FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

8. Aniversário de Hermione (parte


Fic: Minha vida com Hermione Granger


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Hermione POV.


Se passava das duas da manhã, porém, o corredor frio não parecia intimidar o casal grifinório abraçados no meio da madrugada no terceiro andar do Largo Grimmauldi. Ela, na ponta dos pés, segurando um grosso álbum em sua mão direita, apertada contra seu peito, e com a mão esquerda em um aperto feroz sobre a camisa do moreno. Ele por sua vez a prendia em seus braços e devorava seus lábios com paixão.


Hermione sorriu novamente contra os lábios de Harry, seus olhos fechados com força, saboreando desesperadamente cada minuto daquele sonho. Seus narizes se tocavam timidamente, o perfume dele invadindo seus sentidos, o calor do seu corpo pressionado firmemente contra o peito do seu melhor amigo, a sensação de segurança que a atingiu quando foi sustentada pelos braços dele... Não existia outro lugar no mundo onde desejasse mais estar agora.


Harry Potter, o garoto encrenqueiro, dos velhos óculos de armações redondas, os olhos verdes de sua mãe e cabelos revoltosos do seu pai, o apanhador mais jovem do século, o formidável ímã grifinório de problemas, o garoto mais incrível e altruísta que já conheceu, o jovem bruxo destemido que roubou seu coração, que ganhou a sua alma... Ele a tinha presenteado com um pequeno, mas significativo e valioso álbum de família que ela imaginou nunca mais ter de volta.


O singelo e atencioso gesto emocionou a nascida-trouxa de tal forma, que todas as atribulações daquele dia se tornaram um borrão na sua mente. De uma hora para outra, não lembrava mais o medo que sentiu com o desaparecimento do moreno, o por que brigou com Rony, ou a chegada inesperada de Neville e a proposta de McGonagall trazida por ele. Harry não a tinha ignorado, não a tinha abandonado ou fugido do seu temperamento dolorosamente obsessivo com seu cronograma para reformar o casarão de Sírius.


Hermione sorriu. Ele simplesmente deu-se conta, a partir da sua lista de tarefas, do que nem mesmo ela atentou. Tão concentrada em ajudar Harry a preparar a casa para a chegada do pequeno Teddy que não recordou que hoje era seu aniversário de dezoito anos. E conhecendo bem seu melhor amigo, o olhar culpado que ela encontrou durante a manhã seria causa do desespero que sentiu por provavelmente não saber o que dar de presente para ela.


Era hilariante imaginar como o grifinório teve de se desdobrar até chegar à conclusão de que ela não precisaria de nada caro ou extravagante. Hermione não era como as outras garotas da sua idade, não desejava joias, grandes festas, perfumes, maquiagens ou roupas requintadas, ela simplesmente ficaria fascinada por um bom livro, por um desejo sincero de felicidades e um abraço apertado do seu melhor amigo.


Harry sabia disso, mas apesar de tudo, não desistiria de dar-lhe algo para recordar o seu dia, e por essa razão a sua busca se tornou tão especial. Ela não precisava se esforçar para recordar quais os presentes favoritos de seu melhor amigo desde então... A capa da invisibilidade, sua firebolt, o espelho de Sírius, as camisas da senhora Weasley... As fotos dos seus pais. Tudo o que Harry considerava importante, eram ligados à sua família, ou o mais próximo disso que ele chegou a ter.


O coração de Hermione bateu mais forte. Ele tinha desejado dar a ela algo tão importante quanto a capa da invisibilidade e as fotos dos seus pais eram para ele. Harry cresceu entre trouxas que o odiavam, que mentiam e o maltratavam, apesar de compartilharem o mesmo sangue. Teve uma vida dura e solitária até o momento que chegou à Hogwarts e descobriu a magia, a sua verdadeira história, os perigos do mundo bruxo e a amizade.


Cada uma dessas etapas da sua jornada, foi compartilhada com ela e Rony nos últimos sete anos. Não era segredo que o maior sonho do grifinório era viver com Sírius e criar uma família. E nesse momento da vida de Hermione, não existiria ninguém melhor do que ele para entender seus medos. Para compreender a sua dor e compartilhar a revolta por não poder recuperar os pais dela tão cedo.


Ela sentia-se orgulhosa dele, agradecida e encantada. Harry conseguiu transformar seu aniversário em um dia especial, não apenas pelo presente que recebeu, mas por todo o carinho e atenção que dedicou à escolha dele. Mais uma vez, o moreno de olhos verdes provou o quanto ela era importante para ele.


Harry POV.


O sorriso sincero da grifinória o deixou mais orgulhoso ainda da sua escolha. Afinal o dia que pareceu se transformar em um pesadelo de desordem terminou com um passeio fantástico pelo céu londrino, sentindo o gosto da liberdade pelas asas de Bicuço sob o céu excepcionalmente estrelado e finalmente entregou à Hermione o seu presente de aniversário recebendo dela o beijo mais incrível da sua vida.


Se alguém perguntasse ao moreno se todo aquele dia agitado valeu à pena, com toda certeza, Harry não pensaria duas vezes antes de dizer que sua resposta era um grande e fervoroso: SIM. Depois de tanta confusão, de tantos desentendimentos e desencontros ele finalmente conseguiu fazê-la perdoá-lo por sua ausência e sorrir com seu presente.


Agradeceria à Hagrid pela eternidade, se fosse possível o compraria uma dúzia de ovos de dragão, afinal, o meio-gigante com todo seu jeito ingênuo e bondoso foi sua inesperada salvação. "Hermione vai gostar de qualquer coisa que você escolher para ela!" o consolava Hagrid enquanto arrumava os arredores da sua velha cabana. Recordava Harry.


Assim que a deixou no Largo Grimmauldi, foi listando mentalmente tudo o que tinha dado à ela nos últimos anos e percebeu, com uma dose assombrosa de horror, que nos últimos sete anos nada do que ele lhe dera foi bom ou realmente expressivo o bastante. Nada além de uns tímidos abraços ou tapinhas nas costas e desejos de felicidades, que ela recebia com um sorriso doce e olhos transbordando de ternura, ela sempre soube de suas condições e dificilmente aceitaria doces mágicos ou trouxa que seriam as únicas coisas que Harry seria capaz de comprar.


Hermione, a garota mais extraordinariamente valiosa da sua vida, merecia algo bom. Livros, ela já leu todos que ele poderia imaginar comprar, perfumes... Não lembrava dela ter alguma preferência, isto levando em conta todo o ano que passaram juntos na tenda durante sua caça às horcruxes... Roupas... Onde diabos ele conseguiria alguma roupa que ela gostasse? Acertaria o tamanho? A cor? O tecido?


A resposta era óbvia: Não! Gina sugeriu um passeio romântico, o que deixou o Potter mais vermelho que um pimentão mágico. "Leve-a para um passeio em algum lugar especial, vejam as estrelas juntos, segure a mão dela e quando ela menos esperar a surpreenda com um beijo apaixonado! Duvido que ela se esqueça desse dia!"


Andromeda aconselhou a não se preocupar com um presente, mas em mostrar à ela como era importante em sua vida e que deveria comemorar esse dia especial. "Vocês se conhecem há mais de sete anos, passaram os últimos meses sozinhos numa tenda lutando pela própria vida, tem certeza que não sabe mesmo o que ela gostaria de ganhar? Um bom presente ou um momento de paz com aqueles que ela ama?"


Bem, de alguma forma, ainda confuso, pensou em procurar a senhora Weasley, mas hesitou temeroso, provavelmente ela o mandaria comprar toneladas de flores, fazer uma serenata e levá-la a um bom almoço na Toca. O grifinório sorriu para a memória, Molly foi bem persuasiva quando disse: "Amanhã teremos um almoço de aniversário decente na Toca já está na hora de saírem daquele casarão escuro e empoeirado e respirarem um pouco de ar puro!!!"


Ele estava preocupado, encrencado, desanimado e furioso... Em menos de uma hora, uma pequena conferência começou no salão comunal grifinório. Dean riu do seu desespero dizendo que Harry poderia levá-la para um jogo de quadribol em comemoração: "Tenho entradas exclusivas para o jogo dos Arrows contra Harpias, final do campeonato regional, ela toparia?"


