FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

10. Cap 10


Fic: NC-16 VINGANÇA - Dramione by LandaMS cap 9 e 10 on


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

ATENÇÂO! Cap 9 e 10 não revisados por motivos de força maior.



 


                                Cap 10


 


Hermione estacionou o carro perto do meio fio. Desligou o motor. Desceu do carro e esperou seus ouvidos capitarem o barulho agudo da sineta indicando que os alunos seriam liberados.


Dois minutos depois uma enxurrada de crianças ultrapassavam os portões do colégio particular que Lucas estudava. Era sexta-feira – o dia preferido do garoto e...n/a: o de 99% da população mundial.


_Oi, mãe?


_Oi querido. – Hermione respondeu pegando a mochila do jovem e colocando no banco de trás. Lucas abriu a porta do passageiro. – Como foi o seu dia?


_Meio entediante, mas fora isso... – ele respondeu incompletamente.


Imitando a mulher com o cinto de segurança ele indagou empolgado:


_Vamos passar o final de semana com o Draco?


_Vamos querido. Ele nos convidou para ir a casa de praia dele. O que acha?


_Maneiro. A tia Gina e o Tio Harry também vão?


_Acho que sim querido. E o Brian também vai estar lá se é o que quer saber.


_Legal. Vamos aprender a pegar onda. O Draco disse que vai nos ensinar.


_Eu ainda não disse “sim” a respeito disso.


_Mas eu tenho certeza que a senhora vai deixar. O Draco sempre faz a senhora deixar. Não sei como ele te convence, mas convence.


Hermione não comentou nada a respeito do comentário, mas sabia que ele tinha razão. O loiro, Seu Loiro, sempre a convencia deixar Lucas fazer o que bem entendesse. Foi assim com a ferrari, com o cavalo na fazenda dos Potter e com o skate. Sabia que com o surf seria do mesmo jeito. Ele tinha um poder de persuasão incontrolável e às vezes Hermione sentia-se injustiçada. Bastava que ficassem sozinhos e pronto: Hermione caia em todas as “armadilhas” do corpo de Draco. Um único beijo e ela estava rendida. Se Lucas pedisse para saltar de pára-quedas sem o dito cujo, ela diria sim na hora. Deus! Que controle aquele  homem tinha sobre sua vida que a fazia fazer todas as suas vontades? Ela tinha uma resposta, mas não se atreveria a dizer para o filho de jeito nenhum.


Amor e um sexo gostoso. – O pensamento libertinoso ficou só em sua mente.


Isso, ela guardaria só para si mesma.


Quanto a Lucas, Draco soube como conquistar seu filho no primeiro momento em que se viram. O garoto o via como um segundo pai e Draco parecia sentir o mesmo afeto pelo jovem rapazinho.


Agora sentia que seu filho estava feliz. Ele parecia se sentir abençoado tendo dois pais – embora soubesse que Ronald estava mais presente na vida do filho por causa de Draco. Ronald pareceu enciumar-se do filho com o novo amigo e resolveu se tornar pai. Um pai de verdade.


 


Mae buscando filho na escola...............


 


(***)


 


Hermione observou movimento no jardim da frente da casa de seu namorado.


Desde que abrira seu relacionamento para os amigos, Draco resolvera alugar o apartamento em que morava e comprara uma casa a cinco quarteirões do condomínio que Hermione morava. Decidiram juntos que um relacionamento em que cada um morasse em sua própria casa seria mais saudável. Que um não tiraria a privacidade do outro.


Quando Hermione quisesse vê-lo bastava apenas que entrasse no carro e dirigisse até lá. Mas ela gostava mesmo de passar lá durante suas caminhadas matutinas. Quase nunca conseguia fazer com que ele a acompanhasse, não por que ele não quisesse se exercitar e respirar ar puro, mas era muito mais emociante para ele tirar o ar dela e se exercitar com ela embaixo dele, gemendo seu nome.


_Adoro suas caminhadas matinais até minha casa. – Alfinetou ele para provocá-la enquanto descansava o corpo pós sexo.


_Não são até a sua casa, querido. São para te levar comigo. Mas sempre acabo sendo interrompida – respondeu ela ofegante.


_Eu sempre vou com você, meu amor. Mas fazemos uma caminhada muito mais gostosa.


Hermione abriu os olhos. A imagem a seguir era dele voltando para cima de seu corpo e exigindo um novo orgasmo.


