FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

26. Ciúmes


Fic: Os Sete Desafios


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________


Os dias seguintes se passaram bastante tensos em Hogwarts, especialmente para o trio de ouro que reuniam-se todas as noites para discutir sobre as Horcruxes e o que aconteceu a Jason Stuarts e Cho Chang.


Luna permanecia com a missão de cuidar de Cho, Rony sempre deixava os amigos na biblioteca depois do jantar para suas aulas com McGonagall. Gina no entanto estava a cada dia mais distante e distraída, há dias Draco não retornara à Hogwarts, assim como Snape e estranhamente Blaise Zabini.


O jornal de Hogwarts foi um grande sucesso, todas as alunas solteiras tinham o seu exemplar para concorrer ao encontro com os três mais gatos de Hogwarts, a reportagem sobre Ginny enfrentando Zabini também chamou muita atenção bem como o fato da declaração escandalosa de desculpas de Rony mal foi mencionada.


O profeta diário chegava todos os dias anunciando mais e mais adiamentos ao julgamento de Bellatrix Lestrange, o ministério ainda permanecia a acusar Hagrid de traição, mesmo assim nenhuma pista sobre o gigante fora encontrada até agora.


Remus encontrava-se com Harry durante as tardes para conversar sobre a situação dos pais de Hermione bem como sobre os avanços nas buscas das Horcruxes. Jason permaneceu inconsciente na enfermaria sem sinal de melhora. Lupin chegara a afirmar que não era um caso de licantropia, mas algo muito próximo a isso que deixou o trio de ouro ainda mais preocupado com a situação do lufa-lufa.


..................................Hermione Granger.....................................


Hermione dedicou todas suas horas livres a ler mais e mais livros sobre transformação mágica, feitiços imperdoáveis e rituais das trevas, associando isso às aulas e deveres de monitora-chefe estava mais do que estressada nesses últimos dias.


Suspirou pesadamente fechando mais um livro que se mostrara inútil para o que buscava. Com uma pena na mão rabiscou algumas notas sob o pergaminho, era um ensaio de transfiguração para a próxima semana, do outro lado do livro, sua lição de runas para o final do mês ainda estava incompleta e isso deixava a grifinória em desespero, ela quase queria chorar por isso.


Desistindo de pesquisar sobre maldições ela toma um livro de criaturas mágicas, lembrando-se da condição de Jason Stuarts. Ele não dera nenhum sinal de melhora... deixara muitas perguntas sem respostas desde então, em seguida seus pensamentos voltaram-se para Cho... as palavras de Draco ecoavam em sua mente, ela ainda não conseguia usar magia e usava de todos os artificios para que Harry estivesse sempre ao lado dela.


Hermione morde o lábio inferior ignorando a pontada de ciúmes da corvinal, depois desses problemas a grifinória passava maior parte do tempo na biblioteca enquanto Harry iria a treinos de quadribol, reuniões com Dumbledore e Lupin... e Cho o perseguia todo esse tempo!


Suspirou novamente balançando a cabeça, olhou de volta para a janela, também estranhava a demora de Krum para responder sua mensagem assim como o desaparecimento repentino do Malfoy.


Quase uma semana inteira sem notícias dele. Hermione desconfiava que algo acontecera na mansão do sonserino, especialmente depois de observar o comportamento de Ginny, ela estava sempre triste, sem o brilho de vida que somente ela possuía.


Ele estaria com os comensais, não haveria outra resposta! Preocupou-se com Draco, ninguém merecia estar cercado por montes de monstros sem vontade própria, nem mesmo ele, mas também preocupava-se com Ginny, ela ainda era uma menina frágil, mesmo que não deixasse ninguém perceber isso.


Hermione desviou os olhos para a janela, era uma manhã livre (sem aulas de Snape) desejava estar com Harry e Rony na beira do lago negro conversando sobre qualquer coisas, menos a guerra que os esperava mais cedo ou mais tarde.


Ela estava concentrada em um dos livros da seção restrita, quando Harry chega furioso ao seu encontro.


O grifinório de cabelos negros ajeitou os óculos novos (que conseguira com Sírius para não chamar tanta atenção) sob os olhos com irritação antes de sentar-se diante dela jogando com tudo um grande pacote sobre a mesa entre eles.


Hermione levanta os olhos assustada com a chegada grosseira de Harry e seus olhos localizam imediatamente o pacote sobre a mesa endereçado à ela... por Viktor...


-Krum?


Questiona a grifinória num fio de voz.


-Sim Hermione!!!  Que raios esse cara quer te enviando livros sobre magia das trevas???


Vociferava o moreno batendo as mãos em punhos sobre a mesa estreitando os olhos para a monitora-chefe.


-Harry eu pedi para ele me ajudar...


Ela começa, mas o grifinório a interrompe nervoso.


-Eu não sabia que ainda trocavam cartas românticas Hermione!!!


Acusa o moreno com raiva respirando pesadamente, estava visivelmente alterado, possesso de ciúmes, quando encontrou Edwiges em seu dormitório segurando o pacote e o pergaminho não esperava que fossem do Viktor Krum.


-Ele é meu amigo Harry!


Diz a monitora impaciente levantando e encarando Harry nos olhos.


-Um amigo que envia esse tipo de “carta” e “presentes”??? Ele está flertando descaradamente contigo a carta inteira!!!


Questiona Harry fora de si apontando para o pacote com os livros e o pergaminho com uma mensagem um tanto carinhosa demais para a SUA Hermione.


-Você não tinha o direito de abrir uma correspondência minha Harry!


Acusa Hermione pasma com a reação de Harry. O grifinório tornara-se mais possessivo depois do ataque na sala precisa, mas seus ciúmes estavam ficando fora de controle.


 -Eu pensei que não haveria mais segredos entre nós Hermione!!!


Repreende Harry sentindo uma pontada dolorosa dentro do peito. Hermione escondera dele que ainda trocava cartas com o jogador búlgaro e agora ele se sentia traído.


-Harry não há segredos! Eu disse a você sobre as minhas suspeitas!!!


Diz Hermione lançando-lhe um olhar preocupado. Ambos estavam em seus limites, esta semana fora desgastante o suficiente para deixá-los sobrecarregados e descontando sua raiva um no outro. Rony fora o primeiro e logo deixou os amigos buscando paz na companhia de Luna.


A rotina constante de estudos, pesquisas, procura pelas horcruxes e respostas para os desafios revelava-se mais complexa do que qualquer um deles poderia esperar.


-Não me contou que o Krum ainda tem esperanças de ficar com você!!!


Rebate irado o grifinório sentindo o coração apertar.


-Eu nunca o dei esperanças Harry! Por favor, não pode se deixar levar pelos seus ciúmes!!!


Defende-se Hermione alterando a voz.


-Não são ciúmes!


Sibilava o escolhido furioso.


-Então não confia mais em mim?


Desafia Hermione sentindo-se magoada com a reação explosiva de Harry.


-Eu... não sei mais Hermione!


Responde com um tom de voz cortante, estava magoado demais para tentar conversar com sua namorada agora, sem olhar para trás ele deixou a biblioteca, pegou sua firebolt e seguiu para o campo de quadribol, precisava pensar com clareza, tirar os pensamentos desse caos, precisava de paz.


