FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

29. E eu me rendo...


Fic: Garota Malvada


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Eu quero alguém distante, pra poder falar abertamente sobre a minha teoria de amor latente. Mas já encontrei esse alguém q eu amo...É você, menino que usa essas gírias, que corta o cabelo desse jeito, que tem esses amigos meio chatos, que me trata desse modo tão frio. Mas o que mais me assusta é o fato de que mesmo com tudo isso ele consiga se parecer tanto com meu mundo. Meio bonito, meio antiquado. Meio estranho.




N/A: Um recado amoures: Os irmãos da Gina não estão preocupados porque eles ainda não sabem que ela está amaldiçoada, acham que ela só caiu da vassoura.Nem eles nem a Nick, nem ninguém, só o Harry a Madame Pomfrey e Dumbledore sabem da verdade.Por enquanto...
Leitores, vocês são minha vida no mundo das fanfics.Amo-os.

Me fizeram uma pergunta sobre fazer um vidio da fic.Num sei fazer, mas seria legal ter um?Quem souber e quiser se candidatar pra fazer um....rsrs.

Boa Leitura.




Música: Breaking Free – High School Musical

...°°°




We’re soarin’, flyin’
Estamosflutuando, voando

There’s not a star in heaven
Não existe uma estrela no céu

That we can’t reach
Que não podemos alcançar





Até riria ao ver Draco com aquela cara de assustado, mais pálido que o normal se não estivesse preocupada com seu padrasto que estava preste a chegar e com o loiro que no meio de tanta confusão ainda ficava fazendo charme pra contar a droga do seu ‘planinho’.

-Malfoy, para de ser criança e me conta logo, antes que eu te enforque, ou coisa pior...-Suspirou cansada.

-Conto.-Ele falou querendo rir.-Escuta, mas, é sério mesmo...Nossa única saída pra esse beco!-Resmungou sentindo-se incompreendido.

-Acho que nos últimos dez minutos você já repetiu isso umas cinco vezes...-Cassandra praguejou com os dentes cerrados.-FALA LOGO.

-Tá, sem estresse.-Sorriu torto.-Pensei que podíamos pregar uma peça em você-sabe-quem.-Falou abaixando o tom de voz no máximo possível.Naquela floresta até as folhas secas das arvores tinham vida e ouvidos.

-Ah, claro, como eu não pensei nisso antes...-A morena ironizou, achando completamente patética aquela situação.-Ele nem é tão esperto mesmo né...-Riu ironicamente.

-Eu tô falando sério.-Ergueu uma sobrancelha.-E ajudaria bastante se você apenas criticasse depois de ouvir tudo.

-Tudo bem, então termine de dizer seu planinho mirabolante.

-Podemos ir a esse ritual...-Se aproximou ao máximo do ouvido dela, apenas sussurrando o resto.-Virarmos Comensais, mas tudo que escutarmos lá dentro vai ser pra ajudar os outros, quero dizer, os outros não me interessam, só a Gina.

Cassandra abriu várias vezes aboca e cerrou os olhos.

-Malfoy, presta bastante atenção.-Mordeu o lábio.-Quando nos mandarem matar alguém, faremos o que?Esconderemos a vitima?

-Se não for o Potter até acho uma boa idéia.-Ironizou.

-Falo sério.

-Eu também...-Resmungou, mudando de cara ao ver a feição raivosa da morena.-Tá, pensa bem, com nós dois lá dentro podemos proteger quem não queremos mal sacou?

A morena ficou calada por um instante, analisando o que o loiro disse, no começo fez algumas caretas, mas depois parecia estar considerando o que ele havia dito.

-E outra...-Ele continuou.-Nos mantemos vivos e ajudamos outros.

-É. -Falou por fim, parecendo ter levado em consideração.-Já que não temos outro plano melhor, vai esse peba mesmo.-Falou dando de ombros.

-Pelo menos eu tive a capacidade pra pensar em um plano.-Crispou os lábios.-Ao invés de entrar no quarto dos outros pra roubar.

-Vai se danar Malfoy.-Suspirou.-A minha intenção com aquele pergaminho era a mesma que a sua, por isso, shhh.-Resmungou, fazendo um gesto com o dedo.

-Sei...-Falou dando de ombros e olhando ao redor.-Aposto que você tá morrendo de medo de ficar aqui né...?-Mudou de assunto, fazendo a morena erguer uma sobrancelha e franzir o cenho ao mesmo tempo.

-Pior que estou, mas pelo simples fato de você estar comigo...-Mexeu no cabelo brevemente e voltou a falar, não dando tempo do loiro protestar.-E daqui cinco minutos o velho tá pra chegar.

-Velho?

-É, o John...-Resmungou de mau gosto.

Draco riu e balançou a cabeça negativamente.

Derrepente um estalo no meio da floresta, ambos olharam para lados oposto um tanto assustados.




-Bate ai Harry.-Pediu se encostando à pilastra.

O moreno deu duas batidas de leva na porta e esperou, claro, estava muito ansioso.Gina precisaria mesmo ir ao St’Mungos?Não queria ficar longe dela, seria como o sol estar tirando férias, uma coisa terrível.

Ouviu passos arrastados e logo a porta se abriu, mostrando Dumbledore sentado em uma cadeira um pouco distante e Madame Pomfrey com seu mesmo uniforme de sempre em frente à porta.

-Entrem...-Murmurou um pouco rouca, logo fazendo um barulho com a garganta e abrindo passagem aos jovens.

Entraram devagar e pararam olhando para o diretor, que se levantou e deu um belo sorriso a ambos.Dumbledore era o modelo de tranqüilidade, o que realmente ajudava naquelas horas.

Ofereceu duas cadeiras para Harry e Gina que estavam de pé e todos sentaram em cadeiras uma de frente para a outra.

-Boa noite.-Ele pigarreou, cortesmente.

O moreno e a ruiva sorriram em resposta.

-Decidi eu mesmo vir aqui dizer o que a Srta Weasley deve fazer.

-Espero que não seja me isolar dos amigos, do Harry e de Hogwarts...-Murmurou, impondo as regras e sorrindo.

-Claro que não Srta...-Dumbledore sorriu a olhando por seus óculos de meia lua.-Não existe melhor remédio para qualquer enfermidade do que os itens que colocastes em prática.

Harry sorriu.Gostava muito de Dumbledore, eram como parentes, nunca se imaginava sem ele, sem Gina, sem seus amigos, sua vida seria uma incógnita, um nada em meio ao nada algo sem razão.

-Então o que?-Suspirou, encostando as costas na cadeira.

-Claro que a Srta terá que ir ao St’Mungos amanhã, mas só para fazer alguns exames, depois se não houver problemas, se tratará da melhore forma possível...-Olhou para Harry e deu um sorrisinho, deixando o moreno rubro.-E ficara aqui no castelo conosco.

-Amanha terei que ir então?

-Sim, sem duvidas.Precisamos cuidar de você...-Dumbledore deu um sorrisinho.

-Mas volto depois pro castelo?

-Claro.

-Jura?-A ruiva ergueu uma sobrancelha.

-Se não houver nenhum problema, com certeza voltará.

-Essa sua resposta...-Riu, vendo Harry a olha-la.-Mas vou acreditar vai...-Analisou a situação.-Talvez eu fuja de lá.

-Gina.-Harry a repreendeu.-Não a razão pra se fugir.

A ruiva riu, dando de ombros e voltando a fitar o diretor.

-Eu nem pareço doente.

-E isso é muito bom!-O diretor concluiu.-Talvez não seja nada de mais, e mesmo que for, daremos um jeito.

-Claro que daremos.-Harry concordou.

Apenas sorriu, era bom ver que ‘dariam um jeito’.Mesmo não sendo garantia as palavras, era uma maneira confortadora de não encarar a morte.

-Sr, aproveitando a oportunidade, eu gostaria de perguntar sobre...-Mordeu o lábio, olhando atenta de Harry para o diretor.-...Sobre, Patrícia Jordan.

-Oh sim, ela foi transferida para uma escola de magia em Westminster.-Coçou a nuca.-Pelo que sabemos, ela nunca mais voltará a irritá-la.

-Ah, maravilha.-A ruiva murmurou, enquanto Harry suspirava em alivio.

-Bom Srta Weasley, então espero que esteja pronta as 9:00 da manhã em frente aos portões de Hogwarts que lá terá uma carroça lhe esperando para levá-la.

-Claro!Harry não poderá ir comigo?-O moreno sorriu.

-Sinto dizer que não, amanhã será as ultimas provas de Harry e não quero que ele as perdas.

-Mas diretor...-O moreno tentou protestar.

