FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

5. Flash.


Fic: Preconceito Consumível


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Hermione revirou os olhos quando Draco se levantou e ajeitou os cabelos, alguns se endireitaram em suas cadeiras, e o Ministro parecia ansioso.


-Bem, como o Ministro salientou, o Ministério vem atravessando uma crise financeira, e o QG de aurores é o mais afetado, já que a maior parte do dinheiro é destinado ao Hospital Sant’ Mungus. Após reuniões com o Ministro chegamos a conclusão que as empresas Malfoy é a melhor opção hoje, e de acordo com meus sócios e administradores começaremos trabalhar de maneira diferente, os gastos estão altíssimos e vamos rever alguns benefícios, mas visaremos também o conforto de nossos aurores.- Nesse instante Hermione não pôde deixar de suspirar aliviada. – Pequenas mudanças serão imediatas, como a troca de uniformes e entrevistas individuais que serão organizadas por minha secretária, no mais senhores espero que nos entendamos , estarei a disposição de todos em minha nova sala.Obrigado.


Blaise começou a bater palmas seguido do Ministro, o que obrigou todos a seguirem o coro, a castanha roçou as palmas de sua mão, e seu olhar cruzou com o de Draco por alguns milésimos de segundo antes que o mesmo voltasse a se sentar.


O ministro dispensou os aurores depois de mais algumas palavras e todos se direcionaram ao centro de treinamento.


-Mione o que você fez com seu cabelo? –Questionou Ron, assim que se preparavam pro treinamento.


-Dei uma ajeitada Ronald, tava cansada dos cachos, mais alguma pergunta importante ou posso ir trocar de roupa? – A castanha parou com sua mochila entre os dedos.


-Só fiz uma pergunta não precisa se irritar ok? Vamos Harry! –Rony entrou no vestiário masculino seguido pelo amigo que ofereceu um sorriso cúmplice a Hermione.


Dez minutos depois e todos estavam treinando, a castanha estava correndo em uma das esteiras e observava os duelos protegidos por bolhas mágicas. Seu celular tocou e ela o atendeu sem parar a corrida.


-Granger.


-Ola Hermione sou eu, Doutor Nowel.


-Fale Doutor, a entrada com o processo correu bem?


-Sinto em ter que dar noticias ruins, mas o processo foi arquivado 40 minutos após sua abertura, os advogados do senhor Malfoy tiveram que fazer apenas uma visita ao juiz e tudo foi resolvido... pra ele.


Hermione desceu da esteira furiosa e sentou-se no banco alcançando uma garrafa de água.


-Existe alguma coisa que possamos fazer Nowel?


-Lamento muito minha querida, mais não, o senhor Malfoy é muito influente e está praticamente doando seus galeões ao Ministério, nenhum juiz o acusaria nesse momento. Realmente lamento.


-Tudo bem... Não se preocupe, marcamos um almoço qualquer dia doutor, até breve.


O telefone fora praticamente arremessado sobre a mochila, e Hermione contou até dez mentalmente. Agora teria de lidar com os termos de Draco caso quisesse permanecer em seu emprego, e ainda tinha seu apartamento, foco, era disso que precisava, tinha lidado com o loiro durante anos, não seria diferente agora. Levantou-se e se preparou pra treinar feitiços com um de seus companheiros e quando a bolha foi fechada uma senhora gorducha com uma fita métrica mágica entrou no recinto.


-Peço que todos formem uma fila para que eu tire as medidas para os novos uniformes.


Todos bufaram, mas não se opuseram.  A castanha era uma das primeiras e logo que terminou saiu da sala para tomar seu banho e revisar seus relatórios.


 


Na sala de Draco, Blaise se servia de uma dose de whisky enquanto o loiro lia e relia o perfil de todos os aurores.


-Ótimo discurso Draco, todos entenderam bem o recado. –O loiro permaneceu olhando os papéis. Cada pasta continha as informações completas de todos os aurores que trabalham pelo Ministério de Londres.


-Blaise, preciso que a Eloise marque as reuniões individuais, peça que ela mande os memorandos ainda hoje, alguns entrevistarei agora pela manhã... Achei!


