FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

4. PROFESSOR TOLKIEN JOLIE REMO


Fic: HARRY POTTER E A ARENA DAS ALMAS PERDIDAS - FINALIZADA!


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

CAP.4: PROFESSOR TOLKIEN JOLIE REMO

_Vamos ter Runas Antigas na quinta e vôo também, acho que poções está em menos aulas.
_Estou ansioso para ver a aula de Defesa Contra as Artes das Trevas, esse Tolkien parece ser muito bom.
_Eh, Rony - Hermione concordou olhando para a mesa dos professores aonde Tolkien acabara de se levantar para partir do salão.
Poucos minutos depois, Harry, Rony e Hermione seguiram para o andar da sala comunal da Grifinória, aonde uma multidão se aglomerava em frente ao quadro da Mulher Gorda
Murilo Gamboni não se demorou a chegar e adentrando a multidão revelou a senha.Todos, no momento seguinte, passaram pelo retrato da Mulher Gorda, os alunos do primeiro ano parecendo ansiosos.
A sala comunal continuava como sempre, leões em tapetes, no carpete e em tudo que podia se imaginar. Poltronas vermelhas, simples objetos de decoração e uma lareira muito grande, ao fundo, uma escada circular que levava para o corredor que dividia os dormitórios masculinos e femininos e como sempre aquele era o local mais confortável para os alunos de grifinória.
_Para cama! - Murilo disse para os primeiros anistas que olhavam tudo com brilho nos olhos, demonstrando que haviam gostado da torre.
_Acho que vou dormir - Hermione falou parecendo verdadeiramente cansada.
_Eu também - Rony em seguida.
Os dois subiram para os dormitórios. Harry no entanto se sentou na poltrona que mais gostava diante da lareira e deu um sorriso sem nem ao menos saber o porque, olhou para a janela, se levantou e subiu também para o dormitório. Assim que chegou, Rony já havia deitado, porém como a cortina em volta da sua cama estava passada, Harry não conseguiu saber se ele já estava dormindo.
Em silêncio seguiu para a sua cama, se sentou em frente a janela que ficava ao lado e como fizera quatro anos atrás, porém sem Edwiges, ficou olhando pela janela, ansioso, sem saber o que poderia acontecer dali em diante.
O céu estava muito negro, os campos esverdeados, a floresta proibida em grande silêncio e muito distante, quase que irreconhecível, o imenso campo de quadribol, aonde tinha grande vontade de logo estar.
_Não consegue dormir não é Harry? - um garoto perguntou se aproximando da janela e a olhando-a também.
Harry balançou a cabeça positivamente.
_E você Neville?
_Também não, sabe, não é normal, mas estou ansioso por alguma coisa que nem sei.
Harry sorriu, o garoto também, era esquisito pensar que alguém poderia se sentir como ele e que estivesse bem ali, ao seu lado.
_Tudo vai ser diferente não é Harry? – Neville indagou e pela primeira vez Harry percebeu que ele parecia estar sério, mais do que o normal.
_Parece que sim, tudo muda agora.

O dia seguinte amanheceu sob o suave cantar dos pássaros que voavam em grupos do lado de fora.
_Vamos Harry! - Rony chamando lhe deu uma leve sacudida.
Harry se levantou abruptamente e olhou para o amigo, sua varinha em mãos.
_Calma cara, sou eu.
No momento seguinte Harry colocou seus óculos que estavam na cabiceira e se sentou novamente na cama.
_Vamos, todo mundo já acordou.
_Ok - Harry ainda meio abobado disse. - Já desço.
_Vou pegar os livros, te espero lá em baixo
_Certo.
Dez minutos depois, Rony e Harry deixavam a sala da Grifinória em meio aos alunos excitados, principalmente quando o comentário era sobre o novo professor de Defesa Contra as Artes das Trevas, Tolkien Remo.

