FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

8. CAp 8


Fic: NC-16 VINGANÇA - Dramione by LandaMS cap 9 e 10 on


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

                                                                OITO


 


Ele sorriu ao vê-la e sentiu que seu sangue correu mais rápido nas veias. Seu cérebro estava liberando endorfina e aquilo o fez se sentir nas nuvens.


_Draco... Eu não o esperava esta noite...


 Entretanto, Hermione foi impedida de continuar falando.


Pega de surpresa, ela nem o viu se aproximar.


Draco empurrou um pouco mais a porta e atravessou o portal, puxando o corpo de Hermione de encontro ao seu pela cintura fina e delgada. Cobriu a boca dela com seus lábios e aprofundou o beijo de maneira lasciva.


Hermione resfolegou e se entregou ao beijo surpresa de maneira a se abandonar literalmente nos braços dele.


Draco a abraçou como se ela fosse sua única fonte de sobrevivência em meio ao oceano.


Quando o pulmão de ambos exigiu por ar Hermione foi a única que quis parar o beijo por alguns instantes para poder respirar. Draco, por outro lado começou a beijar outras partes do corpo dela como: pescoço e ombros.


 Sem perceber ela já estava com as costas contra a porta de carvalho. Nem notara quando ele a fechou.


_Por favor, precisamos conversar...


_Agora não... Preciso de você – ele beijou a boca dela de novo antes de continuar – dos seus beijos, do seu corpo – ele a apertou entre os braços e Hermione pode sentir a ereção dele sob a calça jeans.


Enquanto pensava, Draco agia.


Sem esperar ele a beijou de novo e aquilo foi o suficiente para Hermione se perder.


E ela tinha que admitir, se perder nos braços de Draco Malfoy, era se encontrar no paraíso.


Ele era tão viril, tão forte, sensual, que bastava um olhar para que ela se derretesse. E tinha que confessar que o modo como ele exigia que ela abrisse a boca para colocar sua língua dentro da dela era deliberadamente indecente. Mas ela adorava e continuava a aceitar o que quer que fosse que ele tivesse em mente.


Com um misto de surpresa ela se viu erguida do solo e carregada escada acima.


Draco subira pelas escadas com ela no colo sem nem mesmo olhar para onde ia. Quando percebera já estavam no quarto de Hermione.


Com ajuda dela abriram e fecharam a porta do quarto.


Enquanto roubava outro beijo, Draco os levou para a cama. Depositou-a com cuidado no colchão e se deitou por cima. Olhou por alguns segundos para o rosto acetinado e comprovou isso passando as costas da mão pelo rosto delicado. Ela ficava ainda mais bonita sem maquiagem.


 _Você é tão linda. – Sussurrou próximo ao rosto dela.


 Hermione sorriu envergonhada.


_E você um exagerado.


 Ele ergueu as sobrancelhas em divertimento e riu também.


_Só digo a verdade.


Hermione suspirou e aquilo foi mais apaixonado do que Draco podia esperar. Estava acostumado a dar prazer às mulheres e vê-las suspirarem de desejo, mas nenhuma vez aquilo significava paixão, no entanto o que Hermione acabara de fazer o levou a outro patamar dos seus sentimentos.


 Enquanto se encaravam suas mentes fervilhavam de pensamentos.


Hermione tinha dúvidas se deveria dizer o que sentia, afinal de contas ela o havia contratado para se vingar do ex-marido. E de certa forma conseguira seu objetivo. Não saíra do jeito que esperava, mas agora poderia se considerar uma mulher livre. Mas por outro lado, se via nessa encruzilhada entre seguir a razão e o coração.


O que ela mais temia era de revelar seus sentimentos e depois se decepcionar com o que ele lhe dissesse.


Não queria ter o coração machucado novamente, afinal Ronald o havia esfaqueado durante todos esses anos.


Pensar naquilo fez com que seus olhos se enchessem de lágrimas e uma dor aguda no peito aflorasse.