Do outro lado da biblioteca Cho sorria sentindo-se vitoriosa diante de uma Hermione segurando as lágrimas que teimavam em arder sob seus olhos.


Ele negaria eternamente, mas... Sentiu ciúmes, muitos ciúmes, a raiva que sentia de Jason não chegava perto da ira que sentia pelo búlgaro. Viktor Krum era um jogador impressionante, extremamente rico, obscenamente talentoso, de família nobre e influente, as garotas ficavam loucas por ele, e não tinha nenhum psicopata das trevas o perseguindo, sempre fora apaixonado por Hermione e fazia questão de deixar isso bem claro para toda a comunidade bruxa.


Os comentários de Henry Cromwell eram apenas um dos exemplos disso. Fechou as mãos em punhos ao lembrar que perdera a chance de levar Hermione para o baile de inverno porque Krum o fez e depois de vê-la tão linda para o maldito búlgaro o fez corroer-se do que na época chamou de raiva e hoje atendia por ciúmes.


Apesar da grifinória deixar bem claro para Harry e Rony que eram apenas amigos, Krum continuava a cortejá-la e enviar-lhe pequenos presentes especialmente livros de todos os lugares do mundo que visitava durante a temporada de jogos, isso não incomodava Harry antes, mas agora o deixava louco.


Depois dos últimos acontecimentos, Hermione tornara-se a figura mais valiosa da sua vida, sua presença, sua segurança, seu carinho, seus cuidados, seus beijos eram o que mantinham Harry com os pés no chão, ela era a própria voz da razão para ele. Harry entregou o seu coração para ela, Hermione era a única certeza constante em sua vida conturbada e o desesperava a idéia de perdê-la.


A pressão de ter de enfrentar Voldemort, o desaparecimento do seu amigo Hagrid, o vínculo que envolvia seus amigos, os comensais da morte querendo acabar com a paz no mundo mágico e trouxa, as Horcruxes, a corrupção no ministério, os desafios que ainda não levaram a lugar algum, a transformação absurda de Jason, um bruxo das sombras a solta por Hogwarts...essa pressão o afundava num mar de incertezas e inseguranças do qual somente ela poderia resgatá-lo.


Ele não suportava mais, inferno, ele só tinha dezesseis anos, não tinha nada além de montes de histórias fantasiosas sobre ele como se fosse um super herói com habilidades natas para destruir senhores das trevas, tinha pessoas apostando suas vidas nele, amigos arriscando-se todos os dias para acabar com essa guerra, mas ainda não passava de um adolescente completamente perdido, confuso e até mesmo inseguro com tanta responsabilidade em suas mãos.


Ele não desistiria de lutar para derrotar as trevas, isso era certo, não abandonaria o campo de batalha por causa de suas incertezas, afinal ele era um grifinório como seus pais, Harry era justo e nunca permitiria que a maldade prevalecesse enquanto ele tivesse a chance de impedir. Ele desejava com todas as forças o fim desta guerra, mas suas esperanças foram cruelmente corrompidas pela profecia.


Ele teria que morrer? E se não conseguisse deter Voldemort? E se a profecia não fosse verdadeira? E se ele caísse em alguma armadilha? Esses “e se’s” o atormentavam todas as noites. Depois que contara a Rony e Hermione sobre sua reunião com Dumbledore não teve mais chance de conversar sobre seus temores com a monitora, não houve uma única oportunidade para desabafar, revelar seus anseios para ela como sempre fazia.


A grifinória virava noites em claro com seus livros, buscando respostas, pistas, significados para ajudar na busca dos pedaços da alma de Voldemort, buscando uma forma de burlar a profecia e garantir mais chances para Herry. Seus amigos estavam se esforçando para ajudar, assumindo riscos e levando o peso dessas responsabilidades para eles mesmos.


A própria Hermione daria a vida por ele sem pestanejar e essa idéia o deixava desesperado. Ele apenas desejava uma vida normal, desejava fazer planos para o futuro, passar mais tempo com seu padrinho, viajar para outra copa com Rony e os Weasley, terminar seus estudos em Hogwarts, formar-se Auror, casar com Hermione e ter muitos filhos inteligentes como ela, com os mesmos olhos de sua mãe Lily e travessos como os marotos, queria construir a família que sempre desejou possuir.


Mas agora ele temia, não poderia arriscar-se quando as conseqüências cairiam sobre Hermione, não poderia fugir quando sabia que deixaria seus amigos como os alvos mais óbvios de Voldemort especialmente agora que o ministério desejava tomar a escola. Sentia-se encurralado pelo destino, sem escolhas, apenas um caminho a sua frente... a morte.


..................................Harry Potter.......................................


Ginny mais uma vez deixou o café da manhã de lado com uma expressão triste no rosto, não tinha ânimo para dois horários seguidos de história da magia. Até mesmo os gêmeos tentaram de tudo para fazer a caçula sorrir e não conseguiram nada além de um aceno negativo da ruivinha.


Sentia tanta falta de Draco que chegava a doer seu peito com a ausência do sonserino. Não tivera uma única notícia dele desde a noite de sábado, a lembrança da carta que ele lhe deixou a fazia estremecer por dentro. Ele falava como se não houvesse mais salvação para ele, e entregava à ela todos os segredos mais valiosos que possuía.


Respirando fundo a ruivinha vira o corredor até chegar à biblioteca. Passava horas e horas ali, ajudando Harry, Rony e Hermione com as suas pesquisas sobre o vínculo ou andando com Luna e Cho, mas a oriental não era uma companhia muito agradável e estava sempre a criticar Hermione, por isso a Weasley preferiu seguir para a biblioteca (para a sua sorte Hermione convencera madame Pince de que nenhum dano aconteceria aos seus livros).


Ao entrar esbarrou em Cho.


-Hey garota olha por onde anda!


Reclama a oriental empurrando Ginny que estreitou os olhos para ela. Onde a corvinal ia com tanta pressa??? Sem Luna??? Deu de ombros e seguiu ao encontro de Hermione. Sentiu o coração apertar, a monitora estava chorando.


-Mione o que aconteceu?


Questiona Ginny sentando-se ao lado da amiga que tinha o rosto vermelho e os olhos cheios de lágrimas.


-Harry...


Murmurou entre soluços Hermione jogando o pergaminho de Krum sobre a mesa enquanto tentava enxugar as lágrimas.


-Isso é do Viktor Krum?


Pergunta a Weasley com os olhos ampliados em choque ao ver a assinatura ao final da carta. Só aquela assinatura faria a carta valer galeões!!! Agora tudo fazia sentido, Harry tivera uma crise de ciúmes. Ginny levou a mão ao ombro da amiga em apoio.


Ela sabia os motivos que levaram Hermione a pedir a ajuda de Viktor e também desconfiava da oriental, acreditava que Draco não se enganaria com uma maldição criada pelos seguidores de Voldemort... e agora a saída apressada de Cho Chang da biblioteca fazia todo o sentido do mundo.


-Vai atrás dele Mione!!! E explica tudo, se ele se recusar a ouvir obrigue-o!!! Mas não deixe que a Cho o alcance primeiro!!!


Ordena a ruivinha com determinação recebendo um olhar incrédulo da monitora.


