FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

23. Capítulo 22


Fic: A new beginning


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capítulo 22


 


- E se ela não gostar de mim?


Renata revirou os olhos. Já tinha respondido àquela pergunta incontáveis vezes.


- Se ela não gostar de você – começou, mudando a resposta que vinha dando – Mande a velha à merda e transe loucamente com o filho dela na mesa de jantar.


- RENATA! – Ártemis exclamou levemente escandalizada. Renata apenas riu.


- Flor, você é um amor de pessoa que ajudou a tirar o filho dela da depressão... Como ela poderia não gostar de você?


Ártemis deu de ombros.


- Não sei...


- Besteira – Renata falou e ajeitou o cabelo da amiga – Você está linda.


- Obrigada! Você é o máximo! – elas se abraçaram e a campainha tocou.


Ártemis foi até a sala enquanto Renata foi para o quarto, arrumar-se para seu encontro com Matt.


- Oi – ela disse, visivelmente nervosa. Fred tinha ido buscá-la para conduzir a aparatação. Ele sorriu ao vê-la.


- Você está linda...


- Mesmo? – ele puxou-a pela cintura, para fora do apartamento. Encostou-a contra a parede.


- Mesmo... Adoro quando usa vestidinhos assim... – ele falou percorrendo o corpo dela de forma maliciosa com o olhar.


- Fred... Não quero me atrasar! Acho que sua mãe não gostaria de mim se... - o ruivo a interrompeu com um breve selinho.


- Pare com isso, Ártemis – ele disse sério, mas de forma carinhosa – Minha mãe vai te adorar... Confia em mim, ok? – a bruxa assentiu e ele os aparatou.


Assim que chegou na casa, sentiu o cheiro de mar. Bill brincava com a filha e Fleur organizava a mesa.


- Oi – o irmão mais velho disse – Rony já está chegando. Tudo bem, Ártemis?


- Ela chegou? – a professora ouviu um grito vindo da cozinha. Fred rolou os olhos por antecipação. Ártemis tinha visto rapidamente a senhora Weasley meses antes, na confusão do jogo de quadribol na casa de Derek. Depois disso nunca mais a encontrou, mas sabia que a matriarca estava querendo conhecê-la. Logo viu uma bruxa baixinha e de cabelos tão ruivos quantos os filhos entrar na sala, limpando as mãos no avental.


- Ártemis! – ela exclamou – Venha aqui, minha filha! – ela disse, puxando a garota para um abraço sufocante. A bruxa sorriu, um tanto emocionada pela demonstração de carinho.


- Mãe! – Fred brigou – Tenha cuidado! Ela ainda está se recuperando. – a bruxa afastou Ártemis e passou um olhar criterioso pelo corpo dela, procurando onde ela poderia estar machucada.


- Não se preocupe, senhora Weasley, eu estou bem. – ela olhou para Fred, séria.


- E você, Fred? – a mulher dirigiu-se para o filho e o envolveu em um abraço apertado e sussurrou um eu te amo. Ela sentia-se tão pequena perto dos seus filhos... Foi-se a época que eles olhavam para cima para ouvi-la. Rony chegou logo em seguida, cumprimentando a todos. Sentaram-se à mesa e conversaram principalmente sobre Ártemis. Molly Weasley garantindo que a garota poderia contar com qualquer coisa ao saber sobre a morte dos pais dela.


Depois de ajudar com a louça do almoço, Fred levou Ártemis para um passeio aos arredores da propriedade. Passaram ao lado do pequeno túmulo de Dobby e Fred contou rapidamente sobre o elfo, explicando a inscrição feita por Harry tantos anos antes. Sentaram-se sobre uma pedra, os pés descalços na água fresca do mar.


O sol espalhava diversos matizes de cores pela água e areia. Ártemis tinha a mente alheia, apenas sentindo a água na pele e o toque de Fred em seu cabelo.


Já Fred olhava o perfil da bruxa ao seu lado. Pensando exclusivamente nela. Lembrando como tudo aconteceu, como a conheceu e como quase, por causa de sua dor, medo, depressão deixou que ela não fizesse parte de sua vida. Ártemis notou o olhar intenso e virou o rosto, sorrindo:


- O que houve?


- Você me perdoou tantas vezes... Fui tantas vezes idiota com você. Eu te machuquei tanto...


- Isso é passado. Brigas surgem e bem... Você não teve um passado fácil e...


- Seus pais foram assassinados. Você também perdeu parte da sua família – Fred disse envolvendo seus dedos com dela.


- As pessoas lidam com a dor de diferentes formas... E... Você tem melhorado, Fred.


- Você é causa disso – ele afirmou, mas Ártemis negou com a cabeça.


- Você é causa disso, Fred... Ganhou peso, tem se exercitado, saído... Permitiu-se ser amado e amar – ela falou, encarou os olhos dele para depois olhar o horizonte. O ruivo notou que ela tinha algo mais para falar. A bruxa desceu da pedra, pegando sua sandália e andando em direção da casa novamente. Ele foi atrás dela.


