FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

11. M


Fic: Até que enfim você é minha


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Enquanto Tiago e Lílian tomavam banho para dormir, os demais conversavam na sala:

- E então acham que até o final da semana eles já se entenderam? – perguntou Kely sentando no sofá.

- Acho que antes disso, eles já estarão namorando! – disse Sirius.

- Tiago só precisa convencê-la que não foi culpado, afinal os dois se amam. – disse Remo.

- E essa vai ser a parte difícil. Ninguém acreditaria nisso. – disse Peter.

- Está duvidando que a culpa não foi do Pontas? – perguntou Remo rindo.

- É estranho... Num dia ele é o maior galinha, e no outro não é mais... E depois está agarrado com outra no Salão Principal... – começou Peter.

- Como ousa duvidar do seu próprio amigo? Você sabe que a loira a beijou! Você estava lá! – disse Sirius nervoso.

- Não estou falando isso... – começou Peter.

- O que está falando,então? – gritou Sirius indo para cima de Peter.

- Se acalme, Sirius. – pediu Kely tentando segurá-lo.

- Estou falando que se Tiago não quisesse beijar a menina ele não teria beijado! – respondeu o Maroto.

- Eu vou matar você! – gritou Sirius indo para cima de Peter enquanto Kely o segurava.

- Vamos subir logo, Peter, antes que eu mesmo queira te bater também. – disse Remo puxando o amigo.

**
- O que foi isso? – perguntou Lílian abrindo a porta do banheiro e se esquecendo que estava só de toalha.

- Pareceu o Sirius. – disse Tiago preocupado. – O que será que aconteceu? – perguntou ele olhando para a menina e corando ao ver seus trajes.

- Não sei. Só um minuto e vamos ver o que houve. – disse Lílian fechando a porta de novo furiosamente corada.

- Não se preocupe, não vi nada. – disse Tiago.

- Espero mesmo! – respondeu ela ainda com a porta fechada.

**
- Peter, sabe que a culpa não foi do Tiago! Ele não pode sair por ai falando o contrário... E se a Lily escuta e acredita...

- Calma Sirius! Ele só estava comentando que é difícil de acreditar nessa história.

- Tiago nunca mentiria para nós e muito menos para a Lílian. – dizia Sirius ainda irritado

- Eu sei! Mas ela não sabe.

**
- Você não deveria ter falado aquilo! – disse Remo quando chegaram ao corredor.

- Eu não menti. É difícil acreditar no Tiago.

- Você sabe que ele é inocente.

- Eu sei, mas a ruiva não sabe. – falou Peter um pouco alterado.

- O que eu não sei? – perguntou Lílian abrindo a porta do quarto ainda secando os cabelos na toalha.

- Nada não, Lily. – disse Remo.

- Agora até eu quero saber. – disse Tiago saindo detrás da ruiva. – O que aconteceu? Era o Sirius que estava gritando? –perguntou ele terminando de abotoar a camisa

- Peter e Sirius se desentenderam. – respondeu Remo.

- Por quê? O que aconteceu? – perguntou Lílian preocupada.

- É melhor vocês dois nem saberem. – disse Sirius chegando e estava aparentemente nervoso

- Por que não? – perguntou Tiago.

- Segue o conselho do Sirius. Nenhum dos dois vai querer saber. – disse Kely.

- Afinal o que houve? – perguntaram os dois juntos.

Os quatro se olharam procurando saber se falavam ou não.

- Podem ir falando. Esse olhar de vocês mostra que é algo sério. – disse Tiago.

- Eu só falei uma verdade que o Sirius não gostou. – disse Peter sem importância.

- MENTIROSO! Você estava mentindo! Nunca pensei que você desconfiaria do... – mas Sirius não completou a frase.

- Se não contarem por bem vão contar por mal! – disse Tiago começando a ficar irritado.

- Tiago, te aconselho a não saber disso agora. – disse Kely ainda segurando Sirius.

- Viu o que você fez, seu rato imprestável! – falou Remo puxando Peter para o quarto e fechando a porta atrás de si.

