FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

12. O SEGREDO DE MCGONAGALL


Fic: HARRY POTTER E A ARENA DAS ALMAS PERDIDAS - FINALIZADA!


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Harry cruzou o campo como se seu corpo estivesse saindo pela sua garganta, sua velocidade atingira o limite de uma Firebolt...
Lynch extendera sua mão, o pomo alado de ouro se afastou alguns centímetros.
Os olhos de Harry se apertaram, ele deu uma guinada no ar e dando uma volta em torno de Lynch apanhou o pomo, sentiu suas asinhas se debaterem ao mesmo tempo que uma pancada lhe acertou o estômago e lhe jogou com brusquidão para longe de sua vassoura.
O pomo escapou dentre seus dedos, Lynch piscou e o apanhou, a Firebolt de Harry lhe veio de encontro.
Um lado das arquibancadas, a de Lufa-Lufa e seus torcedores se explodiu em vivas, ao mesmo tempo, do outro lado, uma decepção se formava nos rostos, os cartazes antes presos voavam no ar, o jogo acabara.
Harry pousou nos gramados, a dor em seu estômago o forçando a cair de bruços. Vários vultos corriam em sua direção, sua visão estava se tornando embaçada, seus olhos se fechando.
_Harry, você está bem? - Hermione perguntou chegando ao vestiário.
Harry respondeu positivamente com a cabeça.
_Você fez o que pode - Fred não escondendo seu desapontamento disse.
_No próximo jogo tenho certeza de que vamos vencer - Angelina Jonhson falou adentrando o cômodo.
_Falando nisso - Fred murmurou - O próximo jogo será no último final de semana do mês....
_O quê! - Katie exclamou - Não pode ser, tinhamos um tempo de dois meses de um jogo para outro...
_Com o Torneio o campeonato teráde ser adiantado, parece que Dumbledore quer que o quadribol seja finalizado antes do inicio do Torneio...


Passado mais duas semanas, a liga de duelos atingira toda Hogwarts, muito perto do fim do mês de novembro, na qual seria o jogo de Grifinória versus Corvinal, a animação se via na expectativa da chegada das outras escolas e a final do campeonato que logo deveria vir.
Após o ultimo duelo da liga, entre Sonserina e Corvinal, Dumbledore assumiu a plataforma sob o silêncio de todos que aguardavam os resultados, as ampulhetas haviam sido esvaziadas noite passada, deixando uma grande ansiedade à todos.
_Encerramos este ano com grande sucesso uma das maiores ligas de duelo da história de Hogwarts, os prêmios serão creditados a casa vencedora como prometido. Fico feliz de ver que em meio a tempos tão dificeis, todos nós apresentemos da melhor forma o que nos é tanto demonstrado fora de nossos terrenos, fico mais feliz de constatar que nunca um disputa entre casas foi tão competitiva e saúdavel como esta, sendo assim, vamos as pontuações.
Em quarto lugar, com doze duelos vencidos e duzentos e vinte pontos, entrego à Severo Snape e Gaspar Shingleton, o troféu que os presenteia...
Após Snape receber o troféu, Dumbledore retornou a falar:
_Para terceiro lugar tivemos uma competição que sofreu muitas mudanças, com quatorze duelos vencidos e cento e quarenta pontos, entrego à Flitwick Flint e Newton Scamander o troféu de merecimento por Corvinal...
Embora ficassem em terceiro lugar, os alunos de Corvinal se mostravam bastantes satisfeitos durante a entrega do troféu.
_E para segundo lugar, com duzentos e dois duelos vencidos tivemos Grifinória e Lufa-Lufa...empatadas...
Muitos cochichos de desaprovação varreram a sala, mesmo não contestanto a posição de empate, os membros de Grifinória e Lufa-Lufa admitiram que haviam ganhado em igual, sendo dessa forma, um troféu de ouro para Jamie King e outro para a Profa.Sprout...

Harry, Rony e Hermione deixaram o salão de duelos rumo à torre de grifinória, logo que viraram no corredor do terceiro andar quase colidiram com a Profa.McGonagall que parecia apressada.
