FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

4. Indiscrição


Fic: Respirar, Transpirar, Não Pirar - NC-18 ATT 26/12/15


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

 Capítulo 4 


 


Indiscrição


 


| Respirar, Transpirar, Não Pirar! |


 


 


 


 


 


"A libido está em toda parte


Pulsando na pureza ou na crueldade


Na ânsia do desejo ou na rivalidade


Às vezes até finge só amizade


Mas move o mundo inteiro sem dó nem piedade".¹


 




         Hermione não podia nem acreditar na quantidade imensa de papéis que estavam em cima da sua mesa. Um dia de trabalho que ela falta, e parece que ninguém mais naquele Ministério consegue resolver os problemas sem ela. Claro, ela era a Chefe do Departamento de Execuções das Leis Mágicas, e muitas coisas precisavam do seu aval.


         Por uma fração segundo, ela se arrependeu de ter faltado, mas então se lembrou da noite anterior. O rubor subiu as suas faces com tamanha velocidade, que ela sentiu seu rosto quente imediatamente.


         Balançou a cabeça, tentando afastar tais pensamentos. Tinha bastante trabalho acumulado a fazer.


         Com um suspiro resignado, começou a afastar as pilhas de documentos; precisava, pelo menos, de um espaço para escrever! Como as pessoas esperavam que ela tivesse uma vida social daquela forma?


         A idéia lhe trouxe o pensamento de que Ron havia a deixado com tal justificativa: “Você passa muito tempo trabalhando”.


         Uma das justificativas, anelou em pensamento.


         Não tinha tempo de pensar nesse patife. Preferia pensar em Harry. E em seu corpo... Em seus beijos... Em seu...


         Trabalho! Você tem que pensar em trabalho, Hermione Granger. Pilhas e pilhas de problemas em forma de papéis para que você resolva. Isso. T-r-a-b-a-l-h-o.


         Ela puxou um arquivo, dando uma lida rapidamente. Dolores Umbridge pedia revisão de sua pena em Azkaban por bom comportamento.


         Um sorrisinho cresceu em seus lábios, sem pudor. Que ótima oportunidade de exercer sua maldade, ela pensou.


         Puxou a gaveta da escrivaninha, a procura de sua pena. Encontrou uma caixinha preta, com detalhes prata entalhados, que ela tinha certeza que não a pertencia. Ao pegar o objeto, notou um “H” na tampa. Abriu devagar, com certo receio.


         Dentro, uma magnifica pena repousava tranquilamente. Era alongada e avermelhada, com uma ponta extremamente fina – que Hermione desconfiou ser de uma fénix. Ao seu lado, um tinteiro de ouro reluzente, em forma trapezoidal, estava cheio de tinta e pronto para ser usado.


 


“Normalmente, mandaria flores.


Mas conheço-te bem demais.


Espero vê-la em breve.


           Harry”


        


         Uma exclamação de surpresa e um sorriso perfilaram os lábios da mulher. Segurou o impulso de levar o cartão ao nariz, só para saber se tinham o cheiro dele.


         Como pensar em trabalho agora?


         Hermione lembrou-se mais uma vez de Ron, e na sua incapacidade de agradá-la com o mais simplório presente. Ele, sequer uma vez, havia a surpreendido desse jeito. Profundidade emocional de um pires, ela sabia bem. E ainda assim, tinha insistido anos naquilo.


         A porta de sua sala sendo abruptamente violada a tirou de seus pensamentos. Gina Weasley adentrava na sua sala, parecendo fumegar raiva. Hermione observou-a com estranheza, os cabelos ruivos molhados como se a mulher tivesse acabado de sair do banho.


         – Mérlin. O que aconteceu? Está caindo um temporal lá fora e eu fui incapaz de perceber?


         Gina aproximou-se com passos fundos, e sentou-se estrondosamente na cadeira à frente.


         – Alguém fez chover no corredor do Departamento de Regulação de Criaturas Mágicas.


         – Oh – Hermione voltou o olhar para o pergaminho. – Isso de novo?


         – Você pode, por favor, soltar um memorando amaldiçoando quem faz isso?


         – Seria totalmente inútil. De qualquer forma, o que você estava fazendo no Departamento de Criaturas Mágicas? Pois eu trabalhei anos lá, e sequer recebi uma visita sua.


         O rosto de Gina ganhou cor rapidamente.


         – Quando eu digo que alguém fez chover, eu tenho quase certeza que esse alguém foi Draco Malfoy.


         Hermione ergueu o cenho.


         – Por que ele faria isso?


         – Ora, porque é um louco, psicopata! Você conhece bem o maldito Malfoy e seu odioso humor...