_Que matéria começaremos? - Harry pouco tempo depois indagou já sentado em frente à Hermione e Rony na agitada mesa da Grifinória.
_Trato das Criaturas Mágicas com Hagrid - Hermione respondeu enquanto apanhava um pedaço de bolo de chocolate e colocava em seu prato.
_Olha lá - Rony olhando na direção da mesa dos professores falou.
Harry e Hermione se viraram para ver o que era e logo perceberam que se tratava de Rita Skeeter. Seus cabelos loiros, muito bem penteados, seus olhos azuis escondidos por seus óculos de crocodilo, suas roupas roxas cheias de botões dourados.
Não se demorou muito para que a sineta de aviso para início das aulas tocasse, os cochichos que até ali não muito existiam, foram aumentando enquanto muitos perguntavam aonde seria a classe de determinada matéria, quem seria o professor e como deveria ser a matéria daquele ano.
No quinto ano em Hogwarts, todas as casas assistiam as aulas juntos, assim, logo que a sineta tocou, todos os alunos partiram para os terrenos rumo à cabana de Hagrid, bem ao lado dos membros do sétimo ano que iriam para a aula de Herbologia com a Profa.Sprout.

_Muito bem - Hagrid disse assim que todos chegaram a sua cabana, dando um olhar rápido a Harry, Rony e Hermione - Venham comigo, faremos uma aula no castelo hoje, uma aula diferente.
Harry pode perceber que vários alunos trocaram olhares preocupados.
Todos no momento seguinte seguiram Hagrid de volta ao castelo, aonde partiram para as masmorras e passaram bem defronte à sala aonde o Prof.Thomas ditava vários ingredientes em meio ao silêncio.
_Estamos perto.
_Onde será que ele vai nos levar? - Rony cochicou a Harry.
_Eu não sei.
A pergunta de Rony de imediato foi respondida, Hagrid parara em frente a uma grande porta de ferro que tinha várias trancas e sob o olhar atento de todos a abriu e com receio os que estavam mais próximo foram adentrando e observando para ver se não havia nada perigoso.
Era uma grande sala, com vários ratos mortos no chão, teias de aranha no teto e um baú velho aberto ao canto. A sala era dividida em dois corredores extremamente longos, aonde ao fim deles dormiam duas criaturas que lembravam cães ferozes. A única coisa que separava esses cães das pessoas que ali entravam eram barras que iam do chão ao teto.
_Fechem a porta - pediu Hagrid e no mesmo instante Terêncio Boot da Corvinal a fechou. - Obrigado, pois muito bem, quem sabe o que são?
As mãos de Hermione e Susana Bones se levantaram no ar.
_Bones - Hagrid autorizou para o desapontamento de Hermione.
_Lobos etíopes - respondeu a menina de Lufa-Lufa sem tirar os olhos de um dos cães, enquanto que o outro acordava.
_Correto, cinco pontos para a Lufa-Lufa. Hermione, quais as principais caracterisiticas dos lobos etíopes?
Hermione sorriu.
_Lobos etíopes são extremamentes perigosos e com apenas uma mordida podem matar. O ponto mais sensível dos lobos etíopes são os olhos, eles só enxergam a cor vermelha, porém se estivermos usando roupas vermelhas, eles tem a capacidade de nos enxergar normalmente.
_Um feitiço bom seria? - Hagrid ainda para Hermione indagou.
_Rictusempra ou Lumus Solen.
_Excelente, dez pontos para Grifinória. Agora, quero dois alunos para enfrentar.
Harry e Terêncio levaram suas mãos rapidamente no mesmo instante e vendo que ninguém mais estava disposto Hagrid sorriu.
_Ótimo.
Sob um olhar sério o guarda-caças apanhou seu guarda-chuva e a apontou para o lobo do corredor da direita:
_Sonus! - um jato prateado simples voou até o cão e com um pequeno uivo ele se manteve dormindo. - Sonus! - dessa vez para o lobo da esquerda. - Agora sim, eu apliquei um feitiço de sono nos lobos para que eles se mantenham quietos enquanto vocês entram.
Hagrid sacudiu seu guarda-chuva novamente e as barras que ligavam do chão ao teto sumiram.
_Agora sim, podem ir, está seguro.