Mas aquilo teria que ser deixado de lado por enquanto. O reboliço na frente da casa era enorme. Gina e Harry carregavam caixas e sacolas para a camionete. Brian brincava com Czar, o cachorro que Hermione dera a Draco no aniversário de um ano de namoro do dois. Lucas desceu do carro e se juntou ao amigo.


Hermione fora até os amigos cumprimentando os dois e perguntando por Draco.


_Ele está na cozinha – respondeu Harry. – Pegando uma loira devassa.


Hermione riu da piada sem a menor vontade. Desde que Harry e Draco se tornaram amigos, eles se juntaram para atormentar os pensamentos de Hermione sobre o passado esquecido do loiro. Só que Harry e o próprio Draco faziam questão de brincar com ela a respeito disso. Ela se lembrou da primeira em que Harry disse que Draco tinha ido saciar a vontade de uma certa senhora que o estava perturbando a horas. Minutos mais tarde, Hermione viria a descobrir que a tal “senhora” era a fome. Piadas infames como essa saiam a cada dois segundos da boca dos dois quando se encontravam.


Ainda bem que Hermione era uma mulher segura de si, e ainda mais segura pela promessa e pelo amor de Draco. Ele prometera nunca mais pisar na agência de acompanhates e vinha cumprindo essa promessa a mais de um ano.


Montara seu próprio negócio com o dinheiro que ganhara durante aquela faze da vida e vinha aumentando ainda mais sua fortuna com o negócio de aluguel de carros importados.


Que diga-se de passagem fora ideia de Lucas no dia em que levou o garoto para dirigir na sua ferrari.


Draco estava enfiado com a cabeça dentro da geladeira quando Hermione o encontrou.


 Ele parecia indeciso.


_Escondeu a loira devassa no freezer? – Hermione estava sendo sarcástica de um modo brincalhão.


Mas para Draco soou tão sério a voz dela chegando em seus ouvidos que o susto foi grande.


_Amor? Que susto. Quer me matar do coração? – Perguntou ele indignado,


_Desculpe. Não foi minha intensão, mas Harry disse que você estava com uma loira na cozinha.


Draco sorriu para ela e se aproximou abraçando-a pela cintura. Sabia que Harry falaria alguma besteira a respeito da cerveja. Resolveu entrar na brincadeira.


_Ciúmes?


_Se enxerga Malfoy. Eu sou Hermione Granger, não tenho ciúmes de você.


Ela continuou encarando-o séria. Ele ainda sorria.


Era mentira. Ela sabia. Ele sabia. Hermione sentia ciúmes sim, como todo casal normal. Mas Hermione tinha consciência da brincadeira. Mas resolveu se ater a ela de modo mais profissional.


_Então? Onde escondeu a loira? – Perguntou só para alfinetar.


_Não sei... Quem sabe você não queira procurar... Dentro da minha roupa. – A voz maliciosa entrou em seus ouvidos arrepiando todo o corpo da mulher.


Hermione quase se boquiabriu. Ele estava realmente insinuando que ela o despisse ali na cozinha?


 


_Sabe que se eu começar não conseguirei parar, não é?


_Essa é a intenção.


E então a beijou profundamente.


As mãos fortes deslisaram por todo o corpo da mulher de forma libidinosa. Enquanto suas mãos delicadas apoiavam-se no balcão.


A mão de Draco embrenhou-se por debaixo da blusa dela e quando estavam a um centímetro de tocar a armação do bojo do sutiã ouviram um pigarro bem alto que os fez parar imediatamente.


_Ahãm! Acho que deviam guardar todo esse fogo para quando estivessem sozinhos.


Hermione não sabia onde enfiar a cara de tanta vergonha.


Esquecera-se completamente de todo mundo e ver Harry parado embaixo do portal segurando uma caixa térmica a trouxe de volta a realidade.


Em alguns minutos estariam pegando a estrada para passar o final de semana na praia.


Muito sem graça Hermione se desvencilhou do namorado e caminhou na direção do amigo.


_Vou ver se Gina precisa da minha ajuda.


_Vai lá...


Draco continuou parado no mesmo lugar.


Quando Hermione sumiu de vista Harry se aproximou do amigo.


_Tome cuidado Draco. Temos crianças por perto, já pensou se fosse uma delas?


_Tem razão. Me desculpe. Mas você sabe que Hermione me enlouquece.


_Sei.Você já me confidenciou isso mais de mil vezes. Mas só estou avisando para que seja mais cauteloso.


Harry foi breve com o sermão porque ele mesmo se sentia assim em relação a esposa.