- Aposto minha mansão em Dublin que é a pasta da Granger! Alias, esqueci de mencionar que o suposto processo já foi arquivado.-O loiro sorriu enviesado e abriu a pasta.


-Vejamos o perfil da sangue ruim...


 


Hermione Jane Granger


Idade:26 anos


Data de nascimento: 17 de abril de 1985


Peso: 50


Altura: 1,58


Nascida trouxa, reside temporariamente no Hotel (OLHAR), formada na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts.


Auror da primeira classe, primeiro lugar na Academia, formada também em Letras (profissão trouxa), todos os testes psicológicos seguem abaixo com as notas desde os NOM’S.


 


QUESTIONÁRIO MÉDICO.


1-FUMA? Não


2-BEBE? Não


3-ALGUMA DOENÇA CRÔNICA? Não


4-ALERGIAS? Sim, Frutos do mar.


5-FILHOS? Não


6-ALGUMA DOENÇA MÁGICA OU NÃO MÁGICA NA FAMÍLIA? Sim, pais hipertensos.


 


Draco leu todos os questionários e ficou impressionado com as notas, as respostas do questionário psicológico eram impressionantes.


-Como eu imaginei... Vida monótona, além de um empréstimo para a reforma de um apartamento, benefícios por trabalho com excelência, três férias vencidas, nenhum relatório de reclamação, missões completas e bem sucedidas, parceiro Harry Potter, não namora, não tem doenças, não bebe, não fuma e possivelmente não faz sexo. - O loiro concluiu jogando a pasta sobre a mesa desorganizada.


-Uma verdadeira santa! Essa garota vale ouro Draco, e dispensa-la do QG é assinar um atestado de incompetência. – Blaise virou o restante do liquido âmbar e se preparou para sair. - Amigo vou deixa-lo com sua papelada, preciso resolver problemas...seus.


-Certo, entrevistarei a sangue ruim primeiro. – Blaise balançou a cabeça discordando e se direcionou a porta.


-Essa sua implicância com a Granger vai acabar te trazendo problemas Draco, controle-se ou vai se preparando para aparecer em escândalos no profeta diário.


Draco dispensou o amigo com um gesto indiferente e começou a empilhar as pastas na ordem em que entrevistaria todos.


Levantou-se e foi a antessala (vi no novo acordo ortográfico que ficou assim agora) chamar pela secretária.


-Eloise pegue a agenda e venha ate aqui.


O loiro notou que apesar de usar perfume demais, sorrir demais e usar um decote demasiado grande, a moça era competente, em cinco minutos anotou a lista de entrevistados citados por Draco.


-A auror Granger é a primeira, quero começar logo, portanto, espero que seja ágil o bastante, e providencie chá e café.


A secretaria saiu quase aos tropeços da sala, enviou os memorandos o mais rápido que pôde.


 


Hermione saia do vestiário com seu uniforme de missão alinhado e os cabelos agora lisos preso em um rabo de cavalo comportado. Quando chegou até a sala que dividia com mais cinco companheiros, recebeu o recado da entrevista, após ler olhou o relógio, “dez minutos atrasada... maldita fuinha”


Saiu correndo com os relatórios embaixo do braço. Esbaforida parou em frente à secretária:
-O senhor Malfoy lhe aguarda senhorita Granger, pode entrar.- Hermione deu um sorriso falso ao ouvir a forma melosa que Eloise citou o nome de Draco.


Entrou na sala e notou o quanto era espaçosa e cheia de luxos, Draco Malfoy seu “querido” chefe estava analisando alguma coisa atentamente.


-Entre e feche a porta Granger. – Hermione fechou por completo a imensa porta de carvalho, caminhou com passos firmes ate a cadeira que ficava de frente ao loiro e se acomodou.


Passados dois minutos, Draco suspirou e enfim abandonou o papel que lia.


-Muitos problemas a serem resolvidos Granger, a situação financeira desse lugar esta decrépita.


-E você como um modelo de administrador vai resolver tudo, estou certa? –A voz de Hermione estava carregada de sarcasmo.