 Virou a cabeça para o lado e deixou que as lágrimas escorressem sem medo.


 Draco se preocupou na hora.


_Ei, o que foi? Por que está chorando?


 Hermione enxugou algumas lágrimas enquanto outras continuavam descendo. Empurrou o peito indicando que ele se erguesse de cima dela e ele prontamente obedeceu mais intrigado do que nunca.


Ela sentou-se na cama pondo os pés ainda calçados em cima do tapete sintético.


Não ousou olhar para ele, pois isso causaria uma crise ainda maior de lágrimas.


Draco ficou um pouco perdido, meio que sem saber o que fazer.


Hermione enxugou algumas outras lágrimas teimosas que continuavam escorrendo por seu rosto.


_Precisamos conversar.


_Também acho – concordou ele aproximando o corpo das costas dela e depositando um beijo sedutor em seu ombro. Com os dedos afastou-lhe os cabelos para que sua boca pudesse percorrer a curva até a orelha dela.


Hermione suspiro com a carícia sedutora. Ela segurou a barra do vestido que usava e a apertou forte entre os dedos.


Era difícil não se deixar levar pela forma carinhosa com que ele a tratava.


_Adoro sentir a sua pele em contato com a minha boca. – Sussurrou ousadamente vendo com satisfação os pelinhos da nuca dela se eriçarem todos.


Ela também gostava quando ele lhe beijava de maneira provocativa, mas ela não sabia ao certo até que ponto ele continuaria fazendo aquilo depois que a conversa deles terminassem.


_Por favor, Draco. Precisamos esclarecer algumas coisas...


_Não podemos deixar para depois, quero sentir você, fazer amor com você...


Hermione se sentiu ruborizar. Nenhum dos seus antigos namorados foram tão diretos quanto ele estava sendo naquele momento. Nem mesmo Ronald que fora seu marido por dez anos.


Ela recebeu outro beijo no pescoço e aquilo pareceu funcionar como um choque elétrico.


Mas ela não podia deixar o desejo sobrepor à razão naquele momento. Tinha que falar com ele, afinal faltavam menos de vinte e quatro horas para que o contrato dela acabasse e com certeza ele sumiria de sua vida.


Levantou-se da cama e caminhou para longe dele.


Draco franziu o cara, mas Hermione não viu porque ainda continuava de costas para ele como no dia anterior em que ela dissera que parecia estar se apaixonando por ele.


_Eu acho que você vai me achar uma tola depois do que tenho para lhe dizer, mas eu juro que não consegui evitar. – Ela se virou para ele. – Não sei como fui me envolver dessa maneira, era para serem encontros casuais, uma forma de me vingar do meu ex, mas você agiu tão diferente de todos que quando eu percebi já havia acontecido. – Hermione sequer mediu as conseqüências de suas palavras. Ela só queria por para fora tudo o que estava sentindo. - Quando o contratei, queria uma pessoa que fizesse eu me sentir desejada, mas acima de tudo queria fazer com que meu marido recebesse o castigo que sempre mereceu e me desse o divórcio. Mas você fez tudo que esteve ao seu alcance para me cortejar da maneira que você achou que devia. Ontem, antes de aquilo tudo acontecer e eu desmaiar na cozinha eu senti uma coisa diferente emanar de você. Achei estar enganada e quando você saiu eu me senti vazia como se uma parte de mim estivesse ido embora no momento em que você bateu a porta. Quando te vi na frente da minha porta hoje, meu coração pareceu encher-se de uma felicidade sem tamanho. Eu queria gritar, chorar, rir, te beijar até o ar acabar e sentir que você nunca mais iria me deixar...  O tempo pareceu parar e a respiração me pareceu insignificante perto da emoção que eu estava sentindo. Ainda estou... Eu... eu...


Quando ela começou a gaguejar, Hermione sabia que não conseguiria terminar a frase, não porque não quisesse, mas porque o choro a havia acometido outra vez. No entanto mais forte.


