FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

3. Jogo dos marotos


Fic: Ops... - Concluída


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________






Capitulo 3 - Jogo dos marotos


 


A festa já estava se encaminhando para o fim quando Lene conseguiu finalmente ter um momento a sós com o Black. O companheiro de ambos já haviam ido embora e agora só sobrava aquele tempo para Lene fizesse Sirius se arrepender por tudo.


A morena sorriu alegre e foi até o garoto que tinhas os braços cruzados e seu olhar corria pelo salão.


- Dança comigo? – pediu ela sorrindo – não tem mais ninguém para dançar.


- O que estás aprontando Mckinnon? – perguntou cético, fazia muito tempo desde a ultima vez que ambos se falaram tanto como naqueles últimos dias.


- Nada – fez biquinho – só não quero encerrar a noite antes do tempo.


- Ainda tem o nosso jogo – argumentou ele, mas acabou cedendo com o olhar pidão dela.


Os dois se caminharam até o centro da pista e a garota logo começou a dançar a musica agitada quando Sirius se mexia de um lado para outro, deixando bem claro que não suportava aquele estilo de som.


- Anda Black pensei que soubesse dançar – desafio .


- Eu sei – revirou os olhos – mas só quando é necessário.


- Então me prove que sabe – sorriu ela enquanto ele negava com a cabeça – acho que você tem medo Black.


- Nunca – sorriu ele a puxando e fazendo seus corpos chocarem.


O casal começou a dança conforme a musica, ficando cada vez mais próximos um dos outros. Aquele jogo era perigoso demais para o coração de Lene, mas já que estava na chuva qual o problema de se molhar?


Seus rosto se aproximavam cada vez mais. Sirius sabia que estava ferrado, ele não conseguia mais se controlar, aquela boca vermelha atraia a sua como imã. O inferno que não ia dar certo, ele queria beija-la. Estava quase lá quando Lene o soltou e sorriu.


- Obrigada pela dança – e saiu em direção ao banheiro feminino.


- Idiota – murmurou. Havia caído certinho na dela e o pior que lembrava muito bem o que era beijar a Mckinnon. E desejava poder fazer aquilo de novo.


*


Emma sorria envergonhada ao lado de Remo no jardim. Os dois observavam as estrelas daquela noite de natal abraçados. Emma não queria mais pensar em mais nada ao não ser o calor daquele abraço. Já Remo mil coisas passavam por sua cabeça: o que era certo e o que era errado.


- Ei pombinhos – chamou James aparecendo na porta – vamos começar os jogos dos marotos.


- Já vamos – falou Remo se levantando e estendendo a mão para ajudar a loirinha


Na sala Lene conversa com Lily em um dos sofás. Peter andava de um lado para outro pensando em como falhara de se apresentar para pessoas certas, porém sabia que havia sido notado. James ocupava o lugar no centro junto com Frank e Alice. Sirius por sua vez estava deitado na poltrona observando o salão.


- Aluado resolveu voltar para mundo real? – questionou Sirius – ou vais permanecer na EmmaLandia?


- Cala boca – comentou sentando com a loira num canto da sala


- Vamos começar a brincadeira – falou James colocando três saquinhos no centro. O da direita era vermelho e estava escrito: consequência. O da esquerda era verde e estava escrito: verdade. O do meu era azul é tinha um ponto de interrogação.


- A brincadeira é simples – continuou James – cada um pega uma verdade e em seguida uma consequência e vai rodando a roda. O sorteio é feito por magia. Nesse saquinho – apontou para o azul – vai aparecer a tarefa final. E claro quem não fizer o que foi determinado..


- Vai ficar pior que o Ranhoso – Lily fez um gesto de raiva com o comentário de Sirius, mas não reclamou. Afinal de contas Severo escolheu o outro lado em vez da sua amizade


Todos fizeram a roda ficando em primeiro Sirius e depois seguindo: James, Peter, Frank, Alice, Lily, Lene, Emma e Remo.  Sirius se aproximou do saquinho verde e tirou uma tirinha de papel e leu em voz alta:


- “O que você queria poder mudar dessa noite?” – ele olhou para Lene e sorriu – queria que alguém não tivesse fugido de medo na hora boa da dança.


