FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

17. AGATSTON E BOUNSTOUNS


Fic: HARRY POTTER E A ARENA DAS ALMAS PERDIDAS - FINALIZADA!


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Harry abriu novamente seus olhos e sentiu como se algo o sulgasse para cima, seu corpo estava voltando para o local acima, saindo do tunel. Quando percebeu novamente estava na sala de poções, todos o olhando com interesse.
_Devo lhes advertir que dependendo do tamanho de tempo retornado a poção tem seu efeito diminuido, no caso de Potter, retornar há mil anos lhe garantiu somente alguns minutos no local aonde esteve...

Harry, Rony e Hermione deixaram as masmorras conversando sobre o que ele vira na arena e subindo com os membros restantes de grifinória para a torre da casa, deixaram seus materiais nos dormitórios e partiram para o saguão de entrada aonde finalmente receberiam as quatro escolas para o torneio.
_Grifinória apressem-se, apressem-se, não devemos atrasar! - a Profa.McGongall chamava a porta da sala apressando todos os alunos.
Harry apanhou seu broxe de campeão e o colocou partindo assim escadaria abaixo.
_Não se acanhem, não se acanhem! - Filch com sua voz rasa dizia na porta de entrada para o saguão aonde todos deveriam partir para os terrenos.
Do lado de fora Hagrid levava todos para as cinco tendas que haviam sido feitas ao lado do campo de quadribol. Eram tendas todas de pedra com torrezinhas com archotes de fogo azulado, cheias de poltronas confortáveis e o chão, que recentemente era de gramado havia sido coberto por um lustroso piso de mármore que reluzia as chamas dançantes em meio a noite fria e nevada.
Em cada tenda havia uma grande placa acima aonde podia-se ler o nome da escola correspondente a tenda, os alunos de grifinória e os restantes foram se acomodando na tenda de Hogwarts que perto das outras não parecia tão grande.
Em meio ao piso de mármore e consequentemente a todas as tendas havia uma estátua de fênix aonde após todos os alunos de Hogwarts se acomodarem Dumbledore se dirigiu até ela e ficando mais atrás disse.
_A primeira escola que devera chegar será a Instituição Educacional Bounstouns, espero de todos deêm uma agradável recepção, é uma escola muito comunicativa...
O diretor sorriu demonstrando ansiosidade e derepente uma grande pancada no chão revelou que a escola já vinha se aproximando.
_Ai estão eles! - Rony em tom abobado quase ficando de pé para ver as carruagens de Bounstouns disse.
O caminho que os alunos seguiam para chegar a Hogsmeade agora estava coberto de fantásticas diligências douradas, com coxins azuis, detalhes em vermelho vivo, duas lanterninhas brilhantes de cada lado, três janelas lustrosas e uma porta com uma maçaneta que reluziu por alguns instantes a escuridão da noite.
A neve que caia nos terrenos foi sendo dividida pela chegada das mais bonitas diligências já vistas.
Harry pode reparar que havia um brasão em meio a portinhola aonde havia duas espadas cruzadas, uma lua cheia ao fundo e estrelinhas bronzeadas que cercavam as espadas mais a frente.
Assim que as últimas diligências com seus cavalos brancos como a neve e com olhos âmbar pararam muito perto da Floresta Proibida muitos alunos ficaram de pé para receberem como Minerva e Dumbledore, a nova escola participante do Torneio do Olheiro.
Logo que a primeira carruagem de ouro parou sob o olhar de todos e a maçaneta girou, a portinhola se abriu e uma escadinha de ouro surgiu chegando ao chão, foi então que o diretor da escola se revelou.
Laverne de Wenlock era um velho bruxo branco de cartola preta, vestes belissimas azuis com detalhes amarelos, olhos muito verdes que eram ocultados por um óculos meia-lua, cabelos loiros quase prateados e uma bengala aonde na ponta podia-se ver uma bola esférica aonde dentro um raio ficava rodopiando. Harry teve a rápida impressão de estar vendo Lúcio Malfoy somente com mais idade, a aparência entre os dois bruxos era idêntica.
Mesmo aparentando ter a mesma idade de Dumbledore ou até menos, o diretor demonstrava energia estupefata a todos, ele parecia de uma agitação adolescente.
Ao ver Dumbledore o bruxo retirou sua cartola e com uma reverência o saudou, seguindo para os alunos depois.
_Alvo, quantos anos, que prazer!
