FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

1. Broccoli x


Fic: Broccoli


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________




N/a: essa fanfic contem palavras de baixo calão e uma leve tendência a puxar para o lado gay da coisa – se é que vocês me entendem... – Muito gay (r). Obrigada (?) [Kevin diz: eu gosto de coisas gays e vocês? *-*]. Ahn... Deixe-me ver o que mais... Ah sim, se você tem uma mente muito limpa, não leia isso... Ela leva para o lado gay e para o lado safadjénho – não, não pensem besteiras – ta, chega de falar. Bêjo com purpurina roshinha pra vossêz e pra Bumda!



Broccoli x
Por Téh Lupin



“Everything was going just the way
I planned the broccoli was done…
She doesn't know that I'm a virgin
in the kitchen, 'cause it's normally my mum”

(Broccoli – McFLY)


Certo, como se fazem compras em um supermercado trouxa? Wow, grande idéia, Remus! Deixe mais vezes o seu amigo sozinho em algum local trouxa. É bom você aparecer, ao menos que você queira que eu destrua tudo. Mas que diabos é “sardinha enlatada”? [sardinha = Luana \o/ e eu escrevi isso antes do apelido /medo/] Credo, cada coisa que esses trouxas inventam. Ah, perdão, esqueci de apresentar-me. Me chamo James Potter, tenho 23 anos, sou bruxo e estou me preparando psicologicamente para fazer um jantar. Sim, um jantar. E é isso ae.

Vamos recapitular. Vocês não devem estar entendo nada do que esse retardado está vos falando, pois bem, vamos lá... Tudo começou com uma tarde tediosa, onde eu, juntamente com Sirius, Remus e Peter – grandes amigos meus – estávamos conversando sobre nada. Até Remus tocar no assunto preferido deles ‘Quando você vai pedir a Lily em casamento, seu idiota?’. E bom, dessa vez eu não fugi, nem me escondi deles, apenas respondi que seria em breve. WOOOOOW! E foi aí que tudo começou. Eles começaram a fazer planos para me ajudar a encontrar ‘o clima perfeito’ para a noite do pedido. Sirius sugeriu que eu a levasse em um sex shop e dissesse para ela escolher o que quisesse. Ahã! Duas vezes até. Já Remus sugeriu um passeio na praia, no pôr-do-sol, sentindo a brisa. Não, mela-cueca demais pro meu gosto. Não que eu não seja um cara romântico, mas ah, isso aí já é viadagem [n/a: JAMES, SEU INSENSÍVEL! /respira/ falou a manteiga derretida ‘-.-]. E então Pete, em um momento saudável e tomado por uma crise de inteligência, propôs a tal idéia: um jantar. Mas não um jantar qualquer. Eu faria a minha especialidade. Ou melhor, a especialidade da minha mãe...

Pronto! Os preparativos começaram. Detalhe: ninguém sabia quando seria e nem se ela aceitaria, o que era o principal, apenas para constar. Remus fez uma lista para eu não me esquecer de nada, como se isso fosse possível com eles três no meu pé o tempo inteiro! Eu pretendia fazer aquele pedido o mais rápido possível, tanto que, na semana seguinte ao ocorrido, fui comprar a aliança. Comprei a mais bonita. Lily merecia, ah se merecia! Peter me ajudou na hora da compra. Sabe, ele pode ser meio tapado, mas é um ótimo amigo [n/a: relevem tudo o que aconteceu, nessa fic ele será uma pessoa mais aceitável, se isso é possível]. Logo os meus pensamentos foram interrompidos por ninguém mais, ninguém menos que Sirius Black, me cutucando no ombro.