Mas, o moreno deixou claro que Hermione ODIAVA quadribol e que não iria a nenhuma partida em ele não estivesse no mínimo jogando. Seamus cruzou os braços e ofereceu um meio sorriso dizendo ele deveria convidá-la para um encontro. "Hogsmead não está tão mal assim, Madame Pudfoot está aberta todos os fins de semana sabe? Acho bom fazer isso logo antes que Krum apareça do nada e a leve para um castelo na Bulgária!!!"


Dizer que Harry estava a ponto de enfeitiçá-lo pela menção ao nome do jogador de quadribol seria eufemismo. Agora mais do que nunca ele TINHA que encontrar algo para Hermione, digno o suficiente da garota da sua vida e rápido o bastante para evitar a interferência de um certo búlgaro famoso. Porém até o meio da tarde, sua busca era infrutífera e já pensava em alguma forma de se infiltrar no Beco Diagonal quando Hagrid o viu.


Passaram bons minutos conversando, quando sem perceber, o guarda-caça diz: "Ela vai gostar de qualquer coisa, se for especial, ela vai perceber, se lembra do álbum de casamento dos seus pais? Não era nada novo, mas você ficou muito feliz com ele!"


Foi questão de segundos. Harry tomou sua vassoura e voou até Hogsmead, de lá aparatou antes que qualquer bruxo ou bruxa o tivesse reconhecido, encontrou-se diretamente na antiga casa de Hermione. Tão impecável quanto a ultima vez que vira. Com muito cuidado e reverência, ele procurou em cada cômodo, algo que lembrasse sua melhor amiga dos momentos felizes com seus pais...


As fotos estavam empilhadas sobre um álbum praticamente vazio. Se Hermione não lhe tivesse contado com tantos detalhes as suas viagens de férias com seus pais, ele teria jurado que ela nunca esteve em qualquer uma das fotos ali. Depois de usar todos os tipos de encantos que conhecia sem sucesso, o moreno retornou à escola, determinado a encontrar o melhor em feitiços que conhecia... Professor Flitwick.


O chefe corvinal não escondeu a surpresar por ter encontrado novamente em Hogwarts, o mesmo herói bruxo que jurou não voltar mais lá, entristecido por lembranças de pessoas que tanto amava e perderam suas vidas ali. Foi uma longa e perturbadora discussão entre o Potter e o professor de encantos, mas, no final, uma promessa de Harry, e o feitiço de Hermione foi desfeito! Ele só não esperava que sua promessa o colocasse em um impasse futuramente.


Geral POV.


-Harry?


Chamava a grifinória o fitando com diversão e curiosidade. Seus olhos castanhos brilhando encantadoramente, o rosto levemente corado e os lábios, arfantes, provocantemente entreabertos após mais um beijo apaixonado.  O moreno a envolvia em um aperto possessivo e ao mesmo tempo acalentador.


Demorou alguns instantes para recobrar o controle da sua consciência e responder à Hermione. Devolvendo o sorriso e encostando sua testa à dela ele sussurrou preguiçosamente sem abrir mão de prendê-la em seus braços:


-Sim, Mione?


Os olhos verdes focados unicamente sobre ela.


-Você parecia distraído...


Responde Hermione fechando os olhos e respirando profundamente. O coração batia ferozmente dentro do peito, suas respirações entrecortadas, e o desejo de transformar tudo aquilo em algo mais ardendo em seus espíritos.


-Não! Eu estava somente pensando em como tive sorte! Acho que você gostou do seu presente!


Brinca ele distribuindo uma sequencia faminta e apaixonada de beijos por seu rosto, descendo perigosamente para o pescoço quente e macio de Hermione, marcando cada carícia com um gemido prazeroso da melhor amiga.


-Temos que ir dormir, Harry!


Murmura Hermione com o mínimo da sua força de vontade, resistir à Harry era definitivamente uma batalha contra seus próprios sentidos, contra seu instinto... Contra seus desejos mais profundos, e o moreno de olhos verdes parecia saber muito bem disso.


-Não!


Responde ele contra o ouvido da grifinória a fazendo estremecer e morder o lábio inferior com força. Harry estava brincando com fogo...


-É tarde!


Murmura ela com os olhos firmemente fechados.


-Ainda não!


Insiste Harry a prensando contra a parede, saboreando a pele ardente sob seus lábios.


-Harry... Por favor!


Diz a morena entre respirações agitadas, o corpo inteiro derretendo sob a boca de Harry.


-Mione eu passei o dia inteiro sem te ver, sem te tocar, sem te abraçar, sem te beijar, Merlin! Eu não vou ficar mais um minuto longe de você!


Hermione estremeceu, os olhos amplos em surpresa quando Harry a parou de beijar e levantou o rosto a ponto de encará-la seriamente nos olhos. A determinação naqueles magníficos olhos verdes a fazia sentir coisas insanas dentro de si.


-Estaremos confinados nesse casarão por mais três semanas, logo você vai enjoar de mim!


Provoca Hermione sorridente, mas Harry a interrompe com um beijo exigente a fazendo esquecer quase tudo o que ela estava pensando naquela hora. O moreno estava ficando a cada segundo mais habilidoso em desarmá-la e dominar seus pensamentos com apenas um beijo.


-Eu estou falando sério! Não quero ficar longe de você!


Argumenta o moreno severamente diante da provocação da grifinória que para sua surpresa, finalmente percebeu que ele não estava brincando. De fato, Harry disse cada uma daquelas palavras, ciente de que estavam acordados por muito mais tempo do que poderia aguentar, teriam que se esforçar muito na montagem dos móveis novos, precisavam dormir e ele recusava-se a ficar longe dela mesmo assim. Ele queria dormir com ela?


-Teremos um dia inteiro pela frente, só para nós dois, Harry!


Murmura ela sem quebrar o contato intenso dos seus olhos, por alguma razão desconhecida ela sentiu a boca secar e passou ligeiramente a língua sob os lábios. No entanto, o olhar enlevado no rosto de Harry deixou suas pernas trêmulas.


-Não importa, eu ainda preciso de você! Dorme comigo!


Insiste ele, colocando em palavras o que antes era apenas a suposição dela e o desejo dele desde o primeiro dia que chegaram à antiga casa de Sírius. A grifinória ofegou, abriu a boca sem saber direito o que responder. O que significava esse pedido? O que Harry pretendia com esse convite?


-Mione?


Questiona ela com um semblante esperançoso e preocupado, sem entender muito bem as possíveis interpretações por trás do seu pedido, absorto em sua ânsia em tê-la tão somente para si.


-Harry... não seria certo!


Murmura ela hesitante, desviando o olhar para os lados sem força o bastante para negar seu pedido olhando nos olhos dele.


-Porque não?


Insiste o grifinório.


-Nós já ficamos várias noites no mesmo quarto na tenda mágica!


Protesta Harry franzindo a testa em confusão.


-Mas, agora é diferente Harry!


Rebate Hermione com firmeza, fechando os olhos e levantando o rosto com altivez.


-Diferente como? Você não quer dividir o quarto comigo?


Provocou o moreno com sua melhor expressão de “menino inocente” que fazia o coração de Hermione bater mais rápido. Era quase infalível, mas a grifinória se mantinha inflexível.


-Não é isso!


Apressou-se em responder a garota.


-Mas, não seria apropriado Harry! Na tenda dividíamos o quarto por que cuidávamos um do outro e permanecíamos em camas diferentes!


Explica Hermione mais calmamente, tomando forças para encarar os olhos verdes preocupados do melhor amigo.


-Ainda podemos cuidar um do outro e dividir uma mesma cama, Mione! Não é como se eu fosse tentar nada de ... “inadequado” com você...


Defende-se o moreno indignado.


-Bem... ao menos não à força!


Completa em um sussurro que deixou a bruxa atordoada. Ou ele se recusava a entender ou estava fazendo isso de propósito para atormentá-la.


-Oh, Harry! Eu sei que você nunca faria nada de errado comigo! Mas, não seria certo! Já imaginou o que Rony ou Andromeda iriam pensar?


Respondia Hermione levando uma das mãos ao rosto de Harry em uma carícia suave. O moreno fechou os olhos e inclinou o rosto apreciando o calor daquele toque.


-Por uma noite, Mione! Só essa noite! Ninguém precisa saber!