Laverne se dirigiu até Dumbledore, lhe deu um abraço e em seguida em Minerva.
_Como vai Dumbledore?
_Bem bem, um pouco atarefado com o torneio...
_Sim imagino, isso logo será resovido com a chegada de nós diretores...
_E você Wenlock, como vai? - Minerva sorrindo indagou.
_Ah, Minerva, adoro a Irlanda e minha escola vem tendo um desempenho fantástico, não tenho do que reclamar...
Minerva e Dumbledore se viraram para as diligências esperando para ver se alguém já havia descido.
_Ah sim, devo chamá-los - Laverne se virando para as muitas carruagens disse – Venham, venham...
No momento seguinte a maioria dos alunos começou a descer pelas diligências e Hogwarts teve uma forte impressão de serem em um contexto geral além de muito altos, bonitos. As meninas trajavam vestes roxas clara e os meninos um preto acizentado...
_Se acomodem na tenda. - pediu Dumbledore mostrando com a ponta de sua varinha a a tenda de Bountouns que ficava defronte a de Hogwarts.
_E então Minerva, tem ficado na direção de que casa todos estes anos, me lembro de que você não havia sido escolhida diretora na última vez que estive aqui...
_Estou sob o comando de Grifinória, uma boa casa...Avicena e Canutos, como vão?
Rony olhou para Harry e Harry para Hermione.
_O que é Avicena e Canuto?
_São as duas casas de Bounstouns, Avicena é para as meninas e Canutos para os meninos, não podem se juntar como aqui em Hogwarts...
_FLITWICK! - Laverne exclamou dando um abraço no miúdo Flitwick que estava acima de uma estátua de águia em frente aos membros de Corvinal. - Como vai meu caro amigo? E Corvinal, bem?
_Sim Laverne, estamos fantásticos... - o professor respondeu muito animado.
_Oh sim, Sprout... - Laverne em tom misterioso e suave de voz disse se dirigindo para a Profa.Sprout que estava diante dos alunos de Lufa-Lufa. - Continua sendo a maior mestra de Herbologia da Grã-Bretanha?
_Bom, se o ministério diz isso...
_Que humildade Sprout, todos sabemos que sim, e os texugos, seguindo?
_Realmente bem, realmente estamos seguindo...
Sprout e Laverne sorriram e ele seguiu para os próximos membros, os de Grifinória.
_A única Alvo! - ele exclamou aparentando ser cada vez mais energético. - Grifinória é sempre nova para todos nós, sempre me surpeendeu...uma casa excelente devo claramente admitir...
Laverne fez uma reverência para os alunos de Grifinória e partiu para o último diretor e a última casa da tenda.
_E você Severo, repugnante como sempre?
Snape o encarou com ódio.
_Como ousa me desafiar em minha própria escola!
_Cale-se Severo. Cale-se...Somente vim ver sua casa orgulhosa por alguns instantes...
_Então pare de olhar antes que alguém saia ferido! - Snape mantendo sua voz baixa, levando sua mão direita ao bolso onde guardava sua varinha alertou.
_Existem modos muito mais humilhantes e menos desprezíveis de se fazer valer um homem Severo, você não muda...
Laverne deu às costas à Snape não demonstrando nenhum receio e voltou para os membros de sua casa que já todos acomodados conversavam sobre suas primeiras impressões sobre as quatro casas e o castelo de Hogwarts.
_Logo a delegação Durmstrang deverá chegar, se acomode Wenlock, agora Hogwarts é o seu lar. - Dumbledore disse gentilmente.
_Ficaremos com Corvinal não Minerva?
_Sim, tudo acertado. O Prof.Flitwick terá o maior prazer em recebê-lo em seus aposentos.
_Muito obrigado...
Laverne se virou para a tenda de sua escola aonde se acomodaria e parou no mesmo instante que uma maré de ´´oooooh`` varria os terrenos. Um dragão imenso cuspindo fogo atravessou muito perto das tendas e dando uma volta no ar parou com grande distância das carruagens de Bounstouns aonde sob o olhar de todos a criatura foi se deformando até virar uma água esverdeada e cair nos terrenos do castelo, aonde do local em que havia inundado começaram a surgir inúmeras e grandiosas barracas como as da copa mundial de quadribol, tendo algumas de até dois andares.
_UAU! - Hermione aparvalhada falou. - Uma transfiguração incrível, olhem isso, nossa, olhem isso...