Marlene deu de ombros, mas sentiu seu sangue correr para as bochechas.  Sirius puxou mais uma tirinha só que do saquinho vermelho e sorriu.


- “Realize o que você quis mudar” – sorriu animado – Por isso que eu sou um gênio ao criar esse jogo .


- EI – protestaram todos os marotos juntos enquanto Sirius se aproximava de uma Marlene em choque.


- Isso que devia ter acontecido Mckinnon – e a beijou rapidamente sem deixar tempo para ela reclamar ou protestar.


Foi um beijo rápido, mas com eficiência. Logo ambos estavam se fôlego. E antes que Lene percebesse já estava retribuindo.


- E assim que se faz – sorriu o moreno se separando e indo para seu lugar – sua vez Pontas.


Antes que a explosão que estava a caminho de Marlene surgisse James sacou um pedaço de papel do primeiro bote.


- “O que você gostaria de mudar” – James olhou meio triste para o papel – Eu não teria deixado meu pai morrer.


- Não foi sua culpa – falou Sirius, mesmo sabendo que era inútil. James sempre se arrependeu do pedido de aniversario daquele ano, afinal tinha 7 anos e tudo que desejava era passar um dias na praia. Houve um dos primeiros atentados das trevas naquela área especifica e seu pai havia sido a vitima.


- Bom deixa para lá – deu de ombros e retirou o segundo bilhete – “Para animar a noite, acredito que uma doses de whisky de fogo e stripper básico não fariam nada para ninguém”


- Nossa esse jogo esta caduco – comentou Frank – eu não acho que isso vai animar minha noite.


- Concordo – falou Alice – a minha não vai animar agora de uma certa ruiva quem sabe.


Lily corou, mas resolveu ignorar a amiga. James bebia a segunda dose de whisky enquanto Remo risonho ligava o som. A musica era típica bruxa e James começou a se mexer todo duro.


- Não sabe nem seduzi – desdenhou Lene – e só tirar a camisa.


James corou, mas acabou fazendo o que Lene mandou. A camisa logo estava sendo aperta e Lily não entendia porque seus olhos nãos queriam se desgrudar daquela cena. Os meninos riam enquanto as meninas mandavam James rebolar. O maroto começou a se soltar e logo a camisa já estava sendo girada sobre a cabeça.


- Deu por hoje – comentou James – Sua vez Peter.


O garoto tremeu, mas pegou sua verdade do bote verde.


- “E você vai aceitar a entrar no outro lado?” – leu baixinho e seu tom de pele passou para branco .


- Que pergunta mais sem sentido – comentou Emma


- Pois é – falou Peter nervoso – eu acho que depende do outro lado. Pode ser que sim.


Sem deixar que os outros pensassem muito na sua resposta pegou o outro papel e suspirou agradecido.


- “Use uma roupa escolhida pela a pessoa ao seu lado” – Peter se virou em direção Frank e seu sorriso sumiu. Talvez não fosse uma boa idéia.


As rodadas foram passando. Peter usava uma das roupas estranhas da senhora Longbottom. Frank havia tido que se declarar para a primeira pessoa que passou na rua, o que foi um cachorro sarnento. E Alice por sua vez havia tido que dançar com uma vassoura.


- Lily é sua vez – avisou Alice quando havia terminado a dança


A ruiva se aproximou cautelosa até o primeiro pote e tirou lá uma verdade.


- “Você gostaria te dançado com outro esta noite” – Lily corou e acenou. Ela não entendia porque queria dançar com o Potter, mas era natal, essa era explicação, era um dia mágico.


- Você gostaria de dançar com quem? – perguntou James curioso. Mas foi ignorado quando Lily pegou o seu segundo bilhete.


- “Escolha um parceiro da roda e dance, uma musica escolhido pelos demais” – leu em voz alta e corou.


- Ela vai dançar comigo – sorriu Sirius safado – e uma dança bem caliente, né ruiva? – James deu tapa na cabeça do amigo que gemeu de dor.


- Acho que a Lily tem que dançar com James – comentou Lene – e uma musica bem lenta.


