FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

28. Pelos olhos da sétima pessoa


Fic: Os Sete Desafios


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________


Acordei sentindo um peso esmagador sobre meu corpo, cada músculo doía como se fosse alvo de uma maldição cruciatus! A luz desafiava as vidraças das janelas e atingia meus olhos em cheio, praguejando baixinho sai da cama, parecia que estive ali há séculos.


Escolhi uma roupa mais confortável, no entanto, elegante, assim como eu, e para finalizar, um casaco longo com botões em pentagramas, todo negro. Entrei no grande salão e respirei fundo, adorava o cheiro das torradas e calda de abóbora pela manhã, sorri, mais um domingo conturbado começava, depois da manchete polêmica do Profeta Diário sobre os ataques à comunidades trouxas, todo o clima de animação e ansiedade pelo grande jogo Sonserina Vs Corvinal fora derrubado por terra.


O silêncio era angustiante, como se cada bruxo presente no salão comunal estivesse em luto, mais uma vez a ausência do nosso diretor Albus Dumbledore era notória, desejava poder expressar minha animação, mas hesito e continuo no meu lugar, finalmente a minha casa iria a campo mostrar as habilidades superiores sobre uma vassoura, seríamos campeões, se ainda houver algum jogo pela frente, é claro.


Os aurores permaneceram no castelo, fazendo rondas, dando ordens, evitando confrontos e discussões entre alunos. Soube que o professor Snape também retonara, estreitei os olhos ao imaginar o que o fizera desaparecer por tanto tempo sem explicação, mas a julgar pela ausência de Draco Malfoy, poderia dizer que algo muito ruim aconteceu com o pequeno aspirante a comensal da morte.


Sentei na mesa cumprimentando com um aceno meus colegas de casa, todos estão tão absorvidos em seus próprios mundinhos que não conseguiriam enxergar uma serpente por debaixo de seus narizes, mesmo que esta fosse do tamanho do bazilisco que havia na câmara secreta.


Ninguém desconfiava de mim, não teriam por que desconfiar, acreditavam... tolos! Fora fácil enganar meus companheiros de casa, mas chegar até a câmara fora uma tarefa difícil.


Senti um frio estranho percorrer minha espinha, lembrar daquele lugar não me trazia lembranças agradáveis. Flashes retornavam em minha memória, o círculo de fogo mágico, fantasmas se levantando das profundezas, runas brilhando aos seus pés, seis adolescentes explodindo magias para todos os lados, flechas de fogo e minha varinha apontada para os dois últimos que estavam de pé... Harry Potter e Hermione Granger.


Senti meus músculos enrijecerem, não suportava os dois juntos, não aceitaria isso jamais!!! Desviei o olhar do meu prato ainda vazio para os mesmos seis adolescentes bruxos... cinco se contar com a ausência de Malfoy.


O primeiro que encontrei, foi Ronald Weasley, cabelos extremamente vermelhos, como seus irmãos, enchia seu prato sem pudor algum, chegava a formar uma montanha digna do Everest sobre a mesa enquanto conversava, ou tentava evitar conversar com as suas três Ex namoradas... Parvati, Padma e Lavender que o cercaram na mesa.


Balancei negativamente a cabeça, como ele poderia ter tantas garotas a sua disposição e mesmo assim fazer tudo o que fez pela Loony??? Desde que começaram a sair, ele afirma ver coisinhas voando por aí fazendo o mal e espalhando o terror pelos corredores... lamentável!


Este garoto era como um dos alvos mais cobiçados pelos comensais, cada membro ruivo de sua família o era, apenas o sobrenome já bastava para colocá-lo no topo da lista de traidores de sangue, como diziam os comensais da morte.


Não muito distante dele, sem tocar no seu prato de mingau de aveia estava sua irmã mais nova, a garotinha que o herói Harry Potter salvara no seu segundo ano em Hogwarts, a ingênua menina fora vítima dos planos daquele que não deve ser nomeado... era a única garota entre seis irmãos mais velhos, super-protegida e mimada, imagino eu.


Mas, algo muito suspeito aconteceu naquele dia, ela estava ao lado do Malfoy, mais tempo do que qualquer Weasley em estado de sanidade mental adequado poderia suportar. Eles explodiam em desafios e críticas um ao outro sempre que estavam juntos, mas quando separados mantinham um semblante extremamente triste, severo, sem animo algum.


Ao seu lado, dando-lhe apoio estava Colin Creevey, o jovem fotógrafo nunca escondera sua fascinação pela ruiva. Toda Hogwarts e acredito que metade de Hogsmead também saiba disso. Teve a idéia de montar um jornal para ela e Luna apenas para se aproximar ainda mais de Ginny.