A porta das barracas foi se abrindo e dela mais de vinte alunos vestindo veste negras, cachecóis e roupas de frio foram surgindo. Quando todos os alunos já pareciam ter saido totalizando uns quinhentos, o diretor se revelou.
Muito alto, de cabelos vermelhos longos, vestes negras com detalhes vermelhos e olhos profundos, o diretor foi seguindo para Dumbledore e Minerva enquanto ordenava os alunos a se sentarem na tenda ao lado da de Hogwarts.
_Helvetius! - Dumbledore o cumprimentou.
Sir Helvetius extendeu sua mão num sorriso que parecia maligno e Harry pode ver que ele tinha um anel dourado como o que Dumbledore usava. Os dois diretores se cumprimentaram e como Laverne de Wenlock fizera, Helvetius foi cumprimentando com aparente simpatia os professores e todos os alunos.
_Sim sim, que escola magnifica! - o diretor exclamou em um sorriso branco. - Minerva, querida, ficaremos com Grifinória estou certo?
_Certamente...
_Ah, sim, que eficiência...
Sir Helvetius se virou para os membros de Grifinória e dando uma olhada em todos com um sorriso ainda maior ele disse.
_Harry Potter está em Grifinória imagino...
_Sim, um legitimo membro de Grifinória - Dumbledore falou parecendo desconfiar de algo.
_Poderia lhe falar?
_Um momento... - Minerva pediu e seguindo para a tenda de Grifinória sob os olhares curisos chamou Harry: -
_Potter venha, o diretor de Agaston lhe quer ver.
Harry teve a impressão de que enquanto deixava a tenda de Hogwarts e partia juntamente com Minerva para em direção a Dumbledore e Helvetius todos os membros de Bounstouns e Agatston o olhavam com um certo interesse.
_O que houve professora? - Harry lhe perguntou.
_Sir Helvetius que lhe falar por um instante. - respondeu a professora andando ainda mais depressa.
Harry e Minerva chagaram até os diretores e Sir Helvetius o olhou com uma aparente satisfação no rosto.
_Que prazer jovem Potter! - ele disse fazendo um reverência.
Harry desconcertado fez o mesmo.
_Me siga Potter, será somente por um minuto.
Sir Helvetius e Harry partiram rumo a tenda de Agatston que diferente do diretor, os alunos pareciam completamente avessos as trevas.
_ESSES MEUS ALUNOS É NADA MENOS QUE O MENINO-QUE-SOBREVIVEU. SIM, É O FAMOSO HARRY POTTER!
Harry sentiu seu estômago gelar, todos os olhavam sem saberem se comentavam com o colega ao lado ou o olhavam se tornar vermelho de vergonha.
Simplesmente odiou ser quem fosse somente por ser olhado por tantas pessoas desconhecidas.
_Venha comigo Sr.Potter - uma voz o chamou vindo de trás.
_Ora, ora, Laverne... - Sir Helvetius disse.
_Helvetius, sua entrada, magnifica...
_Bobagem, uma boa transfiguração somente...
Os dois diretores se cumprimentaram parecendo ser velhos amigos.
_Será que posso lhe tomar Potter um instante?
Sir Helvetius olhou para Laverne e com um aceno positivo da cabeça o autorizou a levar.
_Venha Potter...
Harry deu uma última olhada para Sir Helvetius e ao lado de Laverne partiu para muito perto das carruagens de Bounstouns, aonde se ocultaram atrás de uma, não podendo ser vistos.
_Potter, não é hora para cumprimentos...
_Concordo! - Harry farto de cumprimentar por anos bruxos que sempre se impressionavam ao vê-lo escutou o que Laverne que parecia muito apressado tinha a dizer.
_Cuidado Potter, não se envolva muito com Sir Helvetius, assim como Severo Snape, ele já foi um comensal da morte e temo que ainda seja. Dumbledore diz que não e tenho muita confiança no que Alvo tem a dizer, somente desconfio, fique de olhos abertos. Esse torneio será extremamente perigoso, haverá muitas fugas, muitas surpresas até o final dele.
Não permita que Sir Helvetius torne seu amigo, ele lhe quer vigiar, para mim ele ainda é um comensal da morte, e um doz quinze, bom, você não sabe disso...
_Sei! - Harry exclamou - Sei sim, Dumbledore me contou, os anéis...
_Fantástico Potter, fico feliz de saber que está informado... bom, Acredito que Sir Helvetius seja um desses quinze comensais que agora são catorze devido a morte de um deles há pouco tempo...
