FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

9. Aniversário de Hermione (parte


Fic: Minha vida com Hermione Granger


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Andromeda POV.


Fazia muito tempo que não tinha tanta liberdade para transformar completamente a aparência de qualquer ambiente do velho casarão do Largo Grimmauldi, ainda mais com direito à “carta branca” do seu atual proprietário, Harry Potter. Assim que chegou ao local, fora recebida por um carrancudo Monstro que espanava vagarosamente alguns dos novos castiçais, trazidos por Harry e Hermione em sua última viagem ao centro de Londres.


A bruxa tinha que admitir, a menina grifinória tinha mesmo bom gosto e um talento impecável quando estava à frente de um projeto como esse. Transformar uma antiga mansão cercada por um passado sombrio e objetos amaldiçoados não era uma tarefa fácil de lidar, especialmente ao lado de Harry, cuja memória traiçoeira o perturbaria constantemente com lembranças de Sírius, Remus, Tonks e Dumbledore naquele mesmo lugar.


A nascida-trouxa cumpria esse desafio com maestria, o casarão estava longe de parecer o covil sombrio onde a Ordem da Fênix se reunia. Quase irreconhecível em suas novas cores, luzes, castiçais, móveis, janelas e carpetes. Com os olhos brilhando em curiosidade, Andromeda arriscou um pequeno passeio pela sala e cozinha, impressionada com a mudança. As paredes estavam nuas de retratos e fotografias, e os lustres desapareceram, as mesas velhas e apodrecidas já não estavam à vista.


Se houvesse qualquer vestígio dos Black, seria sutil o suficiente para não trazer lembranças dolorosas ou  comprometer a harmonia que aos poucos se estabelecia em cada cômodo. Andromeda imaginava que assim que seus pés tocassem aquela casa, uma centena de lembranças do seu passado retornassem poderosamente. No entanto, ficou surpresa quando encontrou o que sempre desejou para sua filha... E agora para seu neto, um lar... Ainda em construção.


Subindo as escadarias com determinação, ela encontrou rapidamente o quarto que Harry tinha escolhido para Hermione. Um sorriso misterioso se espalhou pelo rosto severo da bruxa, era sem dúvida um dos maiores quartos daquele andar. Ainda não tinha sido completamente modificado, o que permitia à Andromeda criar a vontade. Com um aceno rápido da sua varinha, livrou-se de todos os objetos do quarto e seguiu até as janelas bloqueadas, as abrindo e permitindo que a luz do dia preenchesse todo o ambiente.


-Acho que Nymphadora ficaria orgulhosa!


Mmurmura para si mesma quando uma grande ideia lhe veio à mente, especialmente depois que Harry tinha deixado escapar que passara a noite com Hermione. Talvez estivesse mesmo na hora de fazer outros tipos de mudanças acontecerem por aqui... A começar pelo quarto de Hermione Granger.


Harry POV.


Ele estava feliz, um brilho de vida iluminando seus olhos verdes e um sorriso imenso em seus lábios, apesar de estar fisicamente cansado, carregando o carrinho, a cesta e a bolsa nas mãos, ele tinha retornado de uma manhã fantástica ao lado de Hermione e Teddy. Pela primeira vez ele sentiu como era bom ser livre, poder conhecer lugares novos, viver novas experiências, compartilhar um pouco das lembranças de Hermione com seus pais e se divertir ao lado de uma família, mas não qualquer família, a sua própria família.


Teddy parecia radiante, mais desperto do que nunca, não dera o menor sinal de cansaço a manhã inteirinha, algo que pouco depois o moreno culparia os doces que o pequeno pegava sempre que Hermione não estava de olho. O pequeno Lupin simplesmente adorou melado azedo e as penas de açúcar recusando a papinha verde gosmenta a todo custo. Fazendo centenas de caretas para a comida de bebê que Andromeda mandou para ele.


“Mione é um pic-nic, vamos livrá-lo dessa coisa, só por hoje!”


Pedia Harry penalizado com a hesitação de Teddy em comer a papinha, apesar dos esforços de Hermione.


“Harry, essa coisa possui todos os nutrientes necessários para ele crescer forte e saudável, pode não ser tão saboroso como os doces que você deu à ele, mas é essencial para auxiliar no desenvolvimento físico e mental de Teddy até pelo menos seu primeiro ano de idade!”


Repreende Hermione com uma mini palestra sobre os nutrientes necessários para um bebê da idade de Teddy. Surpreendendo a Harry com a precisão que ela sabia o que seria ou não importante para seu afilhado.


“Além de tudo essa papinha ainda não é o melhor para ele, sem o leite materno é preciso tomar muito mais cuidado com a alimentação de Teddy, temos que perguntar a Andromeda se ele já foi consultado por algum medibruxo para orientar uma dieta mais adequada!”


Explica seriamente antes de voltar-se para o bebê com mais uma colher da gosma verde na mão.


“Vamos Teddy!”


Insistia franzindo levemente a testa com preocupação e o pequeno a contra gosto abriu a boca engolindo a papinha horrorosa com outra careta engraçada.


“Sinto muito Teddy, mas acho que ela tem razão!”


Desculpa-se com o pequeno, bagunçando seus cabelos enquanto tentava se redimir do olhar desconfiado de Hermione quando ele recusou a próxima colher.


“Você não deu nenhum daqueles doces para ele, não é Harry?”


Indaga a grifinória estreitando os olhos castanhos em sua direção.


“Eu? Nãooooo! Claro que não!”


Defende-se Harry desviando o olhar para qualquer lugar que não fosse a melhor amiga.


“Tudo bem, acho que ele já comeu o suficiente!”


Desiste a morena guardando os restos da papinha na cesta enquanto ao mesmo tempo em uma sincronia perfeita, Harry e Teddy suspiram aliviados.


“Escapamos por pouco!”


Sussurra para o afilhado antes de se levantar e dar algumas voltas com o pequeno em seu colo enquanto dava leve tapinhas em suas costas como Hermione lhe ensinou. Quando retornou à Hermione a grifinória estava guardando os pratos vazios na cesta e Teddy logo agitou-se para retornar aos braços da nascida-trouxa.


“Acho que ele não gosta muito de mim!”


Brinca Harry depois de perceber como Hermione parou tudo o que fazia para pegar um Teddy choroso em seus braços.


“Não seja dramático, Harry! Você também tem muito jeito com ele!”


Rebate Hermione abraçando o bebê levemente antes de apoiá-lo com uma das mãos em seu colo para poder ajeitar o gorrinho na sua cabecinha. O Lupin parou de chorar instantaneamente.


“Não tanto quanto você...”


Murmura encantado com a visão de Hermione com Teddy, era como vê-la segurando um filho deles, e novamente um sentimento sem nome inflamava dentro do seu peito, uma sensação tão assustadora quanto emocionante fazia seu estômago dar reviravoltas e as mãos suarem frio. Diante de seus olhos estava a razão pela qual ele lutou contra Voldemort e escolheu viver. À sua frente estava sua vida, seu maior sonho, seu desejo mais profundo... Duas pessoas que ele amava mais do que a si mesmo.


“Acho que isso é algo que toda garota possui! Deve ser instinto materno, minha... Minha mãe sempre dizia isso! Uma garota sempre sabe o que fazer nessas horas! Mas, não se preocupe, está aprendendo rápido!”


Diz Hermione com um sorriso fraco ao recordar das conversas com sua mãe sobre uma vida pós-Hogwarts, uma família que poderia leva-la de vez ao mundo mágico ou trazê-la ainda mais próxima à realidade dos seus pais.


“Seria um pai maravilhoso Harry! Não tem que se preocupar!”


Encorajava Hermione docemente fitando o olhar distante de Harry com um misto de ternura e confusão. Mas, Teddy desviou a sua atenção brincando com uma mecha dos seus cabelos cacheados.


“Só espero que nossos filhos pensem a mesma coisa que você!”


Sussurra o moreno antes de se aproximar da melhor amiga, passando um braço habilmente por sua cintura fina em um meio abraço e levitando rapidamente a câmera registra aquele momento com uma pitada de ansiedade e esperança no coração.


Voltando ao Largo Grimmauldi...


Teddy também estava aprendendo a bater palmas e sorrir sempre que estavam o fotografando. O bebê de acordo, com Harry, era um fotogênico nato, nunca parecia de mau humor diante da câmera mágica, especialmente se estivesse no colo de Hermione. Ele nunca iria esquecer como os olhinhos do afilhado brilhavam quando viu os patos nadando no lago, ou quando os pássaros cantavam enchendo as árvores que cercavam o parque com sons impressionantes.


A grifinória também nunca pareceu mais feliz. As bochechas coradas, os olhos brilhando os lábios mais incríveis que já tocou, em um sorriso surpreso ao dar de cara com Andromeda esperando por eles na casa deles.  


-Sejam Bem vindos!


Anuncia a bruxa com um sorriso que Harry não conseguia decifrar.


Hermione POV.


-Senhora Tonks!


Exclama Hermione surpresa, mas logo dedicando um sorriso sincero para a Andromeda colocando Teddy no carrinho e correndo até a bruxa mais velha para lhe dar um abraço.


-Como foi o passeio, querida? Os meus dois meninos se portaram bem?


Pergunta a bruxa mais velha devolvendo o abraço suavemente fitando Hermione com doçura, como somente uma mãe faria. A grifinória engoliu o nó que se formou na sua garganta, estava sentindo mais falta da sua mãe do que imaginava esta manhã.


-Foi incrível! Escolhemos o parque próximo à casa dos meus pais e tiramos milhares de fotos do Teddy, especialmente quando estava com Harry brincando com os patos, ele está aprendendo a bater palmas e seu cabelo não mudou muito durante todo o tempo, sem falar que ele adorou os pássaros! Ele também comeu alguns doces graças à Harry, mas não deixou a papinha!


Empolgava-se Hermione falando tudo de uma única vez, parando apenas para lançar à Harry um olhar de advertência pela parte dos doces, mas o moreno se fez de desentendido fingindo brincar com Teddy no carrinho que tentava tirar o gorrinho a todo custo.


-Parece que se divertiram bastante!


Sorri a bruxa percebendo como Teddy parecia animado com seu padrinho, mesmo estando preso ao carrinho de bebê trouxa.


-É verdade! Teddy gostou de tirar algumas fotos, não foi garotão?


Brincava Harry fazendo cócegas no afilhado que abria um sorriso banguela entrando na brincadeira e pela primeira vez em horas seus cabelos mudaram de cor, ficando azuis brilhantes.


-Vocês dois estão mimando demais o meu neto! Acho que terei que ficar de olho nos seus passeios de agora em diante!


Diz Andromeda em falso tom de repreensão, estava feliz por ver que seu neto estava cercado de pessoas que o amavam tanto.


-Isso não é verdade! Não fizemos nada de errado e Teddy é uma criança maravilhosa!


Desespera-se Hermione, temendo que a bruxa estivesse falando sério e fosse afastar Teddy deles. Um medo sem tamanho apertou o coração da grifinória que em segundos estava do outro lado do carrinho de bebê tentando explicar-se à senhora Tonks.


