FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

17. Vingança Weasley parte 1


Fic: Minha vida com Hermione Granger


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

GERAL POV.


 


Era uma noite fria, tempestuosa. O uivo feroz do vento noturno agitando as copas das arvores que cercavam o velho casarão emitindo ruídos assombrosos, as janelas fechadas, recebiam em suas vidraças a forte chuva que acompanhava o final do mês de setembro em Londres. No interior da casa, encontrava-se frente a uma aconchegante lareira um jovem bruxo de cabelos rebeldes e olhos verdes, tentando fervorosamente decifrar uma mensagem enviada a ele.


O bruxo não sabia quem o havia enviado uma coruja tão tarde da noite, mas sentia em cada fibra do seu corpo que tinha que descobrir. Eram tempos tenebrosos, uma ameaça das trevas estava a espreita e seu desafio cada vez mais impossível de ser decifrado. Ele estava tão cansado, teria desistido se não fosse por causa de um choro infantil ecoando no andar superior, um choro assustado que logo fora reconhecido.


Com um suspiro profundo o jovem bruxo agradeceu mentalmente a presença de sua companheira para acalmar o choro. Não precisava subir as escadas para saber que nesse exato momento ela cantarolava docemente, embalando um pequeno bebê em seu colo, os longos cabelos cacheados, caindo graciosamente por suas costas enquanto seus olhos âmbar concentravam-se na figura do seu bebê quase completamente adormecido em seus braços.


Ela tinha esse dom de trazer paz aos medos do pequeno menino, assim como para com ele. A bruxa com a criança nos braços era a razão pela qual ainda não entregara suas esperanças diante desse terrível mal. Ele sentia tanto a falta dos seus amigos, da sua antiga vida, livre e feliz, mas precisavam fugir, esconder-se pelo bem da criança, pelo bem deles. O jovem sabia, no entanto, que não poderiam viver assim para sempre, porém a única chance de escapar estava codificada no pergaminho amarelado em suas mãos, enquanto mais cedo decifrasse aquela mensagem, mais cedo estariam em segurança.


Ignorando completamente a exaustão, ele voltou sua atenção as palavras entrelaçadas por uma série de runas e desenhos míticos. Com um aceno preciso da sua varinha outro feitiço fora realizado, sem sucesso para sua frustração. Talvez ele devesse chama-la, isso mesmo! Provavelmente a essa hora o bebê já estaria dormindo e ela poderia finalmente lhe auxiliar. Não era a bruxa mais brilhante da sua geração por qualquer motivo!


Levantando-se depressa ele enrolou o pergaminho nas mãos e preparava-se para subir os degraus quando uma explosão poderia ser ouvida na porta de entrada do antigo casarão. O bruxo sentiu o coração disparar loucamente, congelando em choque no primeiro degrau da escadaria. Automaticamente sua mão direita buscou a varinha e ele se dirigia a uma das janelas em busca do causador daquela confusão.


Com os dentes trincados em fúria, ele percebeu a presença da maior ameaça para a vida da sua família, para a vida do seu bebê. Uma figura encapuzada, encharcada pela chuva fria, caminhando lentamente em direção a sua casa. Não poderia ser! Ele não tinha como descobrir onde eles moravam, ninguém deveria saber!!! Desesperava-se o bruxo sentindo a respiração engatar em sua garganta. Não estava certo, a história não deveria se repetir, não com ele.


-Harry o que houve?


A voz sussurrada da bruxa ecoou preocupada atrás dele. Ela estava no topo das escadas, com a varinha firmemente em sua mão e os olhos com um brilho alarmado em direção a ele. O bruxo sentiu o coração apertar por um instante, não queria deixar que ela entrasse nessa luta, queria que fugisse, que o deixasse, ele a amava tanto, mas a conhecia bem demais para saber que ela jamais iria fugir, não sem lutar, não sem ele.


-Hermione volte lá para cima, pegue Teddy e fuja! Ele nos achou!


Ordena o moreno severamente, não deixando espaço para discussão.


-Oh não! Temos que fugir!


Desespera-se a jovem de cabelos castanhos, os olhos ardendo com a eminencia de lágrimas.


-Hermione, não há tempo! Irei detê-lo enquanto você leva nosso filho para Hogwarts!


Exige ele virando-lhes as costas enquanto seguia bravamente em direção ao homem que os perseguia.


-Harry não!


Tentava inutilmente impedi-lo, desceu as escadas e o abraçou com força, mas o Potter simplesmente entregou o pergaminho em suas mãos e a deixou para trás. Engolindo o medo, Hermione retornou ao quarto de Teddy agitando a varinha e recolhendo os pertences do pequeno em uma bolsa. Em instantes o tomava no colo e seguia para a lareira mais próxima.


Porém, quando pegou o pó de flu em sua mão esquerda, ela empalideceu sentindo um frio subir mortalmente em sua espinha. Alguém a observava de perto. Sem saída ela vira-se em direção à porta onde o homem de capa escura a encarava perigosamente. O coração da morena estava aos solavancos e Teddy chorava angustiado em seu braço.


-Entregue a criança!


Exige o homem com sua profunda voz. Mas a nascida trouxa simplesmente nega com o rosto.


-Não há para onde fugir, garota, entregue a criança, já!


Ordena novamente o homem e Hermione agarra mais fortemente ainda o menino.


-Nunca! Terá que me matar para tocá-lo!


Rebate ela ferozmente antes de virar-se de costas ao perseguidor e jogar o pó de flu na lareira, sem pensar duas vezes ela grita o nome da escola de magia onde cresceu e conheceu seu grande amor... Hogwarts... e manda o pequeno a salvo para longe, a tempo de escapar das mãos do homem de capa negra.


-O que você fez sua sangue-ruim???


Bradava o homem avançando sobre ela e a puxando violentamente pelos cabelos. Ela se debateu, recriminando-se por não ter pegado a varinha rapidamente. Porém, ele a golpeou com força no rosto, a jogando no chão... Aos seus pés.


-Você nunca vai pegá-lo!


Murmura a bruxa pouco antes de encontrar a varinha apontada em sua direção. Com maldade crua em sua voz, o homem rebate.


-AVADA KEDAVRA!


Um jato de luz esverdeada atravessou o espaço que os separava e Harry só chegou a tempo de assistir a sua mulher morrer pelas mãos do homem que ele não conseguira enfrentar. 


-HERMIONE...


Gritou, sentindo o tempo a sua volta girar em câmera lenta.


-HERMIONE NÃO!!!


Ele a alcançou em segundos, recolhendo o corpo sem vida em seus braços com desespero. Lágrimas caindo furiosamente de seus olhos vermelhos, seus braços trêmulos a envolvendo possessivamente enquanto ele gritava sua dor.


 


HARRY POV.


 


-HERMIONE!


Gritou novamente o grifinório acordando bruscamente, arfante, com o coração acelerado, as mãos trêmulas e ligeiramente suado. Sem preâmbulos, Harry sentou em sua cama esfregando o rosto com força enquanto repetia a si mesmo que não passara de um terrível pesadelo. O moreno repetiu esse mantra até sentir o coração retomar um ritmo mais normal, somente então, estendeu a mão à cabeceira da cama e puxou seus óculos.


Com o mundo novamente dentro de foco, o Potter suspirou profundamente, estava em seu quarto, em sua cama, a que sempre compartilhava com Hermione, realmente chovia do lado de fora do casarão e consternado ele fitou a janela por onde assistia a escuridão da tempestade se arrastar pelos céus. Já fazia algum tempo que não tinha outro pesadelo assim, relembrando tão vividamente a morte dos seus pais, no entanto, agora ele, Teddy e Hermione eram, estranhamente, os personagens principais dessa trama dramática.