- Abre essa porta! – pediu Tiago dando uns socos leves na porta. – O que ele falou de mim Sirius? – perguntou Tiago.

- Como sabe que falaram de você? – perguntou Kely.

- Conheço os Marotos como ninguém. – disse Tiago calmamente para a menina. – Vamos lá, Sirius... O que ele disse?

Sirius olhou de Tiago para Lílian pensando se contava ou não.

- Ele pegou no seu ponto fraco, Tiago. – disse Sirius mais calmo.

- O que ele falou dela? – perguntou Tiago irritado.

- Não foi dela... – disse Kely tentando achar as palavras certas.

- Podem ir falando logo! – disse Tiago nervoso já se esquecendo que Lílian estava lá.

- Nós estávamos falando que vocês dois estão se entendendo, e o assunto chegou à loira da Corvinal. – disse Kely.

- Accio Varinha! - disse Tiago furioso. – Alohomora! – disse apontando para a porta. – O que você falou, seu rato imprestável? – perguntou Tiago entrando no quarto com a varinha apontada para Peter.

- Foi sem querer, Tiago... – disse Peter tremendo de medo ao sentir a varinha de Tiago próxima.

- Só vou perguntar mais uma vez... O que você falou? – perguntou ele com a varinha voltada para o coração de Peter e extremamente furioso.

- Calma aí, Tiago. – disse Remo entrando entre a varinha de Tiago e Peter.

- Sai da frente, Remo. – pediu Tiago sem mover a varinha.

- Peter fez um comentário maldoso. – disse Remo tentando consertar as coisas.

- Comentário maldoso? Falar que ele teve a intenção de beijar aquela menina? Isso é só um comentário maldoso? – perguntou Sirius tão furioso quanto Tiago, mas Kely estava o segurando, e ele não se movia para não machucar a menina.

- Eu não acredito que você falou isso! Você sabe que é mentira! Você estava lá quando ela me agarrou. – gritou Tiago já vermelho de raiva.

- Só falei que seria muito difícil Lílian acreditar nessa história, Tiago. – disse Peter se escondendo atrás de Remo.

- Claro que vai! Mas você não precisa ajudar... – disse Tiago. – Você sabe o quando eu a amo... Nunca faria isso! – gritou Tiago.

- Desculpe, Tiago. Só falei da boca para fora. Claro que você não trairia a ruiva... Só que você e Sirius ficam com todas... É estranho você parar de repente... – disse Peter tremendo de medo escondido atrás de Remo.

- Você nunca esteve apaixonado para saber! Eu faria tudo por ela... – gritou Tiago. – Sai da frente, Remo! Tenho que me acertar com Peter. – disse Tiago tentando parecer mais calmo.

- Se eu sair da frente você vai matar ele. Sabemos que tudo que diz respeito à Lílian te deixa assim... Se acalme, Pontas... Pense nela... Ela não iria gostar que você machucasse seu amigo por causa disso. – disse Remo que também tinha se esquecido que a ruiva assistia tudo.

- Eu não posso perdê-la! – gritou Tiago parecendo mais triste do que nervoso. – Lílian é tudo na minha vida! E se ela escuta meu amigo falando uma coisa dessas, ela nunca vai acreditar em mim... E ele sabe que isso é mentira! SAI DA FRENTE, REMO! – gritou Tiago revoltado.

- Nós vimos à loira te agarrar, Tiago. – disse Peter parecendo mais assustado que antes.

- SE VIU ELA ME AGARRANDO COMO TEM CORAGEM DE DIZER UMA COISA DESSAS? – gritou ele.

- Eu não medi as palavras... – começou Peter. – Somos amigos, Tiago... Não coloque uma mulher entre a nossa amizade... Uma mulher não vale a pena... – começou Peter.

- Como tem coragem de falar assim dela? – gritou ele ainda mais nervoso. – SAI DA FRENTE, REMO!

Remo saiu da frente de Peter rapidamente.

- Calma Tiago... Você entendeu errado... Lílian...

- NÃO FALE O NOME DELA – disse ele ainda com a varinha em punho. - Estupe... - mas ele não terminou o feitiço, pois Lílian se colocou entre a varinha dele e Peter.