-Calma, estava brincando Hermione! Seria impossível separar o Teddy de vocês dois!


Tranquiliza a mais velha diante da expressão assustada da garota. A nascida-trouxa suspirou aliviada voltando-se para Teddy e ajoelhando-se até estar em uma altura apropriada para olhá-lo nos olhos acariciou os cabelos coloridos com carinho antes de inclinar-se ligeiramente e depositar um beijo na cabecinha do pequeno antes de levantar-se e encarar Andromeda agradecida.


-Obrigada! Sei que parece bobo, mas Teddy é muito importante para nós! Ele é a razão para estarmos aqui agora e...


Explicava-se Hermione ficando com o rosto ainda mais corado de vergonha, mas foi resgatada por Harry que entrelaçou seus dedos aos dela apertando sua mão em conforto e apoio.


-O que Hermione está tentando dizer é que nos apegamos demais ao Teddy para pensar em ficar longe dele por muito mais tempo!


Explica o moreno surpreendendo Andromeda pela forma como com apenas um olhar os dois pareciam se entender tão bem.


-Eu não tenho dúvidas!


Garante a senhora Tonks, levantando desafiadoramente a sobrancelha para as mãos entrelaçadas dos morenos, apenas o suficiente para Harry perceber e corar furiosamente, mas sem afastar-se da melhor amiga.


-Muito bem, agora vamos aos negócios!


Anuncia a mais velha para choque de Hermione.


-Oh minha querida, não acha que estava aqui sentada sem fazer nada não é mesmo?


Diz Andromeda cruzando os braços e levantando o rosto com altivez digna de um Black e Harry mordeu o lábio inferior para não rir da expressão atordoada da melhor amiga, afinal ela tinha realmente acreditado que Andromeda estava mal e muito cansada.


-Mas, o Harry disse que estava doente... Como conseguiu mentir para mim?


Questionava Hermione olhando acusadoramente de Harry para a senhora Tonks.


-Não fique chateada, foi por uma causa nobre! Agora vamos subindo as escadas, é o meu melhor trabalho em anos!


Explicava Andromeda com determinação, aproveitando que Monstro chegava à sala para ficar de olho em Teddy, ainda no carrinho.


-Que causa?


Pergunta ela estreitando os olhos para o moreno que trocava olhares cúmplices com Andromeda.


-É só uma surpresa!


Brinca Harry a deixando frustrada pela falta de informações concretas que conseguia arrancar da dupla, era desafiador demais para ela deixar o assunto de lado e depois de tudo, Hermione nunca foi adepta à surpresas.


-O que vocês estão escondendo?


Insiste Hermione apertando com força “extra” a mão de Harry que  pareceu não se importar, seguindo animadamente atrás de Andromeda para o terceiro andar.


-Não seja impaciente querida!


Interfere a senhora Tonks entregando na mão dela uma pequena chave dourada.


-Aqui está a sua surpresa!


Anuncia a bruxa mais velha com um sorriso de satisfação.


Geral POV.


-Uma chave?


Questiona a grifinória fitando a chave dourada ceticamente.


-Não uma chave qualquer, a chave do SEU quarto, Mione!


Sussurra Harry no ouvido dela  antes de beijar rapidamente o rosto da melhor amiga e soltar sua mão, se colocando ao lado de Andromeda.


-Meu? Mas, Harry eu disse que não queria!


Murmurava ela ainda surpresa demais para recusar ou aceitar esse presente.


-Não! Você só não tinha se decidido, ainda!


Corrige Harry sentindo-se orgulhos por ter deixado sua amiga sem palavras antes mesmo que ela visse o quarto preparado por Andromeda.


-Por isso eu tive que dar um pequeno “reforço” ao Harry!


Completa a senhora Tonks guiando a grifinória até a terceira porta à esquerda. Hermione franziu a testa levemente confusa, não lembrava dessa porta ao lado do quarto de Harry e Teddy enquanto organizava seu cronograma na última manhã.


Com certa cautela ela encaixou a chave na fechadura e prendendo a respiração abriu a porta para encontrar seu novo quarto. A morena abriu a boca em choque e admiração absolutos. Atrás dela um Harry muito curioso espiava por seu ombro murmurando um impressionado “wow” enquanto Andromeda sorria satisfeita com  a sua obra.


-Vamos! Pode entrar!


Incentiva a senhora Tonks empurrando a dupla para dentro ansiando por mostrar cada detalhe criado por ela com primor. O lustre dourado no meio do teto de gesso imaculadamente branco, iluminava o espaço e trazia um ar requintado e ao mesmo tempo memorando o tradicional estilo medieval de Hogwarts.


As paredes perfeitamente cobertas por um papel de parede azul pálido com leves tons de pérola em listras verticais, cada meia parede encontrava-se entrecortada por finas colunas ornamentadas com uma delicada tapeçaria floral, que desciam graciosamente do teto ao piso. Este último, refletindo polidez em sua longa cobertura encerada de madeira americana.


No centro do quarto um tapete retangular ao estilo grego com bordas em marfim e bronze. Se estendendo por mais de um terço do tamanho total do aposento, na posição contrária à cama dossel que ficava entre duas grandes janelas com cortinas de linho e algodão, na cor creme, com franjas douradas.


A cama era uma obra de arte à parte, em um belíssimo exemplar de metal dourado com quatro colunas em forma de lança segurando um mosqueteiro quase transparente. Havia montes de almofadas e travesseiros sobre uma colcha macia azul bebê com bordados de lírios dourados em toda sua borda. A cada lado da cama tinha um pequeno criado-mudo com um abajur e mais alguns livros empilhados.


Ao pé da cama, um grande baú como o que tinha em Hogwarts guardava mais colchas e lençóis. Na parede frente à cama, do outro lado do quarto, o guarda-roupa embutido ocupava quase toda parede com espaço apenas para a porta de entrada do aposento. Suas duas portas principais dividiam um espelho duplo de corpo inteiro em formato oval, haviam espaço para dez vezes mais roupas do que ela possuía. Hermione chegou a pensar se algum dia conseguiria encher todo o guarda-roupa com suas próprias roupas.


Do lado esquerdo uma lareira de mármore branco, ladeada por tapeçarias florais cruzadas por três níveis de estantes de madeira, repletas de livros, boa parte os livros que Hermione levou consigo durante a caça às Horcruxes, e acima da lareira algumas fotos do seu tempo na escola com Rony e Harry, enquanto na parede era ostentado um grande espelho de moldura intricada nas cores dourado e marfim. Sobrando simplesmente um lado de parede completamente vazio.


-Oh meu Merlin! Está incrível!


Exclama Hermione fascinada enquanto ao seu lado Harry tentava inutilmente formular alguma frase coerente. Estava tão impressionado quanto sua melhor amiga, o quarto era tão perfeito, tão a cara de Hermione que parecia ter sido criado pelas mãos da grifinória. As cores, os livros, as cortinas, a cama, a lareira, as fotos...


-É quase como...


Começou ela para ser interrompida por Harry.


-Como o seu quarto antigo em Crawley!


Completa o moreno se aproximando de uma das estantes de madeira com os livros dela, passando a ponta dos dedos sobre cada uma das capas de couro antigas, com títulos tão conhecidos por ele, História da Magia, Poções avançadas... Um sentimento de nostalgia crescendo dentro do peito.


-Sim! Como o meu antigo quarto!


Sussurra Hermione com  a voz embargada, respirando pesadamente quando memórias da sua infância no quarto de paredes azuis e prateleiras lotadas de livros não tão infantis como as crianças da sua idade. Seu quarto era seu lugar favorito antes de Hogwarts, era seu refúgio, onde mergulhava no fantástico universo dos livros.


-Espero que tenha gostado, cada objeto desse quarto tem um pouco da minha própria história e agora fará parte da sua também! É hora de começar de novo!


Explica Andormeda apoiando levemente uma das mãos sobre o ombro de Hermione que não continha o imenso sorriso, maravilhada com a exuberância do quarto apesar da simplicidade que transmitia.


Cada pequenino detalhe se encaixava de forma perfeita com o que ela imaginava seu quarto, lembrando muito o que ela vivia na casa dos seus pais e não tinha dúvida de que Harry instruíra Andromeda sobre suas preferências depois de recuperar seu álbum de família no dia anterior.


-Eu não sei nem como agradecer!


Responde Hermione abraçando a senhora Tonks com força, mal segurando as lágrimas que escapavam dos seus olhos. Retribuindo ao abraço com carinho, a velha bruxa sorriu, preparando-se para a segunda parte do seu plano.


-Não foi ideia minha! Harry perseverou muito nisso!


Diz a bruxa afastando suavemente Hermione do seu abraço.


-Está me deixando mal acostumada Potter!


Brinca Hermione dedicando um dos seus abraços esmagadores à Harry que a recebe com um beijo do lado do rosto mais demorado do que o normal.


-Você merece muito mais que isso Mione! Feliz aniversário!


Sussurra ele em seu ouvido, não percebendo o arrepio que percorreu o corpo da grifinória com o gesto dele.


-Eu acho que há muito tempo não me sinto tão... Tão em casa!


Confessa Hermione afastando o rosto para fitar os olhos verdes e intensos de Harry. As bochechas e o nariz bastante vermelhos e algumas lágrimas em seus olhos, mas a felicidade iluminando o interior dos seus orbes castanhos.


-Você já está em casa, Mione! Aqui também é a nossa casa!


Garante o moreno a puxando para um abraço protetor a embalando em seu colo enquanto Andromeda assistia à cena com o sentimento de que fizera a escolha certa.


-Bem, acho que agora é o momento para explicar a segunda função dessa chave!


Murmura Andromeda com um meio sorriso idêntico ao da sua filha. Relutantes os morenos se separam do abraço, movidos pela curiosidade com as palavras da senhora Tonks.


-Como assim segunda função?


Questiona a grifinória atordoada.


-Ainda não se perguntou porque uma das paredes do quarto está vazia?


Desafia a bruxa cruzando os braços com um olhar indecifrável nos olhos. Harry franziu a testa completamente confuso, percebendo a parede limpa e sem nenhum objeto atrás de si. Ao seu lado, Hermione segurava firmemente a chave dourada em sua mão encarando Andromeda em choque.


-É um quarto mágico não é?


Pergunta ela para a mais velha ignorando a confusão do melhor amigo.


-Apenas parte dele, posso dizer que somente a parede atrás de você!


Explica Andromeda ampliando ainda mais o sorriso enquanto Harry olhava de Hermione para a avó de Teddy sem entende nada. Mas, a forma como Hermione ficou vermelha depois da afirmação da velha bruxa ele sentiu medo... Muuuito medo.


-Andromeda o que isso significa?


Pergunta o moreno ainda mais preocupado quando o som do choro irritado de Teddy ecoou pelo corredor inteiro.


-Acho que Hermione pode explicar a você Harry!


Responde a bruxa antes de desaparecer pelo corredor indo ao encontro do seu neto.


Harry POV.