Harry foi rumo ao lobo da direita, enquanto que Terêncio naturalmente seguiu para o da esquerda. No mesmo instante que essa cena ocorreu Hermione levantou sua mão, como ela estava atrás de Hagrid como a maioria, ele não a reparou e somente foi vê-la com a mão ao alto depois de um pigarreo realmente alto.
_Hum, Hermione?
_Professor, o senhor não trouxe nenhuma poção?
_Oh sim, finalmente! - Hagrid exclamou para a surpresa de muitos e enfiando sua mão em um dos bolsos do seu casaco retirou um fino e pequeno frasco aonde continha um líquido esverdeado.
_O que é isso? - Harry deixou escapar do nada.
_Um pouco de poção Onoto, capaz de curar ferimentos causados por lobos etíopes, o Prof.Thomas gentilmente me cedeu.
Agora quero que apanhem suas varinhas e se preparem, caso achem que não conseguirão vencer os lobos, dêem um grito e eu os pararei, se estiverem prontos, poderei acordá-los.
Harry fez um sinal positivo com a cabeça, Terêncio por sua vez parecia trêmulo, vendo que não podia adiar e se arrependendo de ter levantado sua mão também concordou, Hagrid recolocou as barras, retirou o feitiço do sono e os lobos num salto iniciaram uma corrida feroz.
_Emagnus! - Terêncio murmurou paralisando o seu lobo com perfeição.
_Lumus! - Harry enunciou conjurando vários feixes de luz que atingiram o lobo e o fez num uivo parar imediatamente. - Rictusempra! - um jato vermelho cortou o corredor rumo ao lobo e o atingiu fazendo-o rodopiar no ar.
_Agora Harry, quando o tiver vencido, lhe dê isso.
Hagrid jogou um saquinho vermelho sujo de terra através das grades, Harry o abriu e apanhou um pequeno vidro com um líquido escuro muito brilhante. Aproveitando que o lobo estava inconciente correu em direção a ele.
_Tome Terêncio! - Hagrid também lhe entregou um saquinho vermelho.
Harry abriu o vidro, se abaixou para o lobo e num susto foi surpreendido com ele acordando, o frasco voou de sua mão enquanto se afastava com o susto.
_Winguardium Leviosa! - Hermione enunciou para o frasco antes que ele chegasse ao chão e não pudesse ser restaurado juntamente com o líquido.
_Cinco pontos para Grifinória! - Hagrid imediatamente cedeu.
Harry tombou no chão, sua varinha longe, o lobo vindo para atacá-lo, em uma velocidade extraordinária.
Se pudesse trazer minha varinha, se pudesse trazer minha varinha - uma voz falava em sua mente e de repente a mesma voz gritou Accio e a varinha lhe veio até as mãos no ponto em que o lobo já vinha para lhe cravar os dentes.
_Rictusempra! - um novo jato vermelho disparou da varinha de Harry e atingiu o lobo fazendo-o rodopiar no ar e cair em pé criando vários cochichos dos alunos. - Enervate! - um jato negro foi em direção ao lobo que desviou - Effigy! - um raio dourado se projetou, dessa vez o lobo pulara desviando novamente - Lumus! - a criatura caiu num uivo extraordinariamente alto - Rictusempra! - o jato vermelho o adormeceu e muito mais receoso Harry apanhou o frasco que Hermione depois de salvar havia puxado para si e correu até o lobo aonde jogou o líquido pela boca meia aberta e se afastou.
_Excelente! - disse Hagrid - Quinze pontos!
Hagrid sumiu com as barras no mesmo instante que Terêncio já estava saindo à frente de Harry.
_Que poção é essa? - indagou.
_É uma poção animadora, vocês jamais devem deixar serem apanhados por lobos etíopes e também devo dizer que são dificeis de serem encontradas essas poções Onoto, eu devo admitir que esta aula foge um pouco dos padrões de Trato das Criaturas Mágicas, porém foi um pedido do Prof.Tolkien para mim e não pude negar, digo somente para saberem.
Pois muito bem, quero alguém de Sonserina e Lufa-Lufa agora.
_Eu! - Ana Abbott pediu, uma menina de cabelos ruivos com uma bem cuidada trança pelas costas e de olhos castanhos sonhadores.
_Sonserina? - Hagrid perguntou.
_Eu vou - uma menina gorducha disse, de olhos fundos e cabelos presos num rabo-de-cavalo bem alto.