-Cho?


Questiona Hermione piscando os olhos com força.


-Esbarrei com ela quando entrei e pela pressa acho que ela foi atrás do Harry!


Diz a Weasley estreitando os olhos e levando as mãos à cintura.


-Oh não!!! Ela vai aproveitar do caos na mente do Harry para envenená-lo!!!


Diz Hermione com uma nova onda de soluços levando as mãos sobre o rosto em lamentação. Tal reação fora completamente oposta ao que Ginny esperava da brilhante Hermione Granger. Ela já não agüentava mais tudo isso.


Todos os lados para onde olhava seus amigos estavam tristes, sofrendo, envolvidos com mistérios perigosos que ela ainda não tinha conhecimento, a cada dia que se passava via Harry, Rony e Hermione mais e mais sérios, sombrios, estressados e muito desgastados, ela sabia que algo muito ruim estava acontecendo.


Ginny não era cega, apesar de estar sofrendo com a ausência de Draco ela sabia que ficar parada, chorando e lamentando não adiantaria de nada. E não permitiria que a amiga sofresse quando o grande amor da sua vida estava bem ao seu lado, ao seu alcance, não era justo.


-Chega Hermione Jean Granger!!! Você não é nenhuma menininha indefesa, você é a bruxa mais inteligente de todos os tempos, a aluna mais brilhante de Hogwarts, é forte corajosa e é a única capaz de colocar um mínimo de juízo na cabeça de Harry Potter!!! Então levante-se daí agora e trate de levá-lo para longe da Chang!!!


Bradou a grifinória ficando de pé e chamando a atenção de Hermione que a fitava em estado de absoluta surpresa. Esta era mesmo Ginevra Weasley? A menininha tímida e indefesa que conhecera há anos atrás? Ginny crescera e mostrava isso a cada nova atitude sua. Ela era uma grifinória de coração e acima de tudo dona de uma personalidade orgulhosa, herança Weasley.


Com um sorriso agradecido Hermione abraça Ginny com força, estava feliz pela grande amiga que se tornou nesses últimos anos. E enxugando as lágrimas deixou a biblioteca seguindo em direção ao campo de quadribol, sabia que ele estaria lá, na companhia de sua firebolt e não permitiria que Cho a afastasse ainda mais de Harry.


Ginny estava satisfeita por ter convencido Hermione a acertar as coisas com Harry e permaneceu arrumando os livros da monitora dentro da mochila até encontrar a carta de Krum. Curiosa ela morde o lábio inferior em dúvida até ceder e sentar-se olhando desconfiada para ambos os lados antes de começar a leitura.


“Hermione...


Não sabes a grande surpresa que foi para mim, receber sua mensagen há poucos dias atrás. Peço-lhes desculpas pela demora, mas aqui na Bulgária as coisas também não estão tão tranqüilas, há vários ataques a povoados bruxos e trouxas sob a ordem dos comensais da morte.


Minha família tem usado de sua influencia para abrigar em nossas terras algumas famílias trouxas e gostaria de estender este convite a você. Seu amigo, o Potter, está no olho do furacão e não desejo que estejas com ele no momento da ultima batalha, quero protegê-la Hermione.


Mas, conhecendo-a tão bem como conheço, acredito que continua a mesma menina, doce e corajosa que é incapaz de abandonar seus amigos mesmo que signifique assumir todos os riscos. Agradeço a Mérlin por sua inteligência, por ser independente o bastante para saber como proteger-se melhor que muitos de nós, puro-sangue.


Caso contrário me veria obrigado a deixar tudo para trás e tirá-la à força de Hogwarts! Sua segurança é importante demais para mim, não desejo imaginar o que seria capaz de fazer se algo a acontecer.


Envio todos os livros que tenho e ainda alguns que comprei de um velho amigo, espero poder ajudar em sua busca Hermione, por favor, não me deixe sem notícias suas.


Suas cartas são como bálsamo em tempos de luta. Anseio pelo dia que poderei reencontrá-la e cobrar a ultima dança que não tivemos no baile de inverno e quem sabe depois de tudo finalmente concorde em me dar uma chance!


Cuidado sempre.


Viktor Krum”


Ginny soltou o ar dos pulmões com força.


-Nossa! Esse cara é mesmo louco pela Mione desde o quarto ano...


Murmura Ginny preocupada, já não bastava Jason, agora Viktor Krum também perseguiria a sua amiga? Esse definitivamente não era o melhor momento para criar desavenças entre o trio de ouro.


..............................Ronald Weasley..................................


Luna lia a nova edição do Pasquim quando Rony a encontrou sentada a beira do lago negro sob as sombras do velho carvalho. Ela tinha um semblante preocupado ao ler a ultima matéria de seu pai sobre os contos antigos.


Seus longos cabelos loiros caindo graciosamente sobre os ombros e colo enquanto tentava entender alguns desenhos nas páginas seguintes, estava tão concentrada que não percebeu a chegada do namorado.


Rony sentou-se ao lado da namorada impaciente, respirando pesado e praguejando baixinho como tudo de ruim acontecia com ele. Mas, quando Luna não lhe deu a menor atenção, o grifinório preocupou-se, ela sempre lhe ouvia atentamente e o aconselhava enquanto o enchia de mimos e sorrisos.


 -Luna?


Chamou o Weasley levantando uma sobrancelha em curiosidade para descobrir o que ela estava vendo.


-Oh Ronald!


Surpreende-se a loirinha respirando fundo ela levanta os brilhantes olhos azuis ao namorado com um pequeno sorriso.


-Faz muito tempo que chegou?


Pergunta distraidamente a corvinal apoiando a cabeça no ombro do ruivo, que envolveu os ombros pequenos da loirinha com seu braço.


-Não muito, mas... o que estava vendo aí?


Pergunta mais tranqüilo ao sentir o aroma suave dos cabelos de Luna o envolvendo, era incrível que apenas a sua presença já era o bastante para fazer todos seus problemas desaparecerem.


-Meu pai disse que iria nos ajudar a enfrentar o grande mal, e me enviou essa edição sobre lendas bruxas!


Explica a corvinal apontando para as histórias e os desenhos nas páginas da revista. Rony fez uma careta ao ver o desenho de um medalhão esquisito e uma varinha, mas paralisou ao ver uma capa...


-Parece a capa do Harry!


Murmura o Weasley apontando para a figura.


-Sim, é uma das relíquias da morte e papai acha que os comensais irão atrás delas!


Anuncia Luna levantando o rosto com uma expressão preocupada. Em outros tempos diria que Luna e seu pai eram malucos e que enxergavam alucinações bizarras por aí.


Mas, o grifinório aprendeu da pior forma que cada palavra da sua Luna, eram a mais pura verdade, ela dificilmente estaria enganada sobre algo ou alguém, pois ela enxergava mais além do concreto, dos objetos, ela enxergava a magia em sua forma mais rara, ela lia as emoções das pessoas através de seus lindos olhos sonhadores como ninguém mais conseguiria.


-O que os comensais iriam querer com essas coisas se não passam de lendas?


Questiona Rony um pouco incerto.


-A capa do Harry não é somente uma lenda, ela é bem real!


Argumentava Luna com um sorriso misterioso.