Alguma coisa fazia sentido ali? O quarto parecia mais que perfeito em todos os sentidos da palavra. Estava lindo, organizado, cheio de livros e sem nada além do que Hermione sempre desejou, mas a história esquisita da chave e a parede vazia o deixava totalmente perdido.


Andromeda tinha um brilho diferente no olhar quando conversava com Hermione, ele percebeu o sorriso maroto que só conhecera através de Nymphadora Tonks ou Sírius. A reação de Hermione também não lhe parecia nada animadora, ela ficou em completo silêncio desde que a senhora Tonks saiu.


Engolindo em seco ele a viu seguir até o baú aos pés da cama e sentar-se cobrindo o rosto completamente vermelho com as duas mãos, a chave do seu quarto repousando no seu colo enquanto Harry tomava coragem para se aproximar dela e perguntar o que era tudo aquilo? Mesmo que lá no fundo ele estivesse morrendo de medo de descobrir.


Será que ela não gostou do quarto? E se ela não desejasse ficar no mesmo andar que ele? Ela não queria nada de mágico no quarto dela? Será que ela achou que não teria privacidade com uma parede mágica? O desespero crescia a níveis alarmantes dentro da cabeça do grifinório que reunindo toda sua coragem segue a passos largos atrás de sua melhor amiga.


Engolindo em seco, Harry ajoelhou-se diante dela, as mãos nervosamente postas sobre os joelhos dela, mas distantes o suficiente da chave dourada. Respirando fundo ele a chamou suavemente.


-Mione? Hermione será que pode me explicar o que está acontecendo?


Pede o moreno angustiado pelo silêncio da garota de cabelos espessos e olhos castanhos que mais amava no mundo. Como resposta, Hermione simplesmente balançou negativamente o rosto com um gemido estranho.


-Mione, por favor, eu preciso saber sobre o que você e Andormeda estava falando!


Insiste Harry mais desesperado ainda.


-Oh Harry! Você contou à ela?


Acusa Hermione finalmente tirando as mãos do rosto e dando ao moreno um olhar fulminante.


-Eu? O que...


Questionava atônito o grifinório.


-Você falou à Andromeda que nós dois dormimos juntos?


Pergunta furiosamente a bruxa deixando o moreno nervoso a desviar o olhar inutilmente para todos os lados, de repente todo o quarto pareceu tão pequeno e sufocante que Harry desejava desaparatar dali e fugir.


-COMO??? Mione...Eu...


-Você CONTOU ou NÃO CONTOU Harry?


Interfere ela agarrando a gola da camisa de frio do melhor amigo puxando o rosto dele à centímetros do seu. Os olhos castanhos diretamente contra os olhos verdes.


-Não foi de propósito Mione! Eu juro!


Desesperava-se o garoto ficando mais vermelho que os cabelos de um Weasley.


-Como pode ter feito isso Harry? Você disse que ninguém iria saber!


Repreende severamente Hermione as mãos apertando perigosamente a camisa ao redor do pescoço dele.


-Mas, o que isso tem haver com o quarto?


Questiona mais atordoado ainda o moreno.


-O que ela deve estar pensando de nós?


Lamentava-se Hermione mortificada.


-Mione eu juro que ainda não faz sentido para mim!


Insiste o moreno sentindo um nó se formar na sua garganta.


-Harry você não sabe o que é um quarto mágico? Sinceramente?


Pergunta Hermione lançando um olhar cético ao melhor amigo que mordeu a língua para não falar a primeira bobagem que lhe veio à mente. Sentia-se intimidado e ao mesmo tempo totalmente seduzido pelos olhos vibrantes da sua melhor amiga. Limitando-se unicamente a balançar a cabeça em negativa, sem nunca deixar de olhar em seus olhos.


-Oh Merlin! Você não sabe!


Conclui Hermione com exasperação, pegando a chave em seu colo e puxando Harry pela camisa até a parede vazia.


-Está vendo essa parede aqui? É mágica, serve como uma cortina que separa o meu quarto do seu!


Começava ela seriamente, mas cada coisa que ela dizia não despertava qualquer noção desagradável para ele. Paredes eram paredes, mágicas ou não pensava Harry, mas no fundo, ele sabia que ela ainda não tinha acabado sua explicação. Ao que o grifinório simplesmente acenou positivamente com o rosto, ela continuou seu discurso.


-Basta usar essa chave em qualquer ponto dessa parede e terei acesso ao seu quarto com ou sem seu consentimento Harry!


Explode Hermione mais vermelha que uma cereja silvestre enquanto Harry parecia ter engasgado com a própria saliva com essa implicação. Maldição, agora Hermione o mataria! Por que raios Andromeda fez isso? Merlin o que ele poderia dizer para sua amiga agora???


-Mione... Eu... Eu não vejo problema!


Tenta ele ainda sem graça com a confusão, levando uma das mãos coçando os cabelos rebeldes da nuca em nervosismo absoluto.


-Eu não me importo se você entrar no meu quarto de qualquer forma que desejar!


Garante ele numa tentativa de tranquilizar sua melhor amiga antes que ela decidisse não ficar com o quarto por causa disso. Mas, a reação de Hermione foi exatamente oposta ao que ele esperava.


-Francamente Harry! Já parou para pensar no que significa isso? Dois quartos compartilhados magicamente??? Meu quarto é simplesmente uma “extensão” do seu! Estamos no mesmo quarto com portas diferentes para manter as “aparências”!


Insiste Hermione furiosamente para terror do menino-que-venceu.


-Err... Não pode ser tão mal!


Responde ele com certo tremor em sua voz.


-A tradição da comunidade mágica na era puro-sangue!!! Se lembra dos antigos costumes sociais entre 1820 a 1870 na Grã-Bretanha mágica? Onde você estava nas aulas de história da Magia???


Protesta Hermione esfregando as têmporas com força em claro sinal de impaciência, no entanto, seu rosto continuava fortemente corado.


-Dormindo!? Ahh, Hermione por favor, quer ir direto ao ponto, estou cansado de ficar no escuro! É o mesmo quarto ou não?


Explode Harry mandando para o espaço toda a prudência que possuía.


-Pois bem, Harry! Nos últimos cinquenta anos daquele século, apenas cônjuges puro-sangue compartilhavam o mesmo quarto dessa forma, noivo e noiva, marido e mulher ficavam em ambientes separados apesar de dividir o mesmo quarto,  acontecia em casamentos arranjados especialmente quando o casal não conhecia muito bem um ao outro, eles apenas “abriam” a parede mágica quando... Quando eles tinham que... Oh céus... Quando eram obrigados a “procriar”!


Começou ela fervorosamente tal qual estivesse lendo um livro ou um dos seus ensaios da escola, mas, ao final mal conseguia falar o que acontecia quando derrubavam a parede mágica. Harry por sua vez pareceu entender exatamente o que significava usar a chave para alcançar o “seu” lado do quarto e sentiu toda a cor sumir do seu rosto.


Santo Merlin! Andromeda criou para eles um quarto de casal, disfarçado pela parede vazia entre eles! Pela alma de Sírius, a senhora Tonks achava que ele e Hermione... Achava que Hermione e ele estavam... Oh Merlin! Ele mal tinha conseguido se declarar para ela como poderia ter ido tão longe assim?


Nesse momento as palavras da bruxa mais velha caíram como um avalanche sobre ele. A conversa que tivera com ela antes de trazer Teddy ao Largo Grimmauldi... “Além de Teddy não há nenhuma criança na nossa família, o que você e Hermione decidirem fazer com suas vidas não interessam a ninguém mais além de vocês mesmos!


E logo depois... “Não é da minha conta e não vou falar nada a ninguém! Mas, sugiro que formalize logo as coisas, a sociedade mágica não será tão compreensiva quanto eu!” então era isso que ela queria dizer? Céus ele estava entre a cruz e a espada! Como escaparia dessa??? Tinha que pensar depressa, se desse a mínima chance, Hermione escaparia por entre os dedos e ele não teria outra chance.


-Não importa!


Interrompe severamente o grifinório encarando a melhor amiga com determinação.


-Não?


Questiona Hermione surpresa com a rapidez com que ele tinha chegado à uma decisão final.


-Não importa! Se você não quiser, nada vai mudar! Essa parede vai continuar aqui e você pode esconder a chave, talvez pedir para monstro dar um fim à ela! Esse quarto é seu! Independente do que as tradições mágicas possam significar!


Promete o moreno tomando as mãos de Hermione nas suas e olhando profundamente nos olhos castanhos da grifinória que o fitavam impressionados.


-Eu já disse que não me importo! Se precisar de mim, não tem usar essa parede, eu estou na porta ao lado!


Diz Harry dando de ombros arrancando um sorriso da aniversariante.


-Tem certeza disso?


Questiona aflita a grifinória.


-Claro! Estamos próximos ao quarto de Teddy, além de tudo me sinto mais confortável com você perto de mim! Não me imagino dividindo um quarto mágico com qualquer outra pessoa!


Confessa ele corando ainda mais.


-Mas... Seria como invadir sua privacidade, ou a minha, manter essa parede entre nós! E o que os outros poderiam pensar?


Preocupa-se a garota mas, Harry a silencia com um beijo suave, envolvendo a bruxa em seus braços possessivamente.


-Ninguém vai saber de nada Mione, quem entrar no quarto só vai ver um lugar incrível com a cara de Hermione Granger, e mais nada!


Murmura ele ternamente sem coragem de soltá-la.


-Mas, Andromeda ainda vai continuar pens...


Desesperava-se Hermione quando Harry a interrompe com outro beijo, mas dessa vez um beijo mais urgente, faminto, dominador, daqueles que a faz esquecer tudo, que deixa as pernas moles e o corpo inteiro reage à ele. Somente à ele.


-Será que isso realmente te incomoda? Por mim, esta parede já estaria no chão há muito tempo!


Brinca ele entre centenas de beijos por todo o rosto de Hermione que fechava os olhos saboreando aquele momento somente dela e Harry.


-Seria tão inadequado Harry!


Sussurrava ela contra seus lábios para frustração do moreno de olhos verdes. Merlin como ela era teimosa!


-Desde quando somos o exemplo de graciosidade e adequação Mione? Você é a nascida-trouxa mais brilhante da nossa geração e eu sou o maldito menino-que-sobreviveu, o que tem de adequado nisso???


Brinca ele fechando os olhos com força implorando aos deuses que ela não insistisse em motivos para desistir do presente de Andromeda. Merlin, ter Hermione a um passo da sua cama com apenas aquela parede mágica entre eles era tudo o que ele poderia desejar agora.


-Não somos noivos... Ou casados!


Protestava ela sem muita convicção, ao que ele avançou com os beijos por seu pescoço, traçando uma trilha de fogo até o lóbulo da sua orelha, que segurou levemente entre os dentes a fazendo arfar e amolecer completamente em seus braços.


-Somos muito mais do que isso!


Sussurra ele antes de arrebatar os lábios macios da grifinória em um beijo ardente e apaixonado, a prensando contra a parede “causadora da discórdia”. Ela envolveu os braços ao redor do pescoço dele ficando nas pontas dos pés até colar completamente seu corpo ao dele.