_Ok. Vou me lembrar disso.


 


(***)


 


Draco tinha Hermione envolvida nos braços e a cabeça dela descansava gostosamente em seu peito. Os cachos castanhos exalavam o cheiro cítrico característico dos cosméticos que ela costumava usar.


Aspirou-os mais profundamente dessa vez.


Era um suspiro apaixonado.


Hermione se mexeu virando a cabeça para olhá-lo.


Ele se surpreendeu, pois imaginava que ela dormia tranquilamente.


_Ainda acordado?


Ele sorriu.


_Estava esperando você se mexer para que eu pudesse levantar. Preciso ir ao banheiro.


_Desculpe. – Disse ela se afastando do calor do corpo dele. – Mas é que você é um ótimo travesseiro.


Ele riu nasalado enquanto se levantava e a deixava enrolada nos lençóis.


_Volto logo dorminhoca.


Hermione sorriu enquanto observava aquela delicia de homem caminhar até o banheiro do outro lado quarto.


Ela encostou a cabeça no colchão e pensou.


Pensou em como sua vida havia mudado tanto no último ano. Planejara se vingar do ex-marido e acabara conhecendo um novo amor.


Se naquela época ela tivesse deixado as coisas do jeito que estavam, ela jamais estaria feliz. Talvez tentasse demonstrar para Lucas que nada de ruim estivesse acontecendo e que  ele apenas seria suficiente para a sua felicidade, Entretanto, bem lá no fundo saberia que não era. Então Draco aparecera para iluminar seu caminho escuro e tempestuoso.


O homem dentro daquele banheiro lhe trouxera a paz de espírito e renovara seu amor pela vida. Aquele homem, o loiro atrás daquela porta, transformou sua vida para melhor e ela devia muito à ele por isso.


O sorriso veio acompanhado por uma mordida de lábios incerta.


Levantou-se.


 


(***)


 


A água caia cristalina da torneira direto nas mãos másculas.


Enquanto fazia a higiene séptica, Draco imaginava como sua vida havia mudado tanto em apenas um ano?


Era pouco tempo para uma mudança tão drástica. Em um ano uma cliente que o contratara apenas por uma semana, virara sua vida de pernas para o ar e tornara-se sua “cliente” permanente. Abandonara a carreira de acompanhante. Abrira um negócio, se afeiçoara a uma criança que não tinha seu sangue e ganhara amigos fortes e verdadeiros.


E agora estavam todos ali em sua casa de praia, relaxando de uma semana estressante na cidade.


Erguera o olhar e vira pelo enorme espelho no mesmo momento em que a porta se abrira para vislumbrar uma mulher deslumbrante entrar com toda intimidade em seu banheiro.


_Ainda está ocupado, madame.


Draco e outra de suas piadinhas. – Pensou Hermione resolvendo entrar na brincadeira.


_Eu sei digníssimo senhor. Mas o que tenho para fazer é de extrema urgência e não posso esperar.


Aquilo atiçara a curiosidade do loiro. Este se virou permanecendo encostado a bancada da pia.


Olhou melhor para ela. Hermione estava enrolada no lençol branco. Hermione ficava linda de branco. Parecia uma noiva.


_O sanitário fica a sua esquerda – alfinetou ele.


_Minha necessidade é outra senhor.


Draco olhou com satisfação para ela. Hermione caminhava em sua direção toda maliciosa. O lençol ficou no meio do caminho.


Hermione levou – uma de cada lado – as mãos para a cintura dele.


Draco olhou pra baixo e um ar de pura excitação invadiu seu corpo.


Hermione estava completamente nua e demonstrava sinais de desejo também. Seus seios estavam tão arrepiados que ele imaginou que se os tocasse, ela gritaria de dor.


Temendo tocá-los, suas mãos puxaram-na pela cintura para mais perto.


Ela gemeu quando eles tocaram o peito nu dele e ele interpretou aquilo como um sinal para beijá-la.


 Hermione se entregou completamente. Suas línguas se entregaram numa dança sensual e ritmada a qual eles não fizeram questão nenhuma de parar.


As mãos de Draco passearam pelas costas e bumbum dela de forma lenta e sensual.


Hermione por outro lado buscou outros pontos do corpo dele para beijar.


Desceu pelo pescoço, mordeu a clavícula alcançou o peito e pulou para a barriga, mas Draco sabia onde ela queria chegar e quando viu que ela já se ajoelhava, o loiro a impediu.