Sentada de costas para mim, mas ainda assim tentando animar Ginny e a si mesma, estava Loony, conhecida entre os grifinórios como Luna Lovegood. Essa garota estranha de cabelos estranhos, jeito estranho, manias e palavras mais estranhas ainda, me deixava com os nervos a flor da pele, era angustiante ficar ao seu lado enquanto ela lia a revista do seu pai de cabeça para baixo enquanto murmurava musiquinhas malucas.


Certa vez, ela dissera que eu estava escondendo algo perigoso e falou que algo como espinhos de Hornitails ou parecido, estavam se espalhando por meus braços. Confesso que senti-me congelar, fiquei dias a esconder-me dela, teria ela descoberto a verdade sobre mim? Estreitei os olhos em sua direção, ela era uma ameaça.


Como se pressentisse minhas intenções, ela vira-se e sorri para mim com simplicidade, Mérlin quase derrubei minha taça com suco de abóbora nessa hora e desviei o olhar. Harry Potter e Hermione Granger foram os últimos a entrar no grande salão. A monitora-chefe me parecia abatida, mas não tão séria como o grifinório de cabelos pretos ao seu lado.


Ele não a soltava, seu braço esquerdo serpenteando a cintura de Hermione possessivamente enquanto localizava com os olhos onde estava Ronald Weasley. Ajeitou os óculos e sussurrou algo para Hermione que simplesmente assentiu e o acompanhou. Esta cena me deixou a ferver em curiosidade, o que estariam aprontando agora? Me assustei ao sentir brevemente a rosa desenhada em capricho sob meus pulso aquecer com um sutil brilho dourado. Os olhos de Hermione me encontraram rapidamente, mas para a minha sorte ela desviou o foco para Neville que sentara-se ao seu lado.


-Maldicão!!!!


Murmurei antes de me levantar da mesa e correr para o banheiro que a esta hora estaria vazio. Precisava controlar a raiva que sentia ao ver Harry Potter e Hermione Granger juntos... se dependesse de mim não continuariam assim por muito tempo.


......................Bellatrix Lestrange..........................


Harry pedira para Rony, Luna, Ginny, Neville, Seamus, Parvati, Lavender, Padma, os gêmeos, Lee Jordan e todos seus amigos para reunirem-se na sala precisa após o café da manhã. A ausência do diretor deixava os alunos ainda mais preocupados com o que o grifinório queria ao convocar essa reunião na sala precisa.


No final do café da manhã a professora McGonagall decretou a suspensão do jogo de quadribol, em luto, pois alguns jogadores do time corvinal perderam seus pais e não iriam jogar, além do choque de alguns sonserinos ao terem os nomes de seus pais listados como suspeitos pelas mortes.


Os sonserinos estavam sendo severamente hostilizados desde então pelos alunos das demais casas. Os aurores estavam com certa dificuldade em manter a ordem, especialmente quando Dumbledore não estava mais no castelo. Lupin, Tonks, McGonagal, Vector, Trelawney... todos estavam se empenhando para aliviar a tensão entre as casas.


Ao meio dia o Expresso Hogwarts estaria em Hogsmead a espera dos alunos que retornariam à Grã-Bretanha trouxa para velarem seus entes perdidos e um ar sombrio tomou conta dos ânimos dentro da escola.


Percebendo isso, Hermione olhava com cuidado cada um dos alunos que permaneceram no grande salão, todos pareciam deprimidos, amedrontados e soube neste instante que a idéia de Harry era a melhor opção para preparar os que ficaram para enfrentar os próximos movimentos de Voldemort.


Apertou a mão dele com força enquanto ouvia as palavras da vice-diretora em lamentação pelas vidas perdidas e anunciando que aqueles que desejassem permanecer em Hogwarts estariam protegidos pelos aurores, professores e pelo próprio Dumbledore, que neste momento estava cuidando da situação dos nascido-trouxa, que agora estariam órfãos.


Harry ouvia ao discurso triste da professora de transfiguração com atenção, sua expressão era concentrada, os lábios retos pela seriedade do momento, o coração disparado no peito, ele sabia que este seria apenas o começo para Voldemort, sentia raiva, medo, ódio e até um certo sentimento de culpa por tudo isso acontecendo.


Mas, desta vez ele não ficaria esperando o perigo chegar, ele desejava estar preparado, para lutar, para enfrentar o mal que os cercavam. Sua determinação ganhou ainda um significado muito mais especial, depois que conseguiu o perdão de Hermione, ela era a força que o impulsionava a buscar uma alternativa, uma saída para livrar todo o mundo bruxo da ameaça das trevas de uma vez por todas.