-Sim, você mais uma vez está correta, resolverei tudo... Pessoalmente, e em detalhes.


A castanha entendeu bem as entrelinhas na frase, mas resolveu não insistir no assunto.


-Bom vamos começar senhorita.


-Que seja breve, tenho mais o que fazer. - Draco sorriu de lado ao perceber que conseguira irritar Hermione antes mesmo de começarem.


-Está aqui há quantos anos? –Ele começou e ficou com a postura ereta para ouvir as respostas.


- Três anos.


-Gosta do trabalho?


-Sim. - Hermione se controlava para não dar respostas malcriadas.


-Quantos aumentos salariais a senhorita teve desde o começo da função?


-Dois anuais, fora as premiações e benefícios.


-E se teve tantos benefícios e um salário satisfatório porque solicitou um empréstimo ao Ministério? – Hermione respirou fundo.


-Problemas pessoais, que não interessam a mais ninguém alem de mim.


-Entendo... Me responda uma coisa Granger, você acha correto que certos benefícios extras estejam disponíveis apenas para alguns aurores e não todos?


-Acho que benefícios extras, como você colocou, são para quem merece.


-Porque seus problemas particulares são mais urgentes do que o dos seus colegas? –Draco notou que as bochechas da castanha já estavam avermelhadas.


-Eu não quis dizer isso...


-Mas foi o que eu entendi, e sobre merecer, isso é questionável.


-Seja mais claro Malfoy, não consigo acompanhar sua linha excepcional de raciocínio.


-Isso não me espanta, comportamento irritadiço com seus superiores, e vida particular desregrada também entram no quesito questionável, quando se juntou aos aurores se comprometeu a manter discrição e sempre respeitar a hierarquia que aqui prevalece, estou correto? –Draco sorria internamente, estava chegando ao ponto onde queria.


-Acredito que tenha lido minha pasta e se nela conter algumas informações, que condiz com suas alegações colocaremos esse assunto em pauta, caso contrário me recuso a responder acusações infundadas. –A castanha era astuta e não gaguejou em nenhuma das respostas.


O loiro se irritou com a calma que ela respondia suas questões.


-E agarrar seu superior no banheiro, depois invadir sua propriedade agredi-lo fisicamente e verbalmente, alem de abrir um processo contra ele lhe parece infundado? –A face desprovida de emoções de Draco não estava mais presente, as veias de seu rosto estavam salientes e seus olhos brilhavam.


Hermione se levantou da cadeira, as ultimas palavras proferidas pelo loiro lhe tiraram o resto da compostura.


 


-Primeiro Malfoy, VOCÊ me agarrou, eu fui anunciada antes de entrar na sua casa, o processei por abuso de autoridade, porque É isso que você está fazendo,pensa que não sei quais são seus planinhos sujos? Quer me tirar de circulação por uma vingança ridícula pelos tempos de Hogwarts, quer me prejudicar porque eu não fico lambendo suas botas como as vadias das quais você está acostumado, então, COMO VOCÊ ex-comensal ousa questionar o MEU comportamento?- Draco avançou sobre a castanha que se retraiu assustada com o movimento brusco e repentino.


-Não diga sandices sangue ruim... Você não sabe nada sobre esse assunto, e se me recordo você se convenceu bem rápido no banheiro, comportou-se como uma verdadeira vadia. - Draco cuspiu as palavras em cima de Hermione, os corpos estavam tão próximos que ele podia sentir o cheiro que emanava da pele macia, “sutil e tentador”.


-Você quer guerra não é Malfoy? Então guerra você terá, e solta meu braço está me machucando. - A castanha tentou se libertar do aperto em seu braço mas a luta foi em vão, os dedos de Draco permaneceram no mesmo lugar.


-Não luto contra soldados mortos sangue ruim... Faço você perder seu emprego e te arranco aquele apartamento ordinário num piscar de olhos.


-Alem de preconceituoso, arrogante, também é um covarde que bate em mulheres Malfoy? Larga o meu braço AGORA! – O loiro olhou para os próprios dedos que se apartavam cada vez mais na pele branca e sensível, soltou o braço de Hermione e se repreendeu mentalmente por machucar uma mulher, isso era sua regra numero um, mas a castanha lhe tirava do sério.


