FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

6. A Ordem da Fênix - 1ª Parte


Fic: Ela sempre preferiu o Rony - Com capa! Aviso postado! Não desistam! Eu não desisti!


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

N/A:

Evelyn linda, esperta, inteligente, resumindo... Evelyn perfeita olha para os dois lados em frente a um pc no Largo Grimmauld nº12 e suspira...

-Cadê ela? Povo mais pontual...

-Falando de mim? - disse uma garota, 1.70, esperta, inteligente, maluca... cabelos castanhos encaracolados, olhos castanhos esverdeados (N/E: Povo convencido...) que acabara de aparatar, sorrindo radiante.

-Você? Imagina... Estava falando da... C... Aisha... Como ela é atrasada né? Ah você também é... - disse Evelyn sorrindo marotamente.

-Muito engraçado... E então vamos ler o novo capítulo? - disse voltando-se para uma montanha de pergaminhos próximos bagunçados.

-Nada disso Srtª Lara! - disse Evelyn tomando os pergaminhos da mão dela - reciprocidade... Você não vai ler esses pergaminhos tão cedo...

-Não? Não mesmo? Por quê? - perguntou ela levantando uma sobrancelha.

-O acontecimento de sexta à noite está muito recente na minha memória viu?

-Você não pode me impedir - disse Lara tentando pegar de novo.

-Ahhhh sim eu posso - disse Evelyn sorrindo - você está em meu território, aqui quem manda sou eu... Então Damico... Pode ir tirando as mãozinhas e a varinha daí!

-Anim Naty!

-Marina!!!

-O quê? - perguntou ela com cara de animalzinho abandonado na porta da igreja.

-Não. Me. Chame. De. Naty! Assim estraga! Isso se chama vingança! - disse Evelyn meio irritada

-Aé! Tinha esquecido... Malz...

-Hum... Certo... Onde está a pontual da Aisha?

-Não faço a mínima...

-Provavelmente - disse Evelyn rindo - deve ter quebrado a unha ou quem sabe esqueceu que pó de flú se usa é na lareira...

-E onde mais ela usaria? - perguntou Lara confusa.

-Nem ti conto - respondeu Evelyn no que as duas riram.

-Mas onde estávamos mesmo? - disse Lara olhando esperançosa para os pergaminhos.

-Não sei... Você só veio visitar essa ilustre pessoa não? - disse Evelyn com um sorriso maroto.

A garota revira os olhos e sorri:

-Bem... Sobre esse capítulo... - disse ela apontando a varinha - ou você deixa eu ler ou eu ti azaro!

-Você está me chantageando?

-Não... Troca de favores... Você deixa eu ler e eu não te azaro... Simples e justo!

-Você não teria coragem!

-Então deixa eu ler sim? - disse ela com um sorriso eu-tenho-32-dentes.

-Hum... Deixa eu pensar - disse Evelyn colocando a mão no queixo - Não!

-Ahhh Na... Evy! Deixa! Só porque eu não deixei você ler o meu?

-É óbvio... Porque eu... Assim... Humildemente perfeita e esperta ser cortada de ler o seu capítulo, tenho inteligência o bastante pra não deixar você ler também...

-Só que você esqueceu que eu sou maior de idade e posso usar magia... Então o que você vai fazer pra me impedir?

-É eu não posso ti azarar... Mas quem sabe uma poção na comida... - disse ela num sussurro

-O que você disse?

-Um pouco de bebida!

-O quê? - disse Lara franzindo o cenho.

-É, água, suco, delícia gasosa...

-Ah sim... - disse ela abrindo um sorriso - Água de coco, retirada na hora por favor... Sabe como é... Manter a forma para o quadribol...

-Aham - disse Evelyn estreitando os olhos - Água de coco... Certo... Mas falando em Quadribol... Você viu os Tornados?

-Mas é claro que vi! Acabaram com os Fálcons!

-Pois é! - começou Evelyn animada - os Tornados... - mas foi interrompida por um estampido, seguido de um barulho abafado acompanhado por um "Ai".

-O que foi isso? - perguntou Lara.

-Não sei...

Dizendo isso, Lara e Evelyn vão ver o que era.

Chegando na origem do barulho, elas viram Aisha caída em cima de uma mesinha, completamente espatifada, ela havia aparatado em cima da mesa, Evelyn e Lara começaram a gargalhar ao ver como a garota se encontrava.

-Dá pra parar de rir? – perguntou Aisha irritada – Não vejo graça nenhuma...

-Não vê porque não está aqui... – comentou Lara enxugando as lágrimas dos olhos.

-Chega de lenga-lenga e vamos responder os comentários – disse Aisha se levantando.


Francyne Brião: Ah nós adoramos seu comentário, quer dizer amamos, quer dizer obrigada, quer dizer... Ah você entendeu né? Huahuahuahua Ah... e sobre a demora rápida... Acho que a gente empolgo nesse capítulo e até que ele não demorou muito a sair e ficou o maior que a gente escreveu... Quanto ao Krum... hehehehe nada mais a declarar.

Patoloko: Bom depois de um consenso, nós decidimos não te azarar.. Sabe como é nós amamos nossos leitores e também amamos fazer um capítulo hiper big... Gigante pra dizer a verdade... Espero que goste e ahhh nem demoro muito =P Valeu pelo comentário e pelo incentivo pra que ele saísse mais rápido =)

neali: Oiii valeu por vir na nossa fic... A gente leu a sua e comentou =) Esperamos que goste desse capítulo.

Ma Simões: Valeu pelo comentário! Bom o objetivo era humor mesmo uhasuhsauh os ciúmes são muito engraçados mesmo... Adoramos escrever essa parte, acho que a gente não demorou muito e o capítulo ficou meio ‘pequeno’ então esperamos que goste =)

Stª Lara =D: N/L: Vocês vão responder meu comentário?
N/E: Não...
N/L: *cara de indignada* Nem agradecer?
N/E: *fazendo cara de inocente* não...
N/L: Aisha!
N/A: O quê?
N/L: Você não vai agradecer meu comentário?
N/A: O quê?
N/L: O comentário... Da fic
N/A: *fingindo não entender* Que comentário?
N/L: Da fic...
N/A: Do que mesmo?
N/E: *segurando o riso no fundo e disfarçando* cof... Cof...
N/L: Ah esquece...
N/A N/E: Ahhhhhh o comentário!!
N/L: *abrindo um sorriso* Eeeeeee e aí? Vão agradecer?
N/A N/E: Não...
N/A: Brincadeira... Mas agradecendo ao seu comentário... Brigada... hahahaha Eiiii a sua personagem é um sucesso porque ela é baseada em mim então eu tenho que me achar mesmo!
N/E N/L: reviram os olhos...

Ness@: Valeu pelo comentário!! Nós também somos 100% R/H!! N/E N/L: 100% T/L também hehehe... Err... Sobre o que você falou que fez de errado... Ham... A gente não entendeu o.O o que você fez? Pode falar... N/A: Prometo que não vou te azarar ^^’

Fabiana Potter: Nosssa adoramos seu See you later Allygator! Até a Aisha fez um plágio dele... E colocou isso num RPG... Well... Ficamos envaidecidas pelo seu comentário! Nossa! Grandes escritoras? Artistas!! Amamos!! Muito tudo! Espero que você goste desse capítulo, acho que a gente não demorou muito e nem vai decepcionar um grande leitora... Apesar de ser muito mais R/H do que H/G nesse capítulo... =D

Borboleta: *autoras felizes* que bom que você gostou! Tomara que goste desse novo capítulo também =D

Betynha Gryffindor Weasley: É... A gente quis dar um tom mais comédia pro Harry... Porque apesar dele de vez em nunca ser um pouco sarcástico... Como diz o Lupin “De vez em quando é bom deixar o lado maroto falar mais alto” =) Bem... Seu comentário foi realmente incisivo mas ficamos felizes de você gostar dessa fic... Porque nós adoramos escrevê-la também, e amamos mais ainda quando vocês comentam ^^’ esperamos que goste desse capítulo...

lia-lila: Huahuahuahua das milhões de cortadas da Gina... Qual você mais gostou? Uhashuasuhsa esperamos que goste desse capítulo com bem... Nem tantas cortadas da Gina mas esperamos que goste.

Fla Weasley Grint Malfoy: É... O 6º ano vai demorar mais um pouquinho... Principalmente porque esse ano foi dividido em duas partes... Por enquanto né? Vai que a gente resolve dividi ele em três... Esperamos que goste desse capítulo só com offs R/H

Nanda Granger Weasley: Ihhh a gente dividiu a Ordem e ainda falta muito capítulo pra escrever... Porque a gente não vai fazer só até os livros... Tem depois mas isso... É depois! Aushuhasuhs
quem bom que gostou... XD

Amanda Monteiro: A gente foi no seu flog ^^ Que bom que você está postando a fic lá! Tomara que goste desse novo capítulo

thais Weasley Malfoy: Demorou só um poquim mas a gente atualizou esperamos que goste desse capítulo, valeu pelo comentário =D

Letícia Wons: Comunidade??? No orkut??? Qual? Uashuhsauhsa a gente nem sabia que nossa fic tava recomendada que bom! Nossa seu comentário! Amamos!! E que ótimo que você tá amando a fic! Ficamos muito muito muito felizes! A dúvida foi cruel na hora de escolher o nome do capítulo... A gente não sabia se ia colocar “Ela sempre preferiu o Rony” ou “se você não sabe, não sou eu que vou dizer” uhasuhasuhasuhas sobre as suas fics... A Evy leu e comentou... Bom ela comentou como Naty ’, ela leu antes... Não sabia que a fic era sua mas tá lá! Muito linda ela, esperamos que goste do novo capítulo!

Bruna Perazolo: Que bom que você está amando a fic! Sobre a sua... A gente vai ler ela e comentar depois... Novo capítulo! Esperamos que goste e sempre comente aqui =D

N/E: *suspira* É acabamos... Agora final...
N/L: Finalmente eu vou ler o capítulo...
N/E: *sorriso maléfico* Você acha que vai ler né?