Harry estava segurando-se para beijá-la desse o instante que deixaram o parque. Era impossível estar do lado dela sem poder tocá-la, abraça-la e roubar seus lábios em um beijo intenso e insaciável. Sua pele quente e macia contra a dele, o perfume dela, a suavidade da sua língua em um duelo com a dele.


Com o coração à mil, a respiração não importava mais, ele ansiava por ela assim como ela por ele. Eram duas metades que se completavam, e sem dar-se conta, Hermione deixou a chave cair no chão, esquecida aos seus pés e dedicou-se unicamente a retribuir cada carícia do moreno com a mesma intensidade e desespero que ele lhe demonstrava.


Nenhum dos dois viu como um brilho dourado ofuscou todo o quarto fazendo desaparecer a parede atrás deles. Foi apenas quando a dupla caiu atrapalhada no chão do “lado de Harry” do quarto que perceberam o que tinha acontecido. Harry caiu por cima de Hermione e os dois gritaram com o impacto na superfície endurecida.


-O que foi isso?


Pragueja Harry irritado pela interrupção do seu “momento” com sua melhor amiga.


-A Chave! Onde está a minha chave?


Desespera-se Hermione empurrando Harry de cima do seu corpo e procurando em volta a chave dourada. Foi quando Harry percebeu que a parede se foi.


-Você usou?


Pergunta incrédulo o grifinório.


-Claro que não! Isso não deveria ter acontecido!


Defende-se Hermione voltando-se para o moreno severamente.


-Mas, eu pensei que...


Começa ele quando de repente é silenciado por uma ideia tão absurda quanto hilária.


-Acho que a parede mágica entendeu suas intenções senhorita Granger! Você está tentando se aproveitar de mim!


Brinca ele recebendo de uma Hermione totalmente rubra, um olhar assassino além de uma sequência interminável de tapas furiosos em seu peito.


-Idiota!


Protesta ela sem conseguir escapar quando Harry a abraça os jogando no chão novamente.


-Será que isso vai dar certo Harry? Quer dizer, eu adorei o quarto novo, mas não sei até onde podemos levar essa coisa de divisão nupcial mágica!


Comenta Hermione preocupadamente.


-Eu não sei! Vamos falar com Andromeda! Se ela fez isso, pode desfazer também!


Explica ele para alívio da grifinória.


-Ela não se ofenderia?


Questiona ela apoiando a cabeça contra o peito do melhor amigo, esquecendo-se do fato de estarem os dois juntos deitados no chão do quarto de Harry.


-Não! Acho que ela fez isso com outras intenções... Mas, não posso permitir que você se sinta desconfortável por dividir um quarto comigo, Mione!


Garante Harry seriamente e Hermione levanta-se agitada.


-Harry não é nada contra dividir o quarto com você! Mas, todos os significados que isso pode trazer no futuro! Já imaginou como vamos explicar isso para Rony e os Weasleys? E quem sabe um dia... os meus pais também! E quando Teddy começar a fazer perguntas? Como vamos explicar que amigos platônicos dividem um aposento nupcial mágico?


Divagava ansiosamente Hermione com o coração apertado por ele ainda não ter percebido o que ela queria que ele fizesse.


-Bem, se não houver outra forma eu posso ficar com o quarto do outro lado do corredor! Só não quero que saia daqui Mione! Este lugar é seu! Eu vi o brilho dos seus olhos quando entrou aqui e não me importo em mudar de quarto!


Garante Harry roçando os lábios ligeiramente sobre os dela.


-Não Harry! Eu não vou permitir que você abra mão do quarto que foi de Sírius, sei o quanto é importante para você... O que eu quero na verdade é...


Quando Hemione começou a falar ouviu passos no corredor assim como Harry. Se separaram bruscamente, sem conseguir encarar os olhos um do outro, com os rostos rubros tiveram um choque ao encontrar o quarto de Harry como uma continuação do quarto de Hermione, mas com as coisas do moreno, como sua vassoura, roupas mesa de xadrez bruxo entre outras... e no próximo minuto estavam rindo furiosamente da situação.


-Talvez não seja tão má ideia! Temos camas separadas!


Diz ofegante Hermione, vários minutos depois do ataque de risos que compartilhou com o melhor amigo, que agora fingia uma expressão decepcionada.


-Isso não é justo! Queria a minha parte pintada de laranja!


Brincava ele levantando-se do chão e estendendo a mão para Hermione, que aceitou e agradeceu-lhe com um beijo casto em seus lábios.


-Coloque qualquer coisa laranja nesse quarto e a parede mágica será reforçada com encantos repelentes de meninos tal qual o dormitório feminino em Hogwarts!


Provoca Hermione deliciando-se com a expressão estupefata dele.


-Você conhece aquele encanto? Então você sabe como desativá-lo!


Acusa o moreno em choque. Como ela sabia desse encanto? Quantas vezes ela já usou ele para manter ele e Rony distantes? Para que ela precisaria mantê-los distantes afinal? Será que ela já ajudou algum garoto a entrar no dormitório feminino???? NÃO! A sua Hermione nunca quebraria as regras...


-Qual o problema em conhecer esse encanto, Harry?


Indaga Hermione levantando uma sobrancelha em desafio, mais uma crise de ciúmes estaria a caminho???


-Nenhum, enquanto você não tenha usado o contra-feitiço na escola!


Rebate ele entre dentes, entrelaçando possessivamente sua mão à dela.


Weasley’s POV.


A tarde começou radiante nos arredores da Toca, havia balões e faixas coloridas por toda parte. A mesa fora colocada no jardim e coberta por uma longa toalha branca para receber as inúmeras guloseimas feitas pela senhora Weasley, Arthur e Percy transfiguravam algumas cadeiras enquanto Bill ajudava Fleur com alguns encantos de aquecimento ao redor dos alimentos e por fim, Charlie limpava o jardim dos gnomos irritantes.


George separava um conjunto de fogos mágicos escondendo-os de sua mãe para sua grande surpresa no final da festa enquanto Rony e Gina tinham desaparecido em busca de um presente adequado para a bruxa nascida-trouxa mais inteligente da sua geração. Molly completamente focada em sua organização do almoço, levitava um conjunto de copos em direção à mesa apressadamente. Deitado preguiçosamente no sofá, Bichento apenas aguardava a chegada da sua dona desparecida. Tudo tinha que estar mais que perfeito esta tarde.


Aos poucos chegavam os convidados, a começar pelo corpo docente de Hogwarts que não perderia a oportunidade de parabenizar a jovem bruxa mais excepcional que conheceram em sala de aula. O grupo composto por McGonagall, Flitwick, Vector e um tímido Hagrid foi recebido com empolgação por Molly e Arthur. A velha diretora tinha em suas mãos um pacote singular em formato de um cone meio distorcido, o seu presente para Hermione.


Mais tarde, Neville segurando uma ainda muito frágil Luna Lovegood pela cintura, Dean, Seamus, Dennis, McLaggen e uma menina da corvinal chamada Lisa Turpin, chegaram através de Flu carregando grades de cerveja amanteigada entre algumas lembrancinhas para a aniversariante. Molly não pode evitar agarrar-se a pequena loirinha e mimá-la como se fosse mais um de seus filhos, agora a jovem bruxinha estava sozinha no mundo e se feriu gravemente para salvar a vida de Rony, a senhora Weasley nunca a agradeceria o bastante por isso.


Madame Pomfrey permaneceu em Hogwarts para cuidar dos seus pacientes mais debilitados, especialmente Fred que finalmente dava sinais de uma boa recuperação. Hoje era então, um momento de comemoração, George amplificava o som do rádio mágico enquanto esperava Harry trazer Hermione, Teddy e Andromeda para o almoço surpresa. E por sorte, segundos antes da chegada da aniversariante, Rony aparatava  extremamente laranja e ofegante ao lado de uma Gina feliz da vida.


O ruivo tinha um pergaminho na mão e lembranças humilhantes na sua mente. Engolindo em seco ele olhou de soslaio para Gina, aquela garota tinha o obrigado a sair pelo Beco Diagonal do jeito “bizarro” que se encontrava, sendo reconhecido por multidões e alvo de piadas de muitos, para seu desgosto.


-Vamos está quase na hora do Harry chegar com ela!


Apressa Gina empurrando o irmão da sua frente com impaciência. Tinha visto Bill e Fleur no jardim e estava ansiosa para saber como ia a gravidez da sua primeira sobrinha a qual orgulhosamente, seria madrinha.


-Como eu posso fazer isso? Não teria sido mais fácil dar um livro para ela???


Choramingava Rony dramaticamente. Depois da manhã frustrante no Beco Diagonal, tinha que enfrentar o infeliz do McLaggen, além de Dean e Seamus falando da sua cor de pele idiota. Podia apostar sua varinha que ficaria pior depois que entregasse seu presente à Hermione.


-O que é aquilo?


Perguntou Hagrid apertando os olhos com curiosidade.


-É uma cenoura gigante?


Indaga provocativamente Dean.


-Uma cenoura daquele tamanho? Isso só pode ser uma abóbora, o que acha Neville?


Brinca Seamus, batendo no ombro do colega grifinório que balança rapidamente a cabeça em negativa, entrar em conflito com os melhores amigos de Hermione por dois dias seguidos seria suicídio.


-Para mim é uma bandeira do Chudley Cannors em tamanho real!


Alfineta George arrastando consigo o pequeno Dennis com a câmera de Colin em suas mãos.


-Esta sim, é uma memória digna de registro não acha Creevey?


Incentiva o ruivo e logo o baixinho estava por todos os lados fotografando Ronald Weasley em seu novo bronzeado.


-Weasley, o que diabos você fez?


Questiona incrédulo McLaggen ao que Rony respondeu com um rosnado enfurecido.


-Eu acho que ele está muito bem!


Uma voz suave e inconfundível derrubou qualquer protesto do Weasley contra as provocações dos seus amigos. Os olhos azuis amplos em choque absoluto, ele empurrou McLaggen e Dennis do seu caminho, até encontrar a menina de olhos claros e cabelos loiros platinados nas suas vestes corvinais.


-Luna?


Balbuciava o ruivo sem fôlego.


-Olá Ronald! Interessante seu novo visual, laranja é uma linda cor?


Comenta ela com um pequeno sorriso, o mesmo sorriso que ele jurou ter visto na enfermaria. Dean e Seamus trocaram olhares marotos, teriam mais de um bom motivo para provocar Rony esta tarde. Luna estava sentada em uma confortável cadeira acolchoada sob os olhares atentos de McGonagall e Molly.


-Lu-Luna? Como? Quando acordou? Porque está aqui? Porque Gina não me disse nada?


Desespera-se o ruivo piscando os olhos completamente atordoado.


-Ela acordou essa manhã Rony! Madame Pomfrey a liberou para uma visita rápida à Hermione!


Interfere Molly abraçando a menina de lado com um sorriso emocionado.