Hermione olhou um pouco desconcertada e frustrada ao mesmo tempo para ele.


_Você não quer? – Ele percebeu o desapontamento na voz dela.


_É claro que eu quero. Com você eu quero tudo. Mas podemos fazer enquanto tomamos banho?


Hermione mordeu o lábio e sorriu ao mesmo tempo. Tomou ela mesma a iniciativa de puxá-lo pela mão para dentro do box do chuveiro.


A água escorreu morna direto para o chão frio. Nenhum dos dois se molhou pois estavam em um beijo frenético.


Aos poucos Draco foi empurrando Hermione para debaixo do chuveiro. Ela se encolheu ao receber o jato de água nas costas e Draco aproveitou para beijar-lhe o pescoço molhado.


Ela desceu a mão para a virilha dele e massageou-o por cima da bermuda de malha azul.


Draco gemeu e acabou se afastando do corpo dela.


_Vai me fazer gozar antes da hora, meu amor.


_Não antes de te devorar todinho... – Provocou fitando profundamente os olhos dele.


Malfoy recebeu o beijo sem reclamar.


Quando Hermione o soltou ela buscou o sabonete líquido na prateleira do banheiro. Encheu uma das mãos com o líquido e o levou para dentro da bermuda do namorado.


Draco gemeu ao mesmo tempo que soltava o pescoço dela e olhava a pequena travessura da mulher.


A água deslizava pelo braço de Hermione indo parar direto nos movimentos da sua mão ensaboada.


_Sua diabinha travessa. – Beijou-a


No entanto, o beijo foi curto, pois Hermione ainda queria se aventurar ali embaixo. Pulou as partes em que descobria o corpo dele com a boca e se ajoelhou de uma vez.


A água continuava batendo em seu corpo só que agora de forma mais espalhada.


Draco já se encontrava todo molhado também.


Atrevida como estava sendo, ela puxou a bermuda dele desesperadamente para baixo, não encontrando nenhuma resistência por parte do loiro.


Viu com satisfação á água morna levar a espuma que havia feito pelo ralo e sem delongas começou a fazer o que tanto ansiava desde que entrou no banheiro.


A primeira lambida fez com que Draco segurasse o grito, mas ter a boca dela envolvendo todo seu órgão sexual, foi prazeroso demais para segurar qualquer som que seu corpo quisesse liberar.


Uma das mãos segurou os perfumados cabelos, enquanto a outra se apoiava na parede ajudando ela a encontrar um ritmo satisfatório para ele.


Em certo momento ela quase o engoliu e ele teve que obrigá-la a parar.


Hermione tossiu um pouco e continuou o movimento com a mão enquanto ele a erguia do chão.


A água caiu em seu rosto lavando a saliva de seu queixo. Ela passou a mão no rosto, tirando do caminho mechas de cabelos grudadas e recebeu o beijo dele de bom grado.


Minutos se passaram, ou foram horas? E ambos ainda continuavam explorando o corpo um do outro.


Quando Draco posicionou o corpo dela de costas para ele, Hermione se agarrou ao registro do chuveiro esperando a invasão, mas esta não aconteceu de imediato.


Primeiro ele a beijou por toda a extenção das costas. Deixou duas mordidas dolorosas: uma na omoplata esquerda e outra na parte lateral da cintura direita. Um beijo extremamente libertinoso em sua marca de nascença em formato de coração acima da nádega direita, e outra mordida que também ficaria roxa mais tarde na curva de seu pescoço.


_Você é ainda mais gostosa quando está toda molhada.


Hermione não sabia exatamente ao o que ele se referia, mas sequer teve tempo de continuar a processar a frase, pois uma onda crescente de prazer a tomou por completo, quando sentiu ele lhe preencher.


O banheiro foi inundado por movimentos e barulhos que só um casal em completa sintonia na hora de amar é capaz de fazer.


O chuveiro fora desligado em algum momento e ambos só sentiam as gotículas de vapor se misturarem ao suor de seus corpos ainda insaciados.


Draco a virou de frente e a tirou do solo, usando a parede como apoio. Agora tinha a boca dela ao seu alcance para saborear.


Hermione queria ajudá-lo, mas ele mantinha seu corpo tão firme à parede que tinha que se contentar em agarrá-lo pelo pescoço, puxar sua cabeça para alguns beijos e receber as investidas – ora frenéticas, ora lentas e torturantes – entre suas coxas.


_Mais rápido, amor. – Implorou ela quase alcançando o clímax.