Sentindo o peito contrair-se com a lembrança da morte de Hermione, Harry logo buscou a presença da nascida trouxa com o olhar e desesperou-se ao não encontra-la dormindo ao seu lado. Engolindo em seco, ele lembrou que a cada pesadelo seu, ela seria a primeira a levantar e acordá-lo com um abraço carinhoso e sussurros de que tudo ficaria bem. O seu lado da cama ficava frio sem ela e para sua surpresa, o outro lado do quarto ainda permanecera intacto.


-Onde ela está?


Murmura preocupado o moreno, recebendo unicamente como resposta um miado malcriado de Bichento que acomodava-se em sua cesta aos pés da cama da sua dona. Decidido, Harry deixa o quarto e parte em busca da namorada pelo corredor sombrio do terceiro andar, mas, sua busca não se estendeu por muito tempo, ela estava exatamente como em seu sonho, no quarto de Teddy, cantando para ele dormir.


O moreno congelou fascinado na porta do quarto do seu afilhado, incapaz de interromper aquele momento tão doce entre Hermione e o pequeno Teddy Lupin. Ela estava sentada numa confortável poltrona branca, logo ao lado da janela do quarto, balançando suavemente seus braços embalando o bebê enquanto ele terminava a mamadeira.


Os olhos do seu afilhado estavam quase fechados até que um trovão ecoou acompanhado por um relâmpago assustando o menino que voltou a chorar desesperadamente.


-Shhhh!!! Está tudo bem, é só uma tempestade querido!


Sussurrava ela o abraçando protetoramente, deixando a mamadeira de lado e tentando de todas as formas possíveis distraí-lo. Percebendo a dificuldade da sua namorada, o grifinório decidiu fazer sua presença conhecida.


-Precisa de ajuda?


Pergunta ele pacificamente da porta, chamando a atenção de Hermione em sua direção.


-Harry! O que faz acordado a essa hora?


Surpreende-se a nascida trouxa, levantando-se com um Teddy choroso em seus braços. Com um pequeno sorriso, o moreno se aproxima dos dois, levantando a mão direita e afagando gentilmente os cabelos escuros do seu afilhado.


-Acho que não sou o único que não consegue dormir com essa tempestade!


Responde o moreno com a voz ligeiramente embargada, o que não passou despercebido por Hermione, cuja sobrancelha esquerda levantou-se em claro tom de questionamento, mas ela não teve a chance de interroga-lo já que Harry logo continuou a falar.


-Pensei que tivesse colocando um encanto de silêncio nas janelas do quarto!


Comenta-o distraidamente para a namorada suspira exasperada antes de responder.


-Sim eu coloquei os encantos certos, mas devem ter se desgastado em algum momento da noite e Teddy acordou chorando a meia hora atrás!


Explica ela obviamente insatisfeita por seus encantos não terem durado tempo suficiente para garantirem um sono tranquilo ao pequeno Lupin.


-Podemos leva-lo para o nosso quarto não?


Questiona Harry percebendo a relutância do afilhado em soltar Hermione, mas acaba por receber um olhar de advertência da mesma.


-Não podemos acostumar Teddy a dormir com a gente Harry!


Rebate severamente Hermione com um revirar de olhos.


-E eu pensando que era o ciumento nessa relação!


Brinca o moreno, para logo silenciar diante do olhar fulminante da namorada.


-Em primeiro lugar pode ser perigoso para um bebê dormir entre dois adultos, já imaginou como ele ficaria se acordasse com um dos seus pesadelos Harry? E sem falar que ele está começando a se mexer enquanto dorme, ele precisa de espaço! Quando começar a engatinhar e nós estivermos dormindo... ele poderia cair e se machucar seriamente!


Anuncia Hermione gravemente, tão determinada que o Potter não ousaria contrariá-la.


-Se for o caso como iremos fazê-lo dormir?


Pergunta o grifinório dando de ombros ainda acariciando os cabelos do bebê Lupin.


-Eu ainda não sei! Ele não quer voltar para o berço, não presta atenção em nenhum brinquedo, tenho que ficar cantando ou conversando e embalando ele o tempo todo!


Responde a grifinória reprimindo um leve bocejo ao que Harry finalmente se permite fita-la nos olhos. Hermione estava cansada, provavelmente esteve cuidando de Teddy por muito mais do que as meia hora que lhe dissera anteriormente, sentindo-se culpado, o moreno oferece uma saída.


-Bem, eu posso ficar com ele no colo enquanto você canta... ou melhor, você pode ler para ele enquanto eu me encarrego desse menino teimoso!


Anuncia o moreno tomando Teddy dos braços de Hermione e segurando cuidadosamente o pequeno, apoiando sua cabeça sobre o peito e usando as duas mãos para apoiar o corpinho do afilhando em segurança, tudo isso sendo acompanhado de perto por uma Hermione alarmada.


-Seja cuidadoso Harry!


Aconselha a jovem bruxa mordendo o lábio inferior enquanto pensava se isto seria realmente uma boa ideia, Teddy apertava os lábios claramente chateado por perder o colo da nascida trouxa, mas Harry estava irredutível.


-Não é justo você cuidar sozinha dele, Mione! Teddy é meu afilhado, eu quero aprender a colocar para dormir e até a trocar aquelas coisas que você chama de fralda!


Brinca ele piscando o olho esquerdo para a namorada antes de roubar-lhes um beijo casto e rápido sobre os lábios deliciosamente rosados. Com um suspiro vencido, Hermione segue em direção a prateleira de livros e escolhe um deles calmamente. Momentos depois sentava-se na poltrona branca e começava a ler em voz alta.


-João e o pé de feijões mágicos!


Recitava ela enquanto Harry passeava pelo quarto embalando suavemente o bebê em seus braços, maravilhado com a sensação de ter seu pequeno afilhado tão próximo a ele. Aos poucos a tempestade ia cedendo e a voz melodiosa de Hermione levava o bebê metamorfo a sonolência profunda.


O casal grifinório compartilhou um sorriso cúmplice quando finalmente colocaram Teddy no berço e reduziam a intensidade da luz dos abajures do quarto. Saindo para o corredor nas pontas dos pés para não despertar o menino, Harry tomou a mão de Hermione na sua, entrelaçando seus dedos.


-Você foi um salva-vidas, Harry! Você conseguiu colocar Teddy para dormir!


Diz a nascida trouxa com um enorme sorriso estampado no rosto quando finalmente entraram no seu quarto. O moreno retribuiu ao sorriso a puxando em um abraço esmagador e sussurrando em seu ouvido.


-Não! Nós dois conseguimos juntos, Mione!


Corrige o grifinório depositando um beijo carinhoso logo abaixo da orelha da namorada a fazendo estremecer em seus braços.


-Hmmmm, Harry eu não aguento mais... Vamos logo para a cama!


Murmura ela meio seria meio em transe com as carícias do namorado, que em choque por sua resposta afasta subitamente o rosto do pescoço dela, apenas o suficiente para encará-la nos olhos. Ela tinha dito mesmo isso??? Pensava ele atônito.


-Para irmos dormir seu bobo! Estou exausta!


Corrige ela ficando com o rosto completamente vermelho diante do olhar confuso de Harry.


-Tudo bem!


Responde ele com um sorriso maroto brincando nos lábios, e antes que ela protestasse a toma em seus braços em um movimento rápido. Tirando seus pés do chão.


-Merlin! Harry o que pensa que está fazendo???


