FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

2. HORA DOS ENCANTAMENTOS DA RTB


Fic: HARRY POTTER E A ARENA DAS ALMAS PERDIDAS - FINALIZADA!


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

CAP.2: HORA DOS ENCANTAMENTOS DA RTB

Sexta-feira chegou juntamente com uma nova e feroz tempestade, às nove da manhã as malas de Harry já estavam prontas em definitivo e restando quinze minutos paras as dez horas Dobby surgiu com um expressão tão assustada no rosto que chegava a ser assustador, Harry sabia que era devido ao tempo, uma tempestade que causava medo.
_O que exatamente é esse Diastius Voante? - perguntou enquanto desciam as escadas com toda a bagagem
_Eu nunca andei em um desses senhor, Dobby nunca - o elfo respondeu olhando para o relógio de parede ao lado da porta de entrada - Faltam cinco minutos senhor, temos que ir depressa.
Dobby se apressou ao descer as escadas, as malas flutuando no ar, acima da sua cabeça.
Harry foi mais a frente e abriu a porta de entrada, ficando assim diante da tempestade que cobria toda a Rua dos Alfeneiros.
Dobby recuou alguns passos, seus grandes olhos verdes saltaram naquele instante.
_Temos que ir Dobby – Harry disse em voz baixa.
O elfo balançou a cabeça positivamente.
_Quando disser.
Harry se virou para trás, para ver aquele hall pela última vez e em seguida se virou para Dobby aonde se sentiu finalmente preparado.
_Não temos saída, é agora. Vamos!

Dobby e Harry saíram pela Rua dos Alfeneiros desajeitados, como o elfo enfeitiçara as malas com o feitiço Impervius, elas estariam secas durante toda a passagem. Faltando apenas dois minutos para as dez viraram no Largo das Licílias e as dez e três, Largo das Magnólias, haviam perdido.
_Droga! - Harry disse, estava completamente encharcado - E agora, o que fazemos, não vou voltar, chegamos tarde, mas que droga!
Dobby se virou para as malas que agora estavam mais ao lado e com sua mão direita apontada para elas murmurou:
_Encarcerous!
Várias cordas amarraram as malas.
_O que vai fazer Dobby?
_Pegue a mão senhor, a minha mão, com a outra pegue em uma das cordas, Dobby leva o senhor ao beco, só não podem nos ver, trouxas aqui.
_Acho que ninguém conseguiria, não com essa chuva toda.
Dobby acenou positivamente com a cabeça e estralou um dos seus dedos, no momento seguinte Harry se sentiu como em uma viagem com o pó-de-flú, porém bem menos atordoante e curta.

