FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

7. Capítulo VII


Fic: Os Marotos e o Segredo De Sangue - parte I.


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Os Marotos e o Segredo de Sangue




Capítulo VII - À lá Marotos



Photobucket



"Engraçado como às vezes
Você pode realmente perder o juízo
E fazer coisas que nunca faria
"
(Did I Do That?, Mariah Carey)





Sirius sorriu para uma garota de cabelos castanhos e lisos que dançava na pequena pista que ele e os amigos haviam improvisado, onde as pessoas riam despreocupadas, entre as luzes que piscavam coloridas e uma fina névoa esbranquiçada parava no ar, quase invisível. Havia muita gente, ele não podia negar. E quem não iria à uma festa à lá Marotos? Uma pessoa que era chamada, convidava pelo menos três para a acompanharem; contando que não haviam muitas dessas festinhas por ano letivo. Porém, a comemoração, misteriosamente, nunca chegara aos ouvidos de nenhum professor ou funcionário, ou qualquer um que pudesse dedar os festeiros.


A garota sorriu para ele e continuou a dançar com algumas amigas a música animada e Sirius sorriu para Tiago, que fazia quase o mesmo a alguns metros dele, que respondeu o sorriso marotamente. Era sua primeira investida naquela noite, apesar dos olhares maliciosos que recebera das garotas desde o início da festa.


Desviou por um momento os olhos para a escada do dormitório feminino, sem saber o que procurava lá. Então ele viu duas garotas que conhecia descendo as escadas, conversando animadas e comentando sobre o que viam ali embaixo, apontando periodicamente. Sasha estava... linda, na opinião dele. Engoliu seco e percebeu a mudança que a presença da garota fazia ali. De repente, esqueceu-se da garota de cabelos castanhos e foi em direção à dupla, que chegava ao fim da escada, tendo de desviar do enchame de pessoas que dançavam e conversavam divertidas na pista.


- Que bom que vieram! - ele gritou por cima da música, virando o copo de cerveja-amanteigada que segurava o tempo todo.


- Ela demorou um pouco a dar o braço a torcer. - exclamou Sasha no mesmo tom, gesticulando um pouco para Lily, que, atônita à conversa dos dois, observava, sorrindo e dando ocasionais acenos, quem dançava na pista, seu corpo já se balançando no ritmo na música.


- Vem dançar! - Sirius segurou o braço da garota entre os seus dedos e puxou-a para a pista, já começando a dançar, e a garota riu, fazendo o mesmo, apesar de se sentir metralhadamente invejada.


- Tem muita gente aqui! - ela exclamou.


Com a música alta e as conversas no mesmo tom, tinham que falar praticamente gritando um com o outro (N/A: é pra mim não precisar repetir essa informação toda hora, então processem: toda hora que alguém falar algo, será da mesma maneira que se falam em festas e danceterias, entendeu? ^^), gesticulando bastante.


- Eu preciso te perguntar uma coisa... - ele começou, olhando para os lados.


- O que é?


- Aqui não dá!


- Por que não?


- É importante!


- Sem problemas, vem aqui... - ela o segurou pelo braço e o guiou até um canto mais afastado de todos, onde apenas alguns casais namoravam (o que conseguiu encabulá-la), e a música estava mais baixa (também notou como a sala Comunal de repente pareceu grande). - o que foi?


- O que está acontecendo entre você e o Davies? - perguntou ele naturalmente.


Sasha refletiu por um momento. Era óbvio que Sirius sairia com alguém ali, hoje, não importava a sua resposta. Então porque não dizer-lhe o que estava prestes a acontecer?


- Nós estamos saindo.


Arrependeu-se logo depois. Não que quisesse chateá-lo (na mente dela, não haviam razões para isto), mas ele deu um sorriso rápido e aparentemente falso, dando outro gole de cerveja amanteigada e virando-se para observar a pista de dança, sério.