         – Gina, querida, estou atolada de trabalho, então, por obséquio, conte-me a verdade sem enrolar.


         A ruiva suspirou, parecendo um pouco resignada.


         – Bem, pode ser que ele tenha me visto conversando com Zacarias Smith no Setor Quatro e enfeitiçou uma enorme nuvem negra para me perseguir pelo Ministério – Gina deu de ombros, parecendo indiferente. – Mas claro, estou apenas supondo.


         – Oh, céus – Hermione enfiou a cara entre os dedos, escondendo uma risada. – Não posso acreditar nisso.


         – Isso é sério, Hermione! – Gina fingiu-se de ofendida. – Seu Ministério está uma bagunça!


         – Ministério do Kingsley – corrigiu Hermione, pacientemente.


         – Sabemos que você está mais próxima de ser Ministra da Magia do que nunca. Precisa domar Malfoy!


         – Achei que isso era uma tarefa sua.


         – Oh – Gina deu um sorriso muito maroto. – Na cama, eu domo.


         – Ai, Mérlin, poupe-me, por favor.


         – Não seja puritana. Não depois daqueles beijos quentes de ontem. Mas uma encenação para matar meu irmão de ciúmes, suponho? – O tom irônico de Gina fez Hermione enrubescer.


         – A sua... Hum... Indiscrição não tem fim, Ginevra?


         – Não – respondeu Gina, sem pudor. – A sua, por sua vez, que anda expandindo os limites.


         – Oh, por favor... – gemeu Hermione, numa suplica. Tentou esconder o rubor que queimava as faces, mas foi em vão. Podia lembrar-se de cada detalhe com Harry na noite seguinte, e isso a envergonhava quase ao ponto de desmaiar.


         Gina, por sua vez, observava a mulher com um olhar curioso.


         – O que há? – Descruzou as pernas, aproximando-se de Hermione. Por um segundo, uma centelha de entendimento passou pela expressão de Gina. – Oh, meu Deus. Hermione! Você transou!


         – O que?! – Hermione engasgou, mortificada.


         – Oh! Oh! – Gina gargalhava alto. – Eu não acredito! Você finalmente, digo, finalmente mesmo, agarrou Harry Potter!


         – Ginny! – Hermione murmurou, no ápice de sua vergonha. – Fale baixo!


         – Eu estou tão feliz! Oh, Morgana, obrigada por isso! Conte-me tudo, minha amiga. Eu imploro, não me poupe de nenhum detalhe!


         – Não aconteceu nada...


         – Conversa fiada! Consigo sentir o cheiro de sexo há quilômetros de distância! Anda, me conta logo!


         – Está bem, só fale baixo! – Hermione falou, quase num sussurro. – Aconteceu! Mas eu não posso te contar nada, pois estou muito chocada comigo mesmo para dizer em voz alta.


         – Oooh, então a coisa foi das boas! Hermione, sempre acreditei no seu potencial de quebrar as regras. É uma pena que tenha demorado tanto, mas nada que não possamos correr atrás...


         – Eu já lhe disse algumas vezes como acho incrível o jeito que usa sua inteligência para o mal? – Riu-se Hermione, tentando parecer divertida.


         – Algumas vezes. Mas, você sabe, não a uso para o mal exatamente. Uso-a para o meu prazer, devo confessar.


         Hermione suspirou, o olhar perdendo-se além.


         – Estou preocupada, na verdade. Posso ter arruinado minha amizade com o Harry em uma única noite.


         – Tenho certeza que não será uma única noite.


         – Pois você pode ter certeza absoluta.


         – Ah é? – O tom de Gina era incrédulo. Levantou-se da cadeira, ajeitando a saia pinçada com as mãos. – Então me acompanhe, por favor.


         – Onde pensa que vai? Tenho muito trabalho a fazer!


         Gina não respondeu, caminhando para fora da sala. Hermione sentiu uma necessidade irresistível de segui-la. Serpentearam pelo Nível Dois, onde ficava o Departamento de Execuções das Leis Magia e também o Quartel General dos Aurores.


         Hermione tinha Gina perto de si; apesar de estarem no mesmo andar, ela nunca havia se aventurado por aqueles corredores estranhos. Passaram por vários cubículos, e em cada um desses encontrava-se pôsteres de bruxos procurados, fotografias e recordes do Profeta Diário.


         – Não sei se devíamos estar aqui – murmurou para Gina, observando um bruxo com uma cicatriz enorme no rosto a encarar. – Não acho que tenhamos autorização.


         – Somos mulheres, temos autorização para entrar onde quisermos – respondeu Gina, com displicência.