Ao final da aula, a maioria dos alunos haviam criado coragem depois do fracasso da menina de Sonserina. Ana Abbott deixara se apavorar no início, porém fora muito bem depois.
_Tragam o livro amanhã, começaremos os Garnerries. - Hagrid pediu enquanto todos deixavam a sala.
_Que aula temos agora? - Rony perguntou à Hermione enquanto saíam das masmorras.
_Feitiços - respondeu ela - Que bom!

_Bem vindos ao quinto ano de Feitiços, hoje aprenderemos como invizibilizar objetos e poder utilizá-los mesmo assim. Peguem suas varinhas.
Em meio aos ruídos, todos apanharam suas varinhas.
_Aqui - disse o Prof.Flitwick sob a sua grande montanha de livros - Prestem atenção na xícara à sua frente, ergam a varinha na direção dela, girem e digam Improvivous claramente, todos tentando, vamos tentem.
_Improvous! - disse Rony para a xícara à sua frente e no momento seguinte ela aumentou três vezes de tamanho.
_Não, não e não - Hermione disse balançado a cabeça negativamente.
_Quantos não você ainda pretende dizer - Rony disse de mal humor.
_É Improvivous e não Improvous - a garota o corrigiu girando a sua varinha e fazendo com que toda a xícara desaparecesse depois de um minuto e assim a pegando na mão. Rony lhe desviou um olhar feroz e se voltou para a sua xícara.

Infelizmente o fracasso de Rony somente foi aumentando assim como sua xícara e vendo que toda a classe já conseguia ao menos fazer desaparecer metade da xícara, foi se desesperando e somente depois de admitir que precisasse da ajuda Hermione a deixou ajudar e assim conseguiu fazer a parte debaixo da xícara sumir depois de dois minutos.
Como sempre, os tempos de Feitiços passavam num piscar de olhos e logo a sineta estava tocando novamente.
_Vejo vocês no almoço - Hermione despediu-se indo para a sua aula de Estudo dos Trouxas enquanto Harry e Rony partiam para a aula de Adivinhação.