Insistiu o grifinório, segurando a mão de Hermione em seu rosto e virando os lábios para beijar a palma da mão dela em reverência.


-Por favor!


Pede ele abrindo os olhos e a fazendo derreter com o calor nos orbes esmeraldas.


-Sim!


Responde Hermione antes mesmo de conseguir se deter. Aqueles profundos olhos verdes a hipnotizavam, a aprisionava, em um mar esmeralda brilhante a deixando completamente indefesa, vulnerável... Ela não conseguiria dizer não.


-Não vai se arrepender, Mione!


O sorriso de Harry seria capaz de iluminar todo corredor sombrio do terceiro andar quando a levantou nos braços e a girou no ar. Hermione gritou agitada, mas ele a colocou no chão sem lhe dar tempo de protestar.


-Vamos!


Anuncia ele a tomando pela mão livre a guiando para seu quarto. A grifinória revirou os olhos antes de parar o amigo.


-Harry ainda tenho que pegar o meu pijama e guardar meu presente!


Diz Hermione com autoridade e Harry lhe oferece um sorriso malicioso antes de responder com um piscar de olho que a deixou rubra dos pés à cabeça.


-Você deixa ele na minha cômoda, vai estar seguro lá e pode vestir uma das minhas camisas de quadribol... Sempre gostei de te ver nas cores da grifinória!


O comentário ganhou um tapa na nuca como resposta, além de uma Hermione extremamente envergonhada estreitando os olhos ameaçadoramente em sua direção.


-O que você está pensando Harry?


Acusa ela enfurecida, mas o garoto apenas sorri ao perceber que estava a deixando corada.


-Vou ganhar outra tapa se te responder?


Questiona enlaçando sua cintura fina com facilidade. Tão natural quanto deixá-la enrubescida com a intimidade arrebatadora que compartilhavam.


-Idiota!


Repreende ela desviando o olhar sentindo o rosto arder.


-É você que não aceita a verdade!


Murmura ele puxando o rosto dela em sua direção com uma das mãos. Pelos fundadores, ele adorava quando a fazia corar com apenas uma brincadeirinha boba, ela sempre era tão séria e concentrada, que em pequenos momentinhos como esse, Harry apreciava ver Hermione agir como uma garota da sua idade, mesmo que fosse de vez em quando.


-É bom que seja quente e confortável o suficiente para mim, Potter!


Rebate ela batendo o pé ritmicamente no chão. Harry só poderia estar brincando com ela, para aliviar o clima, pensou agora sorrindo.


-Não se preocupe, a minha cama é grande o bastante para nós dois, e depois de tudo, ainda posso te proteger do frio!


Responde ele a abraçando e beijando sua testa ternamente.


Skeeter POV.


O fim da guerra que assolava o mundo mágico nas últimas décadas era o acontecimento mais fantástico do ano. A morte de Albus Dumbledore, a ascensão do Lorde das Trevas, a queda do Ministério da Magia, o domínio dos comensais da morte em Hogwarts, o desaparecimento repentino do menino que sobreviveu com seu amigo Weasel e a nascida-trouxa Grange...


O período sombrio e as mortes de milhares de bruxos, a fuga de um dragão em Gringottes, o retorno do herói mágico, a terrível e gloriosa batalha de Hogwarts... Os tributos as vidas perdidas, a perseguição aos fugitivos seguidores do senhor das trevas, o posto de Primeiro Ministro para o notável e ecêntrico Kingsley Shacklebolt, o silêncio do menino que sobreviveu...


Em todo esse tempo que ela esteve “refugiada” milhares de grandes acontecimentos marcavam a comunidade bruxa na Grã-Bretanha. Marcos históricos cobertos por toda imprensa mágica a nível mundial. O Profeta Diário, vendia suas cópias como água, apenas com a foto do salvador Harry Potter em sua capa.


Ninguém mais lembraria do seu nome, ou das suas manchetes polêmicas e entrevistas infames. Seus livros seriam esquecidos em algum canto profundo das prateleiras, seu emprego, sua casa, sua vida, na lama. Se humilhava todos os dias para poder continuar viva, se escondendo em sua forma animago, olhando para os dois lados com medo antes de sair... Isso não era vida, não era A VIDA que ela queria e planejara tão ardentemente para si.


Amargando em sua desgraça, Rita jogou mais uma cópia do jornal no lixo e voltou-se para o celeiro onde agora vivia em desgosto absoluto. Sua maior habilidade, era criar manchete, vender notícias, desvendar enigmas e fabular histórias, instigando a necessidade dos leitores em reagir às suas colunas. Auge da sua fama, mais inimigos do que amigos, sua língua... melhor, sua pena ferina, era alvo do ódio de muitos, poderosos e influentes bruxos, e isto foi a sua ruína.


Era uma madrugada fria, a chuva caía suavemente. Ajeitando o par de óculos berrantes ela lembrou-se do que passou até chegar ali.


Rita fugiu logo após a morte de Dumbledore, sendo alvo de ameaças bastante... “persuasivas” de alguns simpatizantes do senhor das trevas. Sua curiosidade doentia, seu tom de sempre deboche e cara de pau não foram resistentes o suficiente suportar a intimidação dos poderosos bruxos comensais da morte que desejavam seu pescoço.


Engolindo em seco, a repórter lembrou do medo que sentiu quando deixou seu apartamento e emprego e desaparatou com a roupa do corpo em um vilarejo trouxa na zona rural da Inglaterra. Tremendo em pânico, temendo ser escorraçada do mundo mágico, perder sua varinha e direito de exercer sua magia... Ou muito pior... Ser obliviada.


Merlin! Sua maior fonte de riqueza estava guardada em suas memórias. Diferente do que publicava, a repórter sabia a realidade por trás de cada manchete que escrevia, conhecia os culpados, os justos, os inocentes demais e os oportunistas como ela. Rita sabia demais, sobre pessoas demais e consistia em uma ameaça para o reinado de Voldemort.


Mas, agora o mundo estava livre desse mal, e ela poderia finalmente retomar a vida que deixou para trás. Mas, como voltar? O que teria para ela? Quem a esperaria? Quem lhe creditaria por ter fugido da guerra? Como recuperar sua fama e seu emprego??? Rita Skeeter iria voltar, é claro, ela não era bruxa para uma vida clandestina como a que vivia agora... Mas, sendo Rita Skeeter ela só voltaria com uma aparição bombástica, com uma revelação chocante... Com fatos inesperados e exclusivos como somente ela poderia fazer.


Sem notícias da guerra ou dos feridos, sem mensagens póstumas ou dramáticas. Ela precisava explorar um campo específico que nenhum dos repórteres e jornais tivessem acesso tão facilmente. Um sorriso maligno se formou em seus lábios, e os olhos brilharam em antecipação. Apressada ela pegou novamente a última cópia do jornal do lixo limpando-o ligeiramente antes de ler a manchete em letras garrafais: HARRY POTTER DECIDE SE AFASTAR DE HOGWARTS, HERÓI DO MUNDO MÁGICO DESEJA PAZ E NÃO FALA COM OS JORNALISTAS.


-Ora, ora, ora... O menino que sobreviveu duas vezes... meu alvo favorito... Harry será a minha matéria gloriosa de retorno ao Profeta Diário!


Comemora a bruxa usando a varinha para livrar-se dos trajes trouxas surrados e conjurar um pergaminho e pena mágicos.


-Porque o nosso jovem e destemido herói buscou o isolamento social? Estaria ele sofrendo por seus lutos? Ainda atormentado pelos perseguidores comensais da morte? O que realmente aconteceu na batalha final? Onde está o corpo do senhor das trevas? O que Harry Potter estaria escondendo tão desesperadamente de nós a ponto de buscar a solidão?


Recitava ela com excitação, seu tempo presa na pacata e subdesenvolvida vila estariam contados. Ela sairia da sarjeta e retornaria com pompa!


Hermione POV.


Os primeiros raios de sol adentravam furtivamente pelas pesadas cortinas de linho, trazendo consigo uma tímida onda de calor sobre o quarto de paredes pálidas, piso de madeira polida e espaço pouco mobiliado, que agora pertencia à Harry.


O perfume marcante do bruxo estava por toda parte, sua cabeça descansava sobre um confortável travesseiro branco, seu corpo, coberto por um lençol macio e a vontade de continuar naquela cama por longas e intermináveis horas crescendo mais e mais.