_Então, quem ganhou? - ela perguntou com a voz afogada.
_Empate - Hermione disse depressa.
_Quem?
_Grifinória e Lufa-Lufa... - Harry disse.
Minerva claramente desapontada agradeceu e se virou para ir rumo ao salão de duelos...
_Professora! - Harry a chamou.
_Sim...
Os dois se entreolharam, pareciam conversar pelo olhar.
_Diga Potter...
_A viagem... - Harry respirou fundo - A senhora já sabe o que fazer depois da viagem?
Minerva andou alguns passos em direção a Harry, o olhava com severidade.
_Fazer como o que?
_Contar quem fez aquilo...
Hermione se adiantou.
_Profa.McGongall! - a voz de Newton Scamander a chamou saindo do salão ali perto.
Minerva se virou para o bruxo, lançou um olhar desconfiado a Harry e seguiu rumo à Scamander.
_O que ela disse? - Rony perguntou logo que Harry se reuniu a ele e Hermione.
_Quase disse...
_Como assim, quase disse? - Hermione indagou.
_Agora ela sabe que seu segredo não está tão bem guardado com ela vinha imaginando...
Harry olhou mais uma vez para trás, Minerva o desviou um novo olhar desconfiado e virou o corredor como se jamais fosse a vê-la novamente.
No primeiro dia da semana seguinte, Minerva estava na mesa dos professores muito corada e parecendo mais disposta do que jamais tivera, Dumbledore que parecia mais energético com a proximação do torneio e com o campeonato sempre desviava sorrisos aos alunos.
_Ainda bem que Hagrid voltou, não gostei daqueles pássaros legendários da aula da Grubbly , são irritantes, é sério... - Harry disse a mesa do café da manhã.
No céu a neve caia cobrindo todo o terreno e fazendo com que as aulas de Trato das Criaturas Mágicas se tornassem as piores pelo clima.
Logo que a sineta tocara os alunos do quinto ano rumavam para a cabana de Hagrid (a maioria infleiz pela volta do professor) para a primeira aula do dia.
_Bem vindos á mais uma aula de Trato das Criaturas Mágicas, hoje aprenderemos a cuidar de Slowkings...
Antes...Srta.Vinks poderia me dizer algo sobre Slowkings?
A menina da corvinal afastou um lenço que cobria sua boca e respondeu:
_Um Slowking é uma criatura muito meiga, todos se parecem com ursinhos de pelúcia, no inverno, eles geralmente ficam resfriados e para se manterem quentes constroem iglus, para se tornar amigo de um Slowking basta construir um iglu para ele, diferente do que muitas lendas dizem, Slowkings não são ferozes, apenas ao serem atacados agem em bandos declaradamente violentos...
_Excelente! Não teria definição melhor, acrescentarei alguns pontos à Corvinal...bom, o objetivo de vocês será nesta aula construir iglus para os Slowkings e se tornarem amigo deles.
Como podem ver a inúmeros bonecos de neve espalhados pelo terreo, cada um deles tem escondido um Slowking, desmanchem o boneco e construam os iglus, depois, façam com que sejam habitados, podem começar...
Ao final da aula a maioria havia dominado os feitiços para se conjurar iglus e partiam para a sala de Feitiços, uma das mais quentes de Hogwarts.
No almoço o salão não parecia tão animado quanto geralmente estava nos últimos dias, o frio parecia fazer todos se manterem quietos e sonolentos.
Harry, Rony e Hermione antes de a sineta tocar apanharam suas mochilas na sala comunal e partiram para a sala de Defesa Contra as Artes das Trevas aonde Tolkien revelara que em breve daria aulas sobre vampiros.
Já na sala de Transfiguração, Minerva antes que todos se sentassem pediu o silêncio e ordenou que todos se mantessem de pé.
_Não se sentem! A aula será em outro lugar, sigam-me...
Muitos alunos se entreolharam, era a primeira vez que Minerva levava os alunos à algum lugar fora de sua sala nos cinco anos de estudos.
Todos a seguindo passaram pelo salão principal e partiram para o mesmo corredor que Grubbly Pankinson os levara para a aula com os pássaros legendários, no entanto, viraram em uma porta que não se aprofundava tanto no castelo.