Todos apoiaram à morena.


- Você quer dançar comigo? – perguntou James cauteloso – se não quiser, tenho certeza que Remo não se incomodaria


Lily olhou de um maroto para outro. Ela não queria separar Emma e Remo.


- Tudo bem Potter e só uma dança.


James sorriu alegre e estendeu as mãos para Lily. Uma musica romântica começou a tocar, a ruiva revirou os olhos verdes, mas deixou seu corpo ser abraçado por James e logo estavam no embalo da musica.


Seus corpos estavam tão perto que Lily não sabia diferenciar se era o seu coração acelerado ou de James. Lily evitava olhar para o maroto, mas ela nunca se sentiu tão afetada com aquela proximidade. A musica se encerrou, os dois coraram sobre as palmas dos demais e Lily nunca se sentiu tão sozinha quando os braços do moreno pararam de abraçá-la.


- Minha vez agora – sorriu Lene pegando um tirinha de papel – “Você odeia e ama uma pessoa dessa roda” – Marlene focou seus olhos castanhos no Sirius – Eu mais odeio que amo.


Sirius sentiu uma coisa ruim correr pelo seu corpo. Mas ignorou, aquela morena era nada de especial para ele. Nada que afetasse sua vida de paz e sossego.


Marlene pegou a consequência de passar o resto da noite sem poder falar. Emma e Remo responderam perguntas iguais na sua essência: qual havia sido a melhor parte da noite. A consequência de Emma foi comer jiló e Remo a de pedir um beijo para loira. Que sorriu e o beijou.


- Agora a melhor parte da noite – sorriu Sirius – nosso ultimo bilhete. Este sairá um desafio final para cada um de nós.


James pegou a folha e começou a ler em voz alta.


“ O jogo está se encerrando. Os marotos agradecem sua participação. E agora a parte mais esperada.  Seu desafio da noite é escolhido a parti do seus medos, desejos, verdades e sua missão.


Sirius Black – entregar um presente para sua mãe”


Sirius se remexeu desconfortável no chão. Ele  odiava ir para nobre casa dos Black.


“ James Potter – sua missão é ajudar Lily Evans na dela”


Os dois se encaram. O que poderia ser aquela missão da ruiva?


“Peter está na hora de escolher um lado”


Peter suspirou e tremeu. Ele tinha que tomar uma decisão.


“Frank – Ajuda Alice na sua missão


Alice – Ir visitar seus pais”


Alice piscou os olhos que ameaçavam a se inundar de lagrimas, seu pais estavam mortos há 3 anos. Pelo menos ia ter o Frank ao seu lado.


“Lily – bem vinda à caçada. Você com ajuda do Potter são responsáveis de pelas criaturas que habitam o sótão dos Potters”


James gemeu e Lily não achou nem um pouco animador sua missão.


“Marlene – você deve esta noite provar para aquele que te fez tão mal o que é viver no inferno.


Emma – Sorriu criança, você deve ficar responsável pelas festividades de amanha


Remo – Está na hora de você escolher entre ser seu segredo ou ser um deles”


- Remo já sabe quem é – falou James sorrindo – um maroto.


Remo sorriu para seu amigo. Mas ele sabia que a escolha era entre ele e a Emma. Ele poderia escolher ser um maroto. Ele era um. Mas também era um lobisomem. E ele não pretendia contar nada para Emma, não queria perder ela por causa dessa sua maldição.


- Acho que está na hora de começarmos – falou Frank.


Peter foi para seu quarto escrever uma carta para Lestrange. Ele já sabia que lado ia ser, o lado dos vencedores. Emma aceitou convite de Remo para ver um filme trouxa, já que ele já havia feito a sua escolha e a loira só ia ter que cumprir a sua amanha.


Alice junto com Frank aparataram direto no cemitério onde os Cabot estavam enterrados. Sirius por sua vez estava em frente a nobre casa dos Black tocando a campainha. Lene aguardava o maroto no quarto dele. E Lily e James subiam as escadas em direção ao sótão.


*


Lily não podia deixar de emitir um gemido quando entrou no sótão, aquilo ali era tão escuro que nem a luzes das varinhas fazia muita diferença. Sentiu seu pé se enroscar em algo e seu corpo se inclinar para frente.