Lembrou-se do dia anterior, a angustia que sentiu durante a madrugada, ele sabia que Voldemort estava agindo, que perseguiria inocentes, especialmente se estes possuíssem alguma ligação com o famoso Harry Potter. Ele sabia que neste momento não poderia fazer muito, mas preparar seus amigos para protegerem-se e lhes permitir uma chance nesta guerra sombria.


Não demorou muito e logo seguiu para a sala precisa com Hermione ao seu lado direito, segurando firmemente sua mão em apoio, ao seu lado esquerdo Rony o acompanhava trazendo Luna e Ginny com ele. Seguindo o grupo, estavam Neville, Padma, Parvati, Lavender, Fred, George (esses dois para a surpresa de todos estavam sérios com semblantes preocupados no rosto).


Também estavam os seguindo, Colin, Dennis, Lee, Seamus, Susan Bones, Su Li, Comarco, Justin, Marietta... a maioria dos que permaneceram em Hogwarts com exceção dos sonserinos, para a surpresa de Harry haviam alunos até dos primeiros anos como o Kevin, irmão do Jason Stuarts.


Ao entrarem na sala precisa, esta parecia uma versão muito maior e sem mesas e cadeiras do grande salão, com espaço suficiente para todos os alunos. Esperou pacientemente todos entrarem na sala antes de se pronunciar claramente.


-Atenção todos vocês!


Gritou o grifinório antes de fazer um encanto amplificador de voz com sua varinha.


-Desde o final do verão, Voldemort está espalhando o medo no mundo mágico com seus seguidores, tomou o ministério, torturou aqueles que se mostraram contra sua obsessão doentia por poder, sacrificou inocentes e agora está atacando os trouxas que possuem alguma ligação com a comunidade mágica... o plano dele é tomar Hogwarts!!!


Depois dessa declaração todos estavam impressionados, alguns alunos revoltados começava a protestar que era absurdo Voldemort tomar o ministério e agora desejar Hogwarts que era o único abrigo que poderiam estar livre desses perigos. Os murmúrios tornaram-se mais altos e logo ninguém conseguia ouvir mais nada na sala.


-QUEREM CALAR A BOCA E DEIXAR O HARRY CONTINUAR???


Gritou Rony furioso e quase que de imediato todos silenciaram assustados.


-Obrigado Rony! Como estava dizendo ele pretendia enfraquecer nossa resistência afastando os nascido-trouxa da escola, para isso ele contou com o acesso do ministério aos arquivos dos familiares dos alunos e por isso houve o massacre de Londres na madrugada deste sábado!!!


O moreno pára para respirar fundo, sentia a própria raiva aumentar a cada nova palavra que pronunciava, olhou de soslaio para Hermione que balança afirmativamente a cabeça o incentivando a continuar.


-Dumbledore está providenciando os cuidados necessários para garantir que os nascido-trouxa ou meios-sangue continuem em Hogwarts sob seus cuidados, mas o ministério ainda resiste!!! Sozinho, nosso diretor não poderá enfrentar as ameaças que surgem por Voldemort, mas nós podemos nos preparar para ajudá-lo! Por isso os chamei aqui, desejo trazer a armada Dumbledore de volta!


O silencio se seguiu após a declaração de Harry. Todos trocavam olhares assombrados entre si, absorvendo as informações bombásticas dos últimos minutos. O medo e a tensão eram palpáveis, podiam-se ouvir um alfinete cair no chão de pedras quando uma voz conhecida levantou-se entre a multidão de alunos...


-Eu apoio a armada!


Todos os olhares seguem imediatos para o aluno lufa-lufa.


-Jason...


Murmura Hermione em choque. Os olhos de Harry estavam amplos em surpresa enquanto Rony trincava os dentes. Luna apenas sorri antes de se pronunciar.


-Eu também apóio a armada!


A loirinha sorri sonhadora ao segurar o braço do ruivinho que logo sente-se tranqüilizar.


-Estou com você Harry!


Diz Neville seriamente.


-Se existe alguém que eu nunca apoiaria, seria você-sabe-quem, estou com a armada!


Diz Justin se aproximando dos grifinórios encarando os demais alunos a sua frente.


-Não precisa perguntar duas vezes, estamos na armada!


Diz Colin com animação arrastando o irmão mais novo consigo.


-Um Weasley nunca abandona o campo de batalha!


Diz Fred colocando-se ao lado de Harry.


-Dois Weasleys arrebentam quando entram em campo!!!


Continua George ficando do outro lado do moreno.


-Três Weasleys são imbatíveis contra os comensais!


Completa Rony sorrindo de canto para os irmãos.


-Quatro Weasley... são invencíveis quando enfrentam o mal!!!


Conclui Ginny com os braços cruzados e um leve sorriso no rosto ao se juntar aos irmãos ruivos. Harry sorri com o apoio dos Weasleys, a família que praticamente o adotou no mundo mágico.