Respirando fundo, ela obrigou-se a acordar apesar do sono. Um costume que ganhou durante o tempo em que revezava as rondas na tenda com Harry e Rony, poucas horas de sono já eram suficientes para um dia. Havia um braço apertando possessivamente a sua cintura. Hermione ofegou. O rosto de Harry estava enterrado em seus cachos enquanto ele a abraçava por trás.


O rosto da grifinória ganhou um tom fervente de vermelho, mordendo com força o lábio inferior impedindo-se de emitir qualquer som e seu corpo inteiro congelou em choque, ela não ousava se mover, apreciando a sensação de acordar nos braços do bruxo que tinha seu coração. Sua respiração acelerou e o braço de Harry a apertou instintivamente a trazendo ainda mais contra si.


Com o coração a solavancos, Hermione fechou os olhos novamente, sua mão direita seguindo lentamente sobre o braço de Harry, entrelaçando seus dedos levemente com um pequeno sorriso satisfeito brincando em seus lábios rosados. Um forte sentimento de que tudo estava no lugar certo. O resto da noite, ela passou rindo e conversando com seu melhor amigo sobre tudo e absolutamente nada.


Ela usava uma das camisas de quadribol de Harry, que lhe ficou adoravelmente grande. Os dois estavam deitados um frente ao outro, com sorrisos bobos nos lábios, rindo e se divertindo com pequenos e singelos roçar de pés, toques delicados de mãos, encontros apaixonados de olhares.


-Onde você quer ir, Mione?


Perguntou ele com animação.


-A lugar algum, estou bem aqui com você!


Responde ela com a voz suave e sussurrada de sono.


-Eu poderia te levar para um passeio, ou se quiser podemos ir para Madame Pudfoot em Hogsmead!


Sugere o moreno sem jeito, corando descontroladamente, o que levou Hermione a rir do esforço do melhor amigo em agradá-la de todas as formas.


-E dar ao Profeta Diário a manchete da semana?


Brinca ela sem perceber a carranca no rosto de Harry.


-Eles não vão nos incomodar mais! Eu não vou deixar Mione!


Garante Harry a encarando seriamente e Hermione lhe oferece um sorriso agradecido em troca.


-Eu sei! Mas, ainda prefiro ficar só com você longe de tudo!


Responde ela acariciando o rosto dele ternamente.


-Mas, é seu aniversário! Temos que fazer algo divertido, diferente! É o seu dia Mione!


Insistia o moreno com firmeza e a grifinória apenas revirou os olhos com a obsessão de Harry em leva-la para sair.


-Por que temos que sair? Estou muito bem aqui! Não é como se eu estivesse acostumada a comemorar meu aniversário com passeios e tal!


Questiona Hermione com uma pitada de desconfiança na voz.


-Porque você merece! Não estamos mais em Hogwarts ou fugindo de Voldemort! Agora começamos uma vida nova e eu quero poder te levar a um lugar especial e comemorar o seu aniversário!


Protesta Harry tão veementemente que Hermione não conseguiria lhe dizer para parar. Harry finalmente estava focado em viver intensamente o seu futuro, e da forma mais inesperada possível. Ver o seu melhor amigo deixando o temperamento sombrio e se iluminando novamente.


-Ok...Talvez possamos levar Teddy a um passeio, acho que ele nunca foi a um parque ou fez um pic-nic! Seria perfeito! Poderíamos chamar Andromeda também, o que acha Harry?


Anima-se Hermione sentando na cama como se estivesse pronta para descer até a cozinha e preparar ela mesma uma cesta com as coisas para o passeio. O sorriso de Harry ampliou-se vertiginosamente quando ele sentou-se logo atrás dela a impedindo de deixar a cama.


-Calma! Ainda temos que falar com Andromeda, mas tenho certeza que ela vai adorar a ideia!


Acalmava-a Harry com um meio abraço e um beijo carinhoso no rosto.


-Sério? Será que ela iria concordar mesmo? Precisamos encontrar uma câmera trouxa, tirar algumas fotos de Teddy, vamos fazer um álbum novo, com você, Andromeda e Teddy juntos!


Divagava Hermione deitando a cabeça no travesseiro fitando o teto com os olhos brilhando.


-Não!


Interrompeu Harry a fitando com um sorriso maroto que a deixou completamente confusa.


-Como não? Teddy precisa registrar seu primeiro pic-nic oficial! Não vou deixar que seu jeito neurótico com câmeras e fotos impeça Teddy de poder desfrutar das suas próprias lembranças quando for mais velho!


Rebate Hermione indignada, e o moreno simplesmente balança negativamente a cabeça para frustação da bruxa grifinória.


-Me recuso a tirar qualquer foto de família sem você! Aposto que Teddy e Andromeda também não aceitariam isso!


Explica ele deitando-se novamente, fitando os olhos amplos em surpresa da melhor amiga.


-Harry eu não...


Começava ela apenas para ser interrompida por ele.


-Você faz parte da nossa família SIM! Teddy te adora, Andromeda te admira e eu... Eu simplesmente... Eu am... Eu não sei o que eu faria sem você! Eu quero você comigo, para sempre Mione!


Confessa ele hipnotizado pelo par de olhos chocolates mais impressionantes que já encontrou na sua louca vida. Sem nem mesmo perceber ele tirou um mecha de cabelo cacheado que caía sobre o rosto dela em um gesto tão íntimo e tão inocente que Hermione corou com a respiração descompassada.


Os dois ficaram perdidos nos olhos do outro por uma pequena eternidade. As palavras de Harry ecoando entre eles como uma canção envolvente, como um laço invisível que os conectava. O peito de Hermione aquecido pela sinceridade dele, e o coração dele batendo furiosamente naquele momento.


-E como eu me encaixaria, Harry? Andromeda é avó materna de Teddy, você é o padrinho e principal ligação dele com o professor Lupin, mas o que eu seria para ele? A amiga do padrinho dele? A ex-aluna do seu pai? Você precisa entender que eu nunca vou deixar você de lado, mas temos que lembrar que o centro de tudo agora é o Teddy!


Lembrou Hermione, sentindo-se lisonjeada com as palavras do melhor amigo, no entanto, não desejava criar tantas esperanças tão cedo. Harry estava começando a caminhar com as próprias pernas, assumindo uma nova etapa da sua vida enquanto ela ainda não tinha certeza alguma sobre o que fazer a partir do momento que Kingsley der carta branca para a busca dos seus pais.


-É exatamente por cauda dele que eu quero você com a gente! Não vou abrir mão de ter a bruxa mais brilhante da nossa geração como a maior influência positiva na vida de Teddy!


Protesta veementemente o grifinório.


-Você pode não ser a madrinha dele, mas é a pessoa mais inteligente, justa, carinhosa, atenciosa, dedicada e linda por dentro e por fora, que eu já conheci! Sinceramente eu não imagino a minha vida sem a sua presença e não quero privar Teddy disso também! Você não vai confiar em mim sozinho com um bebê de quatro meses não é???


Rebate Harry animadamente arrancando um sorriso da melhor amiga.


-Quatro meses e catorze dias seu bobo!!! E acho que pode ter razão!


Responde ela desistindo de discutir o assunto. Mesmo que desejasse negar, saber que seria parte dessa pequena família a deixava imensamente feliz.


-Ótimo senhorita Granger, por que amanhã todos nós vamos tirar fotos de família ok?


Exige o moreno fazendo cócegas na amiga que gritava de tanto rir. Hermione sorriu calorosamente para a memória, Harry estava sendo tão maravilhoso com ela que ainda não sabia como lhe agradecer. Lentamente ela se virou nos braços dele, tomando todo o cuidado para não despertar o moreno de olhos verdes.


Levemente, ela acariciou seu rosto, admirando seus traços, seu nariz, seus lábios, sua cicatriz em forma de raio quase imperceptível... levantando o rosto, Hermione beijou o queixo de Harry e passou os braços possessivamente em volta da sua cintura. Era um movimento ousado, ela sabia, mas era seu aniversário, seu dia e depois de Harry insistir tão fervorosamente que ela decidiu seguir seu conselho. 