Sasha se despediria dele e procuraria um lugar menos constrangedor, se ele não tivesse sorriso maliciosamente quase que abruptamente e apontado para uma direção, onde ela identificou Tiago ao lado de Lily, ambos com um copo na mão, conversando animados.


- Olha aquilo. - disse - hoje é o dia de sorte do Pontas.


- Lílian deve estar bêbada. - riu Sasha, fazendo ele acompanhá-la.


- Ou deve ter aceitado meu amigo Tiago, que por sinal é um azar, coitada. - ele falou.


- Não é não. - a garota sorriu, erguendo uma das sobrancelhas.


- Sasha! Eu sou bem melhor que ele. - sorriu.


- E bem convencido também. Aliás, estou suspeitando que vocês infectaram um ao outro. - falou, e tornou a desviar os olhos à Lily e Tiago, que se encontravam surpreendentemente sérios e encabulados, olhando para os lados.


- Imagina o Pontas saindo com a Evans. Seria colossal!


Continuaram a animada conversa sobre os dois e sobre outras coisas também; enquanto os demais alunos dançavam, riam, conversavam, bebiam, namoravam... enfim, aproveitavam ao máximo a festa, e esta era a intensão dos Marotos.



*****




- Aí a professora McGonnagall ficou furiosa e descontou cinqüenta pontos pela minha indisciplina! - Tiago falou, risonho, e virou o copo de cerveja nos lábios, fazendo a garota rir.


Nunca riria de uma piada daquelas, em sã consciência! E sim, murmuraria uma resposta alfinetada e diria que não estava interessada, saindo dali o mais rápido que pudesse. Mas Tiago estava ali, na sua frente, deixando de sair com várias garotas na mesma noite - o que ele costumava fazer - e contando-lhe piadas, que, ao relaxar, ela contestou que eram realmente engraçadas.


- Mas do que você está rindo? - ela perguntou, ainda rindo - você é indisciplinado, Tiago! - exclamou.


Pontas parou subitamente de rir. Ele tinha mesmo ouvido o que ouvira? Tiago, seu primeiro nome na voz de Lílian Evans - o que ele chegara a pensar que nunca viveria o bastante para poder ouvir. Ela notou sua seriedade e pareceu desconfiar também de algo consigo mesma, parando de rir e olhando para o próprio copo, suas bochechas adquirindo o tom dos cabelos.


- Deve ter algo na cerveja... - murmurou em voz baixa, que, somente se ele não estivesse muito perto, não ouviria nunca, com todo aquele barulho.


- Por que você não admite que gostou de conversar comigo? - ele quis saber, sorrindo com os dentes, o que a deixou com uma estranha sensação de felicidade.


- Porque eu não estou gostando. - respondeu, virando o copo.


- Calma, Lílian, já é o seu quarto copo. - ele repreendeu, voltando a ficar sério.


- E o que você tem haver com isso? - ela quis saber, antes de acenar para Sasha e Sirius que os observava do outro lado do salão; o que eles só puderam notar quando, de repente, a aglomeração se dissipou para os lados, parecendo todos terem combinado.


Os dois responderam com um sorriso e voltaram a conversar, entre os risos - e Lílian percebeu o quanto os dois realmente pareciam. Os olhos de Sasha eram de um azul mais claro que o de Sirius, e o do garoto era um azul-acinzentado; e ambos os olhos entravam em contraste com aquela pele magnificamente clara e os cabelos estonteantemente negros e brilhantes, os dentes tão brancos e em ângulos tão perfeitos que chegavam a ser esplêndidos - e ela não parecia ser a única a perceber a semelhança entre os dois: algumas garotas e garotos os olhavam, uns boquiabertos, outros emburrados, outros com fúria. E não era pra menos: qual a garota que não havia sonhado em ser convidada à sair por Sirius Black, naquela noite, e chegava para ser totalmente desapontada ao ver Sasha Mills conversando tão íntima dele quanto elas nunca foram?