_Diretor... - Harry o interrompeu.
_Fale Harry, não temos muito tempo, Durmstrang deve chegar a qualquer momento...
_Porque o Prof.Dumbledore também está usando um dos anéis?
Sem tempo ao menos para Laverne responder, uma voz fez isso, vindo das costas de Harry.
_Somente estou usando o anel Harry, porque através dele posso saber de muitos passos tomados por Voldemort na construção de seu exército, venho impedindo muitas ações feitas por ele, é claro que não posso usar o poder do anel como um comensal poderia usar, mas evitei as duas últimas atitudes tomadas por Tom, pensei que te desse liberdade para perguntas Harry...
_Não o culpe Alvo, esteve somente receoso em fazer uma pergunta que poderia lhe ofender pessoalmente - Laverne falou se adiantando até Dumbledore.
_Está tudo bem Harry - Dumbledore se dirigindo a Harry o fitou com uma certa paciência em seu olhar. - Me lembro de ter-lhe dito para ter muito cuidado com o Torneio Harry, mas também tenho me certificado dos bruxos que venho recebendo em meu castelo...concordo com você Laverne quando diz que Sir Helvetius ainda pode ser um comensal da morte, mas tenho me precavendo com relação a certas investida dele em meus terrenos, em todo momento alguém estara de olho, não pretendo deixar que Voldemort se entranhe em meu castelo...
_Fico aliviado Alvo, fico realmente aliviado de ouvir isso - Laverne muito sério disse e em seguida rumou de volta para a tenda de sua escola aonde se acomodou parecendo agitado e assim se manteve em silêncio.
_Harry, prometa para mim que você terá cuidado. - Dumbledore disse olhando olhos nos olhos.
_Eu terei professor, eu terei...
Dumbledore sorriu.
_Só mais uma pergunta professor. - Harry disse antes que o diretor se fosse.
_Pode dizer.
_Porque o senhor mentiu sobre o anel, porque disse que havia o destruido?
_A resposta é simples Harry, depois que seu amigo Longbottom foi atingido por uma Imperius tenho tido cuidado ao lhe contar as coisas, não que você consiga ser domado por uma Maldição, é claro, mas receio que conte de alguma forma a algum amigo seu que por descuido não tenha percebido estar sob a Imperius, algo que levaria diretamente a Voldemort todos os meus planos...
_Acho que nunca pensaria nisso – Harry em um tom claro de desculpas falou.
_Você não precisa pensar em tudo Harry, já tem muitas coisas pra viver...agora, você deve voltar a tenda de Hogwarts, tenho certeza de que o navio de Durmstrang deve chegar a qualquer momento...
_Ok.
Harry retornou a tenda de Hogwarts ao mesmo tempo que Dumbledore se unia à Laverne de Wenlock, Sir Helvetius e Minerva ao redor da estátua de fênix.
_O que eles disseram? - Rony logo que Harry se sentou perguntou.
Harry tendo cuidado para que ninguém além de Rony e Hermione ouvissem contou-lhes tudo.

_Olhem, Durmstrang! - Fred Weasley anunciou parecendo animado e no mesmo instante o Prof.Tolkien que estava sentado na área de professores na tenda se levantou para esperar sua namorada, Susana Midgey.
No momento seguinte todos levantaram suas cabeças em direção ao lago que começara a borbulhar e assim que a ponta de um navio gigantesco e velho apareceu, todos levaram suas atenções a ele, ficando de pé.
Cada vez mais rápido o navio foi surgindo até se projetar por completo sob o lago. Um fantasmagórico, grandioso e luxuoso navio. As janelinhas redondas acezas eram reluzidas pelo lago formando vários feixes amarelos que cruzavam o campo e chegavam até ao piso de mármore já um pouco coberto pela neve.
No momento seguinte ao que o navio atracou, uma porta se abriu e uma passarela de ferro ligou a entrada aos terrenos já sombrios do castelo.
Harry com um pouco de dificuldade para ver se pôs de pé e viu que os usuais casacos de pele marrom não haviam sido abandonados pelos estudantes de Durmstrang, com excessão de um aluno alto, de cabelos negros rasos, olhos azuis e porte fisico avançado, que usava veste vermelhas e tinha em seu peito um broxe dourado com detalhes negros, provavelmente John O´Donnell.
Assim que todos os alunos de Durmstrang deixaram o navio, um bruxo velho apareceu diante de todos.