Ele desobedeceu. Diminuiu o ritmo fazendo ela gemer agoniada.


_Assim? – Provocou ele.


Ela gemeu mais ainda.


_Ou você prefere assim?...


Hermione sequer pode argumentar. Draco se retirou de dentro dela com uma lentidão calculada e quando voltou, voltou com toda força que sabia existir em seu corpo por várias vezes.


Hermione se esticou  entre os braços dele e suas unhas cravaram-se em seus ombros.


Ela havia gozado mais profundamente do que todas as outras vezes. Estrelas pipocavam embaixo de suas palpebras, e elas só almentaram quando sentiu jatos fortes banharem seu canal úmido e quente.


Draco alcançara seu prazer ao mesmo tempo que ela.


A cabeça dele descansou em seu ombro, enquanto as pernas dela voltaram a tocar o solo.


Os corpos embebidos em prazer ainda continuavam abraçados, enquanto suas bocas se exploravam.


_Eu te amo.


_Eu também te amo. – Respondeu olhando profundamente os olhos dele.


Selou seus lábios.


Draco ligou o chuveiro fazendo ela rir quando a água caiu em suas cabeças.


Durante mais duas horas eles permaneceram no banheiro. Usaram a banheira para trocar beijos e carinhos e o balcão da pia para saciarem mais uma vez seu corpos.


 


(***)


 


Quando amanheceu, o sol entrou pela janela trazendo um domingo lindo e cheio de belezas naturais que era aquele lugar, mas o casal na cama estava mais interessado em saciar as vontades carnais do que aproveitar o dia.


Hermione perdera a conta de quantas vezes fizeram, mas e daí? Quem estava contando?


Suas mãos agarraram as grades da cabeceira quando um espasmo violento atingiu seu quadril, mas o peso das mãos dele, não deixaram que ela se movesse muito, permitindo assim que ele continuasse com a cabeça entre as coxas roliças e torneadas.


_Draco... hã... Por favor...


Ele a torturaria mais um pouquinho, assim como ela o havia torturado minutos atrás, e só então deixaria que ela encontrasse o céu.


_Só mais um pouco, minha princesa. – Sibilou ele depois de projetar-se diante do rosto afogueado dela. – Eu prometo.


Ele sorriu cruelmente e deslisou como uma serpente, parando apenas para abaixar a alça do babydool que ela usava e sugar com força o bico do seio esquerdo dela.


Ele afastou novamente sua calcinha e usou e abusou do poder que tinha naquele momento.


 


Hermione voltou a gemer e a se contorcer feito louca.


Mordeu alguns dedos da própria mão, descarregando neles as correntes elétricas. Os choques desencadeavam do centro de seu ventre e se espalhavam por cada molécula do seu delicado corpo.


Ele tinha uma língua mágica. Só podia. Para provocar isso tudo nela. Era a explicação mais lógica.


Se um ano atrás perguntassem o que ela esperava de um homem na cama, ela saberia exatamente o que dizer. Mas hoje, um ano depois, a única certeza que ela teria, era que queria que Draco estivesse na cama com ela sempre.


 Ela jamais conhecera homem mais criativo para o sexo. Ele sempre tinha um truque ou outro que a fazia implorar por mais.


 Outro espasmo dominou seu corpo e dessa vez, nem ela e nem Draco que parecia estar comandando muito bem aquela operação prazerosa, conseguiram conter o orgasmo que ela atingiu.


Hermione elevou a coluna, formando um arco perfeito e Draco viu com satisfação ela se aconchegar ao colchão enquanto sua respiração e a tremedeira que invadira seu corpo voltarem do paraíso onde estavam.


Ele deitou-se ao lado dela e a observou dos pés a cabeça.


O corpo dela era perfeito. A tanga, apesar de pequena, encaixava-se perfeitamente ao seu quadril, a blusinha do babydool, parecia ter sido feita sob o molde do seu dorso, o bojo fora realmente elaborado para acomodar simetricamente seu seio redondo e empinado.


Hermione era como as roupas que ela usava. Feita sob medida para ele. E só de imaginar de como ela se encaixava em seu corpo com perfeição uma onda de desejo e paixão  o dominava .


_Gostou princesa? – O tom provocador fez ela abrir os olhos.


_Você sabe que sim. Mas isso vai ter volta. Prometo.


_Que bom. Quem sabe depois do almoço você cumpre sua promessa.