Harry lhe contou sobre a reunião de emergência que seus amigos fizeram no salão comunal dando as ideias mais mirabolantes que ela poderia imaginar, ela chegou a chorar de rir quando o moreno confessou ter discutido com Seamus depois que ele falou de Krum. Por outro lado, ela quase fez o grifinório cair da cama gargalhando loucamente quando ela revelou que bastava Rony lançar um “finito” para se livrar da aparência de cenoura gigante.


Os dois concordaram em se desculpar com o ruivo mais tarde, bem como deixar um quarto separado para Monstro (exigência de Hermione) a grifinória prometeu ao melhor amigo que ouviria também as sugestões de Rony, já que um dos quartos seria dele afinal.


E e estranhamente, Harry absteve-se de falar sobre a visita de Neville, algo sobre a atitude do Longbottom ainda o incomodava, mas deixaria suas desconfianças para depois, agora ele tinha Hermione só para si, vestindo sua camisa favorita e deitada em sua cama, ou seja, nem mesmo uma reaparição de Voldemort o tiraria daquele confortável momento comcom a sua Mione. Uma hora mais tarde, sem darem-se conta caíram no sono abraçados e cheios de sonhos com o futuro.


Agora completamente desperta, Hermione decidiu que seria a sua vez de acordar Hary com beijos apaixonados, ele parecia tão bonito e pacífico enquanto dormia que ela não poderia resisitir. Do seu próprio jeito, ele estava transformano o tempo que compartilhavam no Largo Grimmauldi em algo especial e extremamene profundo.


-Hora de acordar!


Sussurrava ela entre beijinhos castos espalhados pelo rosto do grifinório, que em reposta envolveu com força os dois braços sobre a sua cintura fina a apertando contra si e logo voltou a dormir.


-Acorda Harry!


Insistia ela agora plantando um beijo provocante na base do pescoço do moreno que estremeceu visivelmente murmurando sonoleto o nome dela.


-Temos que levantar, Harry! Está quase na hora de buscarmos Teddy!


Alerta ela levantando o rosto para encará-lo.


-Só mais cinco minutinhos Mione... É tão bom ficar na cama com você!


Murmura ele encostando seu nariz ao dela sem abrir os olhos ainda. Saboreando o perfume dos cabelos cacheados e a maciez da pele quente da melhor amiga contra a sua.


-Anda preguiçoso, me deixa levantar!


Brincava Hermione tentando inutilmente escapar dos braços do melhor amigo.


-Não! Você é minha e vai ficar na cama comigo até eu me cansar de dormir e começar a te beijar!


Garante ele com um meio sorriso que a deixava com borboletas no estômago.


-Idiota!


Acusa Hermione estapeando o braço do grifinório que apenas ria divertidamente da morena.


-Estava brincando Mione, estou pronto para comemorar o seu dia.... Mas, antes eu só queria pedir um favor!


Explica ele inicialmente sorridente e ao final estava sério, os olhos verdes concentrados sobre ela.


-Claro Harry, o que você precisa?


Pergunta Hermione preocupada.


-Algo que só você pode me dar... e tem que ser agora!


Murmura o moreno com a voz rouca e os lábios à centímetros dos dela. Hermione ofegou sem desviar os olhos do melhor amigo à sua frente, sem perceber mordia o lábio inferior em antecipação.


-Por favor, Mione... Pode fazer isso por mim?


Fala o grifinório sedutoramente movendo seus lábios contra os dela em provocação.


-Sim!


Responde a bruxa fechando os olhos e ansiando por mais um dos beijos maravilhosos do melhor amigo.


-Ótimo, por que meus óculos estão na cômoda do outro lado da cama e eu não posso alcançar daqui!


Responde entre risos o moreno para estupefação absoluta da Granger que ficou completamente rubra, com os olhos amplos em choque, caíra novamente nas brincadeiras do grifinório.


-Bobo!


Acusa ela jogando o travesseiro sobre ele. Seria o começo de um belo dia.


Geral POV.


Harry vestia uma calça jeans escura, camisa de mangas longas e casaco, preparava o flu para a visita à Teddy e Andromeda enquanto Hermione se dedicava fervorosamente à preparação da cesta de pic-nic, com sanduíches, suco, frutas, torta de abóbora e melado azedo. A morena estava tão ansiosa para seu passeio trouxa que estava organizando cada mínimo detalhe sem notar Harry, que decidiu, repentinamente ir na frente e falar com Andromeda antes que sua amiga percebesse sua ausência.


Foi uma missão simples, com Hermione na cozinha ele tinha tempo de sobra, em segundos estava tropeçando na lareira da casa da família Tonks. Agarrando seus óculos com uma das mãos, e segurando a parede da lareira com o outro, o moreno se encontrava coberto de pó de flu dos pés à cabeça. Merlin, Hermione o mataria! Escolheu as roupas dele com todo cuidado para as fotos.


Tinha que colocar imediatamente seu plano em prática, não tinha tempo a perder. Onde estaria a sua varinha? Questionava-se após recuperar o equilíbrio e o que restava de sua dignidade e procurava a sua varinha por todos os bolsos do casaco quando descobriu estar pisando em cima da mesma. Praguejando ele lançou um rápido encanto de limpeza antes de seguir para a cozinha onde Andromeda tentava fazer Teddy comer.


No entanto, o pequeno preferia brincar com a estranha papinha verde que sua avó insistia em alimentá-lo. Seus cabelos era um caleidoscópio de cores vivas, os olhos em um cinza profundo e as mãozinhas agarrando firmemente a colher das mãos de Andromeda enquanto fazia o que restava da papinha desaparecer magicamente. Harry sorriu com as travessuras do afilhado, Teddy já era um bom maroto desde pequeno!


A casa estava bem arrumada como sempre, com uma pitada de tristeza ele notou as fotos de Andromeda com seu marido e única filha nas paredes e estantes da sala. Uma delas, tinha Remus e Tonks no que parecia ter sido o dia do casamento deles. Respirando fundo ele obrigou-se a voltar sua atenção à Teddy. A velha bruxa diante do garotinho suspirou revirando os olhos severamente.


-Não faça isso, Teddy!


Repreendia ela com naturalidade, como se estivesse acostumada com isso. O bebê simplesmente abriu a boca em quase um sorriso antes de perceber a presença do terceiro bruxo na casa. Sua reação foi imediata, os cabelos escureceram e os olhos ganharam o mesmo tom esmeralda do padrinho.  Andromeda riu sem precisar virar-se para saber que Harry estava bem ali.


-Reforços para fazer Teddy comer?


Brinca ela levantando e apoiando as mãos sobre as costas doloridas, Teddy estava ficando pesado para levar de um lado a outro da casa.


-Quase isso!


Responde o moreno com um meio sorriso ao se aproximar de Andromeda e ser recebido com um caloroso abraço.


-É bom vê-lo novamente Harry!


Comenta ela simpaticamente antes de puxar uma cadeira para o moreno sentar-se próximo à Teddy que esticava desesperadamente os bracinhos em direção ao padrinho, louco para escapar da cadeirinha irritante que o prendia. Pedido que foi rapidamente atendido pelo grifinório.


-Posso jurar que está maior do que a última vez que te vi!


Brincava Harry com o afilhado em seu colo.


-Ele está crescendo bem rápido! Muito parecido com Nymphadora!


Diz Andromeda orgulhosa do pequeno neto. Havia tanto de sua filha nele. Harry concordou com um semblante sombrio, ainda era doloroso lembrar que Remus e Tonks já não estavam entre eles.


-Andromeda, eu queria muito pedir sua ajuda!


Interrompe ele desejando não trazer pensamentos mais dolorosos à sua cabeça, ao menos não este dia. A bruxa levantou uma sobrancelha em curiosidade antes de responder.


-Imagino que a ajuda seja relacionada ao aniversário de Hermione?


Questiona ela seriamente, mas divertindo-se interiormente com a forma como o garoto ficou escarlate com a menção ao nome da melhor amiga.


-Bem... Errr... De certa forma... Pode-se dizer que sim!


Gaguejava ele sem saber exatamente como explicar para Andromeda de uma forma “adequada” sem que Hermione o matasse logo depois. O nervosismo de Harry apenas aguçou ainda mais a curiosidade da senhora Tonks que cruzou os braços com uma expressão concentrada no rosto.


-Ela não gostou do seu presente?