_Chegamos! - Dobby sacudindo os braços de Harry disse.
O barulho das pessoas andando, conversando, cantando e cochichando se tornaram mais fortes.
_Mas é o Caldeirão Furado! - Harry exclamou após abrir os olhos - Ah, Dobby, obrigado! Obrigado mesmo!
Preciso pedir uma coisa, você pode esconder as minhas malas, seria estanho um bruxo com bagagens entrar em uma loja de roupas e sumir ali do nada.
_Dobby entende senhor, Dobby entende, encontrarei senhor na casa do bandido, Dobby vai.
O elfo estralou dois dedos da sua mão direita novamente e como fizera no Largo das Magnólias desapareceu juntamente com as malas.
_Harry! Aqui! Sou eu!
Harry se virou procurando quem o chamava e no mesmo instante avistou Stanislau Shunpike, o condutor do Nôitibus Andante que conversava com Cornélio Fudge, ministro da magia, andando em sua direção.
_Você por aqui, estranho não ministro?
_Vim comprar o meu material no beco, nada de estranho nisso.
_Digo estranho porque o Nôitibus iria te buscar - Stanislau um pouco aborrecido retorquiu.
_Não – Harry falou - O Nôitibus, eu pensei, não era para o...
_Todos sabemos Sr.Potter - Cornélio após deixar uma bruxa de cabelos enrolados passar à sua frente disse - Que tinha uma passagem reservada para o Diastius Voante hoje, porém devido a um triste acontecimento recente, o Diastius saiu de circulação.
_Mas, o que aconteceu?
_Dementadores atacaram uma das viagens feitas ontem, não sei o porquê, mas aplicaram um beijo em um bruxo que confundiram ser Sirius Black, o curioso foi que naquela altura Black já estava sentenciado e morto, algo que os dementadores tinham conhecimento, realmente não sei o por que foi acontecer.
_Falando em Black, sem dúvida, capturado, preso e morto! - Stanislau parecendo bobo disse em um tom de voz sonhador - A melhor notícia do ano se quer saber a minha opinião é claro.
_O ministério demorou admito, só que a justiça foi finalmente feita. - Cornélio com o peito estufado de orgulho falou enquanto Harry ria moderadamente. Sem que eles percebessem ficou sério e fingiu se contentar com o que Fudge dissera, ajeitando seus óculos.
_O que foi Potter? - uma voz familiar indagou chegando à cena - Posso perguntar imagino?
_Lúcio o procurei a manhã toda - Cornélio parecendo irritado disse. - Onde esteve?
_E ai Potter, já pegou a sua lista de materiais? - Draco em um tom arrogante indagou se aproximando.
_Já Malfoy - Harry respondeu preocupado pois não havia pegado ainda.
_Não, não pegou - Stanislau muito sério negou no mesmo segundo.
_Como não Shunpike? - Fudge olhando para Harry sibilou.
_Eu iria entregar a lista para Harry quando fosse buscá-lo - Stanislau retirando uma carta do bolso respondeu.
_Ah, então, hum, obrigado - Harry apanhando a carta disse entrando em seguida no Caldeirão Furado, que naquela altura do dia já estava apinhado de gente.
_Ah, Harry, hic, aqui! - a voz de Hagrid o chamou, o guarda-caças de Hogwarts e o homem mais alto que Harry já vira, três vezes maior que um comum.
_Já soube, hic, heim? - indagou meio tonto.
_Soube o quê?
_A mudança no expresso, hic, esse ano, o trem, oops! Foi impedido pelo ministério da magia de transitar nesses tempos, hic, em que os dementadores estão vasculhando todos os lugares, há vários no beco, estão por todo lado. Mas Dumbledore foi rápido, hic, já tomou, hic, as providências com isso.
_Hagrid, vou comprar o meu material, depois a gente se vê - Harry indo em direção a uma porta no fundo do bar falou, assim que a atravessou se deparou com vários bruxos e bruxas deixando o beco resmungando coisas como:
_Black já foi pego, porque esses dementadores não voltam para Azkaban! - uma velha bruxa em altas vozes protestava.
_A Artigos para Quadribol está sendo vigiada desde ontem, dizem que viram um homem parecido com o Black transitando por ali - Terêncio Boot da casa Corvinal de Hogwarts murmurou a um amigo que estava ao seu lado.
_Mas como? Já mataram o Black! - Susana Bones desta vez da casa Lufa-Lufa em voz alta dizia.
Assim que Harry conseguiu passar para o beco lembrou-se da escuridão que estava em Surrey na noite de seu sonho com os dementadores. As vitrines das lojas estavam congeladas com uma camada espessa, o céu negro e com vários seres encapuzados, muito alto, quase distintos voando. Como a escuridão estava muito acentuada muitas velas laranjas de diversas formas voavam muito ao alto como no salão principal de Hogwarts. A Travessa do Tranco estava fechada e havia tábuas pregadas na sua entrada, os dementadores embora voassem muito longe dos muito bruxos que compravam as vezes desciam alguns metros para verem de perto suspeitos, depois retornavam ao alto. O Sr.Olivaras havia sido obrigado a conjurar um Patrono quando um calouro testando sua varinha lançou sem querer um jato que estourou a vidraça de sua loja e atingiu um dos dementadores no céu, um feito quase ímpossivel para um calouro.
Harry como todos os anos foi primeiramente a Floreios e Borrões, assim que a adentrou ficou diante de uma loja cheia de bruxos já adultos, sem nem um estudante ao menos, no segundo andar da loja, havia um jovem bruxo, o mais novo de todos, de cabelos negros longos e olhos castanhos fundos ministrando uma palestra em meio ao silêncio e atenção de todos.