Repreende a grifinória agarrando-se ao namorado com força, temendo ir ao chão a qualquer segundo. Não estava acostumada a ser tão mimada assim e ninguém a pegava dessa forma no colo desde que tinha sete anos de idade, era um pouco assustador e engraçado ao mesmo tempo.


-Calma, Mione! Eu não vou te deixar cair, só quero cuidar de você um pouco!


Confessa ele docemente a levando em direção à cama e a deitando com delicadeza sobre o colchão macio, a tratando como se fosse uma frágil e preciosa boneca de porcelana, antes de puxar o cobertor sobre ela e depositar o beijo carinhoso em sua testa.


-Vai me contar uma história também?


Brinca Hermione sentindo-se ainda mais sonolenta e o moreno lhe responde com um sorriso terno, sentando-se ao seu lado entrelaçando suas mãos.


-Posso contar o que você quiser!


Revela-o sem hesitação. Ele faria qualquer coisa que ela lhe pedisse, sairia lá fora e enfrentaria a tempestade por ela, bastava que ela o pedisse.


-Então me conta o que você sonhou! O que te deixou tão assustado para vir me procurar no quarto de Teddy?


Questiona a nascida trouxa surpreendendo o Potter que emudeceu completamente sem desviar os olhos dos dela. A grifinória não havia esquecido o olhar em seu rosto quando o viu entrar no quarto do pequeno Lupin.


-Harry, confie em mim! Eu sei que foi mais um dos seus pesadelos, mas enquanto não dividir isso com alguém vai continuar perdendo o sono!


Pede ela gentilmente o puxando pelo braço até estarem abraçados sobre a cama. Ela frente a ele, acariciando seu braço enquanto esperava por uma resposta. O moreno ficara pálido, e franzia a testa com desagrado, não queria reviver aquele sonho, mas não poderia mentir para Hermione. Ela não aceitaria dormir enquanto ele não lhe contasse tudo, também não engoliria a desculpa de que tinha esquecido o sonho...


Sentindo a boca secar e os olhos desviarem rapidamente de Hermione para a janela do outro lado do quarto ele começou calmamente a contar tudo o que sonhou, cada mínimo e vívido detalhe, toda a tensão, a angustia, o medo que sentiu ao repetir praticamente o mesmo trágico destino de seus pais. Ao final da narrativa do grifinório, Hermione estava em lágrimas, abraçando firmemente o namorado fazendo promessas de que nunca deixaria algo assim acontecer com eles.


 


RONY POV.


 


Demorou um bom tempo para que ele pegasse no sono, estava realmente preocupado se sua ideia daria mesmo certo ou não, afinal prometera a Harry que faria Rita Skeeter se arrepender amargamente por suas mentiras atrozes, ela atingiu um nível que nem mesmo Draco Malfoy conseguiria chegar. Nunca concordou com o fato de publicarem o que bem entendessem de duas pessoas que sacrificaram tanto para salvá-los, era hipócrita, revoltante, condenável, inaceitável! Era uma afronta que exigia uma resposta firme e imediata.


Rony ficou enfurecido por seus amigos. O forte temperamento Weasley era tão lendário quanto sua criatividade em “aprontar” com os seus inimigos. O maior destaque foi a dupla Fred e George, ou Gred e Forge como gostavam de se auto intitular. Depois da batalha de Hogwarts, os gêmeos se separaram pela primeira vez, foi um golpe doloroso para sua família ter Fred entre a vida e a morte, e Rony se viu na obrigação de apoiar seu irmão mais velho enquanto torcia pela recuperação do seu gêmeo.


Trabalhar com George na loja de piadas não fora uma experiência ruim, muito pelo contrário, cada dia era mais divertido e surpreendente que o outro, no entanto, não deixava de ser cansativo lidar com as multidões que iriam invadir a loja em busca de conhecer um dos membros do famoso trio de ouro. Também não ajudava o fato de George colocar um cartaz em tamanho natural com a foto de Harry como garoto propaganda oficial da Gemialidades Weasley. O negócio estava indo tão bem que já cogitavam abrir uma filial em Hogsmead.


Ser famoso era divertido, mas ser perseguido... Ah isso era algo extremamente desconfortável. Agora entendia por Harry odiava tanto sua “popularidade”. Rindo com seus pensamentos, Rony caiu no sono profundamente. E já estava amanhecendo quando ele fora brutalmente expulso da sua aconchegante e aquecida cama na Toca. Perdido em sonhos felizes, o pobre ruivinho do trio de ouro fora literalmente arremessado dos lençóis e acabou beijando o chão enquanto ouvia as risadas de seu irmão George.


-Vamos lá cabeça de lesma, temos uma missão ultra secreta para cumprir!


Murmura afetadamente o mais velho enquanto silenciava magicamente os gritos de protestos de Rony que acordara com a pancada da sua cabeça no chão frio do quarto.


-Anda logo, antes que a mamãe acorde!


Insistia George batendo ansiosamente o pé direito no chão apressando o irmão mais novo. O mais velho tinha uma disposição fora do comum e Ron chegava a duvidar que ele tenha realmente pregado os olhos durante toda a noite, era intimidante e ao mesmo tempo curioso como no universo alguém poderia ignorar uma boa noite de sono??? Pensou horrorizado o grifinório. George não poderia ser desse planeta!


-Maldição, não tinha jeito pior de me acordar não???


Resmunga o grifinório mal-humorado enquanto levantava-se e recolhia algumas roupas espalhadas pelo chão e se vestia com movimentos lentos, quase letárgicos. Estava tão atordoado que mal pensou em usar a varinha para ajuda-lo nessa hora.


-Sinto muito Ronnie, mas não tinha tempo para acordar a bela adormecida com beijinhos!


Rebate ele com um sorriso maligno nos lábios, que teria assustado Ron, se não já estivesse acostumado com as travessuras dos gêmeos. Por um lado ele queria muito vingar-se da bruxa besouro que escrevia absurdos dos seus melhores amigos, mas por outro estava satisfeito ao ver todo o humor e felicidade apresentados por George nessa “revanche Weasley” e podia apostar que Fred ficaria orgulhoso quando soubesse de todos os suculentos detalhes da sua missão.


-Está quase na hora, vamos pegar Skeeter!!!


Sussurra com os olhos brilhando em emoção, praticamente pulando de empolgação. Fazia muito tempo que não pregava uma peça tão boa quanto essa, uma travessura Weasley nunca passara despercebida e dessa vez usariam tudo o que tinham para transformar a vida de Rita um inferno. Vinte minutos mais tarde, os dois esgueiravam-se em um beco escuro nas proximidades de Londres debaixo de uma tempestade torrencial.


-Tem certeza de que é aqui?


Insiste Rony pela terceira vez puxando o irmão mais velho pelo casaco enquanto olhava de soslaio para o beco esquisito e malcheiroso onde se encontravam, o lugar era lúgubre, cheio de lixo e ratos por todos os lados, nada agradável para se estar.


-Eu já disse Ronykins, minhas fontes são seguras!


Responde George com uma exagerada expressão ofendida ao seu irmão mais novo que simplesmente revira os olhos lançando novamente um encanto de aquecimento sobre si. Mal chegara às seis da manhã e o frio tornava-se insuportável.


-Ele disse que Rita se esconde em um pub no final desse beco, ela passa a noite em um dos quartos dos fundos!


Murmura George com um meio sorriso maligno.


-É nossa chance perfeita!


Comemorava o mais velho esfregando as mãos ansiosamente.


-Ok! Então qual é o plano?


Questiona Rony encolhendo-se diante do semblante maroto do seu irmão.


-Simples Rony! Entramos lá, procuramos o quarto dela e depois disso, teremos nossa vingança!