-Tudo bem, se por acaso eu acreditar nisso... então o que significam essas coisas?


Pergunta o grifinório bagunçando os cabelos ruivos enquanto ouvia atentamente a explicação de Luna, ele sabia melhor do que ninguém que deveria se ter o máximo de atenção para entender o que a Lovegood realmente tinha a dizer.


-São heranças da morte muito antigas e preciosas que perderam-se através dos tempos, quem as possuir teria o poder de enganar a morte e os comensais as desejam para “ele”!


Explica a loirinha seriamente enquanto Rony sentiu um calafrio percorrer sua espinha.


-Então precisamos encontrar todas elas antes que você-sabe-quem!!!


Conclui Ron em alerta.


-Concordo, mas há um grande problema...


Interrompe Luna franzindo ligeiramente a testa em concentração.


-Elas foram perdidas há muito tempo, as pistas sobre seu paradeiro são escassas demais, temo que os Wrackspurts as tenham escondido muito bem de olhos curiosos!!!


Refletia a loirinha, mas Ron apenas sorri, ela ficava realmente linda assim, dando um beijo rápido nos lábios da namorada antes de levantar e estender a mão para ela.


-Vamos! Temos que falar sobre isso com o Harry e a Mione!!!


............................Bill Weasley...........................


Cho procurava por Harry no campo de quadribol, estava ofegante, mas determinada à achar o garoto, ao vê-lo no ar sob sua firebolt praguejou baixinho, olhou para as vassouras no interior dos vestiários e suspirou exasperada, sem magia ela não conseguiria subir um único centímetro do chão.


Ela teria que encontrar outro jeito de chamar a atenção do grifinório sem levantar suspeitas de que o tinha seguido. Mas, o que ela faria? Não poderia chegar ali sem mais nem menos, e precisava de uma desculpa convincente acompanhada por algumas lágrimas, pois, sabia que Harry odiava vê-la chorar.


Pegou a varinha nova jogou sobre si um encanto para deixar o rosto vermelho enquanto forçava lágrimas dolorosas sobre as bochechas antes pálidas. Ensaiou alguns soluços antes de sair correndo aos prantos sobre a arquibancada grifinória (a mais próxima a Harry).


Sentou-se propositalmente no banco mais alto, onde o sol iluminava os longos e sedosos cabelos negros, e cobrindo o rosto com as mãos trêmulas, forçou uma respiração irregular, mantendo a varinha negra muito bem escondida, Cho esperou que Harry não demorasse a percebê-la.


E obteve êxito. O moreno ouviu soluços próximo à arquibancada grifinória e sentiu o coração apertar, pensando ser Hermione à sua procura, ele voou rapidamente até a arquibancada atrás da sua monitora, mas surpreendeu-se ao encontrar...


-Cho?


Questiona Harry escondendo o desapontamento com um olhar preocupado.


-H-Harry???


Cho faz-se assustada, olhando para Harry, com o rosto completamente vermelho e marcado por suas lágrimas.


-O que aconteceu? Porque está chorando???


Pergunta o moreno descendo da firebolt e sentando-se ao lado da corvinal que sem aviso pulou sobre seus braços enterrando o rosto em seu peito com uma nova onda de lágrimas.


Harry assustou-se e colocou as mãos sobre os ombros de Cho como que para afastá-la, mas diante da nova onda de soluços optou por deixar a oriental desabafar, não tinha outra escolha, ele não sabia o que fazer.


-E-ela me-me o-odei-odeia Ha-Harry!!!


Dizia com grande dificuldade a corvinal soluçando no peito do grifinório que permaneceu estático, sem sabe o que dizer ou o que falar, o pobre garoto mal sabia onde colocar as mãos quando soltou os ombros de Cho.


Percebendo que Harry ainda estava em choque, Cho aproveitou sua chance e envolveu o pescoço do moreno com seus braços levando a ponta do nariz ao pescoço do grifinório que estremeceu ao toque ousado da oriental.


Limpando a garganta e segurando a menina pelos ombros novamente a afastando se si, Harry pergunta:


-Quem te odeia Cho? Quem deixou você assim?


Os olhos verdes do grifinório faiscavam de raiva.


-He-Hermione Granger!


Revela a oriental com uma nova onda de lágrimas copiosamente derramadas, e para enfatizar ainda mais deu desespero e total desolação, Cho começa a tremer abraçando-se ainda mais à Harry.


-Hermione?


Questiona Harry verdadeiramente surpreso, Hermione? Não, ela jamais faria mal a alguém, não conscientemente, Cho só poderia estar confusa, ponderou o moreno balançando a cabeça negativamente para a afirmação da oriental.


-Eu acho que você deve ter se enganado Cho, Hermione nunca te faria mal algum!


Justifica Harry estreitando os olhos em desconfiança. Cho prende o ar com irritação antes de continuar.


-Ela discutiu comigo na biblioteca depois que você se foi!!! Oh Harry foi horrível!!!


Insistia a corvinal cobrindo os olhos com as duas mãos e seu rosto ficava ainda mais vermelho. Ela não poderia desistir, não agora que o tinha longe de Rony e Hermione, agora que estavam completamente a sós, quando ela se encontrava na segurança de seus braços ansiando por sua atenção.


-Cho... eu...


Gagueja o moreno mais sem jeito ainda, ele realmente não gostava de ver uma garota chorando ainda mais Cho Chang... isso lhe trazia lembranças dolorosas, lembrava-se de Cedrico e da promessa que fizera a si mesmo de ajudar a garota que seu falecido amigo amava.


Fechou os olhos com força, não desejava cometer o mesmo erro novamente se colocando contra Hermione, mas não poderia deixar a corvinal alterada desta forma, isso só iria amplificar os efeitos da maldição sobre ela.


-Eu não acho que a Mione tenha feito isso de propósito!


Tenta argumentar grifinório sem soar de forma rude, ele não estava de bom humor, a carta de Viktor ainda o tirava a calma e não conseguira esconder a decepção por estar com Cho ao invés de Hermione em seus braços.


-Ela me acusou de estar separando vocês, ela disse que vocês não teriam brigado na biblioteca se eu não estivesse com essa maldita florzinha no pulso!!! Ela diz que eu estou mentindo e desconfia que eu seja uma comensal da morte!!!


Desespera-se Cho ofegando e ficando ainda mais vermelha. Harry amplia os olhos em choque, como ela teria escutado a discussão que ele tivera na biblioteca com Hermione? Ele acreditava que estava completamente vazia...


-Ela me odeia Harry!!!


Insiste a corvinal arfando. Harry respirou fundo esfregando as têmporas por baixo dos óculos com força, este definitivamente era o pior dia da sua vida!!!


-Cho eu duvido muito que a Mione te odeie!!! Tudo isso não passou de um mal entendido, olha eu vou voltar lá e falar com ela por você ok?


Argumenta o grifinório ficando de pé e preparando-se para fugir da corvinal, ele precisava descobrir da própria Hermione se essa história era real, estava impaciente demais para ficar apenas pensando e pensando, se havia um problema ele acabaria por resolvê-lo direto pela raiz.


-NÃO!!!


Grita a corvinal assustando o grifinório, sua voz criando um eco por todo o campo.