Draco já havia sentido o amor antes, mas ele tinha a total certeza de que esse amor, o amor daquela mulher a sua frente era muito mais forte do que a jovem que ele tinha gostado no passado. E ouvir Hermione desabafar daquela maneira tão sincera o fez desejar ainda mais se declarar, afinal ela estava se declarando primeiro e Draco achou aquilo muito digno. Ele fora ali com um objetivo: declarar-se e esperar para ver a reação dela perante sua sinceridade. Entretanto não esperava que ela o fizesse primeiro, espantando para longe todo o temor que ele estava sentindo se tivesse uma resposta negativa.


Hermione tinha as mãos no rosto quando sentiu algo forte lhe apertar num abraço quente e reconfortante. Um beijo doce pousou em sua testa quando os lábios sedutores acalentaram sua pele.


Hermione apertou a lapela da jaqueta dele entre os dedos e o encarou um pouco envergonhada. Sentia-se horrível. Sabia que seus olhos e seu nariz estariam vermelhos e que seu rosto estava todo molhado de lágrimas.


_Sabia que você continua tão bonita quanto antes? – Ele disparou como se conseguisse ler os pensamentos dela.


Hermione soltou um riso abafado e escondeu o rosto no peito dele por alguns segundos.


 Com as duas mãos Draco ergueu o rosto dela e olhado profundamente em seus olhos castanhos brilhantes, ele foi aproximando a boca da dela até que ambas estivessem entrelaçadas.


O beijo foi apaixonante e como se recebesse uma resposta positiva Hermione se entregou esquecendo-se do resto, menos de todas as emoções que sentira e que pretendia sentir com Draco. Resolveu se entregar a paixão. Seus braços envolveram o pescoço dele e Draco a impulsionou para cima num abraço que a tirou do chão. Ele se virou para caminhar com ela de volta para a cama, mas esta não deixou.


_Espere! O banheiro...


_Mas eu achei que...


_Confie em mim...


Draco olhou para a porta do banheiro e depois para ela.


Hermione o soltou e o puxou pela mão para lá. Quando entrou ela se virou para ele e o viu fechar a porta antes de encará-la.


Quando os seus olhos se encontraram Hermione sorriu voltando a se aproximar. A mão de Draco foi para sua cintura enquanto suas bocas entravam em contato mais uma vez.


Depois de um tempo se beijando Hermione se virou de costas para ele e Draco teve aquela sensação gostosa de ver os pêlos da nuca dela se arrepiarem com seu toque.


Hermione descansou o corpo contra o peito dele enquanto sentia os dedos longos acariciarem sua barriga por cima do vestido.


Ela colocou sua mão delicada por cima da dele e fez com que ele subisse até os seus seios, fazendo-os ficarem com os bicos enrijecidos por debaixo da roupa. Depois de os apertar delicadamente, a mão direita de Draco foi para trás das costas dela e Hermione sentiu suas roupas ficarem frouxas no corpo.


Com delicadeza, ela viu seu vestido deslizar: primeiro pelos ombros e depois pelo restante do corpo até os pés.


Ele deu mais alguns beijos na nuca e pescoço dela e aos poucos foi virando-a para que esta ficasse de frente.


Os olhos cor de tempestade brilhavam com a luz das lâmpadas neon instaladas alguns anos atrás por uma Hermione mais aventureira e exótica.


Agora os olhos dela não estavam tão mais vermelhos assim e Draco pode ver com mais clareza o amor estampados neles. Um amor que ele também sentia, mas achava que ela estava envolvida demais com os próprios sentimentos para notar.


Deixando sua percepção de lado ele a beijou novamente e dessa vez apaixonadamente para mostrar que ela não era a única que sentia o mesmo.


Com um cuidado excessivo ele desceu as alças do sutiã branco que ela vestia pelos braços sentindo na ponta dos dedos a maciez da pele acetinada.