- Como eles podem ser tão iguais? - ela perguntou, esquecendo-se completamente do barulho à sua volta, e que Tiago não tinha um ouvido tão mágico.


- Não tenho a mínima idéia! - a voz dele saiu muito próxima à dela, e ela temeu essa proximidade.


Pontas estava ali, mas parecia ter sido empurrado por um grupo de garotas que se enfiara entre os dois e a escada. Estremeceu, ao sentir o hálito quente de Tiago muito próximo ao seu rosto:


- Você tem certeza de que não quer sair comigo?


Por um momento, Lílian fraquejou. Era a primeira vez que pensava na possibilidade de sair com o garoto, e o pior: gostara da idéia. Mas o orgulho é um sentimento que sempre insiste em falar mais alto, e ela ouviu a própria voz, saindo da própria boca:


- Não, obrigada. - e deu um de seus sorrisos mais falsos e amarelos que conseguiu.


Não que tivesse planos para continuar com suas respostas sarcásticas e cruéis por muito tempo; mas quando ele fazia aquele pedido tão repentino e doce lhe arrepiava! Como ele podia ser tão irônico e carinhoso ao mesmo tempo?


- Por que não tenta conquistar qualquer uma que esteja a fim de você? - quis saber, sem olhá-lo, com a voz ameaçadora e irritadiça.


- Porque a garota que eu estou a fim parece estar cedendo aos meus encantos. - disse, sorrindo.


Sorriso tal que ela só detectou ao virar para olhá-lo com uma fúria imensa transbordando pelo mar verde de sua íris. Estreitou os olhos, e ao abrir a boca para proferir qualquer resposta, Tiago a interrompeu:


- Eu não disse que era você.


Novamente ele estava próximo demais. Se aquele perfume continuasse a inalar em suas narinas, se aquele hálito quente continuasse a bater com leveza e desejo em seu rosto, e se a mão dele não saísse de sua cintura... ela faria uma loucura. Sabia que não resistiria por mais muito tempo.


- Eu não disse que era eu.


- Mas pensou. - Tiago continuou com aquele sorriso perturbador.


- Não pensei. E desde quando você lê pensamentos, Potter? - perguntou, tentando ignorar a proximidade dele e de seus corpos.


- Desde que você me deixa louco. - ele murmurou, após seu sorriso desaparecer e Lílian notar que ele se aproximava lentamente, encarando seus lábios.


"All of the things that I want to say
Todas as coisas que quero dizer
Just aren't coming out right
Não estão saindo direito
I'm tripping on words, you got my head spinning
Viajando em mim mesmo, você deixou minha mente girando
I don't know where to go from here
Eu não sei pra onde ir daqui"

(You and Me, Lifehouse)


Lílian quis conter-se, quis tirar as mãos dele de torno de si, quis esbofeteá-lo com uma força bruta pela ousadia; porém, seu corpo não obedeceu. Quando finalmente conseguiu juntar forças para empurrá-lo, os olhos dele colaram nos seus e se fecharam logo em seguida: seus lábios quentes se tocaram com desejo. Mas quando Tiago virou a cabeça para aprofundar o beijo, um empurrão; não de Lily, que agora estava tão embriagada que as possibilidades de empurrá-lo haviam caído para o chão da lista de coisas a fazer naquele momento - mas de alguém que parecia muito distraído atrás de Lílian e esbarrou nos dois, fazendo-os ter que parar o que haviam começado, sendo que a ruiva praticamente cai em cima de Tiago para não ir ao chão.


Sem coragem o suficiente para dar sequer uma rápida olhada à Tiago, a garota virou-se bruscamente para ver quem havia feito aquilo. Amos Diggory ria com os amigos e pareceu perceber a presença dos dois, olhando-os, e disse, com a voz risonha:


- Me desculpem, eu não fiz por mal... quer dizer, atrapalhei algo? - e explodiu em gargalhadas, fazendo seus amigos rirem também - não posso acreditar... Evans e Potter...