-Mas, e você Ronald? Quando vai se livrar dessa tinta laranja? Está assustando nossos amigos!


Repreende a matriarca Weasley severamente fazendo o ruivo se encolher diante das risadas de todos à sua volta.


Hermione POV.


O dia do seu aniversário não poderia ser mais surpreendente. O álbun de família, o passeio com Teddy no parque que costumava ir com seus pais, o quarto de Andromeda com a pequena surpresinha mágica adicionada à ele, e um tradicionalmente animado almoço Weasley na Toca em sua homenagem. Hermione nunca teve um dia de aniversário mais movimentado e cheio de surpresas como este.


Respirando fundo, a grifinória mordeu o lábio inferior com força recordando o passeio com Bicuço noite anterior, onde parecia que só existia ela, Harry e um lindo céu azul marinho com pequenas e brilhantes estrelas por todo caminho. Ele tinha planejado cada uma dessas coisas, assim que retornaram ele a surpreendeu com o presente e os beijos apaixonados que a impediram de dizer não ao seu pedido.


Acordar nos braços do seu melhor amigo foi de longe um dos melhores e inesquecíveis momentos do seu dia. Ainda podia sentir um arrepio percorrer seu corpo ao lembrar a forma como a respiração quente dele acariciava sua nuca, ou a forma como o braço dele contornava perfeitamente sua cintura e o perfume masculino a despertava sensações indescritíveis. Estar com Harry tornou seu aniversário muito mais especial.


Depois de tudo o que enfrentaram juntos, depois de sete anos lutando contra o que existia de mais vil e tenebroso no mundo mágico, finalmente estavam livres, livres para viver e construir seu futuro sem medos. Mesmo, depois de terem perdido tantos amigos nessa jornada até a vitória sobre Voldemort.


Hermione sabia muito bem que muitas das feridas daquela guerra ainda estavam frescas, abertas em carne viva, seja em suas memórias ou seus corações, mas a beleza de estar vivo é a capacidade surpreendente do ser humano em superar a si mesmo e seguir em frente, em direção a um novo amanhã. E Harry estava lutando contra todos os seus demônios por seu futuro, para trazer de volta à sua vida  algo que lhe foi arrancado em tão tenra idade pelo assassino de seus pais... Uma família.


Seu coração bateu mais forte. Um menino tão maravilhoso como ele, que poderia ter tudo, fama, fortuna, companhia de mulheres lindas, ter a carreira dos seus sonhos... Ansiava tão somente por um lar para chamar de seu. Tão jovem, mal recuperou-se da batalha final e comprometia-se em cuidar de Teddy e Andromeda, além de leva-la consigo para sua casa.


O moreno não parecia pensar duas vezes quando o assunto era Hermione. Desde a noite da batalha de Hogwarts, Harry não conseguia abrir mão de sua presença. Sempre que sentia que não conseguiria mais ficar de pé sozinho, ele buscava seu apoio, segurava forte sua mão, abraçava-a com necessidade, e a surpreendia quando abria seu coração confiando à ela seus temores com o futuro.


Hermione sentia-se completamente lisonjeada com a dedicação e o carinho que Harry demonstrava, literalmente derretia sobre seus beijos, secretamente ansiava por seus abraços e guardava no coração as doces lembranças das suas longas conversas frente à lareira. Mas, seus sonhos mais intensos nunca deixavam de trazer à mente a noite da batalha final quando o medo de perde-lo a levou a confessar seus sentimentos da forma mais inusitada possível...


O seu primeiro beijo, tão desesperado, urgente, em meio aos caos. Ela sentia em cada terminação nervosa do seu corpo a força com que o abraçou naquela noite exigindo que aquele último momento não fosse uma despedida. Eles iriam se encontrar novamente, eles TINHAM que se encontrar de novo. A dor terrível que dilacerava seu peito quando imaginou que ele estava morto até hoje a fazia perder o sono.


O que lhe restaria no mundo sem ele? O que mais faria sentido quando o bruxo que ela amava com todo o seu ser não estava ao seu lado, ela não poderia ver seu sorriso torto, seus impressionantes olhos verdes, seus cabelos pretos indomáveis, sua voz seu cheiro, seu abraço... Ela não resistiria por muito tempo!


Balancei minha cabeça negativamente. Este não era um dia de recordações ruins! Prometi a Harry que iria comemorar e será isso que faria a qualquer custo! Pensei com determinação. O passeio com o pequeno Teddy foi a experiência mais incrível da minha vida. Acredito que para o Harry também! Pela forma como ele parecia fascinado por cada uma das mais simples descobertas daquele lugar me fez imaginar como fora a sua vida realmente com os Dusleys.


Ele nunca conseguia falar dos seus parentes trouxas, mais do que “São pessoas horríveis” ou “Fazem da minha vida um inferno!” ela sempre soube que seu primo Dudley nunca o deixou em paz, e que sua tia, irmã da sua mãe odiava magia. Mas jamais chegou a entender a extensão desse ódio sobre a vida de Harry antes de Hogwarts e temia que o moreno nunca tivesse a chance de se recuperar de seu passado.


Teddy no entanto, se revelou uma fonte interminável de energia e alegria em sua forma mais pura. O sorriso do menino era contagiante,  a forma como seus olhos brilhavam quando Harry brincava com ele, ou como tentava arrancar o gorrinho e liberar seus cabelos castanhos (e brevemente coloridos) enquanto ela tirava milhares de fotos, era simplesmente impossível não adorar o mais novo Lupin.


Sempre o que segurava em seus braços, uma sensação dominadora e até então desconhecida a preenchia. Um desejo desenfreado de cuidar, de proteger, de se tornar parte do que seria importante para o filho de Tonks e Remus. Desde a primeira vez que o viu no funeral em Hogwarts, quando teve que aplacar o choro do bebê o acalentando em seus braços, mesmo sem qualquer noção de como fazê-lo.


Ela não tinha a menor ideia de como ou quando isso aconteceu, mas nutria um forte sentimento de carinho pelo pequeno e isto ajudou a impulsionar ainda mais seus esforços em transformar a antiga sede da Ordem da Fênix em um lar de verdade para ele e Harry. Também, não poderia deixar de encontrar em Andromeda, assim como em McGonagall uma figura de exemplo grande admiração. As duas eram bruxas fortes, corajosas e de personalidade marcante, a frente de suas gerações. McGonagall seria eternamente sua professora favorita e mentora de seus tantos anos em Hogwarts, enquanto a mãe de Tonks, aos pouquinho ia despertando na grifinória um carinho e um respeito totalmente novos.


Ao lado de tudo isso, ela ainda contava com Rony e sua habilidade nata em tirá-la do sério. Teve que sorrir com essa memória, a discussão e o balde de tinta laranja infame que ele tinha escolhido para a sala. Sinceramente o que ele estava pensando? Ficaria hediondo! Mas, confessou que o ruivo realmente estava se esforçando para ajuda-los, além de apoiar George na loja de piadas, cuidava da Toca e estava constantemente em contato com Hogwarts por notícias de Fred e Luna.


Rony apesar da cabeça dura e dos hábitos condenáveis à mesa, se mostrou muito mais maduro e responsável do que ela jamais poderia imaginar. Não estava reclamando do excesso de trabalhos que agora possuía, mas estava agradecido por toda a sua família estar bem e com vida depois de tudo. Do seu próprio jeito desajeitado, nunca deixou de se preocupar com Harry e agora supreendentemente Luna Lovegood. Hermionte tinha que admitir, essa batalha tinha mudado a vida de todos eles.


Mordendo o lábio inferior, lembrou de como foi difícil explicar à Harry a “inocente” surpresinha de Andromeda com o seu quarto novo no Largo Grimmauldi. Merlin! Ela gemeu interiormente. A mãe de Tonks não negava o parentesco com Sírius! Um quarto nupcial! Francamente!!! Era revoltante, mas, pior ainda foi a forma como Harry reagiu a notícia com uma naturalidade perturbadora!


Chegava a ser confuso! Desde que ele acordara uma semana após a batalha final, não voltaram a discutir o que tinha acontecido em sua breve despedida àquela noite. Porém, era inegável a nova fase do seu relacionamento para muito além do “apenas bons amigos” dos tempos de Hogwarts. Havia muito mais intimidade em seus olhares, muito mais cumplicidade no entrelaçar de mãos, muito mais sentimentos a cada abraço apertado, em cada toque, em cada sorriso... Eles não eram mais Harry e Hermione os grandes amigos, mas também não eram nada a mais.


Como era frustrante! Ele teve tantas oportunidades, bastava pedir à ela e receberia um grande SIM como resposta! Mas, ele hesitava e seu medo atormentava a mente de Hermione. O que ela significava para ele? Seria importante o suficiente para que ele engolisse o medo e a pedisse para ser sua namorada? Será que ele acreditava que não seria bom o suficiente para ela? Ou que não daria certo ficarem oficialmente juntos? Ainda temia os riscos de assumir seus sentimentos por ela? Como se não existia mais Voldemort???


Maldição! Porque Harry conseguia deixa-la tão confusa? Não ter um controle bem definido do que sentia era algo que Hermione Granger não estava acostumada. Toda a insegurança que a perseguia no seu primeiro ano em Hogwarts retornavam como um raio sobre um campo tranquilo. Mas, agora não tinha tempo para pensar, estava se preparando para um almoço na Toca, e precisava estar bem!


Respirando fundo e tomando coragem, ela se encarou frente ao espelho do seu guarda-roupa novo. Usava um vestido lilás pouco abaixo dos joelhos, uma sandália baixa e os cabelos em um rabo de cavalo frouxo, tendo a certeza que o seu melhor amigo de óculos redondos iria protestar. Por alguma razão desconhecida para ela, Harry era apaixonado por seus cabelos soltos.


Pegando um casaco de lã cor de rosa, ela puxou uma bolsa e desceu as escadas ao encontro de Harry, Teddy e Andromeda. O moreno parecia extremamente perturbado com a conversa que tinha com a avó de seu afilhado enquanto o pequeno Teddy já em seu carrinho de bebê tinha os olhos brilhando em sua direção, a recebendo com um sorrisão feliz.


Hermione não resistiu, e correu para segurá-lo em seus braços o enchendo de beijinhos nas bochechas fofinhas. Sua brincadeira com o pequeno Lupin chamou a atenção de Harry e da senhora Tonks que a fitavam admirados. Harry a olhava deslumbrado, a boca aberta, sem palavras e Andromeda sorria pacificamente assistindo com carinho a forma espontânea que Hermione tinha se apegado ao seu neto.


-Prontos?


Pergunta a aniversariante com um Teddy animado em seus braços. Harry estava ao seu lado em segundos com um sorriso genuíno brincando em seus lábios, seus olhos incapazes de desviar da bruxa mais bonita que conhecera desde então.


-Claro!


Responde o moreno sorrindo para ela bobamente.


-Estou ansiosa para reencontrar Molly e Arthur!