-Apóio a armada!!!


Diz Susan Bones e logo gritos de todos os lados a favor da armada se formam na sala precisa, ecoando o desejo de justiça. Apenas uma pessoa permaneceu assistindo a tudo em silencio absoluto, discretamente no final da sala... Cho Chang.


Depois de todos expressarem seu apoio à armada, Harry retorna a falar, explicando que treinariam sempre depois do jantar por duas horas e durante os fins de semana quatro horas de treinamento na sala precisa, que os grupos estariam divididos por anos.


O cronograma, feito por Hermione no dia anterior estava dividido em:


1-    Os primeiros e segundos anos estariam sob orientação de Neville e Luna;


2-   Os alunos do terceiro, sob a orientação de Ginny e Rony;


3-   Os quartos anos estariam sob a orientação de Fred e George;


4-   Os quintos anos com Hermione;


5-   E sextos em diante com Harry.


Treinariam durante a semana aprendendo novos feitiços de defesa e ataque e duelariam aos fins de semana. No entanto, antes de dispensar seus colegas, Harry pediu atenção uma última vez, surpreendendo a todos.


-Antes que vocês possam retornar as suas torres... eu preciso pedir algo muito importante a vocês!


Diz o grifinório seriamente, e dessa vez até mesmo Ron e Hermione estavam surpresos. O grifinório respirou fundo e seguiu para o meio da multidão de alunos antes de prosseguir.


-Como vocês sabem, Hermione Granger, minha namorada, melhor amiga e também minha companheira de aventuras, é uma nascida trouxa!!! Nessas últimas semanas, ela foi vítima de dois ataques arquitetados por comensais da morte na câmara secreta e no campo de quadribol...


Começa Harry deixando a todos estupefatos, Jason sente-se enfurecer, ao mesmo tempo que Harry falava sobre os ataques a Hermione, omitia o ultimo na própria sala precisa, provocado por ele.


-Ela é um dos alvos principais de Voldemort para chegar até mim! Ele assim como qualquer outra pessoa na comunidade mágica sabe que eu iria até o inferno por ela e machucá-la iria me levar a loucura...


Explica o moreno com um semblante sombrio.


-Eu consegui apagar as evidencias e documentos a seu respeito, mas, para que ela possa permanecer em Hogwarts em segredo sob o nome de Hermia Jane Evans, eu preciso que todos nossos amigos estejam sobre juramento mágico, para não revelar a verdadeira identidade dela!


Conclui o moreno diante de olhares preocupados em sua direção e em direção a Hermione que respirada profusamente desviando o olhar.


-Eu peço esse grande favor a vocês... porque eu não posso permitir que a tirem do meu lado!!! Eu preciso de Hermione comigo!!!


Insiste o escolhido quando McLaggen aparece a sua frente estreitando os olhos para ele.


-Não seria mais fácil você se afastar dela?


Hermione ofegou e Harry apertou a varinha com força em sua mão controlando-se para responder ao mais velho.


-Independente de Hermione ser minha namorada ou não, ela continua sendo a minha melhor amiga e Voldemort ainda vai caçá-la para atingir seus objetivos!


Diz Harry entre dentes.


-Talvez seja mais apropriado afastá-la de Hogwarts!


Anuncia Cho visivelmente transtornada, falava enfurecida pela declaração de Harry, ouvir o garoto que você ama dizer que ama outra, pedindo para ajudarem a protegê-la e a mantê-la ao seu lado... era demais para ela.


Todos olharam assustados para o comentário de Cho, Ginny segura Hermione que estava prestes a ir até a corvinal lhe dar uma bela lição.


-Se Hermione sair de Hogwarts eu sairei com ela!


Responde secamente o grifinório deixando a oriental estarrecida. Luna assistia a tudo apontando alguns Drifikies pela sala e logo Rony faz uma careta assustada, havia uma infestação de monstrinhos causadores de problemas ali dentro.


-Não é exemplo para um herói abandonar suas responsabilidades por causa de uma namorada!


Diz indiferente Jason que permanecia a uma distância considerável dos grifinórios. Dessa vez Harry não escondeu um grunhido feroz para o lufa-lufa.


-Eu não pedi para ser o maldito herói do mundo bruxo!


Vociferava para o monitor-chefe lufa-lufa, percebendo a tensão entre os dois, os alunos saem do caminho de Harry e Jason que agora se encaravam ameaçadoramente.


-Querendo ou não você é! Se pensasse na segurança de Hermione antes de pensar na sua dependência egoísta dela, não precisaria expor seus colegas a um juramento para protegê-la!


Acusa Jason descruzando os braços e seguindo até o grifinório.