Um homem de cabelos negros e intensos olhos azuis, apareceu abrindo a porta e sorrindo radiante.

N/S: Festinha sem mim?
N/E: Discreto...
N/A: Oi Sirius...
N/L: SIRIUS?
N/S: Não... Madame Malkin... É claro que com toda essa perfeição em pessoa, esse lindo, inteligente esperto que vos fala só podia ser eu... Sirius Black.
N/A: Sirius você está atrapalhando a gente começar o capítulo da Fic!
N/S: Fic... Já ouvi falar sobre isso... É aquela coisa que os fãs fazem né? Histórias sobre a gente...
N/L: Mas... Você não se importa né? Que escrevam histórias sobre você?
N/S: Claro que não! Eu sempre pego as garotas mais gatas em todas as histórias! E o melhor... É sempre uma diferente em cada história... Não adianta... Ninguém resiste ao meu charme *disse ele passando a mão pelos cabelos enquanto as meninas reviravam os olhos*.
N/E: Mas... Você está atrasado! Onde você estava?
N/S: *com um sorriso maroto* Adivinha?
N/E: *sorrindo* Ahhhhh seu cachorro safado! Era com a Je...
N/L: Shhhhhh Não fala! Não agora... Pelo menos...

N/A: Bom queridos leitores, esse capítulo é de longe, o maior deu aproximadamente umas 44 páginas no Word, só de história, fora essas embromations nossas aqui né? Gente que tudo que a fic está sendo tão bem aceita... A gente ama escrever ela e ama quando recebe comentário... Quando aumenta os votos... Isso dá um estímulo a mais pra escrever... Bom, nesse capítulo eu fiz uma coisa que eu adoro... coloquei um monte de mensagem subliminar nele... com alguns jogos de palavras e letras... Vamos fazer um jogo... quem achar alguma coisa, escreve no comentário também que daí na próxima vez que eu postar a fic eu digo se está certo ou não! Esse capítulo tem um monte de offs... e de spoilers, então aproveitem! Ahhh só pra constar, o capítulo saiu mais rápido porque a gente ficou 3 dias sem net, daí é menos coisa pra fazer! Beijos gente e não deixem de votar e comentar!

N/E: Agora ao capítulo!
N/S: Eu apareço nele?
N/E: Er... Não...
N/S: *tom indignado* Mas como vocês cortam um ser tão perfeito como eu?
N/E: *revira os olhos* É... que... Ai...
N/L: É isso mesmo, vocês colocam o Sirius e deixam eu ler o capítulo!
N/S: Apoiado...
N/E: * pensa... Abre um sorriso maroto* Sirius... Vem aqui... *cochicha alguma coisa no ouvido dele*
N/S: Bem mais justo! Certo Lara... Como diz a Evy... Reciprocidade... *Fazendo um rápido movimento com a varinha, Lara é amarrada numa cadeira.
N/L: *xingando coisas ininteligíveis* Ei!
N/E: Eu não posso ti azarar, mas não há nenhuma lei que proíbam cachorros-marotos-foragidos de te azarar... E além do mais...
N/A: Além do mais nada! Vamos logo pro capítulo...
N/S: *assumindo postura de locutor* Senhoras... Senhores... É com prazer que eu, com toda essa elegância, tenho o prazer de lhes apresentar, Capítulo 6 – A Ordem da Fênix 1ª parte.

*Lumus*

Juro Solenemente que não pretendo fazer nada de bom

Capítulo 6: A ordem da Fênix(parte 1)


Nada aconteceu... Então todos os presentes desataram a rir e Rony simplesmente disse:

-Poxa, justo agora que já tinha me acostumado?

Os convidados começaram a rir novamente, então Hermione começou uma conversa sobre amenidades, falando sobre família:

-Sabe, acho que o Fafa vai se sair muito bem em Hogwarts...

-Fafa? – Gina se contorcia de tanto rir.

-Ela insiste em chamar ele disso! – respondeu Ron virando os olhos.

-Ah, francamente você não queria que eu o chamasse de Fálcon! – a morena retorquiu.

-Mas esse é o nome dele! – respondeu o ruivo, como se isso fosse a coisa mais óbvia do mundo – E o que você tem contra Fálcon?

-Se você não sabe, não sou eu que vou dizer! – ela sorriu vitoriosa, vendo Ron amarrar a cara.

-A não, a gente já passou dessa de se vocês não sabem... Isso foi no 4° ano, estamos no 5° - brincou Harry.

-Falando em família, - Neville tentou mudar o assunto, porque mais uma briga Rony X Hermione, ninguém merecia – como vão seus filhos Tonks?

-Ah, o Rômulo, o Benjammim e o Daniel? – ela perguntou feliz.

-Não! Os seus outros filhos Ninfa! – brincou Lino, no que todos riram da cara de Tonks ao ouvir o novo apelido.

-Ah, mas esses são os nomes deles? – Fred entrou na brincadeira – Achei que como você é tão cumprimentante Ton-Ton, os nomes deles seriam: Beleza, Jóia e E Aí?! - mais risadas ecoaram pela sala da casa.

-Beleza, podem ir zoando... – Tonks tentava ficar séria.

-Mas a gente não está fazendo nada! – completou Jorge – e na verdade eu pensei que os nomes deles fossem Palhota, Madeirota e Tijolota!

-Realmente eles estão fazendo hora com a gente Ton. – Remo disse sorrindo.

-Que nada! – Gina se fez ouvir - eles não falaram da Chapeuzinho Vermelho!

-Mas nós só adotamos meninos! – disse Remo.

-Mas ainda está em tempo de adotar mais um, quer dizer uma! – Fred ainda brincou, no que todos riam gostosamente.

-Hei... Como vocês sabem sobre esses contos trouxas? – Mione perguntou interessada.

-Isso é óbvio cara cunhadinha... Nós trabalhamos voltados para um mercado de alto teor, e os jovens são nossos principais alvos, então a gente se esforça né? – comentou Jorge.

-Claro tudo o que for novidade, é sempre um negócio a mais! – completou Lino.

-É, mas e a Gina? – Rony continuou, como se tivesse sido ele quem fizera a pergunta antes.

-Ron, eu sou mãe né? – ela respondeu como se tivesse explicado tudo.

-Tá, tá – Harry ia cortando o assunto – mas a gente não vai ficar aqui pra discutir nomes de filhos e nem negócios ou contos trouxas né?

-Não! – respondeu Mione por ele – Vamos voltar, quer dizer começar o 5° ano!

-O 5° ano, começa com o Duda dementado! – Harry ia começar a narrar o fato, mas mais uma vez fora interrompido naquela noite.

-Que Duda dementado o quê?! – Gina parou a narrativa do marido – O 5° ano começa com Rony e Hermione sozinhos na Toca e depois no Muy Romântico Largo Grimmauld n° 12! – terminou teatralmente.

-Romântico... – Rony bufou baixinho – se um lugar cheio de coisas das Trevas e ainda por cima com um elfo doido e um retrato escandaloso for um lugar romântico, eu passo a me chamar Rupert!

-Falando em Largo Grimmauld – Neville começa – será que o...

DING DONG!

-Campainha? - Fred brincava – Quem é o Bruxo que tem uma campainha em casa?

-A Bruxa que é casada com um Trouxa! – Jorge respondia rindo, no que todos caem na risada.

-Hahaha – Rony começou a rir parando bruscamente, caindo a ficha e finalmente fechando a cara – o que você quer dizer com isso?

DING DONG!

-Se você não sabe, não sou eu que vou dizer! – Lino respondeu no que todos riram novamente.

DING DONG! DING DONG! DING DONG! DING DONG! DING DONG! DING DONG! DING DONG! DING DONG! DING DONG! DING DONG! DING DONG! DING DONG!

-NINGUÉM VAI ATENDER À PORTA? - gritou Rony se sobrepondo à campainha.

-Ah, não se incomode – disse Fred – sinta-se em casa!

Rony fechou a cara e não agüentando mais o DING DONG! Interminável resolveu ir atender a porta.

NA PORTA DA CASA DOS WEASLEY GRANGER’S:

Rony abre a porta e dá de cara com...

-Luna? – o ruivo se espanta – Mas o quê você está fazendo aqui, quer dizer, o que você está fazendo aqui tocando a companhia?

DING DONG! DING DONG! DING DONG! DING DONG! DING DONG! DING DONG!

-Quer dizer, por que você não para de apertar a companhia? – continuou ele.

-Ah, - ela para bruscamente de tocar a campainha – então quer dizer que isso se chama companhia.

-Mas se você não sabe nem o nome, como sabia usá-la? – Rony indagou curioso.

-Eu não sabia! – disse ela com seu ar sonhador de sempre – Eu bati na porta e como ninguém atendeu, eu vi esse botãozinho e fiquei curiosa.

Rony se limitou a revirar os olhos, rir e pensar: “É mesmo a Di-Lua!”.

DE VOLTA À SALA DOS WEASLEY GRANGER’S:

-Oi Luna, - disse Hermione disparando a rir acompanhada de todos, Ron que ficou pra trás só agora é que foi reparar...

Luna estava vestida com o seu cachecol da Corvinal, colar de rolhas de cerveja amanteigada, um broche de chifre de bufador de chifre enrugado e o seu tradicional chapéu de leão, que no momento soltou um enorme rugido. Além de estar carregando um enorme embrulho.

-Cruz credo! – ele se agourou rindo em seguida, causando mais risadas nos presentes devido à sua careta.

-Lú, o que é isso na sua mão? – Neville perguntou.

-Mais tarde Fofuxo. – ela disse guardando o embrulho a um canto da sala.

-Fofuxo? – Fred ria demais agora.

-Pelo menos eu estou casado! – Neville alfinetou.

-E Longbotton bota as garras de fora! – Lino zombou, como se estivesse narrando uma partida de quadribol.

-Não é porque não estamos casados que isso signifique que não temos ninguém! – respondeu Jorge.

-Então, quem são as cunhadinhas da vez? – se interessou Gina.

-É melhor voltarmos ao 5° ano. – disse Fred desconversando.