- Calma Lily – avisou James – se andar com pressa vai cair – e pagando em suas mãos – Vem vou te mostrar a onde estão.


- O que eles são exatamente?


- São uma espécie de fadas, cada um tem seu estilo para falar a verdade. São conselheiras das famílias tradicionais bruxas . A nossa só respeita a minha mãe, então vão falar varias coisas, vamos arrumar a casa dela, enquanto escutamos suas mil idéias sobre cada um de nós e depois ela vai embora.


- E nós?


- Se fizemos bem feito nosso trabalho ela nós deixar ir, se não passamos a noite trancados aqui


- Excelente – suspirou – Algo me diz que vamos ter que trabalhar direitinho


- Só se você tiver medo de mim ruiva – falou ele baixinho, tão baixo que Lily não sabia se tinha imaginado. 


Lily acabou seguindo indo atrás de James. O local onde a tal de fadas morava era lindo. Parecia uma mini floresta cheio de casinhas e coisas bonitinhas. Só que o local estava todo bagunçado.


- E vamos ao trabalho – comentou James – aquela – apontou para um par pequenininho de olhos roxos que os observavam – é Emily. Ela é responsável pela bagunça sempre atrapalhada. Vem aqui Em


A fadinha tinha no máximo 15 cm veio até James. Quando esta sorriu, muitas outras apareceram. Tinha uma verde, outra azul, amarela, rosa,preta e vermelha. Eram todas miudinhas é lindas.


- A sua líder – continuou James – é a de preto Elizabeth. Ela que vai decidir se gostou ou não do nosso trabalho.


- Olá Elizabeth – cumprimentou a ruiva, mas foi ignorada.


- Ela só gosta da minha mãe – relembrou James – bom vamos ao trabalho.


*


Emma estava deitada no colo do Remo, ele passava os dedos pelos fios loiros enquanto pensava.


Aquilo não podia durar – pensou Remo – logo seria lua cheia e não seria justo com a menina. Porém porque ele sentia tanta necessidade de ficar perto dela?


- O que foi? – perguntou Emma – estas com uma carinha triste.


- Estava pensando apenas – beijou o topo da testa da menina – e você estava com lindo sorriso.


- Podíamos na cozinha comer algo – sorriu – quero sorvete


- Então vamos achar sorvete – sorriu Remo.


*


Alice tremia enquanto sentia os braços de Frank a rodeando.


- Obrigada por estar aqui.


- Eu sempre estarei com você Lice – falou Frank – sempre. Pois eu te amo, você é minha vida, e eu sei que é clichê, mas é pura verdade. Você é a única coisa que me faz levantar todos os dias, que me faz rir, que me faz sentir vivo.


- Eu também te amo, meu amor – sorriu entre as lagrimas.


*


Sirius chegou à casa dos Potter com a cabeça a mil. Ele havia odiado voltar para a casa do seus pais. Ainda mais para levar um presente aquilo que atende pelo nome de mãe.


Flashback


Estava olhando para largo Grimmauld. Quando viu uma sombra na janela: Regulus. O irmão o encarava lá de em cima. Escutou passos até a porta e viu monstro a abrindo para sua senhora.


- O que faz aqui Sirius? – perguntou a velha senhora com raiva – Não és bem vindo aqui.


- Eu nunca fui bem vindo – retrucou Sirius irritado. Ele nunca se sentia tão pequeno como naquelas situações, custava sua mãe ser um pouco mais amorosa? – Só vim te entregar isso – jogou uma caixa negra em sua direção que caiu no chão – Adeus.


- Vê se não apareça mais, não preciso que estrague mais ainda nossa família – e bateu a porta.


- Eu também te amo mamãe – suspirou aparatando


Fim do Flashback


Caminhou com passos rápido até seu quarto. Ali ele descobrirá o que era uma família, o que era ter uma mãe e um irmão. Era ali que ele aprendeu o valor do amor. E que as escolhas nos fazem crescer.