- Ártemis... – ele a segurou gentilmente pelo punho.


- Fred,... eu te amo e acredito no que sente por mim, mas... – ela passou a mão delicadamente pelo rosto dele que fechou os olhos – Mas isso tudo que está passando faz parte de um processo... – ele voltou a abrir os olhos, segurando-a com mais firmeza.


- Onde você está querendo chegar com isso?


- Que eu faço parte desse seu processo... De superação do luto, da perda da sua família, de Jorge especialmente,... – ele soltou o punho dela e suas mãos foram imediatamente para o rosto dela. Uma de cada lado, fazendo com que ela não desviasse o rosto.


- Espero que você não esteja querendo dizer que daqui um tempo eu vou perceber que você não é suficiente e que preciso buscar outras coisas, conhecer outras mulheres... – ele viu as lágrimas se formando nos olhos dela – Não! Não pense isso por que não é verdade! Eu te amo. E você já sabe que cuido e protejo as pessoas que amo e que elas não saem facilmente da minha vida. E você não vai sair da minha. Se sair eu vou atrás de você... Nem que precise inventar as desculpas mais mirabolantes... E criatividade não me falta... – eles sorriram brevemente.


- Mesmo?


- Mesmo. Claro que ainda vou pisar na bola, vamos brigar, mas eu não vou deixar te amar, Ártemis Stark. Você faz parte desse processo e faz parte minha vida. Sempre.


Ele puxou-a para um beijo. Intenso. Forte. Uma de suas mãos deslizou para a nuca dela e a outra foi para a cintura. Beijaram-se. Em determinado momento, a sandália escapou da mão de Ártemis e foi levada pelo mar. Não se deu conta disso no momento... e mesmo depois, não se importou. Ambos apenas sorriram, mais uma vez. O sol pondo-se atrás deles.


---


Casamento de Draco e Hermione


Era um dia bonito de verão. Era uma bela propriedade e a cerimônia seria realizada no belo e amplo jardim que havia nos fundos da casa de Draco Malfoy. O local estava decorado com flores de cores vivas, um belo tapete verde estendia-se sobre o gramado e levava ao pequeno altar. Cadeiras de madeira estendiam-se dos dois lados.


Como o casal optou por casar no final da tarde, a temperatura estava amena. Não havia muitos convidados. As pessoas conversavam entre si em pequenas rodas. Bandejas flutuantes cheias de coquetéis passavam entre os convidados. Alguns casais andavam de mãos dadas pela propriedade...


Aproveitando que ainda faltava um tempo para a cerimônia começar, Matthew puxou Renata para um lado que os casais não estavam indo. As pessoas ficavam próximas à propriedade, mas o loiro resolveu explorar um pouco mais. Não como se Hermione ou Draco fossem ficar ofendidos por um pequeno atraso. Afinal, não foi com boas intenções que ele levou a namorada por aquele caminho...


- Aqui é lindo! – Renata exclamou animada. A mão apertando o braço do namorado.


- Você é linda – ele disse. Ela sorriu. E ele achava isso mesmo. Achava Renata Cassel linda. Ela usava um vestido azul claro, tomara que caia. Justo no seio, mas que caía solto até o meio das coxas.


- Xavequeiro...


- Você nunca me respondeu... – ele disse parando sob uma grande e frondosa árvore, envolvendo-a pela cintura e puxando-a para si.


- O que eu nunca respondi... – ela começou a falar, sem entender.


- Caça ou caçadora? – Matthew perguntou e ela fez um olhar de dúvida – Eu te fiz essa pergunta quando nos encontramos na boate... A primeira vez que dançamos juntos... Quando você brigou comigo por eu ter te comprado uma simples cerveja...


Renata sorriu diante da lembrança. Sorriu também por que ele se lembrava... passou a mão pelo braço dele, de forma sensual...


- Bom... isso depende – a morena disse, ficando na ponta do pé. Seus lábios quase roçando os dele.


- Depende do quê? – a voz já rouca por antecipação.


- Do momento... Posso tanto ser caça... – Renata falou, pressionando seus seios contra o peito dele - Quanto caçadora... – a mão dela foi até o membro dele, que já começava a endurecer.


- Renata – foi a única palavra que Matthew Reid foi capaz de sussurrar antes de beijá-la. Puxou-a ainda mais para si, apoiou as próprias costas contra a árvore, levando o corpo da namorada consigo.


Os corpos se roçavam, mãos percorriam o corpo já conhecido pelo outro e mesmo assim nunca se cansavam de explorar. De tocar. Sentir. Gemiam.


O loiro tocou a coxa de Renata, passando os dedos pela pele dela com firmeza. Subindo a vestido. Um pouco por vez. Logo a perna dela estava colada à sua cintura. Não se importavam com horário. Com nada.


- Sabe que vamos transar aqui, não sabe? – ele disse, rouco, no ouvido dela.


- Matt... Eu quero você...