-A do Fred? A mesma de sempre, quer dizer anos... – brincou Jorge.

-Nossa cor marrom... Marrom bombom, marrom bombom! – cantarolou Lino.

-Hmm... – disse Gina marotamente – entendi, e quem é a do Jorge?

-Digamos que também é a mesma...

-O quê? Vocês dividem a namorada? – Rony perguntou espantado.

-Não seu panacão! Quer dizer que é a mesma dos tempos de escola! – respondeu Jorge.

-Katie Bell? – Ron chutou.

-Alícia Spinnet. – Mione deu de ombros.

-Como é que você sabe? – Lino olhou-a intrigado.

-Isso é óbvio! E também, - ela se empertigou – eu sempre fui amiga das meninas mais velhas... Além de o banheiro feminino ser o lugar mais prático quando se quer saber de alguma coisa!

-Cunhadinha, - Fred passou uma mão pelos ombros de Hermione – nós temos muito que conversar sobre a Angelina e o banheiro feminino na época de Hogwarts...

-Tira essa mão daí Fred! – Rony puxou Mione para junto de si, dando um tapa na mão do irmão – O que importa aqui é o nosso 5° ano e não Angelina e banheiro!

-Mas quanto ciúme hein? – brincou Lino.

-Eu não tenho ciúme! – ele respondeu com as pontas das orelhas vermelhas.

-Ah não? Veremos! – Jorge ria maliciosamente -Ahhkrummm!

-Saúde! – disse Fred.

-O que tem o Krum? – perguntou Rony amarrando a cara e passando do rosado à púrpura de uma só vez.

-Krum? – Fred fingiu inocência – Que Krum? Quem falou em Krum? Depois diz que não é ciumento!

-Eu só estava espirrando – disse Jorge com uma cara de anjinho – acho que é o chapéu da Luna, está me dando uma baita alergia – terminou, fingindo coçar o nariz.

-Mas então, vamos voltar ao Fofuxo, quer dizer ao 5° ano! – brincou Lino.

-Espera aí, Luna, eu não entendi o por que do Fofuxo, se o Neville nem é mais gordinho... – Gina tentou argumentar.

-Mas ainda é o meu Fofuxito! – Luna terminou com seus olhos azuis mais brilhantes e saltantes se é que isso era possível. – Boa noite gente! – ela os cumprimentou com seu ar etéreo de costume.

-Err... – Harry começou – Luna, o que você ficou fazendo esse tempo todo?

-Eu – ela rolou os olhos em direção a Harry – eu fui deixar as meninas com o papai, afinal pra que servem os avós?

-Eu disse! – Rony subiu no sofá e começou a fazer uma ridícula dança da vitória, no que mais uma vez todos começaram a rir.

-Então, nós acabamos conversando – continuou ela como se não tivesse sido interrompida – e estávamos pensando se íamos comprar uma nova editora, ou se íamos procurar pelos Anões Gigantes da Cornuália... – após essa declaração todos começaram a rir novamente.

-Luna, não é por nada não... – Hermione se recuperava da crise de risos – mas esse negócio não existe! Não existe Anões Gigantes!

-Hermione, - a loira continuava no seu tom etéreo viajante – não é porque você nunca viu, que quer dizer que eles não existam! E você sabe disso!

-Mas Luna, uma coisa é os bufados chifrudos, outra são Anões Gigantes! – Rony se intrometeu no assunto.

-Acreditem se quiser... – ela não se alterara – mas eu ainda vou mostrar que eles existem! E não são bufados chifrudos, são bufadores de chifres enrugados!

-Tá gente, mas nós não vamos discutir a fauna, a flora e os povos do mundo mágico né? – Harry tentava novamente.

-Harry está certo – Hermione cortava o assunto de novo – nós temos que nos concentrar no 5° ano!

-Mas já? – Luna parava o discurso de Mione – e eu que pensei que ia chegar a tempo... Bem que eu senti que os zonzóbulos estavam aqui por perto!

-E o que são zonzóbulos? – perguntou Tonks interessada.

-Nem queira saber! – Hermione virou os olhos.

-Mas o que têm eles a ver com o seu atraso Luna? – a metamoformaga insistia.

-Eles me confundiram, e então eu vim pelo lado errado! – a loira respondeu.

-Mas por que você não aparatou na porta, ou usou pó de flú? – Gina perguntou.

-Porque os trouxas poderiam me ver se eu aparatasse por perto e o Ministério está colocando propriedades zumbificantes no pó de flú, para que as pessoas sejam marionetes do governo! Quando descobri isso, parei de usar e proibi que o Fofuxo usasse também! – Ao terminar ninguém mais se agüentava de tanto rir, realmente a Luna quando quer viaja!

-Mas o Fofuxo, veio de pó de flú! – disse Fred querendo colocar uma pimenta na conversa, já que nunca vira Luna fora do sério.

-Bem, eu não queria chegar atrasado, porque eu também fiz parte dessa história desde o 1° ano! – Neville tentava concertar – E uma vez só não vai me afetar né?

-Sabe, Neville – Jorge ria da cara do homem - os anos passam, e algumas coisas nunca mudam... – vendo que ninguém entendeu ele completou – Você continua com medo de uma mulher de chapéu!

Os convidados caíram na risada novamente, já que todos sabiam que Jorge falava da avó de Neville e de Luna e seu escandaloso chapéu.

-Como estamos felizes hoje hein? – Harry começou – Toda hora fazemos uma piada ou rimos... Mas o 5° ano que é bom... Nada!

-Está bem – Gina já começava a adquirir seu tom irritado – vamos começar logo essa droga de 5° ano, porque o Harry não se agüenta de vontade de falar desse ano, não sei porque!

-Ah Gininha, - Rony sorria maliciosamente – é porque ele está louco de vontade de contar sabe, sobre um rolo dele com uma certa coreana...

-Rony! – Gina adquirira um tom vermelho – Isso é coisa para você dizer pra sua irmãzinha?

-Desculpe Gina, - ele continuou com seu tom – mas digamos que você mereceu por falar tanto de Vítor Krum! Agora é a minha vez!

Gina torceu o semblante e apenas murmurou:

-Deixa estar Ronald, e eu vou começar a contar alguns podres! – ela lançava um olhar mortífero à ele.

-Acho que ciúme é mal de Weasley! – Lino comentou inocentemente.

-E então? – Harry tentava de novo – Alguém vai contar o que houve na Toca e Largo Grimmauld pra começar o 5° ano?

Após terminar essa fala, Harry só viu uma almofada vindo direto em sua direção e sentiu a pancada, Gina jogara o travesseiro nele e o encarava com um olhar sujo.

-Se ninguém vai falar, então está bem, eu começo com o Duda dementado! – ele amarrou a cara também.

-Nada disso! – Tonks foi quem interrompeu agora – A gente veio aqui pra contar tudo, e tudo quer dizer tudo beleza? Então alguém pode ir contando o que houve antes do Harry chegar no Largo Grimmauld!

-Tá bem, eu conto... – Rony começou, mas mais uma vez foi interrompido naquela noite, pois uma enorme coruja negra entrou pela janela aberta trazendo uma carta no bico.

Hermione tirou a carta do bico da coruja levou-a para cozinha dando água e ração e em seguida voltou para sala:

-De quem é a carta? – Gina perguntou curiosa.

-Essa é a coruja do Fálcon, deve ser dele! – Rony respondeu.

Hermione já abria a carta e começara a ler:

Hogwarts, 01 de setembro

E aí? Estou escrevendo pra contar que Hogwarts é muito melhor do que vocês falaram... Luta com trasgo pai? A seleção era só um chapéu velho e remendado!


-Ron! Você falou pra ele que tinha uma luta com trasgos? Francamente... – Hermione lançava um olhar de censura ao marido.

-Ah Mi... Qual é a emoção de falar que é apenas um chapéu? A graça está em fazer ele pensar que terá que enfrentar uma quimera, trasgos, basiliscos ou coisas do tipo – disse encolhendo os ombros e maneando a cabeça em direção a carta para que ela continuasse a leitura.

Ah... Tinha uma senhora com uma cara não muito boa... Acho que vi ela conversando com o Tio Harry... Ela me parecia muito séria... Nada que umas armações não mudem... Tô brincando mãe... Tô brincando...

-Ainda bem! – dizia Mione no que todos continuavam a prestar atenção na leitura.

Acho que está no sangue... O chapéu só disse algo do tipo “Ah... Mais um Weasley... Com certeza sei onde te colocar...” E então fui para a famosa casa dos leões...

-É isso aí! – disse Rony dando um soco no ar – Mas continue amor... Continue...

E claro avise para o Tio Harry e a Tia Gina que a Lílian e o Tiago também foram para a Grifinória... Só que eles só não mandaram a carta porque a coruja da Lílian... Borrão de Tinta
Lílian: Mãe!!! Ah oi pai... Minha coruja não quis levar a carta... Acho que ela está mais idiota do que de costu... Borrão de tinta
Tiago: Coruja estúpida... Mas pai... Quando é que eu vou poder entrar para o time de Quadribol? Borrão de tinta


-Quadribol? É... Parece que é de família... Grifinória? Acho que o chapéu não se cansa de encher a casa de Weasley’s – comentou Lupin no que todos riram.

-Bom... Pelo menos ninguém foi para a Sonserina não é? – disse Rony.

-Qualquer casa seria de bom grado – começou Mione – Não se deve julgar os outros pela casa que pertence... Muito menos aos integrantes da Sonserina.

-Gina que o diga não é? – alfinetou Fred.

-O que você quer dizer com isso? – perguntou Harry erguendo uma sobrancelha.

-Se você não sab... – começou Fred.

-Ora vocês não vão acreditar nessa de Malfoy de novo não é? – disse Gina cortando Fred.

-Malfoy? Quem está falando em Malfoy? – comentou Lino.

-Tem razão... Ninguém falou naquela doninha azeda – disse Jorge.

-Explique-se Gina Potter – disse Harry lançando um olhar a esposa.