Pergunta preocupada a bruxa ao que Harry acena negativamente com o rosto balançando Teddy em seu colo.


-Ela adorou!


Explica ele com um pequeno sorriso com a memória do beijo de agradecimento que ela lhe deu noite passada.


-Então?


Insiste Andromeda impaciente.


-Eu... Bem eu queria que me ajudasse a decorar um quarto para Hermione como presente de aniversário!


Confessa ele totalmente rubro e sua situação ficou dez vezes pior quando Teddy imitou seu padrinho ficando triplamente mais vermelho do que ele. Andromeda riu abertamente do desconforto do menino, mas decidiu ir direto ao ponto.


-Eu imaginei que deixaria a decoração do Largo Grimmauldi nas mãos dela! Não seria melhor deixa-la escolher suas próprias coisas?


Aconselha amavelmente a bruxa.


-Esse é o problema!


Protesta Harry em desespero.


-Ela cismou que não precisa de um quarto lá, que não podia fazer parte da nossa família e que não seria certo dividir o quarto comig...


Harry congelou como uma presa acuada, Olhos vidrados, rosto pálido e a boca aberta, mas sem emitir nenhum único som. Maldiição, no meio do seu desabafo frustrante ele acabou de falar para Andromeda sobre seu pedido para dividir o quarto com sua melhor amiga.


-Eu... Err... Merlin!!!


Desesperava-se Harry e seu afilhado começou a rir das expressões aterrorizadas do padrinho.


-Acalme-se Harry!


Exigia Andromeda.


-Está tudo bem! Além de Teddy não há nenhuma criança na nossa família, o que você e Hermione decidirem fazer com suas vidas não interessam a ninguém mais além de vocês mesmos!


Explica severamente a bruxa enquanto o garoto sentiu seu sangue congelar, ela pensava que Hermione e ele tinham... Pela barba de Dumbledore, ele estaria ferrado quando sua melhor amiga colocasse as mãos nele... A tinta laranja de Rony seria brincadeira de criança quando encontrassem seu corpo enterrado em algum esconderijo secreto no Largo Grimmauldi.


-Não é isso! Não aconteceu nada!


Desespera-se o moreno quase ficando de joelhos diante de Andromeda.


-Acalme-se! Não é da minha conta e não vou falar nada a ninguém! Mas, sugiro que formalize logo as coisas, a sociedade mágico não será tão compreensiva quanto eu!


Aconselha novamente a bruxa deixando o grifinório atordoado.


-Mas, voltando ao assunto, porque Hermione não quer um quarto? Pensei que seu amigo Rony também tivesse um!


Respirando fundo e recuperando a coragem, Harry responde.


-Sim, mas ela ficou muito abalada com a questão dos pais dela e depois ouve a discussão com Kingsley...


Explicava Harry pacientemente, sentindo que poderia confiar seu plano nas mãos de Andromeda. Longos minutos mais tarde, toneladas mais aliviado, Harry pegava uma bolsa com as fraudas, mamadeira, brinquedos e roupinhas de Teddy em um braço e se equilibrava com o afilhado em outro.


Andromeda os guiou até a lareira se despedindo do neto com um beijo em sua testa e repetiu o mesmo gesto com Harry que ficou vermelho com a demonstração de carinho da velha bruxa.


-Se divirtam garotos e tratem de manter Hermione longe do Largo Grimmauldi pelas próximas horas!


Relembra ela com um sorriso satisfeito antes de ver os dois desaparecerem entre as chamas de flu.


-Acho que é hora de usar uma varinha!


Comemorava com jovialidade a senhora Tonks, a muito tempo desejava mudar as coisas naquele velho casarão da família Black e nada melhor do que fazer isso para uma pessoa a quem começou a admirar muito, ainda mais depois de tudo que Harry havia lhe contado sobre ela, não tinha dúvidas, a garota era uma guerreira.


Chagando no Largo Grimmauldi...


-Hermione não vai acreditar quando te ver! Ela não fala em outra coisa que não seja você!


Explica Harry para o afilhado que se esticava em seus braços tentando escalar o casaco do padrinho. Ambos cobertos de cinzas quando um grito assustado de Hermione o chamou atenção.


-TEDDY!!!


A grifinória estava com um jeans escuro, um suéter imaculadamente branco e um casaco cinza por cima. Ela simplesmente largou a cesta no chão e correu até os dois com os olhos brilhando em felicidade. Com um movimento rápido da sua varinha ela livrou os dois das cinzas e tomou o pequeno em seus braços.


-Ainda lembra de mim Teddy? Teve que vir com seu padrinho desajeitado pelo flu?


Perguntava ela com preocupação genuína ao pequeno Lupin que a fitava com admiração absoluta, suas feições ganhando semelhanças com a grifinória rapidamente.


-Hey, eu ainda estou aqui!


Protesta Harry indignado com toda a atenção da melhor amiga direcionados exclusivamente ao afilhado, mas no fundo ele estava feliz com a reação de Hermione, ela parecia tão dedicada a Teddy.


-Oh, Harry, vê como ele está bonito???


Pergunta ela abraçando o pequeno em seus braços o deixando brincar com as mechas soltas do seu cabelo.


-Sim, eu estava pensando a mesma coisa!


Responde ele equilibrando a bolsa no ombro esquerdo enquanto caminhava em direção à cesta de pic-nic esquecida atrás de Hermione, parece que hoje seria seu dia de levar tudo enquanto Hermione mimava o pequeno Teddy.


-Ah, Harry, Monstro encontrou uma câmera mágica nas coisas de Sírius, acho que não faria mal tentarmos com ela!


Explica rapidamente Hermione apontando com o rosto para a velha máquina sobre o cômodo ao lado do sofá.


-Ok! Mas, já decidiu onde vamos?


Pergunta ele encarando a câmera com certa desconfiança, mas logo deixando suas preocupações de lado, já que fora Hermione que escolhera  a peça mágica, o que significava que o objeto estava cem por cento livre de qualquer risco. Dando de ombros, Harry pegou a câmera e a guardou dentro da bolsa de Teddy.


-Sim! Em um parque que eu costumava ir com meus pais...  Crawley Memorial Gardens! É perfeito para o um pic-nic e deve estar bem tranquilo essa época do ano!


Anuncia com empolgação a grifinória e seu sorriso contagiou tanto Harry quanto Teddy.


-É só mostrar o caminho!


Responde Harry sem conseguir disfarçar a emoção que transbordava dos seus olhos ao fitar a garota que ele amava com seu afilhado no colo.


-E Andromeda?


Questiona a bruxa com curiosidade.


-Ah... Ela não estava se sentindo muito bem e pediu para cuidarmos do Teddy por ela hoje!


Diz o moreno desviando agitadamente o olhar de um lado para o outro torcendo que a grifinória estivesse tão focada no pequeno Lupin que não percebesse sua mentirinha sutil.


Rony POV.


O ruivo olhava para o espelho à sua frente com desgosto e desespero. Estava tão laranja quanto a bandeira do seu time de quadribol favorito a mais de vinte e quatro horas sem encontrar uma única solução para sua condição. Refugiar-se na Toca, seria seu fim, George, Percy e Bill não o deixariam em paz, sua mãe arrancaria sua pele com as próprias mãos antes de lhe dar um épico sermão sobre os perigos das tintas mágicas.


Seu pai provavelmente lhe ofereceria uma alternativa trouxa, Gina tiraria fotos suas e distribuiria entre os colegas só para desafiá-lo e Harry não conseguia dirigir uma única palavra ao amigo sem começar a gargalhar descontroladamente da cara do Weasley. Droga! Nem mesmo Bicuço o reconheceu todo laranja como estava. Era o cúmulo da humilhação, inaceitável que ele, o coração do trio de ouro, herói de guerra, Ronald Billius Weasley, estivesse preso a uma tinta mágica sem saber como se livrar dela.


Raios! Não devia ter discutido com Hermione, ela saberia reverter essa maldita tinta laranjada sua pele e ele voltaria a ser Ronald Weasley de sempre e não o Rony Cenoura!!! Ele ainda teve a coragem de seguir um conselho maluco de Monstro o mandando usar Wisky de Fogo para livrar-se do novo visual, mas só ganhou um par de queimaduras e cheiro forte de bebida. Sem saída, ele aparatou silenciosamente na Toca, lançou um feitiço de desilusão sobre si e subiu as escadas.


