FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

7. A armação dos amigos


Fic: Apaixonada pelo Maroto


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Aquela noite não foi falada pra ninguém. Eles simplesmente não queriam dividir o que acontecera, somente queriam guardar para eles mesmos. Vários dias de passaram e já estavam no fim do mês de Novembro. Tiago continuava com o assanhamento, mas em vez d cada dia estar com uma garota diferente, ele esperava três, e Lily percebera essa mudança. Havia menos garotas chorando pelos corredores escuros e mais uma vez se sentiu culpada com a conversa que teve com Tiago.


O mês de Novembro passara rápido, e em todos esses dias, a cada dia, esfriava mais um pouco, porque estavam chegando bem perto do Natal, e mais uma vez começaram os murmúrios do tal Baile Colonial. As garotas estavam extasiadas de tanta emoção, e os garotos nervosos para conseguirem logo seus pares. Então já começara a correria de arranjar pares. Lily fora convidada por três garotos àquela semana. Um deles era Larry Difetty. Ainda estava envergonhada por ter ditas aquelas coisas e pedira perdão para ele, e ele aceitou. Mesmo chamando-a, ela teve que responder não. Combinara com todos de ir desacompanhada. Carol fora convidada por dois garotos até então, e Remo ficou muito mal-humorado depois que soubera. Anna fora convidada por quatro. Sirius por dez garotas, e ele teve que se esforçar para dizer não, segundo ele, elas eram irresistíveis. Tiago fora convidado por doze e ficou se gabando para Sirius por isso. Remo por três garotas. E até Pedro fora convidado por uma garota, mas ficou tão apavorado pelo pedido que saiu correndo sem se explicar.


- Deveria ter chamado-a para sair e depois a beijado – disse Sirius consolando-o.


- Eu me apavorei na hora, não sabia o que falar, então corri – todos os seis estavam com vontade de rir da reação do amigo, mas se contiveram.


Eles até se convidaram: Sirius pegou nas mãos de Carol se declarando e chamando-a para ir ao baile com ele, e ela rira disso, depois olhara para Remo e vira que esse estava bravo. Anna entendendo o que estava acontecendo piscou pra Carol e foi até Remo. Ajoelhou-se para ele, pegou na mão do garoto e disse que estava apaixonada, então o convidou. Ele pedira desculpas rindo, e dissera que lamentava partir seu coração. Até Lily entrou na brincadeira. Beijou a bochecha, não de Tiago, mas de Pedro, e o convidou a ir acompanhada dele, o garoto na hora corou, e ninguém aguentou segurar o riso. Todos deram gostosas gargalhadas e até Pedro entrou nessa, mesmo ainda estando corado.


- Claro! Eu sobrei! Oh vida cruel – disse Tiago melodramaticamente colocando as mãos no rosto fingindo soluçar. Uma garota do quarto ano que não tinha entendido a brincadeira deles saiu correndo até Tiago.


- Não fica assim! Eu vou com você! – disse esganiçada. A garota até que era bonita. Tinha olhos cor de Mel e cabelos longos, cacheados e castanhos, só era muito baixa.


- Sai daqui sua louca! – disse Anna avançando na garota – Há gritou e bateu o pé. Na hora a garota saiu correndo. Todos deram gargalhadas.


- Tadinha da garota Anna – disse Lily entre risos.


- Ela é oferecida isso sim! – e passando perto de Lily sussurrou – Cuida do que é seu não viu! Já, já perde! – e a garota corou.


O fim daquele dia de domingo passou tranquilo. Todos os sete estavam conversando animadamente e jogando Snap Explosivo. Era o jogo favorito de todos, principalmente de Lily. Quando ganhava seus olhos brilhavam ainda mais e vendo isso Tiago sorria mais abobadamente. Sirius percebera o que estava acontecendo na hora, então:


- Anninha do minha vida, podemos conversar sim ou claro? – disse olhando de Tiago para Lily sem perceberem, e ela entendendo o recado disse:


- Claro meu cachorrinho pulguento lindo – sorriu para o garoto. Levantaram-se e foram para um canto mais afastado da sala e coloram as cabeças uma na outra.


- Percebi o Pontas olhando e sorrindo abobadamente pra Lily – Sirius disse.


- Eu também vi. A Lily percebeu também. Toda hora que ele sorria pra ela, ela corava, ou seja, ela está gostando – disse Anna sorrindo.


- Não é pra menos! Ela gosta do sorriso dele. – Anna assentiu – a gente pode fazer o seguinte: podemos esperar todo mundo ir dormir e colocá-los no meu dormitório e dos meninos e trancamos eles lá – disse surgindo um sorriso.