Lílian sentiu a face arder, já sabia que devia estar escarlate. Mas a expressão de Tiago era tão furiosa quanto ela nunca havia visto.


- Por que não olha por onde anda, idiota? - quis saber Pontas, raivoso, aproximando-se perigosamente do lufa-lufano.


O sorriso de Amos desapareceu de seu rosto, quase com incredulidade. Lílian olhou para os lados e percebeu que algumas pessoas começavam a olhá-los - e ela odiava chamar atenção; notou também que Gregorio Davies se encontrava no grupinho de amigos de Diggory, e quis que Sasha estivesse ali.


- Vocês não são da Lufa-Lufa? – quis saber Lílian, quase que indignada, notando que pelo olhar furioso de Tiago, o garoto voaria no pescoço de Amos, e, na tentativa de evitá-lo, mudara de assunto: - o que fazem aqui? – perguntou antes de receber a resposta do grupo.


- Somos de um contrabando que entrou. Ali tem algumas garotas da Corvinal, e também da Lu...


- Quem chamou vocês? - quis saber Pontas, a face já vermelha, com tanta raiva que Lílian achou que ele explodiria.


Antes que alguém pudesse continuar o que haviam começado, Lílian, na mesma rapidez com que ela e Tiago beijaram-se, agarrou o braço do garoto e deu um rápido aceno de adeus ao grupo, enquanto dizia:


- Tenham uma boa festa...


E arrastou-o para outro lugar.



*****




- Aquele não é Amos Diggory? E Davies está com ele? - perguntou Sasha, ao notar Lílian arrastando Tiago para outra direção, e o grupo gesticulava, por cima da música, algo como que Pontas havia enlouquecido.


Sem que Sirius percebesse, Sasha encostou-se na parede, deixando ele em sua frente; na tentativa de se esconder de Davies, mas acabou ficando muito próxima a Sirius, que também pareceu notar a proximidade.


- Pontas vai me odiar pelo resto da vida. - ele disse com um sorriso - mas eu convidei a turminha do Amos quando eles estavam com umas garotas que eram indispensáveis à festa. - e escorou a mão que não usava para segurar a cerveja amanteigada na parede atrás de Sasha.


Involuntariamente, seu estômago revirou. Era costume de Sirius jogar tanto charme tão descaradamente e facilmente perceptível? Devia ser. Se bem que ela nunca vira nenhuma garota sendo tão bajulada por ele quanto ela era. "Só porque vocês são amigos, Sasha, só isso, nada mais", pensou com rapidez, sorrindo para ele, após se encararem durante muito tempo.


- Hey, Sirius. - uma voz doce e animada interrompeu o que faziam.


Sirius virou-se e Sasha pôde ver quem o chamava: uma garota de cabelos castanhos muito claros e lisos e olhos verdes, um corpo um tanto invejável. Ela sorriu com todos os dentes brancos e perfeitos para Sasha ao perceber sua presença e deu um pequeno aceno. Almofadinhas sorriu para as duas e apresentou:


- Ah, Sasha, esta é Bertha Jorkins. - e apertou a mão da garota que estendera a mesma - Bertha, esta é Sasha Mills.


- Prazer. - disse a outra.


A garota sorriu em resposta. "Olha as amigas dele. Eu não tenho nem chance perto delas." novamente seu pensamento lhe traiu, e ela corrigiu. "Claro, se eu quisesse ter alguma chance."


- Então, garoto, você sumiu nos últimos dias... como você está? - falou a outra simpaticamente, dirigindo-se à Sirius.


- Estou ótimo. Você também sumiu, se quer saber. - ele respondeu, com um sorriso magnífico.


- E você continua arrasando corações... - ela riu, dando uma piscadela para Sasha, que, mesmo sorrindo, corou levemente.