Ela jogou a cabeça para trás e Draco se curvou para beijar o colo e o contorno dos seios dela. Suas mãos foram para o fecho libertando os seios dela para seu deleite.


Ele viu com nostalgia os bicos endurecerem ao seu toque e não esperou um segundo sequer para envolvê-los com os lábios. Hermione soltou um suspiro de satisfação e Draco teve os cabelos puxados delicadamente.


 



 


Suas bocas voltaram a se chocar e Hermione foi empurrada para mais perto da banheira.


A hidromassagem estava quase que na metade de água e Hermione se viu sentada na parte plana pelo lado de fora.


Ela deslizou as mãos pelo peito dele até o cós da calça. Puxou a camisa de dentro e desafivelou o cinto, enquanto Draco desabotoava um por um dos sete botões da camisa social que usava – a jaqueta havia sido abandonada no trajeto até ali.


Um pouco trêmulos, os dedos dela retiram o cinto e abaixaram o zíper. Draco auxiliou com os sapatos, chutando-os com os próprios pés. A calça foi a próxima peça a ser tirada.


Hermione se levantou para alcançar a boca dele, mas esta não teve a oportunidade de ficar de pé. Draco a segurou no lugar e em vez dela se levantar, foi ele quem se ajoelhou aos pés dela, ficando na mesma altura.


Ele passou a mão no rosto dela, admirando a beleza da morena e pousou-a no pescoço trazendo o rosto dela para perto do seu.


_Deus do céu! Você é linda demais.


Hermione semicerrou os olhos e apreciou o beijo que recebeu com gosto.


A boca dele tinha um gosto doce e quanto mais ele a beijava, mais ela queria ser beijada.


Ele pulou o beijo para outras partes do corpo dela e Hermione se viu sendo suspendida e deitada de uma maneira que ele pudesse se acomodar melhor sobre ela.


Draco beijou entre o vale dos seios enquanto sua mão procurava a lateral da calcinha.


Com gentileza ele a livrou da peça.


Ao voltar a se acomodar entre as pernas dela, sua mão fez a ponte de ligação entre seu órgão sexual e a feminilidade de Hermione.


Antes de penetrá-la, ele molhou os dedos com saliva e a masturbou por alguns minutos, enquanto sugava sua língua com beijos indecorosos.


Por várias vezes Hermione interrompeu o beijo para gemer de satisfação e quando chegou o momento da invasão, Draco olhou profundamente nos olhos dela, para que ela tivesse certeza absoluta que aquilo não seria apenas prazer que iria lhe dar. Iria lhe dar amor. Amor que lhe fora negado por anos.


Hermione encarou os olhos dele, mas a dor inicial da penetração a fez fechar os olhos e gemer.


Ela queria manter os olhos abertos, ver no rosto dele a mensagem que ele queria passar, mas alojar aquilo tudo dentro dela era um pouco desconfortável – pelo menos no início – e era inevitável não sentir um pouco de dor.


Mesmo depois de alguns dias deitando-se com ela, Draco sabia que tinha se apaixonado. Não queria, pois não era seu objetivo por em quanto, mas não conseguira evitar. Hermione Granger o fizera se sentir vivo novamente e estar ali com ela era o que mais desejava no mundo.


Ele sempre se vangloriava por deixar as mulheres com quem se deitava pedindo mais, mas nunca imaginou que isso se voltasse para ele. Hermione conseguira deixá-lo com os quatro pneus arriados e por incrível que possa parecer, ele se sentia imensamente feliz por causa disso.


Enquanto seu quadril balançava de encontro ao dela, ele visualizava o rosto angelical se contorcer de prazer. A boca rosada ligeiramente aberta era um convite tentador. Ma os seios balançando no ritmo que ela ditava era um convite maior ainda.


O pequeno beijo que daria em seus lábios – Draco teve certeza – seria muito mais aproveitado se ele se deliciasse as duas protuberâncias tenras e macias abaixo do pescoço.