-Você não sabe metade da história para me acusar dessa forma!!! Enquanto esteve “dormindo” na enfermaria enfrentamos um inferno aqui no mundo real!!! Precisamos de cada bruxo que possa segurar uma varinha para pôr um fim nessa guerra e não vou fugir quando estiver cara a cara com Voldemort, mas não são um idiota para arriscar fazer isso sem Hermione ao meu lado!!!


Responde perigosamente furioso o grifinório. Todos que assistiam a discussão sentiam-se impressionados com a resposta de Harry à Jason. O lufa-lufa bufou transtornado e levantou a varinha na altura do peito de Harry lançando-lhes um olhar mortal.


Todos alteraram-se e apontaram as varinhas para Jason prontos para protegerem Harry, que permanecia imóvel, apenas esperando o próximo movimento do outro monitor. Hermione já tinha a varinha em mãos e correu em direção aos dois empurrando os colegas do caminho para alcançá-los o mais rápido possível assim como Rony, Ginny, Luna e os gêmeos.


-Eu, Jason Stuarts, juro pela minha magia não revelar a identidade de Hermione Jean Granger enquanto for necessário pela sua segurança, dentro e fora de Hogwarts!!!


Bradou quando uma luz azulada saiu de sua varinha o envolvendo num extenso anel dos pés a cabeça até encerrar-se silenciosamente tão rápido quanto começou. Hermione ofegava quando alcançou Harry e Jason, a monitora olhava de um para o outro com preocupação em seus olhos, mas os dois continuavam a se encarar ameaçadoramente.


-Espero que mantenha sua palavra em protegê-la Potter!


Diz secamente Jason antes de se afastar, ignorando o fato de dezenas de varinhas apontadas para ele em defesa de Harry.


-Harry está tudo bem?


Pergunta Hermione se aproximando do moreno que apenas balança afirmativamente a cabeça voltando-se para seus colegas.


-Mais alguém tem alguma pergunta sobre isso?


Questiona severamente, mas ninguém ousa contestar o pedido do grifinório, momentos depois, todos os presentes na sala, completavam seu juramento e seguiam para seus salões comunais, tendo muito a conversar.


Na sala precisa, apenas ficaram, Harry, Hermione, Luna e Rony. Ginny seguiu para a biblioteca afirmando ter esquecido da sua lição de história da magia para segunda-feira. Os gêmeos tinham algumas idéias para treinar os alunos e a queriam colocar em prática, mas antes de irem entregaram um fraco com uma poção esbranquiçada e pastosa.


-Descobrimos algumas pistas sobre as relíquias da morte!


Anuncia Rony para os dois amigos.


-Professor Dumbledore me pediu para te entregar isso Mione!


Diz Luna entregando um livro de contos para Hermione que estreita os olhos em curiosidade sobre o antigo livro. Beddle o Bardo.


..............................Lúcius Malfoy.....................................


Ginny estava com o coração na mão enquanto seguia para a biblioteca, as coisas estavam a cada dia piores, os comensais estavam muito mais agressivos, o profeta trazia os nomes dos suspeitos, mas logo o ministério tratava de esconder e mascarar certas famílias nobres, especialmente os Malfoys.


Assassinatos, ameaças veladas e ataques bem diretos. Desde a reunião com Sanpe e o diretor Dumbledore as coisas ganharam tons completamente novos para a ruivinha. Draco ainda não retornara e o diretor estava fora de Hogwarts por tempo indeterminado.


Agora com a armada de volta e nenhum sonserino por perto as coisas estavam mais complicadas, ainda mais quando o Malfoy retornasse... respirou fundo e retornou a sua atenção para as ultimas estantes de livros empoeirados no final da biblioteca.


Puxou alguns pergaminhos da mochila e abriu um pequeno mapa desenhado à mão. Colocou sobre ele o anel de Draco e apontando a ponta da varinha sobre ele, murmurou um encanto antigo que descobrira num livro sobre feitiços.


Após o encanto, o mapa modificou-se completamente, revelando traços vivos e detalhados, várias câmaras e passagens secretas, nomes e instruções a cada corredor sob o papel amarelado surgiam aos poucos, especialmente quando Ginny passava o anel sobre o local desejado, recebia informações precisas sobre quem estava na ala e as formas possíveis para chegar lá.


Gemeu interiormente ao ver o nome de Draco na companhia de Lúcius e Bellatrix. Mas, ela podia sentir ao tocar o anel em forma de serpente a tensão naquele ambiente sombrio onde estava o sonserino. Mérlin como sentia falta dele!!!