-Por favor, não me deixa aqui sozinha... em outro momento eu iria subir na minha vassoura e tentar esquecer tudo o que aconteceu, mas agora sem... sem magia eu não posso!!!


Anuncia a oriental segurando o braço de Harry como se sua vida dependesse disso. O moreno olhou para ela com preocupação, ela parecia muito estranha, mas optou por não complicar ainda mais as coisas, sentou-se novamente com Cho pendurada sobre seu ombro enquanto chorava.


Ele soltou uma respiração exasperada e olhou em volta, desejou estar sozinho novamente com a sua firebolt. Permaneceram alguns longos minutos em silêncio.


-Não foi totalmente culpa dela Harry... acho que Jason e Malfoy tem colocado muitas mentiras na cabeça da Granger sobre mim!


Diz Cho quebrando o silêncio e recebendo um olhar furioso de Harry, o brilho de ciúmes faiscando por trás dos orbes esmeralda.


-Jason tem falado com a Mione sobre você?


Questiona o moreno franzindo a testa.


-Sim... ele sempre tentou levar a Granger para seu lado e a forma mais eficaz era desconfiar que você não esquecera seu primeiro amor!


Sussurra a oriental puxando uma mexa do longo cabelo negro para trás da orelha, levemente rubra e olhando de relance para Harry que fechava as mãos em punhos, mas para a irritação da corvinal, Harry desvia o olhar sem nada dizer.


Cada vez que ouvia alguém comentar algo que Jason Stuarts disse, gostava menos dele, tentando colocar a SUA Hermione contra ele e Cho? Uma atitude covarde até mesmo para ele, pensava Harry com amargura. Cho percebendo o olhar distante de Harry decidiu aproveitar o momento para se aproximar ainda mais dele.


-Me leva para uma volta na sua vassoura?


Pede com um olhar inocente e ao mesmo tempo sonhador, Harry amplia os olhos surpreso com o pedido.


-Por favor, sinto falta de sentir o vento nos meus cabelos, sinto falta da sensação de liberdade, paz e tranqüilidade de estar nos céus!!!


Insiste a oriental e pela primeira vez Harry consegue ver nos olhos de Cho que ela estava sendo completamente sincera sobre isso. se ele estivesse no lugar dela enlouqueceria se não tivesse como usar sua firebolt. Ele se sentiu culpado ao lembrar que depois que perdeu suas capacidades mágicas, Cho desligara-se do time de quadribol corvinal.


-Tudo bem, só uma volta ok?


Concorda o moreno passando a mão direita sobre os cabelos rebeldes, impaciente enquanto pegava sua vassoura e posicionava-se de forma a dar espaço para Cho atrás dele.


A corvinal sorriu amplamente subindo na vassoura e agarrando a cintura do moreno com força antes de subirem para o alto do campo, voando contra o vento.


..............................Sonserina.................................


Hermione corria desesperadamente até o campo de quadribol, sem se importar com os seus sapatos machucando seus pés, pelo esforço de andar sobre um terreno, tão brando, e cheios de desagradáveis pedrinhas.


O seu uniforme sempre tão impecável, apresentava-se todo desarrumado, assim como seus cabelos, agora soltos, deixando os cachos ao vento morno da manhã e suas bochechas completamente coradas depois da exaustiva corrida.


De longe teve um vislumbre de uma vassoura no ar, não conseguia enxergar muito bem de onde estava, mas poderia apostar todos seus livros e seu crachá de monitora que se tratava de Harry. Sorriu e respirou fundo tomando coragem para alcançá-lo. Sabia que o encontraria aqui.


A conversa com Ginny tinha lhe aberto os olhos, iria se desculpar com Harry, contar-lhes tudo, insistiria que ele a escutasse, até que o moreno teimoso e cabeça dura, cedesse e finalmente entendesse que ele era o grande amor da sua vida, Mérlin ela o amava desde o primeiro ano e ele nunca percebera isso.


Mesmo que ela tivesse que chamar a própria Rita Skeeter para publicar no Profeta Diário que, a nascida-trouxa e sem atrativos, Hermione Granger jamais deixaria Harry Potter mesmo que o próprio Viktor Krum tentasse se colocar em seu caminho com meia dúzia de dementadores. Ela faria uma declaração por escrito se fosse necessário, até um juramento mágico...


Nem que ela tivesse que subir numa vassoura e repetir a loucura de Rony ao gritar para toda Hogwarts que amava somente a Harry, ela tiraria todas aquelas idéias absurdas da cabeça dele, prometera a si mesma que dedicaria mais tempo ao moreno, e o ajudaria a esquecer um pouco dessa loucura de Voldemort e vínculos.


Afinal ela conhecia Harry melhor do que ninguém, sabia que um turbilhão de incertezas, dúvidas e temores atravessavam a mente confusa do moreno, o peso das responsabilidades, a eminência de uma batalha da qual ele não teria como fugir estavam o atormentando mais e mais...


Hermione sentiu-se culpada por não deixar tempo para conversar com ele sobre tudo isso, para deixar claro que nada disso era culpa dele e quando finalmente vencessem Voldemort estariam livres para construir um futuro feliz, juntos. Harry não costumava se abrir para ninguém e sempre coube à Hermione a tarefa de arrancar toda a angustia de dentro dele.


Subiu as arquibancadas grifinórias quase tropeçando em alguns degraus, o vento levantou seus cabelos sobre os olhos e demorou um pouquinho para Hermione conseguir encontrar uma posição mais confortável para enxergar seu namorado.


-HARRY!!!


Gritou animadamente para chamar a atenção dele, mas assim que seus olhos encontraram o grifinório ela sentiu o ar preso nos pulmões, um nó se formou em sua garganta, o coração acelerado pareceu congelar até parar de bater, os lábios entreabertos em choque e os olhos estáticos sobre Harry sorrindo e conversando animadamente com Cho Chang que o abraçava e deitava a cabeça no ombro do moreno apontando em alguma direção para seguirem.


Deu um passo para trás como se fosse atingida por um golpe extremamente doloroso. A monitora-chefe balançou negativamente o rosto levando as mãos sobre a boca, os olhos agora cheios de lágrimas e um sentimento forte de decepção dentro do peito.


Eles pareciam tão bem juntos, ela era linda e ele sempre a admirou, sua paixão por Cho sempre fora tão dolorosamente óbvia... seu primeiro beijo fora com ela afinal, os dois gostavam de quadribol, gostavam de ir aos mesmos lugares de Hogsmead, eram populares, formavam um casal bonito... o casal perfeito...


-HARRY!


Gritou novamente, mas dessa vez sua voz saíra desesperada, carregada de dor. Harry finalmente a ouvira, os olhos do grifinório ampliaram-se assustados, era a voz de Hermione, da sua Hermione. Seus olhos percorreram todas as arquibancadas com a perícia de um falcão no ar até encontrá-la.


Harry perdera toda a cor ao perceber a expressão desolada no rostinho de Hermione, ela lhe lançava um olhar tão decepcionado que o grifinório sentiu-se a pior pessoa do mundo, uma pontada dolorosa atravessou seu peito nesse momento.