-E a Sra. também Hermione Weasley, não consigo entender como você pode defender aqueles retardados sonserinos... – disse Ron com azedume.

-Ah Rony... Nada contra, e além do mais estou feliz que eles estejam na Grifinória... – respondeu a morena.

-Então... Vamos voltar à carta, sim? – disse Gina olhando esperançosa para o pergaminho na mão de Hermione.

-Não pense que você irá escapar Ginevrazinha – disse Jorge virando-se para Fred com um olhar malicioso.

Lílian: Não me interrompa! Como eu ia dizendo... Minha coruja está pior que o Errol do tio Ro... Borrão de tinta
Fálcon: Não há nada de errado com o Errol! Ele só é um pouco babaca às vezes... Mas só às vezes... Borrão de tinta
Tiago: Chega de corujas idiotas e Errol’s babacas... Como vão Uon-Uon e Mi?


Hermione assume um tom extremamente avermelhado e vira-se para Gina no que essa desata a rir junto com os outros:

-Quem foi... Quem foi que disse para o Tiago sobre... Vocês-Sabem-Que-Apelido-Ridículo?

-Ah Hermione... Cá entre nós... Uon-Uon é melhor do que Hermio-ni-ni... – disse Gina no que Rony para bruscamente de rir e lança um olhar irritado a ela.

-Voltando à carta... – disse Harry pegando-a das mãos de Hermione e assumindo uma pose no que todos se calaram para ouvir.

Fálcon: Uon-Uon? Que apelido idiota! Não está se referindo ao Meu pai não é? Porque se estiver, mamãe não vai ficar muito satisfeita... Quer dizer, ela não gosta quando a Tia Gina fala sobre isso... Mas voltando a minha carta... Borrão de tinta
Lílian: Correção... Nossa carta... Mas mamãe... Acho que deixei meu pulôver em casa... Borrão de tinta
Tiago: Dá pra parar de pedir coisas à mamãe? Garanto que você não agüenta nem uma semana sem ela aqui... Tinha que ser a Lily... Cheia de não-me-toque...
Lílian: Eu não sou assim! Pai! Você viu isso? Vai permitir o Tiago me chamar disso?
Fálcon: Já que os dois estão um pouco ocupados em se espancar... Acho melhor eu voltar a minha carta. Achei que as aulas começavam só semana que vem... Começam amanhã... Espero que mamãe não leia isso... Mas pai... Tem razão às vezes Hogwarts é um pouco exagerado não? Acabamos de chegar...


Hermione assumira uma feição irritada e virara para Rony.

-Ih... Mau jeito Roniquinho – disse Remo.

-Até você? – repreendeu-o Ron.

-Bem, - Remo sorriu – às vezes eu tenho que deixar meu lado maroto se sobressair né?

-Esse seu às vezes está se saindo freqüente demais para o meu gosto. – respondeu o ruivo mais novo.

-Err... – Harry pigarreou – Se vocês não se importam, eu gostaria de voltar à carta dos meus filhos e do meu afilhado.

-Seus filhos? Seu afilhado? – disse Gina – Desculpa Senhor Possessivo, mas eu também tenho uma participação nisso aí!

-É, mas você não vai querer contar isso né Gina? – brincou Rony.

-Ah... Mas agora que estava ficando bom? – confessou Lino.

-Acho melhor cortarmos as asinhas desse Sr. Jordan... – comentou Fred.

-Realmente, ele está se saindo muito assanhadinho pro meu gosto! – concordou Jorge.

-Calma aí! Calma aí! – Lino tentava se defender – Voltando à carta, voltando à carta!

Harry prosseguiu a leitura:

Tiago: Ah pai, e respondendo o novo professor de Defesa Contra às Artes das Trevas é ninguém mais, ninguém menos que...Borrão de tinta
Lílian: Ah, para de drama! Não tinha ninguém na cadeira de Professor de Defesa Contra às Artes das Trevas.
Fálcon: Pai, não dá pra falar muito mais agora, porque o Tiago e eu vamos explorar um certo mapa!


-EU NÃO ACREDITO! – Hermione gritou tomando a carta das mãos de Harry – ELES VÃO SER EXPULSOS ANTES MESMO DE CONSEGUIR FALAR QUADRIBOL!

-Mas Mi, - Rony a interrompe – eles já disseram quadribol...

Rony só sentiu uma almofada acertando seu rosto...

-Remo! – o ruivo balbuciou – Esse seu lado maroto está muito saidinho!

-Err... – Harry atrapalhou sem graça – Fui eu!

Hermione pegou a carta e recomeçou a leitura:

Lílian: Ei! Vocês não vão não! Vocês podem ser expulsos!

-Essa é minha afilhada! – a morena ria.

-Mas olha aqui embaixo... – Gina tomou a carta de Hermione:

Lílian: E também, se vocês forem eu vou!
Fálcon: Calma Foguinho, a gente vê isso mais tarde!
Lílian: Não me chama de Foguinho!


-Ihh – Remo comenta – Já vi esse filme!

Tiago: Pai, você não vai acreditar... Fálcon dá pra parar de abraçar a Lilly?
Fálcon: Ah, larga de ser ciumento Tiago, e também, ela é fofinha!
Lílian: Você está me chamando de gorda?
Tiago: Você está dando em cima da minha irmã?


-Esse é o meu garoto! – Rony comentou vitorioso.

-O QUÊ? – Harry se levantara.

-Ihh... –Remo comenta – Já vi esse filme.

Rony tomou a carta das mãos de Gina e continuou:

Lílian: Eu não sou fofinha!
Fálcon: Ei! Eu só to cuidando da minha prima!
Tiago: Bom mesmo!


-Como eu disse, ciúme é mal de Weasley! – reforçou Lino.

Ignorando tudo, Hermione tomou novamente a carta das mãos de Rony e terminou de ler:

Lílian: Tiago, eu não sou um bebê!
Tiago: Ai tá, já sei! Andem logo com isso, porque tem uma capa muito legal no meu malão esperando pra dar uma volta pela escola!
Fálcon: Tiago, mas você é uma mula mesmo hein? A minha mãe vai ler essa carta!
Tiago: Como se ela não tivesse feito coisa bem pior!
Lílian: Mãe, beijo, porque se não esses dois não vão parar de discutir, te amo! Manda beijos pro papai e todo mundo e não esquece de me mandar as coisas que eu esqueci.
Tiago: Falou pai, mãe, e quem mais tiver lendo...
Fálcon: Tchau mãe, pai, e quem mais ler... Mãe manda beijos pra Galadriel e pra Felicity.

Ps: Mãe, não manda nenhum berrador tá? Beijo.


-Nem me lembre de berradores! – Rony se recordou de um certo berrador que recebera no seu 2° ano.

-Gente, - Harry de novo recomeçava – quem vai falar das férias do Rony e da Hermione?

-Tudo bem Harry! – Gina se exaltava – Eu digo... Não houve nada! E agora pode começar com o seu Duda dementado, ou melhor, fala logo que você deu um amassos na Chang, porque é isso que você está doido pra contar né?

-Calma Gina! – Harry tentava conciliar – Eu só quero saber o que houve entre eles... – terminou fazendo cara de cão arrependido, mas mesmo assim, Gina se limitou apenas a desfranzer o semblante.

-Então Ronald, você vai contar o que foi que houve? – perguntou Luna.

-Está bem... Mas Mi, você me ajuda ok? – o ruivo lançou um olhar à esposa.

-Ok. – a morena assentiu.

FLASHBACK
A’ Toca, verão do 5º ano.

Hermione mal entrara de férias de seu 4º ano e já se encontrava hospedada na casa dos Weasley’s.

Rony se encontrava dormindo em seu quarto, completamente esparramado pela cama em um sono profundo.

Hermione acabara de chegar e fora cumprimentada pela Sra. Weasley.

-Ah querida, Rony está lá em cima, por que você não vai lá? Enquanto isso, vou mandar suas coisas para o quarto da Gina – dizendo isso foi encaminhando as bagagens de Hermione para o quarto da ruiva mais nova.

Hermione ficara um pouco apreensiva em ir até o quarto do ruivo.

-Ron? - dissera ela com cautela à porta do quarto com uma placa “Quarto do Rony” – Ron? – Como não houve resposta ela abriu a porta devagar na esperança de não encontrá-lo em alguma situação constrangedora.

Ao avistar a cena, Hermione não sabia se gritava ou se ficava ali vendo o ruivo dormir, decidiu acordá-lo.

-Rony... – Mione se aproximava da cama com cuidado – Rony... Acorda... – não havendo resposta ela começou a cutucá-lo – Rony... Mas parece uma pedra... – vendo que não teria resultado ela começa a falar mais alto – Ah pelo amor de Merlin... Acorde! Rony... – continuou não havendo resposta. Então sem alternativas ela gritou – RONY!

O ruivo espreguiçou-se demoradamente acertando o braço em Hermione que afastou com um semblante divertido e censurado ao mesmo tempo.

-Ah não mãe... – disse com voz de sono – não fui eu... Mande os gêmeos fazerem isso... – e virou-se para o lado voltando a dormir.

Hermione não se agüentou e começou a rir da situação em que se encontrava decidiu tentar mais uma vez.

-Ro... – mas nesse momento ela parara bruscamente e um sorriso maldoso brotara em seus lábios... Ela se lembrara que lera em algum lugar que quando uma pessoa está dormindo ela lhe responde o que você perguntar, inconscientemente.

-Vamos só testar... Rony?

-Huuuumm...

-Pra que time você torce?

-Chuuuuddlllaayy Caannnnooss – respondeu ele espreguiçando-se e virando o rosto.

-Ótimo – dizia ela feliz – tem umas coisinhas que ando querendo saber... E então Rony... O que você tem contra o Vítor Krum?

-Hãããã? O que tem o Vitiiiinho? Giiiina para de encher... – disse lançando um travesseiro na parede.

-O que você tem contra o Vítor Krum? – insistia ela.

-Miiiiii – disse ele fazendo uma careta.

-Mi? Mi o quê? – ela disse empolgada.

-Me deixa em paaazzz – respondeu virando.