Amanheceu e nada de boas notícias, ficou horas no banheiro sob os gritos de protesto dos seus irmãos, ignorou os chamados da sua mãe para arrumar a casa para o almoço  em homenagem a Hermione, estava a ponto de pedir a capa da invisibilidade de Harry emprestado quando sua mãe abriu a porta do quarto com o rosto vermelho em fúria... Rony já deveria saber, nunca se ignora uma mulher Weasley!


-RONALD BILLIUS WEASLEY LEVANTA DESSA CAMA AGORA ANTES QUE EU...


A voz de Molly morreu na garganta quando fitou o filho mais novo completamente pintado de laranja berrante, atrás dela estava Arthur com uma expressão incrédula, Bill com os olhos do tamanhos de uma goles, Fleur mencionando algo sobre bronzeado trouxa, Percy congelado em choque absoluto. Mas, nada se comparava ao sorriso maligno e os olhos brilhantes no rosto de George Weasley.


-M-Mãe!


Chamava ele acenando a mão freneticamente diante dos olhos de Molly que caiu dura no chão.


-Você matou a mamãe!


Acusa Percy desesperado.


-Bela fantasia de cenoura Rony!


Elogia George recebendo um rosnado furioso do mais novo como resposta.


-Merlin! Renervate!


Murmura Arthur acordando sua esposa.


-O que você fez Ron?


Critica Bill ajudando seu pai a levantar sua mãe. Fleur passava a mão sobre sua barriga de quase nove meses de gestação com um sorriso.


-Broonzead Trrrouxa pode virr a serr muito exagerrado as vezes! Você estarr muito larranja cunhado!


Explica ela com um forte sotaque francês. Rony encolheu-se choramingando sua sorte. Sua sorte, agora só lhe restava esperar até o almoço e pedir para Hermione o ajudar... Mas, pensando em Hermione... Pelas calças de Merlin ele não tinha comprado o presente dela!!!


-Tinta Chudley Cannors irmãozinho? Sério mesmo?


A voz de Gina soou bastante assustadora quando a ruiva abriu espaço entre seus irmãos e arrancou Rony da cama o puxando pela orelha furiosamente.


-Neville me contou o que você aprontou ontem!


Bradou ela apontando a varinha no meio da testa de Rony.


-Me dê um bom motivo para não te enfeitiçar Rony! Como ousa brigar com Hermione e pintar a casa do seu melhor amigo com a cor do seu time rival? Harry torce para os Pudlemere United seu idiota!!!


Pede ela com os olhos semicerrados.


-Eu preciso de você para encontrar um presente para ela!


Desespera-se o ruivo torcendo para este ser motivo suficiente para sair da mira de tiro de Gina. Oh ele estava tão ferrado.


Geral POV.


Hermione levava Teddy no seu carrinho de bebê novo, o pequenino usava roupas reforçadas com encantos de aquecimento, um gorrinho de lã, luvinhas, cachecol e os sapatos azuis que Harry escolheu. Curioso seus olhos brilhavam a cada coisa nova que encontrava no caminho, as arvores, o lago, os pássaros... Era tudo uma deliciosa e incrível novidade.


O casal grifinório andavam lado a lado, Harry tinha deixado a bolsa de Teddy no apio inferior do carrinho e levava unicamente a cesta do pic-nic nas mãos. Hermione empurrava o carrinho e apontava para Harry todos os lugares que costumava visitar seus pais, durante o verão, explicando ao amigo como as pessoas gostavam de se reunir no parque durante os fins de semana com a família.


Como previsto pela jovem bruxinha, o parque estava vazio a essa hora da manhã, não demorou muito para encontrarem um lugar agradável para seu pic-nic e finalmente Teddy poderia sair do carrinho e conhecer o parque com mais liberdade. Os cabelos castanhos e olhos verdes ainda permaneciam, para alívio da dupla, não desejavam ter de lançar qualquer feitiço de desilusão sobre o bebê, e agradeciam mentalmente pelo parque estar vazio agora.


O sol com um brilho incomum para essa época do ano aquecia o ar com seus raios dourados e sentando-se sobre a toalha  estendida, Hermione sentou Teddy em seu colo enquanto Harry mostrava para o afilhado como funcionava um dos brinquedinhos trouxa que havia comprado para ele. A expressão encantada do menino para seu padrinho era algo que Hermione nunca iria esquecer.


Sem que Harry percebesse, ela tinha convocado a câmera com um movimento ligeiro da sua varinha e levitando-a a um nível adequado tirou a primeira foto do dia com um flash brilhante que assustou Harry e Teddy por alguns segundos antes do bebê esticar as mãos em direção ao estranho objeto mágico com os olhinhos verdes brilhando em curiosidade e um sorriso enorme no rosto.


-Hey, você me pegou despreparado!


Protestou Harry piscando dramaticamente os olhos com os reflexos do flash da câmera atormentando sua vista.


-Mas, era esse o objetivo, assim fica mais natural Harry!


Explica Hermione revirando os olhos e tirando a câmera do alcance de Teddy que encheu os olhinhos de lágrimas e fez bico por ter perdido seu objeto de interesse, mas logo a grifinória o distraiu com o brinquedo que estava nas mãos de Harry à minutos atrás.


Aproveitando a distração dela, foi a vez de Harry roubar a câmera e tirar uma foto surpresa de Hermione com Teddy em seu colo. Ela parecia absolutamente linda, os longos cabelos cacheados caindo graciosamente por seus ombros, os lábios macios e rosados curvados em um sorriso sincero enquanto Teddy sorria alegremente com seu novo presente.


-Teddy olha! São patos!


Apontava Harry tão empolgado quanto uma criança que ia pela primeira vez a um parque. Hermione sorriu docemente  encorajando o moreno e se aproximar do lago e mostrar ao afilhado as pequenas e bonitinhas aves de pés engraçados com seus filhotinhos. Era a vez da grifinória assumir a posição de fotógrafa.


E assim se passou o resto da manhã, com muitas fotos, brincadeiras, risadas e um Teddy Lupin completamente apaixonado por melado azedo, para desgosto de Hermione que sendo filha de dentistas decidiu ficar de olho na alimentação do pequeno. Era quase hora do almoço quando os dois seguiram com Teddy para Largo Grimmauldi onde Andromeda os aguardava com uma surpresa para Hermione e secretamente... para Harry.


-Sejam bem vindos!


Anuncia a bruxa com um sorriso misterioso em direção ao casal com Teddy nos braços.


...............\\................


Wow genteee milhões de perdões pela demora, mas estava sem internet até hoje mais cedo ¬¬ Mas finalmente trouxe a primeira parte do niver da Mione para vocês!!! Ainda falta a surpresa de Andromeda, o almoço com os Weasley e o presente do Rony e talvez de outro bruxo muito interessado na nossa grifinória de cabelos espessos e olhos castanhos! ;D hauhauhauahuahuahuahuahauhau


Coveiro-sensei-samaaaaaaaaaaaa!!!!! OMG não me mateeeeee!!! (foge dos avadas) Jurooooooooo!!! A demora  ainda não faz parte da minha greve por atualização da sua fic U_ú oras... uma viagem pelo mundo não pode parar tão cedo e na boa, segue a seta ------> EU QUERO VEGAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAS!!! (desespero mode on) Quatro capítulos??? Sério??? T_T você é mau Coveiro-sensei!!! (drama mode on) Oks... parey!!! (Voltando à fic) O Harry quaseeeee confessou que ama a Mione, quase mesmoooo!!! Mas, ele finalmente está agindo para mudar o quarto da Mione de vez e agora está contando com a ajuda de Andromeda ;D huahauhauhauahua o que será que ela tem para surpreender Hermione e o Harry no mesmo pacote???  Bem o Harry ainda vai continuar como lerdo do ano por mais um tempinho ou então a Skeeter vai dar um empurrãozinho do seu próprio jeito, afinal ela está determinada a “causar” com um retorno triunfal (tadinho do Harry/prevendo confusões níveis ninja). O que o Harry prometeu ao professor de feitiços vai ser desvendado logo logo, maaaas pode apostar que isso só vai servir para ele se aproximar ainda mais da Mione em Hogwarts! Aaaaagora eu quero saber a nota do capítulo de hoje!!! Como foi o capítulo???? Bom? Ruim? Chato??? Pleasee seja sincero Coveiro-sensei-samaaaa!!