- Não vou deixar você fazer isso. – disse ela seriamente.

- Por favor, Lílian, você não entende! – disse Tiago calmo, quase suplicante.

- Você que não entende. Nada do que Peter falar vai me fazer mudar de idéia. Acalme-se, Tiago! – pediu ela abaixando a varinha dele com calma.

- Mas... Você tem que acreditar em mim... Não quis fazer aquilo... A culpa não foi minha... – ele estava suplicando para a ruiva.

- Eu sei. Vem... Você precisa deitar... Entregue-me a varinha. – disse ela calmamente tentando pegar a varinha da mão de Tiago.

- Você tem que acreditar, Lily... Eu te amo – começou ele ainda em tom suplicante.

- Eu sei... Calma, Tiago... Não ligue para isso... Ele disse sem pensar... – disse ela finalmente pegando a varinha dele. – Vamos para o quarto. – disse pegando na mão dele docemente e o conduzindo para fora do quarto.

- Nossa! Ela realmente tem um grande poder sobre ele... – disse Kely.

- Você não sabe o quanto. – respondeu Remo.

- Você foi salvo pela Lílian! – disse Sirius para Peter antes de sair do quarto.

- Que ruiva! – exclamou Peter sentando na cama. – Nunca pensei que alguém pudesse controlar o Tiago desse jeito.

- Fique feliz por ela não ter se ofendido com tudo que você disse. – disse Kely saindo atrás de Sirius. – Se fosse eu, não teria feito o mesmo. – completou na porta.

Lílian deu uma poção para Thiago e o deitou cuidadosamente na cama, deitando-se ao seu lado mantendo a cabeça dele apoiada em seu colo enquanto acariciava os cabelos rebeldes.

Foi então que Sirius e Kely entraram no quarto.

- Se acalmou? – perguntou Sirius.

- Dei uma poção para ele dormir. – respondeu Lílian.

- Dá para explicar por que defendeu o Rabicho? – perguntou Kely sentando na beira da cama.

- Vi o quanto Tiago ficou transtornado com essa história. – respondeu ela abraçada ao moreno.

- Se fosse, eu iria ter ficado nervosa com tudo aquilo por minha culpa. – disse Kely.

- No começo fiquei sim... Mas depois de tudo que Tiago falou... – disse Lílian de cabeça baixa.

- Acredita que ele é inocente? – perguntou Sirius depois de alguns instantes.

- Agora acredito, mas em uma coisa Peter tem razão...

- Não acredito que vai acreditar naquele rato... – começou Sirius.

- É difícil acreditar nessa história... Tiago sempre foi o segundo maior galinha da escola...

- Obrigado pela parte que me toca. – respondeu Sirius de cara fechada.

- Estou falando sério, Black. Tiago não pode ter mudado de repente.

- Ele não mudou de repente.. Mudou porque você pediu. – disse Kely.

- Até que enfim alguém falou uma verdade! – comentou Sirius. – Tiago te ama tanto que faz de tudo por você, ruiva. Agora é só você perdoar ele, mas não porque ele beijou outra, afinal isso não foi culpa dele, mas perdoá-lo pelo passado que ele tem, e por não ter percebido que a menina que queria com ele logo de cara era você. – disse Sirius indo para a porta.

- Até que enfim você disse alguma coisa que preste. – disse Kely abraçando Sirius na porta.

- Assim você vai estragar a minha saída triunfal. – disse o menino rindo.

E os dois saíram do quarto deixando Lílian com seus pensamentos e com Tiago adormecido em seu colo.

Na manhã seguinte, Tiago acordou primeiro que a ruiva e ao ver que estava deitado no colo dela resolveu não se mover. Ficou pensando em tudo que tinha acontecido na noite anterior, em como o dia tinha sido perfeito enquanto a noite tinha sido um pesadelo.

Assim que ele fez menção de levantar a ruiva acordou:

- Está melhor? – perguntou ela logo que abriu os olhos e viu o menino a fitando.

- Não sei... Depende de você... Acreditou no que ele disse? – perguntou Tiago tentando se levantar, mas a ruiva o impediu.