-Certo... – disse ela com um olhar bravo.

-Ah pooorquee vooocê teeem que fazzeerr iiiissoooo? – balbuciou ele de repente.

-Você quem?

-Heeeerrm...

-Herm? Que Herm? – Disse ela se aproximando.

-Heeermmes a coruja do Percy...

-O QUE TEM O HERMES? – ela irritara-se.

-Aaaaa caaartaa...Proo Harrryy.

-Ah francamente Rony, acho bom que você levante agora! Se não...

-Huuum...

Como não ouve resposta, Hermione olha para a mesinha do quarto de Rony e encontra uma jarra de plástico cheia de água.

-Se não... ISSO – disse despejando o conteúdo da jarra em cima do ruivo.

-MAS O QUE? – disse ele se levantando e olhando para os dois lados desamparado – HERMIONE! – bufou ficando vermelho e se enrolando nos lençóis – DESDE QUANDO ESTÁ AQUI?

-Oi pra você também Rony...

-O que te deu na cabeça pra me molhar assim?

-Se você não sabe, não sou eu que vou dizer.

-Hermione! Eu posso pegar um resfriado sabia? Posso morrer, até!

-Ah francamente quanto drama! Além do mais a culpa é sua...

-Minha? Que foi que eu fiz?

-Não acordou e ainda fica aí...

-Fica aí como?

-Fica aí me... Fica aí oras!

-Aí como?

-Fica aí vestido desse jeito... – disse ela corando – ou melhor, sem vestir né?

Rony para, olha para si mesmo, fica extremamente corado puxa as cobertas sobre si, já que estava vestindo apenas um shortinho para dormir, e diz:

-Esse quarto é meu e você entrou sem ser convidada... Então não reclama o jeito que eu me visto no MEU quarto.

-Meu Merlin... Quanta simpatia... E além do mais... Sua mãe pediu pra que eu viesse aqui te acordar... Eu não ia imaginar que você iria estar assim... E quer saber do que mais? VOCÊ É MESMO UM GROSSO RONALD WEASLEY! – Hermione ficara realmente brava e ainda segurava a jarra que começara a trincar, não encontrando outro fim para ela, Mione acerta a jarra na cabeça de Rony e sai às pressas do quarto.

-Mas... O que foi que eu fiz? – disse ele ainda atordoado pela pancada.

Hermione entrou zunindo feito um vendaval no quarto de Gina:

-Oi Hermione, que bom que você veio... - disse Gina que saía do banho, ao ver a cara da amiga se surpreendeu – O que houve? Porque você está nervosa assim?

-O que houve não né? Quem houve! – ela explodiu, enquanto Gina se trocava, a morena lhe contou tudo o que ocorrera. – Ou seja, ele continua um legume insensível e isso nunca vai mudar!

-É, mas dessa vez eu vou ter que concordar que você exagerou né? Tacar água nele e depois a jarra? – e começou a rir – Fico até imaginando essa cena...

-Muito engraçado Gina! – ela respondeu cruzando os braços e sentando na cama. – Agora o melhor de tudo, é que eu vim pra cá, e com certeza o Rony não vai querer conversar comigo até o fim das férias! E eu não vou atrás!

-Quanto a isso, não se preocupe, porque a gente não vai ficar aqui muito tempo acho que só até o fim da semana, depois a gente vai pra casa do Sirius, é a Sede da Ordem da Fênix, e pelo jeito lá vai ter bastante trabalho... – respondeu a ruiva dando de ombros.

-Bom, talvez isso ajude um pouco... – disse a morena se jogando agora na cama.

-E então? – perguntou Gina.

-Então o quê?

-E o Krum? – a ruiva insistia.

-Ah, - disse Mione reparando em como um ponto na parede era extremamente interessante – Ele me escreveu, convidando pra passar as férias na casa dele, mas eu disse que não podia, porque ia vir pra cá...

-E ele? – Gina disse surpresa.

-Ainda não me respondeu – simplificou Mione.

-Também pudera né? Se fosse eu, não sei o que diria, tipo de você estar indo pra casa de um garoto... Você estaria confraternizando com o inimigo! – e dizendo isso disparou a rir, acompanhada da amiga.

-Nem me lembra dessa história!

-Mas e aí?

-Gina, dá pra falar logo o que você quer perguntar? Você é péssima com rodeios!

-Está bem! – disse a ruiva lançando um olhar malicioso à amiga – Confesse, o que foi melhor... Ser convidada à passar férias na Bulgária, ou ver o Roniquinho dormindo só de shortinho?

-Ora, mas é claro que foi ver o... – Mione parou de falar corando logo em seguida, no que a outra começou a rir escandalosamente.

-Eu sabia! Eu sabia! – disse Gina subindo na cama e fazendo uma ridícula dança da vitória. – Sabia que aquela briga besta no Baile não era por nada! Confesse Hermione Granger... Você está caidinha pelo ruivo!

-Pelo Bichento? – ela desconversou – Desde o dia em que o comprei!

-Aham, - a ruiva estava irredutível – e digamos que você não vai admitir que a sua paixão por ruivos não está só naquele gato!

-E digamos que a sua quedinha por certos morenos continua né?

-O Neville? – dessa vez foi a ruiva que desconversou – Nós somos apenas amigos.

-Eu falava de outro moreno, um de olhos verdes sabe?

-Um de belos olhos verdes! – a ruiva completou – Mas você disse quedinha, não tombaço. – Gina abraçou o travesseiro e se jogou na cama com um suspiro – Céus, não são só os olhos... É o conjunto da obra!

Ambas caíram na risada e ficaram conversando até que o silêncio tomou conta do quarto, silêncio esse que foi quebrado por Gina.

-Mas eu não sei o que faço!

-Faz em relação a quê? – Mione perguntou.

-Em relação ao assunto de olhos verdes...

-Por quê? – a morena continuava sem entender.

-Hermione, você acertou a jarra na cabeça do Rony e o efeito atingiu você?

-Então se explique!

-Explicar? Ai, como é que eu vou agir perto do Harry? Eu não quero que ele continue achando que eu sou aquela boboca da estação que chorava porque queria ir com o Rony pra Hogwarts!

-Então mostre que você não é!

-Mas como?

-Primeiro, não fique muda quando ele estiver perto, segundo, não faça coisas idiotas do tipo, afundar os cotovelos na manteigueira, terceiro, não faça declarações do tipo “seus olhos são como sapinhos verdes cozidos...” E QUARTO e muito importante... Esquece disso um pouco e saia com outros garotos!

-É talvez, mas e se eu não esquecer ele?

-No final do ano passado o Hagrid disse pra gente assim: “O que tiver de ser será, e você terá que enfrentar o que fosse quando viesse!” A situação em que ele usou essa frase foi uma bem diferente, mas serve pra você!

-Ok! Eu vou seguir esse conselho!

PAF!PAF!

-Nossa, mas onde é a guerra? Porque daí eu mando o canhão pra lá! Não precisa quebrar a porta não! – e dizendo isso a ruiva foi abrir a porta de bastante mau humor, pois imagina o legume que estava parado do outro lado – Tinha que ser o Cenoura!

-Cenoura? Você também é ruiva Gininha! – Rony respondeu azedo.

-Sério? Em todos esses anos eu nunca havia notado a cor dos meus cabelos! – disse ela irônica – E você é uma cenoura porque é um legume!

-Legume? – o ruivo continuou sem entender.

-Legume sem sentimentos! – disse ela no que Hermione sufocou uma risada.

-Me poupa tá Gina! – ele respondeu – A mamãe está chamando vocês pra almoçar!

CRACK!

Hermione sufocou um grito de susto e Rony lançou um olhar de raiva aos irmãos que acabavam de aparatar no quarto:

-DÁ PRA VOCÊS PARAREM DE FAZER ISSO?

-Nossa, mas quanta educação – Jorge ironizava.

-Amabilidade... – continuou Fred.

-Simpatia... – Jorge alfinetava.

-Olá Hermione, - Fred tomava a palavra – o que está havendo aqui? Briga de Weasleys? Que coisa mais fora do comum...

-O recado está dado! – Rony virou-se e saiu pisando duro.

Durante o almoço, Rony comeu quieto e nem se deu ao trabalho de dirigir a palavra para Hermione, assim que acabou de comer, ele se levantou e se trancou no quarto o resto do dia.

No dia seguinte, todos acordaram cedo, com uma gritaria na cozinha dos Weasley, ao que parecia Percy havia se desentendido com a família e saído de casa, voltou pela manhã para pegar o resto de suas coisas, mas a tentativa de passar despercebido não funcionou:

-Escute aqui Percy, eu não vou permitir que fale assim com a sua mãe! – Arthur Weasley dizia meio exaltado.

-Olha papai, vocês é que sabem de que lado vão ficar, se do caduco do Dumbledore e do necessitado de atenção do Potter, ou do lado do Ministério.

-Ora Percy vá lamber sabão nessa droga de Ministério! – gritou Fred da escada.

-Percy, - a Sra. Weasley segurava para não explodir em lágrimas e raiva – não fale assim do Dumbledore, ele é um grande bruxo e Harry também, não vou permitir que você fale assim de alguém que sofreu tanto na vida!

-Esse garoto, é um carente de atenção! – Percy estava fora de si.

-Cara, do que você está falando? É o Harry, você o conhece Percy! – Rony se juntava à briga familiar.

-Rony, como seu irmão mais velho e experiente, eu devo te aconselhar a não ser mais amigo desse Potter! Quando todos caírem em si, pode ser tarde demais!

-Percy, não acredito que você vai virar as costas para a família! – Gui que estava calado a um canto se manifestou.

-Papai, Carlinhos e você Gui, deveriam ficar do lado do Ministério, que é onde trabalham! – Percy insistia.

-Olha Percy, você é racional, e sabe que está cheio de hipocrisia por toda parte na política... – Hermione tentava usar a lógica.

-Não me lembro de ter te chamado na conversa Granger! – o garoto fora extremamente grosseiro.