         Passaram por uma sala que havia escrito “Esconderijos e Disfarces”, e depois por uma “Vigilância e Rastreamento”. Hermione lembrou-se vagamente que Tonks quase reprovara essa matéria, por ser muito atrapalhada.


         Mas a Weasley não parou até encontrar a sala “Treinamento Físico”. Ela violou a porta sem dificuldade, e ninguém parecia se importar.


         – Esse é meu pequeno segredinho, Herms. Sempre venho aqui quando me sinto estressada.


         Hermione encontrava-se em uma pequena sala, que tinha apenas alguns metros quadrados. Ao seu lado, algo que parecia uma janela imensa ocupava quase toda a parede. Sua proteção era um vidro de espessura incrivelmente grossa, que não poderia ser aberto.


         – É a prova de magia – disse Gina, observando o olhar da amiga. Chegou perto do vidro pesado. – É realmente útil.


         Nesse momento, uma luz verde voou na direção do rosto de Gina, fazendo Hermione soltar um gritinho, aterrorizada. Mas, antes que pudesse atingir a face bem desprotegida da ruiva, o feitiço simplesmente bateu no vidro e dispersou-se.


         – Viu? Venha cá!


         Hermione aproximou-se do vidro, ainda desconfiada. Sem encostar, ela deu uma espiadinha. Um nível abaixo, havia o que parecia ser uma grande academia, com sacos de areia pendurados magicamente, pesos a serem carregados, esteiras, bolas de chumbo, bonecos a serem esbofeteados e mil outras coisas mais.


         E homens. Uma e outra mulher, mas principalmente homens. Muitos deles, sarados, sem camisa, suados. Lutando entre si. Carregando pesos. Duelando em batalhas sangrentas, atirando feitiços violentos entre si. Outros fazendo flexões. Braços, pernas, torsos tão definidos, que Hermione sentia-se até quente.


         – Uau – conseguiu dizer, abobalhada.


         – Sim – Gina tinha um tom de orgulho de si mesma.


         – É realmente uma descoberta e tanto.


         – Todos os melhores Aurores do Ministério, semi-nus para você, minha querida Hermione – Gina aproximou-se, matreira, passando o braço pelos ombros da outra mulher. – Observe nessa direção, querida, e me diga se será realmente só uma noite.


         Hermione seguiu os olhos da amiga, e não foi difícil encontra-lo; até por que ele se destacava entre os demais.


         No auge dos seus 30 anos, Harry estava parado ali, com uma postura altiva e cheia de vitalidade. Os olhos verdes pareciam cintilar, mesmo de tão longe. Seu rosto parecia de alguém a quem se obedecia ou combatia. Ele estava sem camisa, demonstrando todo seu potencial. Seus passos eram largos e possuíam um equilíbrio perfeito, como de um animal feroz.


         Ele duelava com Draco, que não ficava tão atrás no porte físico. Das varinhas, saiam uma quantidade incrível de feitiços por segundo, e Hermione notou, com satisfação, que Harry a ultrapassavam mais de mil vezes no quesito duelo. Não gostava de ver os feitiços do Malfoy errando Harry por milímetros, mas os dois pareciam ter tudo sobre controle.


         – Hum – Gina empertigou-se – A doninha parece raivosa, hoje – observou, quando um feitiço jogou Harry para longe.


         – Culpa sua – respondeu Hermione, ressentida.


         – Jamais.


         Hermione silenciou-se observando. Parecia que todos os outros homens haviam sumido, e o único presente era Harry. Seu corpo se movendo com agilidade, seu suor escorrendo na barriga, o vigor dos braços ao lançar um feitiço... O jeito que o seu coração palpitava quando ele era quase atingido. Era um desperdício de energia que ele gastava, arriscando sua vida daquele modo, quando Hermione podia pensar em tantas outras formas mais prazerosas para se exercitar....


         – E então – desviou os olhos, querendo tirar tais pensamentos da cabeça. – Qual é mesmo o seu acordo com Malfoy?


         – Hum? – Gina também parecia muito distraída.


         – O acordo que os dois tem. Já que se agarram na frente de todos, e mesmo assim negam compromisso.


         – Ora, é um acordo muito simples. Mas você nunca me pareceu curiosa em sabe-lo.


         – Diga logo, Gina. Antigamente não era tão cheia de arrodeios.


         – Você está interessada em fazer o acordo com Harry – Gina constatou, com um sorriso imoral nos lábios. – Quanto mais amigos, maior o benefício, certo?


         Hermione não respondeu, limitando-se a dar um muxoxo irritado.


         – Regra número um – anelou Gina, adotando um grave tom na voz. – Você tem que se divertir e ser a primeira a fugir.


         – Quem em sã consciência fugiria de Harry Potter?


         Gina ignorou seu comentário.