- Olá gata, como vai? – Ele me perguntou, com a mão perigosamente perto da minha bunda, enquanto eu ainda procurava o que a minha mãe e mais metade dos trouxas chamavam de copo de farinha de trigo. Sério, o Sirius pode ser extremamente nojento quando quer, mas eu posso ser mais, não duvide.
- Mano, não chegue mais para baixo, você pode se assustar com o que eu tenho aí... – Eu me virei bruscamente, fazendo Sirius recuar e tirar a mão dali rapidinho. É, caros amigos, James Potter sabe como afastar um maníaco sexual.
- Certo, travecão. Eu só vim te pagar pelo serviço de ontem... – Sirius tirou algo do bolso, e, pelo que eu havia aprendido com a Lily, eram Libras. Ele estendeu o braço na minha direção.
- Eu não quero o seu dinheiro, gato. Você fez o trabalho muito mal-feito ontem, não vou cobrar por aquilo. – fiz a minha melhor voz afetada. – Agora, se você quiser que eu te ensine como faz, eu te ensino com o maior prazer. – Acho que chega disso, não? Eu estou prestes a vomitar em público.
- UH, TERROR! JAY-JAY É MATADOR! [n/a: créditos a Bruna Lupin pelo matador, o que fez me lembrar dessa ‘música’] – Remus apareceu no final daquele corredor, gritando de dentro de um carrinho de supermercado, que era empurrado com muito esforço por Pete. Idiotas!
- Olá Desaparecido Lupin, como vai? – perguntei, cínico. Agora que eu não preciso mais dele, ELE APARECE! Mentira, eu ainda preciso dele. Ele é o Xu do meu Crutti [NÃO, EU NÃO FALEI ISSO DE NOVO. NÃO, NÃO, NÃO!].
- Eu vou bem, Crutti... E você? – odeio quando você faz isso, xu... Odeio!
- Vocês não têm noção de como isso é estranho. E para completar, TOTALMENTE gay, uuuuuuui! – Peter disse, e soltou um gritinho agudo no final.
- Agora só falta eles se jogarem numa banheira de purpurina... Uuuuui! – Solta o Kevin, beesha!
- Por Merlin, chega de bichisse. Eu estou falando sério. – Remus gritou. Todos os olhares do local se viraram para nós. Ah, que vergonha que eu tenho dos meus amigos. – Do que mais você precisa aí, James? – ele olhou para o carrinho que eu empurrava.
- De TUDO! Eu não achei porra nenhuma sem você aqui. Porque sabe, né... EU NÃO SOU TROUXA!
- Ah, e eu sou, de certo... – Sabe de uma coisa, só faltou a gotinha caindo da cabeça dele, que nem nos desenhos japoneses que a Lily assiste. – Certo, precisamos de dois copos de farinha de trigo.
- E aonde vamos conseguir um copo de farinha de trigo? – Indaguei. Agora me diga, onde eu vou achar um copo feito de farinha de trigo? E para começar, o que é farinha de trigo?
- Aqui? – Peter quis dar uma de esperto... Coitado.
- WOW! Você está criando um cérebro, Pete?
- Não, eu apenas estou usando um pouco de bom senso que o Remus me passou por meio de difusão [N/B: difusão? Q]!
- Interessante... – Remus colocou a mão no queixo, fazendo pose de inteligente. – Mas eu acho que a gente deveria pedir informação para essas pessoas que estão vestidas todas iguais, elas devem trabalhar aqui. - Que orgulho que eu tenho dos meus amigos... Sério.
- Então tá, vai em frente e pergunte para ela. – Sirius fez uma careta engraçada, fazendo-me rir sem nem ao menos saber o motivo. – VÁ, REMUS, NÃO SEJA UMA BICHA. – e a última coisa que eu vi foi Remus embaixo da pilha de latinhas que estava, até minutos atrás, empilhada em forma perfeita de pirâmide. E, agora sim, eu retiro o que disse... Eu não tenho tanto orgulho assim deles. Não mesmo.

Comecei a rir descontroladamente e quase derrubei outra pirâmide de latinhas ao tentar me escorar em algo para não cair no chão. Já Sirius e Peter estavam sem fôlego ao ouvir os resmungos irritados de Remus, que pedia inutilmente por socorro. Ah, mas vamos lá, imaginem a cena...

Uma bela e perfeita pirâmide de salsicha enlatada, sendo atingida de forma cruel e desumana por um cara loiro, de 1,80m, com seu pânceps bem definido – que mais parece um melãozinho – e logo após isso, latas e mais latas de salsicha enlatada caindo sob esse mesmo cara, que resmungava e xingava a mãe de Sirius de todos os nomes possíveis. O cara que acabou com a beleza e perfeição da pirâmide, o cara mais cruel do mundo. Apresento-lhes Remus Lupin. O cara que ficará para sempre na nossa memória como ‘O cara da pirâmide de salsichas enlatadas’. Obrigado.

AAAAAAH, VAI DIZER QUE NÃO É BIZARRO? É SIM, NÃO NEGUE. AAAAAAAAH, EU TO BERRANDO AQUI. BERRANDO. TÊM NOÇÃO DISSO? NÃO, NÃO TÊM!
AH, CÉUS... O JANTAR. MEU DEEEUS!