-Harry, Gina voltara para o castelo, não ficarão tanto tempo separados...-Riu.-Acho que dá pra agüentar.

-Claro...-O moreno resmungou de mau gosto.-Se não tem outro jeito...-Harry olhou para a ruiva, sorrindo divertido também.-Acho que vou fugir.

O diretor riu e a ruiva o abraçou calorosamente.Harry era o seu divertimento, sua vida, tudo e mais um pouco, francamente ficava sem palavras perto dele.

-Podemos ir?-Suspirou.-Amanhã cedo estarei aqui...

-Claro.-Dumbledore falou levantando-se e se despedindo, logo observando ambos saírem de lá.




If we’re trying
Se nós tentarmos

So we’re breaking free
Estermos então nos librtando.





-Harry...Me responde uma coisa?-Perguntou logo que já estavam a caminho do salão comunal da grifinória.

-Sim.-O moreno assentiu com a cabeça.

-Como você era capaz de gostar da Patrícia?

-Ah Gina, nem quero falar disso...-Resmungou dando de ombros.

-Para de ser bobo...-Deu um tapa de leve nos ombros dele.-Eu só tenho essa curiosidade.

-Eu era um tapado.-Resmungou sem vontade.-E pensava em uma única coisa...

-Sexo?-A ruiva perguntou com ar inocente.

-Não.-Falou olhando-a de forma espantada.-Eu ia dizer em mim mesmo.-Ergueu uma sobrancelha.-Mas já que você comentou, também nisso...

-Sabe do que eu te chamava?-Perguntou divertida, lembrando daquela época.Agora era engraçado ver desse ângulo.

-Não, não quero saber...-Falou olhando-a assustado.

-Era naquela época.

-Mas sei que vou me assustar com as suas expressões quanto a minha pessoa.

-Mas eu falo mesmo assim...-Harry sorriu divertindo-se.-Seu apelido era o-garoto-mais-corno-e-superficial-que-já-existiu.-Crispou os lábios.

-Valeu, é bem comovente...-Deu de ombros.-Muito meigo da sua parte.

-Eu te odiava.-Falou franzindo o cenho.

-Você que pensa.-Sorriu safado.-Era essa época que você mais me amava.

-Harry, era apenas uma forma de expressão...-Gina revirou os olhos.

-Qual, o corno ou o superficial?

-Ah, deixa pra lá...-Respondeu torcendo o lábio.-Agora você é meu-gostoso-de-bom-gosto-que-não-largo-mais.

-Maravilha.-Harry soltou um muxoxo e ela riu.-Vou sentir saudade sua.

-Eu também...-Suspirou lembrando-se de St’Mungos.Aquele lugar dava medo...-Mas você vai agüentar.

-Não vou agüentar...

-É, claro que não vai agüentar...Seria impossível...-Falou gabando-se e fingindo compreensão pela falta de sua bela pessoa.

-Mas depois quando você voltar...-Harry olhou-a com certa malicia, fazendo-a enrubescer ao entrarem nos Salão vazio.-Mataremos a saudade...Isso você não pode negar.

-Eu disse alguma coisa?-Gina riu mais ainda.




You know the world can see us
Você sabe, o mundo pode nos ver

In a way that’s different than who we are
De um jeito diferente de como somos





-O que será?-Perguntou se agarrando nos braços do loiro.

-Depois eu que sou o medroso...-Falou se aproveitando da situação ao passar as mãos pela espinha dela de uma maneira sensual.Se a morena não estivesse tão apavorada, certamente lhe daria um belo tapa naquela hora, mas como parecia preocupada com o estalo no meio da mata, nem notou o toque, pra sua sorte.

Ficaram em silencio, apenas ouvindo os passos rápidos que faziam um barulho horrível.

A ultima coisa que precisavam era da garoa fina e fria que começava a cair, junto do vento frio, dando arrepios na nuca.Aquela ritual realmente seria único.

-Ainda bem que já estão ai...-A voz rouca de John se fez presente justamente do lado oposto onde estavam fitando.-Sabia que viriam...

Cassandra soltou-se de Draco instintivamente, parecendo nojo, e cerrou os olhos ao ver e ouvir as palavras nojentas do padrasto.

-Jura?-Murmurou como uma cobra, sentindo seus pés afundarem na lama que se formava lá.

-Cassandra, hoje não estou para brincadeiras...- Elevou mais uma vez a sobrancelha e ela suspirou.

-E quem disse que estou brincando?- falou bruscamente, dando de ombros.Aquele infeliz achava que estava ganhando né?

-Vamos, já estamos atrasados...-Ignorou a morena, olhando em volta e vendo um canivete velho e enferrujado jogado no chão.-Ai está nossa chave do portal...-Apontou para o objeto abaixo, fazendo com que o loiro e a morena olhassem rapidamente.

Draco parecia cruelmente frio e gostando daquela situação.Ou ele era muito bom ator, ou estava brincando com o fogo.Se aquilo fosse uma enrascada para si virar uma Comensal, a banana afogada do Malfoy pagaria muito caro.

Teve que se segurar pra não pular no pescoço dele e o matar naquele momento.Eram verdadeiramente uns desgraçados, Draco e John.

-Então vamos logo antes que eu mude de idéia...-Resmungou de contragosto.

John sorriu parecendo um maníaco e segurou em seus pulsos.Draco se aproximou e sentiu ele do seu lado.

-Vamos?- ouviu John com a voz um pouco distante. Levantou os olhos pra ele e sua expressão era séria, não tinha como decifrar se aquilo era ou não uma armação. Suspirei, sem querer, e desci os olhos pela veste de Draco, que estavam encharcadas. Por que raios tudo aquilo já não me surpreendia? Independente, usaria o plano tosco do Malfoy.

Pegaram juntos na chave de portal, e sentira seu mundo girar em fração de segundos.Seu corpo foi jogado todo pra trás e os olhos arderam, tamanha velocidade que o corpo era levado.

Rapidamente a pressão foi diminuindo e sentiu os pés no chão.Mesmo estando de sapatos, sentiu o metal daquele piso invadir seus pés.

Era muito escuro apenas iluminado por algumas tochas vermelhas.Havia um corredor enorme e tudo estava estranhamente cheio de pó.Poucos móveis e paredes mofadas.Ficar ali era realmente sufocante.Virou-se para Draco e viu-o limpando as vestes, com uma estranha cara de nojo.

O caminho pelo corredor escuro foi feito sem problemas, estava tudo completamente vazio. Já estava suspeitando se realmente haveria um ritual ali, o silêncio era muito grande, mas era óbvio que os Comensais haveriam de usar um Feitiço Silenciador. Que ingenuidade a sua...

Uma, duas, três, quatro, cinco, incontáveis portas depois ele parou. Fitei-o, sem entender, esperando qual seria a armação dessa vez. Mas ao olhar para cima, para tentar encontrar nos olhos dele qualquer vestígio de excitamento, eu apenas encontrei uma sobriedade estranha, completamente atípica de John.
-Abram e entrem...-Sussurrou.

-Sozinhos?-Draco perguntou, cerrando os olhos.

-Sim.-John murmurou empurrando-os com as mãos.

-Para de me empurrar.-Cassandra chiou.

-Já estão atrasados...

-Mentira.-Grunhiu.-O ritual é as oito e meia e ainda faltam dez minutos.

-O Lord gosta de pessoas pontuais.

Draco bufou, parecia estar ficando estressado.Mas quem não ficaria?

John se retirou lentamente de lá, deixando os dois sozinhos, apenas esperando para que abrissem as portas e entrassem no Salão onde ocorreria o ritual de Comensal.

-Malfoy, diz pra sua sorte que isso não é uma enrascada.-Bufou olhando-o rapidamente.

-Da minha parte pelo menos não.-Sorriu torto.-Aliás, odiei esse lugar.

Crispou os lábios e só não suspirou em alivio pra não dar o gostinho pro loiro.

-Então abre a porcaria da porta...-Suspirou.

Draco ergueu uma sobrancelha franzindo o cenho.

O que aconteceu depois, foi muito rápido.Abriu as portas e viu várias cadeiras em forma de circulo, e a primeira, bem ao longe era grande e havia várias pessoas de pé, cada uma de frente para as cadeiras.

-Entrem...-Uma voz estridente se fez presente.Era medonho, mas simplesmente não sentiam medo, apenas ódio.-O ritual vai começar.




-Nick, sei lá, você tá muito quieta hoje.-Resmungou ainda bem perto dela, sorrindo e tamborilando os dedos no sofá.-Sinto que estamos um pouco distante.