Seguindo por um outro corredor ainda mais escuro passaram por mais duas portas de ferro fechadas por encantamentos antigos e chegaram ao fim, aonde Minerva parou, a maioria diante do escuro colidiu.
_Bom, chegamos... - ela fez um movimento com sua varinha e um alçapão se escancarou do chão levantando uma grande maré de poeira.
Com um novo movimento uma escada de madeira velha surgiu levando a uma câmara oculta.
Mesmo no escuro muitos alunos se entreolharam. Minerva iniciou a descida pela escada.
Harry foi logo em seguida reparando que havia vários archotes de fogo que iluminavam uma câmara negra cega, o chão dividido por blocos pequenos se movia em periodos se tempo curtos deixando repentinos buracos, de um lado da câmara havia uma fileira longa de estátua de bruxos guerreiros com varinhas tortas, do outro lado, uma fileira com dragões gigantes defronte aos bruxos.
Assim que todos os alunos adentraram a câmara Minerva se virou para todos.
_Hoje trabalharemos algo muito avançado, uma transfiguração realmente dificil, ensinarei à vocês como dar subvida á estátuas...naturalmente serão por poucos minutos, primeiramente quero que se afastem enquanto demonstro...
Todos se afastaram sem nem ao menos tirarem seus olhos de Minerva.
Ela ergueu sua varinha e apontou para o bruxo guerreiro mais próximo.
_Laconifors! - dois raios de fogo sairam de dois archotes de fogo e uniram em sua varinha projetando um jato que foi até o bruxo e o queimou dando-lhe após alguns segundos vida.
A antes estátua se virou para os alunos, fez uma referência e se voltou para o dragão distante a sua frente.
Minerva apontou sua varinha dessa vez para o dragão.
_Draconifors! - novamente dois raios de fogo cruzaram a câmara até a varinha e projetando um jato queimaram o dragão.
ZUM!
Todos se afastaram com uma explosão de fogo lançada pelo dragão em direção ao bruxo.
_PROTEGO! - uma parede prateada se fez diante do bruxo que tinha sua varinha com firmeza empunhada na mão direita.
_Laconifors petrificus! - Minerva murmurou fazendo com que a estátua voltasse a sua forma anterior. - Draconifors petrificus! - o dragão também paralisou voltando a sua forma petrificada.
Muitos de olhos arregalados se aproximaram um pouco depois que seguramente o bruxo e o dragão estavam paralisados.
_Como podem ver, há dez pares, os alunos que eu chamar devem ir até o centro entre o bruxo e o dragão e realizar os dois feitiços, depois os petrifiquem novamente. Claro que não é necessário dizer que realizem isso o mais rápido possivel pois como puderam ver são muito poderosos, sejam ligeiros evitando que ataquem antes...
Bom, vamos então...
A maioria dos alunos se afastou, fato que nada alterou na decisão de Minerva que chamou primeiramente um dos alunos mais escondido,
_Na primeira estátua quero Draco Malfoy, na segunda Justino Fletchey, na terceia Harry Potter, na quarta Ronald Weasley, na quinta Ana Abbott, na sexta Emília Bustroude, na sétima Hermione Granger, na oitava Susana Bones, na nona Terêncio Boot e na décima, Liny Vinks.
Os dez alunos rumaram aparentemente amedrontados até o centro dentre os bruxos e dragões e esperaram novas intruções de Minerva.
Harry se virou para o bruxo, iria começar por ele.
_Quando disser três podem começar, mas sejam rápidos....
Hermione e Rony se viraram para os dragões.
_Um...dois...TRÊS!
Vários gritos de Laconifors para os bruxos e Draconifors para os dragões preencheram a câmara.
Harry apontou sua varinha para o bruxo e anunciou:
_Laconifors! - o bruxo a sua frente queimou em uma chama esverdeada e ganhou vida. - Draconifors!
O dragão extendeu suas asas e num rugido disparou com ferocidade um raio de fogo.
_Effigy! - o bruxo de Harry murmurou projetando um jato que foi de encontro com o raio de fogo do dragão.