- Continue deitado! – pediu – Não acreditei em nada do que ele disse. Só no que você disse. – respondeu ela com um leve sorriso.

- Como assim no que eu disse? – perguntou ele confuso.

- Se não se lembra, eu estava lá desde do começo da briga! – perguntou ela rindo.

- Estava? – perguntou ele parecendo não acreditar.

- Estava sim! E Mérlin, como você é nervoso... – disse ela rindo.

Tiago corou.

- E então... Está mais calmo? – perguntou ela.

- Você me perdoou? – perguntou ele.

- Pelo beijo já faz algum tempo... Mas como Sirius disse... Não te perdoei por não ter percebido logo o que aquela menina queria.

- Então vai ser minha de novo? – perguntou ele feliz.

- As coisas estão indo rápido de mais... Deixa-me pensar... Quando me decidir você vai ser o primeiro a saber. – disse ela selando os lábios dele com um selinho, mas antes dele poder aprofundar o beijo ela se afastou. – E então? Quem toma banho primeiro?

- Pode ir! – disse ele levantando do colo dela.

- Ah, antes que eu esqueça... Finja que nada aconteceu ontem... Será melhor. – disse ela antes de fechar a porta do banheiro.

- Ela me perdoou! – gritou Tiago comemorando e pulando de alegria.

- Tudo bem? – perguntou Lílian abrindo a porta do banheiro escutando o menino gritar.

- Ótimo! – respondeu ele parando de pular.

O café da manhã correu estranhamente tranqüilo.

- Quem diria que em plena segunda- feira estaríamos sem nada para fazer. – disse Kely.

- Quem disse que não temos nada para fazer? – perguntou Lílian.

- E o que seria? Lição? – perguntou Peter.

- Exatamente. Temos que fazer o dever de poções. – respondeu Lílian.

- Eu tinha até me esquecido que o professor passou lição para fazer durante essa semana de folga. – disse Remo pensativo.

- Afinal era para fazer o que mesmo? – perguntou Tiago.

- Dois pergaminhos sobre a poção Polissuco. – respondeu Sirius.

- Me espanto de saber que está informado, Sirius. – disse Lílian rindo.

- Fazer o que, não é? Estou andando de mais com você! – respondeu ele rindo e fazendo todos rirem.

- Ainda bem! Você está virando um certinho...? – começou Lílian.

- Ou é você que está virando uma Marota? – perguntou Sirius.

- Se depender do Tiago ela com certeza seria uma Marota. – disse Remo.

- Não! Gosto da Lily do jeito que ela é, mas se ela quiser ser uma Marota não vou me importar nem um pouco. – respondeu Tiago com um enorme sorriso maroto.

Depois do café da manhã todos foram para a biblioteca estudar, ou melhor, fazer o dever de poções.

Logo depois do almoço voltaram para a biblioteca terminar o dever. Depois de quase meia hora Tiago resolve quebrar o silêncio:

- Que droga! Não sei para que estudar isso. – disse ele fechando o livro.

- Para você reconhecer um impostor. – disse Lílian abrindo o livro do menino.

- Mas eu sou péssimo em poções! – disse ele olhando o livro.

- Pensei que a Lily estivesse te ajudando nisso. – disse Sirius tirando a cabeça do livro.

- E estou! – disse Lílian

- Não era para ele estar melhorando? – perguntou Remo.

- Calma, gente... Foi só uma aula... – disse Tiago defendendo Lílian.

- Nisso ele tem razão. – disse Peter apreensivo, afinal os dois ainda não tinham voltado ao normal desde a noite anterior.

Lílian olhou apreensiva para Tiago e ele respondeu:

- Eu sempre estou certo, Rabicho. – respondeu tentando parecer simpático e convencido como sempre.

- Convencido... – comentou Kely.

- Só para quem pode... – disse Sirius.

- Ninguém merece esses dois! – disseram as meninas fazendo Remo e Peter rirem.

- Afinal por que estamos fazendo lição se ganhamos o jogo de vôlei? – perguntou Tiago depois de algum tempo.