Cho não escondeu uma careta de desaprovação quando o grifinório avançou em direção à Hermione a toda velocidade. Ele estava desesperado para alcançá-la antes que fugisse sem o deixar explicar, conhecia as inseguranças dela, as coisas entre eles já não estavam boas e não poderia arriscar piorar ainda mais.


Momentos atrás fora ele que sentia-se corroer pelos ciúmes e não desejava que Hermione passasse pelo mesmo. Mal alcançou as arquibancadas e deixou Cho estarrecida com sua firebolt para trás.


Correu atrás de Hermione que descia as escadarias aos tropeços tamanho nervosismo. A grifinória queria sumir nesse momento, praguejou pelas alas de proteção da escola não permitirem aparatação, desejava ficar longe daquela imagem de Harry ao lado de Cho.


Doeu, doeu muito, mas, sua cabeça apenas apontava que os fatos contavam contra ela.


-Hermione!!! Me espera!!!


Chamava Harry desesperado atrás dela. Ele praticamente ignorou os degraus e foi direto ao chão, mal recuperou-se voltou a correr em direção à ela. Hermione parou e esperou que Harry a alcançasse, mas ainda permanecia de costas para o moreno, não queria que ele a visse chorar.


-Não se sinta culpado Harry, você só estava se divertindo... não... não aconteceu nada... eu... eu vou para a biblioteca ajudar Ginny com o dever de encantos...


Anuncia a grifinória fracamente, torcendo para que Harry acreditasse e a deixasse ir, seus ombros tremiam enquanto Hermione segurava bravamente a vontade de chorar.


-Hermione não mente para mim!!!


Exige o moreno com a voz ainda em desespero, sem esperar resposta ele a puxou pelos ombros a obrigando-os a ficarem frente a frente.


-Não estou mentindo!


Responde fracamente tentando inutilmente não olhar para ele. Harry arfava pesadamente, seus olhos buscavam os dela e suas mãos apertavam mais forte os ombros da grifinória temendo que ela fugisse a qualquer instante.


-Me perdoa Mione!


Pede Harry aproximando-se ainda mais de Hermione, seus narizes quase se tocando e a grifinória fecha os olhos com força deixando algumas lágrimas escaparem.


-Perdoar o quê Harry? Você não fez nada!!!


Insiste Hermione, ignorando o nó que se formava em sua garganta ao lembrar de Harry e Cho na vassoura.


-Exatamente, eu não fiz “nada”! Nos últimos dias eu só fiquei parado vendo você desesperada em busca de respostas, soluções, de saídas para as ameaças de Voldemort!!! E quando menos esperava eu te acusei por pedir ajuda ao Viktor Krum...


Começa o moreno angustiado com o silêncio de Hermione, pelos fundadores, ela deveria estar gritando com ele, o acusando por não confiar nela, jogando na cara dele seus argumentos, o perigo que os cercava... mas, nenhuma palavra saía da boca da grifinória. Mérlin, ela nem mesmo tomou sua varinha para ameaçá-lo.


-Hermione eu não deveria te acusar de nada, ainda mais quando está fazendo tudo isso por mim, eu fui um completo idiota!!! Eu despejei toda minha raiva com os meus problemas em você!!!


Insistia Harry perdendo a calma por Hermione evitar olhá-lo nos olhos, ela ainda continuava chorando e o grifinório sentiu o coração espremer-se em seu peito.


-Hermione! Por favor, diz alguma coisa, mas não me deixa nesse silêncio! Eu sei que você está chateada comigo e eu mereço, eu sei, mas eu não consegui segurar a raiva, quando vi o Krum escrevendo para você como se ainda tivesse esperanças... ARG!! Mione eu não poderia nunca competir com ele ok! Ele é rico, famoso, é um bruxo incrivelmente forte, nós vimos isso naquele maldito torneiro tribruxo e... e... por mais que eu “odeie” afirmar, ele gosta de você!!! Droga Hermione, ele não tem um psicopata atrás da sua alma, com ele você estaria mais segura... mas, eu não queria isso, eu sei que é egoísmo mas eu não quero você perto dele, eu tive medo que você preferisse ele, para proteger seus pais, para fugir dessa praga de guerra e da profecia, mas não consigo suportar a idéia de ter você longe de mim!!!!


Desespera-se o moreno. O silencio de Hermione, o medo de perdê-la de uma vez por todas, o peso de todas as responsabilidades, a culpa... tudo misturou-se e trouxe o pânico e o caos para a mente do jovem bruxo.


Ele estava cansado de correr contra a corrente, estava cansado de estar sentindo-se fora de tudo, como se não houvesse lugar para ele nessa guerra além de servir como cordeiro de sacrifício.


-Harry eu nunca escolheria o Viktor a você... como pôde pensar isso? Que provas a mais você precisa para acreditar que eu amo você e só você???


Responde a monitora com a voz estrangulada, fechando os olhos enquanto derramava duas lágrimas pelo rostinho já vermelho e relaxando os ombros sobre as mãos do grifinório quando é interrompida por Cho.


-HARRY??? Onde você está?


Harry fechou os olhos e encostou sua testa contra a de Hermione praguejando baixinho, respirou fundo e desceu as mãos até a cintura de Hermione a apertando contra si antes de arrastar a monitora para fora do alcance de visão da corvinal.


Os dois estavam escondidos na parte interior das arquibancadas. Hermione tinha uma expressão assustada, mas Harry fez sinal para que ficasse em silêncio até Cho sair.


Os dois se abraçavam fortemente por trás de um pilar de madeira, mantendo-se nas sombras enquanto ouviam os passos da oriental que continuava a chamar pelo grifinório.


Demorou alguns minutos para Cho perceber que Harry estava fora de alcance e contrariada ele jogou a firebolt no chão e seguiu sozinha para o castelo.


Hermione soltou o ar dos pulmões quando teve a certeza que Cho estava longe o suficiente para não notá-la e se soltou dos braços de Harry.


-Mérlin!!! Pensei que ela não fosse mais embora!!!


Reclama Harry olhando a corvinal deixar o campo de quadribol, mas ao perceber a monitora se afastando dele, o moreno a impede, segurando-a pelos pulsos.


-Ainda temos que terminar nossa conversa Hermione!


Advertiu o moreno seriamente, havia retirado os óculos e seus olhos verdes lançavam um olhar intenso sobre a grifinória, ele estava determinado a resolver tudo ali mesmo, não perderia essa chance por nada.


-Que conversa Harry? Você já deixou claro que não confia em mim!!!


Responde Hermione olhando para Harry com raiva enquanto tentava inutilmente soltar-se do grifinório.


-Hermione eu já disse que estava com ciúmes da sua relação com o Krum e depois de toda essa confusão sobre Voldemort querer tomar Hogwarts eu... eu estava completamente perdido, confuso!!! Eu. Confio. Em. Você!


Defende-se Harry impaciente com a teimosia da monitora em acalmar-se e o ouvir. Ele já estava assumindo toda a culpa, deixando suas dúvidas e irritações de lado apenas para concertar as coisas entre eles, o que mais precisava fazer para que Hermione o perdoasse agora???


-É tão difícil assim acreditar em mim?


Insiste Harry olhando no fundo dos olhos de Hermione. Os dois ficaram em silencio deixando que as respirações entrecortadas retomassem o ritmo original, mais tranqüilas e suaves.