_Nós ainda nem tomamos café e você já está pensando no almoço? – Alfinetou ela. Sabia que o namorado era bom de garfo, mas aí já era demais.


_Na verdade, eu já estou pensando no lanche da tarde...


Ele deixou a frase inacabada e apontou para ela o rádio relógio em cima do criado mudo.


Hermione arregalou os olhos quando viu que horas eram.


_Céus! – Ela se sentou. – Já são quase uma da tarde e nós não saímos desse quarto desde ontem a noite.


_Se eu pudesse viveria com você em um quarto – ele a abraçou e beijou-lhe o ombro. – De preferência em cima da cama.


_Agora não Draco. Lucas deve estar perguntando por mim a horas. Gina, Harry... Todos.


 _Relaxa, Mi. Pedi ao Harry ontem que levasse todos para conhecerem o vilarejo hoje de manhã. Estamos só nós dois aqui.


Ela já havia se levantado e vestia o shortinho do conjunto. Seu corpo protestou um pouco pela longa noite de exercícios.  E por ter dormido pouco, mas respirou fundo e continuou.


_Como pode ficar calmo numa situação como esta? Gina deve estar imaginando coisas terríveis de mim.


_Sério – ele se aconchegou nos travesseiros vendo ela andar pelo quarto a procura de seus chinelos – como o que, por exemplo?


Aquilo soou engraçado apenas para ele.


_Ora Draco. Ela deve estar pensando coisas absurdas a meu respeito...


Ela queria que ele entendesse de uma vez, mas Draco parecia se divertir vendo ela corar violentamente.


_Você ainda não me disse o que exatamente princesa.


Ela parou o que estava fazendo e olhou para ele indignada. Ele não podia estar falando sério. Ele queria mesmo que ela enumerasse os pensamentos de Gina Potter?


_Vai me dizer ou não.


Ok. Ele havia vencido.


_Ora, ela deve... – não conseguiu olhar para ele enquanto as palavras saiam de sua boca. – Ela deve estar sussurrando nos ouvidos de Harry o que eu devo estar fazendo até agora trancada com meu namorado no quarto da casa de praia dele. E que eu devo ser uma ninfomaníaca e que te deixei prostrado e...


 Ela parou de falar no ato. Mas não porque ficou envergonhada mais do que já estava e sim porque escutou a risada de Draco embrenhar por cada canto do quarto.


_Qual é a graça, Malfoy? –Perguntou nervosa. – Do que está rindo?


Ele se acalmou.


_Que de certa forma ela tem razão. Você me saiu uma linda ninfomaníaca essa noite.


A boca de Hermione se abriu.


_Está concordando com ela? – Draco apenas se virou quando um chinelo voou em sua direção, acertando a cabeceira da cama. Hermione tinha péssima pontaria.


_Estou. E você também tem que concordar. Afinal, estamos acordados desde as duas horas da manhã nos amando loucamente.


_Foi você quem começou. Eu estava dormindo...


Agora era Draco quem não acreditava. Sua princesinha estava acusando-o de mantê-la presa no quarto. Ele se zangou.


_Eu comecei, uma ova – agora foi a vez dele ficar de pé e se aproximar. – Foi você que entrou no banheiro enrolada com o lençol.


_Eu não estava pensando coerentemente – defendeu-se ela.


_Pensando coerentemente? Pensando coerentemente? Pelo contrário, você estava agindo, isso sim.


Agora ele estava tão perto que Hermione podia sentir o calor do peito nu dele ir de encontro ao seu corpo.


_Eu não tinha controle sobre meu corpo. Você me faz fazer coisas impróprias. E eu não gostaria de estar sentindo o que tenho sentido nesse último ano. Deus! Eu tenho um filho que precisa dos meus cuidados de mãe. E o que eu tenho feito? Me trancado num quarto me passando por uma pessoa que eu nunca fui, nem quando era casada. Sabe Malfoy?  Talvez nosso envolvimento tenha sido um erro... Talvez meu coração tenha se enganado ao se apaixonar por você. E não deveria...


Draco não deixou que ela terminasse a torrente de asneiras que sua deliciosa boca despejava em cima dele. No auge de sua raiva ele a tomou no braços e a beijou, como nunca havia beijado antes.


Hermione nada pode fazer para impedir, pois o beijo fora uma grande surpresa.


Quando ele a soltou Hermione sequer lembrava porque estavam brigando.


Era sempre assim: sempre que brigavam o desejo parecia inflamar dentro deles e eles acabavam resolvendo suas diferenças em cima da cama, entre os lençóis.