- É verdade... Eles tinham que fazer a nossa lição... Foi o combinado do jogo. – disse Peter.

- Vocês estão se esquecendo que isso só vai valer quando voltarmos para a escola. – respondeu Remo.

- Droga! – disse Tiago.

- Vamos lá, gente... Falta pouco... – disse Lílian tentando animar os amigos.

- Pouco para você! – disse Kely relaxando os ombros e voltando a se debruçar sobre a mesa.

Quase na hora do jantar todos já tinham terminado a redação e estavam na sala. Kely e Sirius se agarrando em um canto, enquanto Lílian estava sentada no sofá conversando com Remo que estava encostado nas pernas da menina no chão. Tiago estava brincando com o pomo deitado no sofá com a cabeça no colo da ruiva, enquanto Peter assistia TV Bruxa.

- E o que vamos fazer depois do jantar? – perguntou Lílian.

- Sinceramente, não estou a fim de fazer nada... Meu pescoço está doendo por ficar fazendo lição o dia inteiro. – respondeu Remo.

- Podemos assistir filme igual aquele dia. – disse Tiago.

- E que tal irmos dormir mais cedo para aproveitar mais o dia amanhã? – perguntou Lílian.

- Lily, faz um favor? – perguntou Remo massageando seus ombros.

- Fala, Remo.

- Faz uma massagem aqui, vai! Essa dorzinha esta me matando. – disse ele ainda com as mãos no ombro.

- Claro, Remo. Pega um creme lá em cima. – respondeu ela.

- Pega lá, Tiago! – pediu Remo.

- Você vai ganhar uma massagem da minha ruiva e ainda quer que eu pegue o creme? Abusado! Você está muito abusado, Aluado! – disse Tiago jogando o pomo na cabeça de Remo.

- Deixa que eu mesmo pego. – disse ele fazendo um feitiço convocatório.

Lílian estava fazendo a massagem em Remo distraidamente.

- Você tem mãos muito macias. – disse Remo.

- Obrigada! - respondeu ela corada.

- É melhor eu nem desconfiar de que você está dando em cima dela... – começou Tiago.

- Claro que não, Pontas. Não precisa ter ciúmes de mim. – disse Remo.

- Nossa, Remo, o que é isso? – perguntou a menina vendo uma mancha preta, e tirando o creme de cima pode ver perfeitamente um lindo M desenhado. – Certo cansei desses M’s.... Afinal, o que é isso?

- Isso o quê? – Remo se fez de desentendido.

- Esse M! Tiago, Sirius e até o senhor Potter tem um e agora você!

- Senhor Potter! – repetiu Peter. - Falando assim nem parece que está falando do seu sogro. – disse Peter rindo.

- Não mudem de assunto... O que são esses M’s? – perguntou ela ainda corada por causa do comentário.

- Pense bem, Lily... O que todos que tem a marca têm em comum? –perguntou Tiago.

Lílian pensou por alguns momentos.

- Vamos lá, Peter! Quero ver a sua marca também! – disse Lílian se levantando e fazendo Tiago bater a cabeça no braço do sofá.

- AI! – reclamou o menino.

- Desculpa. – disse ela para Tiago. – Vamos lá, Peter... Estou esperando! Tiago tem a marca na perna, Sirius nas costas, Sr.Potter no braço, e Remo no pescoço. Quero ver a sua. Quero ver a sua marca de Maroto. – disse a menina decidida.

- Sem chance! – disse Tiago se levantando.

- Se vi a de todos, por que não posso ver a dele? – perguntou Lílian sem entender.

- Porque está em um lugar impróprio. – respondeu Remo.

- Impróprio? – Lílian estava confusa. – Posso saber onde?

- Basta saber que a dele não é um desenho perfeito. – respondeu Tiago. – Não sei por que, mas ele não se tornou um Maroto por completo.

- Eu quero ver! – disse Lílian. – E quero ver agora!

- Lily, acho melhor você não ver... A marca do Peter é na bunda. – respondeu Sirius chegando.

- Que marca? – perguntou Kely.

Mas Lílian não conseguiu falar. As palavras não saiam.