- Dei uma parada com meus esquemas... se é que você me entende...! - ele disse, num tom quase misterioso, lançando um de seus olhares significativos e impossíveis de serem detectados à Bertha.


Outra troca de olhares; se bem que era estranho dizer que esta era praticada por Sirius e Bertha, e não por Sirius e Sasha. Por um momento, ela quis saber como os dois eram tão íntimos - como pareciam amigos de infância. A garota explodiu em risadas após mais olhares do garoto, e ele deu um sorriso, deixando Sasha realmente curiosa.


- O Tiago estava brigando com Amos, por ali... - Bertha mudou rapidamente de assunto ao notar o olhar curioso de Sasha, apontando para algum ponto na multidão.


Ao desviar os olhos, a garota pareceu notar algo e disse, dirigindo-se à Sirius:


- Tenho que ir... - e, após as despedidas, seguiu em direção à um garoto de cabelos loiros.


Sirius deu outro gole em sua cerveja e voltou a olhar para Sasha, com um pequeno sorriso nos lábios. Davies passou por trás de Sirius, sem notá-la, e ela se colocou em uma posição mais próxima à ele do que a anterior; fazendo ele olhá-la, surpreso e levemente interessado.


- Eu e Bertha... namoramos no ano passado, e ficamos muito amigos... foi meu primeiro e único namoro... - ele explicou.


- Ela parece ser legal. - Sasha deixou escapar, acenando para Alice, que passava com Frank grudado em seu braço, parecendo passar mal, além da expressão séria estampada no rosto antes alegre.


- A garota tem que ser muito gente boa, igual a Bertha, pra me conquistar, ou será só mais uma... - ele disse, sorrindo; ao perceber que Sasha se encabulara, mudou de assunto: - Pontas estava brigando? Alguém deve ter mexido com a Evans. - ele falou, rindo, fazendo Sasha fazer o mesmo.


- Com certeza! - ela confirmou, rindo também.



*****




- Você não precisava ter se estressado tanto, sabia? - replicou Lílian, sua face ainda um pouco vermelha, olhando para os lados para ver se as pessoas haviam parado de olhá-los; e aliviou-se, pois haviam.


Tiago tremia, de raiva; sua mão direita procurava algum lugar para ser enfiada, e Lílian abaixou-a com a própria mão. Ao sentir o toque, ele parou imediatamente de olhar para os lados e, surpreso, fitou a garota com curiosidade e seriedade, depois deu um de seus fabulosos sorrisos de todos os dentes e disse, galanteador:


- Achei que não viria à minha festinha idiota. - provocou.


Parecendo indignada, ela cruzou os braços e deu as costas para ele, murmurando:


- Oras, me arrastaram para cá, e eu... - foi interrompida.


Não por uma voz por cima da dela - bem que ela queria que fosse - mas sim uma respiração quente em seu pescoço, muito próxima à sua orelha, fazendo-a se arrepiar, seguida da voz maliciosa de Tiago:


- Agora você está gostando, não está, ruivinha? - perguntou, num sussurro.


Apesar de ter se sentido totalmente embriagada pelo perfume sedutor, livrou-se imediatamente da ligação que os juntava - e dos braços fortes que haviam a contornado por trás, pela cintura. Virou-se e fitou-o, indignada:


- Como ousa?


- Assim como você ousou me beijar. - ele disse, com uma sombrancelha erguida, um sorriso nos lábios.


Os olhos verdes de Lílian se arregalaram e ela boquiabertou-se, dizendo quase que imediatamente, enquanto Tiago sorria:


- Eu não te beijei! Você quase me estuprou! Quer dizer, se é que aquilo podia ser chamado de beijo, por Merlin... Potter, Potter! Pára! - ela começou a implorar quando ele começava a rir olhando para os lados com o canto dos olhos.


- Você é tão bonitinha quando está estressada... - ele falou, fazendo-a corar mais ainda, e, aproximando-se, segurou uma mecha vermelha de seus cabelos e murmurou, rente ao ouvido dela: - ... fica da cor dos cabelos...