*


Lily estava arrumando uma das casas que ficam numa arvore. A ruiva logo percebeu que era impossível usar magia ali. As fadinhas ficavam dando palpites, cantando e rindo ao seu lado. Elas eram lindas, mas falavam muito. Uma era atrapalhada e sempre destruía tudo, outra era metida é sempre achava que estava fazendo tudo errado, outra não parava de querer juntar ela com James.


A menina sentiu suas pernas ficarem bamba e percebeu que ia cair. Uma das fadinhas achou engraçado colocar ela naquela situação.


- Cuidado – falou James a segurando antes dela cair – você esta bem?


Lily acenou confirmando


- Deixa que eu termino essa parte – sorriu ele – podes descansar. Já estamos terminando


- Eu quero ajudar


- Então porque não segura a cadeira para mim? – sorriu ele mais uma vez enquanto subia.


 


*


Lene sorriu quando viu Sirius se jogando cansado na cama. Ela faria o implorar. Fazer ele se arrepender por tudo que ele já havia feito passar. Se apaixonar pelo homem errado, mas não era burra por esperar um conto de fadas.


- O que estas fazendo aqui sua louca? – perguntou Sirius assustado quando ela apareceu apenas com uma camisola transparente


- Nada, só queria me diverti de um jeito diferente hoje – sorriu maliciosa – você me ajuda Black?


- Sai daqui agora Mckinnon – mandou ele se mexendo desconfortável na cama. Ele não ia a deixaria vencer. Ela tinha que sair antes que ele perdesse o controle.


- Mas não estou afim Sirius – falou com calma pegou a varinha e a mexeu logo uma musica estilo Shakira começou a tocar – Vamos dançar?


E sem esperar resposta começo a dançar sozinha. Sirius tentou fechar os olhos, mas ele não conseguia desviar daquela cena. Aquela morena ainda matar seu auto controle. Marlene girou e caiu direto no seu colo. E começou a aproximar do seus lábios.


- Que inferno – murmurou ele antes de baixar seus lábios de encontro com os dela.


Os dois se perderam no beijo. Aquilo não era mais uma provocação era desejo. As mãos corriam pelo corpo um do outro enquanto a temperatura do quarto aumentava.


“SE CONTROLA MARLENE” falou uma voz na cabeça da morena


“ APROVEITA SUA TOLA” falou uma segunda voz


Marlene estava quase cedendo para segunda voz quando seus pensamentos voltaram para passado.


Flashback


Marlene sorria feliz para Lily. Na verdade nós últimos dias ela só sabia sorrir. Ela ainda não conseguia acreditar que ela e o amigo haviam se beijado e agora estava juntos. Era inacreditável, mas parecia que todos os seus sonhos estavam se tornando realidade.


- Esqueci um livro meu lá na sala – falou Lily no salão comunal – vamos lá buscar?


- Claro – não havia nada que fazia Lene perde a alegria que vivia


Andou com passos calmos enquanto conversava com Lily, mas sua mente estava no encontro daquela noite com Sirius Black.


- Que barulho estranho é esse – comentou Lily tirando Lene do seus pensamentos – parece uma conversa


- Eu conheço essa voz – comentou Lene louca para abrir aquela porta.


- Shi – pediu Lily – vamos só escutar


As duas amigas ficaram em silencio.


“Você tem que largar a Mckinnon” escutaram a voz feminina


“Já disse que isso é problema meu” respondeu uma outra voz: Sirius Black “Eu cuido dela. Não se meta”


“Ela é importante?”


“Não” afirmou Sirius “eu vou me livrar dela, não se preocupe”


“Excelente”


Fim do Flashback


- Por hoje chega – falou Lene se segurando para não chorar – você vai ter que implorar para conseguir mais que isso Black


Ela se levantou e saiu com classe de dentro do quarto enquanto escutava o maroto soltar um palavrão.


*


- Acabamos – falou James alegre se dirigindo até Lily


- Sim – sorriu animada – então vamos?


- Claro


O casal caminhou até o final do sótão porem este não abria. Suas varinhas não funcionavam ali dentro e a casa das fadas já havia sumido do seus olhos. Só voltariam quando elas queriam.