-Tô preocupada com a Gin...-Suspirou jogando uma mecha do cabelo pra trás.-Ela tem algo mais, não sei, algo que não quer contar pra gente.

-Porque você acha isso?-O ruivo franziu o cenho de forma preocupada.

-Ela anda tão diferente comigo...Nunca mais conversamos como melhores amigas.-Muxoxou triste.-Preciso colocar tudo isso em ordem.

-Também acho.Vou falar sério com a Gininha também.Aquela pimentinha deve estar aprontando uma...-Riu divertido, vendo Nick revirar os olhos.

-Você só pensa em travessuras viu Fred...Mas, se for isso, dou graças a Merlin...

-Amo aquela pentelha.-Bufou.-Vamos conversar com ela depois do jantar.

-Pode ser...-Falou mordendo o lábio exterior.

-Mas Nick, como eu estava dizendo, você realmente tá meio distante.É só isso mesmo?

-Claro amor...-Se agarrou nos pescoço do ruivo, rindo junto com ele.-Desculpa, é que realmente ando preocupada com a Gina.

-Entendo...Eu também...Vamos realmente falar com ela hoje.Assim esclarecemos tudo e nos despreocupamos um pouquinho...

-Sim, claro.-Deu de ombros.-Mas eu também tô me sentindo um pouco mal...Uma sensação estranha parece que tem algo muito pesado no ar... Quase palpável.Você não consegue sentir?-Semicerrou os olhos.

-Não.-Fred respondeu assustado.-Como é isso?

-Não sei, num dá pra explicar...Eu só sinto.-Respirou profundamente.-Mas também pode ser só impressão minha.

-Tomara que seja...-Falou beijando-a lentamente no pescoço.-Nossa vida está muita boa para arranjarmos problemas...

-É...-Riu, passando seu rosto levemente no dele e sentindo calafrios ao vê-lo brincar com o fecho da alça do seu sutiã.

-Boa noite...-Uma voz rouca fez-se presente, fazendo-os olharem rapidamente, apenas acenando com a cabeça e voltando ao que faziam.

Edw com certeza estava melhorando sua fase de querer se isolar.Parecia bem mais sociável.Isso de certa forma a deixava orgulhosa.

Beijaram-se por algum tempo, e ficaram se curtindo.Era bom isso, e não trocaria pro nada nesse mundo.Desde que se tornara por completa de Fred, sentia-se plena.Amava apenas estar perto dele.As brigas quase nunca ocorriam.Sabiam se entender e se respeitar.Ama Fred e ponto final.Ninguém tiraria isso de si.




Creating space between us
Criando um espaço entre nós

‘Til we’re separate hearts
Até nossos corações estarem separados

But your faith it gives me strength
Mas sua fé me dá forças...

Strength to believe
Forças para acreditar.





-Hei, Gina...-Alguém berrou, chamando de imediato sua atenção e a de Harry.

Virou-se rindo ainda de uma piada besta que o moreno contará e viu Rony, acenando com Mione e vindo em direção de ambos, feliz.

-Oi cara.-Riu de Harry, após dar-lhe um tapa nas costas, fazendo o moreno franzir o cenho em uma careta.

-Oi seu ruivo desatarefado...-Murmurou.

-Ser desatarefado namorando Hermione Granger é impossível...-Falou, logo em seguida recebendo um beliscão da morena, que riu contente para Gina.

-Vocês pararam de falar com a gente.-Mione resmungou, fingindo rancor.

-Que isso Mione, é que em meio as ultimas provas, nem dá tempo.-Gina argumentou sabiamente, fazendo a morena sorrir.

-Isso é verdade.Você Gin, sei que estuda, agora Harry, duvido muito...

-Tô quase sendo reprovado por falta das suas colas...-O moreno resmungou fingidamente, fazendo Mione gargalhar.

-Depois que o Harry começou o romance com a Gina...-Rony começou, fazendo todas as atenções irem para si.-Poupou ela da nossa amizade.

A ruiva começou a gargalhar e Harry deu um soco de leve no ruivo, que ficara vermelho por tentar segurar o riso.

-Isso é uma grande mentira...-Gina respondeu prontamente.-É que preciso aproveitar do lado desse moreno...Tão...Bom!-Disse por fim, fazendo Harry abraça-la pela cintura, em gratidão, e Rony arregalar os olhos.

-Olha, até fez a cabeça dela.-Suspirou fingindo cansaço.-Pobre Gininha...

-Rony, você virou um chato.-Harry comentou rindo em diversão.

-Viu no que você me transformou Mione?-O ruivo praguejou em brincadeira, olhando pra a morena, que ficara séria.

-Então porque você não termina comigo?-A morena perguntou.Realmente havia levado a brincadeira a sério.

Naquele momento realmente quis responder a altura para a namorada, mas não tava a fim de brigar...Estariam acabando com o clima de alegria.

-Porque te amo, e amo o pacote completo.-Disse, fazendo-a sorrir de orelha a orelha.

-Eu sei seu besta...-Riu o abraçando.

-Com quem você aprendeu a fingir tão bem?-A ruiva perguntou, rindo do irmão e da amiga.

-Com o Rony...-Respondeu, fazendo todos rirem.

-Mas vocês são umas graças mesmo.-Harry suspirou, pondo uma mão na cintura da ruiva.

Olhou para o moreno que parecia querer agarra-la e sorriu marota.Amava aquele olhar safado dele.

Queria agarrar ele ali mesmo também, mas derrepente Rony e Hermione começaram a os fitar com umas caras estranhas então seria meio esquisito agarrar Harry e depois ver Rony o agarrando e dando porrada.

Okay, não tava dando pra agüentar, ignorou Rony, Mione, e colocou uma mão nas costas dele e outra na nuca, sendo puxada pra mais perto pelo moreno.

O beijou com uma certa ternura; e então, quando a mão dele se encaixou na sua cintura, enfiou uma dose de paixão tão forte naquele beijo que seu irmão arregalou os olhos olhando em desespero para Mione ao seu lado e fez uma careta.

Rony era realmente uma graça quando queria.

Não soube explicar o que estava acontecendo consigo...Sempre conseguira resistir aos encantos do moreno, mas só de lembrar que amanhã teria que sair sem vê-lo, chegava a dar-lhe depressão.

Rony pigarreou, fazendo-a parar de beija-lo, que muxoxou ao afastamento do toque.

-Rony, deixa eles.-Hermione resmungou, fazendo Gina ama-la ainda mais.

-Claro que deixo, desde que façam esse tipo de...Coisas...-Respirou vendo Harry rir.-Em outro lugar.

-Como se você e a Mione não fizessem esse tipo de coisa né Rony.-A ruiva resmungou, vendo a morena corar violentamente.

-Ah, vamos jantar.-Harry resmungou, puxando Gina e a levando rumo a entrada do Salão.




We’re breakin’ free
Estamos nos libertando

We’re soarin’
Nós estamos flutuando

Flyin’
Voando

There’s not a star in heaven
Não existe uma estrela no céu

That we can’t reach
Que não possamos alcançar

If we’re trying
Se nós tentarmos

Yeah, we’re breaking free
Yeah, estaremos nos libertando





Todo aquele silencio começava a estressa-la.Pensava que iria ouvir gritos de dor e morte, mas ao contrario.Aquele silêncio fúnebre de enterro.Quando tudo aquilo terminaria?

Cerrou os olhos ao ver o homem do centro se levantar e retirar lentamente a capa que lhe cobria o rosto.

Era perfeito.Voldemort!Ele estava perfeito...Quer dizer, não que fosse um homem perfeito, mas sim, o homem perfeito.Sem cicatrizes, sem cortes, podridão ou coisa parecida.Estava totalmente reconstitucionalizado.Olhos perfeitos, dentes, nariz ao invés de dois furos.Totalmente humano.

Isso de certa forma a assustara.Era estranho ver que ele não tinha mais nada afetado.Claro, talvez fosse uma de suas ultimas almas...Claro, Voldemort era alguém com uma alma apenas.Seria mais fácil de mata-lo, ou mais difícil?Eis o mistério.

-Fico contente de ver que atenderam ao meu chamado.-O lord das cobras praguejou, com um chiado, fazendo quase estourar seu tímpanos.-Logo começaremos o ritual, e vocês se tornarão meus fieis servos...

Teve uma grande vontade impulsiva de gritar um palavrão, mas tinha que se controlar, e invejava o auto controle de Draco que permanecia estagnado com os olhos parecendo duas fendas de prata.Estava lindo, assustador e apreensivo.

Viu dois comensais que estavam com capas cobrindo o rosto, claro, todos estavam com capas cobrindo o rosto.