Ele circulou uma das auréolas com a língua, para em seguida abocanhar faminto o contorno rosado.


Hermione arqueou-se, sentindo o prazer aumentar e se espalhar por cada célula existente em seu corpo.


Draco ouviu com satisfação seu nome ser choramingado entre os gemidos.


_Draco, por favor...


Ele ergueu o olhar enquanto seus lábios pulavam para o outro seio.


Hermione não sabia se chorava, gemia ou se contorcia o corpo de prazer.


Ela sentia que aquele dia estava sendo diferente. Ele estava diferente. Parecia fazer com que cada movimento do seu corpo sobre o dela fosse calculado para lhe dar o nível máximo de prazer possível.


Os beijos eram os mais ardentes que já recebera nesses quatro dias. Hermione não dissera que estava amando-o, mas ele parecia querer dizer com gestos que a amava desesperadamente.


E foi tendo esse pensamento que ela se viu diante da realidade.


Eles estavam próximos de alcançar o auge e Hermione teve forças para encará-lo nos olhos. Draco a olhava tão fixamente que Hermione viu várias e várias vezes lampejos da paixão que ele sentia cruzar aquelas íris enegrecidas pelo desejo.


Mas Hermione teve certeza que não era só desejo que se alojava ali. O sentimento amor era muito maior e Hermione sentiu seu coração bater muito mais rápido do que antes.


Agora ela sabia que seu sentimento era correspondido e mesmo ele não tendo falado nada, ele agora dizia com todas as letras através do olhar que a amava.


 _Eu te amo.


O sussurro assustou Hermione de inicio, porque seu cérebro não havia processado a informação tão rápido.


Ela não estava pronta para ouvir aquelas palavras mesmo tendo descoberto através dos olhos cinzentos a verdade há alguns segundos atrás.


Draco não esperava ouvir uma resposta, mesmo porque ele já tinha a resposta que queria a algum tempo.


Ela o amava e estava apaixonada por ele.


Ele imaginou que se pudesse segurar seu coração com as mãos naquele momento, o órgão sairia pulando para bem longe dele de tanta felicidade.


E como se aquilo fosse aliviar a pressão em seu peito ele a beijou insandecidamente.


Hermione correspondeu com todo o entusiasmo que lhe foi permitido e quando alguns espasmos percorreram seu corpo, Draco percebeu que ela já estava no ponto.


_Está pronta?


_Sim... – Foi o gemido de concordância que ela conseguiu emitir da garganta.


Draco não pensou duas vezes, arremeteu contra ela com voracidade até senti-la expelir com força seus fluídos contra o quadril dele. Ao sentir-se molhar naquela região, foi como um choque elétrico e ele não conseguiu mais se segurar.


 O abdômen de Hermione encolheu-se ao sentir os jatos de esperma cair sobre si, em quanto ela tentava recuperar o fôlego.


Ele deitou-se ao lado dela e respirou profundamente de olhos fechados absorvendo aos poucos todas as sensações desde o momento que entrara pela porta. O piso frio era até um pequeno alívio contra a sua pele quente. Ao lado podia ouvir a respiração de Hermione também voltar ao normal.


Virou a cabeça de lado e a observou olhando para o teto, provavelmente absorvendo também todas as novas informações daquela última uma hora e meia.


À água da banheira estava perto da borda e ele viu do outro lado a torneira escorrendo um filete de água quente.


Sem pensar duas vezes, ele se levantou e a tomou no colo, recebendo um gritinho de susto e depois um sorriso maroto dela ao notar que ele os levava para a água. Hermione sequer ligou por estar molhando as sandálias que ainda calçava.


Ele a colocou com cuidado na água e depois se acomodou ao lado dela na hidromassagem.