-PERCY WEASLEY! - Molly definitivamente se alterara – Você não tem o direito de falar assim com ninguém, muito menos com as visitas!

Mas ninguém estava prestando muita atenção, pois foi preciso que segurassem Rony, que estava prestes a voar no pescoço do irmão, óbvio que todos estavam, mas isso não resolveria nada.

-Olha aqui, é a última vez que eu falo, já tivemos uma briga antes por isso e essa é a última vez está bem? Se você papai nunca teve ambição, sempre se contentou em ser pouca coisa, eu não! E vou ficar do lado da verdade e de quem pode me oferecer o que eu quero!

Arthur realmente perdera as estribeiras após ouvir isso, e já ia dar uma bela surra em Percy quando Molly interveio:

-Deixa Arthur, ele já é adulto e saberá arcar com as conseqüências!

-Ótimo! Então adeus, vocês ainda vão vir rastejando dizendo como eu estava certo!

-Claro Wetherby, Wizzy! O bosta do cara pra quem você trabalhou nem sabia seu nome, e os próximos não saberão, porque ninguém liga pra capachos! – Jorge despejara.

CRACK! CRACK! - Fred desaparatara e aparatara logo em seguida, carregado de bombas de bosta e fogos Dr, Filibusteiro, e os gêmeos saíram enxotando Percy porta a fora com os artifícios.

-SUMA DAQUI SEU MONTE DE LIXO PUXA SACO! - Fred berrava.

-ESSA FOI PELA MAMÃE! – gritou Jorge.

-E ESSA FOI PELA FAMÍLIA TODA! – Fred ainda gritou, no que Jorge jogou uma bomba de bosta de dragão bem no alvo.

-Como pode ser, - Arthur se lamentava – a gente cuida, educa desde pequeno e depois pra quê? Pra picar a gente! Morder a mão que alimentou!

Molly não dizia nada, se desabara em prantos, Mione e Gina foram consolá-la apesar de não haver muito que dizer. Rony estava parado a um canto, Gui subira as escadas bufando de raiva, se não teria dado uma surra bem dada em Percy e a sorte foi Carlinhos não estar lá no momento, se não...

As meninas ajudaram com o almoço e a casa ficou bastante quieta e deprimida durante o dia todo, só se ouviam explosões bastante freqüentes vindas do quarto dos gêmeos.

-Mione, - Rony chamou por ela, no fim da tarde quando estavam ela e Gina sentadas na varanda da casa – err... Será que podíamos conversar?

-Eu vou escrever pra minha amiga Di-Lua... – Gina saiu de fininho.

-Fala Ron... Rony! – Hermione parecia apreensiva.

-É que bem, depois do que houve hoje, quer dizer do Percy e tudo, eu acho que não é legal a gente ficar brigado, até porque a minha mãe está muito triste e eu não quero ser causa disso também! – ele disse sem jeito e sincero.

-Tudo bem Rony, desculpa também por ter invadido o seu quarto...

-Tudo bem... – eles então apertaram as mãos como no 2° ano, cheios de vergonha.

-Então... A mamãe te falou que não podemos contar pro Harry onde vamos estar até que busquem ele né? – ele tentava puxar assunto.

-É, eu sei. – ela estava muito sem graça e não sabia o por quê – mas você sabe que isso tudo é para o bem dele!

-É, eu sei – disse ele olhando para a parede – mas que ele ficará muito bravo com tudo isso ele vai ficar sim...

-Então é melhor a gente tentar fazer alguma coisa! – opinou ela.

-Eu sei, mas o quê? Mamãe ficaria maluca se contássemos o que está acontecendo e pra onde vamos...

-É só a gente escrever pra ele não contando nada – disse Hermione depois de um tempo empolgada.

-Bela carta – começou ele irônico – “Oi Harry, não podemos contar nada e nem falar nada... Passar bem...” É... Muito esclarecedor – terminou desanimado.

-Mas é isso o que devemos fazer! Pense Ron! Pelo menos ele terá alguma notícia da gente, mas não vai suspeitar de nada e nós não vamos estar fazendo nada errado... É só pra que ele não fique preocupado... A gente só falar que está tudo bem e mais algumas coisas... Só!

Ron pensou um tempo e depois abriu um sorriso e abraçou Hermione:

-Brilhante! – depois de perceber o que estava fazendo, separou-se da morena e começou a achar seus sapatos muito interessantes ao mesmo tempo em que suas orelhas tomavam um tom escarlate.

Hermione não sabia se ficara alegre ou assustada:

-Er... Ron... En-Então acho melhor eu, quer dizer, nós escrevermos a carta sim?

-Te-tem razão – disse ele levantando o olhar.

CRACK

-DÁ PRA PARAR DE FAZER ISSO? – despejou Rony ofegante.

-Desculpa irmãozinho, mas é por uma boa causa... – começou Fred.

-Alguém aí a fim de jogar Quadribol? - perguntou Jorge com uma goles velha na mão.

Logo, uma garota ruiva apareceu na escada com um sorriso no rosto.

-Quadribol? Eu tô dentro – disse Gina descendo os degraus, feliz.

-Certo... Mas o time está pequeno... Gui topou jogar, mas mesmo assim precisamos de mais um para completar o time – disse Jorge infeliz.

-Hermione – disse Fred postando ao lado da garota – se você deixasse os livros um pouco e deixasse seu lado grifinório-esportivo-à-favor-do-quadribol falar mais alto... Você poderia...

-Completar o time! – disse Rony abrindo um sorriso.

-Não... Acho que não combino com quadribol... É um esporte violento e segundo o que eu li num livro...

-Ah por Merlin Mione! Só dessa vez sim? – disse Gina que junto com os ruivos lançaram um olhar suplicante a ela esperando uma resposta.

Hermione hesitou um pouco e virou-se para eles com um suspiro.

-Está bem...

-É isso aí – disse Rony dando um soco vitorioso no ar

-Mas vou explicando que não existe nenhum livro que explique como se joga quadribol em si... Só na teoria... Ent...

-Hermione... Se concentra em não cair da vassoura... Já é o bastante! – falou Jorge.

-E se cair veja o lado bom... Do chão você não passa! – completou Fred.

-Grande consolo! – ironizou a morena.

-Então o time vai ser Rony, Fred e Jorge, contra Gina, Hermione e eu! – Gui se juntou ao grupo.

-Mas por quê? – Gina parecia não concordar.

-Porque se não, não dá jogo! – disse Jorge.

-Imagina a Hermione e o Rony no mesmo time? – Fred ria da cara dos dois – Que graça teria? O Gui ia jogar sozinho!

-Está bem... – a ruiva concordou – Mas vamos parar de conversa fiada e vamos jogar!

-Espera aí! – Rony interrompeu – Vocês estão chamando a mim e a Hermione de um monte de bosta?

-Monte de bosta é o Percy! – Fred respondeu – E o burro vai na frente né Rony!

-O que você quer dizer com isso? – Ron perguntou.

-Não é a mim e a Hermione... – a morena corrigia – se diz a Hermione e a mim! Eu venho por último!

-Mas eu te pus por último! – Rony não entendia – E você é a Hermione, então devia ter falado a mim e ao Rony!

-Ah, por Merlin! – disse Gina no que todos começaram a rir menos o Rony que ainda não entendia – Você é um tapado! Vamos jogar!

-Ron, - Hermione tentava de novo explicar – Eu, no caso, você, sabe o pronome eu... Vem sempre depois de outro nome, você disse a mim e Hermione, o certo é Hermione e a mim! Entendeu? Ou seja, como você falou errado o Fred disse... O burro vai na frente, entendeu?

-Ahhh... – Rony entendera a piada – Então quer dizer que o burro que vai na frente é você?

Ninguém agüentou tentar manter a pose séria... E dispararam a rir.

-HUNPFT! – Hermione bufou, virou os olhos e disse – Vamos jogar antes que eu me arrependa!

Gui enfeitiçara uma pequena maçã para que ela voasse e fizesse o papel de pomo de ouro. Gui seria o apanhador e jogaria como artilheiro também, Hermione seria goleira e Gina artilheira. No outro time, Fred seria o apanhador, Jorge o artilheiro e Rony o goleiro.

A partida corria bem, Hermione tentava ficar calma, mas ao primeiro sinal de Jorge em lançar a goles, saiu de perto do aro improvisado:

-Hermione! – Gina ralhava – Você é a goleira! Você defende os aros e não foge deles!

-Está bem! – ela tentou parecer confiante.

O jogo estava se mostrando uma bela partida de centro de campo, já que Gina se destacou como artilheira e Fred além de apanhador, começou a jogar como artilheiro também. Gui atacava com tudo as balizas de Rony, e o ruivo mais novo se mostrava um bom goleiro.

-Acho que quadribol está no sangue dos Weasley! – Gui ria, Rony era meio atrapalhado, mas até que dava conta do recado.

-Ah não mesmo Sr. Fred! – Mione sussurrava – Eu vou defender!

Fred se aproximou de Hermione e lançou a goles com tudo, que acertou direto na testa dela. Em uma fração de segundos a morena sentiu o impacto e caiu no chão.


-DEFESA ESPETACULAR! – Jorge abandonara a partida e começou a narrar o jogo ao estilo Lino Jordan.

-FRED! – Rony abandonara a defesa para brigar com o irmão – OLHA O QUE VOCÊ FEZ! VOCÊ PODIA TER MATADO ELA!

-Calma aí, foi sem querer! – o outro se defendia.

-Mas ela é uma MENINA! Pra quê tacar a goles com tudo nela? Ela não ia defender mesmo!

-GOOOOOOOOOLLLLLLLL DE GUILHERME WEASLEY! – Jorge continuava narrando, Hermione esparramada no chão, Fred e Rony brigando e Gui aproveitando da situação marcando gol atrás de gol, até que... Jorge imitou um alto assovio – E GINA WEASLEY AGARRA O POMO, quer dizer a MAÇÃ! – todos desmontaram das vassouras e Rony finalmente foi acudir Hermione junto dos outros!

-Eu... – ela dizia delirante – Estou bem...

-Gina! – Gui repreendia a ruiva – Eu era o apanhador!