_Não existe na vida de um dementador a palavra perdão, eles não distinguem à sua preza ao que cruza seus caminhos. Eis um conselho, não dêem motivos para que eles se atraquem com qualquer bruxo, há estudantes aqui e posso afirmar que o Ministério da Magia não ficaria satisfeito se um ataque ocorre-se. Dementadores são criaturas poderosas e não cabe a qualquer bruxo ter a capacidade de produzir um Patrono bastante forte para combatê-los, para ser sincero, fora desta sala, duvido que alguém poderia se defender, portanto fiquem atentos esses dias, os que antecedem primeiro de setembro.
_Você não pode ficar aqui! - uma voz fria e bastante familiar falou.
_Snape! Quero dizer, professor! - Harry surpreso exclamou.
_Saia Potter, somente bruxos especializados em Patrono podem assistir a palestra - Agora saia, Potter, saia!
Snape empurrou Harry para fora da Floreios e Borrões fazendo-o esbarrar em uma bruxa de cabelos vermelhos que o olhou furiosa e seguiu seu caminho resmungando.
_Oh, céus! - exclamou outra bruxa corpulenta olhando para o céu acima de Harry. Todos a olhavam agora.
Harry olhou para cima e viu o que tanto a espantara, vários dementadores vinham em sua direção, outras bruxas também dando gritinhos agudos agora.
_O que está, o que está acontecendo?
Snape saiu da Floreios e Borrões com ligeireza e vendo os dementadores voarem até Harry parou cruzando os braços com um breve sorriso de satisfação.
_Pense Harry, pense - Harry disse a si mesmo tentando se lembrar de algum momento feliz, porém enquanto fazia isso mais dementadores partiam em sua direção e estavam decididos a atacar - EXPECTO PATRONUM! - berrou e todos ao redor levaram suas mãos a boca estupefatos, um cervo surgiu da varinha e recuou com força três dementadores. O jovem bruxo palestrante saiu da loja e em choque parou olhando Harry com os olhos fundos, agora arregalados.
_O que é isso! - ele exclamou olhando para Snape que agora parara de sorrir.
_Saía da frente! - disse o Sr.Olivaras saindo de sua loja para ajudar Harry.
_EXPECTO PATRONUM! - Harry berrou novamente conjurando outro cervo que fez todos os dementadores recuarem, alguns parecendo ser ‘’devorados’’ pelo feitiço.
Os primeiros dementadores recuados voltaram com disposição, o Sr.Olivaras se pôs a frente de Harry, o bruxo palestrante também.
_Expecto Patronum!
_Expecto Patronum!
Dois pequenos animais prateados diferentes, menores que o de Harry afastaram os dementadores e então eles partiram.
_Inofins! - o bruxo palestrante cumprimentou apertando a mão de Harry com euforia - Como se chama garoto, conjurou um excelente Patrono.
Os bruxos ao redor olhavam para Harry como se fosse uma aberração, embora cochichassem com euforia seu fantástico desempenho com o patrono.
_Harry, Harry Potter! - Harry respondeu e os bruxos que cochichavam agora falando alto, pareciam espantados, alguns, no entanto, já pareciam saber que era Harry.
_O famoso Harry Potter, mas que honra! - Inofins surpreso exclamou.
_E o senhor é...
_Ministro da Magia - o bruxo respondeu cheio de oruglho.
_Não, não entendo, Cornélio Fudge é o Ministro - Harry em voz alta retrucou, não fora a sua intenção, Inofins não parecia o tipo de bruxo que mentiria sobre sua identidade somente para impressionar.
_Meu pai jovem Potter. Nós dois somos Ministros da Magia, imagino que seu patrono tenha sido desgastante não.
_Bastante - Harry guardando sua varinha falou de imediato. Mesmo que tentasse esconder, Inofins além de pouco parecer Fudge tinha um forte ar de adolescente animado e rebelde.
_E se tomarmos uma cerveja no Caldeirão? - sugeriu dando um sorriso rápido.
_E a palestra? - Snape indagou sério.
Inofins lhe desviou um olhar seco e respondeu, extremamente direto:
_Cancele! - ordenou - Severo venha até o Caldeirão, preciso lhe falar!
Harry não podia negar que Inofins quando quisesse era tão e até mais severo que a própria Minerva McGonagall, mesmo que não aparentasse isso todo o tempo como a professora.
O Caldeirão parecia ter se esvaziado rapidamente, havia poucos bruxos agora, somente duas mesas estavam ocupadas.