Hermione girou o corpo e se acomodou entre as pernas dele como se estivessem sentados embaixo de uma árvore numa toalha de piquenique.  Ela descansou as costas no peito nu dele e suspirou. Draco beijou a parte de trás da orelha dela e o gesto arrancou um sorriso dela.


_Assim vou me tornar mimada – alfinetou ela de modo divertido.


Draco riu e deslizou a mão cheia de espuma pelo braço dela de modo sedutor.


_Adorarei te mimar sempre que eu puder. – E estalou outro beijo quase no mesmo lugar.


Hermione riu de novo e encolheu o pescoço, pois este lhe arrepiou a nuca.


Depois de controlar a risada fraca que soltou, Hermione virou o pescoço e procurou a boca dele para um beijo.


_Sabia que adoro seus beijos?


_E sabia que te acho um bobo? – Brincara ela de novo.


_Ora, eu aqui todo meloso, dizendo que adoro seus beijos e você me acha um bobo? – Fingira-se de ofendido.


Hermione caiu na gargalhada e se afastara dele indo ficar na outra borda da banheira enquanto sua risada diminuía.


A água com bastante espuma branca escondia em suas profundezas a nudez de ambos.


_Oooh, o loiro ficou magoado, foi? – Caçoara ela.


Hermione sequer tivera tempo de calcular como Draco chegara tão perto. Quando deu por si ele já estava debruçado sobre ela encarando-a dentro dos olhos castanhos.


_Prefiro ficar excitado. – Respondera maliciosamente contra os lábios rosados.


 Hermione engolira os resquícios da risada anterior quando sentira ele lhe puxar as pernas apenas com uma mão e tirá-las da água enquanto arrancava com movimentos precisos as sandálias de salto alto. Hermione seguiu com o olhar enquanto ele escorregava a mão pela parte interna da coxa dela os dedos até sua intimidade.


_E você senhora? O que prefere? – Provocou ele agitando os dedos em seu clitóris.


Hermione retraíra o quadril quando sentiu um calor no baixo ventre.


 Mesmo dentro da água ela podia sentir seu corpo se aquecer.


Automaticamente suas mãos foram para a borda da banheira e as pontas agarraram com força a lateral.


_Oh, acho que também prefere prazer, não é? – Agora foi a vez dele alfinetar.


_Golpe baixo – resmungara ela, começando a gemer.


Agora, quem rira fora ele. Mas por pouco tempo, pois Hermione buscara a boca dele e de imediato suas línguas brigavam ferozmente para ver qual enroscava mais uma na outra.


Draco não só deixara de beijá-la para poder respirar como também queria escutar os sons do poder em seus ouvidos. Do poder de fazê-la gemer.


_Isso meu amor, geme bem gostoso pra mim.


Ele não sabia se ela o escutava, mas estava levando a risca suas ordens.


Mesmo com a banheira escorregadia, Hermione encontrou forças para mudar de posição. Pegando Draco de surpresa, ela o empurrara para que suas costas fossem parar no outro lado da banheira. Hermione rira travessa quando montara em seu quadril. Draco teve uma visão maravilhosa dos picos montanhosos que eram os seios dela escorrendo a água e alguns fragmentos dos sais de banho.


Agora ambos sentados Draco tinha o rosto dela ao seu alcance.


A mão direita dele continuava entre as carnes sensíveis dela, enquanto sua outra mão estava na nuca forçando a cabeça dela de encontro a sua. Ele mordeu o lábio inferior dela arrancando outro gemido mais agoniado enquanto sua mão atrevidamente pousava embaixo do seio direito e o apertava de leve.


_Desculpe-me o atrevimento querida. Mas necessito urgentemente colocá-los em minha boca.


Hermione sabia que ele se referia aos mamilos dela, mas estava sentindo espasmos demais no corpo para responder a qualquer provocação mais ousada.


Os espasmos dela só aumentaram quando Draco começou a se amamentar dos bicos umedecidos pela água ensaboada.