Eles estavam deitados abraçadinhos. Os corpos nus se tocando.


_Prometa que nunca mais vamos brigar de novo.


Não houve esitação na resposta dela.


_Eu prometo.


_Eu te amo.


_Eu também te amo.


Ele a beijou de novo, e de novo, e de novo...


Quando Hermione se deu conta ela estava embaixo dele novamente, gritando seu nome em em meio a gemidos ensandecidos.


 


(***)

Quando Hermione decididamente impôs que ambos saíssem da cama, já era quase quatro horas da tarde.


Estavam ambos comendo um sanduíche na cozinha, quando a casa se encheu de barulho. Lucas e Brian vinha carregando duas sacolas cada um e usavam um chapéu de pescador.


_Olha mãe. Olha o que tio Harry comprou pra gente. – Gesticulou apontando para o chapéu.


_É lindo meu amor.


_Eu trouxe um para a senhora também.


_ É mesmo? E onde está?


Lucas tirou da sacola maior um lindo chapéu de palha, todo trabalhado com conchas, fitas de cetim e pedrarias turquesas.


_Oh! Que lindo! Obrigada meu anjo.


_Tia Gina que escolheu. Ela disse que você ia gostar.


_E eu gostei mesmo. Obrigada.  Agora vão... Vão arrumar suas coisas. Vamos para casa em breve.


_Aaaahh, mãããeee! Mas já. – Resmungou o garotinho. – Aqui está tão legal.


_Eu sei meu bem. Mas amanhã temos muitas coisas para fazer. Você tem aula – Hermione ignorou o “coisa chata” que o filho falou – e não posso faltar a reunião de condomínio.


_Você não pode ir nessa reunião outro dia? E eu não posso faltar na aula amanhã? Daí podemos ficar aqui, e o Draco leva a gente pra surfar de novo.


Hermione olhou para o loiro e este lhe fez uma careta de agrado dizendo que por ele tudo bem.


Hermione sabia que se ficasse mais um dia ali ficaria na cama de novo o dia todo.


_De jeito nenhum. Agora vá. Vai arrumar suas coisas.


Os dois garotos saíram emburrados e resmungando algo incompreensível.


_Esses meninos viu?


_Eu era um pouco parecido. – Comentou Harry. – Meu pai sempre conseguia me convencer a fazer o que ele queria.


_Agora é Gina quem consegue? – Alfinetou Draco fazendo as mulheres rirem.


_Até parece que sou o único. – Draco engoliu o sorriso.


Hermione parou de rir na hora e virou o rosto para que não percebessem seu constrangimento.


Gina ainda continuou sorrindo.


_Confesso que Hermione tem um jeitinho bem especial de me convencer.


_Draco, por favor... – Hermione olhou para ele com o rosto em brasa. – Não precisa ser tão explicito.


Hermione se arrependeu do que disse, principalmente por ter dado margem a um novo comentário malicioso.


_Você sabe que faria com você agora mesmo, se a casa estivesse vazia, não sabe?


_Não seja por isso, Harry e eu pegaremos as crianças e...


_Ora Gina. Não seja boba. Ele só está brincando, não é mesmo?


Draco ficou calado. Mas Hermione sabia que ele a devorava com o olhar.


Gina e Harry perceberam o clima e se entreolharam cúmplices.


Hermione não sabia onde enfiar a cara e por um momento o chapéu em suas mãos parecia por demais interessante.


_Bom, já que não vamos sair eu vou subir e começar a arrumar as malas.


_Eu vou com você. – Prontificou-se Hermione indo na frente. Gina apenas olhou para os dois homens e a seguiu.


 


(***)


 


_E então? Se divertiu?


Hermione ficou calada.


Gina sorriu.


_Quer saber? Não precisa me contar. Essa marca aí no seu pescoço me diz que você se divertiu bastante.


Hermione levou instintivamente a mão ao seu pescoço. Sabia que não podia deixar seu filho ver aquilo ou a encheria de perguntas.


Parou em frente ao espelho e olhou a marca avermelhada.


Teria que trocar de blusa. A mancha estava com um aspecto muito forte para que pudesse esconder com maquiagem. Ainda bem que Lucas não vira.


Gina pareceu ler os pensamentos da amiga.


_Tome. Vista essa aqui. Tem gola alta.


Gina entregou-lhe uma blusa que havia acabado de colocar na mala.


_Obrigada. Quando chegarmos em casa eu te devolvo.