Eles traziam um pequeno punhal, que brilhava tanto que chegava a doer os olhos.

Colocaram de frente para os dois e voltaram a seus lugares, parados, quietos, apenas observando.

O lord começou a falar algumas palavras em Latim, realmente não entendeu bulhufas, graças a Merlin, não sentia nenhuma curiosidade, vai que o Maldito estivesse lhes amaldiçoando.

Sentiu muito frio naquele momento.O ritual deprimente.O que Draco estaria pensando disso tudo?Bem...Será que ele realmente estava pensando?


...

Seu plano tinha que dar certo.Ao ver o Lord resmungar as palavras em Latim, sentiu muito ódio por não estar entendendo nada.Maldito fosse ele.Aquelas merdas de rituais da época medieval.Sua coisa era algo refinado e de seus tempos.

Mentira!Queria mesmo era saber o que Cassandra estava pensando com aquele ar sério.Ela parecia bem concentrada.Talvez entendesse algo de Latim e estivesse tentando adivinhar o resto.

Tudo aquilo era tenso de mais...Não gostava de coisas que não fossem descoladas e modernas.

Aquele punhal realmente o assustou também.Arrancar pedaço não estava nos seus planos.E nem que Voldemort lhe prometesse mãos e pernas de ouro, não cederia.Aquele sanguinário.Talvez ele fosse mesmo é um vampiro doidão.

Okay, sua mente tava parecendo mais uma bomba de bosta do que algo medroso.Graças a Merlin...Pelo menos conseguia parecer sério e pensar em Merda mesmo assim.

Depois de muitas palavras indistinguíveis ele elevou a mão direita ao ar, parecendo horrendamente nojento ao seu ver.

-Agora, que o ritual já está nas chamas das trevas junto com suas almas...-Ao ouvir aquilo quis tossir de desgosto.-Jurem, com as mãos no punhal, que irão servir apenas A mim, até que a morte os tome, que morrerão honrando nossa seita, e que farão tudo que lhes for ordenado.

Podia jurar ter visto os olhos de Cassandra ficarem laranjas de ódio, mas ficou pasmo ao vê-la estender a mão direita sobre e o punhal, e com a voz mais sexy e medonha, murmurar:

-Juro, ser fiel...-Dissera ser fiel, mas não a quem.

Voldemort fez uma cara de desejo sanguinário e logo fitou Draco, que estendeu rapidamente sua mão sobre o punhal também.

-Juro ser fiel.-Copiou a frase de Cassandra, achando tudo aquilo uma grande perda de tempo.

-Agora...-O Lord ergueu as duas mãos para o punhal, fazendo-o girar em um movimento rápido e assustador no ar, sendo cravado na pele do braço de Cassandra.

Sentiu vontade de amaldiçoar o maldito quando a viu gritar e se abaixar de dor.Soube muito bem, que ela só não se ajoelhara tamanha a dor, pela fidelidade a seus ideais.

Gemia fortemente em desespero e dor quando o metal do punhal passava por sua carne, fazendo algo como um desenho, deixando uma marca cravada na sua carne.A cobra, o sinal da morte, o sinal dos comensais.

Sentia nojo, dor ódio, ânsias e medo também.Se pegasse uma infecção...-Sua mente forçava-a a pensar para esquecer um pouco a dor-.

Seus cabelos caiam-lhe nos olhos e a franja ficara grudada pelo suor.

Não viu mais nada, a dor era latejante, mas tinha que agüentar.Sabia que Draco a fitava angustiado.Sentia isso...E pela primeira vez sentiu-se feliz só de saber que ele estava ali consigo, e que...Logo experimentaria a mesma coisa. –Fazia de tudo para colocar piadas em mente e esquecer a angustia.Os olhos marejaram em lágrimas.Maldito Voldemort.Sabia que estava sendo cravados as sombras e o mal em seu mundo...E não queria isso.

Logo tudo foi voltando ao normal e sua visão sendo retomada normalmente, o metal se descravou de sua carne e sentiu a pele arder.

-Cassandra Thrnbury, Comensal da Morte, honre seu juramento e junte-se aos de mais.-O maldito murmurou por fim, após vir outro Comensal e obriga-la a colocar uma capa igual à de todos.

Queria se matar.Virara uma Comensal.Oh vida maldita...Esse nunca fora seu sonho.E estava sentindo-se pior que uma sanguessuga, pior que uma ameba, pior que um Malfoy.-Suspirou, dando um passo pra trás após se arrepender de ter falado aquilo de Draco.Coitado, sabia muito bem o que ele estava passando.Mas ele não gemia de dor, não gritava e não teve nenhuma reação.De certa forma Voldemort parecia satisfeito com a força do loiro Malfoy.

Até que sentiu inveja dele.De certa forma fora fraca de ter gritado.

Sentia-se tonta e seu sangue parecia ter acabado.O braço ardia, sabia que a marca já estava ali, mas não queria nem ver.

...

A dor era cortante, ardia, queria gritar, mas não daria esse gostinho ao miserável.Seria forte como estava sendo.

Estava acabando, sabia.Era apenas uma marca.O verdadeiro sentimento era em sua alma.Okay tinha soado meio estranho, mas tinha o sentido certo para si.

Tudo foi voltando ao normal pouco a pouco e sentia apenas uma dor latejante onde fora cortado.O punhal voltou a flutuar no ar e sentiu uma capa sendo colocada sobre si e alguém o puxando para trás, ficando ao lado de Cassandra novamente, que também tinha o rosto coberto pela capa enorme.

-Draco Malfoy, Comensal da Morte, honre seu juramento e junte-se aos de mais.-Repetiu a mesma frase, deixando tudo com um clima tenebroso.




Jantaram normalmente, algumas piadinhas voltando a serem colocadas em prática vez ou outra.Não deixava de ser engraçado tudo aquilo...

Harry ficara estranhamente quieto, mas tudo bem.Conseguia entender ele.Si própria não estava em seus melhores humores.Sem contar que Nick e Fred estavam prestando muita atenção em seus gestos, pareciam querer descobrir algo ao mesmo tempo, que apenas saber se estava bem.

-Ai, como eu como...-Resmungou dando de ombros.-Harry, tô indo pro Salão Comunal, você vem?-Deu de ombros, sentindo-o abraça-la pela cintura e rir.

-Vou esperar os doces...-Praguejou, no que Rony concordou também.

-Então te espero lá...-Falou levantando-se, ao mesmo tempo em que Nick e Fred.

-Precisamos falar com você...-Fred murmurou, no que Nick concordou sorrindo e pegando no braço do ruivo.

-Okay...-Gina suspirou fingindo pavor.-Lá vem bomba...Mas dessa vez eu num fiz nada.

-Só queremos conversar...Coisa que nunca mais fizemos.-Nick a tranqüilizou, fazendo-a suspirar em brincadeira.

-Vamos...

Saíram rapidamente, e logo já estavam no Salão Comunal.

A ruiva se jogou no sofá, enquanto Nick sentava-se delicadamente ao lado dela, e Fred cruzava os braços em frente ao peito, fingindo estar bravo.

-Digam, o que eu fiz?-Perguntou rindo.

-Ah Gina, faz mô tempo que você nem fala mais com a gente...-A morena resmungou, realmente chateada.

-Ah, gente...-Falou abraçando Nick, e sendo bem retribuída.-Poxa, é que me encantei com o Harry.-Brincou.

-Percebemos...-Fred brincou.-Vou bater nele.

-Não vamos apelar para a violência física...-Nick resmungou brincando.

-Mas pode uma maldiçãozinha?

-Não.-A ruiva suspirou.-Harry pela metade seria estranho.

Riram.

-Não maninha agora é sério...-Suspirou passando a mão no cabelo.-Você parece estar nos escondendo alguma coisa...

Gina suspirou, pra que continuar escondendo?Uma hora ou outra todos iriam saber mesmo.

-Tá!Tenho mesmo uma coisa pra contar pros dois...

-Sabia!-Nick empunhou a mão no ar, em sinal de vitória.

-Conta Gininha, não nos preocupe mais.

Suspirou e começou a contar da maldição para eles.




Oh, we’re breakin’ free
Oh, estaremos nos libertando

Can you feel it building
Você pode sentir isso acontecendo

Like a wave the ocean just can’t control
Como uma onda que o oceano não consegue controlar

Connected by a feeling
Conectados por um sentimento

Ohhh, in our very souls
Ohh, nas nossas diversas almas

Rising ‘til it lifts us up
Levantando-se cada vez mais

So every one can see
Então, todos podem ver





Logo a mesma sensação de que seu corpo estava sendo jogado para trás, e logo estavam na Floresta escura novamente.