O grifinório reduziu o aperto sobre os pulsos da monitora-chefe, mas sem soltar seus braços, seus corpos ansiavam desesperadamente pelo calor do outro, mas seus olhos travavam uma batalha silenciosa, havia sentimentos e inseguranças demais entre eles neste momento.


-... eu pensei que poderia me desculpar por não ter te dado atenção quando mais precisava, estes últimos dias eu estive tão preocupada em encontrar alguma pista sobre esse objeto que não tive chance de estar com você e te ouvir... eu sabia que estaria se sentindo sozinho e provavelmente se culpando por esses problemas... mas... mas... Isso não justifica você e a Cho na vassoura entre sorrisos e abraços!!!


Confessa Hermione depois de um longo período de silencio, ela tentou manter a voz sóbria, mas no fundo ainda estava sentindo-se magoada. A morena desviou o olhar de Harry enquanto tentava manter-se firme, as lágrimas insistiam em cair por seu rostinho delicado, enquanto ele apenas a ouvia.


-Ginny viu quando ela deixou a biblioteca e seguiu atrás de você... ela me disse que provavelmente Cho estaria aqui tentando encher a sua cabeça, por isso vim correndo... eu só não esperava que... vocês fossem se entender tão rápido!


Continua a monitora com um murmúrio sombrio. Desta vez, fora Harry que permanecera em silêncio absoluto como se a tentar entender cada palavra dita pela grifinória.


De todas as coisas que ele poderia esperar de Hermione esta fora uma das ultimas coisas que sonhava em ouvir, ela poderia acusá-lo de mexer em suas correspondências, obrigá-lo a aceitar sua amizade com Krum, abrir seus olhos para a importância de estudos e pesquisas para enfrentar as ameaças das trevas, acusá-lo por ser imaturo e egoísta... mas... ciúmes de Cho Chang???


-Eu sei que ela é infinitamente mais atraente que eu, e provavelmente tão inteligente quanto, ela, diferente de mim gosta de quadribol, não tem medo de vassouras e seria o par perfeito para você se eu não estivesse no caminho, todos acreditam que você merecia alguém muito melhor que eu e...


Harry solta os pulsos de Hermione levando uma das mãos aos seus lábios a silenciando.


-Nunca mais repita algo assim Hermione!


Diz o grifinório numa voz firme e severa que levou a morena a estremecer e ampliar ligeiramente os olhos.


-Você é linda de todas as formas possíveis Hermione.. e enlouquecedoramente atraente... Mérlin!!! O Stuarts, o Krum, até o imbecil do McLagenn... são loucos por você, as vezes tenho que me controlar ao máximo para não estuporar qualquer idiota que olhe mais que o necessário quando você passa pelos corredores, ou quando ficam tentando chamar sua atenção durante as aulas!!!


Revela o moreno sem desviar os olhos da grifinória.


-Você pode não gostar de quadribol e odiar vassouras, mas ainda temos muito tempo para superar seus medos... e eu quero que você aprenda a voar... comigo!!! Não quero te ver dividir uma vassoura com mais ninguém!!!


Continuava Harry num tom de voz que levava Hermione a estremecer e morder o lábio inferior com força. Harry sorriu de lado, sabia que estava no caminho certo para convencer a sua Mione.


-Você é minha Hermione! Desde sempre foi minha melhor amiga, minha companheira, minha força, minha âncora, minha voz da razão, você é a minha própria consciência, é o meu ar quando me sinto sufocar, é como uma luz que guia meus caminhos, quando me sinto perdido, você é de todas as formas como uma parte de mim sem a qual eu não poderia mais existir!!!


Os olhos de Hermione estavam em lágrimas e Harry deslizou as mãos suavemente até a cintura dela a trazendo para si enquanto falava.


-Sou eu que não mereço ter uma garota tão incrível quanto você ao meu lado, sou eu que não tenho um futuro certo para te oferecer, eu não tenho realmente nada a te oferecer porque quanto mais te vejo lutar por mim, mais me sinto culpado por estar te arrastando comigo para uma guerra onde já perdi pessoas que amo muito, que significavam algo para mim, até mesmo os Dusleys... mas, eu não suportaria ter de perder você...


Dessa vez fora Hermione que interrompera o grifinório envolvendo as mãos em seu pescoço e unindo seus lábios aos dele num beijo apaixonado. Harry ficara surpreso no inicio, mas logo apertou os braços ao redor da namorada e a virou contra o pilar enquanto aprofundava o beijo. Perderam-se entre beijos vorazes e carícias intermináveis até separarem-se ofegantes, protegidos, um nos braços do outro.


-Será que agora resta alguma dúvida de que você é a garota perfeita para mim?


Pergunta Harry com um sorriso maroto enquanto distribuía beijinhos pelo pescoço de Hermione que fechava os olhos e suspirava com as carícias do grifinório.


-E você tem alguma dúvida que o Viktor não é ameaça a você?


Responde a grifinória afastando o namorado e recebendo um olhar irritado de Harry.


-É diferente Mione!


Reclama o moreno desviando o olhar frustrado. Seria tão difícil assim para Hermione entender que a questão de Krum ia muito além de ciúmes?


-Não é Harry!!! Eu nunca aceitaria ir com Viktor!!! E nem tente me convencer do contrário eu vou contigo até o fim Potter, você querendo ou não!!!


Desafia Hermione irredutível em sua decisão, já prevendo o que estaria se passando na mente do grifinório.


-Eu não queria te colocar em perigo! Você e Sírius são a única família que me restam não entende isso? Voldemort quer tomar Hogwarts e se ele o fizer... eu não quero você aqui caso isso venha a acontecer Mione!


Rebate o escolhido se afastando mais ainda da namorada e andando de um lado a outro enquanto bagunçava os cabelos rebeldes freneticamente.


-Isso não vai acontecer Harry, temos Dumbledore e toda a ordem lutando para impedir o ministério de ocupar a escola!!!


Responde Hermione seguindo até Harry e o obrigando a parar e encará-la.


-Tonks já disse que nas férias de natal um novo grupo de aurores virão para Hogwarts... se não encontrarmos o que Voldemort deseja agora estaremos vulneráveis!!! Eu já não posso voltar para a casa dos Dusleys... ir para a Toca só colocaria os Weasleys em mais perigo, meu encontro com o “senhor das trevas” está mais próximo do que eu imaginava!


Completa Harry ferozmente, sua expressão era sombria e novamente o peso da guerra retornou aos seus ombros. Hermione sentiu um frio percorrer sua espinha depois das ultimas palavras de Harry, o terror ocupou sua mente antes tivesse a chance de pensar duas vezes...


-Ele não pode te tocar Harry! Qualquer maldição lançada contra você será dispersada pelo vínculo e toda a armada estaria disposta a lutar contra quem tentasse te machucar!!!


O desespero na voz de Hermione traía sua coragem.


-Eu não quero ninguém lutando ou morrendo por mim Hermione!


Bradou o moreno fora de si segurando os braços de Hermione com força.