Saí correndo até Remus, que ainda estava estatelado no chão, e o ajudei a levantar... Droga, eu preciso dele pra me ajudar nessas compras e RÁPIDO.

- Xu, vamos lá, eu preciso da sua ajuda. Você sabe que horas são? São quase quatro horas da tarde e eu não tenho todo o tempo do mundo para fazer esse jantar. Se tudo der certo a Lily volta às 18:30 e eu espero, do fundo do meu coraçãozinho, que essa merda de reunião vá até as oito horas. AGORA SERÁ QUE DÁ PRA LEVANTAR E SE MEXER PRA ME AJUDAR A COMPRAR TUDO? – Sério, eu não sou neurótico, eu só estou extremamente irritado e apavorado. Como eu vou fazer compras em um mercado trouxa se eu nem sei o que é aquilo. AH, EU QUERO A MINHA MÃE!

ISSO! JAMES, VOCÊ É UM GÊNIO. Agora eu só preciso mandar uma coruja para a minha mãe e chamá-la aqui, porque pelo menos ela vai saber em qual dos corredores está o tal do copo de farinha de trigo. Uii, legal e agora... Cadê a coruja quando eu preciso dela? Cadê a pena e o pergaminho? CADÊ A MINHA MÃÃÃÃÃE?




- Moça? – eu chamei, meio hesitante.
- Sim...? – ela respondeu, simpática.
- Ahn, onde a gente pode achar, er... um – olhei na lista. Aquele nome era mó estranho. – copo de farinha de trigo? – ela soltou um risinho debochado. Porra Tia, não to vendo graça nehuma aqui.
- Olha senhor, você jamais irá encontrar um copo de farinha de trigo, exatamente.
- Como assim? Por que? Mas, ta escrito aqui! – eu estava escandalizado. Tinha escrito lá, exatamente assim: “2 Copos de farinha de trigo” e agora a Tia vem me dizer que eu nunca vou encontrar. Ah, poupe-me, querida.
- Acompanhem-me que vocês já vão entender. – Eu e Remus nos entreolhamos e demos de ombros. Seguimos a Tia até um corredor próximo. E se você quer saber de Sirius e Peter, o que eu acho muito difícil, eles foram embora, porque sabe, né... ELES SÃO UNS PUTOS! E ótimos amigos, falando nisso. Andamos até na metade do corredor e a Tia se abaixou para pegar um pacote, que eu não sei do que era, e logo após se levantou novamente, carregando em suas mãos o tal pacote. – Então, como vocês podem ver, esse é um pacote de 1kg de farinha de trigo, correto? – nós dois assentimos. – Ótimo. Agora, meus amigos, quando vocês forem fazer essa receita – ela apontou para o papel em minhas mão.s – vocês vão pegar um copo, conhecem? E depois vocês enchem o copo com farinha, e daí, vocês olham se precisa dois copos, vocês vão ter que repetir esse processo duas vezes e assim por diante. – Ela sorriu, feliz. – ENTENDERAM?
- SIIIIM! – Remus ergueu os braços e sufocou a Tia num abraço... E EU SEI QUE ELA GOSTOU, hmm, safadjénha! – Obrigadénha, moça. Você é muito simpática, sabia? – ela corou e eu ri. Remus e seu jeitão, ahn... Remus de seeer.
- Certo Remus, ignorando um pouco o momento ternura, eu preciso te lembrar que tenho outras compras pra fazer. DÁ PRA SER OU TÁ DIFÍCIL?
- Certo James, vamos...

Agora que a gente já tinha aprendido com a tia como o esquema funcionava, foi tudo beeeeem mais fácil. Saímos catando o resto dos ingredientes. Em mais ou menos meia hora tudo estava dentro do carrinho e finalmente rumamos para casa.

Durante o caminho, Remus avisou que não poderia me ajudar com o jantar, pois ele tinha outro compromisso. Tanto faz, eu só quero que essa torta salgada fique pronta logo, merda!

Quando cheguei na frente do nosso prédio, me despedi de Remus e abri a porta, dando boa tarde para o porteiro, o Patrick. Super gente boa ele! E chamei o elevador [n/a: elevadooooor, ta ouvindo? :x [N/B(Beta que também é elevador): AQUI, TEH!]] e esperei até ele chegar ao térreo. Quando cheguei até a porta do nosso apartamento, eu tive vontade de gritar. É, GRITAAR, MANO! Sabem por que? PORQUE TA DANDO TUDO CERTO, AAAAAAAH MERLIN, OBRIGADO!