Saito-sama OMG!!! Será que você gostou do “algo mais” que os beijos entre o Harry e a Mione levou??? hUAHAUHAUHAUHAUAH O nosso moreno não estava nem um pouco inclinado a deixar a grifinória dormir longe dele e agora que ele procurou Andromeda pode apostar que a situação do casalzinho Harmony vai mudar de vez ;D Muhauhuahauhauhauhauha (risada maligna) Tivemos finalmente um sinal da Skeeter e seu plano para recuperar seu posto no Profeta Diário o que significa=problemas para Harry Potter mode on! E finalmente a aparição do pequeno Teddy em um passeio com Harry e Hermione... UFA, o que achou hein??? Seja sincero!!! Bom? Ruim? Chato? Bobo? Previsível? Comentaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!  


Lauraas menina DIVA divina!!! Hauhauhauhauhauah Seja super hiper mega power bem vindaaaa e sinta-se à vontadeee para comentar, sugerir, criticar, reclamar como quiser XD Aiaiai yukitooo fiquei toda boba lendo seu comentário, sério quando comecei a fic eu tinha medo que toda a sequencia ficasse muito deprê deixando que lesse meio triste com o Harry pensando sobre a morte de Remus e Tonks e seus amigos de Hogwarts... mas, fico feliz que mesmo depois da fase dawn do Harry ainda consigo passar alguns sentimentos de emoção com os momentinhos românticos entre ele e a Mione XD Espero que esteja curtindo a fic e que este capítulo não decepcione!!! Será que esse desfecho será surpreendente também??? Muhauhauhauahua brincadeirinha!!!


Riemisan!!!!! Pelas barbichas de Merlin estou passada na chapinha ninja!!! OMG uma leitora Dramione (que confesso ser tudooow de bom, apesar da minha alma ser Harmony ;D) lendo a minha fic HHr??? (cai de cabeça) Pelos sapatinhos da Bellatrix me sinto lisonjeada sinceramente!!!  Espero que cada novo capítulo não a decepcione e que apesar do enredo Harmony você possa se divertir um pouquinho com as loucuras que milagrosamente consigo escrever aqui Muahuhauhauahuahuaha brincadeirinha!!! E aí, gostou do capítulo??? Não tenha medo de dizer o que realmente pensa!!! XD

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 7

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Laauras em 07/07/2013

Com certeza amei o capítulo, e to curiosa pra saber o desfecho dele, é sério, não é normal ficar fazendo isso com a gente, daqui a pouco a gente vai ter um ataque do coração!kkkkkk
Brincadeira, mas e ae, q história de surpresa é essa pra Mione e pro Harry?
Bjão, esperando que vc poste mais rápido que um relâmpago! 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Coveiro em 06/07/2013

Só pra constar, esta rolando uma campanha chamada "Coveiro segue a seta ----------> Queremos Vegas"?

Pq só nessa fic tem 3 comentarios assim... e olha que eu num sou de ler comentarios

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Coveiro em 06/07/2013

Desculpa a demora em comentar mas só agora consegui terminar de ler esse capitulo fantastico.

Primeiro a continuação do beijo deles no corredor... O Harry convencendo a Mione a dormir no quarto dele foi otimo, mas quando ele a fez corar ao sugerir que ela usasse a camisa dele foi muito engraçado... esse Harry brincalhão é bem divertido, mas muitissimo lerdo... O momento pra revelar a Mione que ele a ama já surgiu e ele não se mexeu... podia ter feito isso tanto quanto ela o acordou como quando estavam com Teddy... Qualquer momento seria especial pra Mione

A Skeeter pelo visto esta determinada a acabar com o sossego do casal de morenos...

Mione podia ter aceitado convite do Harry pra sair, pq ela o ama tanto quanto ele a ama. São dois lerdos mesmo...

Estou preocupado com o fato do Neville ter vindo com aquela proposta. Estaria ele interessado na Mione? O Harry tem que parar de ser lerdo ou vai perder a Mione...

Andromeda pelo visto foi surpreendente... Estou muito curioso para descobrir o que ela preparou para o jovem casal, principalmente para o Harry... Será que o menino que sobreviveu pode sobreviver a uma possivel furia de, infelizmente, sua melhor amiga (o infelizmente é por não poder chamar a Mione de namorada do Harry ou Sra Potter logo)... 

Os momentos com Teddy foram muito divertidos... A Mione já é a madrinha dele com certeza...

Estou curioso quanto a memoria do Lupin...

Pelo visto os morenos vão voltar a Hogwarts então?

E a sugestão da Gina pra presente foi sensacional... Mas o que ele deu pra ela com certeza foi o mais incrivel que ela poderia esperar.

Muito curioso esperando o proximo capitulo, e por favor não faça greve.... estou escrevendo o proximo capitulo o mais rapido que posso... Mas vai valer a pena, pelo menos eu acho.... tenho varias surpresas planejadas antes de Vegas, tanto que Vegas vai parecer um detalhe depois que eu postar em comparação com o que tenho planejado para os proximos capitulos.... Voce vai ver...

A Mione vai partir quando Kingsley liberar a busca pelos pais dela? E o Harry? E o pequeno Teddy?

Será que Skeeter vai fotograr os morenos com o pequeno Teddy Lupin parecido com um possivel filho desse casal? Que historia mirabolante essa maluca vai criar? E que historias será que ela esconde para ter tanto medo de ser obliviada?

Viu como minha mente ta? Pois saiba que isso dificulta meu processo criativo, então te peço pra postar logo pra que eu pare de divagar aqui e consiga terminar meu capitulo... Afinal a minha fic ja ta se encaminhando pra reta final e essa só começando.... Posta mais logo, mas muito logo, tipo na velocidade da luz... e se der antes de terça pra mim poder ler...

POSTA MAIS


 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Venatrix em 05/07/2013

GAROTAAAAAAAAAAAAAAA! Eu saio por alguns dias e quando volto sou presentiada com dois capitulos incriveis??? Acho que preciso viajar mais vezes... brincadeira, mas menina que capitulo foi esse? Super, hiper, mega sem definições.... isso ta tão incrivel, que seria crueldade sua me deixar esperando, por favor seja um alma caridosa? O que sera que a Andromeda fez que irá agradar aos dois? A Mione eu acho que não ficara muito feliz no começo se for o que eu estou imaginando, porém sei bem que ela aproveitara demais depois....
E o dia no parque fantastico... Parabéns Pela fic incrivel... sua fic é tão boa que eu tenho vontade de te abraçar e falar "Valeu"

P.S Super Apoio Você e o Saito! Coveiro Segue a Seta ------------------> QUEREMOS VEGAAAAAAAAAAAAS
³ 

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Saito em 05/07/2013

Eu Gostei bastante do algo mais...
"Andromeda os aguardava com uma surpresa para Hermione e secretamente... para Harry.' Wow, se isso for o que eu estou pensando...... por favor não demore a postar, pois você tem um leitor aqui que tem uma mente muito fertiu que o ficará torturando até saber o que realmente significa isso...
Este capitulo esta realmente incrivel! Rita dando as cara o que sera que essa mulher com a benção de Hera ira aprontar para ferar com a vida do Harry? #Ansioso
Não de jeito nenhum esse capitulo não poderia ter sido previsivel, muito menos bobo eu realmente gostei! Parabens você esta escrevendo cada vez mais divinamente, continue assim....
P.S Estou louco para saber o que vai acontecer... Então seja boazinha, por favor.
P.S
² Super apoio Que o Coveiro escreva Logo o que aconteceu em Vegas! Coveiro segue a seta ----------> QUEREMOS VEGAAAAAAAAAAAAAS 

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Nathytx em 05/07/2013

Lendo e esperando hà mt tempo rs.. Adoreeeii.. msm msm.. ficou perfeita.. Ñ demora a postar pfvr, se ñ ñ aguento rskk.. Estou esperando.. *-*

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por michelle lima em 04/07/2013

adorei... lindo demais....
o harry eh muito fofo mas eh muito lento... pede logo a mione em namoro pelo menos...
pq eu to co a ligeira impressao que uma joaninha estava voando no parque com o casal 20...
otimo capitulo esperando os proximos 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.