- Como? – Anna sorriu maliciosamente.


- Bom, a gente espera todo mundo ir dormir, e nós sete ficamos lá embaixo. Eu escrevo um bilhete pro Rabicho e pro Aluado falando para não se deitarem que depois eu explicava, e você um pra Carolzinha – Anna sorriu ainda mais concordando – depois eu falo, sei lá, pro Tiago pegar o mapa pra eu ver se o Filch estava andando pra que eu saia, ai você chama a Lily lá pra cima e depois a empurra no nosso dormitório, sela a porta e os dois aproveitam a noite – Sirius disse sorrindo mais e mais marotamente, e Anna o acompanhando.


- Perfeito! Você é um gênio cachorrinho – e bateu a mãos na cabeça de Sirius.


- Obrigado minha morena – e rapidamente seu um selinho em Anna.


 


----------------------------------x----------------------------------


- O que será que os dois estão tramando? – perguntou Lily curiosa.


- Alguma coisa muito idiota e perigosa – disse Remo. Continuaram jogando Snap Explosivo até os dois voltarem.


Sirius já escrevera em dois pedaços de pergaminho: Não suba para o dormitório, depois explico; Anna o copiou. Ambos entregaram para Remo e Pedro, depois Carol, respectivamente.


Eles estavam sentados em frente a uma mesinha em que jogavam as cartas, Sirius estava do lado esquerdo de Remo, no mesmo sofá, e do direito de Pedro, depois vinha Tiago, Anna, Carol e pra terminar, Lily. Os três leram os pergaminhos sem entender, mas não perguntaram nada. Agora já se passava das onze da noite e só restaram os sete. Anna deu sinal para Sirius começar com o plano, e ele assentiu.


- Pontas, faz um favor! – Sirius disse.


- Não! – respondeu Tiago olhando suas cartas.


- Ah, cara! Por favor! Pega o mapa lá! – ele disse numa voz de piedade.


- Pra quê? – ergueu os lhos do baralho para olhar o amigo.


- É que, bom – sorriu maroto, preciso ver onde Filch está. Tenho um encontro hoje – sorriu mais abertamente.


- Cachorro sempre será cachorro, mesmo tentando ser gato – disse Anna rindo, e todos a acompanharam.


- Gato eu já sou meu bem – disse marotamente e mandou um beijo para Anna.


- Pega você! – disse Tiago impaciente.


- Foi você que guardou – Sirius disse.


- Verdade – Tiago disse, então saiu da mesa e começou a subir as escadas.


- Obrigado, meu amorzinho! – disse Sirius, e Tiago mostrou o dedo do meio antes de desaparecer, todos riram.


- Preciso falar com você Lily. – disse Anna.


- em que ser agora? – ela disse olhando suas cartas.


- Aproveitar que o Tiago saiu – Anna encolheu os ombros, e Lily assentiu. Elas subiram as escadas e Lily foi para o dormitório das meninas, só que Anna já pegara em seu braço e a empurrara para dentro do quarto onde Tiago estava. Ele olhou assustado de Lily pra Anna. Então Anna concluiu – divirtam-se – e fechou a porta com força e murmurou o feitiço.


Lily começou a bater na porta desesperada tentando abri-la, mas não deu certo, então colocou as mãos nas vestes, mas sua varinha sumira.


- Me dá sua varinha Potter – disse se virando para ele e levantando a mão, com a palma pra cima. Só que ele também não estava com a varinha. Os dois deixaram suas varinhas onde estavam sentados.


Então um bilhete apareceu debaixo da porta. Lily o pegou. Tiago se juntou a ela para ler o que dizia:


 


“Crianças, nós trancamos vocês dentro do quarto para se entenderem melhor. Percebemos que um não parara de olhar pro outro no jogo, então resolvemos fazer isso.


                                                                                                                                                             Divirtam-se


                                                                                                                                                             Anna e Sirius.


PS.: Carol, Remo e Pedro não sabiam de nada.”


 


- Ah, eu não acredito – disse Lily incrédula e ficando brava. – Tem dedo seu nisso Potter – ela disse ficando vermelha e apontando o dedo pro garoto.


- Quem me dera – disse sorrindo marotamente – isso é...


- Ridículo – Lily disse. Agora estava da cor de deus cabelos.


- Genial! Como não pensei nisso antes? – Tiago disse rindo.


- O quê? – Lily perguntou esganiçada – Seu idiota, estamos trancados aqui dentro sabe-se lá até quando.