Entrei no apartamento e fui direto pra cozinha. Catei a tal da receita, na porta da geladeira. Comecei a fazer a receita e PÁ! Mas não vou narrar isso pra vocês, já que eu não quero me envergonhar - mais - publicamente, obrigado.

E agora, esquecendo um pouquinho a minha reputação, eu admito: fiz uma puta sujeira. Tive que limpar tudo, óbvio... Ou vocês queriam que a Lily se deparasse com a casa toda suja, huh?! Não, obrigado. Depois que a torta já estava na geladeira e já eram 17:25, suspirei pesadamente e me joguei na cadeira mais próxima. Aquele jantar estava me dando mais trabalho que o Sirius bêbado. Mas Merlin é bom e está me auxiliando, o que significa que tudo está saindo como o planejado. Joinha pra mim (y). AEEEE!

Escutei o barulho irritante da secretária eletrônica e, se você quer saber, eu só tenho isso em casa por causa da Lily. AH, MEUDEUSDOCÉU! O PRESENTE DA LILY! “Hey Jay... Ahn, você não deve nem estar em casa agora, mas bom...” Certo James, seja uma pessoa centrada. RESPIRE. Inspire. Expire. “... quando você chegar, eu não vou estar em casa, porque sabe, meu AMADO chefe inventou MAIS uma reunião de última hora e eu não sei até que horas isso vai...” putaquepariu, não vai dar tempo de comprar nada. Ok, vou apelar para o que temos em casa “... desculpa, okay? Amo você, pequeno. ‘– EVANS, MEXA-SE!’ To indo, merda. Beeeeijos!” Afinal presentes caseiros têm muito mais sentimentos dos que comprados em lojas caras.

Err, ta! NÓS NÃO TEMOS NADA ÚTIL PRA DAR DE PRESENTE EM CASA!! Trezentas mil vezes MEEEERDA! Merlin, uma luz, por favor. Eu te imploro. Porque, saco só, hoje eu vou pedir a minha namorada em casamento e TUDO tem que sair bem! Oh céus...

Ah, Lilyzinha, você iria se importar em NÃO GANHAR NADA DE PRESENTE? – “James, pare de se lamentar e comece a agir!” – eu estou ouvindo a voz de Sirius dentro da minha cabeça, e isso me assusta, mas... Pensando bem, eu acho que vou começar a procura-ar! Ahá, quarto de hospedes, AÍ VOU EEU! (6)




Sucesso, sucesso. Depois de uma busca frustrante eu me rendo. Sério... Estou decepcionado comigo mesmo. Eu não consigo fazer nada direito. Você tem noção de como é triste uma pessoa não ter nada de útil (para dar de presente, óbvio) em casa? Tem noção de como isso gera um desespero alucinante? Oká, eu me rendo, mais uma vez. Lilyzinha você vai ficar sem presente e eu, James Potter, vou morrer hoje mesmo. Foi um prazer conhecer vocês, meus amigos.

Voltei para a cozinha, derrotado. Que merda, eu sou o pior namorado, não-quase-marido, do mundo. O PIOR! Eu sou um inútil, eu não consigo nem fazer um jantar direito. Ah Meu Deus, será que a torta já está boa? Ui, ui, uuuuui! Isso é tão empolgante /besha saltitante mode on, uuuui (r).

Levantei-me num salto e saí correndo até a geladeira, abri a mesma e lá encontrei a minha bela torta salgada com recheio de tomate e queijo, hmm... DILÍCIA! Peguei a torta com todo cuidado possível e tentei levá-la até a mesa. AAAH, ELA ESTÁ TÃO LINDA! A torta está em segurança [ainda...]. Tudo está ocorrendo certo, James... O negócio é chegar até a mesa com a torta inteira, vai você consegue! ELA TA SE MEXENDO. A TORTA TA MOLE, ELA VAI DESPENCAR!