- Vem, Lily. – disse Tiago puxando a menina pela mão.

- Afinal, que marca estão falando? – perguntou Kely impaciente vendo Tiago e Lílian saindo da sala.

- De uma cicatriz que o Peter tem. – respondeu Sirius naturalmente.

**

- O que aconteceu? – perguntou Lílian ao chegarem à biblioteca.

- Você descobriu um dos nossos segredos. – respondeu Tiago sentando em uma poltrona.

- E por que eu não consegui falar para a Kely sobre a marca dos Marotos? – perguntou ela sem entender.

- Lily, tem uma magia protegendo o segredo. Você só consegue falar sobre isso com outra pessoa que saiba. – disse Tiago.
- Dá para ser mais claro?

- Conhece a magia do fiel segredo? Aquela magia que muitos usam para esconder um lugar? – perguntou Tiago.

- Conheço. Mas o que tem haver?

- Funciona quase do mesmo jeito. Você só consegue falar sobre aquela marca com quem já sabe o que ela significa.

- E por que, afinal, vocês fizeram essa magia? – perguntou ela.

- Pergunta errada, Lily. Lembre-se que só posso te responder o que você já sabe.

- Que droga, Tiago! Como vou descobrir se você não ajuda? – perguntou ela parecendo frustrada.

- Se eu pudesse já tinha te contado naquele dia quando me perguntou. – respondeu ele calmamente.

- Certo... Pense, Lílian... – pensava ela em voz alta sentada na frente dele.

Tiago a observava calado.

- Tem algum livro que posso saber mais sobre esse feitiço? – perguntou Lílian depois de algum tempo.

- Pensei que nunca fosse perguntar. – comentou ele sorrindo.

- Você tem aqui? – perguntou ela curiosa.

- Claro que sim. Sou um Maroto, Lily. – disse ele sorrindo – Accio Marotos’ book – disse Tiago e o livro foi voando para a sua mão. – Aqui está, meu lírio. – disse ele entregando o livro.

- Um livro inteiro só sobre os Marotos? – perguntou ela olhando o índice.

Como surgiu;
a história;
marcas;
perfeição do desenho;
Como identificar um Maroto;
porque guardar segredo;
magias ocultas dos Marotos;
poderes concedidos;
como virar um Maroto;
como deixar de ser Maroto;
tirando dúvidas
...


- Dá para você resumir o livro inteiro para mim? – perguntou ela folheando o livro.

- Não. Mas posso te mostrar as coisas mais importantes. – disse ele tirando o livro da mão dela e folheando.

- Que loucura! – exclamou ela antes do Maroto lhe devolver o livro.

- Bem vindo ao meu mundo, Lily! – disse ele entregando o livro para ela mostrando uma página que se lia claramente: “Como identificar um Maroto”.

Para ser um Maroto a pessoa tem que ser, acima de tudo, inteligente, esperta, ousada, corajosa, não gostar de regras e ser fiel. Sem essas qualidades ela não será um Maroto! Para identificar um Maroto comece pelo básico, saiba se ele tem a marca M, perfeitamente desenhada, caso isso não seja possível pode começar pelas qualidades vitais dos Marotos. Lembrando –se sempre que assim que uma das qualidades seja perdida a marca ,assim como o título de Maroto, irá ser perdido também...

- Isso prova que você...

- Não te traí aquele dia. Para caso você tivesse alguma dúvida. – respondeu Tiago.

- Posso ver a marca?- perguntou ela apreensiva.

- Claro que pode. – disse ele sorrindo e colocando a perna nas pernas da moça a sua frente.

- Ela é... – começou Lílian maravilhada.

- Perfeita! Sou um Maroto por completo assim como meu pai e Sirius.

- Os outros não são? – perguntou ela sem entender ainda com os olhos na marca.

- Não! A de Remo, se você não percebeu, está faltando um pedaço da perna do M, e a do Rabicho, além de faltar um pedaço também, é meio apagada e borrada... – respondeu ele pensativo.

- Mas por que isso? – perguntou Lílian.