_Os espíritos os aguardavam - disse a Profa.Trelawney, uma bruxa de grandes óculos redondos, muitos xales ao redor do pescoço e uma voz mística - Hoje aprenderemos como descobrir as cartas que revelarão seus futuros, abram a página quatrocentos e dois e peguem seus baralhos, temos de ser rápidos.
Harry e Rony se sentaram numa mesa ao fundo da sala, apanharam os seus exemplares de Artigos de Adivinhação e em segida um baralho que estava sob a mesa.
_Com seus baralhos, misturem-os com os da pessoa a sua frente, vamos, vamos fazer isto.
Harry e Rony se entreolharam e deram uma risada, tudo aquilo era estranho demais, quase rídiculo.
_Um dos dois tire uma carta.
_Pode ir - Harry falou pouco interessado.
_Agora leiam o que diz a carta e com suas varinhas, sim peguem elas, toquem a carta.
Rony virou a carta para ler o texto que ficava atrás sob o olhar de Harry que mesmo desinteressado estava ao menos curioso.
_Quer que eu leia?
_Sim.
_Tá bem. O perigo, quem possui está carta vem correndo um grande perigo, quem mais se pode dizer amigo é aquele que o fara ficar frente-a-frente com aquele que você sempre temeu, todos os sentidos serão invertidos.
Rony apanhou sua varinha e deu um toque na carta, no lugar do texto foi surgindo um centauro negro de cabelos vermelhos.
_O que pode significar? - indagou olhando para o centauro.
_É besteira Rony, tudo isso é besteira, nunca dá certo não é?
O garoto não respondeu.
_Repitam essa sequência até acharem a carta com a figura de uma bola de cristal, quem a achar, deve mostrar a mim.
A professora foi indo de mesa em mesa para verificar se todos estavam fazendo. Harry apanhou uma carta do baralho de Rony e a leu:
_Bom, um futuro inimaginável, amigos que não serão para sempre os mesmos e mudanças em relação a uma pessoa que você gosta muito, que idiotice!
Harry tocou sua varinha na carta e uma figura muito rápida de uma garota correndo e um garoto entrando defronte a ela apareceu de forma muito escura, em seguida o menino caiu ao chão, abatido.
Harry e Rony viram aquela imagem várias vezes, eles sabiam que o garoto que estava caindo era o próprio Rony e que a garota correndo era Hermione.
A Profa.Trelawney se adiantou para a mesa deles e os olhou através de seus óculos grandes.
_E então garotos, acharam algo?
Harry virou a carta e a mostrou para a professora.
Sibila a apanhou e por um momento Harry pensou que ela iria gritar, porém bem diferente daquilo, puxou um banquinho estufado ali ao lado e se sentou ao seu lado e de Rony, os dois a olhando surpresos. Retirando seus óculos no momento seguinte ela revelou olhos azuis muito bonitos e com uma voz diferente, suave, em sussurros ela se virou para Harry e disse, surpreendendo aos dois.
_Eu sei que aqui nesta carta está Ronald e Granger, eu também sei que elas podem mostrar algo a mais do que pretendo em minhas aulas, porém devo dizer que nem tudo será igual este ano, eu tenho certeza, muita certeza Sr.Potter, que um teste grandioso vira não somente para o senhor, como uma equipe inteira, uma equipe formada para lutar juntos e temo que nem todos dessa equipe possam estar vivos ao fim dessa luta e pelo que me parece, o Sr.Weasley não será muito feliz nessa equipe.
_Esta mentindo! - Rony exclamou e todos o olharam surpresos, ninguém tinha reparado que a Profa.Trelawney havia parado.
_Mantenham-se centrados nas cartas garotos, vamos lá - a professora voltando sua voz ao normal falou.
Voltando à mesa de Harry e Rony prosseguiu.
_Tomem cuidado - e sua voz estava suave novamente - Não há como evitar, nem tudo pode ser verdade, nem tudo pode ser mentira, porém e isso é o melhor devo admitir, que o futuro felizmente pode ser mudado e se tudo for encaminhado para o lado certo, não teremos de enfrentar todas essas perdas.
_Professora - Harry a interrompeu.
_Sim.
_A senhora não é tudo isso que demonstra nas aulas, é tudo uma farça?
_Em partes, não sou uma bruxa cheia de esquisitices e que fala sozinha, mas gosto de ser levada como louca às vezes.
_Então a senhora não é como vem mostrando a todos durante esses anos? - Rony indagou.
_É.
_E porque a senhora faz isso?
_Bem Harry, querido, nem tudo que é sensato deve ser sempre levado a estudantes, um pouco de falta de juízo faria mais sentido numa matéria como a que ensino, agora devo ir, se acharem a bola de cristal me avisem, ah, sigilo, por favor.
Rony balançou sua cabeça positivamente, sua boca ligeiramente aberta com tudo aquilo.
Até o final da aula, Rony, Harry, Ernesto e Ana acharam a bola de cristal e garantiram assim dez pontos para Grifinória e Lufa-Lufa respectivamente.
No salão principal o assunto eram as poucas aulas que o Prof.Tolkien havia dado. Harry e Rony se sentaram na mesa de Grifinória perto de Gina e Dino, Hermione veio à seguir, com uma expressão séria no rosto.

_O que foi, o que aconteceu? - Harry à perguntou enquanto apanhava um prato.
Hermione se sentou na mesa e largou sua mochila no chão, se virando para Harry e Rony.
_Nada. Estou ótima.
_Como foi à aula dos trouxas? - Rony por sua vez perguntou enquanto se servia de um pedaço de frango.
_Muito boa, não foi à toa que a Tany-Tanie ganhou a competição dos melhores em Estudos dos Trouxas, ela realmente sabe o que faz e olha que ela nem tem descendentes trouxas, ela é, ela é...
_Puro sangue? - Harry completou sabendo que Hermione não falaria.
_É. Hum, bom, e então, a aula da Trelawney, a mesma falta de assunto de sempre?
_É, mas teve algo que nos deixou, como posso dizer...
_Surpresos - Rony disse e olhando para os lados para ver se ninguém estava escutando contou à Hermione tudo que Trelawney os dissera.
_Bem, nunca imaginei que pudesse acontecer algo assim, mas não mudo minha opinião sob a matéria.