PUTAQUEPARIUAFUNCIONÁRIADOPROSTÍBULODAESQUINA! POR QUE... ME DIZ, POR QUE A MALDITA LEI DE MURPHY SEMPRE – REPITO, SEMPRE – TEM QUE AGIR? E POR QUE SEMPRE COMIGO? HUH?! EU POSSO QUEBRRA A CASA INTEIRA JÁ QUE A TORTA ESTÁ MORTA NO CHÃO? POSSO DESCONTAR A MINHA RAIVA? POSSO?? AI SENHOOOOOOR, NÃO ACREDITO! NÃO POSSO ACREDITAR. LOGO AGORA QUE TUDO ESTAVA INDO SUPER BEM E A MINHA ÚNICA PREOCUPAÇÃO ERA O PRESENTE. E NÃO ME PEÇA PARA RESPIRAR, EU ESTOU IMPOSSIBILITADO NO MOMENTO, OBG!

Eu preciso me acalmar, caara. Só com a cabeça fria eu vou conseguir achar uma solução. Isso... PORRA, VOU COLOCAR MINHA CABEÇA DENTRO DE UM BALDE DE GELO ENTÃO! Mentira, eu vou catar algo comestível. Duvido que tenha algo, já que eu USEI TUDO NA MERDA DE TORTA SALGADA QUE CAIU E FOI PRO CÉU DAS TORTAS ESTRAÇALHADAS.

Oká James, pense na porra do plano B!!! Certo, vamos puxar a linha de pensamento ou raciocínio, tanto faz.

Eu decidi fazer esse jantar para impressionar a Lily, resolvi fazer uma torta salgada, que ela AMA. Porém a torta falhou [oooh, mundo cruel (?)] e agora a única coisa comestível que há na geladeira é brócolis. Nada mais, nada menos que alguns brócolis, já que eu acabei com o estoque de comida, obg.

Eu preciso fazer um jantar, correto? Sim. Os supermercados trouxas são uma droga? Sim. Então só me resta uma coisa... Desistir da merda de jantar. Geladeira fdp que nem pra ‘firmar’ a torta uma torta serve. Vô te conta, viô! Essas modernidadix trouxas, putaquepariu! É, to revoltado sim. AAAH, MINHA TORRRRRRRTA!

É, querido brócolis, agora que estamos a sós, eu vou te comer, hmm! É ISSO! POTTER, VOCÊ É UM GÊNIO! Pegaram a linha de raciocínio? Oh, saca só. Comer, brócolis, Lily. NÃO! Não pensem besteirinhas, oras. Tipo, James cozinhar brócolis para a Lily comer no jantar, aeaee JÃO! Caraaaca maluco, esse jantar vai ser memorável, tenho dito.

HEY HO, LET’S GOO! \o/

Ainda tenho uma hora pra preparar os brócolis e arrumar a mesa do jantar, melhor correr Jay! Curi, curi, bati na parede e muuuuuri, uhuu! AAAAAAAAAAAAAUHASUHDSA, MUITO BOM! GRITO HORRORES COM ISSO! Bléh, seja centrado, James, você tem um jantar para preparar. Concentre-se nos brócolis. Tá, mas primeiro eu vou arrumar a mesa...

Toalha branca – confere.
Pratos de porcelana – confere.
Taças de cristal – confere.
Talheres – confere.
Guardanapos de tecido – confere.
Castiçal – confere.
Velas – conf... CADÊ AS VELAS?

WOOOOW! James, você é tão imprestável. Mas calma, pensa ae... Raciocina, James, você TEM que dar um jeito nisso. Você é um bruxo, pode usar magia. Se você pode usar magia, você pode conjurar coisas, CLAAARO! Se você conjura coisas, você conjura velas e um presente para a Lily. E eu já sei o que vai ser o presente...




AI, QUE NERVOSO! Lily acabou de me ligar e avisou que está quase chegando. Tudo estava indo exatamente do jeito que eu planejei... Os brócolis estavam pronto! Digo, quase... Não era exatamente isso que eu havia planejado. Mas, quem se importa, huh? Os brócolis estão prontos, quentinhos e bonitinhos lá na cozinha. O presente da Lily já está em seu devido lugar. Tudo está perfeito. Tenho que admitir, eu estou me sentindo O FODA!

Dois minutos e zero segundos... Lily entra no elevador. Um minuto e cinqüenta e seis segundos... Lily procura a chave dentro da bolsa. Um minuto e quarenta e três segundos... Lily coloca a chave na fechadura. Um minuto e trinta e oito segundos... Lily abre a porta. Um minuto e AH, CHEGA!