Harry se jogou no chão a tempo dos dois raios se colidirem em uma grande explosão.
_Laconifors petrificus! - ele sibilou em direção ao bruxo que vagarosamente foi se petrificando. - Draconifors petrificus! - o dragão em um novo rugido desviou do raio e lançou outro jato de fogo.
Harry se afastou e gritou:
_Protego!
Com dificuldade as fortes rajadas foram dissipadas.
_Draconifors petrificus!

A aula seguinte, de Estudo dos Trouxas vinha se tornando a mais fácil para Harry e Hermione, os deveres sobre como agir normalmente como trouxas foi rapidamente aprendido.
Com o jogo de Corvinal no final de semana seguinte, Fred exigia treinos bastante rigorosos e bem trabalhados. Mesmo com o time de grifinória consciente de que aquele estádio estaria novamente lotado e que precisavam ganhar para ainda concorrerem á taça o tempo frio não incentivava da mesma forma.
O dia seguinte chegou juntamente com revoada de corujas e um pouco mais tarde a aula de Defesa Contra as Artes das Trevas aonde Tolkien mostrara a todos as Salamandras de fogo.
Trato das Criaturas Mágicas não fora focada em Slowkings (para a infelicidade de Hermione que adorava criaturas dóceis) e sim em espécies maiores e mais brutais de Garnerries.
História da Magia a seguir teve a entediante explicação do Prof.Binns sobre a doença que matara Lorde Stoddard Withers no ano de 1769.
As mesas das casas estavam em destaque com suas cores. Como todos usavam casacos das cores correspondentes das casas, podia-se ver as quatro mesas em verde, amarelo, vermelho e azul respectivamente.
Diferente de poucas semanas atrás, aonde os alunos em um calor insuportável odiariam estar na quente estufa da profa.Sprout, naquela tarde era algo do que mais queriam.
Harry e Rony seguiram para a estufa enquanto Hermione juntamente com Lilá, Parvati e Susana Bones iam mais atrás.
_Foi a minerva... - uma voz disse enquanto Harry e Rony passavam ao lado da estufa quatro.
Os dois se entreolharam no mesmo tempo que pararam e se esconderam para escutar mais da conversa.
_Ouvi a Bustroude dizendo para o Malfoy quem matou o Peter. Ela disse que a Minerva vem guardando segredo, mas que depois da viagem é só uma questão de tempo para todos saberem...
_Mas porque ela vem guardando esse segredo? - uma voz conhecida perguntou.
_Por causa de uma maldição se não me engano...tem uma armadilha, o Malfoy está preparando uma armadilha...
_Pra quem?
_Potter...ele vai contar para o Potter quem matou o peter para ele contar à Dumbledore, fazendo assim com que ele seja atingido por essa maldição...
_Acho que ouvi dizerem que a Cho Chang também está correndo o risco...
_Parece que sim, me disseram que ela sabe quem matou o Peter, estava no corredor do terceiro andar na noite do assassinato...
_Então ela pode ser a assassina?
_Não acredito, parece que foi uma Azaração Mortal, ela não poderia conjurar uma...
_Então ela realmente estava no corredor aquela noite...
_Provavelmente, todos que sabem quem matou o Peter estiveram no corredor no momento do assassinato pois a maldição que está presa naquele que sabe é mortal caso ele conte a outra pessoa, ou seja, se alguém tivesse contado à Cho essa pessoa teria morrido e ninguém morreu até agora...
_Será que Dumbledore sabe?
_Não acredito...Cho chegou a tentar contar pra ele mas a Sibila a impediu quando estava chegando na gárgula...
_A Trelawney! O que ela tem com tudo isso?
_Como nós ela esteve no corredor no dia do assassinato, mas o curisoso é que eu não a vi ali e nem a Cho Chang, elas não estavam no corredor e mesmo assim sabem quem matou, elas não podiam estar esocndidas...
_Capa de invisibilidade!
_Cada vez parece que mais pessoas de alguma forma descobrem que foi....
_A aula é na estufa cinco queridos... - disse a Profa.Sprout abafando a voz que iria revelar o assassino de Peter.