Quinze minutos depois os três caminhavam juntamente com os alunos do quinto ano para a sala de Defesa Contra as Artes das Trevas que ficava no mesmo corredor de Feitiços.
Logo que chegaram a sala a adentraram e se sentaram em uma das primeiras mesas olhando para os lados, haviam inúmeras caixas enfileiradas, muitos baús e gaiolas no teto com várias criaturas esquisitas.
Os alunos foram se acomodando em meio aos cochichos, Tolkien estava provavelmente em uma pequena sala que ficava no segundo andar da classe, depois de alguns minutos de muita ansiedade, ele saiu de uma porta de madeira que ficava escondida em um canto, oculta por estátuas que se mexiam em intervalos de tempo.
_Bom, quinto ano?
Alguns balançaram a cabeça positivamente.
_Muito bem, sejam bem vindos à Defesa Contra as Artes das Trevas, me chamo Tolkien Jolie Remo, ordem de merlim, primeira classe e novo professor de vocês.
Harry tinha a certeza de que Tolkien iria prosseguir a sua apresentação porém três garotas que por pouco não estavam babando em suas mesas levaram suas mãos ao alto.
_O que foi garotas?
As três garotas começaram a falar ao mesmo tempo.
_Não, não - Tolkien apontou sua mão direita para uma bruxa que estava ao centro da classe, de Sonserina - Fale você primeiro.
Sob um olhar furioso das outras duas garotas, a menina de Sonserina perguntou:
_Quantos anos o senhor tem?
Tolkien a olhou com surpresa antes de responder:
_Vinte, porque senhorita...
_Parkinson - continuou a menina.
_Tem namorada? - peguntou dessa vez uma menina de Corvinal.
_Bom, tenho.
_E quem é ela? - perguntou dessa vez Parvati Patil da Grifinória, usando um tom aborrecido.
_Susana Midgey, está dando aulas em Durmstrang, de Transfiguração, deve vir para o Torneio do Olheiro.
_Eu me chamo Susana senhor - Susana Bones da Lufa-Lufa disse.
_Ah, tenho certeza de que não esquecerei seu nome.
_Como sabe que ela não o trai? - Liny Vinks, uma garota da Corvinal disparou.
_Bom, estamos há seis anos namorando, tenho muita confiança nela.
_Tão longe assim, não sei não - Lilá Brown falou e todas as meninas concordaram dando risinhos.
_Se o interrogatório pessoal já acabou, devo começar a minha aula, poderei responder suas perguntas garotas, em outro tempo.
Mesmo que as garotas tivessem ficado chateadas com esse comentário, a beleza de Tolkien as fazia mudar de idéia em um piscar de olhos.
No mesmo instante que nenhuma delas mantinha suas mãos ao alto, Hermione elevou a sua.
_Me desculpe senhorita, mas sem perguntas pessoais.
_Me desculpe o senhor professor - Hermione o interrompeu.
_Desculpa porque senhorita...
_Granger.
_O que gostaria de saber Srta.Granger?
_O senhor tem ordem de merlim, primeira classe?
_Ah, o que importa Granger! - Liny do fundo da classe falou desinteressada.
_Sim, Srta.Granger, por quê?
_O senhor com vinte anos tem à ordem de primeira classe, sendo que a maioria dos bruxos de excelentes habilidades precisam de no minímo quarenta anos para consegui-lá.
_Sim, o que a senhorita quer realmente saber?
_Como conseguiu?
_Há dois anos salvei uma criança de um ataque de lobisomens e centauros, curiosamente, a criança era filha do ministro da Bulgária, dessa forma, Cornélio me concedeu primeira classe.
_Repito senhor, mesmo com esse fato heróico, o senhor precisaria de habilidades muito grandes, o único bruxo que tenho conhecimento de ter primeira classe é o Prof.Dumbledore.
_A senhorita não está querendo dizer que tenho habilidades idéns as de Alvo Dumbledore.
_De forma alguma, mas o senhor deve ter habilidades muito grandes.
_Fale um feitiço Srta.Granger.
_Qualquer um?
_Sim.
_Uma das Azarações Mortais.