AAAAAAH, RAXEI COM A CARA DE ESPANTO QUE A LILY FEZ AO VER A CASA TODA ESCURA E NENHUM SINAL DO JAMES AQUI! Oooown, mas a carinha de felicidade dela quando eu liguei a luz [que agora era verde, pra entrar no clima brocoliano] e apareci na frente dela, fez eu ganhar o meu dia. Todas as minhas desavenças com o supermercado trouxa desapareceram. Todas as minhas preocupações foram varridas da minha mente, com apenas um sorriso dela. O mais bonito de todos.

Sabe, eu posso não ser o cara mais romântico do mundo com qualquer garota. Ah, mas com ela é diferente. Ela sabe como fazer eu me sentir assim, todo bobo, entende? Ela me deixa maluco, cara. Eu não poderia ter encontrado uma garota mais perfeita que ela. Jamais.

Despertei dos meus pensamentos ao sentir aos braços de Lily me envolvendo em um carinhoso abraço.

- Obrigada, amor... Ta tudo tão lindo! – e os olhos dela brilharam. Ah, Lily... Você não viu nada ainda.
- Vem, pequena. Vamos apreciar a nova especialidade do Jay aqui. Sente-se e aprecie. – Fiz Lily sentar-se à mesa e em seguida corri até a cozinha para pegar os brócolis e o molho branco que eu havia feito. Os olhos dela brilharam ainda mais no momento que eu peguei a caixinha preta de veludo que estava no bolso interno do meu moletom.

Depois que já havíamos acabado de jantar [e olha que os brócolis ficaram bons mesmo], levantei-me e limpei a garganta - algo como um pigarro – e desatei a falar:

- Sabe Lily, já tem algum tempo que eu queria fazer isso, mas minha coragem grifinória sempre fugia. – ela sorriu, já com os olhos marejados, e fez um sinal de ‘prossiga’. Eu o fiz. – Eu sempre quis fazer isso da maneira mais especial possível, para a pessoa mais especial. Eu sei que não sou nada perto de você. James Potter jamais será bom o suficiente para Lily Evans, porém Lily Evans sabe que James Potter sempre fará o possível e impossível para vê-la feliz...

“... Ele sabe o quão bom é acordar de manhã e ter ao seu lado o ser mais perfeito do universo. O ser que com um sorriso irradia mais que o sol. O ser que possui o brilho da Lua [N/B: eu, ok. E desculpa interromper a cena :x] nos olhos. O ser com quem ele quer passar o resto da vida. Você, Lily, é o único ser que eu quero. Hoje e sempre; do sempre para o depois; e do depois para o imenso infinito”.

Eu sorri e abri a caixinha, revelando a bela aliança.

- E então, Srta. Evans... Aceita se casar com esse idiota apaixonado que vos fala?

Nesse ponto da conversa, Lily já estava afogada em lágrimas e tinha um sorriso doce nos lábios. É, James, parece que ela percebeu a intensidade dos seus sentimentos e correspondeu. Ta, ignora isso!

- Você ainda tem dúvidas, amor? – em seguida senti os lábios de Lily se juntarem aos meus em um beijo calmo. Foi, com certeza, o melhor de todos. Toda paixão, amor e carinho que nutrimos um pelo outro foi demonstrado com o toque dos lábios, que eram um o encaixe perfeito do outro. Foi naquele momento que eu me senti completo e agora posso afirmar: EU SOU O HOMEM MAIS FELIZ E SORTUDO DO MUNDO!




- LIIIIIIIIIIILY! Vem cá, amor. Tenho outra surpresa pra você. – eu a puxei do sofá e a guiei até o corredor.
- Mais uma, frÔ? – ela riu, enquanto eu vendava seus olhos.
- Vem, vamos... – abri cuidadosamente a porta do quarto e conferi se estava tudo em seu devido lugar. Tirei a venda dos olhos de Lily e a vi piscar algumas vezes, até se acostumar com a “claridade”.
- James, você é um puto! – e me deu um soquinho no braço. – vai ter criatividade assim láááá... Aqui em casa, obrigada!

O quarto estava totalmente decorado à la brocoliana. Nosso chão, antes branco, agora era verde. Nas paredes alguns trechos de músicas [relacionadas a brócolis, claaaaaro!] se manifestavam às vezes. Seguindo, a cama de casal estava normal, porém em cima dela uns brócolis gigantes de pelúcia com os dizeres “Eu sou um brócolis sexy e gordo” [n/a: EU SOU UM SAPINHO SEXY E GORDO! Bêjo pra gê&bróbis, obrigada por ensinar a musiquinha /raxa/] esperava por Lily.