- Isso é perfeito – Tiago disse se aproximando de Lily.


- Pra quem? – ela disse se afastando. Já sabia o que iria acontecer a seguir.


- Pra mim! – Tiago sorriu e se aproximou mais. Lily se afastou até bater as costas na porta. Tiago aproveitou para segurá-la na cintura e prendê-la contra a parede. Tirou uma mecha do cabelo da ruiva e acariciou-a na bochecha. A respiração dela ficou ofegante. Então começou a beijá-la. Ela tentava resistir como sempre, e ele passando a mão pelo corpo da garota. Ela tentava empurrá-lo, mas como sempre era em vão essa ação, e mais uma vez sua consciência a deixara sozinha com Tiago Potter.


Até então seus olhos estavam abertos, mas foram se fechando lenta e involuntariamente, enquanto ele aprofundava mais o beijo. Colocou suas mãos no peito dele e passou-a por aquela parte toda, até coloca-la nas costas do garoto. Ele acariciava a bochecha e a nuca FDA garota, sempre alternando entre uma e outra.


Precisando de ar, eles se separaram, mas para não perder o costume ela deu um tapa na cara dele e saiu de perto. Ele sorriu, massageou a bochecha.


- Ah, vamos Lily! A gente vai ficar nisso a noite todo? – ele disse erguendo uma sobrancelha.


- Se for preciso! – ela cruzou os braços.


- Se vamos ficar aqui até eles pensarem em abrir, precisamos comer alguma coisa – ele disse sorrindo, então foi até uma parte do quarto, abaixou-se e arrancou um pedaço do soalho. De lá tirou garrafas fechadas de suco de abóbora, feijõeszinhos de todos os sabores e tortinhas de abóbora.


- Como conseguiu tudo isso? – perguntou incrédula.


- Na cozinha! – Tiago disse levando tudo até ela, só que ela virou as costas e sentou na cama mais próxima, ele foi atrás dela revirando os olhos e jogou as coisas na cama, só que ela rejeitou – Você acha que coloquei alguma poção do amor é? Até que não seria má ideia – sorriu – Brincadeira – disse ao ver a cara de incredulidade que ela exibia. Então, vencida pela fome pegou uma garrafa e uma tortinha e digeriu-as.


 


----------------------------------x----------------------------------


- Que será que devem estar fazendo lá em cima? – perguntou Pedro inocentemente.


- Nem queira saber Pedrinho – disse Sirius maliciosamente.


- Você é um pervertido Sirius. – disse Carol – E eu não achei certo o que fizeram com os dois.


- Relaxa! A gente disse que fomos somente nós dois que pensamos nisso – Anna disse.


- Não é por isso Anna – começou Remo – Pode ter um assassinato lá dentro e a gente não vai poder fazer nada – todos riram. Então:


“- OLHA O QUE VOCÊ FEZ EVANS!


- QUEM MANDOU TENTAR ME BEIJAR?”


Ouviram as vozes de Tiago e Lily de onde estavam.


 


----------------------------------x----------------------------------


- Que é que você está fazendo? – Lily disse corando ao ver Tiago tirando a camisa em que caíra o suco de abóbora. Sem ter consciência dos seus pensamentos, ela ficou observando o garoto tirar a blusa e se limpar com ela. Ele tinha o corpo bem definido por conta do quadribol, realmente era lindo. Ele percebeu que ela estava olhando e sorriu marotamente.


- Eu não posso ficar com essa camisa não é? – disse sorrindo e colocando outra camisa.


- Eu estou toda encharcada, mas nem por isso estou sem blusa – disse corando.


- Sinta-se a vontade! – cruzou os braços e sorriu, mais uma vez, marotamente, depois riu abaixando a cabeça ao vê-la corada. Virou-se pra seu armário e tirou uma camisa branca, bem grande e jogou pra ela – deve estar limpa.


- Deve? – perguntou incrédula. Então começou a tirar a blusa, só que parou na barriga e olhou para o garoto – não vai virar?


- Até poderia, mas não vou. Brincadeira – acrescentou rindo da cara de brava de Lily. Então ela tirou a blusa que estava, e abaixou a cabeça para abaixar o zíper da calça bem na hora que Tiago arriscou uma espiada básica. E viu um pouco o corpo da sua ruivinha. Tinha curvas incríveis, mas antes que pudesse olhar mais ela levantou a cabeça e ele virou tão rapidamente a cabeça que estralou seu pescoço.