Comenta Andromeda agitando a varinha e encolhendo as coisas de Teddy em sua bolsa. A bruxa mais velha foi a primeira a seguir para a Toca, seria seguida por Harry e por fim Hermione com Teddy. O grifinório não perdeu tempo e se aproximou ainda mais dela colocando perigosamente uma mão sobre sua cintura fina em um aperto possessivo.


-Você está linda Mione!


Sussurra ele em seu ouvido antes de deixar um beijo molhado e sua nuca, causando arrepios na melhor amiga que fechou os olhos com força lembrando-se mentalmente de que Teddy estava em seus braços e tinha que manter o equilíbrio. Ele lhe enviou um meio sorriso antes de desaparecer na lareira entre as chamas do flu.


-Seu padrinho é impossível, Teddy!


Confessa ela ao pequenino que a fitava em confusão, era jovem demais para entender qualquer coisa dita por ela, mas não resistia ser o foco principal da sua atenção, mesmo que tivesse que disputa-la com seu adorado padrinho Harry.


Geral POV.


Assim que seus pés deixaram a lareira, Hermione foi recebida com um flash da câmera de Dennis Creevey e muitos gritos de comemoração dos seus amigos. Seus olhos arderam em emoção, todos que ela amava estavam lá. McGonagall, Hagrid, Flitwick, professora Vector... Seus colegas de turma, Seamus, Dean, McLaggen, Neville e até mesmo sua colega de runas antigas, Lisa Turpin da corvinal estava presente. Outra grande e emocionante surpresa foi a presença de Luna.


A grifinória teve que se esforçar para não chorar de felicidade. Harry tinha um semblante satisfeito ao lado de Andromeda, assistindo a tudo com um forte sentimento de dever cumprido, sua melhor amiga estava feliz, não havia dúvidas do quanto estar com seus amigos seria especial para ela, isso para ele, não tinha preço. Molly foi a primeira a alcança-la só não a esmagando em um de seus conhecidos abraços maternais pela presença do pequeno Lupin em seu colo. O bebê em questão não demorou muito para se tornar o centro das atenções de Gina e Fleur.


A ruivinha cumprimentou sua melhor amiga com um beijo no rosto prometendo lhe entregar seu presente mais tarde. Fleur mais radiante do que nunca a parabenizou e cobriu de elogios com seu forte sotaque francês. Ela entregou à Hermione uma pulseira prateada, com algumas runas sobre ela.


-Err parra mantê-la semprrre exultante!


Sussurra a loira deixando Hermione um pouco confusa, decidindo por tentar descobrir por conta própria o que significava as runas na pequena pulseira que recebera da meia-veela francesa.


-Muito brigada Fleur!


Agradece com um imenso sorriso antes de permitir que Teddy vá para os braços de Gina. McGonagall a abraçou fortemente logo em seguida.


-Me sinto tão orgulhosa de você! Parece ontem que fui até sua casa revelar que era uma bruxa! Oh minha querida, parabéns!


Murmurava a diretora com os olhos levemente marejados enquanto Hermione retribuía ao abraço com fervor.


-Obrigada, professora!


Agradece, mas logo é interrompida pela bruxa escocesa.


-Já disse para me chamar de Minerva, mocinha!


Repreende com falsa severidade.


-Só espero que use com sabedoria, Hermione!


Diz McGonagall lhe entregando um fraco com um líquido avermelhado dentro dele. Os olhos da nascida-trouxa ampliam-se consideravelmente em choque.


-Isso é... Isso é o Elixir de Walden?


Exclama maravilhada a morena.


-Sim, este é o jarro de Hebe e esta é a poção de Old Parr! Ou como mais conhecido o Elixir de Walden!


Completa orgulhosamente a bruxa mais velha estendendo o frasco nas mãos da sua aluna favorita.


-Oh, prof... Minerva eu não posso aceitar isso!


Desespera-se Hermione ainda em choque. O Elixir que McGonagall lhe presenteava era uma das mais raras e ambicionadas fórmulas mágicas do mundo inteiro. Tratava-se de uma poção com propriedades altamente propriedades analgésicas, sedativas e brandamente psicotrópicas.


-Por que não?


Questiona McGonagall divertindo-se com a surpresa da menina.


-É... É uma poção extremamente valiosa!


Defende-se a nascida trouxa fitando o objeto em perplexidade e admiração.


-E também pertence à mim, para que possa presenteá-la a quem desejar! É seu Hermione, ficaria muito ofendida se recusasse o meu presente!


Insiste a diretora severamente e obediente, Hermione toma o frasco em suas mãos.


-É uma honra, profe... Minerva! Prometo tomar todo o cuidado que ele merece!


Promete a morena agradecida devolvendo outro abraço à diretora.


-Eu sei que estará em excelentes mãos!


Garante Minerva antes de deixa-la com Harry.


-O que é isso, Mione?


Questiona curioso o grifinório, estreitando os olhos verdes para o estranho frasco nas mãos da melhor amiga.


-É o Elixir de Walden, Harry! Uma rara mistura mágica que  age no relaxamento dos estados de ansiedade, com efeitos narcóticos e também utilizado por nossos antepassados para aumentar a vividez dos sonhos. Seria como uma poção especial capaz de efeitos opostos e completamente contraditórios! É conhecida desde a antiguidade grega como o elixir da imortalidade.


Recita enlevada a morena deixando o Potter intrigado.


-Se algo tão raro é real, como Voldemort não foi atrás dele?


Questiona Harry com certa desconfiança, depois de tudo o que passou, qualquer coisa que levasse a uma possível imortalidade” o repudiava.


-Porque era apenas uma lenda, uma fórmula há muito perdida! E como eu disse, é uma poção com efeitos contraditórios para quem as tomar, pode ser tanto uma bênção quanto uma maldição, mas acredita-se que possa ser usado para desenvolver a cura de várias anomalias mágicas como a licantropia!


Explica Hermione com os olhos brilhando com emoção. Harry não conseguiu evitar um sorriso ao ver sua melhor amiga tão empolgada assim.


-Tenho certeza de que se alguém pode usar esse elixir para encontrar uma cura seria você, Hermione!


Conforta Harry abraçando com força sua melhor amiga, antes que ela fosse sequestrada de seus braços por George, para encontrar um tímido Ronald Weasley escondido em seu quarto. Foi com certa impaciência que ela ouvia a narrativa do gêmeo Weasley de como Rony se escondeu depois que seus amigos brincavam com seu novo tom de pele.


Decidida, ela bateu na porta do quarto do amigo ruivo com exasperação.


-Vá embora!


 Gritou Ron do outro lado.


-Eu sou a aniversariante Ronald, me recuso a ser expulsa da minha própria festa!


Protesta Hermione com um sorriso desafiador nos lábios até ouvir o desespero do Weasley para abrir a porta ofegante.


-Graças à Merlin é você Hermione!


Grita ele se jogando de joelhos e agarrando as pernas dela em lamentação.


-Eu fui um idiota, troll das montanhas, mais imbecil que um Malfoy! Prometo nunca mais pintar nada de laranja sem a sua permissão, mas por favor me ajuda!!!


Implorava o garoto laranja, usando um casaco vermelho com capuz e calças longas, chorando com tamanho desespero que Hermione desatou a rir freneticamente da cena que se desenrolava.


-Francamente Rony, já pensou em usar um “Finito Encantatem” somente uma vez?


Provoca Hermione e em segundos Ron a encarava estupefato. Piscando os olhos um bom par de vezes em choque, o ruivo abriu a boca para dizer que havia tentado de tudo, mas o mais simples dos feitiços ele não lembrou em usar.


-Não!


Murmurou entre dentes antes de correr de volta ao seu quarto em busca da varinha. Um grito com as palavras em latim e Rony estava de volta ao que era antes. Antes que Hermione tivesse se preparado, o Weasley pula sobre ela com um abraço feroz agradecendo profusamente sua solução.


-Você é a melhor Hermione!!!


Garantia ele emocionado ao que a grifinória simplesmente revirava os olhos depois de todo o drama.


-Agora vamos! Estão todos lá embaixo, não vai querer perder o almoço não é?


Brinca Hermione e os olhos de Rony ampliam-se em choque absoluto.


-Não vai sobrar nada para mim!


Desespera-se novamente o ruivo, no entanto, dessa vez antes de deixar Hermione para trás e correr em busca da sua preciosa comida, ele entra novamente no quarto em busca de um pedaço de pergaminho que entrega diretamente nas mãos de Hermione.


-Feliz aniversário!


Murmura ele sem jeito, esperando que ela abrisse o pergaminho. Lenta e curiosamente, Hermione desenrolava o pergaminho deparando-se com algo que jamais esperou ver na sua vida. Os olhos abertos comicamente e o queixo caído. Em choque ela olhava de Rony para o pergaminho e do pergaminho para Rony.


-Err... Hermione pode dizer alguma coisa???


Insiste o ruivo ficando nervoso com a expressão da melhor amiga. A garota respirou fundo, tentava dizer qualquer coisa mais as palavras lhe fugiram completamente. Merlin!


-Hermione?


Continuava Rony encolhendo-se em temor.


-Hermione é melhor dizer alguma coisa, isso vai estar em todos os jornais durante a próxima semana!


Adverte ele suando frio.


-WOW!


Disse finalmente a grifinória fitando em estupefação e descrença o cartaz com um Rony completamente laranja usando uma camisa com os dizeres do FALE. Protestando contra os maus tratos aos elfos domésticos. Hermione o surpreendeu quando pulou no pescoço do Weasley em um de seus super abraços de agradecimento.


-Muito obrigada Rony!!! Foi de longe o melhor presente que você já me deu!!!


Momentos depois Ron e Hermione desceram para a sala, onde seus amigos estavam apostando se ele conseguiria se livrar da tinta laranja ou não. Dean perdeu dois galeões para George e Harry riu da expressão amargurada do melhor amigo em direção ao gêmeo e Dean.


-Hermione?


Luna chamou a grifinória com um sorriso cansado. A nascida trouxa sorriu e seguiu para o lado da corvinal, que ainda muito pálida tinha insistido em parabeniza-la.


-Luna! Estou feliz que esteja aqui!


Agradece Hermione abraçando a loirinha com carinho.


-Também estou! Demorou um pouco para me recuperar, mas não podia perder o aniversário de dezoito anos de uma amiga!


Confessa a Lovegood sonhadoramente e Hermione sente o coração apertar. Luna seria sempre uma menina extraordinariamente especial.


-Não seria um almoço Weasley feliz sem você aqui, Luna!


Interrompe Gina sentando-se ao outro lado de Hermione com um sorriso animado.


-Infelizmente os Snorkakes não me permitiram trazer um presente para você!


Murmura suspirante a loirinha, mas logo Hermione e Gina tratam de animá-la.


-Não preciso de presentes para comemorar meu aniversário! Estar com meus amigos é muito mais importante para mim!


Garante Hermione docemente antes de entrar em uma longa conversa com Luna e Gina sobre o estado de Hogwarts e dos pacientes de Madame Pomfrey.


-Sério, Hermione! Ela não parava de elogiar sua habilidade em lidar com os pacientes!