Explica animadamente o gêmeo com os olhos brilhando. Sem perceber o olhar de desgosto e arrependimento de Ron.


-O que exatamente faremos com ela? Eu não estou interessado em ver Skeeter em suas roupas de baixo!


Desespera-se o mais novo empalidecendo com o pensamento, porém o sorriso de George se torna ainda mais amplo.


-Você acabou de me dar uma ótima ideia irmãozinho!


Confidencia George passando a mão nos cabelos do mais novo em provocação.


-Acho que vou vomitar meu café da manhã!


Murmura Rony angustiado.


-Não seja maricas! Afinal quem deu essa ideia foi você! Não quer mais vingar o Harry e Hermione???


Desafia o mais velho com determinação, ao que Rony engole o orgulho e acena em concordância.


-Então muito bem, vamos entrar naquele pub e mostrar à senhora Skeeter quem é que manda aqui!


Ordena em tom de comando George, abrindo caminho para a porta de madeira mofada que surgiu magicamente diante deles no final do beco. O som de um rangido ecoou secamente pelo salão local, as diversas mesas, cobertas por uma fina camada de fumaça de cigarros e charutos bruxos além de um punhado de homens mal encarados lançando olhares fulminantes em direção a George.


O ruivo em questão engoliu em seco, sorrindo amarelo puxou Rony para um canto e sussurrou em tom de urgência.


-Mudança de planos, você distrai eles enquanto eu cuido de Skeeter!


Avisa o gêmeo sentindo um frio assombroso percorrer a sua espinha com um grandalhão o encarando ameaçadoramente.


-Tá louco??? Eu não vou ficar com esse bando de trasgos!


Protesta Rony fervorosamente.


-Prefere encarar Skeeter em roupas de baixo?


George usa sua cartada final levantando sua sobrancelha esquerda sugestivamente, percebendo seu irmão mais novo empalidecer e logo depois ganhar uma coloração doentia e esverdeada, ele então soube que ganhou a questão.


-Ótimo! Dê um jeito de mantê-los aqui por pelo menos dez minutos!


Pede George com determinação renovada.


-Como diabos eu vou distrair todos eles?


Desespera-se Ron, olhando em volta e não gostando nada do que via.


-Você é o terceiro membro do trio de ouro, é um Weasley! Faça o que sabe fazer melhor! Cause uma confusão daquelas!


Aconselha o mais velho empurrando o irmão em direção ao balcão onde um velho rechonchudo de barba cheia o encarava com o único olho bom, o outro estava sob um tapa-olho pirata.


-O que veio fazer aqui moleque?


Pergunta entre dentes o barbudo ao que Ron abre a boca sem saber exatamente o que responder. Olhando para os lados em busca de socorro, descobriu que George desaparecera no ar. Maldição, ele estava ferrado!


-Então moleque? O gato comeu sua língua?


Volta a questionar furiosamente o dono do pub e Rony balançou negativamente a cabeça em resposta. O velho poderia ser baixinho e feioso, mas colocaria medo até mesmo em um meio gigante como Hagrid, Albeforth parecia um anjinho perto dele.


-Vai pedir uma bebida?


Pergunta o barbudo estreitando o único olho em direção ao garoto que engoliu em seco antes de balançar negativamente a cabeça puxando a varinha em resposta.


-Então guarde essa porcaria, aqui só tem abortos! Pegue uma maldita bandeja e vá fazer algo de útil... onde já se viu um bruxo que não fala!


Resmunga amargamente o velhote empurrando uma bandeja cheia de whisky de fogo mas mãos de Rony ordenando que levasse para as mesas.


-É melhor George não demorar ou vou exigir o dobro do meu salário por isso!


Resmunga Rony para si mesmo, servindo a primeira mesa onde um homem robusto espirrou na cara dele antes de pegar o copo de whisky de fogo e espirrar novamente sobre a pequena chama sobre o líquido que logo se transformou um jato de fogo em direção ao ruivinho, que desviando habilmente, acaba por esbarrar em outro homem que entrava no pub.


Parecia uma fileira inteira de dominós caindo desastradamente, o homem que esbarrou em Rony caiu sobre uma cadeira, que por sua vez derrubou a mesa de três caras que jogavam cartas e fumavam ao mesmo tempo em que enfurecidos partiram para a briga já que suas valiosas moedas de ouro apostadas no jogo voaram pelos ares... e a confusão estava enfim armada.


 


SKEETER POV.


 


Rita tinha um sorriso quase obsceno estampado em seu rosto enquanto dormia abraçadas as duas ultimas edições do Profeta Diário com seu nome em ambas as manchetes de capa. Com um suspiro feliz, ela finalmente poderia deitar a cabeça no travesseiro e dormir uma longa e bem merecida noite de sono. Sua vida finalmente ganhara o pódio, os holofotes que tanto ansiava em recuperar desde o começo da guerra. Ela retomava sua carreira no melhor momento de todos.


Seus dias escondidos naquele pub fedorento estavam contados, a quantidade de jornais vendidos nos últimos dias foi assustadoramente recorde. Ela estaria recebendo comissões altíssimas a partir de então, sem falar que seus editores estariam duelando pelo direito de coloca-las em suas capas semanais. Particularmente sua última ideia de promover uma campanha para uma esposa adequada para Harry Potter fora uma jogada digna de mestre.


Agora só faltava chegar à sede do Profeta Diário e filtrar as melhores cartas das ‘pretendentes’ a vaga de futura Senhora Potter. Oh! Era tão emocionante, já tinha em mente exatamente como escrever a próxima manchete “As primeiras pretendentes de Harry Potter” e pelo que seu editor dissera, não paravam de chegar corujas de todos os lugares da Europa com propostas de casamento ao menino-que-venceu. Era a ascensão do nome Skeeter no mundo jornalístico, ela podia sentir.


Dinheiro, fama, fortuna, reconhecimento... Ela finalmente teria o que merecia por seu extraordinário esforço. Mas, seus sonhos felizes seriam bruscamente interrompidos por uma confusão a nível épico ocorrendo no salão do pub onde estava secretamente hospedada. A gritaria, o barulho infernal de copos de vidro quebrando contra as paredes, mesas e cadeiras derrubadas...


-O que diabos está acontecendo aqui?


Praguejou a mulher em uma careta de desgosto absoluto, procurando a varinha e o roupão, ela preparou-se para abrir lentamente a porta do quarto com cautela, afinal, não seria prudente se expor no meio de uma briga, pior ainda, seu senso de autopreservação estava gritando desesperadamente para se esconder, mas perdera a batalha contra a curiosidade infame da repórter bruxa.


-Isso não parece normal, eles nunca brigaram assim antes!


Murmura para si mesma a bruxa, tendo que fechar a porta bruscamente para desviar de um copo de whisky de fogo voador em sua direção. Ofegante, de costas contra a porta a animaga ilegal ponderou suas saídas. Aparatar estava fora de questão, aquele pub tinha uma centena de feitiços meia-boca para impedir ladrões de fugir sem pagar.


Passar por aquela multidão de bárbaros duelando como se não houvesse amanhã sendo a única mulher com coragem (ou desespero) o suficiente para entrar naquela espelunca era como acenar uma bandeira vermelha nos olhos de um touro bravo. Ela estava encurralada, mas Rita já estava acostumada com situações de risco.


Embalando rapidamente suas roupas, pegando sua pena de repetição rápida e pergaminhos extras, embolsando seus pertences, puxou a varinha a apontando para a mala e murmurou rapidamente:


-Reducio!