Ela tinha as mãos firmes na borda da banheira e algo parecia querer impedi-la de segurar o corpo dele. Ele agora sugava com vontade o seio esquerdo dela e por um momento Hermione achou que ele fosse engoli-lo.


_Oh, Draco! Querido.


_Sim, meu amor. Isso... Geme pra mim, geme?


Hermione agora começava a gritar e Draco achou que ela iria desmaiar. Os joelhos dela apertaram seus quadris, e como se ela quisesse escapar dele os dela se ergueram, mas para desespero de Hermione a mão dele a acompanhou e ela agora teve que segurar em sua nuca com uma das mãos enquanto seu corpo se curvava ao prazer que a assolou em ondas espasmódicas dos dedos dos pés até a garganta, por onde escapou um longo e satisfatório gemido. Draco a segurava fortemente pela cintura com o outro braço e não deixou que ela se afastasse muito dele. Quando ela voltou o corpo à posição normal teve seu último resquício de ar roubado por um beijo avassalador que lhe deixou ainda mais ofegante quando terminou. Ainda agarrada a ela, Draco viu com satisfação o corpo dela relaxar em cima do seu.


Com movimentos moles e cansados, Draco observou Hermione voltar a se sentar na posição de antes e descansar a cabeça, fechando os olhos em seguida. Devia estar sentindo os choques finais do orgasmo que acabara de ter.


_Gostou minha senhora? – Perguntou despojadamente. Aquele sorriso enlouquecedor de qualquer cabeça feminina surgindo no canto dos lábios.


_Está brincando não é? – Respondeu sem olhá-lo. – Isso foi incrível.


Ficaram algum tempo em silêncio e Draco – ainda com o sorriso nos lábios – pode sentir todos os músculos do seu corpo reagindo aos batimentos do seu coração. Observar Hermione serena como estava agora só o fazia ter mais certeza de seu amor por aquela mulher. Mas será que o que ela dissera fora verdade? Ou só estava botando para fora alguma frustração da conversa de mais cedo com o ex-marido?


Aquilo estava martelando em sua mente fortemente.


 


(***)


 


Os objetos na sala pareciam fazer parte de outra realidade. Aquilo havia se tornado surreal para seus ouvidos.


“Eu te amo”


Aquela frase gritava fortemente em sua cabeça. Draco dissera com todas as letras que a amava e estar sozinha na sala onde dançaram pela primeira vez, parecia não fazer parte da realidade. Ele havia acabado de deixá-la e seu corpo parecia não estar cansado, mesmo com a noite agitada.


Draco parecia estar insaciável e só desistira quando percebeu que ela já não agüentava mais ficar acordada.


Fechou os olhos e sorriu com a lembrança de encontrá-lo agarrado ao seu corpo. Suas pernas estavam entrelaçadas de maneira suave e ao mesmo tempo despojadas, o braço direito circulava sua cintura de maneira possessiva, como se ela pretendesse fugir quando acordasse e seu peito estava grudado em suas costas como se quisesse protegê-la de algo.


Hermione abriu mais um pouco o sorrisinho que brincava em seu rosto com as lembranças de mais cedo.


Definitivamente saber que aquele homem que conhecia há poucos dias revelara seu amor por ela era deveras gratificante, tendo em conta que sentia o mesmo por ele.


 O sorriso dera lugar ao um longo suspiro.


Os pensamentos felizes e os suspiros apaixonados deram lugar às preocupações. Teria que manter o pé no chão e o coração no lugar. Não deixar que sua razão e concentração fossem apagadas pela paixão desenfreada. Não poderia cair em uma nova armadilha do coração.


E Ronald fora mais do que um exemplo.


 


(***)


 


_Lembre-se que você tem um filho e que ele precisa de você. – Dissera Gina, amiga de infância de Hermione.


As duas se conheceram ainda crianças. Hermione era madrinha de casamento da mulher ruiva e madrinha do primeiro filho do casal Potter.