-E daí? – ela não entendia.

-E daí que eu que pego o pomo! - ele respondeu.

-Ah, mas aquilo era uma maçã! – a ruiva defendia-se e os dois caíram na risada.

-Hermione-Defesa-Espetacular-Digna-de-Copa-Mundial-de-Quadribol, caiu no chão – Jorge continuava narrando – Jorge-Perfect-Comentarista-Jogador-Lindo-Sexy-Tudo-de... – Fred logo para de discutir com Rony, que amparava Hermione e imita em uma voz de falsete:

-Jordan!

-Desculpe Professora McGonagall! - ele imitava o colega e a professora em partidas de quadribol - ... Tudo-de-Bom, começou a narrar o jogo, Rony-Mais-ou-Menos, Tenho-Medo-de-Aranha, veio com toda sua coragem Grifinória brigar com Fred-Igualmente-Lindo-Só-Que-Menos-Sexy-Que-seu-Irmão-Gêmeo. Enquanto Gina-Roubei-o-Posto-Do-Meu-Irmão-Apanhador, discutia com Gui-Perdi-o-Posto-De-Apanhador-Pra-Gina-Weasley.

-Está bem queridos! – Molly Weasley chegava – O jantar está servido! – e todos foram pra dentro jantar.


Finalmente chegara o dia em que eles iriam para o Largo Grimmauld n° 12 e pra variar, a Toca estava uma bagunça, era um sobe e desce de escadas, gritos, pessoas se esbarrando toda hora, Molly juntando meias desaparelhadas, preparando o café, e mandando que todos se arrumassem...

-Mãe, - Gina descia as escadas quando todos já estavam comendo – você viu meu pulôver?

-Ah... Joga essa droga de pulôver fora! – disse Rony – Toda vez você perde isso!

-Cala a boca Rony! O pulôver é meu e seu perdi o problema é meu! – respondeu a ruiva.

-Nossa como estamos agressivos hoje hein Gininha? – ele provocava.

-Impressão sua Roniquinho! – ela respondia, ambos se encarando.

-Então cuide melhor das suas coisas! – Rony insistia.

-Como se você fosse o mais indicado pra me mandar cuidar de alguma coisa! – ela respondeu.

-Eu acho, que se o pulôver é dela, então ninguém tem nada com isso! – Jorge se intrometia na briga.

-Mas acontece, que esse problema é muito importante, porque sem o pulôver não dá pra viver! É uma questão de sobrevivência! – Fred completava.

-CALEM A BOCA! – disseram Gina e Rony em uníssono.

-Queridos, queridos, parem, Fred, Jorge venham cá me ajudar – disse Molly de cima da escada carregada de bagagens. – Gina, seu pulôver está com o gato.

-É pra já mamãe! – disseram os dois juntos - Locomotor malas.

-Nããããããããããããããããããooooooooooo feitiço não! – ela gritou, mas as malas já haviam despencado escada abaixo e se aberto.

-Meninos, meninos – disse Arthur que se juntava à confusão – não é porque estão na maior idade que devem sair usando feitiços assim! – com um aceno de varinha ele organizou toda a bagunça e encaminhava as malas para perto da lareira.

LARGO GRIMMAULD N° 12:

-Ai Rony! – Hermione esbravejava – Para de empurrar! – eles estavam no hall que estava bastante lotado por sinal.

-Não sou eu, é a Gina! – disse Ron.

-Não ponha a culpa em mim! Dá pra parar Jorge? – Gina respondia.

-Dessa vez não sou eu, é o Fred! – Jorge disse espremido no meio de tanta gente e malas.

-Não sou eu! – Fred defendia-se – É a minha vontade de empurrar vocês! – virou-se para o lado e deu de cara com um cão negro – Legal, temos um cachorro! Eu sempre quis ter um cachorro!

-Oi Sirius! – cumprimentou-o Ron, no que ele se transformou em um homem que aparentava um pouco mais de idade do que tinha, mas era igualmente belo.

Sirius se empertiga como aqueles mordomos de hotéis cinco estrelas e diz com uma voz grave:

-Bem vindos à Muy Nobre e Antiga Casa de los Black! – terminou fazendo uma reverência.

-Nossa hein? – Fred ia se adiantando – A sua casa é como dizer... Tão convidativa.

-Tão aconchegante! – Jorge completava, entrando no joguinho deles Sirius tomou a frente do grupo e saiu como um guia turístico:

-Vamos pessoal, não dispersem do grupo, se não vocês terão uma surpresa desagradável... Estamos no hall, mais à frente nós nos deparamos com a Sala conjugada com o corredor repleto de enfeites modernos do Século XVI, caso você não goste da decoração sugiro que agüente assim mesmo, pois algumas coisas estão enfeitiçadas permanentemente. Subindo essas escadas com design moderno de perna de trasgo e essas cabeças arrojadas, nós temos o pavimento dos quartos, são vários andares repletos de teias de aranha, magia negra e tudo o que um Sonserino gosta, muito acolhedor... A ala feminina é para a direita, se vocês garotos não quiserem ter uma morte lenta e dolorosa, sugiro que não vão ao lado direito, se bem que o lado esquerdo também é perigoso, então varinha em punho e seja o que Merlin quiser! Subindo mais dois andares, mais quartos e coisas das Trevas, de um lado temos um hipogrifo e se tudo estiver monótono, você poderá encontrar algum bicho-papão em alguma escrivaninha, ou até mesmo um espírito agourento agourando por aí... Seguindo em frente, - disse adentrando mais a casa e falando baixo, quase sussurrando – aqui é um lugar de respeito e de adoração, porque se você adora os seus ouvidos não vai querer que ela acorde! – apontou para uma cortina vermelha fechada.

-Quem é ela? – perguntou Fred parando abruptamente, em frente à cortina.

Rony que estava observando o local, trombou em Fred, se desequilibrando indo de encontro à uma mesinha de canto derrubando um vaso no chão.

-IMUNDOS! TRAIDORES DO PRÓPRIO SANGUE! SUJANDO A CASA DOS MEUS ANTEPASSADOS! FORA DAQUI SEUS SANGUE-RUINS! – o retrato berrava e as cortinas se abriram mostrando uma mulher que gritava em plenos pulmões.

-Cala a boca sua velha reumática! – Sirius xingava o retrato, Molly e Arthur vieram correndo e fecharam as cortinas, ajudados por Sirius.

-Que recepção calorosa! – ironizou Jorge.

-Essa é minha adorada mamãe! – Sirius mostrava – E esse, - disse apontando para uma criaturinha pequena, vestida com uma fronha velha e que tinha um nariz de batata enorme – é o inútil do elfo doméstico... Monstro!

-Sirius! – Hermione o repreendia – Ele é um ser, que merece...

-Anaum Hermione! – Rony a cortava – Sessão FALE aqui não!

-Não é FALE, é F.A.L.E! – a morena corrigia.

-Que desonra, traidores do sangue na casa de minha Senhora! – Monstro sibilava ferino.

-Monstro, vai catar coquinho no Lago da Lula Gigante! – Sirius ordenou e com uma reverência exagerada, o elfo se curvou e disse:

-Sim, Mestre! – abaixou a cabeça e começou a xingar Sirius baixinho – Seu imundo que tem audácia de mandar nessa casa! – e com um estalo desaparatou.

-Elfo idiota! – Sirius continuou.

-Sirius! Não o chame assim! – Hermione alertava – Ele é um ser que sofreu muito na vida...

-Hermione, - disse Sirius se aproximando – eu sou um ser que sofreu muito na vida, não esse elfo que está enfornado até os tufos embolados de cabelos do nariz nas Artes das Trevas! – Hermione abriu um meio sorriso e Rony disse um sonoro ECO!

Quando todos já iam se dispersando, Sirius assumiu mais uma vez sua pose de guia turístico e disse:

-Mais a frente tem a copa, a cozinha e um monte de lixo que o Monstro chama de casa. A casa está meio suja, mas vocês terão o prazer de limpá-la. Maiores informações, 3° patamar, quarto do hipogrifo, n° 12, batam na porta. Espero que vocês tenham uma ótima estadia e ao voltarem pelo corredor, por favor não gritem! Agora me deixe ajudá-los com as bagagens – e com um aceno de varinha as malas subiram escada acima.

-Rony, - Hermione chamava o ruivo – a gente não escreveu pro Harry, ele vai fazer qualquer bobagem sem notícias.

-Tem razão, ele vai pirar... – respondeu o ruivo.

-Então vamos subir e escrever pra ele! – a morena falava, então os dois subiram para escrever a carta.

Rony pegara pergaminho e penas e começou a rabiscar no papel:

“E aí Harry?

Olha não pira não, mas é que você não pode saber, e a gente não pode contar...
Tá muito legal aqui, a Hermione até jogou quadribol... Bom, eu não posso te falar onde a gente tá, porque se você não sabe, não sou eu que vou dizer, mas fica tranqüilo que rapidão você tá com a gente!

Rony”

-Que droga Ron! – Hermione colocava defeito.

-O que tem de errado com a minha carta? – ele perguntava.

-Tudo, você não pode colocar que aqui tá legal e que sabe muita coisa porque se não ele vai se sentir traído e vai querer vir pra cá! – ela dizia sabiamente.

-Então escreve você! – Rony respondia azedo, no que Hermione pegou pergaminho e tinta e começou a escrever freneticamente:

“Caro Harry,
Não podemos dizer muita coisa sobre Você-Sabe-Quem, é óbvio... Nos recomendaram para não dizer nada importante para o caso de nossas cartas se extraviarem... Estamos muito ocupados, mas não posso lhe dar detalhes... Tem muita coisa acontecendo, contaremos quando a gente se vir.

Rony e Hermione”

-Se você já sabia o que escrever pra quê me chamou pra te ajudar? – Rony implicava com a carta.

-Porque você também é amigo do Harry! – ela respondeu.

-A sua carta não ficou tão melhor do que a minha! – ele insistia.