Virou-se envergonhado e passou os dedos nervosamente entre os sedosos cabelos loiros.


-Nossa entrevista acabou senhorita Granger, pode se retirar, voltaremos a nos falar em breve.


Ainda esfregando o braço marcado Hermione ergueu o queixo.


-Pode apostar que sim Malfoy!


O dia havia sido agitado, Draco entrevistara alguns aurores, e muitos não foram tão bem na entrevista e questionário, os uniformes já estavam prontos, e suas anotações para as primeiras mudanças no QG também. Olhou o relógio em seu pulso e viu que a jornada de trabalho havia terminado quatro horas atrás, soltou a gravata pegou sua pasta e saiu a passos lentos de sua sala. As luzes já estavam apagadas, pensou em ir pra casa, mas depois de um dia tão exaustivo um drink lhe faria bem.


Depois de tomar seu banho, ligou para Ginny.


-Vocês já estão de saída?


-Saímos em cinco minutos e você?


-Estarei lá em vinte ok? Não comecem sem mim. – Hermione desligou o celular e acabou de se vestir, nada muito ousado naquele dia, calça legging, botas e um casaco branco. Saiu apressada e acabou esquecendo sua varinha.


O caldeirão furado era o bar mais frequentado no mundo bruxo, até mais popular que o três vassouras, Hermione avistou Harry e Ginny sentados em uma mesa próxima as janelas. Se aproximou, Ginny tomava suco de abobora e Harry já estava em sua 5° cerveja amanteigada, falavam sobre o bebê.


-Pensei que me esperariam. –Hermione sentou-se e pediu uma cerveja trouxa.


-Você demorou!- Disse um Harry sorridente.


-Acabei me atrasando, deixei a varinha em casa e resolvi vir caminhando, são tempos de paz e caminhar à noite me acalma.


-Você quer dizer que eram tempos de paz, certo?- Hermione não entendeu a pergunta.


-Eram tempos de paz antes do senhor super patrocinador e administrador do QG de Aurores renascer do quintos dos infernos. –Ginny disse isso com toda seriedade.


-Aquela fuinha ta tirando o sossego de todos, como foi sua entrevista Harry?- Hermione tomou metade de sua cerveja em um único gole enquanto aguardava a resposta de seu amigo.


-No geral? Ou em detalhes?


-Foi tão ruim assim?- Nenhuma entrevista poderia ser pior do que a sua, pensou a castanha.


-No geral foi normal, os detalhes é aguentar a arrogância do Malfoy, o texto decorado que ele fez questão de dizer, um blá blá blá sem fim sobre todas as mudanças que a nova administração fará, e que tudo será mudado, inclusive os parceiros, mas isso ele também deve ter dito a você. –Harry, se ajeitou na mesa cruzando os dedos com a esposa que se mantinha atenta a conversa.


-Na verdade ele não disse, falou suas asneiras preconceituosas e nada mais. Eu temia que ele trocasse os parceiros, não é a cara dele, ver as pessoas confortáveis.


-Falando em satanás eis que surge o mesmo!- Ginny fez um gesto com a cabeça para a porta do estabelecimento, onde Draco Malfoy tirava seu casaco e corria os olhos pelo ambiente atrás de uma mesa livre, Tom encaminhou o mesmo ate um dos bancos no bar e lhe serviu uma dose de whisky de fogo.


-Nem aqui podemos ficar livre dessa Barbie falsificada, parece uma perseguição. – Hermione olhou discretamente ate onde o loiro estava, ele bebericava seu whisk enquanto observava o musico que dedilhava notas em um piano antigo.


-Ele não parece tão intimidador nesse momento. – Ginny comentou olhando na mesma direção que a amiga.


-Não se iluda Gin, aposto 100 galeões que ele está pensando na melhor maneira de destruir nossas vidas e nos deixar na travessa do tranco pedindo esmolas. –Harry soltou uma gargalhada chamando a atenção de algumas pessoas no bar.