No entanto, para sua surpresa e completa estupefação, nada aconteceu. Exasperada, ela tentou novamente, mas nada aconteceu... de novo. O que havia de errado? Ela nunca errara tal encanto! Olhando em volta alarmada, percebendo os gritos ficarem mais altos e cada segundo mais próximos do seu quarto.


-Reducio! Diminuo! Encolhimenta!


Tentava arduamente a bruxa sem alcançar resultado algum. E foi com os olhos esbugalhados de horror que ela encontrou-se finalmente a encarar de perto sua própria varinha transmutada em uma varinha de alcaçuz colorida e coberta de açúcar.


-O-o-o-Oque????


Desespera-se Skeeter sem conseguir acreditar no que via. Jogando o doce trouxa pelo ar ela revira literalmente cada centímetro do seu quarto em busca da varinha real, enquanto batidas insistentes na sua porta a deixavam mais aflita ainda.


-QUEM ESTÁ AÍ????


Bradava uma voz aterrorizante do outro lado e Rita encolheu-se em pânico.


-NINGUÉM!


Gritou de volta sem ao menos perceber.


-Merlin onde essa varinha foi parar????


Caçava ela praticamente contorcendo-se debaixo da cama.


-ABRA ESSA PORTA AGORA, É UMA ORDEM!!!


Gritou novamente esmurrando a porta com força, o som de vidros estilhaçados ressoando logo atrás do homem.


-POUCO ME IMPORTA!


Rebateu mordaz até engolir em seco ao perceber a loucura que cometera. Fique calada, fique calada, fique calada! Repetia mentalmente Rita em angustia fria ao que sua boca não pareceu ouvir seus pensamentos.


-NÃO TEM NINGUÉM AQUI IDIOTA! VÁ EMBORA SEU ASNO!!!


Berrou ela deselegantemente, para logo em seguida cobrir a boca ferozmente com as mãos empalidecendo em terror. Como no inferno ela teve a audácia (desejo suicida) de gritar com o dono do maldito pub onde estava hospedada clandestinamente??? Perdera completamente a razão??? Estava sob imperius???


-ORA SUA LADRA INFELIZ, DESAPAREÇA DO MEU PUB!!!


Vociferou o homem arrombando de vez a porta do quarto pronto para acertar as contas com a mulher desbocada que invadira seu pub no pior dia possível. Sem saída decide transformar-se em sua “versão” animaga. Mal sabia ela, que essa seria uma péssima escolha... Pois assim que o velho entrou no quarto deparou-se com um pavão gigante, rosa choque com penas coloridas em neon grasnando freneticamente, frustrado por não conseguir alçar voo.


O velho barbudo congelou em choque absoluto diante da criatura mais bizarra que encontrara em sua longa e louca vida. Sem pensar duas vezes, ele puxa, sabe-se lá de onde, uma vassoura e prepara para atacar a ave endemoniada que cacarejava enquanto destruía os lençóis e cortinas na mais completa desordem. Mas, assim que levantou a vassoura sobre a cabeça para acertar o pavão rosa flamejante, a ave passa por entre suas pernas o derrubando de bumbum no chão.


Ganhando uma espécie de liberdade temporária, Rita Skeeter segue as cegas para o salão que tinha se transformado em um ringue de luta livre. Pedaços de madeira voavam por sua cabeça cheia de penas reluzentes e com um grasnado exasperado ela tenta inutilmente escapar da multidão de homens bárbaros.


Voar não era alternativa, Merlin só poderia ser um maldito pesadelo! Ela não era uma ave, mas um inseto capaz de voar e se esconder habilmente quando o desejava, o que teria acontecido com ela??? Mal tinha tempo para pensar quando o velho barbudo com a vassoura na mão voltou a persegui-la pela multidão.


-VOU TE COZINHAR COMO PETISCO PRO ALMOÇO!


Ameaçava ele ferozmente deixando Rita apavorada, se fosse possível empalidecer com penas cor de rosa ela o teria feito com perfeição. Sem escolha a bruxa se ‘retransforma’ em sua forma humana escapando por um triz de ser alvo da vassoura assassina que acerta a cabeça de um dos clientes do pub que caiu durinho no chão.


De uma hora para outra todos pararam de gritar no salão. O silencio mortal reinava quando todos os olhos se voltaram em direção à repórter bruxa. Poderia se escutar o som de um alfinete cair no chão quando o entro das atenções se voltaram para uma bruxa completamente careca com pele de cobra vestindo uma camisola que mal lhe alcançava as coxas.


O velho barrigudo com barba escura a encarava lívido, a vassoura caindo automaticamente da sua mão numa expressão de puro choque e temor. Rita arfava pesadamente com uma mão sobre o peito, onde se encontrava o coração batendo fortemente, e os olhos percorrendo ligeiramente todo o salão. Isso não era bom!


Ela abriu a boca para falar mas, a única coisa que saiu foi um silvio ameaçador digno de uma serpente. Seus olhos arregalaram comicamente quando uma língua fina em forma de fita escapou entre os lábios secos e duas presas afiadas bastante proeminentes.


-MATEM A COBRA!


Gritou alguém no fundo do salão e o circo estava feito.


 


GERAL POV.


 


Um homem alto de cabelos grisalhos e feições rígidas seguia solitário pelo convés do navio, era uma manhã cinzenta, o vento frígido não era nada convidativo, mas ele não pareceu se importar. A fumaça irregular do seu velho charuto era sufocada pelo vendo e chuviscos marítimos e sabiamente o senhor apertava o sobretudo marrom firmemente contra o corpo largo e bem formado.


Cada novo passo seu ecoava sombriamente contra a madeira úmida no chão, as botas de couro de dragão visivelmente desgastadas e os penetrantes olhos castanhos presos no horizonte onde aos poucos poderia se perceber os contornos da civilização, um apito ressoou como um aviso do almirante, estavam chegando ao seu destino, finalmente. Depois de meses em alto mar, ver terra firme era definitivamente inspirador para aquele homem. Estreitando os olhos ele podia identificar a singular característica daquele lugar, uma onda de nostalgia o inundava e logo as memórias mais marcantes retornavam a sua mente cansada.


Encontrando um banco para sentar-se, o homem tomou um pergaminho escondido no interior do sobretudo marrom e o reabriu, lendo pacientemente a mensagem dirigida a ele. Depois de quinze anos, lhe fora concedida a oportunidade de voltar para casa, de retomar aquilo eu era seu, seu emprego, sua vida... o que restara da sua família após a guerra.


Amélia Bones, Alastor Moody, Cornélio Fudge, Emmeline Vance... seus maiores inimigos estavam mortos, com uma breve exceção ao atual Ministro da Magia Kingsley Shacklebolt, mas isto era um contratempo sem maior importância, afinal estaria tão ocupado em reconstruir os destroços da comunidade mágica britânica que mal perceberia seus movimentos até que fosse tarde demais. Era uma mera pedra no sapato em comparação ao seu verdadeiro objetivo.


Afinal, ele era um homem de palavra, jurou libertar o mundo de ameaças como aquela mesmo que lhe custasse a vida, independente dos meios... ele estava ali para reestabelecer a ordem natural das coisas, para reafirmar a soberania dos bruxos sobre aquele mal. Não existia em todo continente alguém mais capacitado do que ele, nenhum outro conseguiu chegar até onde ele chegou e agora suas habilidades eram necessárias aos aurores.


Um sorriso amargo decorou os lábios rachados, e com uma forte tragada, o homem atira o pergaminho ao mar e retoma sua lenta caminhada pelo convés. Seria um retorno interessante a suas antigas atividades...


 


HARRY POV.