Logo em seguida ela seguiu com alguns alunos de Lufa-Lufa para a estufa.
_Droga! - Harry murmurou odiando o momento ter visto a Profa.Sprout aquele momento.
_Ela tinha que vir bem na hora em que iriamos saber - Rony falou enquanto voltava a andar.
_De quem será que eram aquelas vozes? - Harry perguntou e no mesmo instante ele e Rony se viraram para ver quem estava saindo do local aonde se ouvira as vozes.
_SIMAS! - os dois em unissono exclamaram.
Juntamente com Simas estava Neville, a conversa seria entre eles.
_Eles sabem quem matou Peter! - Rony exclamou chegando a estufa cinco.
_Quem matou quem Sr.Weasley? - a Profa.Sprout indagou na porta da estufa.
_Eles sabem que a doença do bruxo louco matou o Lorde Stoddard Withers professora – Hermione surgindo de trás de Harry disse.
_Aprendemos isso na aula de história hoje – Harry acrescento ue antes que a professora pudesse fazer mais alguma pergunta adentrou a estufa.
_Do que vocês estavam falando? - Hermione perguntou.
Harry olhou para os lados e vendo que ninguém os prestava atenção respondeu:
_Simas e Neville sabem quem matou Peter...
_O quê! Daonde vocês tiraram isso?
_Escutamos uma conversa deles agora, eles sabem...
_E se cercarmos eles hoje a noite, na sala comunal – Rony sugeriu.
Hermione o olhou desaprovando a idéia mas parecia admitir ser a únca opção a seguir.
_Pode ser, mas eles não podem contar – Harry falou antes que Hermione fizesse.
_Porque? - ela perguntou.
_Você não se lembra, tem uma maldição naqueles que sabem quem é o assassino, eles não podem dizer...
Rony deu-se de ombros, não sabia mais o que sugerir.
_Não importa de que forma, estou pensando em algo, pode ser que essa noite finalmente o assassino seja revelado...
Harry olhou de Rony para Hermione, não imaginava que idéia a amiga poderia querer estar seguindo.
Após árduos estudos de Seringueiras Mágicas, a aula de Feitiços passou de forma tão prazerosa como jamais parecera.
Diante da chuva ao anoitecer o time de Sonserina cancelou o treino e para a infelicidade do de Grifinória Fred decidira treinar aquele dia também.
Com mais um treino exaustivo e pressionado Harry e Hermione chegaram a torre de girfinória aquela noite completamente indispostos e cansados.
Rony que lia (para a surpresa de Hermione) um exemplar de Hogwarts:Uma História se virou para eles logo que entraram na sala e falou, parecendo preocupado e contente ao mesmo tempo.
_Finalmente...demoraram hein...pensei que não iam chegar a tempo, pedi para o Nick-Quase-Sem-Cabeça para ficar de olho e me avisar quando o Simas e o Neville estiverem vindo para cá...
_E ele já veio? - Hermione amarrando seus cabelos e sentando em uma das poltronas indagou.
_Agora pouco...me disse que eles estavam na sala da Minerva até agora, que estão vindo para cá...
Harry se sentou e no mesmo segundo uma voz disse a senha a Mulher Gorda (Estrela Rabo-Mágico).
Hermone apanhou sua varinha e a manteve esocndida. Rony e Harry a exemplo fizeram o mesmo.
Logo que o quadro se afastou somente Neville adentrou, Simas não estava junto dele.
Harry pulou de sua poltrona e ficou defronte ao garoto. Seus olhos estavam diferente, ele já vira aqueles olhos em bruxos que haviam sofrido a Maldição Imperius.
_ O que você quer? - Neville lhe perguntou em um tom de voz frio e rápido.
Harry lhe apontou a varinha para o peito.
_O que está fazendo?
_Eu quero saber quem matou Peter! - Harry diretamente lhe disse.
_Eu não sei – Neville pouco se importando por ter um varinha apontada em seu peito respondeu.
_Começamos mal – Rony se levantando falou.- Começamos muito mal, ouvimos sua conversa com Simas...sabe, seu amigo não é...