_Ai, Gina, como eu queria ter tido a sorte que você teve quando se casou com Harry.


A amiga sorriu. Ela mesma se achava a filha da mãe mais sortuda do universo por ter se casado com alguém que carregava o mundo nas costas por sua causa.


_Eu sei que ganhei na loteria, mas não podemos esquecer que Harry me dá muito trabalho. Aquelas alunas dele, me tiram do sério. – Disse ela revirando os olhos para o teto. – Outro dia quase transei com ele em sala de aula para mostrar a elas que ele tinha dona, só não terminei o serviço porque ele me interrompeu, alegando que não poderia fazer aquilo na frente dos alunos.


Harry era professor de Biotecnia na faculdade mais respeitada de Londres e ela entendia porque Gina tinha tanto trabalho para controlar as alunas do marido. Harry era bonito demais e fazia qualquer mulher virar a cabeça para olhar quando ele passava.


Mas Hermione sabia que Gina não se preocupava muito, fazia aquele drama todo apenas para chamar a atenção.


_Harry te ama mais que a própria vida. Não tem com que se preocupar.


_Disso eu sei, mas gosto de me garantir.


 Hermione riu diante do comentário.


 Mas Gina pareceu mais interessada no novo amor da amiga.


_Mas então, me conte mais sobre esse tal Draco Malfoy... Ele saiu dessa tal agência de acompanhantes por sua causa? Ou houve algum interesse financeiro nisso tudo?


_No início era apenas um negócio, eu o havia contratado para me vingar do Ronald, mas depois de cinco dias freqüentando minha casa ele se declarou apaixonado e quando eu dei por mim, estava na mesma situação. Agora estou com medo de que tudo seja uma ilusão... Eu estou com medo dessa relação, e precisava desabafar com alguém.


_Ainda bem que você me procurou amiga. Sabe que sempre vou te apoiar, não sabe?


Hermione sacudiu a cabeça em afirmação e Gina como uma irmã mais velha abraçou a amiga apertado. Mesmo esta sendo mais jovem que Hermione.


_Sabe o que podemos fazer?...


Hermione sacudiu a cabeça em negação depois de sair do abraço.


_Posso oferecer um jantar aqui pra vocês dois, sondar a mente dele, sentir o que ele quer com você realmente. Traga Lucas também, Brian outro dia perguntou por ele e me pediu para levá-lo até sua casa para brincarem.


_Gina eu não acho...


_Você não tem que achar nada. Quem acha as coisas aqui sou eu, afinal de contas a psicóloga é a ruiva aqui. – Apontou com o polegar na própria direção.


Hermione riu, não adiantava discutir com a amiga quando ela encafifava com alguma coisa não havia nada que tirasse aquela idéia da cabeça. E Hermione sabia que só teria sossego quando o tal jantar acontecesse.


_Está bem. Trarei –o  aqui.


_Na terça, ás oito. Harry não irá dar aula a noite.


_Combinado.


Gina sorrira travessa, fazendo Hermione olhá-la com o semblante preocupado.


 


Continua...

Mutio bem queridas leitoras amadas, o niver é meu , mas o presente  é de vocês. espero que gostem do cap, bjinhos e até o penúltimo cap. 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 3

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Landa MS em 18/09/2013

Valeu. adorei os comentário de vocês. Posto em breve MRC

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por RiemiSam em 18/09/2013

Vc escreve maravilhosamente e estava inspiradíssima. Adorei o capítulo. Os dois são a perfeição juntos. Quente é pouco!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por M R C em 16/09/2013

uauuu Landa.
acho que teu aniversário inspirou ai o capítulo caliente.

que pegação boouaa desses dois hein.
achei tudo maravilhoso....

o mundo precisa de mais Dracos iguais a esse por ai...
nós precisamos...hahhahahaha


e a atualização da Suíte Nupcial heeeinnnnnn ??? é minha fic favoritaaa sua!!!

ameii tudo

beijos      

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.