 


O dia começou preguiçosamente no Largo Grimmauldi, os tímidos raios de sol que escapavam das densas nuvens cinzentas aqueciam a manhã e traziam um pouco de luz para o quarto. Ele acordou primeiro, com sua namorada firmemente entrelaçada em seus braços, não podia deixar de sorrir a apertando contra o peito e respirando profundamente o aroma delicado de baunilha que escapavam de seus longos e macios cabelos castanhos.


A fitando carinhosamente, ele percebeu ter adormecido em seus óculos, mas não se importou, afinal poderia ver completamente a linda imagem de Hermione ao seu lado, da sua namorada, sua melhor amiga, sua companheira, sua confidente, sua esperança... a mulher da sua vida em seus braços, tão serena, tão leve e maravilhosa com seus cachos  caindo graciosamente pelo rosto perfeito, os lábios atrevidamente rosados e o nariz pequeno e empinado.


Não resistindo, Harry inclinou o rosto e roçou seus narizes levemente, apreciando a sensação suave da sua pele contra a dele e instintivamente ela respondeu ao seu abraço com um gemido gentil. Sorrindo ele enterrou o rosto na curva do seu pescoço distribuindo pequenos beijos enquanto decidia se a acordaria ou não. Sabia o quanto ainda estaria cansada depois de passar a noite com Teddy e também a conhecia bem o suficiente para saber que ela não desistiria de seguir à risca sua maldita lista de afazeres para reformar o casarão inteiro.


Ela estava se esforçando demais por ele e por seu pequeno afilhado. Abrindo mão de Hogwarts, de um bom estágio em Snt. Mungus, desistindo de partir em busca de seus pais na Austrália e das ofertas tentadoras de McGonagall para voltar a estudar. Ela sofreu ameaças, correu riscos inimagináveis, foi torturada, perseguida, humilhada, ferida gravemente, e nunca deixou de confiar nele, de acreditar e ter fé que ele conseguiria vencer, Hermione recusou tudo para não abandoná-lo, ela desistiu de tanto sem olhar para trás por que o amava e não existia nada nem ninguém que tenha feito algo parecido por ele antes.


O amor que ela lhe dedicava era tão intenso que o fazia se sentir mais vivo do que jamais seria capaz de expressar em palavras. A força que ele sentia, o desejo de levantar quando estava caído, o esforço para se tornar melhor, a vontade de ser feliz, os sonhos de um futuro sem Voldemort... tudo o que ele queria para si mesmo possuía uma marca de Hermione, uma palavra, um sorriso, um abraço, um conselho, um beijo apaixonado, um olhar cúmplice, um mero roçar de mãos... e seu coração alcançava ritmos frenéticos.


Ele poderia fazer tudo errado em sua vida, mas não desistir de Hermione foi a escolha mais sábia que ele poderia tomar. Merlin, quanta sorte ele possuía de tê-la em sua vida! Mais uma vez, ele concluiu que estaria perdido e mergulhado em um poço de desespero e auto piedade se não fosse por Hermione. Ele a amava tanto que seu peito chegava a doer tamanho o sentimento de felicidade que o dominava sempre que ela lhe sorria.  Seu amor por ela tinha despertado de muitas formas... Era algo voraz, selvagem, possessivo, apaixonado e ao mesmo tempo, era suave, pacífico, carinhoso e extremamente fiel. Era algo para durar para sempre.


-Eu te amo tanto, Mione!


Murmura ele sentindo-se hipnotizado pelo perfume da nascida trouxa, seus olhos fechando-se novamente, estava aponto de entregar-se ao sono quando o choro de seu afilhado ecoou pelo corredor. Com um suspiro cansado, Harry se levantou, iria tentar acalmar Teddy sem acordar Hermione, hoje ele queria deixar sua namorada orgulhosa, queria fazer algo realmente bom para ajuda-la e assim que seus olhos pousaram sobre seu afilhado teve uma ideia incrível.


-Hey Teddy, o que acha de surpreendermos Hermione?


Brinca ele tirando o pequeno do berço que assim que o percebeu parou de chorar o encarando com certa desconfiança. O moreno de olhos verdes riu ao imaginar que o Lupin esperava uma menina de cabelos cacheados e não um marmanjo para trocar sua falda logo pela manhã... é a vida nem sempre era justa! Pensou maroto o jovem Potter.


 


SKEETER POV.


 


Foi uma Rita revoltada, arfante e mal vestida que aparatou em frente à loja do senhor Olivaras, para descobrir que sua varinha só estaria pronta em dois dias. “É a primeira vez que transformam uma das minhas varinhas em alcaçuz!” protestava o velho homem horrorizado por não saber como inverter o feitiço. Furiosa a bruxa tentou braviamente se equilibrar em seus saltos vermelhos apenas para tropeçar a cada cinco passos dado.


Hoje não era o seu dia, mal acordara e perdera a varinha, fora ameaçada pelo bárbaro que cuidava do pub, transformou-se em um pavão ridículo e foi cruelmente perseguida por um gorducho com uma vassoura na mão e para piorar tudo quando voltou a sua forma humana estava idêntica a um basilisco meio-humano com camisola.


Era humilhação demais para suportar, Skeeter estremecera com a lembrança de escapar do pub e aparatou no meio do Beco Diagonal em desespero, não tinha mais a pele de cobra, mas seus cabelos sumiram, desapareceram, viraram fumaça, se foram! Maldição! Como era possível?


Para seu completo desgosto, além das roupas amassadas ela desfilava com um repugnante e exagerado chapéu que rivalizava com o lendário chapéu de corvo da senhora Longbottom para esconder a careca lustrosa, os óculos quebrados, sem varinha e a pele em uma mudança constante de cores e texturas andando pelo Beco Diagonal em direção ao prédio do Profeta Diário.


Ao entrar em sua sala, seu rosto estava literalmente verde com uma série de bolinhas roxas, alguns funcionários ainda arriscaram perguntar se ela estava com alguma crise de sarapintose, mas desistiram depois de ouvir algumas respostas afiadas da bruxa careca e mal-humorada. Ela ignorou o chamado do seu editor e segui em direção a pilha de cartas enviadas para ele.


Com um sorriso venenoso, Rita sabia exatamente onde descarregar sua ira. Puxando as primeiras cartas para uma rápida leitura ela tirou sua pena de repetição rápida e um longo pergaminho e começou a ditar em voz alta:


-Há alguns anos eu tenho me perguntado o que raios um jovem atraente, rico e popular como Harry Potter poderia enxergar em uma pequena aberração nascida-trouxa de dentes salientes e cabelos espessos. Dignamente eu desafiei meus sentidos e expressei essa dúvida aos meus fieis leitores no agitado ano do Torneio Tribruxo e com horror deparei-me com o terrível plano de Herminy Grangy para conquistar o coração de Harry Potter e ao mesmo tempo a estrela de quadribol, Viktor Krum. Ora, não era segredo para nenhum dos alunos em Hogwars os péssimos hábitos da garota que insistia em monopolizar o jovem Potter e atiça-lo com seu rival búlgaro sempre que tinha chance, e na última edição revelei mais uma faceta sombria da garota que se auto-intitula como um dos heróis de guerra! Francamente, depois de ter provocado a discórdia no Torneio Tribruxo, ela engravidou indevidademente do menino-que-venceu ambicionando a herança Potter caso Harry tivesse morrido durante a batalha final contra o senhor das trevas... mas, como seus planos não deram certo, a garota Grangy passou a usar seu próprio filho como arma para ameaçar o ex-namorado e fugir com seu antigo affair Viktor Krum levando o único herdeiro (bastardo) consigo! Mas, não temam meus queridos leitores, nós da equipe do Profeta Diário não poderíamos ficar de braços cruzados em um momento como esse...uma campanha foi lançada e agora para trazermos a mulher certa para a vida do menino-que-venceu!