Aquilo era o ilimitado do atrevimento! E como ela não tivera forças para oferecer resistência? Sua mão voou na face de Tiago, que se afastou com a esbofeteada, agora todo o humor se fora e ele ficava sério novamente:


- Escuta aqui, Potter. - ela avisou, apontando para ele, que ouviu atentamente: - esqueça o que aconteceu nesta festa, ouviu? Não conte pra nenhum de seus amiguinhos, ou eles saem falando abóboras e repolhos por aí!


Seus olhos se firmaram mais ainda quando ela se silenciou. Parecia que um desafiava o outro. O que mais Lílian queria era nunca ter se deixado levar por aquele jeito sedutor e carinhoso de Tiago, não naquela noite; e Tiago desejava com todas as forças que sua ruivinha abrisse o maior de todos os sorrisos e gritasse: "Primeiro de Abril!". Mas era vinte e nove de novembro. E ela murmurou em voz baixa uma última vez, antes de dar as costas:


- Esqueça.


Dessa vez Tiago tinha se surpreendido. Nunca teria a beijado se ela não tivesse o encarado daquela maneira. Nunca! Seria incapaz de fazer isso com qualquer garota, muito menos com Lílian! Aqueles olhos verdes que transbordaram de fúria minutos atrás não eram os mesmos que ele encarara segundos antes de beijá-la. Definitivamente, havia algo de diferente neles.


- Se quisesse outro beijo, era só ter pedido... - ele murmurou em voz baixa, acariciando o lado do rosto onde Lílian havia batido.



*****




Sasha e Sirius estavam conversando há horas; e qualquer um que pudesse ver, diria que ambos haviam esquecido do restante do mundo, que por sinal não havia esquecido deles. Haviam conseguido um pequeno espaço em um dos únicos sofás da sala toda (o que obrigava-os a terem que ficar um próximo demais do outro), e agora, viravam o vigésimo copo. Suas cabeças giravam e eles já não estavam tão sãos; mesmo que a cerveja amanteigada seja fraca, chega um ponto em que ela embriaga.


À frente deles, em um sofá quase afastado, conversando entre risos - sem sinal de terem bebido a mesma quantidade que os dois - Lílian e Remo estavam sentados. Haviam notado o sumiço de Rabicho, mas isso era o de menos.


A esta hora da manhã, digo, ninguém tinha a menor idéia da hora que poderia ser (muito menos Sasha, Sirius e Tiago, diga-se de passagem), haviam poucas pessoas na sala Comunal. A música agora era lenta, o ar estava menos cinza e haviam copos, garrafas pequenas, e almofadas espalhadas por todo o local. Ninguém tinha a mínima idéia de onde Tiago Potter poderia estar, mas sumira há um tempo considerável.


- Então, Vic - Sirius começou, a voz mais arrastada que nunca - após um zilhão de... tentativas de dançar com você, todas fracassadas, se quer saber... - jogou os cabelos negros para trás e seus olhos piscaram demoradamente, antes de continuar: - agora você... me daria a honra? - e levantou-se, estendendo o braço.


Sasha virou o copo e encheu-o novamente, com uma garrafa que estava encaixada nas laterais do sofá, sem desgrudar seus olhos dos dele. Deu um leve sorriso, levantando-se, e aceitando o braço dele, e caminharam até a pista; Sasha tendo a leve sensação de estar flutuando.


Ao chegarem, se olharam por um momento. Sirius a abraçou muito forte pela cintura, colando seus corpos, e Sasha passou o braço esquerdo pelo pescoço dele, segurando-o por ali, sendo que na outra mão o copo de cerveja era segurado firmemente. A respiração quente e ofegante de Sirius estava muito próxima ao seu ouvido e sua nuca; por um momento, Sasha estremeceu, mas deixou-se levar pelo ritmo da música.