Ele usava um chapéu tricôrnio preto, vestes negras e vermelhas como Sir Helvetius e tinha um colar enorme verde com um a figura de um dragão, simbolo de Durmstrang. O bruxo ainda usava em quase todos os dedos anéis e em sua cintura havia uma cinta dourada com um grande D ao centro. Tinha cabelos negros longos que desciam quase até a cintura e sua aparência era de um bruxo severo.
_Dumbledore! - ele exclamou.
Dumbledore fez uma reverência e o bruxo daonde estava fez o mesmo.
_Lorde Blade, mas que honra...
Lorde Blade se virou para olhar as tendas, acenou para Laverne de Wenlock e Sir Helvetius que haviam ido se sentar e depois para os alunos de Hogwarts que retribuiram o aceno animados.
_A viagem foi boa Blade? - Minerva o perguntou.
_Cansativa é claro, mas não tanta para me tirar o desejo de vir participar de algo tão majestoso...
_Tomaremos um conhaque depois? - Dumbledore lhe sugeriu.
_Claro que sim! - o diretor em um sorriso disse. - Sua presença é sempre bem vinda Alvo...
_Somente resta Madame Maxime, não se deve demorar... - Minerva lhe disse enquanto observava os membros de durmstrang assumirem seus lugares.
_E a Irlanda como vai? -Tolkien ao lado de sua namorada, Susana Midgey, uma bela mulher jovem, de olhos azuis claros, cabelos castanhos lisos amarrados em um rabo de cavalo e belo corpo, indagou.
_Oh, este é o seu namorado Profa.Midgey? - Lorde Blade a perguntou em um sorriso.
_Sim, este é o famoso Prof.Tolkien Jolie Remo...
Lorde Balde estatelou por um instante seus olhos e falou, muito surpreso.
_Você é uma lenda na defesa contra as artes das trevas garoto, um belo casal diria, você tem tantas habilidades quanto falam?
_Não tenho muita certeza sobre o que dizem de mim...
_Serei capaz de saber se é bom somente ao lhe perguntar se sabe executar a terceira Azaração Mortal...
_Ah, sim, claramente...
Lorde Blade estatelou os olhos novamente e Harry não pode conter o riso daonde estava.
_Bom Profa.Midgey, me pareceu de uma competência fantástica.
_Obrigado – Tolkien agradeceu um pouco sem jeito.
_Profa.McGonagall, quem seria está excelente profissional de Transfiguração, tem excelente fama na Irlanda... - Susana com sua voz suave perguntou procurando a professora pelas tendas.
_Minerva McGonagall! - Tolkien exclamou mostrando Minerva logo ao lado.
_Oh! - exclamou Susana extendendo sua mão para cumprimentar. - Que honra...
_Oras menina, não seja tola...
_Harry Potter, quem seria este tão falado rapaz entre nossos estudantes de Hogwarts hein Tolkien? - Lorde Blade um pouco mais animado do que quando chegara perguntou.
_Grifinória Lorde, aquele rapaz ali...
Tolkien que tinha sua varinha em mãos apontou-a para Harry e Lorde Blade acompanhando a direção da varinha avistou Harry.
_Pelas barbas de merlim! - ele exclamou. - Vejo um brasão em Potter, estou certo Alvo, teremos um competir tão importante no Torneio?
_Certamente que sim, Harry Potter foi o selecionado de Grifinória..., estara na quarta tarefa...

_Cadê o Lupin? - Hermione olhando para os lados a procura do professor disse.
_Não o vi também – Rony também a procura falou.
_Esperem, eu vou lá perguntar aonde ele está, talvez não tenha vindo...esperem, já volto...
Harry novamente deixou a tenda e rumou para aonde estava Lorde Blade e os restantes, o diretor o olhava como se fosse um assassino preste a lhe matar.
_Me desculpe... - Harry disse sem jeito. - Mas aonde está o Prof.Remo Lupin?
_FANTÁSTICO! - exclamou o diretor chamando a atenção de todos e mantendo seu olhar como se Harry fosse um assassino. - REALMENTE IMPRESSIONANTE, ESTOU FALANDO COM HARRY POTTER, O FAMOSO HARRY POTTER!
Os alunos de Durmstrang que haviam se acomodado todos na tenda ao lado da de Bounstouns se colocaram de pé e rodeados por cochichos olharam para Harry examinando-o com surpresa.