Recitava ela com uma alegria doentia.


-A primeira candidata ao posto de senhora Potter irá agradar aos olhos e paladar do nosso menino-que-venceu! Isso mesmo caros leitores, estou falando de Abigail Jerkins, linda menina escocesa de família tradicional, tem dezesseis anos de idade, cabelos dourados, lisos e perfeitos ao contrário da víbora nascida-trouxa que mal sabe como domar aquelas coisas que chama de cachos, inteligente, dócil, carinhosa e adora crianças, o que conta muito a seu favor já que nosso herói vai precisar de muita ajuda para lidar com o pequeno Teddy, especialmente se puxar ao gênio cruel da sua mãe, pobre menino... e por fim sabe preparar as melhores receitas de toda a Escócia!


Abrindo a segunda carta seus olhos brilharam em animação.


-Segunda candidata em vista, a jovem inglesa Eveline Connor tem dezessete anos de idade, fala fluentemente seis idiomas, é jogadora profissional de quadribol, ama fitoterapia e tem cabelos ruivos como a mãe do nosso jovem Potter. Eveline foi educada em casa, possui três irmãs mais novas o que lhe conta a favor como experiências com crianças, se diz apaixonada pelo nosso herói desde os oito anos de idade e sonha em poder conhece-lo pessoalmente e livrá-lo da má influencia da menina Grangy! Uma jovem bem determinada!


E com isso Rita passou toda a manhã mudando de cor como um arco-íris ambulante e trabalhando nesse novo artigo, até dar-se por satisfeita e entregar o pergaminho com a matéria ao seu editor-chefe. O homem esbugalhou os olhos com o que leu, mas a Skeeter garantiu que não queria mudar uma única palavra de lugar! Ele tentou insistir, mas Rita o ignorou e partiu da sala aparatando no Beco Diagonal novamente, disposta a comprar uma peruca e depois seguir para uma consulta de emergência em Snt. Mungus para livrar-se dessa maldição.


Mal sabia ela que o que seria publicado no jornal a colocaria em uma péssima situação com seus mais fieis leitores! Fred e Rony ainda estavam gargalhando horrores na loja de piadas enquanto enviavam uma câmera mágica para Dennis Creevey revelar as imagens de uma certa Skeeter se transformando em pavão cor de rosa e logo depois em uma cobra gigante dentro de um pub para abortos. Ela não perdia por esperar!


 


.............................//................................


Wow, nussa pensei que num ia terminar esse capítulo a tempo!!! T_T estou morta morrida de morte matada de sono, sério mesmoooooooo!!! Mas, ainda estou escrevendo a continuação da Revenge Weasley contra Rita Skeeter ;D


Hauhauhauhauhauhauhauah


Coveiro-sama-senseiiiiiiiiiiiiiiiii!!! (fica de joelhos em reverência ninja nível máster) @.@ Perdão pela demora!!! (foge dos avadas) Por favorzinho num me odeie (isso aí num me odeie, odeie a minha falta de internet, juro que isso só pode ser uma maldição e aposto minha bicicletinha cor de rosa que a culpa é do Voldemort, ele ta de recalque comigo porque já comecei minha fic matando ele U_U hauhauhauhauhauhauhaua/so que naum)!!! Quero mais post em todas as suas fic e estou literalmente roendo as unhas a espera do capítulo novinho de Revelações com Espaghetti *----------------*e por isso estou disposta a chantagear o Coveiro-sensei com mais capítulos ainda se for possível!!! Muhauhauhauhauhauhaua oks, parey é culpa do sono, meu pc diz que é três da manhã e eu to torcendo para ser horário de verão T_T Ow Merlin que azar!!! Demorei mas estou cumprindo minha parte da chantagem!!! (cochilando em cima do notebook)Capítulo com mais de dezoito páginas online (dedinhos doloridos mode on) o Harry sonhando com uma família de verdade e o sonho se transformando em pesadelo... será um presságio??? (nuss eu to maligna hj) Rita pagando aos pouquinhos vai se surpreender quando sua matéria for publicada especialmente quando certas fotinhos caírem em mãos erradas Muhauhauhauhauhauhauau agora num pode mais reclamar mocinho!!! (aura maligna) brinks, estou sinceramente torcendo pela sua total recuperação e por muuuuuuuuuuuuuito mais inspiração para novas ceninhas de Dia a dia de casal afinal tá sendo mimado pela noiva/melhor amiga (aiaiai Yukito isso é tão Harmony *-*) que é tuuuudooooow de bom ;D hauhauhauhauahuahuahuah ahhh já dando uma de Trelawney néee??? Os pais da Mione serão um desafio e tanto para o Harry, basta lembrar que ela fez tudo o que fez com eles para fugir com o Potter no meio de uma guerra o que definitivamente não agradaria nem um pouco os pais dela, imagina só quando ela disser que desistiu dos estudos ou que tá morando com ele??? (foge para as montanhas) Tenho até pena do que estou preparando para eles!!! hauhauhauhauhauauha agora é a hora da atormentação U.U enton lá vai... SEGUE A SETA COVEIRO-SENSEI ---------------------> CADÊ VEGAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAS???? OS: Contrato da Morte logo terá atualização o/ hauhauhauhauhauau será que daria certo postar ela aqui na Floreio&Borrões???


OMG!!! (agarra um dementador e dança) Doces calcanhares de Merlin!!! Pelo amor dos poneys malditos!!! Santa cabeleira de Voldemort!!! Saito-samaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa aceitou fazer dupla Shakiraneja comigo????? *----------------------------* (cai de cabeça mode on) Naum acredito! (lê comentário todinho de novo) Sério mesmo??? Muhauahuahuahauhuaha acho que consegui um parceiro no crime pra dançar Loka Loka Loka comigo ou pior... contagiei você com a minha malukisse anormalmente harmony!!!! XD hauhauahuahuahuahuahuahuah Saito-sama ser um bruxo definitivamente de coragem!!! Hauhauahuahuahuahuhaua oks, parey, não liga pro que eu to escrevendo, é sonooooo mesmo, nussa já são três da manhã (preparando para entrar no modo zumbi em 4...3...2...1... LOADING... FALHA NO SISTEMA OPERACIONAL/vixi nem meu cérebro ta funcionando mais ¬¬/bota a culpa no Voldemort!!! U.u) Oks vamos ao que interessa!!! XD Inspirada no seu coment de “Vou ferrar com os sentimentos dos meus leitores” (Karakoles me senti uma Bellatrix da vida lendo isso em voz alta *---* eu sou tão má!!!) e aíiiii coloquei o comecinho com o Harry e aMione cuidando do Teddy juntinhos (corre para as colinas fugindo dos avadas do Saito-sama) Year, a vaca Skeeter se transformou em pavão flamejante, perdeu a varinha, ficou careca e virou uma espécie de serpente perseguida em um pub por um gorducho mal-humorado com uma vassoura assassina... isso é só o começo ;D Ownnnnnn a relação do Harry e da Mione está progredindo aos pouquinhos, mas pode ter certeza que em algum momento eles vão muuuuito mais além dos beijos apaixonados (spoiler mode on) ainda mais quando o velho cara do barco entrar na vida deles!!! OOOOOOOOps falei demais!!! Hauhauhauhauahuah espero que tenha curtido o capítulo e nãaaaaao esquece de comentar mocinhu!!! U_U