- Pronto – ela disse ainda corda. A camiseta branca de Tiago ficara até a meta da coxa da garota. Ele olhava abobado para ela – Ei, limpa a babinha do cantinho – disse rindo e passando o dedo no canto da própria boca em demonstração, ele rira marotamente. Então ela bocejou, já devia passar da meia-noite, e já estava exausta. Amanhã teria de acordar cedo pra ver se eles já tinham destrancado, então deitou na cama onde estava a bebida e a comida.


“Eu vou dormir. Se quiser fica ai acordado.”


- Você está na minha cama – Tiago disse.


- Tem mais três camas e o chão para dormir, fica a vontade – disse rindo, só que ele foi em direção à cama onde estava – Ah não, não, não! Sai daqui – estava tão cansada que nem se deu o trabalho de se levantar.


- Tem espaço pra dois aqui – ele disse sorrindo e deitando bem de frente a ela, a fim de ficar uma distancia de centímetros entre as bocas.


- Por quê? – Ela disse erguendo a sobrancelha.


- Só quero dormir perto de você – disse sorrindo e ela não pôde conter um riso. Então o olhou bem nos olhos e o beijou. Não foi simplesmente ele que a puxou para um beijo, mas ela. Ela passava a mão pela bochecha de Tiago e a outra estava depositada em seu tórax. Ele conservava uma das mãos atrás da cabeça, e a outra apertando levemente a cintura da garota. Foi um beijo calmo comparado aos outros roubados. Ela levantou o corpo um pouco para ficar quase em cima dele, e ele começou a passar sua mão na coxa e na bunda da garota, coisa que ele nunca fez antes. Então, depois de cinco minutos de beijo e acabando com selinhos ela sorriu, e ele viu pela primeira vez o sorriso dela depois de um beijo. Ela se acomodou sobre o peito de Tiago, com uma das mãos sobre ele, e ele com as duas mãos nas costas de Lily, abraçando-a. E assim adormeceram.


 


----------------------------------x----------------------------------


- Escuta! Pararam com os gritos – disse Anna apurando os ouvidos.


- Pois é! Devem estar se beijando agora – disse Sirius maroto. Agora estavam sentados assim: Pedro na poltrona sozinha, e já roncando, Carol e Remo em um sofá, ela passando a mão pelos cabelos dele distraidamente, e Carol e Sirius em outro sofá. Sirius com a cabeça do colo dela.


- Deveríamos seguir o exemplo do Pedrinho e dormir – disse Remo sonolento – já passa da meia-noite – disse consultando o relógio da Sala Comunal. Então Anna se acomodou no sofá juntamente com Sirius, fizeram conchinha para que desse certo. E Anna e Remo deitaram um de frente ao outro no sofá que estavam. Remo deu um beijo na testa de Carol e ela sorriu, colocou as duas mãos sobre o peito dele, e ela uma embaixo da cabeça, e outra na cintura dela. Sirius colocou uma mão sobre a barriga de Anna, e ela colocou as mãos sobre a de Sirius. E então adormeceram sem se preocupar com nada. Estavam felizes daquele jeito naquele momento. E os três casam foram dormir com um sorriso no rosto.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

N/A: AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH COMO ESTOU FELIZ WEEEEEEEEEEEEEEEEE. Então pissoal, eu estou feliz pelos comentários e pelas novas leitoras. Obrigada, obrigada, obrigada, muito mesmo. Obrigada novamente  B.Evans e Liana Bauer. Verdade né, mas o Tiago é um vagabundo, fazer o que, mas é lindo do mesmo jeito hm HUAHUAUAUHAUA Obrigada Bruna Rose Weasley pelo comentário e por estar lendo a fanfic, e também por estar gostando, é muito bom ler esses tipos de comentários *-* Enfim, o Natal está chegando então eu resolvi que os últimos dois capítulos, que tem a ver com o Natal, vão ser postados juntos. Amanhã vou postar o oitavo, que é do baile, e no dia 24 eu posto do Natal. É só um presentinho pra vocês que estão commigo desde o primeiro capítulo e para os novos *-* Obrigada mais uma vez. Xox.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 3

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Luuh Ams em 24/12/2012

oooooooooooowntt ameeeeeeeeei!!! muito perfeito!!!

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Annabeth Lia em 22/12/2012

ownnn, que lindos! Lily finalmente cedeu aos encantos de Tiago hahaha, e como poderia se aguentar mais não é? Com um Deus grego destes caidinho por ela... aiai, quem me dera! ♥
Amei o capitulo, muito muito muito mesmo! Doida esperando o próximo!  

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por B.Evans em 22/12/2012

owwn eu achei esse capitulo tão fofo *u*
 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.