         – Eu sei que é praticamente impossível fazer essa sua cabecinha metódica relaxar, mas, sério, você precisa. E então, regra número dois: não se apegue a alguém que você pode facilmente perder.


         – Meio tarde para isso...


         – Regra número três: não use seu coração, e sim outras partes do corpo.


         Hermione corou instantaneamente.


         – Qual é, Hermione. Sei que não é pudica.


         – Regra número quatro...


         – Regra número quatro: deixe-o sempre querendo mais.


         Gina não sabia quantos tons diferentes de vermelho Hermione podia atingir, mas estava gostando de observar o curioso fenômeno. Oh, céus, tinha tanta coisa a ensinar à amiga!


         – Regra número cinco, e a principal: é só sexo! Não tem como dar errado.


         Tudo parecia muito simples na cabeça avoada de Gina. Ao passo que, para Hermione, parecia complicadíssimo. Sua cabeça já começava a super-pensar tudo que poderia acontecer, todas as vertentes de acontecimentos. Olhando Harry, suado, altivo e maravilhosamente semi-nu, ela sabia que com certeza algo daria errado. E ainda assim, ela mal podia esperar a hora de perder-se.


         
*


N/A:
 Olá! Depois de [anos!!!] estou de volta. Sei lá se tem alguém lendo isso aqui ainda. Eu não tenho desculpa boa para o meu sumiço, apenas não sei porque, mas parei de escrever. Tentei voltar algumas vezes, mas tinha esquecido a senha do site. 
Enfim, se tiver alguém lendo, comentem, por favor! 
Desculpem pelo sumiço!
Espero que gostem do cap, porque eu não escrevo tem milênios!
Feliz natal, pessoal!
:*  


¹ Libido - Ana Carolina

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 10

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Lay Potter em 19/04/2016

Realmente esse povo precisa duelar sem camisa? kkkkkk. E não sei o q andaram colocando no suco de abobora deles, pq q eu meu lembre eram um bando de muleques atrapalhados e magrelos, mas vamos entar na fantasia. Q bom q vc voltou a escrever, já estou esperando o proximo. Parabéns!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por camila_granger em 24/03/2016

Continua por favor, estou ficando louca, amo essa fanfic

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por michelle lima em 21/03/2016

Volta por favors... Esta fic e demais

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Potter_Salter em 02/02/2016

Olá minha querida! Como é bom vê-la de volta. Aliás, parece que os bons e velhos escritores começaram a voltar, o que me alegra. 
Depois de séculos entrei aqui novamente e me deu uma vontade de voltar no tempo, quando os fãns de HHr não saíam daqui. E não pude deixar de correr para ler a atualização da sua fic, que por sinal continua maravilhosamente incrível, e sua escrita continua perfeita! Não pare mais, estou decidida a voltar a ler e escrever novamente. Não sei o que aconteceu para que muitos de nós ficassemos afastados daqui por tanto tempo, mas decididamente precisamos voltar aos velhos costume!
Beijos e até breve! 

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Jubs Malfoy em 23/01/2016

MEU DEEEUUUSSS POSTA MAAAAIIIISSSSS!!!

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Jubs Malfoy em 23/01/2016

MEU DEEEUUUSSS POSTA MAAAAIIIISSSSS!!!

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Taysi em 05/01/2016

Simplesmente, amo a sua maneira de escrever. É excelente e consegue satisfazer quem é adepto ao bom, chamorso e envolvente português. Parabéns pela estória, assim como o enredo, diálogos inteligentes, e tudo o mais. Fiquei feliz em ver a atualização desta fanfic incrível! Não suma mais, Jess, e continue nos presenteando com o seu talento em escrever.

P.S.: Não sei se você possui conta em outros sites de fanfics, mas acredito que deva expandir a exibição de seus trabalhos em outros lugares também. Infelizmente, aqui na F&B, com o passar dos anos, as leitoras ativas diminuíram consideravelmente. E eu sei, toda a escritora deseja ter  seu reconhecimento depois de uma publicação - um feedback de quem lê e acompanha cada atualização. É uma sugestão, pois sou uma fã sua. O retorno e interação, entre você e suas leitoras, aumentaria significativamente, sem contar que mais pessoas teriam acesso a essa delícia que você escreve.

 

Parabéns, continue!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por maria elisa em 28/12/2015

Oi , continua!!!! Adore essa fanfic

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Laauras em 26/12/2015

Saudades das tuas fics Jess! Claro que irei acompanhar todas de pertinho! Ansiosa para novos capítulos! Bjão!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Coveiro em 26/12/2015

CONTINUAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

ESsa fic é dezmais... continuaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa


TA muito boaaaa

Nota infinito... continuaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.