Riemiiiiiiiiiiii-samaaaaaaaaa meninahhh \o/\o/\o/ fechando meus comentários com chave de ouro cor de rosa!!!! XD Garota do comentário gigantão roubado pela internet maligna T____T (isso foi obra de Voldemort!!! Temos que nos vingar dele o/ quero meu coment grandão de voltaaaaaa! Hauhauhauhauhauahua brincadeirinha não me leva a sério!!! ;D)!!! *--------------------* (agarra e dança Shakira) hauhauhauhauhauhauhaua naum se preocupa com tamanho de comentário naum, não faz ideia de como fico feliz só em saber que gostou do capítulo mesmo que fosse só uma frase mesmo!!! Estou passadahhh na chapinha libanesa agora! UAU você foi a única a perceber que não daria certo esconder o namoro desses dois!!! Hauhauahuahuahuaua realmente quem vai se aproveitar disso é um certo búlgaro e um outro rapaz de Hogwarts que vai aparecer mais na frente ;D Muahuahuahuahuhauahua basta lembrar que o Harry é um garoto ainda, mesmo que esteja acostumado a lidar com problema de gente grande, ele não sabe como lidar com toda a fama atrapalhando sua vida e tem medo de que os artigos de Skeeter possam se tornar mais agressivos se ele revelar sua relação com ela, mas é de Harry que estamos falando, nada sobre a vida dele fica em segredo por muito tempo (fika a dika uahuauahuauahuaha) e as coisas vão realmente mudar quando encontrarem os pais da Mione, conquistar os sogrinhos vai ser definitivamente a tarefa mais árdua que o Potter vai ter que enfrentar T_T tenho até peninha dele!!! Owwwwwwwnn menina estou estudando pra mais dois concursos agora, estou torcendo para conseguir passar, será que eu conseguiria ser tão genial quanto você e conseguir uma vaguinha???? (esperanças mode on) hauhauhauhauha concordo contigo, concurso é bom pra que passa/se classifica nehh mas até chegar essa hora dá uma aflição, um trabalho e um desgaste mental absuuuurdo :( nussa assim eu fico emo!!! (chuta que é macumba) hauhauhauhau brinks!!!


 


 


 


 


 


 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 6

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Venatrix em 24/10/2013

Que capitulo perfeito, Vigança, familia, pessoa misteriosa....
São tantas emoções...
O sonho foi demais, serio a descrição foi perfeita, e ferrou com meus sentimentos.
O que sera que esse cara misterioso é?? Ele realmente representa uma ameaça??
Quero ver a segunda parte logo... por favorzinho 

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Pah F Potter em 22/10/2013

mto boa perfeita

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por RiemiSam em 22/10/2013

Vc vai deixar o Harry maluco, já não basta o Krum, mais um no pedaço? Eu AMO isso! Ela merece ser disputadíssima, eu li todos os livros, assisti todos os filmes, mas senti falta de repararem na Herms como realmente ela merecia. Acho-a divina. Sou feminista até a raiz, amo ser mulher e admiro as que tem atitude. Afinal não basta nascer, você tem que SER. Quem é este ser maligno que apareceu? Fiquei roendo minhas unhas... E amei a vingança.. que a Rita sofra, essa cobra de língua afiada. O Teddy é fofo demais e realmente sofrerá se tiver que se separar da Mi. Vai doer o coração. Tô torcendo para que passe e seja convocada o mais breve. Mas não desanime ou desista. Ok! Se você tiver oportunidade pesquise sobre carreiras dos FISCOS Estaduais. Vale qualquer formação superior. Seu entusiasmo contagia, sabia? Admiro a escritora e a pessoa que sempre dá atenção a seus leitores. Um gde abraço e beijo. 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Coveiro em 22/10/2013

Promessa cumprida... postei mais dois capitulos... agora só falta Revelações com Espaghetti... o q acha de postar mais um capitulo dessa fic... se vc postar mais um capitulo, me mato de escrever mas posto Revelações com Espaghetti antes do fds... o q acha? (sei ser chatangista tambem)... mas não deixe de dormir pra isso... o meu capitulo ja ta com metade escrita... e a outra ta começando a se encaminhar... vou escrever mais amanhã...

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Coveiro em 22/10/2013

Caraca.... to louco pra ver a continuação desse capitulo... essa vingança com a Skeeter foi fantastica... preciso muito de mais urgente...

Esse pirata me deixou curioso...

Hermione falando de ir pra cama logo pq não aguentava mais foi muito louco... mas a reação do Harry foi demais... e ai ela esclarecendo as coisas me fez rachar o bico...kkkkkkkkk... mas algo me diz que esses dois não ficaram apenas nos beijinhos apaixonados e caricias inocentes por muito tempo....

O sonho do Harry foi bem real... sinistro... espero q não seja o futuro...

A vingança com a Skeeter foi fantastica... 

Os pais da morena vão ser osso duro de roer... coitado do Harry... espero que o Teddy va junto na viagem pra amolecer os dois... afinal ela ja é a madrinha dele

Quanto ao Harry trocar a fralda do Teddy to só esperando pra ver... possivelmente vai ser hilario... duvido que o Harry acerte de prima... e o Teddy, será q vai aceitar bem isso?

Mega curioso pro proximo capitulo...

E só pra vc saber, ja postei mais um capitulo de Dia a Dia de Casal e tentarei postar mais alguns ainda para ver se quem sabe vc posta mais logo...

Quanto a mim... ja me recuperei quase 100%... só falta recuperar o condicionamento fisico (tinha um quase perfeito... sou hiperativo então preciso gastar energia... ai ja viu)... mas logo recupero... só não voltei a surfar ainda... mas correr e malhar ja... fora q ja to trabalhando novamente e semana q vem ja vou pra Cuiaba... a proposito, sem querer assinei meu nome em um dos coments... por favor ignore... prefiro o apelido... tenho desde criança... um dia explico o pq de coveiro...

Quanto as fics... logo posto mais... quem sabe entre hj e amanhã eu poste mais uns dois capitulos...

Posta mais
Posta Mais
POSTA MAIS
 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Saito em 22/10/2013

HÁ!!!!!!!! PRIMEIRO A COMENTAR MUAHAHAHAHAHAH
~Le espanta o dementador de perdo da Mariana Thamiris e começa a dançar  Hips Don't Lie~ 
 
Menina que capitulo incrivel. Eu mau posso esperar para ver o que a Skeeter "escreveu" kkkkkkkk essa vingança Weasley esta demais Emily Thorne que se cuide, pois os Weasley vão roubar-lhe a serie kkkkkk
QUE SONHO FOI AQUELE?????? Não vou te matar, juro :D Mas por um segundo talvez dois ou três meus olhos tiveram aquele suor masculo que eu comentei daquela outra vez... sei lá o quando o Harry falou nosso filho eu pirei... todo o lance da repetição, estou ansioso para ver, o que ira acontecer oque os dois meninos estão aprontando, como a Hermione vai agir depois do sonho.
Quero muito saber oque o pirata kkkk significa, algo me diz que ele vai ferrar com a vida do povo, mas secretamente eu tenho esperanças de que ele na verdade não seja nada do que eu estou pensando.
Então quer dizer que eles irão avançar o sinal? Ahammmm... not comment 
Eu imaginei que os pais da morena fossem causar algum tipo de problema com relação a todo esse lance da guerra, do feitiço, deles morarem juntos... eu só espero que o Teddy não seja prejudicado por isso, porque de certa forma a Hermione se tornou a mãe do menino... ele quem vai sofrer mais com uma possivel separação dos "pais" 


COIVEIRO-SENSEI SEGUE A SETAAAAAAAAAAAA ------------------> QUEREMOS VEGAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAS (Sdds de comentar isso :)

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.