Gabava-se Gina imitando a velha curandeira da escola fazendo Hermione e Luna rirem das suas brincadeiras quando McLaggen interrompe pedindo educadamente para falar com a aniversariante. Os dois seguiram para o outro lado da sala, em um local mais reservado, sem perceber um certo moreno de olhos verdes os seguindo como um falcão avistando sua presa.


-Bem, eu fui pego de surpresa, não trouxe um presente adequado!


Desculpa-se o rapaz oferecendo à grifinória um dos seus melhores sorrisos. Hermione devolve o sorriso sentindo uma estranha sensação de agitação em seu estômago.


-Não tem problema, eu mesma esqueci do meu aniversário! Mas, fico feliz que tenha vindo! Está se divertindo?


Garante ela educadamente, numa tentativa de aliviar o clima entre eles que estava ficando a cada minuto mais estranho.


-Sim, definitivamente precisava vê-la!


Murmura com um piscar de olhos atrevido que ela fingiu ignorar ao      que o bruxo se aproxima ainda mais dela.


-Oh, então ainda vai continuar em Hogwarts?


Desconversa ela dando um passo para trás sentindo-se intimidada com a proximidade dele, que continuou com o seu próprio foco de conversa.


-Mas, eu me recuso a deixar um dia tão importante passar em branco! Você merece algo especial Hermione!


Insiste ele com a voz rouca e um olhar indecifrável em seu rosto.


-Não passará em braço! Harry, Rony e os Weasley se dedicaram muito para fazer esse almoço especial!


Defende-se ela com seriedade.


-Não é isso que eu quero dizer Hermione... O que acha de um jantar a dois, em algum local mais... discreto? Algo mais íntimo? Poderíamos conversar melhor sem sermos interrompidos a cada momento?


Convida ele confiante e Hermione engoliu em seco, seus olhos percorrera rapidamente todo o ambiente até encontrar o olhar furioso de Harry em sua direção.


-Eu... Eu não sei se posso!


Começa Hermione, mas McLaggen era teimoso e a interrompe novamente.


-Claro que pode! Agora não há mais nada que a impeça! Potter  e Weasley já estão seguindo com suas vidas, a guerra não existe mais... Está na hora de aproveitarmos as nossas vidas Hermione!


Insistia ele lançando seu melhor sorriso para ela, segundos antes de ser arremessado longe quando misteriosamente uma bandeja cheia de torta de abóbora apareceu voando em sua direção. O garoto caiu de bumbum no chão berrando como uma criança malcriada pelo estrago que alguém lhe tinha causado.


Hermione teve que segurar-se para não rir, olhando de soslaio para Harry que dava de ombros guardando discretamente sua varinha enquanto Dennis e George atormentavam McLaggen agora que os olhos de cada criatura dentro da Toca estavam voltados para ele. Agradecida, Hermione prometeu a si mesma recompensar Harry por tê-la salvo do bruxo persistente.


Mais tarde, foi a vez de Neville entregar seu presente à grifinória. Sem jeito, com o rosto extremamente vermelho, Neville se aproximou de Hermione a chamando para um local mais pacífico no jardim da Toca, mas ainda próximo o bastante para evitar o mesmo incidente que McLaggen aos olhos de Harry.


-Neville antes de qualquer coisa que queria me desculpar por ontem! Eu mal te dei uma resposta e acabei gritando com você por que estava com raiva do Harry e do Rony por serem tão imaturos!


Desculpava-se Hermione falando tudo muito rápido atordoando ainda mais o Longbottom que com um sorriso sincero aceitou suas desculpas.


-Está tudo bem! Eu fui muito precipitado de qualquer forma, acho que não pensei que você assim como Harry e Rony ainda não tiveram um tempo para “descansar” dessa guerra!


Confessa ele sem coragem o bastante para olhá-la nos olhos.


-Oh, Neville! Você fala como se somente nós estivesse enfrentando os comensais da morte no último ano! Eu lembro muito bem de como você liderou a AD e enfrentou Nagini encontrando forças onde nem mesmo eu consegui!


Garante orgulhosamente Hermione deixando Neville dez vezes mais corado do que antes.


-Bem... Eu dei a minha palavra a Harry de que não deixaria você-sabe-quem perseverar!


Diz ele em um murmúrio sem graça.


-Mas, eu queria te dar o seu presente agora!


Afirma ele corajosamente, e antes que ela tivesse a chance de dizer qualquer coisa, Neville estendia em suas mãos um pequeno vaso de argila, com uma única rosa branca para ela. Os olhos de Hermione brilharam ternamente, era sua flor favorita.


-Olha... eu sei que não é muito... Gina disse que gostava de rosas, e essa é a única flor que só pode ser cultivada do “jeito trouxa”! Eu teria mais de uma, mas depois da batalha final...


Explicava-se o Longbottom nervosamente ainda sem coragem o bastante para encará-la, mas Hermione avança a distância entre eles com um abraço esmagador dando um beijo no rosto do amigo.


-Foi um gesto muito doce Neville!


Agradece ela com os olhos embaçados com algumas lágrimas.


-Não foi nada!


Responde mais feliz o grifinório.


-E só para que você não se esqueça disso... Harry me falou sobre ontem... E eu queria que soubesse que não precisa oferecer sua amizade... Porque nós sempre fomos amigos!


Confessa ela com ternura pegando a o delicado vaso de flor nas mãos como se segurasse um tesouro.


-Muito obrigada, Neville!


Não muito distante, Harry assistia desconfiado a cena. Algo no fundo do seu peito dizia que Neville era um amigo e que não tentaria afastar Hermione dele, mas assim como com McLaggen, um sentimento feroz de posse o impulsionava a buscar Hermione e mostrar a todos eles que ela lhe pertencia, somente a ele e ninguém mais.


Bill Weasley se aproximou do garoto e olhando por cima do seu ombro não pode evitar rir daquela situação. Harry ficava morrendo de ciúmes de Hermione, mas não tinha coragem de assumir para a garota o quanto ela significava para ele, mesmo que fosse obvio para todo mundo que a nascida-trouxa só tinha olhos para ele.


-Se eu fosse você teria tomado uma atitude mais drástica!


Murmura Bill pegando Harry de surpresa, o moreno quase cuspiu todo o suco de abóbora que tomava no mais velho Weasley.


-O-Oquê?


Pergunta mortificado o menino-que-venceu desviando os olhos de Hermione e Neville e fingindo estar apreciando o almoço.


-Com Hermione!


Insiste o Weasley sentando-se na cadeira ao lado do moreno com um sorriso maligno no rosto.


-O que quer dizer?


Rebate Harry defensivamente, encarando o mais velho dos irmãos de Rony nos olhos.


-Se gosta mesmo dela, torne isso real!


Aconselha Bill olhando apaixonadamente para sua esposa do outro lado do jardim, acariciando a barriga de nove meses de gestação enquanto conversava com Andromeda Tonks.


-Real? Como eu posso tornar isso mais real? Eu adoro Hermione e ela sabe disso, eu faria qualquer coisa por ela!


Garante o Potter com decisão.


-Mas, os outros garotos não sabem disso ainda! Hermione pode ser a pessoa mais importante para você, mas não é nada mais do que sua melhor amiga!


Explica pacientemente Bill enquanto a expressão de Harry muda de impaciência para choque total.


-Os outros garotos não vão se afastar com simples paneladas na cara Harry! Confie em mim, eles fazem loucuras para chamar atenção de uma bruxa bonita!


Sussurra o ruivo em tom cúmplice, a experiência de estar com uma meia veela reforçando ainda mais a veracidade de seus argumentos. Harry engoliu em seco e inevitavelmente olhou de volta para Hermione que ria animadamente de uma conversa com Neville, Luna e Gina agora que lhe entregava um pacote com centenas de perfumes e cosméticos para os cabelos da nascida-trouxa.


-Mas... Mas, e se ela não... Se eu não pedir do jeito certo...ARG!


Desespera-se o grifinório bagunçando ainda mais os cabelos rebeldes para diversão de Bill. O garoto enfrentava Voldemort sem medo, mas quando o assunto era confessar seus sentimentos para a bruxa da sua vida ele entrava em pânico.


-Ontem mesmo, Fleur recebeu um pacote de um amigo do Torneio Tribruxo, sabe? Viktor Krum!


Comenta distraidamente Bill fingindo não perceber Harry ranger os dentes raivosamente com o nome do búlgaro.


-O que ele queria?


Vociferava o moreno com tamanha raiva que Bill teve medo de continuar.


-Bem... Ele estava enviando uma chave do Portal para Hermione... Parece que Kingsley explicou para ele algumas coisas sobre os pais dela e agora ele pediu para que o encontrasse no seu castelo na Bulgária!


Revela o Weasley e no instante seguinte, Harry estava fora de vista. Fleur se aproximou do marido com curiosidade.


-Bell querido, onde o Harrry foi tão frrrustrrrado?


Questiona a loira preocupada com o herói de olhos verdes deixando a Toca quase que literalmente cuspindo fogo.


...............//...............


OMG!!! Santa mamy de Merlinzinho cor de rosaaaaaaaaaaa!!! Até que enfim o capítulo de continuação do niver da Mione 100% online para vocês *-------------------* Ufffaaaaaaaaaaaaaaaa  Falando sério, nunca corri tanto para terminar um capítulo como hoje hauhauhauhauhauhauahuahua tá uma verdadeira bagunçaaa (especialmente quando escrevi a parte do almoço na Toca ;D huahauhauhauahua) esse fim de semana não toquei no computador e por isso demorei horrores para concluir =(


Sinceramente fiquei super ultra power mega passadah na chapinha ninja quando abri o F&B e vi tantos coments no capítulo passado @.@ Ownnnn pelos cabelos DIVOS divinos de Morgana, juro que nunca me emocionei tanto (emoção boa, sem momento EMO like Harry Potter oks?) E tinha que agradecer de coracisco a cada um de vocês!!!


Este capítulo foi escrito com muito, mas muito carinho mesmo, para cada pessoinha que lê a fic e deixa um comentário, mesmo que pequenininho, não sabe o quanto é importante para mim, motiva pra caramba, empolga, me faz rir loucuras, me deixa ansiosamente feliz e me dá zilhões de ideias novas para a fic!!!! *-* hauhauahuahuahuahuahuahuahau


LAAURASSSSSSSSS meninaaaaaaa sumidaaa!!!! Estava pensando se te daria um ataque do coração com esse capítulo ou não!!!! Huahauhauhauha brincadeirinhaaa!!! Pretendia postar o capítulo ainda ontem, mas estava incompleto e não queria fazer uma Aiaiai yukitoo a surpresa de Andromeda remontou dois quartos em um para ninguém desconfiar do casalzinho grifinório tadinho do Harry quase teve um infarto quando a Mione explicou para ele e por sorte ela concordou em permanecer assim, mas será que Harry entendeu que o que ela realmente queria era uma posição dele quanto ao relacionamento dos dois???? U_U Sério estou ficando com raiva de mim mesmo por causa da relutância do nosso moreno de olhos verdes!!! Muahuahuahuahuahuahua  Nosso herói é meio lerdo ainda XD Festa com os Weasleys não é a mesma coisa sem confusão né!!! Neville todo fofo, McGonagall esperançosa, Flitwick misterioso, McLaggen sendo ele mesmo e a carta de Krum... Uffa! O que achou da comemoração do niver de Hermione??? Gostou do capítulo??? Achou ruim?? Achou chato??? Comentaaaaaaaaaaaa!!!!