Uma por uma velha bruxa que resmungava sozinha e outra ocupada por Terêncio Boot e Ernesto McMillan que liam a lista de materiais e comentavam cada linha.
_Aqui!
Inofins parando em frente à mesa de número três disse.
_Sente-se Harry - pediu educadamente enquanto Snape puxava uma cadeira para si. - Não me recordo de tê-lo convidado Severo.
Snape encarou Inofins surpreso e disse, sua voz mais fria do que nunca:
_Me recordo que fui chamado para vir até...
_Mesa três por favor - Inofins o cortou chamando o garçom que atendia a mesa em que estava a velha bruxa.
Snape foi se sentando.
_Não irá demorar professor, não há necessidade se me entende...
_Sim senhor ministro – o garçom com um largo sorriso atendeu.
_Duas cervejas amanteigadas Pedro, por favor.
_Mas e o Prof.Snape - Harry na esperança que o Ministro desse outro passa-fora no professor falou.
_Repito Harry, ele não irá se demorar.
_Isso é rídiculo! - o professor dando as costas retorquiu enquanto Terêncio e Ernesto o olhavam com espanto, estavam tão absortos na lista de materiais que nem haviam reparado em Harry e no professor ali.
_Receio - sussurrou Inofins em tom calmo - Que se der mais algum passo terei de sair dos meus padrões...
_O Ministério está perdendo o juízo... - Snape em tom sarcástico disparou.
_Como professor?
_Espero que seja realmente rápido – Snape disse voltando à mesa com pouca vontade.
_Pois muito bem, não me agrada sua presença, dessa forma serei direto. O Sr.Potter foi atacado por no mínimo dez dementadores enquanto o senhor se mantinha imóvel com um sorriso em frente à situação.
_Pronto aqui está! - Pedro chegando com as duas cervejas amanteigadas e colocando-as na mesa falou, logo seguiu para a mesa de Terêncio e Ernesto.
Inofins voltou seus olhos para Snape.
_Não é novidade que o senhor tem muito interesse pelas Defesas às Artes das Trevas e como esteve em minha palestra e o requisito mínimo era se produzir um Patrono tenho absoluta certeza de que poderia ter produzido um bastante bom para recuar os que atacaram Potter - Inofins parou por um segundo e bebeu um gole de cerveja - Imagino Sr.Potter que estude em Hogwarts...
_É, é Hogwarts. - Harry confirmou desajeitado.
_Muito bom - murmurou Inofins - A escola em que Snape ministrava suas aulas de Poções.
_O Quê! - Harry exclamou chamando a atenção até da velha bruxa na mesa ao lado - Ministrava?
_Está certo Harry - Inofins ignorando os olhos negros brilhantes de Snape concordou.
_Que estupidez, como ousa.
_Percebo professor que o senhor tem incontrolável força de falar em momentos sem ser chamado, tenho certeza de que se for interrompido novamente o farei ensinar Poções do Amor em Azkaban por todo um ano, ou será obrigado a deixar este país.
Inofins parou um instante esperando para ver se Snape dizia algo e observando que o professor se mantinha quieto prosseguiu:
_Na minha opinião e de muitos aurores um bruxo que não ajuda o outro no momento em que está precisando de ajuda não está qualificado a ensinar. Pense bem, se Harry Potter morresse diante de um bruxo com ordem de merlim segunda-classe meu próprio pai que tolera muitas ações o mandaria para Azkaban.
_Nem o Lorde das Trevas o conseguiu matar, como um bando de dementadores o fariam, não há sentido, não sou eu quem deve pensar bem.
Inofins se pôs de pé, era muito pouco mais alto que Snape.
_O senhor ficara alguns meses fora do ensino de Hogwarts por penitência. Tenho outra notícia a lhe dar professor, Dumbledore dificilmente admite professores após o ano letivo ter começado, é preciso realmente de um excelente motivo. Pode ir, está dito.
Harry teve a forte impressão de que se Snape encontrasse alguém que não gostasse seria capaz de lhe arrancar a cabeça com um único feitiço, estava no extremo de fúria. Logo que deixou o Caldeirão, Inofins se virou para Harry e em um tom muito mais amigável e perguntou:
_De que casa você é? Espere, aposto que Corvinal.
_Não, não - Harry negou com simplicidade - Grifinória.
_Sabe, eu estudei em Hogwarts também, adorava aquela escola.
_O senhor foi de Corvinal? - Harry tomando um gole de sua cerveja imaginou ser.