Fechou os olhos por alguns instantes e visualizou o loiro de sorriso audaz e olhos cinzentos em suas vestes escolares nas cores sonserinas. Se concentrase ainda mais poderia sentir o perfume dele, a presença marcante de sua voz arrogante e até mesmo a expressão no seu rosto quando ela o provocava com um beijo.


-Sinto sua falta Malfoy!


Murmurou para si mesma e permaneceu longos minutos em silencio antes de recolher suas coisas e seguir sorrateiramente para as masmorras, foi diretamente para o escritório do Snape.


..........................Hogawarts........................


O resto do dia pareceu se arrastar lentamente na escola, a tensão no ar era sufocante, não poder sair do castelo era apenas mais um dos motivos que tornavam o ambiente tão difícil de se estar. Fechei meus olhos com força ao sentar num sofá da sala comum.


Estava a me recuperar do cansaço de ter de observar tantas pessoas ao mesmo tempo e aquela maldita rosa no pulso parecia pesar toneladas a cada novo movimento meu. Apesar do que qualquer outro pensaria, isso não me preocupa agora.


Todos aqui tem seus segredos, todos eles! Sejam alunos, professores e até mesmo os aurores... ou acham que não percebi como a metamorfa-maga se comporta perto do professor lobisomem? Comportamento completamente inadequado dentro dos muros do que deveria ser a melhor escola de magia e bruxaria de todos os tempos!


cansei de ficar aqui, é melhor dar uma olhada onde Ginevra Weasley está agora, essa garota está escondendo mais segredos do que qualquer outro bruxo dentro de Hogwarts! segui para a biblioteca, geralmente é lá que a ruivinha se esconde, mas para a minha surpresa, não se encontrava lá.


dando de ombros resolvi deixar a biblioteca quando Lavender Brown cruzou o meu caminho.


-Podemos conversar agora?


Sussurra a loira com um sorriso travesso.


-Claro, porque não?


responde naturalmente, no fundo desejava fugir de perto dessa grifinória irritante.


-Sua idéia foi simplesmente genial!!! O Won Won não teve como escapar das nossas exigencias, aho que vai ser questão de tempo para ele largar a Loony!!!


Falava a loira sem parar para tomar fôlego. suspirei em exasperação, pelo visto Lavender não iria largar do meu pé tão cedo. A não ser para comentar o retorno misterioso de Draco Malfoy no final da noite de domingo ao lado de um enigmático e sombrio Severo Snape.


....................Lily Potter.......................


Já se passava das dez, esta noite as rondas foram realizadas pelos aurores permitindo aos monitores grifinórios retornarem ao seu dormitório mais cedo. Harry e Hermione deixaram a sala precisa depois do horário do jantar, estiveram com Rony e Luna debatendo sobre as relíquias da morte a as horcruxes, mas não tinham conseguido muito progresso no entanto.


Enquanto Ron acompanhava Luna para encontrar Cho na torre corvinal. Harry levou a sua morena até o dormitório dos monitores em completo silencio, os corredores estavam mais silenciosos que o comum, até os fantasmas pareciam tristes.


-É como se todo o castelo estivesse de luto pelos alunos que se foram!


Murmura Hermione segurando mais forte a mão de Harry que guardava para si toda a ira de não poder fazer mais nada para impedir os avanços de Voldemort enquanto não descobrisse o paradeiro das Horcruxes e a sua ligação com as relíquias da morte.


-Eles vão voltar! Dumbledore não vai permitir que eles fiquem desamparados Mione!


Responde o grifinório apertando de volta a mão de Hermione, mas sem encará-la nos olhos. Ele se sentia de certa forma responsável por não enfrentar de uma vez o bruxo das trevas, sentia-se fraco e impotente em momentos como esse e tal sensação o desagradava demais.


-Harry... a culpa não é sua!


Diz a grifinória como se lesse a sua mente, deixando o moreno ainda mais tenso.


-Somente eu tenho o poder para destruí-lo Mione... acho que isso me trás algumas responsabilidades extras!


Rebate o escolhido secamente soltando a mão da monitora e entrando no dormitório que dividia com ela.


-Você já fez o impossível para deter Voldemort, desde o nosso primeiro ano, estamos fazendo tudo ao nosso alcance para acabar com a ameaça das trevas, mas não podemos evitar que coisas assim aconteçam, não temos o poder de controlar Voldemort, e se tiver de culpar alguém culpe ele!!!


Hermione diz corajosamente para Harry que permanecia de costas para ela enquanto seguia para seu próprio quarto.


-Não estou me sentindo culpado Mione... Eu nem se quer tive uma escolha... Voldemort consegue me fazer sentir responsável por cada nova demonstração crueldade sua, ele apenas está antecipando o que vai acontecer enquanto eu não o enfrentar!