Campanha nivel NINJA!!! \o/ COVEIRO SENSEI SAMAAAAAAAA SEGUE A SETA ------------------> QUEREMOS VEGAAAAAAAAAAAS!!!!  É isso aí, (Veste a camisa e canta/We are champions my friend!!!) tá vendo que protestos funcionam mesmo??? U_ú Já tivemos um capítulo postado pouco tempo depois *----* Muhauhauahuahuahauhauha (aura maligna mode on) e pode apostar que em breve teremos mais adeptos da campanha que ganhou força graças ao Saito-sama!!! \o/ Muhauhauhauahuahuahua oks, parey! Falando sério Coveiro-sensei estou contando os segundinhos antes de ir para o novo capítulo da sua fic, esse fim de semana sem pc e agora correndo contra o tempo para terminar o capítulo está me deixando crazy nível extreme T_T Maaaaaaaas, eu sou teimosa e não desisto nunquinha!!! *-* Pois bem... respondendo ao comentário e OMG capítulo fantástico??? WOW quanta emoção!!!! XD Sabia que ficaria feliz com a continuação do beijo no corredor, muitos estavam pedindo por isso mas a ideia do Harry levar a Mione a dormir com ele foi o golpe de misericórdia Muhauhauhauauahuahauha apesar do nosso moreno ter perdido a coragem de se declarar >.< O momentinho com Teddy seria a oportunidade perfeita, mas Harry estava distraído demais com o afilhado e a experiência completamente nova para ele e Hermione que adiou mais uma vez (foge dos avadas mode on) Oks... continuando... Skeeter é uma caso à parte, e uma dica que posso dar é a saída do Rony ao Beco Diagonal com Gina vai ser o impulso para o retorno dela ao mercado. (spoiler mode on) e agora, o que achou hein????


Venatrix-samaaaaaaaa!!! Doce Lolly Pop rosa shock! Menina sumidaaaaaaaaaaa!!! Estava sentindo suas faltas nos comentários, pensei que tinha desistido de acompanhar a fic T_T Aiaiai Yukito estava numa felicidade só quando vi que estava de volta XD hauhauahuahuahuaha E mais ainda por ter gostado dos últimos capítulos! Então seja bem vinda de voltaaaaaaaaaaaaaaaa \o/\o/\o/ com a continuação do niver da Mione!!! OMG espero que não queira me matar pela demora a postar o cap. Mas tinha que consertar certos detalhes e complementar o almoço na Toca ;D Muhauhauahuahuahuaha (aura maligna mode on) Será que adivinhou a surpresa de Andromeda??? O que achou disso hein??? Huahuahuahuahauhauha a tadinha da Mione quase desiste do quarto enquanto o Harry se desespera para ela não fazer isso... Acho que no final o Harry pode não ter percebido que a grifinória queria mesmo que ele tomasse uma atitude sobre o relacionamento deles e não sobre a divisão do quarto ;P (spoiler mode on) O que achou das lembranças do Harry sobre a manhã no parque??? E da confusão na Toca??? Comentaaaaaaaaaaaaaaa maisssssssssssss!!! PS: se eu tivesse a chance devolveria o abraço agradecendo por acompanhar essa fic mega crazy que saiu da cabeça dessa humilde Potterfan!!! Hauhauahuahauhauhauhauahuahu Continuaa com a campanhaaaaa!!! Coveiro-sensei vai ser obrigado a postar logo Vegas!!! Beijinhuxxxxx


Saitoooooooooo-samaaaaaaaaaaaa \o/\o/\o/\o/\o/ finalmenteeeeeee respondendo ao seu comentário *-* Muhauhauhauahuahuahuahuahuaha!!! Gostou mesmo da continuação??? Sabia que a ideia do Harry em levar a Mione para a cama (no bom sentido é claro ;D) só apareceu agora por culpa dos seus coments e do Coveiro-sensei??? U_U Sim, declaro culpados! Brincadeirinha! Ahahhh a surpresa de Andromeda causou mais conflitos do que felicidade no começo, pobre Harry quase teve um treco antes de convencer a Mione a não se mudar do quarto! Muahuahuahuahuahuahauhauhau Espero não ter torturado muito a sua mente e estou cruzando os dedos para não ter decepcionado suas expectativas! Wow Rita está de volta com tudo e próximo capítulo já teremos notícias da repórter mais bizarra da Grã-Bretanha!!! Digamos que o Harry vai desejar ter sido mais cuidadoso em suas escolhas depois disso (fikaadika/aura maligna) Espero sinceramente que tenha gostado do capítulo!!! Não tenha medo de falar o que realmente pensa, pode criticar e comentar à vontade!!! Beijinhuxxx


Nathytx-samaaaaaa!!! Seja super mega power bem vindaaaaaaaaaaaa!!! Nova leitora, novo comente, isso é tão emocionantemente DIVO Divinooo!!!! *-------------* OMG espero não ter te deixado esperando por muito tempo!!! Gostou do capítulo de hoje??? Da Surpresa de Andromeda?? E a festa na Toca??? Qual será a escolha de Hermione agora com a proposta de Krum??? Será que Harry vai finalmente se declarar para ela??? Espero que continue comentando!!!! XD Beijinhuuux mágicos!


Michelle Lima meninaaaaaaaaa do primeiro comentário do último capítulo!!! Seja bem vindaaaaaaaaaaaa à fic e sinta-se à vontade para comentar, criticar, sugerir, elogiar e deixar sua opinião sobre como anda o desenrolar da nossa historinha Harmony *-----* Aiaiaiai Yukitoo que emoção!!! Yes, Harry tá letárgico a nível extremo quando o assunto é se declarar para a Mione, mas acho que depois do almoço na Toca, as coisas vão mudar drasticamente ;D Ahaaaaaahhh a única a comentar a possibilidade da Skeeter já ter encontrado nosso casalzinho HHr com o mini Lupin \o/ Wow será que vem spoiler por ai??? Hauhauhauhauahuaha comentaaaaaaa!!!


 


 


 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Laauras em 14/07/2013

Amei o capítulo, essa nova família do Harry promete grandes emoções, a cena do quarto foi mt hilária, ri demais. Amei o presente q o Rony deu pra Mione, realmente, foi de longe o melhor q ele podia ter feito, mt meigo tb foi o do Neville. Achei bem feito oq aconteceu com o Cormac, quem mandou ele se meter com a Mione, o Harry com ciúmes fica tão lindo!
E essa chave do Krum pra Mione? O que vai acontecer entre eles? E oq o Harry vai fazer? E como o nosso moreno vai pedir a Mione em namoro? 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Coveiro em 14/07/2013

Pode ser só impressão mas num futuro proximo o Teddy vai chamar a Mkione de mãe?

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Saito em 11/07/2013

Nossa! Demais, o Harry saiu nervoso, das duas uma ou ele foi Dar uma surra no ministro (o que faria com que ele ir para Azkaban mesmo sendo o Menino-que-sobreviveu) Ou ele vai para a Búlgaria dar uma surra no Krum o que fara com que a Mione fique com muita raiva dele que pode ser pior do que Azkaban.
Ou como sempre pode existir uma terceira opção que eu acredito ser a mais viavel embora eu saiba que isso não vai acontecer, mais aqui vai : O Harry esta saindo da toca e se lembrar dos coselhos da Sra. Tonks e do Bill e voltar ate onde a mione esta conversando como o Neville agarra-la pela cintura e dar-lhe um beijo de tirar o folego e dizer a todos que ela é só dele e pedi-la em namoro(por que eu acho que ja esta na hora), mas naturalmente se vc considerasse essa opção (Eu ficaria extremamente feliz) a Mione ainda sim iria para a bulgaria, o que faria o Harry ter um acesso de raiva.... mas acho melhor guardar minhas divagações apenas para mim.
P.S Gostei do Saito-Sama... mas me sinto um pouco velho e não acho que mereça tanto respeito :)
P. S2 Chegei um pouco atrasado mais mesmo assim aqui vai ----------------------------->SEGUE A SETA COVEIRO
-----------------------------> COVEIRO-SENSEI QUEREMOS VEGAS!!!! <---------------------------------------

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Venatrix em 11/07/2013

Meu Deus que capitulo! Adorei o lance do quarto magico, tacada de mestre e acho que o Harry merecendo um gelo para tomar uma atitude descente, tomara que a Mione va para o castelo na bulgaria, quem sabe assim essa coisa mais lenta que um filho de poseidon, se toque que a Mione é dele só que o mudo precisa saber! Por que esse idiota não oficializa logo? o que que custa pedir ela em namoro? Meu Deus, homens são tão idotas quando querem, foi mal a revolta mais o Harry ja esta me deixando com raiva com essa lentidão, tomara que agora o Vitor faça algo o leve a tomar uma atitude!
Desculpa por não ter comentado os outros capitulos tava mesmo sem net....
Bom cheguei meio atrasada mais ainda continuo a campanha de QUEREMOS VEGAS COVEIRO-SENSEI !!!!!! 

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Coveiro em 11/07/2013

Mais um capitulo simplesmente incrivel... como todos os outros esse só deixou um gostinho de quero mais...

Será que o Harry ainda vai conseguir ser mais lerdo? Porque esse final só me deu a impressão de que ele vai pra casa. Quando a Mione chegar, ele cego de ciumes, vai discutir com ela. Os dois vão se magoar e nada do Harry finalmente tomar uma posição quanto ao relacionamento deles. Até o Comarco já tomou uma posição, Neville parece tambem que vai tentar algo e o Harry dormindo no ponto... Ta cruel essa embromação dele, pois ele vai perder a Mione se continuar assim...

A surpresa da Andromeda eu imaginei que tivesse algo a ver com uma cama de casa e o quarto parecer um quarto para casal, mas não esperava que ela fosse tão fundo e "juntasse" o quarto deles. Pelo visto ela esta empenhada na causa de juntar os morenos. Assim como o Bill. Essa carta do Krum é seria ou foi um blef do Weasley?

A pulseira da Fleur tem algum segredinho? Ou é algo comum?

Eu estou realmente curioso com o proximo capitulo

A cena dos morenos com Teddy foi bem divertida. E a Mione já é a madrinha dele, só falta a Andromeda convidar.

E eu ainda to curioso quanto a historia da memoria do Lupin. E quando a Andromeda vai se mudar para a mansão Black com Teddy?

Voce precisa postar mais logo... e parar com essa campanha, pois tenho muitas coisas pra fazer e não estou podendo escrever nada no momento.

E voce ainda ta me devendo um comentario... e nada de capitulo novo antes do final de semana disso pode ter certeza. 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.