Harry pode perceber que o campeão de Durmstrang nem ao menos quis olhar para ele, ficou sentado em sua poltrona, quieto, olhando para a floresta proibida com os braços cruzados. Parecia que somente a idéia de alguém estar chamando mais a atenção do que ele, já era desprezível.
_O que quer HARRY POTTER? - Lorde Blade perguntou, o vento balançando seus longos cabelos.
_Poderia parar de gritar – Harry pediu envergonhado.
_AH, É CLARO...com certeza Potter. - o diretor respondeu não perdendo sua pose autoritária e segura.
_Aonde está o Prof.Remo Lupin, ele veio para o Torneio?
_Ah, sim, ele veio, está no navio.Vá lá vê-lo e fale que logo Beauxbatons deve chegar, não deve se atrasar...
A medida que Harry se aproximava do navio, ele parecia ainda mais fantasmagórico e maior.
Assim que subiu a plataforma de entrada adentrou o navio e seu queixo despencou. Era puro luxo.
Estava em uma sala aonde havia várias mesinhas redondas com cadeiras confortáveis, um palco ao fundo, muitas cortinas vermelhas e uma decoração decaradamente cheia de vermelho
Apesar de Durmstrang ser legitimamente da Bulgária, a decoração do navio lembrava muito os antigos cabarés da França. Todo detalhado e cheio de objetos ricos e finos.
Harry, olhando para tudo com surpresa, seguiu caminho passando por uma porta dupla de madeira e indo por um corredor aonde havia muitas portas e várias opções de corredores, manteve indo para frente aonde atravessou a porta dupla do outro lado do corredor e entrou em uma sala tão grande quanto o salão principal de Hogwarts. Era um salão todo feito de vidro, aonde havia muitas mesas recheadas de comida, muitos palcos de dança e música, muitas mesas com flores vermelhas e no topo um lustre gigantesco que se perdia em luzes vermelhas, amarelas, verdes e azuis.
_Prof.Lupin! - chamou e sua voz ecoou pelo salão frio e vazio. - Prof.Lupin. - chamou novamente.
_Estou aqui, venha vindo Harry...
Harry seguiu a voz do professor até que chegou a um alçapão, desceu pela escada e entrou em uma saleta cheia de caixas de madeira, parecia uma copa de vinhos, aonde os refrigerava.
Logo que chegou ao último degrau da escada, a porta do alçapão se fechou e uma caixa ao fundo da saleta caiu no mesmo instante que as fracas luzes se apagaram
Um estampido ensurdecedor estorou pela sala e Harry caiu ao chão com as mãos ao ouvido, uma fumaça sonolenta e venenosa começando a lhe infiltrar pelo nariz.
_NÃO! - berrou quase sufocado. - NÃO! - sua garganta estava se fechando. - NÃO! - seu ouvido iria estourar. - NÃO! - não tinha mais respiração, estava sufocado. - NÃO!
A porta do alçapão se abriu e um bruxo com uma varinha em mãos paralisou o som e a fumaça instantaneamente
_O QUE PENSA QUE ESTÁ FAZENDO! - a voz de Lupin levando Harry para o salão de vidro gritou.
_O senhor me chamou lá embaixo! - Harry enfurecido bradou.
_Eu o chamei na sala ao lado, não ali Harry! Existe uma maldição naquela saleta posta pelo Blade, ele guarda uma coisa muito valiosa ali, ninguém além dele pode chegar ao fundo da sala sem ser pego pela maldição, você teve sorte, a sala iria te matar e rápido...
Harry respirou fundo o ar puro e gélido do salão e se levantando ficou cara a cara com Lupin.
_Bom, o que veio fazer aqui? - o professor em tom educado perguntou.
_Vim lhe chamá-lo, esse tal de Lorde Blade me disse que eu levasse o senhor pra baixo, Beauxbatons já está chegando...
Assim que Harry e Lupin desceram pela plataforma avistaram as belas carruagens de Beauxbatons paradas ao lado das de Bounstouns.
Os dois se despediram logo que chegaram aos terrenos e indo cada um para sua tenda, aguardaram em silêncio o pronunciamento de Dumbledore.
_Muito boa noite senhoras e senhores. - desejou ele e o costumeiro boa noite preencheu os gélidos campos. - De imediato bem vindas todas as acadêmias educacionais, logo faremos a abertura de inicio do Torneio, mas antes devo oficialmente lhes revelar que está sendo aberto neste exato momento, o maior torneio já feito em toda a história, sejam bem vindos ao TORNEIO DO OLHEIRO!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.