_Eu não sei Weasley! - Neville apanhando sua varinha com uma velocidade impressionante gritou.
_Sobre quem matou Peter, um segredo da McGonagall, do Draco e de você sabe mais quem, uma suposta armadilha para o Harry, o que está acontecendo? - Hermione se pondo de pé perguntou, ela parecia ser a única a ter percebido algo realmente diferente em Neville.
_Eu sei o que vocês querem saber, mas não digo...
_Se você não entendeu garoto, estamos em três e você em um, então trate de falar antes que precisemos usar as varinhas – Rony ameaçou se aproximando de Neville como se já fosse azará-lo.
_Não seja por isso Weasley...
Hermione soltou um grito.
_EXPELLIARMUS! EXPELLIARMUS! ESPELLIARMUS!
Três jatos cruzaram o ar e atingiram Harry, Rony e Hermione com voracidade atirando-os longe.
_Ninguém pode dizer o que vocês querem saber, poucos bruxos estão envolvidos nesse assassinato e duvido que qualquer um deles esteja disposto a morrer para contar a mais alguém, até mesmo a Dumbledore que seria o único a poder resolver...
Hermione se pôs de pé e disparou um raio prateado em direção a Neville, seus olhos fechados, parecia se entregar de todo a aquele feitiço.
Neville gritou de dor, uma espécie de chama azulada foi lhe cobrindo o corpo, a chama da lareira tomou uma forma cadavérica e se apagou ao mesmo tempo que uma fumaça negra foi cobrindo toda a sala.
_Hermione! - Harry gritou se pondo de pé.
_Não Harry! - Rony o impediu.
Hermione parecia estar perdendo toda sua força, como se estivesse prestes a morrer.
_O que foi, me deixe ir!
_Não! Você não pode! - Rony berrou - Neville está sob a Imperius, Hermione está tentando desfazer a maldição...
Um grito prolongado de Neville rasgou o silêncio da torre, vários alunos começaram a descer pela escada para ver o que estava acontecendo.
O garoto começara a gritar cada vez mais com a dor, uma fumaça vermelha espectral em forma de caveira começou a lhe sair do corpo, Harry pode se lembrar da Marca Negra, símbolo de Voldemort.
_Ascendam a lareira! - Hermione pediu com os olhos ainda fechados.
Murilo Gamboni, o monitor chefe apanhou sua varinha e atravessando em meio aos alunos a apontou para a lareira apagada.
_Incêndio!
Chamas dançantes a preencheram.
Neville gritou em uma voz fria e dolorosa, uma voz mistica e etérea, a caveira saindo de seu corpo foi se tornando maior, quanto mais ela saia do corpo mais ele gritava, como se estivessem lhe arrancando a alma com brutalidade.
_Harry, prenda a caveira, prenda a caveira, Harry, destrua as trevas, prenda a caveira, PRENDA A CAVEIRA! - Hermione berrou não tendo mais forças para resistir.
Das suas mãos que seguravam a varinha várias gotas de sangue pingavam até o chão.
Harry mirou sua varinha na caveira vermelha como o sangue de Hermione e sem saber fechou seus olhos, a imagem de sua mãe entrando em sua frente lhe veio a mente, ela gritou e caiu a sua frente, um bruxo viperino lhe fitou os olhos, eram em fendas, demoniacos...
´´ Liberte-se, mate as trevas Harry, saia, saia, saia, prenda a caveira, prenda a caveira!`` - a voz de Lílian Potter, sua mãe, lhe veio a cabeça e recebendo um impacto como se fosse morrer de dor sua cicatriz explodiu e parecia lhe rajar todo o corpo, sua cabeça havia sido arrancada, iria morrer, era o seu fim...
´´Prenda a caveira, liberte-se da Marca Negra, prenda-a Harry, prenda-a, prenda-a...`` - a voz de sua mãe continuou a falar.
Uma fênix de fogo cruzou um céu negro e um dragão disparou de sua varinha rumo a caveira, toda a dor que sentia lhe foi junto, parecia estar voando com a fênix, um vôo de morte, um vôo de adeus...

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.