotografia do seu sorriso aberto)
or pass a house that you've been in (ou quando eu passo por uma casa onde você esteve)
one time or another (uma vez ou outra)
it sets off something in me I can't explain (começa a acontecer algo comigo que eu não consigo explicar)
and I can't wait to see you again (e eu não vejo a hora de te ver de novo)
Oh babe I love your love (querida, amo seu amor)

And what I'm trying to say isn't really new (E o que eu estou tentando te dizer não é realmente uma novidade)
It's just the things that happen to me when I'm reminded of you ...(são apenas as coisas que me acontecem quando eu me lembro de você...)”

Ron estava vermelho como a roupa da namorada, mas manteve-se firme. Estava tentando mudar aquele jeito desengonçado e nada delicado de dizer ou fazer as coisas. E ele sentia que seu amor assumido por Hermione tornou-o mais maduro e corajoso, coisas do amor... Ela estava transbordando de emoção, radiante, sentindo-se a mulher mais feliz do mundo depois daquela noite e da declaração emocionada que acabara de escutar... a única coisa que aquela torrente de sentimentos permitiu foi um beijo bem gostoso, um abraço muito terno e cálido, um sorriso de compreensão absoluta e indubitável...

Foi complicado para os dois estarem na sala comunal da Grifinória com uma cara diferente, que não indicasse que algo especial tinha acontecido...

Por mais que os dois recém-amantes tentassem esconder, eles se esqueceram de algo muito importante: Harry e seus dons recém adquiridos. Eles sabiam que o amigo enxergaria através deles...

E não demorou cinco minutos para que Harry e Ginny descessem. Ron e Mione tentaram disfarçar um pouco, retomaram o diário e as músicas, mas não adiantou. Assim que Harry colocou os olhos nos dois, ele soube. Ginny também.

Harry sentiu uma onda forte de confiança e carinho. O amor é realmente contagioso, (quem não acredita nisso é porque não conhece a força do amor... seja amor carnal, espiritual, fraternal, de amores ou amigos...) ele se sentia renovado, extremamente feliz... e obviamente não poderia deixar de comentar algo, só pra variar, porque afinal as pessoas não deixam de ser elas mesmas porque passam a entender melhor as coisas... ele não resistiu, logo soltou o verbo:

- Noite difícil? Parece que vocês não dormiram direito... – disse, às gargalhadas.

Todos se entreolharam e riram, Ron e Mione um tanto quanto tímidos...

- Como você pode ficar lendo a mente da gente assim, sem mais nem menos cara? Tem coisas que eu prefiro não comentar, sabe? – Ron falava, tentando controlar o riso, sem sucesso.

- Ah Ron, Mione, estou muito feliz por vocês! E tudo isso que está acontecendo é muito importante para a derrota de Voldemort, vocês não sabem o quanto!

Os amigos se entreolharam, sem entender completamente o que Harry dizia. Este tentou explicar melhor.

- Estive pensando seriamente sobre esse diário. As músicas. Vocês não se lembram do nosso segundo ano em Hogwarts? Foi o primeiro ano de Ginny, o ano da Câmara Secreta.

Ginny sentiu um calafrio, a lembrança não era muito feliz. Harry olhou-a com carinho, ela compreendeu que deveria evitar sentimentos negativos. Sorriu.

Todos ouviam atentamente.

- Tom Riddle foi extremamente claro com relação ao uso do diário. Ele conseguiu se preservar dentro de um diário, extraiu energia de um ser humano para usá-la em si mesmo, alimentou-se dos sentimentos de Ginny o suficiente para dominá-la e comandá-la... mas, como? Vamos descobrir. Porque acho que deixamos de fazer algo muito importante com esse diário. Estive me perguntando como pude esquecer disso!

Mione entendeu prontamente.

- Nós não tentamos escrever nele, não fizemos perguntas à ele...

- Exatamente, Mione.

- Peraí gente... tudo bem que não vai ser como antes, mas você acha que vamos conseguir contactar... seus pais? Será que eles poderão responder coisas, ajudar? – Ron parecia ansioso, pensativo.

- Não sei de nada, Ron. Mas estou pronto pra começar. O quanto antes, se vocês não se importarem.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.