Havia parado de chover e o chão estava seco novamente.

Seu pulso latejava e o resto do braço ardia tanto que chegava a ser enlouquecedor.Precisava de um feitiço para tirar dor imediatamente.

Se Draco sentia a mesma coisa era um mistério.Ele permanecera calado o tempo todo, desde que fora marcado ao momento que pegaram na chave de portal e voltaram a ficar parados em meio a Floresta.

O silêncio era constrangedor e irritante.Queria a voz dele, queria saber se estava tudo bem, ou melhor, se ficaria tudo bem.

-Draco...-Suspirou, nem ligando por estar usando o primeiro nome dele.O próprio a chamava de Cassandra ao invés de Thrnbury.

O loiro ergueu o rosto, puxando a touca da capa pra trás e a fitou, sentindo-se estranho por ouvi-la chamá-lo pelo primeiro nome.

-Sim?

-Quero alguma reação da sua parte.-Resmungou.-Falando você já parece um defunto, calado é realmente o xeroz de um.

Riu brevemente do que ela disse.Aquilo pelo menos cortou o clima tenso.Adorava o ar de moleca dela.

-Meu braço parece que vai cair.Não tenho muito animo pra mover nenhum músculo do corpo, nem os da boca.

-Malfoy seu fracote...-Suspirou dando de ombros.-Não agüenta nem um cortezinho desse.-Ignorou totalmente o que dissera.Cortezinho nada, tava doendo pra caramba mesmo.Mas queria se fazer de forte por um pouquinho que fosse.

-Levando em consideração que você gritou que nem uma desesperada acho que não sou eu o fracote...-Suspirou, fazendo uma mecha do cabelo levantar e voltar lentamente de onde veio.

-Okay, doeu pra cacete...-Resmungou olhando a escuridão ao redor.-Odeio escuro.

-Ah...-Falou malicioso.-No claro é melhor ainda...

-Do que você tá falando?-Fez-se de desentendida, ao ver ele sorrir torto.

-Disso...

Maldito loiro ousado. Não soube o que deu em si naquele momento. Ele estava ali, tão... Carente e abandonado. E então aqueles dedos na sua boca, a boca dele chegando perto da sua... Não pode resistir. Era como se estivesse voltando a ter dez anos de idade.

Mas com dez anos de idade ainda não tinha beijado, então nem tem comparação, ah, e nunca se imaginara beijando Draco Malfoy...

Não se importava de estar na Floresta Proibida e temida de Hogwarts.Pouco se importava...Afinal, ainda nem havia dado dez horas...

Ironizou em pensamento, sentindo toda a excitação do que acontecia.

Não soube ainda por que raios sorriu para ele, mas soube que sorriu ao sentir a pressão dos lábios carnudos passando pela curva de seu pescoço.

-Malfoy, sem chances deu ficar me agarrando com você aqui na Floresta Proibida...-Resmungou, se controlando e se afastando de perto dele.

-Tá bom!Vamos pro meu quarto então...

Foi a ultima coisa que conseguiu ouvir antes de ser puxada rapidamente floresta a fora.O que ele pensava estar fazendo?




We’re breakin’ free
Estamos nos libertando

We’re soarin’
Estamos flutuando

Flyin’
Voando

There’s not a star in heaven
Não existe uma estrela no céu...

That we can’t reach
Que não possamos alcançar

If we’re trying
Se nós tentarmos

Yeah we’re breaking free
Sim, estaremos nos libertando

Ohhhh runnin’
Oh, correndo

Climbin’
Escalando

To get to that place
Para chegar até aquele lugar

To be all that we can be
Onde podemos ser tudo o que queremos ser

Now’s the time
Agora é a hora





-Gina, como você pode ter nos escondido uma coisa séria dessas?-Fred perguntou parecendo muito preocupado e passando as mãos de forma violenta no cabelo.

-Ruiva, eu nem posso acreditar...-Nick murmurou estagnada.-Uma maldição?

-Calmos amores...-Gina tentou tranqüiliza-los.Pareciam mais preocupados que si própria.-Amanhã estarei indo ao St’Mungos exatamente para tratar disso...-Suspirou.-Ainda não há motivo para pânico.

-Como não?-Fred quase gritou, assustando as duas.-Mamãe por acaso já sabe disso?-Grunhiu.

-Creio que sim.Eles irão comigo amanhã...-Falou intimidada pela feição dura do irmão.

-Gina, como pode nos esconder do seu pesadelo?São coisas muito sérias para se duvidar.-Segurou nas mãos da amiga.

-Claro que não se deve esconder uma coisa dessas.-Pela primeira vez na vida Gina vira Fred sério e com raiva, e isso, definitivamente estava a assustando.

-Calma Fred, não precisa falar desse jeito comigo...É a última coisa que preciso.

-A Gina tá certa...-Nick resmungou.-Agora te dou minhas forças Gin...-Suspirou abraçando-a. -Vai dar tudo certo.

Sentiu os olhos marejarem em lágrimas.Não queria que aquilo estivesse acontecendo.Sua vida viraria de cabeça pra baixo, e realmente era a ultima coisa que desejava.

Quando tudo dava certo acontecia algo que fazia seu castelo feliz desmoronar.

-Gina, eu me preocupo com você...-Fred começou, sentando-se ao lado da ruiva.-Sou seu irmão.Gosto de brincar, gosto, mas levo as coisas à sério também.Não vou deixar que nada aconteça com você, eu e Jorge zoaremos o desgraçado que tentar isso, até a morte.Rony o arregaçara na porrada, Carlinhos e Gui o farão ser engolidos por um dragão, e Percy...Hmm, Percy talvez reze um salmo e dirá que machucar irmãs aléias é um grande pecado...Mas já serve de algo.-Respirou profundamente.-Harry mataria e morreria por você, Nick e Cassandra estariam ao seu lado até nas piores hipóteses de sofrimento, Papai e Mamãe morreriam se acontecesse algo com a menininha deles, também tem...

-Okay Fred...O mundo me ama...-Resmungou encharcada pelas lágrimas e se jogando nos braços do irmão, que lhe acolheu com muito carinho.-Te amo...

-Te amamos muito também...Você é a nossa única Gininha linda, não queremos te perder, não dá pra substituir...

-É isso ai Fred...-Nick resmungou em meio às lágrimas também, abraçando os dois.

Um barulho de passos, Hermione, Rony, Jorge e Harry, entravam conversando animados, no que se assustaram ao ver os três em meio às lágrimas.

-O que tá acontecendo?-O moreno perguntou assustado, fazendo Gina sorrir de forma carinhosa, ainda abraçada a Fred.

Os outros pareciam não entender nada, mas também ficaram preocupados.




-O que pensa hein Malfoy?-Riu parando bruscamente em frente à porta do quarto de monitor dele.Nunca chegara tão rápido em um lugar que nem naquele momento.Parecia que tinham aparatado.-Que vou entrar nesse seu quarto?-Riu.

-Claro.-Respondeu prontamente, fazendo-a arregalar os olhos.

-Nem morta ou enfeitiçada...-Deu de ombros, ignorando Draco.

-Tem medo do que Cassandra?

-Medo?Eu não tenho medo...De nada-Suspirou, se abanando.

-Então prove.-Pediu, sorrindo de forma safada.

-Que seja então, só pra provar que não tenho medo desse seu quartinho imundo...-Abriu a porta fazendo-a bater do outro lado, e entrou antes do loiro, que em seguida fechou a porta atrás de ambos, a fazendo estremecer.

O quarto estava um pouco diferente comparado à última vez em que estivera ali - se bem que a última vez que eu estivera ali tudo estava entorpecedor e escuro demais para ser reconhecido. Mas da outra vez, com certeza, não havia uma colcha formada por pétalas de rosas encima da cama.

- O quê... O que é isso? - balbuciou enquanto dava, sem perceber, alguns passos para perto da enorme cama de colunas.

-Uma cama, e algumas pétalas de rosas...-Ele respondeu, como se fosse obvio.

-Então...Estava esperando alguém?-Gaguejou sem graça, virando-se de imediato e se arrependendo ao ver que estava rubra.

-Você!-Ele disse simplesmente.-Sempre estive esperando por você...

-Malfoy, nem tente me seduzir.-Falou quase sem ar.-Isso não dá certo.

-Com os outros...Agora, comigo, acho que dá sim...-Riu sarcástico.-Ninguém resiste.

-Vou te dar um tapa, que dizer, um não, dois, se você não me deixar sair daqui agora...-Falou meio tonta e inebriada com o cheiro de perfume masculino que ele emanava.