-Olha Rony, eu só queria que você soubesse que eu estava escrevendo uma carta pro Harry, não preciso de ajuda pra isso! – ela perdia a paciência.

-Claro, como eu pude ser tão idiota ao ponto de achar que Hermione Granger, a melhor aluna de todos os anos, precisava da ajuda do grande bosta de dragão do Rony pra fazer uma carta! – ele ironizava.

-Rony! – Mione começava a ficar vermelha – Pra começar, você é que vive se chamando de bosta e eu não disse que precisava de ajuda, disse que queria que você participasse!

-Ah claro, porque eu não sou capaz de escrever pro Harry né Hermione? Porque a minha carta ficou um lixo e a sua ficou perfeita como tudo o que você faz! Srta. Sabe Tudo!

-Ai mas que idiota! – ela se irritara – Quer saber - ela tinha a voz em um filete esganiçado – nada! Nada Rony nada! Não dá pra manter uma conversa civilizada com um grosso igual a você! – e saiu pisando duro.

Os dias iam se passando, e eles limpando a enorme casa, quanto mais eles limpavam, mais parecia que tinha coisas pra limpar, sem contar que Rony e Hermione nem estavam se falando e o máximo que se dirigiam um ao outro era na hora das refeições com coisas do tipo: “Me passe a salada” ou, “pegue o saleiro”.

Em uma tarde enquanto eles limpavam a cozinha, Monstro resolveu aparecer pra atrapalhar tudo, catando coisas e escondendo, ou então sujando o que eles limpavam, Hermione olhou para o elfo e disse educadamente:

-Monstro, para de atrapalhar, a gente está trabalhando aqui!

-Você não manda em mim, sujeitinha de sangue-ruim! – respondeu o elfo com um olhar alucinado.

-VOCÊ CHAMOU ELA DO QUÊ? SEU ELFO ESTÚPIDO! – esbravejou Rony – SOME DAQUI SEU RETARDADO, MONTE DE SEBO AMBULANTE!

-Rony! – Hermione repreendia o ruivo – Não fale assim, ele não está com o juízo perfeito, acho que ele não tem consciência de que podemos ouvi-lo.

-Hermione, esse elfo é um vigarista! Ele está fingindo só porque você é boa demais e tem pena dele!

-Mas Rony... – ela tentava.

-Mas nada! Eu também nem tô conversando com você, então... Olha aqui seu monte de bosta, eu não sou igual a Hermione e não tenho pena de você! – e saiu enxotando o elfo porta afora.

Hermione se limitou a olhar brava para o ruivo e revirar os olhos, bem por mais que estivesse com raiva dele ter frizado que não estava conversando com ela, aquilo era tão Rony, defendê-la mesmo brigado, que ela não tinha do quê retrucar.

Naquela noite, após o jantar, todos foram se deitar, pois estavam exaustos de tanto trabalhar, sem contar que algumas pessoas da Ordem vieram e ficaram para distraí-los como Tonks e Lupin. No meio da noite, Hermione que mal tocara na comida, resolveu descer até as cozinhas para beliscar algo.

Chegando lá, ela viu uma cabeleira ruiva já conhecida sentada de costas para a porta resolveu pregar-lhe uma peça: ela foi pé ante pé, bem devagar sem ser ouvida, até onde Rony estava, então ela chegou perto do ouvido dele e imitou um espírito agourento:

-Roooonyyyy – sussurrou medonha.

-Mas o que? – ele se assustara e começara a ralhar – HERM... – mas ela já havia tapado a boca dele com a mão.

-Shhhhhh! – ela o interrompia – Não grita, a mãe do Sirius lembra? – como ele assentiu ela o soltou.

-Que você está fazendo aqui? – o ruivo indagava.

-Não é óbvio? Procurando comida! – ela disse de mau humor.

-Nossa quanta simpatia!

-Te digo o mesmo!

-Ai Hermione, até agora por causa daquele elfo?

-Não é só por causa daquele elfo, ele é um coitado! Eu realmente não me importo com as ofensas dele! Ele não sabe o que diz e também ele foi educado dessa maneira...

-Hermione, para de ver só o lado bom de tudo, esse elfo não tem nada de bom! Não duvido nada que ele trairia toda a Ordem!

-Ele não pode, está restrito a uma magia muito poderosa...

-Eu sei que ele só obedece ao Sirius, de muita má vontade... Mas chega! Eu não quero falar de Monstros nem elfos nenhum!

Ignorando os comentários e muxoxos de Rony, Hermione pegou algumas bolachas na dispensa e ficaram os dois conversando até que o relógio bateu as 3:00 horas da madrugada.

-Bem, já está tarde né? – Hermione torcia as mãos no colo.

-Tem razão, é melhor a gente ir, porque mamãe não vai deixar a gente dormir até mais tarde... – dizia Ron sonhador.

Os dois subiram as escadas e quando chegaram na parte em que cada um ia para um lado eles se despediram:

-Então, boa noite. – Hermione ia saindo.

-Noite. – o outro respondeu.

Quando dera dois passos, Hermione olhou pra trás, como se quisesse chamar Rony de volta, mas perdeu a coragem e se virou pra frente.

Rony deu alguns passos e resolveu olhar pra trás, mas Hermione ia lá na frente, então ele chamou por ela:

-Hermione...

-O quê? – ela sorria esperançosa.

-Nada, - o ruivo perdeu a coragem. – boa noite.

-Noite. – e Hermione virou-se pra frente e continuou seu caminho, ao ouvir a porta do quarto de Ron se fechar ela refez o seu caminho e quando deu por si já estava na porta do quarto dele. Quando ia tocar na porta, ela parou com a mão no ar e pensou: “Não, melhor não!”

E já estava entrando no quarto que dividia com Gina e fechou a porta, quando do outro extremo do corredor Rony abria a porta e se encaminhava para a porta do quarto de Hermione:

-Sabe, é que... – parou na metade do caminho, ensaiando o que ia dizer e resolveu dar meia volta – melhor ir dormir Ronald... – e entrou no quarto dele.

No outro dia, Molly Weasley acordou todos cedo, pois mais à noite haveria reunião da Ordem, Fred e Jorge já haviam resolvido há séculos o problema deles não ouvirem as reuniões, através das orelhas extensíveis.

Eles estavam agora tirando fadinhas mordentes de uma tapeçaria velha, quando Rony foi mordido e Hermione foi quem foi passar o remédio nele.

O clima entre eles estava muito estranho desde ontem, e o contato das mãos naquele momento parecia mágica, ela já havia cuidado do pequeno corte, mas mesmo assim ambos se olhavam hipnotizados e iam se aproximando lentamente, como se seus corpos não agissem por eles...

A distância ia se tornado uma questão de milímetros... Quando uma coruja entrou pela janela aberta e depositou uma carta no colo de Rony.

-É do Harry? – Hermione perguntava.

Rony examinou o papel e ao ver um Bulgária no remetente, ficou vermelho de raiva e disse ríspido:

-Não, é da Bulgária... Do Vitinho, o seu namoradinho!

-Ele não é meu namoradinho! E não chama ele de Vitinho! – ela implicava.

Rony nem se deu ao trabalho de responder, saiu ventando feito um furacão e sumiu de vista o resto do dia.

Mais a tarde, umas oito horas da noite, eles receberam uma carta de Harry, informando que poderia ser expulso de Hogwarts, que fora atacado por dementadores e quando iriam buscá-lo. Temerosos pelo amigo, esqueceram-se de toda a briga e se juntaram para se preocupar e conspirar várias hipóteses do que estava havendo com Harry


-E foi isso o que houve... – Hermione terminou enigmática.

-Depois diz que não é ciumento! – Lino brincava.

-Então, é aí que eu entro com o Duda dementado! – Harry recomeçava com a mesma história.

-Tá, mas antes eu quero saber o que a Luna trouxe... – disse Gina curiosa.

-Ah... É um... – a loira começou, mas não terminou, pois duas moças adentravam a casa, uma morena muito bonita e a outra loira igualmente bela...

-Oi Angelina, Alícia. – cumprimentou-as Hermione.

N/A: Bom gente, parabéns pra quem chegou até aqui, porque ficou bem grandinho mesmo, não se esqueçam de votar e comentar hein? Ahhh... com o passar do tempo uma nova persongem vai fazer parte dos comentários, e lá pro final da fic, a personagem eu amo ela, porque ela foi baseada em mim e tá na fic da Lara Contos Marotos, se vocês não leram leiam, é ótima! E pra quem quer saber o que houve com os marotos porque no 3° ano do Harry o Lupin menciona eles, leiam a fic da Lara, porque eu tomei minha essa história hehehehe!

Malfeito feito!

Nox

Aparatei

N/E: Legal que ela apaga a luz, desaparata e deixa a gente aqui...
N/S: Autógrafos depois das 10 por favor... Ah e antes que eu me esqueça *terminou fazendo um aceno com a varinha e soltando as cordas da cadeira*
N/L: Ah muito melhor! Bom capítulo muito bom... Li tudo... Adorei
N/E: Ah não faz essa cara, você lê depois... E Além de tudo... Foi simples e justo.
N/S: Bom... Então era isso que vocês ficavam fazendo aqui no Largo não é?
N/E: Não... Na verdade isso tudo é disfarce... É tudo pra ocultar nossas conspirações contra o ministério...
N/S: Ahhh se é isso tudo bem...

Risos

N/E: Então leitores... Comentem... Digam o que acharam...
N/S: Elogiem... É claro que eu não apareci nesse capítulo mas não tem problema lembrar minhas belas qualidades *sorriso galanteador*
N/L: *revira os olhos* Momento propaganda... Leiam Contos Marotos!
N/S: Lá vocês podem ter a honra de ler sobre mim, modestamente perfeito...
N/E: Ah e não azarem caso o capítulo demorar... Eu sei que eu não posso usar magia fora de Hogwarts mas *disse apontando para os dois ao seu lado* eles podem...
Até o próximo capítulo!

*Se aproxima da lareira pega pó de flú e diz alto e claro ‘Hogwarts’*
Dois sons de desaparatação são ouvidos após as chamas verdes sumirem.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.