- Eu juro que esse foi o presente mais ridículo e fofo que eu já ganhei em toda minha vida. – Lily apontou para os brócolis de pelúcia e veio na minha direção, me dando um longo abraço em seguida. – Desculpe não ter comprado nada pra você, mas eu não sabia... AAAAAH, AMEI TUDO, JAY!
- Hey, eu já ganhei o melhor presente de todos. Nada, nunca, vai me fazer mudar de idéia em relação a isso.
- Eu te amo tanto, amuleto. “Eu não existo longe de você [...], eu conto as horas pra poder te ver”. Imensamente, eternamente.
- Ah, mas eu amo mais, vida! E tenho dito, Lily... O que os brócolis uniram, nem a morte poderá separar.


FIM!




N/a: AAAAAAAAAH, BROCCOLI ACABOU! Mew, antes de tudo, antes dos agradecimentos, eu vou ter que fazer um momento mela-boxer, dá licença. Vocês não tem noção de como eu to boba, sabe?! Broccoli foi minha primeira filha [fora as parcerias, claro] e eu não sei... parece tão surreal quando eu penso ‘pô, broccoli acabou. E agora?’ Por um lado é bom, já que agora eu vou conseguir me dedicar inteiramente [isso se eu não inventar mais um fic e tals] a Look at the sky, mas de uma forma ou outra, vai deixar saudades. Eu tinha até pensado em uma continuação, mas sei lá, acho que nem vou fazer. Broccoli ficou do jeitinho que eu queria, se fizer continuação, estraga.

Essa fanfic foi tão deliciosa de escrever, saca? Foi tipo, vamos fazer um planejamento pra ela. TÁ E AGORA? Daí eu chagava lá na janelinha do msn e gritava ‘BRÓÓÓÓÓBIS, O QUE EU FAÇO COM BROCCOLI?’ e então a gente começava a tramar as coisas e nada que prestasse saia de lá. Sendo que a única coisa que presta de broccoli é o nome /sai correndo/ e o final, porque o resto é uma coisa totalmente besta e sem-noção. AH, MAS EU AMEI BROCCOLI! Alguém aí é afim de me dar um brócolis gigante de pelúcia? AAAAH, POR FAVOR, TIA! *___*

Bom, vamos aos agradecimentos... ESSA N/A JÁ TÁ GIGANTE [duvido que alguém leia. Mentira, sempre tem alguém que gosta de ler o que a Tefi escreve, né amiguinhas de tópico? :x]. Bãm, antes de tudoooo eu quero agradecer à Bróbis, é sempre ela que me incentiva a postar minhas fanfics. Ela sempre que me dá todo o apoio que eu preciso, sempre ela que acha o máximo as minhas baboseiras. Eu te amo, Bróbis J. pra sempre, irmã Valentina <3; agradecer a Bumda por betar e ter mó paciência comigo. TE AMO, LOVER! Xuxuzãogih que ficou me cobrando, o que me deu um incentivo a escrever; as minhas coleguinhas de tópico Marê Melão, Nine Pepinão e Patxí Neve roUxa, que mandaram energias positivas quando eu dizia ‘mew, to tentando escrever broccoli’; agradecer também a Guh, Gê e a Rá, por serem Guh, Gê e Rá! Acho que a lista acabou já, mas sem esquecer claro, de vocês meus amados leitores que tiveram uma puta paciência pra esperar a fic. EU JUUUURO que não vou mais fazer isso com vocês /ergue o dedinho/ e bom, quero agradecer todo o apoio e os comentários. Vocês me motivaram MUITO a escrever isso e vocês são foda, obg! TÉH AMA VOCÊS. ÉSSI DÔIZ!

Bêjos, docinhos... E até a próxima.
Ah, me liga, gatchénho :x


N/B: QUE BONITINHO! AMEI ISSO! Também quero que o Harry cozinhe pra mim e me peça em casamento, ficadica, mas por enquanto me contento em BETAR A BROCCOLI! Porque VOCÊ não betou, EU betei!

A fic ficou perfeita, tá, e quem não comentar apanha. Téh, te amo bunde, obrigada por me deixar betar <3 sardinhas amantes pra sempre, TÁ?

xLuh Caulfield

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.