-Essa batalha não é somente sua, Harry!!! Voldemort não está apenas atrás de você, ele deseja as horcruxes, ele precisa dos fragmentos de alma para restaurar suas forças e caso o consiga todo o mundo mágico estará sob risco absoluto, nascidos trouxa serão assassinados, todos os poderes mágicos corrompidos, os que levantarem-se contra as trevas serão tomados por traidores e sofrerão nas mãos dos comensais da morte!!! Não é só por você Harry... será que não  entende que essa guerra já existia muito antes dessa profecia? Seus pais, Sírius, Remus, os pais de Neville... todos lutavam para impedir que isso acontecesse!!! Você é o símbolo de esperança que todos ansiavam... Mas não está sozinho, entenda isso!!! Eu tenho orgulho de ser uma grifinória Harry... e não vou fugir desta batalha, você estando aqui ou não!


Gritava ferozmente a grifinória para Harry que a fitava com uma expressão de choque e incredulidade, as palavras de Hermione eram duras, mas carregadas de emoção e sinceridade.


Para o horror de Harry, os argumentos dela não tinham como serem derrubados por suas inseguranças, por ais doloroso que tenha sido para Hermione dizer tudo isso, ele sabia que com ou sem ele todos continuariam lutando... a diferença é que com a presença dele, havia esperança.


Harry deixou-se cair contra um dos pilares e sentou-se ao chão como se fosse atingido por u balaço no meio do estômago. Sentiu ânsia de vômito, sentiu raiva, sentiu vergonha de si mesmo, e o pior de tudo... ele sentiu o peso da culpa quando finalmente olhou nos olhos de Hermione que agora ajoelhava-se diante dele o fitando com preocupação.


-Você nunca vai me perdoar por isso Mione...


Revela Harry com a voz embargada, sentindo as próprias lágrimas surgirem sobre os orbes esmeralda, estava na hora de revelar à ela seu plano com Remus para afastá-la de Hogwarts.


.......................Os sete desafios............................




Ohhhhhhhhhhhhhhh Mérlinn!!!! O____o (escorrega da cadeira/bem que eu preferia a cadeira de rodinhas que desliza ¬¬)


Antes tarde do que nunca XD huahauhauhauahuahauhauauhauhua Demorei, mas, estou de volta com mais um capítulo mega complicado para escrever Y_Y (desmaia em exaustão) esse foi trabalhoso porque eu me empolguei e queria colocar ontes de coisas >.< (se esconde dos avadas) Mas acho que somente a discussão entre o Harry e a Mione já trouxeram montes de informações para vocês sobre o caminho que os próximos capítulos tomarão a partir de agora as coisas ficarão mais sombrias e o primeiro desafio será completado em plenitude!!!


Rosanaaaaaa Francoooooooooo????? @_@ (olhinhos brilhando emocionados) OMG!!! *-* Pelas calças de Mérlin menina sumida votoooooooooooou \o/ Eu sabia que não iria me abandonar!!! Aiaiai me deu um desespero quando seus coments deixaram de fazer parte dos capítulos T_T quase entrei em crise de tristeza, você se tornou super importante para a continuidade da fic Rosana, sério mesmo =D estou hiper mega Power ultra super feliz por seus comentários sem eles eu nem chegaria a terminar o capítulo hoje e postá-lo a essa hora da madruga hauhauhauhauahuahauhauah XD Eu imagino como seu tempo esteja mesmo corrido (Rosana+filhos+marido+estudos= super-ninja-Rosana *-*) e fico mais feliz ainda que apesar de todo esse trabalhão ainda encontre tempo para comentar @_@ aiaiaiai yukito assim eu me emociono mesmo!!! Espero de coração que esteja mesmo gostando da fic e quem sabe deste capítulo que hoje é 10000000000% em sua homenagem o/ pelo que pode percebera Cho tem um lado malvado, mas no fundo ela também gosta do Harry e só quer acabar logo com tudo isso, a Gina ainda vai se meter em grandes problemas para descobrir o paradeiro de Draco, Harry finalmente vai revelar o plano que tinha com Remus ara Hermione já tem ideia do que poderia ser????


Shell Weasleyyyyy ex-namorada-assustadoramente-má do Rony (hauhauhauahuahuahuah ;D) e menina da fic maravilhosamente linda R/L >_< aiaiaiai yukitooo quando será que terei mais um capítulo de O herói não reconhecido hein??? Já faz séculos desde o ultimo post U_U estou contando os dias de atraso viu mocinha... quero saber o que vai acontecer agora *-* Mérlin você parou numa parte crucial da história (sem ar) Não é justooooo T_T (birra de menina mimada as sete anos de idade mode on)  eu querooo post!!! Hauhauhauhahauhauahuahuahuahuahuahhuahuahua ri loucuras com seu comentário eu realmente peguei bem pesado com o tadinho do Rony, mas ele vai superar isso eu prometo XD hauhauhauhauauahuhaua a recompensa do beijo da Luna fez todo o sacrifício dele valer a pena o/ ahhh o Jason não poderia machucar a Mione especialmente se o Harry estiver lá para proteger a grifinória *----------* Aiaiai yukitooow hauhauhauhauha ahhh o que o Draco deixou para a Ginny é uma surpresaaaaaa (risada maligna) huahuahauhauhauhauhauahuahuahua mas na realidade foi a forma mais eficiente que ele encontrou para mantê-la segura quando a guerra de verdade começar!! XD


Bruna Jean Granger Hale Cullen Potter menina do nome lindooooooo, onde você está, o que achou dos últimos capítulos??? @_@ Coveiro-sensei ainda aguardo seu valiosíssimo comentário e sua esperadíssima e inspiradora atualização *-* Angelina G. McFellow estou espalhando cartazes com recompensas para achar você mocinha!! Y_Y Alylyzinha não suma pleaseee!!!!


Aos demais, peço de coração... comenteeeeeeemmm me deixem saber se estão gostando da fic =) ou se tem alguma crítica =( deixem essa escritora de fic bobinhas feliz, não custa nada por favorzinhoooo @_@


Beijinhos mágicos e até o próximo post =****

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 2

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por rosana franco em 03/06/2012

Só espero q a Hermione entenda oq o Harry quer fazer e o perdoe como ele a perdoou por fazer as coisas escondido.Estou preocupada com o Draco ele deve estar passando por um mal pedaço entre os comensais!! Acho que a Luna e o Rony vão juntos descobrir as coisas sobre as reliquias.Se não é a Cho e o Jason quem é a sétima pessoa do sacrificio?

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Coveiro em 02/06/2012

Opa, capitulo fresquinho.
Demorei pra aparecer, mas to aqui firme e forte. Foi mallz é que to sem tempo
Muito 10.
To super curioso para saber qual o plano mirabolante do Harry.
Poxa, que ciumes, os dois(harry e Mione)  são muito inseguros. Sera que ja não ficou claro, pro Harry, que a Mione quer ficar com ele e com ninguem mais. E a Mione devia dar uma boa lição no Harry, ele é meio trouxa. Como que um cara pode não confiar na namorada que vive salvando ele e acreditar sempre na pessoa que tras os problemas. E a Mione devia confiar mais no proprio taco, ela é muito gata e inteligente, o sonho de qualquer cara.
Preocupado com o Draco. E a Gina? Desenrola ou não?

Aguardo o proximo capitulo ansioso.

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.