_Ah, não, fui da Lufa-Lufa - o bruxo com orgulho respondeu. - Então Harry como vai as suas expectativas pro Comitê dos Bruxos dessa década, acho que Hogwarts tem chance, é claro que Bounstouns vêm chamando a atenção, mas não que chegue a pressionar Hogwarts, mas me diga, o que você espera.
Harry que não entendera absolutamente nada, não sabia do que o Ministro estava falando.
_Eu não sei o que é isso.
_Imaginei, pela sua reação. Comitê dos Bruxos é um dos maiores eventos do mundo da magia que ocorre de década em década, através de bruxos altamente classificados de diferentes países e que trabalham nos departamentos de Educação em Magia.
São selecionadas quatro escolas que mais se destacam nas matérias ensinadas. O prêmio para a escola que vencer esse Comitê é sediar um torneio de magia muito maior que o próprio Tribruxo. Apesar de Hogwarts ter muita chance está década, o fato de que o Tribruxo tenha ocorrido ano passado pode atrapalhar. É um torneio que envolve quatro escolas de todo o mundo, na década passada a Delegação Búlgara de Durmstrang venceu o Comitê, porém perdeu o Torneio para Bounstouns. Não sei se Dumbledore está disposto a sediar outro torneio tão complexo e maior que o do ano passado, sem esquecer o fato de Diggory na terceira tarefa, tenho receio que outra escola sede este ano. Acho que você vai entender melhor durante o programa.
Inofins se levantou e foi até o balcão aonde Blade, o dono do Caldeirão estava lavando alguns copos. Depois de alguns minutos de conversa o ministro voltou para a mesa e Blade ligou uma televisão velha que ficava muito escondida numa parede ao alto.
_Aí está Harry, repare e tenho a certeza de que vai entender...
Logo que a televisão foi ligada, um grande anúncio roxo com letras brilhantes apresentou: ‘’Hora dos Encantamentos da Rede Televisiva dos Bruxos ou R.T.B apresenta a décima quinta edição do Comitê dos Bruxos’’
Assim que o anúncio saiu uma grande pista de gelo surgiu na tela, uma platéia gigantesca nas arquibancadas dos lados e seguindo, vários dançarinos entraram fazendo passos difíceis de dança, depois uma bruxa de cabelos louros e olhos azuis, muitíssima bonita adentrou a pista e depois de uma coreografia radicalmente perigosa ela iniciou a dizer em meio aos aplausos entusiasmados da platéia.
_Pela quinta vez na história à Hora dos Encantamentos da R.T.B tem o prazer de levar a rede nacional, ao vivo, a décima quinta reunião do Comitê dos Bruxos que definira a escola mais capacitada para receber o tão grandioso Torneio do Olheiro Mágico.
Mesmo que Harry estivesse absorto nas palavras da bela mulher não pode deixar de reparar que a porta do Caldeirão se escancarou e muitos bruxos vieram não só da rua como do beco, todos foram adquirindo cervejas e se acomodando em muitos lugares.
_Para que fique bem entendido o que realmente é o Comitê dos Bruxos explicarei um pouco antes de começarmos. O Comitê se reúne de dez em dez anos unindo vários bruxos diretores dos departamentos de Educação em Magia do mundo todo, essa equipe define através de estudos nas férias as qualificações dos professores não só questionando alunos como de diversas formas secretas. Após todo um estudo dos professores, os quatro melhores são selecionados para a categoria em questão, a escola que tiver as melhores posições e conseqüentemente a melhor estrutura em questão de ensino ganha o direito de sediar o Torneio do Olheiro Mágico que testa estudantes de várias escolas no propósito não somente de presenteá-los com um prêmio no final e dar aos selecionados um emprego de alto nível em nosso mundo com a característica mais marcante desse bruxo. As escolas desse ano se variam da Irlanda até França e Alemanha, devo imaginar que tudo para ser dito já foi explicado, dessa forma vamos começar com a categoria de melhores professores de Trato das Criaturas Mágicas.
A apresentadora deu um rodopio na pista e após mais alguns passos coreografados ela apanhou um pergaminho que surgiu de uma chuva de pó prateado.
_E os quatro melhores professores do mundo em Trato das Criaturas Mágicas são...