- Significa que eles não são Marotos por completo. Remo já está mais que na cara o motivo, não é? Ele é certinho de mais.

- Mas e Peter?

- Sinceramente não sei... Mas isso não importa muito. – respondeu Tiago.

- Agora pode me contar, afinal, que feitiço era aquele que os meninos usaram na porta aquele dia na sala de troféus?

- Um feitiço que só Marotos podem executar. – disse ele pegando o livro e folheando mais uma vez. – Aqui está. – disse ele devolvendo o livro e mostrando a pagina para a amiga.

- Feitiço dos Marotos: o feitiço só é desfeito com um tipo de prenda oferecida, um sentimento ou ação, que todos os participantes não experimentaram juntos ainda, que demonstre o mesmo sentimento de ambos os lados, quanto maior a prenda, mais rápido e mais eficiente o feitiço é. – leu Lílian em voz alta. – Afinal... Que sentimento você usou para abrir a porta? – perguntou ela olhando para o Maroto a sua frente.

- Primeiro pensei em amizade, mas já tínhamos feito as pazes e nada tinha acontecido, então comecei a pensar em ódio, mas mesmo que você me odiasse como tanto dizia, eu não sentia o mesmo, então descartei a idéia, logo depois pensei em amor... Mas era muito arriscado para eu tentar alguma coisa com você, sem contar que eu nunca imaginaria que fosse verdade, depois pensei em desejo, e te dei aquele beijo... – respondeu Tiago pensativo, mas ainda com um sorriso maroto nos lábios.

- Desejo? E como sabia que eu iria corresponder ao seu desejo? –perguntou ela tentando entender todas as informações recebidas.

- Não sei ao certo. Eu simplesmente sabia. E era por isso que eu sabia que você tinha gostado do meu beijo, por isso fiz você ficar na vontade aquele dia no lago.

- Isso é muita maldade! – respondeu Lílian se segurando para não rir.

- Maldade é você falar que me odiava! – respondeu tentando ficar sério.

- Estamos atrapalhando? – perguntou Kely que estava parada na porta.

- Não. – respondeu Tiago levantando e colocando o livro na estante.

- Resolvemos vir ver se estava tudo bem... Vocês estavam demorando em voltar... – dizia Sirius com uma expressão enigmática.

- Estamos ótimos. Só conversando. – respondeu Lílian.

Kely olhou desconfiada para a amiga:

- Que cara é essa, senhorita Evans? – perguntou Kely séria.

- Cara de quem vai matar a amiga senão parar de atrapalhar o casal aqui. – respondeu Lílian tentando parecer nervosa.

Todos riram.

- Por que saíram correndo daquele jeito? – perguntou Kely ainda rindo.

- Eu confesso... A puxei para cá porque fiquei com ciúmes dela com o Remo! – mentiu Tiago parecendo bem convincente.

- Deu para ter ciúmes dos amigos agora ,Tiaguinho? – perguntou Sirius rindo sabendo que aquela história não era totalmente mentira.

- Claro que sim. Se algum de vocês chegarem perto da minha ruiva eu mato vocês. – disse Tiago sério.

- Sua ruiva? – perguntou Lílian – Eu não sou sua ruiva! E é Evans para você! – gritou ela irritada.

Assim que a ruiva gritou, Sirius e Kely já estavam saindo da biblioteca para deixar os dois discutirem.

- Desculpa. Pensei que estávamos nos entendendo...


*************
oie gente...

**Andressa Evans Potter ** : obrigada... e que bom que gosto

Viviane : obrigada por acompanhar de novo...

Lisa Delacourt 100% marota : pra fala a verdade eu escrevo livros sim... só que to esperando a resposta da editora pra tenta publica...

amanda moreira lopes : tdb eu entendo...

Ana Carolina Prado Silva: fico feliz que tenha gostado.....

Mari_Poynter : XD

Lili : mto obrigada...... fico mtooooo feliz que tenha achado isso

*Lari Forrester Black* : vo cobra os comentários hein rsrsrsrsrsrs

Carla Ligia Ferreira: oie

bjão turma.... até amanhã


betado by: Amanda Lizzy Green

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.