Ele não respondeu. Ficou parado, sentado elegantemente numa cadeira ao lado da cama, a encarando. Virou o rosto para o outro lado, dando de encontro com um comprido espelho.

- Pare de me encarar.

- Te incomoda?

- Sim - resmungou enquanto o encarava pelo espelho; percebendo, com certo receio, que ele estava se levantando.

- Posso saber por quê? - ele sussurrou ao pé de seu ouvido, chegando por trás e lhe encarando através do espelho.

Não conseguia encontrar resposta; na verdade até teria encontrado se ele não estivesse tão perto... Mas o calor daquele corpo estava a tirando do sério. Ele encostou o queixo no seu ombro; eram quase da mesma altura.

- Por que isso te incomoda, Cassandra? - ele respirava fundo perto da sua garganta e calafrios estavam subindo pela sua espinha.

-Pelo mesmo motivo que te incomodaria se eu ficasse te encarando - tentou escapar, mas sua voz não estava firme na decisão.

Ele baixou os olhos para os lábios da morena, curvando o rosto suavemente de encontro ao dela; entreabriu os lábios - não agüentaria ficar mais um momento sem beijá-lo... Mas ele saiu de perto sem explicação, indo se sentar novamente na cadeira.

-Se meu olhar te incomoda todo o resto provavelmente também - Começou a rodar a varinha entre os dedos; Começou a sentir ódio. Afinal, quem deixara ele lhe instigar assim e de repente escapar? Chegou perto em passos decididos.

- O resto, nesse momento não me incomoda – Falou, a voz estava cheia de raiva e sedução, de uma maneira que nem imaginava saber fazer; um sorriso satisfeito se formou nos lábios de Malfoy.
-Então prove - ele sorriu de um jeito meio egocêntrico enquanto erguia uma sobrancelha. - Prove que o resto não te incomoda...
Estava na hora de mostrar pra ele quem estava no comando da situação ou logo teria sérios problemas.Pretendia estar em seu quarto as onze em ponto...
Aproximou-se ainda mais, vendo-o lhe acompanhar com os olhos enquanto sentava-se em seu colo, uma perna de cada lado da cadeira. Instintivamente ele levou as mãos a sua cintura enquanto abaixava seu peso. Os rostos e os hálitos quentes se confundiam.

-Se incomodasse eu não estaria mais aqui - respondeu com um sussurro junto ao seu ouvido, notando com satisfação que aquilo o havia arrepiado.




So we’re breaking free
Então estamos nos libertando

We’re breaking free
Estamos nos libertando

Ohhh , yeah
Ohhh, yeah

More than hope
Mais que esperança

More than faith
Mais que fé

This is true
Isso é verdadeiro

This is fate
Isso é fato

And together
E juntos





O que estava acontecendo com sua consciência?Porque estava deixando Draco fazer aquilo?Merlin...Definitivamente o ritual satânico havia afetado suas estruturas mentais, seu inconsciente estava pirando, e mesmo sabendo que devia ter uma cobra em carne viva posta em seu braço, já não sentia mais a dor.Porque diabos tinha que sentir-se daquele jeito ao lado de Draco?

Não se importando mais com nada...Nem querendo ser mais ninguém, nem de ninguém, alem dele...

Que tudo se explodisse naquele momento, queria pertencer e ser de Draco Malfoy...E pelo que via, ele também queria estar consigo.

Não tinha mais defesas, suas armas se esgotaram...Seria o que tivesse que ser e ponto final.

Ele respirou fundo junto ao seu pescoço, as mãos subindo pelas suas costas até a gola do robe, que o ajudei a tirar, caindo aos seus pés no chão. Agradecera a Merlin por aquele ato, estava suando por debaixo do tecido quente.

-Está melhor assim? - ele perguntou, como que adivinhando seus pensamentos, embora eu soubesse que ele devia estar sentindo o mesmo. Balançou a cabeça, olhando-o nos olhos, sem muita consciência de que estava expressando mais do que devia com aquele olhar.
Ele aproximou os lábios de seu pescoço e então recuou levemente, fazendo com que ela a olhasse de forma frustrante. Levantou-se e caminhou de costas, sorrindo marotamente, até o outro canto do quarto.
Sinceramente não soube dizer por quantos minutos permaneceram assim, apenas olhando um para o outro, até que ele tomasse iniciativa e se levantasse, caminhando até si novamente, trazendo aquele ar sensual, felino, que de certa forma a assustava e instigava cada vez mais. Estava encurralada entre ele e a escrivaninha agora. Quanto mais ele chegava perto, mais ia para trás, até que, obviamente, não havia mais "para trás", então se sentou sobre a escrivaninha e ele subiu uma das mãos pela parte de fora da suas coxas, por debaixo da saia, retirando a capa de Comensal aproximando-se, fazendo com que sentisse o calor que vinha do corpo dele.

Por um minuto parou, olhou para o braço dela e cerrou os olhos.Instintivamente olhou também.Não que estivesse repugnante, mas era algo assustador.A carne vermelha, não aberta, mas já fechada em formato de uma caveira onde uma cobra ficava se movimentando pela boca a todo momento.Já nem sentia mais a dor, e tinha certeza, Draco também não.Queriam apenas se sentir.Aquela marca, trazia a sensação de uma nova era.A guerra começaria em breve e pra que perder seus preciosos tempos com coisas fúteis, brigas, sendo que podiam estar juntos, unidos?

Se iria se arrepender mais tarde não sabia...Só tinha a certeza que era aquilo que queria no momento...

Quando a mão finalmente alcançou sua cintura a outra já percorria o mesmo caminho, só que do outro lado, lhe causando calafrios. No momento seguinte ele havia á puxado de encontro ao seu corpo, a respiração ansiosa junto ao seu ouvido, o suor escorrendo por sua testa, as mãos de forma delicada e possessiva em sua cintura.

Uma. Duas. Três. Quatro. Cinco. Seis. Sete. Oito. Nove.Quantas vezes já teriam cedido aquele desejo?Mas, simplesmente não conseguia mais parar, o tempo era curto e não estava nem um pouco a fim de parar.As badaladas indicavam sua rendição.Já devia estar a caminho de seu quarto, mas aquelas mãos, aqueles lábios entreabertos, aquele olhar malicioso... Não tinha coragem nem forças suficiente para sair dali naquele instante. Definitivamente, não.

-E então, Cassandra? - ele perguntou provocantemente, roçando os lábios em seu ouvido. - Já são quase onze horas. Hora de criança estar na cama...
- Eu não sou mais criança, Malfoy - respondeu no mesmo tom.
-Não? - ele mordiscou a orelha da morena. - Mesmo? - Deixou um suspiro escapar por entre seus lábios.

-Crianças não teriam tanta experiência quanto eu...- respondeu, tirando-lhe o robe enquanto ele descia os lábios levemente até seu pescoço.

-A que tipo de experiência você se refere?

-Eu não vou te contar - respondeu, apertando-o contra si, segurando-o pela nuca. - Eu vou te mostrar...

Pra quem estava mentindo?Nunca havia ido pra cama com ninguém, mas isso não fazia com que Malfoy deixasse de acreditar, e se deliciou com a cara de espanto que ele fez.Realmente estava adorando fazer aquele loiro sentir prazer.

Claro que já havia dado alguns amassos com seu ultimo namorado, aquele maldito, mas nada que passasse disso.Na hora H realmente iria estar provado isso, se Malfoy não fosse totalmente tapado a ponto de não perceber, mas no momento estava se divertindo com as sensações prazerosas e novas descobertas que fazia.

Sentiu as mãos dele mexendo no fecho de seu sutiã e logo o abrindo.
Sentiu muita vergonha, mas escondeu o rosto nos ombros largos dele e murmurou em meio a um gemido.

-Draco...-Suspirou ao sentir o sutiã cair no chão e se apertou ainda mais ao corpo dele.

-Sim?

-Apaga a luz?-Pediu abafando a voz.

-Mas você não tem medo do escuro?-Ele ironizou, a afastando de seu corpo e a olhando de maneira penetrante.

-Agora tô com mais medo do seu olhar do que do escuro...-Brincou, fechando os olhos fortemente.

-Você é linda...-O ouviu murmurar, tocando de forma delicada em um dos seios fartos.-Não faz idéia do quanto...




-Não é nada Harry, só me emocionei com o afeto do meu irmão...-Suspirou limpando o rosto molhado pelas lágrimas.

-Ah, entendi...-O moreno sorriu, pegando nas mãos dela e a puxando, fazendo com que a ruiva levantasse.Secou as lágrimas e riu.-Fred sendo afetuoso é realmente algo emocionante...