1.Cipriano Hold - Delegação Durmstrang - Bulgária
2.Gary Nows - Acadêmia Beauxbatons - França
3.Tadeu WoodMan - Instituto Bounstouns - Irlanda
4.Logos Natius - Centro Agatston - Alemanha

_Ah, que chato! - Hagrid muito atrás de Harry, bem ao fundo do Caldeirão resmungou. - Eu perdi - disse triste.
_Da próxima você consegue - a Profa.Sprout falou sem grande importância.

_Prosseguindo, vamos com Vôo.
Os bailarinos e a apresentadora fizeram um passo que formava vários símbolos e pararam agora em uma chuva de pó dourado.
_Os selecionados dos jurados foram.

1.Madame Hooch - Hogwarts - Grã-Bretanha
2.Sinaur Patting - Centro Agatston - Alemanha
3.Donnas Fling - Delegação Durmstrang - Bulgária
4.Honória Glunterburry - Instituto Bounstouns - Irlanda

_Eu ganhei! - Madame Hooch gritou apanhando uma cerveja amanteigada sob o balcão e tomando rapidamente, seus olhos brilhando de felicidade.

_Embora os selecionados de Adivinhação pouco mudaram da última edição, a diferença das notas foi descomunal, vamos assim a Adivinhação...
Os passos na pista lembravam várias imagens que Harry já vira na sala de Trelawney, novamente após uma chuva (dessa vez vermelha) de pó um pergaminho caiu nas mãos da apresentadora e ela anunciou os quatro melhores de Adivinhação.

1.Mago Be - Delegação Dursmtrang - Bulgária
2.Alannis Goes - Instituto Bounstouns - Irlanda
3.Iliada Jupiter - Centro Agatston - Alemanha
4.Amanda Stonede - Acadêmia Beauxbatons - França

_Na contagem de pontos até esse momento quem lidera é a Delegação Búlgara de Durmstrang, prosseguimos agora com Poções...

O grupo fez mais uma seleção de passos muito diferentes e com uma chuva dessa vez de pó verde um novo pergaminho surgiu.

1.Severo Snape - Hogwarts - Grã-Bretanha
2.Thomas Wrenday’s - Instituto Bounstouns - Irlanda
3.Anastácia Mackenzie - Acadêmia Beauxbatons - França
4.Ignácia Oasis - Delegação Durmstrang - Bulgária

Depois de mais uma dança foram apresentados os melhores professores de Transfiguração.

1.Alvo Dumbledore - Hogwarts - Grã-Bretanha
2.Ésther Iggy - Delegação Durmstrang - Bulgária
3.Lourdes Maria - Biddulph - Austrália
4.Josh Nutcombe - Instituto Bounstouns - Irlanda

A matéria seguinte foi a de Herbologia.

1.Daisy Leah - Instituto Bounstouns - Irlanda
2.Mungo Laverne - Acadêmia Beaubatons - França
3.Brittany Fanning - Centro Agatston - Alemanha
4.Pomona Sprout - Hogwarts - Grã-Bretanha

_Valeu a pena - a Profa.Sprout que estava sentada na mesma mesa que Madame Hooch mantendo o seu costumeiro comportamento de que nada importa realmente disse.

_Vamos em frente com Astronomia.

Os dançarinos formaram estrelas, uma lua e um sol enquanto dançavam...

1.Ryan Iriô - Delegação Durmstrang - Bulgária
2.F.F.F Folly - Acadêmia Beauxbatons - França
3.Pedro Nolmi - Instituto Bounstouns - Irlanda
4.Sinistra Halen - Hogwarts - Grã-Bretanha

Harry pode escutar Blade soltar um baixo sussurro de “Puxa! O Folly perdeu pro Iriô.”