Depois de um tempo assim, sendo observados disfarçadamente pelas pessoas que ainda estavam na sala, Sasha aproximou ainda mais os lábios para perto do ouvido de Sirius, e sussurrou:


- Sabe, aquilo sobre eu e o Davies... nós não estamos saindo, realmente...


Sasha sentiu Sirius se arrepiar e tentar trazê-la mais para perto, sem sucesso; já que era impossível, pois estavam tão grudados que seria impossível saber quem era quem, de longe. Sorriu levemente, e continuou, ainda sussurrando, um tanto rouca agora:


- Eu percebi que você não saiu com nenhuma garota hoje... pela sua fama isso é... suspeito...


Sasha sabia que estava provocando-o, pois a cada palavra ele parecia mais interessado em ouví-la. Mas desta vez sua reação foi diferente: com um movimento rápido e experiente, girou-a para outro canto da pista, deixando-a completamente confusa - mais confusa, e fugindo do ritmo da música. Paraliso-a com um golpe baixo, ao pressionar ainda mais seu corpo com o dela, apesar de ela achar isso impossível, anteriormente.


- Já que você quer saber, Vic... - ele começou, sussurrando muito próximo à sua orelha, agora conseguindo fazer com que ela enlouquecesse; continuou, com a voz tão misteriosa e sedutora quanto antes: - o problema é a garota que eu estou interessado, sabe... há pouco tempo eu achava que ela estava saindo com um cara...


Indireta, ou direta? A cabeça de Sasha girava com tanto torpor que ela não soube distingüir. Porém, nem se ficasse sã de repente (pois sabia que se estivesse sã desde o início não havia começado todo o joguinho), se arrependeria. Sirius estava ali, com o corpo colado ao seu, sussurrando-lhe palavras no ouvido... e o melhor: ninguém parecia notar. Qual era o problema, então?


Com delicadeza, girou o rosto - que antes estava grudado ao dele - de modo que pudesse encará-lo firmemente, com um sorriso leve crispado nos lábios.


- Agora que ela não está mais com ninguém... acho que não tem problema nenhum... ou tem? - sua voz saiu tão baixa que, se Sirius não houvesse estremecido ou dado aquele meio-sorriso-arrastado, ela teria certeza de que ele não havia ouvido uma só palavra.


Inclinou-se e, com uma vontade tão absoluta beijou-o ali mesmo, sem hesitar. Os lábios de Sirius tinham o gosto doce da cerveja amanteigada, deixando-a ainda mais zonza. Podia parecer loucura, mas para ela era o mais certo a fazer naquele momento, após tanto tempo se corroendo com os olhares maliciosos lançados de garotas igualmente maliciosas à ele, e o melhor: ele não parecia nem um pouco interessado nestas garotas maliciosas, lhe dando uma certa segurança e confiança.


O copo de cerveja amanteigada já estava ao chão, e Lílian não teve dúvidas, ao murmurar à Remo:


- Este é o beijo mais pornográfico que eu já vi.


Remo riu, virando o copo.



*****


























N/A: Well... finalmente o cap. VII! Eu sei, demorei muito mais que morbidamente... mas, descontos à parte, né? Como é que eu, em plena adolescência e semana de provas, vou ter o maldito do tempo para escrever na fic? {eu sei, é a desculpa mais esfarrapada que eu já dei quando me faltou idéias, sério *-*}

Muitíssimo obrigado aos leitores legais que estão comentando! Principalmente à Rhinna e à Pazinha.♥... as quais eu deixei esperando o_o' mas reconciderem, por favor...

Leiam: "Marotos, a História" com a minha indicação, e tenham a certeza mais absoluta de todas que é a melhor fic que vocês vão ler! (Sirius?? SIRIUUUSSSS???)

Ok, agora que o meu gato realmente fez o favor de sumir, vou atrás dele ;D

Beijinhos, Nah.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.