Responde o grifinório impaciente finalmente olhando Hermione nos olhos. A monitora sentiu o peito apertar com o que enxergou através dos orbes esmeralda, havia tanta mágoa e dor... nenhum dos dois disse uma palavra depois disso.


-Harry...


Começa a grifinória, mas Harry a interrompe.


-Boa noite Hermione!


Harry afastou-se de Hermione e seguiu para o quarto. Preocupada a grifinória trocava de roupa imaginando porque agora Harry a afastava quando mais precisava de ajuda. Deitou-se permitindo que seu corpo se recuperasse do cansaço deste dia turbulento, perdendo-se num sono sem sonhos, mas, poucas horas depois, acordou em sobressalto ouvindo gritos desesperados de Harry no quarto ao lado.


Levantou-se num pulo, pegando a varinha na mão e correu desesperada até o moreno, seus pés descalços sobre o chão frio, o medo correndo através de suas veias, uma voz gritando em sua mente a deixando mais angustiada ainda.


Entrou de uma única vez no quarto de Harry e o encontrou preso em mais um dos seus pesadelos com Voldemort. Ele estava muito pálido, tremia violentamente assustando a monitora.


Sentou-se ao seu lado e segurou o rosto de Harry entre as mãos e aproximou o rosto dos dois até suas testas se tocarem e suas respirações cruzarem-se quentes e ofegantes.


-Harry!


Chamou suavemente Hermione sentindo o moreno agarrar seus braços com força enquanto obrigava-se a aordar.


-Harry está tudo bem... apenas abra os olhos e se concentre em mim!


Insiste a grifinória e Harry imediatamente obedece. os dois sentem uma corrente eletrica atravessar seus corpos no momento que seus olhares se encontram.


Os dois permaneceram assim em silencio, comuniando-se através do olhar, até Harry sentir a respiração normalizar e os batimentos cardíacos desacelerarem gradativamente. percebendo que agora o moreno estava mas calmo, Hermione levantou-se em busca de um copo com agua para ele, mas Harry levanta-se bruscamente atrás dela sem conseguir ficar longe daquela que o tranquilizara momentos antes.


-Me perdoa por descontar tudo em você Mione!


 Pede o escolhido a puxando para seus braços e encostando seus rostos como a instantes atrás ela fizera para o fazer acordar, os dois fecham os olhos abandonando-se nos braços um do outro.


-Estamos sob muita pressão Harry, eu não o culpo por explodir assim... até mesmo com esse seu jeito impetuoso e mau-humorado, eu continuo me apaixonando cada vez mais por você!!!


Mesmo com os olhos fechados, ele podia sentir o rostinho da grifinória esquentar em suas mãos, sabia que ela estaria completamente vermelha agora, seu coração tão acelerado quanto o dele seu perfume preenchendo o pequeno espaço que ainda os separava e sorriu.


Sentiu o coração pular batidas ao percebê-la ofegar, o som maravilhoso daquele sorriso deixava Hermione sem ar, o corpo dela estava tão próximo ao de Harry que ele podia sentir como se correntes elétricas o atravessassem quando a pele suave da monitora tocavam a sua.


Mérlin, como ansiava por tê-la só para ele, este dia pareceu demorar uma eternidade para passar, a semana inteira fora arrastada e extenuante demais, repleta de problemas, mistérios e segredos que o deixariam completamente alienado se não fosse pela presença dela ao seu lado.


Ela era a ancora que o prendia ao mundo real, o seu sorriso, o brilho de seus olhos quentes, seus carinhosos abraços e preciosos conselhos eram os principais responsáveis por mantê-lo são. Por mantê-lo de pé, Hermione era sua força, seu maior trunfo e ao mesmo tempo seu maior ponto fraco.


Lentamente Harry se afastou e beijou a testa de Hermione demoradamente, com total adoração, desceu e depositou um segundo beijo sobre o nariz pequeno da grifinória, que sorriu sentindo seu corpo estremecer com tamanha demonstração de carinho.


Por fim, abrindo os olhos ele traçou com os dedos o perfil delicado do rosto dela gravando em sua memória a imagem mais perfeita que seus olhos já encontraram. Da mesma forma que ela prendia em sua memória cada pequeno detalhe dele, seu cheiro, seu calor, os arrepios que sentia quando ele dizia seu nome... Harry tornara-se seu mundo.


O grifinório respirou fundo. O seu peito aqueceu ao senti-la tão entregue, tão sua como jamais ninguém seria. Uma lágrima correu pelo olho direito de Hermione que mordeu o lábio inferior com força, ela ainda sentia medo, assim como ele, a incerteza do amanhã os empurrava contra a correnteza do mundo bruxo e a decisão definitiva dos pais dela.