_Prosseguimos com Defesa Contra As Artes das Trevas, que pareceu ser a categoria mais equilibrada dentre todas, vejamos então...
Harry já estava começando a ficar enjoado com tantos passos diferentes que rodopiavam e acabavam sempre numa chuva de cor diferente, desta vez roxa.

1.Tolkien Remo - Hogwarts - Grã-Bretanha
2.Sir Morgan - Acadêmia Beauxbatons - França
3.Remo Lupin - Delegação Durmstrang - Bulgária
4.Marry Bagman Dafoe - Centro Agatston - Alemanha

_Perto do final, vamos com as estrelas da última década em Aritmancia.

1.Holanda Copolla - Delegação Durmstrang - Bulgária
2.Jackie Kota - Centro Agatston - Alemanha
3.Omar Murphy - Acadêmia Beauxbatons - França
4.Peter Troier - Instituto Bounstouns - Irlanda

Depois de mais uma breve apresentação, os melhores em História da Magia foram revelados.

1.Harrucane Cane - Delegação Durmstrang - Bulgária
2.Binns Paramount - Hogwarts - Grã-Bretanha
3.Alícia Poel - Centro Agatston - Alemanha
4.La Flour Fler - Acadêmia Beauxbatons - França

_Antes da última matéria que definirá a escola vencedora, vamos de Feitiços.

O passo seguinte parecia ter sido especialmente coreografado, tinha momentos em que os bailarinos rodopiavam e raios coloridos explodiam em chuvas de pó brilhante.

1.Lock Souul - Centro Agaston - Alemanha
2.Flitwick Flint - Hogwarts - Grã-Bretanha
3.Madenno Musky - Acadêmia Beauxbatons - França
4. Marine Rolle - Instituto Bounstouns - Irlanda

_Empatamos! - a Profa.Tany-Tanie (de Estudo dos Trouxas em Hogwarts) disse sentada numa mesa cheia de bruxos magricelos e sardentos.