-Você está com síndrome de Ronald Weasley, Mione. – Hermione revirou os olhos e novamente observou o lugar onde o loiro estava, se deparou com um par de olhos a encarando, Draco Malfoy ergueu o copo e lhe dispensou seu sorriso mais sacana. –Acho que devíamos ir embora.


-Ele está vindo pra cá. –A castanha arregalou os olhos. –Que Merlin nos dê paciência. –Ginny pousou a mão sobre o ventre liso e sorriu encorajando a amiga.


-Que coincidência! Granger, Potter, Weasley. –Draco cumprimentou todos.


-É Potter, Malfoy!


-Nunca pensei em dizer isso, mas até Weasley é melhor que isso. –Harry revirou os olhos.


-Acho melhor nós irmos andando, amanha o dia começa cedo. –Hermione começou a tirar a carteira da bolsa.


-Resolveu ir embora só porque eu resolvi presentear vocês com minha presença Granger? –O loiro puxou uma cadeira e pediu mais um whisky.


-Na verdade? Sim, quero ir embora, pois sua presença é um martírio pra qualquer criatura que habita esse mundo Malfoy.


Draco sorriu da maneira insolente da castanha ao dizer aquelas palavras.


- Quanto ódio em seu coração, logo você Granger que é uma pessoa tão doce e sensata. –E bingo! Começaria a troca de “gentilezas”, o loiro sorriu internamente com a possibilidade.


-Gente vamos parar com a discussão, não queremos uma pagina de destaque na edição matutina do profeta certo?- Harry tentava apaziguar a situação.


-Não somos mais adolescentes em Hogwarts Potter, podemos muito bem manter uma conversa civilizada, não é Granger? –Draco arqueou uma de suas sobrancelhas.


As bochechas de Hermione já estavam vermelhas, até mesmo a voz do loiro a irritava, sua presença, seu cheiro, até o maldito jeito de segurar o copo.


-Não existe conversa com você senhor Malfoy, infelizmente por um castigo de Merlin teremos que conviver com sua irritante pessoa em nosso trabalho, e eu espero profundamente que esse convívio se limite apenas no QG, portanto, faça o favor e retire-se da mesa.


-Granger, Granger sei que entende que sou um superior em vários aspectos, mas eu permito que me chame apenas de Malfoy fora do Quartel , não contarei a ninguém, se esta tão incomodada com minha humilde presença, pode se retirar juro que não me importarei, apesar de que seria uma desfeita com todos nós, não é mesmo Weasley?


-É Potter!


-Que seja. – Draco voltou a beber e a cantarolar a canção que o pianista tocava. Os presentes na mesa se olhavam sem acreditar na tranquilidade que Draco se encontrava.


-Ok, vamos embora Mione, estou cansada e a gravidez anda me deixando sonolenta. – Ginny levantou-se da mesa quase arrastando Harry consigo.


-Vou com vocês Gin, hoje já deu o que tinha que dar. –Hermione lançou um olhar para o loiro.


Draco se levantou, e tirou alguns galeões do bolso jogando na mesa.


-Foi um prazer meus caros, agora se me dão licença. Potter, Weasley... Granger.


-É POTTER!


Draco saiu sem olhar pra trás.


-Até amanha Harry, Gin se der passe no hotel no final da tarde. –Hermione se despediu dos amigos, e saiu andando sozinha pela Londres trouxa, estava distraída e cansada.


-Não tem medo de andar sozinha por essas ruas? – A castanha se assustou soltando um grito agudo.


-Quer me matar seu desgraçado, por que está me seguindo? – Ela parou, ainda tentando controlar seus batimentos cardíacos.


-Não estou, resolvi caminhar até minha casa, caminhar a noite me acalma. - Hermione ouviu suas próprias palavras senso repetidas pelo loiro.


-Então, boa noite Malfoy. –A castanha virou-se para seguir seu caminho, quando sentiu a mão do loiro envolver seu braço.


-Qual o problema... –A boca do loiro estava a centímetros da sua, e Hermione não conseguiu concluir sua frase.