_Não se preocupe. Tenho muitas. Sempre as uso quando Harry fica muito “intenso”. – Gina riu vendo Hermione fazer uma careta de compreensão.


Hermione trocou a blusa e depois de dez minutos desceu com a amiga e com as malas.


_Estamos prontas.


_Draco está colocando as caixas de isopor na caminhonete. – Respondeu Harry carregando uma sacola de lixo da cozinha.


_Lucas?, Brian?. Vamos crianças.


As duas crianças saíram correndo com Czar pela porta da cozinha e Gina acompanhou Harry para fora também.


Hermione deu uma última conferida no local para ver se não estava esquecendo nada. Quando se virou viu Draco vindo em sua direção.


_Pegamos tudo?


_Acredito que sim.


_Vamos então?


Ela balançou a cabeça afirmativamente.


Draco abriu um sorriso e a beijou. O beijo foi carinhoso e apaixonado.


_Eu te amo. – O loiro confidenciou mais uma vez.


_Eu também te amo.


Trocaram mais um selinho.


Escutaram um buzina de carro.


_Deve ser o Lucas. – Sorriu ela quando ele pretendia aprofundar o beijo.


_Garoto ciumento.


_Protetor.


_Ciumento – contra argumentou ele.


Ela gargalhou baixo e deu mais um selinho no namorado.


_Vamos antes que venham nos arrastar.


Draco olhou pela porta. Lucas estava pronto para apertar a buzina de novo.


Puxou Hermione pela mão para fora da casa.


Ela se dirigiu para a caminhonete enquanto Harry dava a ré no próprio carro.


Draco ficou para trás. Trancou a porta e foi sentar atrás do volante.


Deu a partida no motor e foi seguindo Harry pela rua de cascalho até a BR principal.


Cruzaram com vários outros carros que vinham e iam. Enquanto se afastavam da casa podiam ver as ondas calmas quebrarem na areia da praia ao longe.


No horizonte o pôr-do-sol guiava o caminho das duas famílias até seus destinos.


 


Por do sol no mar


 


Fim.


 


Eu sei, eu sei. Disse que ia postar o cap no final de semana, mas houve um gigantesco imprevisto aqui em casa e tive que adiar para hoje. Mas como diz o velho ditado: antes tarde do que nunca...


Espero que tenham gostado e que  continuem acompanhando minhas outras fic's. Agora vou me dedicar a Suíte Nupcial. Obrigada a todos que leram e comentaram. Seu incentivo vem em forma de palavras, e nós autoras temos mais  é que agradecer.


Obrigada mesmo. Ah! Já ia me esquecendo no tempo em que fiquei sem pc eu escrevi uma drablle numa folha de caderno, acabei de postar. Quem ficou interessado aí vai o link.




 http://fanfic.potterish.com/menufic.php?id=46227

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 8

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Ana Paula da Silva Lima em 16/03/2014

Perfeita esta fic

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Landa MS em 06/02/2014

Oh, Dani. Obrigada pelo apoio, 

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Daniela Pinto em 05/02/2014

Gostei muito dessa fic tambem, finalmente acabei de ler! :)
logo volto pra mais..
bj
dani 

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Landa MS em 27/12/2013

Respondendo todas de um vez. Um beijo enorme pra voces queridas. Obrigada mesmo pelo apoio.

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Anne Lizzy Bastos em 26/12/2013

Adorei sua fic, muito boa! Pena que não solbemos o que aconteceu com o Rony e a Pansy.
Ameei!!!! Serio mesmo.

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Aylane Cristina Macedo em 15/12/2013

Ah, q linda!!! Amei a fic, parabéns!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Diênifer Santos Granger em 09/12/2013

Aaaaaah! Chorei muito! Podia fazer um epígolo! Algo com o Lucas mais velho e chamando o Draco de pai, eles casados e os Potter tendo mais um filho! Essas coisas! Eu ia amar! Muuuito! Adorei sua fic e espero que passa na minha. Não deve chegar nem aos pés da sua! kkk
É Scórpius e Rose, mas o intuito é mesmo! kkkk
Beijos e Parabéns! 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por M R C em 09/12/2013

parabéns landinha.
ficou ótima essa fic.
bem sensual.
esse draco é uma maquina do sexo ! hahahahhaha

mas confesso que to ansiosa mesmo pra suite nupciallll !!!!!!!!!!!!
ebaaaa o/ não vejo a hora de ver a atualização =]

beijos da leitora fiel

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.