- O que esta acontecendo aqui? – perguntou Lily se controlando para não sair brigando com Potter


- Acho que elas não estão nós deixando sair – comentou James o obvio – Vamos queridas abrem a porta


Silencio reinou.


- Eu quero sair daqui agora – falou Lily quase perdendo o controle


- Olha aqui Evans – se irritou James – eu não queria estar aqui dentro trancado também. Mas você não me vê dando chilique, não tem como resolver isso, se tivesse juro que já tinha dado. Odeio ficar perto das pessoas que me odeiam.


- OLHA AQUI POTTER – começou Lily. Mas James resolveu já que estava ferrado porque não piorar um pouquinho mais? E a beijou.


O beijo começou a urgente, desejoso, nenhum dos dois conseguia se afastar. Aos poucos se tornou mais lento e sensual.


- Acho que devemos dar mais uma ajudinha – comentou a fadinha vermelha que encarava o casal – vamos mandar a consciência deles tomarem umas férias.


- Eu ajudo – comentou a fadinha amarela.


Lá embaixo os beijos se tornavam ainda mais uma necessidade de uma pura troca de afetos. As mãos de ambos aproximavam ainda mais. Ar era insignificante a única coisa que importava era um com outro. Pele com pele, a batalha dos seus copos, a necessidade de estarem juntos de todas as formas possíveis. Não sabia que loucura estavam fazendo, mas precisavam daquilo como precisassem de água num deserto.


Lily não sentiu como foi parar no meio das caixas que ali existia e nem como era o contado do seu corpo contra o chão duro. Sua mente estava focada inteiramente em James. Suas mãos corriam por seu corpo despertando lugares que a ruiva não sabia que a faziam tremer, suspirar e se arrepiar. Seus lábios ainda estava contra os seus. Suas línguas se acariciavam de forma lenta como se tivessem todo tempo do mundo para se conhecerem melhor.


A menina não podia negar que ficou quieta toda hora, alguma coisa a impelia a tocá-lo também. E adorava ver as sensações que um simples toque seu causava no maroto. James sorriu contra seus lábios e começou a beijá-la no pescoço subindo ate sua orelha e mordiscando.


- Você é linda ruiva – e voltou a beijá-la


Lily tremeu de leve quando as mãos do maroto se livraram das suas peças de roupa e nem reparou até ambos estarem nus. Os lábios de James corriam dos lábios para pescoço e do pescoço para colo. Ela sabia que aquilo era um erro, mas já que estava na chuva, podia se molhar só mais um pouquinho.


Sentiu um tremor de excitação passar pelo seu corpo quando James começou a explorar seu seios, primeiro com as mãos, depois com os lábios e por fim com a boa. Os beijos iam descendo até Lily se esquecer completamente no mundo a sua volta. O que importava era ambos.


Juntos se uniram de todas as formas possíveis que um homem é uma mulher poderiam chegar, se tornaram um só e ambos viram estrelas.


 


 


Fim do capitulo





N/a: Desculpem a demora, vou tentar atualizar o mais rápido possivel. 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 4

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Lu Ranhosa em 11/02/2013

Leitora nova na area,Awn que capitulo HOT amei tudo,a Lene toda seduzindo o nosso maroto,ai achei perfeitoa parte Lilian e Thiago muitisimo boa,amandoooo d+

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Mariazinhaencrenca em 28/01/2013

E assim Harry Potter vei ao mundo... Acho que não foram as fadas que fizeram esse efeito de não querer parar e nos próximos tempos tenho certeza que vai ter chacina de homem gososo que atende pelo nome de James Potter! 
Posta quando puder porque eu estou com peninha do Sirius, mas só um poquinho porque o que ele fez foi monstruoso!


BJS 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Sah Espósito em 26/01/2013

quero ver quando esse efeito passar... kkkk

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Annabel Evers em 25/01/2013

Amei *-* Achei muito legall o jogo, principalmente da forma como terminou (se bem que a parte mais interessante foi do James tirando a camisa.. aiaiai, minha imaginação fértil!).  E quando a Alice e a Lene.. peninha delas :/ E Sirius também :/ #meucachorro 
To louca para os capítulos da Lily na gravidez... Atualiiza logo *-* 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.