-Harry você cria uma imagem de mim como se eu fosse um ogro...-Deu de ombros.-Sou um cara sentimental.Pergunte pra Nick.

A morena riu secando as lágrimas de seu rosto.

-Ele até me faz chorar...-Ela riu, vendo todos voltarem ao normal.

-Mas aconteceu alguma coisa séria?-Rony olhou-os suspeitamente.-A primeira vez que Fred chorou foi quando nasceu, depois dessa num lembro de outra até hoje...

Essa ninguém agüentou, todos começaram a gargalhar.Era muito engraçado.

-Nada que não tenha concerto...-Gina sorriu.

-Ah, pode contar Gina.-Mione pediu, colocando uma mão na cintura e a outra se entrelaçando na de Rony.

-É que amanhã vou ter que ir fazer uns exames no St’Mungos.

-Porque?-O ruivo e a namorada arregalaram os olhos.

-Gininha, você tá bem?-Jorge grunhiu, parecendo bem mais preocupado que Fred aparentou estar.Ou seja, quase teve um infarto.

-É exatamente para isso que irei ao St’Mungos, para saber se estou bem...-Respondeu, agarrando-se a cintura de Harry, como em pedido de ajuda.

-Papai e Mamãe sabem disso?-Rony perguntou assustado.

-Sim, eles irão comigo...-Respondeu tentando parecer calma e ignorar as batidas descompassadas do seu coração ao sentir a mão de Harry deslizar por sua coluna de uma forma sensual.

-Mas porque não pode fazer exames com a Madame Pomfrey?-Jorge contrapôs.

Mas pra que tantas perguntas?-se perguntou mentalmente.

-Por que não, e por favor, chega de perguntas, a Gina deve estar querendo ir dormir...

Fred a salvara.Graças a Merlin.Não ia agüentar responder mais nenhuma pergunta.

-Verdade, ela vai ter que acordar cedo amanhã.-Harry murmurou.-Mas fiquem tranqüilos, a Gin volta pra cá.

-Volta mesmo?-Mione perguntou preocupada.

-Volto...-Respondeu dando um Celinho no moreno.

-Bom, então acho melhor você ir descansar mesmo ruiva.-Nick falou, fazendo um gesto indicando a escada para a amiga.




We see it comin’
Nós vemos se aproximar

More than you
Mais que você

More than me
Mais que eu

Not a want, but a need
Não um desejo, mas uma necessidade

Both of us breakin’ free
Estamos nos libertando





-Bom, vou dormir mesmo, porque eu tô morta de sono.-Deu de ombros.

-Boa noite...-Todos, com exceção de Harry, desejaram.

-Amém.-Respondeu sorrindo.

Harry a olhou de uma maneira engraçada, enlaçando-a pela cintura e depositando um beijo entre a boca e a bochecha.

-Pimentinha...-Brincou, agora a dando um beijo ardente, envolvendo as línguas numa dança sensual.-Boa noite, durma bem.

Pelo menos dessa vez a atenção dos outros estavam direcionadas a mais uma discussão de Rony e Mione, ao invés de seus beijos e amassos.

-Vou dormir Harry...Sentirei saudade de você amanhã...Muita.-Suspirou, abraçando o moreno.-Mas quando eu voltar vou correr pra te ver...

-Acho bom ruivinha.-Suspirou beijando-a no pescoço.-Vai lá, descanse.

-Valeu ‘môr.-Riu, acenando para todos e subindo as escadas que levavam ao dormitório feminino.




Soarin’
Flutuando

Flyin’
Voando

There’s not a star in heaven
Não existe uma estrela no céu

That we can’t reach
Que não possamos alcançar

If we’re trying
Se tentarmos

Yeah we’re breaking free
Yeah,estaremos nos libertando

Breaking free
Libertando

Were runnin’
Estamos correndo

Ohhhh, climbin’
Ohhhh, escalando





O puxou mais de encontro ao seu corpo e começou a dar passos pra trás.

Logo bateu na cama e caiu, ficando por baixo, enquanto Draco retirava sua saia de forma possessiva.

-Dra...-Respirou fundo.-Draco, vai com calma.

-Ahn?-O loiro voltou a beija-la no pescoço, erguendo uma sobrancelha.-Não é você que é toda experiente?-Sorriu provocante, segurando de maneira delicada e feroz em um de seus seios, fazendo-a gemer enquanto acariciava-o. -Ou me enganei de pessoa?

-Malfoy...-Suspirou, gemendo ao toque dele.-Cala a boca e continua...

O loiro não pode deixar de rir daquela situação.Estava tendo aquele tipo de relação com Cassandra, a ultima pessoa que imaginara.E a questão era... ‘Estava gostando, e apenas queria ver ela feliz ao invés de se satisfazer como fazia com as outras garotas’.

Ela gemendo já era motivo para ir aos céus e voltar.Amava ela, a quem queria enganar?Tá!Queria engana-la, mas se depois do que estava acontecendo entre ambos ela quisesse algo sério, aceitaria-a de braços bem aberto.

Estremeceu de medo e inseguranças ao sentir os dedos dele tocarem em sua calcinha, em gesto de que iria a tirar.

Não, tinha tanta vergonha que simplesmente não estava se reconhecendo.Draco a veria nua...Merda!Seria tão constrangedor que tava pensando em parar.

Bem, parar não, mas ele apagar a luz ainda era uma boa idéia.

-Draco, não sei...-Suspirou, ofegante.

-Não sabe o que?-Ele continuou, lambendo sua orelha e brincando com o elastiquinho do lingerie.

-Merda!Não sei se estou pronta pra isso.

O loiro ergueu a cabeça rapidamente a fitando e tirando as mãos imediatamente dela.

-O que você quer dizer com isso?-Ele retirou umas mechas grudadas na testa pelo suor.-Você não é experiente?

-Er...-Fechou os olhos, pondo a mão na testa.-Nos meus sonhos sim...Mas aqui ainda continuo zero.

-Você é virgem?-Draco ficou vermelho, pálido, um todo misto de cor.Ela era louca de não ter lhe contado uma coisa daquelas antes ao invés de ficar brincando?

-É...Mas se alguém ficar sabendo disso...Tá ferrado.-Brincou, tentando descontrair o clima e sentindo a pele arder pela perda do contato com o corpo dele.

-E quando você pretendia me contar isso?-O loiro fez menção de que ia se levantar, mas Cassandra o puxou, fazendo os corpos se chocarem na cama novamente.

-Pensei que você fosse suficientemente capaz de perceber.-Mordeu o lábio inferior.-Mas, por Merlin, o que tem haver?

-Primeiro, você tava bem desinibida, ou seja, totalmente atípico de uma virgem...-Riu sarcástico ao notar que ela o agarrara pelo pescoço.-E segundo, eu posso parecer um monstro que só pensa em sexo, mas creio que nos sonhos das garotas elas querem que seja especial...

-Mas tá sendo especial...-Falou, fazendo ele ficar sério.Uma seriedade serena, que lhe dava mais certeza que amava Draco e quer não precisava esconder mais de ninguém.-As pétalas de rosa na cama foi a coisa mais romântica que já me aconteceu...E vindo de você, sem espinhos, foi mágico.-Riu, junto de um suspiro dele.

-Cassandra, ao contrário do que você pensa...Não quero te machucar.

-Eu sei.-Virou o rosto.-Eu te amo sua anta.-Falou sem pensar, logo se arrependendo de ter dito, ao ver a expressão pasma e assustada de Draco.

-Você o que?

-Ah deixa pra lá...-Cansara.

-Não, é sério, repete?-Ele pediu virando o rosto para que pudesse ouvir melhor.

-Que eu te amo?-Muxoxou.-Pra que?Eu sei que to sendo uma completa idiota...

-Claro que não...-Ele murmurou, e pela primeira vez, sim, pode ouvir sinceridade nas palavras.Uma sinceridade muito rara dos Malfoy’s.-Porque você não disse antes?

-Pra que?-Praguejou nervosa.-Sem futuro tudo isso...

-Eu te amo, você me ama?Já viu melhor futuro que esse?-Sorriu dando-lhe um rápido Celinho.

-Eu te amo, você me...-Arregalou os olhos.-AMA?

-Sim.-Ele murmurou simplesmente.-Se eu não te amasse nem ia ligar se você fosse virgem ou não, só iria pensar em mim, e não ficaria como estou agora, de saber que sou correspondido...-Murmurou, sentindo-se um romântico besta, mas amando saber que ela também o amava.

E pra que brigar quando se pode amar?

-Poxa, então...-Realmente se emocionara com as palavras daquela banana afogada que tanto amava.-Porque não quer me fazer sua?Eu quero!