_Estão empatadas! - a apresentadora anunciou. - Pelos cálculos dos nossos jurados, a escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts na Grã-Bretanha e a Delegação Durmstrang da Bulgária estão empatadas ambas com dezesseis pontos e quatro primeiros lugares. Antes da última categoria, o Ministro da Magia, Sr.Cornélio Fudge gostaria de falar á vocês...
Fudge apareceu na tela trajando vestes negras com uma bela capa longa e disse, parecendo nervoso.
_Naturalmente a escola vencedora recebera o Torneio do Olheiro Mágico, o principal evento entre escolas do mundo todo, se Hogwarts ou Durmstrang vencerem receberão as delegações estudantis de Bounstouns, Agatston e Beauxbatons para as quatro tarefas do torneio. Para muitos a realização do Olheiro Mágico é um desafio a todas as regras impostas aos estudantes de todo o mundo, deixo bem claro que esse Torneio é acima do Tribruxo, realmente muito seguro e realmente muito perigoso, os alunos são testados de forma engenhosa, com uma energia inegual e muita cooperação, desejo que a merecedora escola leve o prêmio e seguimos então com Estudos dos Trouxas como decisão.
_Muito obrigada ministro - a apresentadora disse e logo em seguida realizando o último dos passes coreografados em uma chuva, dessa vez, laranja, o último pergaminho caiu. - Hum, já sei quem venceu o Comitê desta década, vamos lá então. Em quarto lugar tivemos Ennya Houstwood do Instituto Bounstouns, como na década passada, no terceiro lugar, Blon Cosette da Acadêmia Beauxbatons, em segundo lugar, surpresas, Perina Rognarie do Centro Agatston e definitivamente quem leva a taça do Comitê, a melhor escola em termos de ensino dos últimos dez anos, é a fantástica...
TCHIU!
Um baque surgiu do lado de fora do Caldeirão, e na rua, um raio rasgou o silêncio assustador do bar e no momento seguinte todas as velas se apagaram deixando tudo completamente escuro
_O que está havendo? - a Profa.Sprout perguntou calma.
Um novo baque aconteceu do lado de fora e todos começaram a correr para fora do bar para ver o que estava havendo.
Harry se levantou, uma mão agarrou seu braço com violência, tentou se desvencilhar, mas estava impossível.
_Vamos Harry! Vamos, venha.
Harry se virou para o lado da onde vinha a voz e viu muito de relance a figura alta de Lupin.
_Temos de ir, ninguém vai desconfiar agora, vamos.
Lupin no momento seguinte soltou o braço de Harry e juntos saíram correndo.
_Desculpe Harry, foi necessário.
_Não, não tem problema.
_Onde estão suas malas?
Naquele momento eles deixaram o Caldeirão, passaram para a rua fria do beco e continuaram andando pela passarela enquanto conversavam apressados.
_Dobby levou elas - Harry respondeu e no mesmo instante Lupin parou de andar, estavam em frente a uma das lojas centrais do beco, uma com uma grande tesoura dourada que se abria e fechava.
_É aqui Harr., entre e vá até o último corredor, há um quadro do Gilderoy Lockhart, use o Alorromorra, vai aparecer um corredor, atravesse ele, agora vá, antes que todos voltem.
_O que aconteceu lá fora?
_Não sei, mas você deve ir.
_Está bem.
Harry adentrou a cheia Madame Malkin com intrépido e sem querer esbarrou em um garoto que gritava:
_É Hogwarts! É Hogwarts!
O menino sorriu para Harry, que assustado, percebeu que Hogwarts vencera o Comitê e devolveu o sorriso.
Sem demoras foi se dirigindo para o fundo da loja que era dividida do chão ao teto por estantes cheias de roupas e panos belíssimos. Após passar por vários bruxos e se encontrar com Neville Longbottom, um estudante da mesma casa de Harry, Grifinória, achou o quadro muito bem escondido no último corredor.
_É aqui! - disse para si mesmo e então apanhou sua varinha, a elevou e antes que enunciasse o feitiço, a voz de Lockhart o proibiu.
_Pare Sr.Potter! Não precisa usar magia, entre, eu já o aguardava.
O quadro de Lockhart se moveu para a esquerda e revelou um corredor negro, cheio de caixotes, objetos prateados empoeirados, muitos sacos de lixo entulhado e molduras de quadro intactas. Logo ao fim desse corredor (que devia ter uns trinta metros) havia uma casa, aonde uma luz jazia de uma janela perto da porta de entrada.
Harry foi andando rumo a casa olhando para o céu, estava de noite, sendo que lá fora, no mundo todo, era dia. Sem demorar muito chegou a casa, subiu três degraus e foi rumo a porta de madeira aonde ao seu centro havia um brasão com duas espadas cruzadas e estrelas saindo delas, Harry já vira algo semelhante a aquilo em outro lugar. Ansioso, bateu na porta com dois toques porém ninguém atendeu.
_Sirius! - chamou, e não houve resposta novamente - Sirius você está aí, Sirius!
Dessa vez a porta foi se abrindo e a luz que vinha do cômodo adentro foi iluminando o tão frio e negro corredor, e a própria figura magra de Sirius foi surgindo.
Ele desviou seu olhar para Harry e com um largo sorriso no rosto exclamou.
_Harry! Finalmente! – eles deram um demorado abraço - Entre, essa é a sua casa agora.
Harry adentrou o cômodo muito bem iluminado, os olhos ardendo com a recente iluminação. A casa era toda feita de madeira, parecia ter algo que lembrava casas que geralmente ficavam em montanhas. Havia uma grande lareira em chamas do lado direito, uma estante cheia de livros empoeirados de cada lado, dois sofás rasgados e uma mesinha redonda com três cadeiras, a sala era realmente espaçosa e mesmo em meio a móveis tão normais, algo chamava muito a atenção ali, um quadro que ficava muito ao alto, acima da lareira.
_O que é isso? - indagou observando a figura de um bruxo magricelo, o homem com uma espécie de luneta rumava para um portão ornamental, estava bastante machucado e parecia perturbado.
_Não consegui tirar, é uma figura muito sofrida, Lupin também tentou, mas parece que está preso a casa, quando cheguei já estava ai, desisti de tentar, não me importa mesmo, eu não fico olhando pra ele.
Sirius foi até a única mesinha da sala e fechou um tinteiro aberto, Harry se virou para o quadro e viu que o bruxo levava a luneta até o portão ornamental e o abria, depois disso, tudo se tornava trevas.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.