Tolkien fitou Hermione por alguns instantes surpreso e sem receio apanhou sua varinha com extrema velocidade.
_Fico feliz que as conheça Srta.Granger, as estudaremos este ano, agora, devo pedir que selecione uma das três azarações.
_Lócus Cáveres - Hermione rapidamente respondeu.
_A mais forte, sim, muito bem escolhida. Venha - o professor disse para uma das estátuas que se movimentavam.
A estátua em forma de bruxo com uma lança em mãos andou alguns passos e parou em frente a ele.
_Tente se defender se quiser - anunciou para a estátua que concordou com a sugestão - Ok então, vamos lá. Lócus Cáveres! - um jato em forma de dragão disparou-se da varinha de Tolkien e foi rumo à estátua que projetou um escudo prateado embora tivesse sido inútil. A Azaração a atingiu no peito fazendo-a voar longe até cair no chão e explodir em muitos pedaços. - Reparo! - a estátua retornou a normalidade e foi seguindo para o local em que estava.
_Mais alguma pergunta? - Tolkien indagou à turma.
_Sim, eu tenho professor - Ana Abbott se pronunciou sentada atrás de Harry.
_Sim, senhorita...
_Abbott...
_Pode fazer a sua pergunta.
_O senhor acredita que esse cargo é amaldiçoado?
Ninguém esperava aquela pergunta.
_Não Srta.Abbott, os casos dos professores Quirell, Lockhart, Lupin e Moody não me assustam, já disse a Dumbledore que pretendo assumir esse cargo em definitivo.
Várias risadinhas surgiram das meninas.
_Mais alguma pergunta?
Todos se mantiveram em silêncio.
_Excelente - sob um sorrisinho do professor Hermione derrubou o livro que estava segurando. Vários garotos riram. - Bom, começaremos com algo fácil, não sei quais as habilidades de cada um aqui, mas pretendo as descubrir agora. Vamos estudar os combates contra diabretes, alguém poderia me dizer o que é um diabrete?
Tolkien deixou a pergunta no ar e se sentou em cima da sua mesa de professor, muitos o olharam surpresos, não era comum um professor sentar em cima da sua mesa, com exceção do Prof.Flitwick e sua pilha de livros.
Hermione e Peter Remo levaram suas mãos ao alto.
_Fala Peter - disse Tolkien em tom animado e logo em seguida acrescentou - Antes de responder, somente para deixar avisado, esse carinha é meu irmão.
Todos se viraram e encararam Peter, ele não ficou vermelho, por parte parecia ser tão extrovertido quanto Tolkien.
_Agora, me responda.
_Hum, assim como os gnomos, porém não tão amistosos diabretes são criaturas rápidas e de mordidas perigosas, muitos diabretes agem de forma para realmente deixar sequelas ou até para matar, enquanto que outros guardam uma espécie de veneno nas garras, o que faria num simples arranhão, matar não somente um bruxo, como um trouxa.
_Prossiga Srta.Granger.
_A melhor forma de se derrotar um diabrete é utilizando os feitiços Action Pelliarmus ou Effigy que fazem com que o diabrete seja atordoado completamente.
_Muito bom, cinco pontos cada!
Tolkien se pôs de pé e mirou sua varinha para o fundo da classe aonde havia quatro baús enfileirados, com um balanço, cada um foi se pondo à frente da classe, um ao lado do outro. Com um novo giro de sua varinha, a sua mesa, aonde estava sentado poucos segundos foi levada para o fundo da classe deixando os baús à vista.
_Professor - Harry chamou observando que Tolkien não pronunciara nenhuma palavra para realizar todos aqueles feitiços.
_Sim - disse o professor se virando para Harry - Primeiro quero saber o seu nome.
_Harry, Harry Potter


PS: Pessoal, ai está o Tolkien, espero que gostem desse personagem porque ele irá aparecer muito na fic, muito mesmo, obrigado por lerem e comentem. ^^

Photobucket

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.