-Claro que quero...-Respondeu passando os dedos pela barriga dele.-Só estava esperando mais um sinal seu.

-Já dei todos...-Rio.-Só falta a conseqüência...

Draco riu, voltando a beijá-la.

-Pode ser no claro, ou você quer que eu apague a luz?

A morena esticou o braço e pegou sua varinha, apagando a luz a fazendo várias luzes piscando aparecerem no ar.

-Gosto disso...-Murmurou.

-Pra mim tá maravilha...-Voltou às caricias, beijando-a e se sentindo o homem mais feliz.

Nunca pensou que viria a se sentir assim em relação à Cassandra ou qualquer garota.Mas ela conseguiu quebrar o gelo que havia em seu interior, o conquistara da maneira certa...Entre tapas e beijos.




To get to the place
Para chegar ao lugar

To be all that we can be
Onde podemos ser tudo o que queremos ser

Now’s the time
Agora é a vez

So we’re breaking free
Então estaremos nos libertando

Ohhh, we’re breaking free
Ohhh, estamos nos libertando

Ohhhh





O sol brilhava alto naquela manhã; a brisa morna soprava, acariciando os rostos dos alunos que riam, conversavam, brincavam, gritavam e cantavam, sentados no gramado.Ainda eram nove da manhã, mas todos haviam decidido levantar cedo para apreciar o sol.Depois de tanta chuva era bom tomar um solzinho pra variar.

Olhava o castelo e meio que via tudo de um ar meio deprimente.Era estranho estar indo para St’Mungos...
Sem ver Harry, sem ver seu amor, seus amigos, as pessoas que realmente a amavam e eram correspondidas.

Tinha muito medo de morrer e deixar tudo isso pra trás.Era deprimente pensar por esse lado.

Continuou a caminhar devagar, chutando as folhas secas no chão e prestando muita atenção em tudo ao redor.

Estranhamente todos estavam a olhando, apreensivos.Devia ser impressão sua, mas era como se soubessem da Maldição.

Besteira, iria se curar, não morreria pelas Mãos de Voldemort.Era uma promessa que havia feito a si mesma.

Sentiu uma mão no seu ombro e se virou lentamente, sem ânimo.Mas tudo mudou ao ver Harry sorrindo, com uma carinha de que havia acordado naquele exato momento.

Ele era tão lindo.Como pôde achar que ele a deixaria ir embora sem se despedir?Como subestimava seu amor.

-Harry, não acredito...-Riu, abraçando-o.

-Não podia deixar você ir sem me despedir...-Beijou-a brevemente.-Vai ficar tudo bem viu?

-Eu sei Harry...Eu sei...-Suspirou.-Pelo menos, eu aguardo.

-Queria te pedir uma coisa, mas...-Franziu o cenho.-Descobri que sou inseguro e tímido.

-Harry, seu bobo, pra você eu não negaria nada...-Sorriu meiga.-Pede...

-Não, sei como você é a mulher, quer dizer, a pessoa nesse Mundo que mais descobri amar...-Mordeu-lhe a orelha de leve.-Pensei que você talvez quisesse ser...-Enfiou a mão no bolso retirando uma caixinha e olhou para a ruiva, entregando-lhe em mãos.

-Har...-Gaguejou sem ar.-Harry!

-Abre...-Ele pediu, sorrindo com cara de medo.

Abriu meio tremula a caixinha azul de porte delicado, e se surpreendeu com a aliança linda que estava ali a sua frente.

Em prata, com ondinhas em volta e armação fina.Eram lindas...Ficara sem palavras.

-Harry, não consigo aceitar isso...-Respirou ofegante.

-Te amo Gina, não me dá um fora, por favor...-Sorriu.-Só quero oficializar nosso amor para o mundo.-Riu ao ver os olhos da ruiva marejarem.-A aliança é apenas a representação, o amor está dentro de nós dois...Entende?

-Claro...-Suspirou.-Você me faz a mulher mais feliz desse mundo.

Esticou a mão para o moreno, e rindo, esperou que ele colocasse a aliança.

-Aceito.

Harry riu divertido encantado, retirando a aliança e colocando no dedo delicado da ruiva, após deu um beijo na sua mão, vendo ela fazer bico.

Num gesto de brincadeira Harry também esticou a mão, esperando que a ruiva fizesse o mesmo.

-Ai Harry...-Riu, tirando a aliança e colocando no dedo do moreno, beijando-o ardentemente em seguida.

-Te amo ruivinha...

Um beijo avassalador e o melhor abraço de sua vida fora a resposta de que seu amor seria eternamente dele.Sua vida lhe pertencia, e que sempre fora e seria assim.




You know the world can see us
Você sabe o mundo pode nos ver

In a way that’s different than who we are
De um jeito diferente de como somos





- Cassandra - ouviu a voz dele murmurar junto ao seu ouvido, mas parecia tão distante. - A menos que você queira perder as aulas da manhã seria bom você acordar...

- Me deixa dormir mais um pouquinho - Se ajeitou nos braços dele.

- Mas já são nove horas... Você não quer tomar um banho?

- Eu prefiro dormir mais um pouco - Resmungou.

- Tudo bem, então eu te acordo de novo quando sair do banho - Draco disse, levantando rapidamente.

Continuou na cama, os olhos fechados, com medo de abri-los e descobrir que tudo aquilo era irreal. Irreal demais pro seu gosto. Mas tudo aquilo se provou realidade assim que o vento começou a bater no seu corpo e se encolheu.

- Vamos... Já se passaram vinte minutos - Malfoy arrancou a coberta da cama enquanto dava rapidamente um nó na gravata do uniforme; olhou-o de relance, havia um brilho estranho nos olhos dele.

- Ahn? - gemeu baixinho enquanto puxava as cobertas novamente para cima.
- Se você prefere perder as aulas do dia eu não posso fazer nada - ele disse junto ao seu ouvido.
- Eu estou há tempos dormindo mal por sua causa - resmungou sem olhá-lo. - Não vai fazer muita diferença ir às aulas se não consigo me concentrar...
- Então fique aí até que um elfo te encontre e te mande, pelada, pra diretoria. Vamos ver o que sua mamãe pensa disso...-O loiro resmungou, fingindo ironia, mas sorrindo ao vê-la se agarrar ao travesseiro.
- É só você trancar a porta e nenhum elfo vai entrar aqui...
- Por favor, Cassandra... - ele resmungou enquanto puxava o suéter pela cabeça. - Os elfos têm as chaves de todas as portas desse castelo...
- Então que eles me achem - resmungou mais uma vez enquanto ele passava a escova nos cabelos, puxando-os para trás e os deixando cair livremente sobre o rosto.
- Se você quer assim... Tenha um bom sono, Cassandra...-Ironizou, abrindo a porta rapidamente.
-Boas aulas, Malfoy...-Riu, voltando a falar entoadamente o sobrenome dele.

Ouviu a porta bater alguns segundos depois e permaneceu encolhida debaixo das cobertas, brigando contra o sono. Tinha plena consciência de que precisava levantar, mas a cama estava quentinha demais e o cheiro de Draco nas roupas de cama estava lhe deixando completamente zonza.

Quando se decidiu por levantar e trocar de roupa a porta se abriu novamente.

- Esqueceu alguma coisa? - perguntou, vendo-o fechar a porta atrás de si.

- Esqueci - ele respondeu, caminhando até a cama.

- O quê? - perguntou enquanto ele vinha em sua direção.

-Isso... - ele sorriu felinamente, se jogou na cama, lhe agarrou pela cintura e lhe deu o melhor beijo que já recebera em toda a sua vida. - Tenha um bom dia, Cassandra - e, sorrindo, levantou e foi embora mais uma vez.

CONTINUA...




N/A : Genteeee, como prometido atualizei o mais rápido que pude...Tah, eu sei que não prometi, mas decidi dar esse presentinho pra vcs já que demorei tanto antes.
Esse cap ficou bem grande e legal do meu ver.Espero que tenham curtido bastante e que tenha sido do agrado de todos.Sei que foquei muito mais na Cassandra e no Draco, mas é que, diga-se de passagem, esse capitulo era especialíssimo pra eles.
Talvez alguns ou TODOS tenham ficado insatisfeitos por eu não ter feito a NC completa, mas é que achei que assim tava maravilhoso e que se eu escrevesse mais alguma coisa, estragava.Agora, digam-me o que acharam.

H/G será bem melhor depois que a Gina voltar do St’Mungos.

Aguardem o próximo cap, que graças a Merlin como entrei de férias na escola, atualizarei mais rápido.

Beijo a todos.
Ginger Fitzgerald.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.