-Posso te acompanhar? Não faz muito sentido uma mulher andar sozinha a noite quando pode ter companhia de um homem.- Draco pensou em beijar Hermione naquele momento, mas sabia o risco de ser rejeitado e alem do mais ela era uma sangue ruim, beija-la estava fora de cogitação.


A castanha ainda encarava os lábios rosados e úmidos do loiro, quando ouviu ele dizer alguma coisa “o que era mesmo?”


-Acho melhor não Malfoy, podem nos ver e isso pode nos trazer problemas.


Draco se aproximou um pouco mais, seus narizes quase se encostando.


-O que pensariam Granger? Somos um casal muito improvável, posso dizer que impossível não é? –O Halito de menta mesclado com a bebida atingiu em cheio Hermione a fazendo fechar os olhos com antecipação.


Olhou os cílios cerrados, pequenas sardas salpicadas no nariz arrebitado, era insano beijar uma sangue ruim, mas ninguém saberia, então porque evitar o inevitável?


O beijo veio urgente e molhado, sentiu a pressão de seus próprios dedos nos braços fortes do loiro e sua boca abrindo passagem pra língua macia e quente, a habilidade dos lábios rosados sobre os seus, as mãos que passeavam em seu quadril sempre a aproximando mais, estavam quase se fundindo quando um grande flash os atingiu, Hermione se virou rápido e viu um fotografo sair correndo na direção do caldeirão furado. Ela se virou para o loiro que estava parado em sua frente com os olhos esbugalhados.


-Tiraram uma foto Malfoy! – O loiro colocou as mãos na cabeça em sinal de desespero.


-Preciso do Blaise!


 


N.A.:Olá gurias! Eu sei que sumi, e sei que você devem estar querendo me matar pela demora do capitulo, enfim não vou tentar me justificar, só sei que estava com inspiração em baixa, esse capitulo não está tão emocionante, mas é necessário para a continuidade da fic, peço que continuem tendo paciência, meu tempo é super curto, porque eu trabalho, tenho uma filha, um marido e etc... Tentarei postar com mais frequência mas não vou marcar uma data com vocês ok? Bom hoje minha beta querida Artemis Granger, não estava presente portanto quem betou esse capitulo foi a Jessica Salicio uma das minhas queridas leitoras. Então é isso pessoal espero que curtam o cap mais do que eu, e que continuem acompanhando a fic. beijos

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 10

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Drica L. Potter em 06/05/2016
Flor, bem, eu sou uma nova leitora, e POR FAVOR, VOLTA A FAZER "Muito mais que inimigos"!!! POR FAVOR!!!
Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por S.K. em 30/03/2013

Wow, precisamos saber o que há pela frente! Urgentemente!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Undiscovered em 08/09/2012

nao acredito que so descobri essa hoje

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Hingrid vieira em 31/07/2012

Haaa quero so ver oque vai da nesse proximo cap.
nota (10)

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por H. Granger Malfoy em 30/07/2012

kkkkkkk, quero msm ver essa confusao com o fotografo, o blaise eh praticamente o faz tudo do draco ne? kkkkk estou ansiosa pelo proximo capitulo!!!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Verônica Malfoy em 24/07/2012

MEU SANTO DEUS, CONTINUA CONTINUA CONTINUAAAAAAAA!!!
*-* 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Bsgp em 16/07/2012

Nossaaaa Perfeitaaa.

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por leleu_mione em 15/07/2012

Uau, eu já tinha até perdido as esperanças de atualização, mas que grata surpresa você voltar. Sempre gostei muito da sua fic e essa tensão que existe entre os dois é muito bem retratada por você. Agora fiquei curiosa para saber porque a mione fez o empréstimo. Por favor, não demora muito pra atualizar, beijos e até breve.

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Ariane em 15/07/2012

Noosa, idéia genial! Estou adorando! O modo como vc escreve tb é incrivél! Mto boa mesmo a fic. Parabéns

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por jessica salicio da silva em 15/07/2012

Como você fala que não foi emocionante? Foi demais, esse final ficou super intenso e com super gosto de quero maiiiiis. Que sua linda nenem e seu marido te inspirem e te dêem tempo para você conseguir escrever mais. Fofurice. *-*

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.