Com o polegar ele enxugou a lágrima e roçou seus lábios nos de Hermione ternamente, suave e quente, sem pressa, saboreando a maciez da boca da grifinória. A sentiu suspirar enlaçando seus braços no seu pescoço o puxando para si desesperadamente, interrompendo toda a tranqüilidade entre eles.


Os dois demoraram horas perdidos nos beijos, as mãos de Harry desciam lentamente do rosto de Hermione percorrendo seu pescoço, seus ombros nus até derrubar as alças finas da camisola que ela usava, estava se deixando guiar por seu desejo e não conseguia mais controlar-se.


A pele da grifinória arrepiou sob o toque de Harry e suas mãos agarraram as mangas da camisa dele com força e ficando nas pontas dos pés apertou ainda mais seu corpo contra o dele. As mãos de Harry detiveram-se na cintura dela a afastando do beijo para que o olhasse nos olhos.


Os olhos castanhos estavam enevoados de desejo e os lábios da grifinória encontravam-se vermelhos e inchados deixando Harry louco de vontade de beijá-la mais e mais.


-Eu te amo!


Declara num sussurro rouco sem desviar seus olhos dos dela.


-Eu te amo infinitamente mais Harry!


Responde Hermione com os olhos hipnotizados pelas esmeraldas dos olhos de Harry. Sem precisarem de mais palavras ele voltou a beijá-la a guiando a passos leves até a cama. Esta noite só existiriam Harry e Hermione, sem espaço para ninguém mais, a magia que os envolvia era valiosa demais para compartilhar com medos, mortes e ameaças do mundo exterior.


................................Rita Skeeter..............................



Demoreiii horrores eu reonheço mas meu tempo está mega limitado T_T mas, não poderia deixar de passar por aqui e postar meis um apítulo que anda meio inompleto aguardava ser postado XD


Rosana Francooooooo meninaaaaa *-----------* seu coment me motivou a adiantar o post deste capítulo hoje, gostou do capítulo???? Alguma crítica ou sugestão???? Muito bom ou muito ruim as informações sobre a sétima pessoa??? O que achou de tudo??? comenta pleaseeeeee!!!


Shell Weasley, Coveiro-sensei, Alylyzinha, Angeline, Bruna Jean Granger Hale Cullen Potter... onde vocês estão??? Porque não comentaram???? @_@


 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 4

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Shell Weasley em 26/06/2012

Desculpas por nao ter comentado antes Mariana (Ferias chegando correria total com escola), mas prometo nao demorar mais;) MAASSS ownn que fofo o finalzinho HHr! A-M-E-I! Sobre o capítulo anterior como a Luna teve coragem de deixar o Roniquinho sozinho com aquelas... Aquelas... Senhoritas Make Up? Tá certo que ela demonstrou confiança pelo ruivo, mas eu nao confiaria NELAS.
Aiiii quem e a sétima pessoa? Pelo que pude entender ou ela e da Corvinal ou e da Sonserina... Cho Chang continua a primeira na minha listinha de suspeitas... Mas da Sonserina? Humm Pansy Parkinson?
Capítulo MARA ANSIOSA esperando o próximo!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por fernanda em 24/06/2012

Nossa sua fic é muito boa,tanto que começei a ler e não consegui mais parar,adoro Draco e Gina(mesmo gostando mais de DRaco e Hermione),só o nome da Hermione que ficou muito parecido né? se a finalidade era esconde-la deveria ter colocado um nome diferente,pois Hermia Jane Evans já que Evans é o nome de solteira da mãe do harry Hermia é só uma diminuição de hermione.

Quando ao Jason ainda não consegui "pegar" qual é a dele eu achava que ele era o setimo,mas sei não acho que pode ser talvez alguém da sonserina tipo Pansy ou Zabini.

Sua fic não é daquelas em que o obvio acontece,por isso que fiquei meio "triste" quando a nova missão do Draco era matar Dumbledore afinal em toda fic essa é a missão dele.

E quando o pessoal vai começar a acreditar na Luna,ela é uma das minhas personagens preferidas sabendo de tudo e não falando nada...tem uma parte que ela diz que espera ser capaz de cumprir o desafio dela(pois pelo que entendi ela já sabe o que é)..espero que seja algo grande.

Ok por hoje chega!


 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Coveiro em 23/06/2012

mais um capitulo muito empolgante. Louco pelo proximo.
Foi mal aa demora, mas é que ando sem tempo com o fim da facul e o tempo q sobra vai pra minha fic
Mas ainda continuo aqui lendo e adorando sua fic.
E ai gosto do meu final?

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por rosana franco em 22/06/2012

Se curiosidade matar eu estou com as horas contadas!!!Quem é a sétima pessoa?O Jason me da nos nervos!!Adorei o capitulo!!!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.