Ela abriu os botões da camisa dele e percorreu o peito dele com sua boca. Ele inclinou a cabeça para trás, apoiando-a na árvore. Fechou os olhos, entregando-se à sensação dos lábios dela na sua pele.


Renata desceu os beijos, depois subiu. Percorrendo a pele exposta pela camisa. Nenhum deles preocupava-se em ser pegos, pois não lembravam que havia mais ninguém no mundo além deles naquele momento.


Matthew puxou-a pela nuca, fazendo com que seus lábios se encontrassem novamente. Afastou-se da árvore, levando-a consigo. Andavam meio aos tropeços, até que ele alcançou um balanço. Ele segurou as correntes e Renata separou-se, sorrindo de lado:


- O que está passando nessa sua mente perversa, Matthew Reid?


Ele sentou-se, sem dizer nada. Aproximou-a de si, segurando a cintura dela. Desceu a mão até as coxas dela e voltou a subir, levantando o vestido junto. Alcançou a lateral da calcinha. Seus olhos presos aos dela. Passou o polegar pela lateral e tornou a descer sua mão levando a calcinha junto.


Renata sorriu maliciosamente. Levantou os pés apenas para terminar de tirar sua calcinha que ficou temporariamente esquecida no gramado. A professora inclinou-se para beijar Matthew, as bocas se mexiam com avidez. Línguas se encontrando num combate murmurado. E Renata sentiu o corpo arrepiar-se ainda mais.


Matt abriu a própria calça, depois Renata sentou-se sobre ele. Passou as pernas uma de cada lado.  As mãos segurando as correntes do balanço que começou a movimentar-se lentamente. Matt tinha seus pés apoiados no chão.


- Nunca mais verei um balanço da mesma forma – ele disse, num murmúrio, no ouvido dela. Renata riu.


Ele segurou-a pela cintura, levantou o corpo dela e a penetrou. Renata deixou a cabeça cair para trás e mordeu o lábio inferior. Apoiando-se na corrente, ela começou a movimentar-se sobre ele. Sentia a mão em sua pele, por baixo do vestido. O loiro beijava o colo exposto dela. beijava sobre o vestido, mordendo o seio sobre o tecido. Excitando-a ainda mais, excitando-se ainda mais...


Sentia-o dentro de si. A posição fazia com que ele a penetrasse cada vez mais forte, mais fundo. Como se tocasse sua alma. E ela amava aquela sensação. Provavelmente sua mão ficaria marcada pela força que ela fazia, só que naquele momento apenas interessava a Renata a sensação que ele causava em si. A sensação que ela causava nele.


Matt começou a mexer o balanço também os corpos em um movimento íntimo. Forte. Profundo. Único.


Tentavam a todo custo prolongar aquele prazer. Aquela loucura. E fizeram isso por qlaguns minutos, por longos e tortuosos minutos.


- Matt... Eu...


- Venha,, se derrame por mim... Eu te amo – ele disse, a voz rouca de desejo, contra os lábios dela. Num último movimento, ela sentiu o prazer percorrer todo seu corpo, arrepiando-a inteira. Matt seguiu logo depois. Gritou com o pescoço dela, mordendo-a levemente para abafar seu grito.


Depois, olharam-se, cúmplices. Sorriam. Ouviram uma música soando ao longe.


- Puta merda! – Renata exclamou de repente.


– Melhor nos ajeitarmos... Acho que estamos um pouco atrasados... – ela saiu de cima dele, rindo. As pernas ligeiramente bambas. Arrumaram-se. Matt lançou um feitiço limpando a calcinha de Renata que estava cheia de grama. Tiraram as marcar aparentes de beijos e mordidas. Voltaram para o local onde o casamento estava começando. Mãos entrelaçadas e um sorriso bobo nos lábios.


---


Hermione estava linda e Draco sentiu seu coração bater acelerado. Ajeitou a gravata, sem que realmente ela precisasse de qualquer ajuste. Fred a conduzia pelo tapete, já que seus pais haviam morrido anos. Ela ficou em dúvida sobre quem chamar: Fred ou Rony. No entanto, nos últimos anos sua amizade com o gêmeo havia aumentado muito. Fora ela que o ajudara a sair da depressão antes do aparecimento de Ártemis. Fora ele que estivera com ela nos últimos anos.


Ártemis observou Fred. Ela estava entre Molly e Bill, que segurava a filha no colo. O ruivo estava feliz. Bem diferente da pessoa que conheceu meses antes. O casamento foi rápido. Os noivos trocaram algumas palavras de amor e fidelidade. Depois as alianças. Draco não deu o costumeiro e rápido selinho. Não. ele puxou Hermione para um beijo de tirar o fôlego.


Afinal, Draco Malfoy passou um ano preso injustamente em Azkaban e foi Hermione... A simples lembrança dela que o manteve vivo por todo esse tempo. Fred puxou uma salva de palmas e gritos. Com um gesto de cabeça, uma infinidade de rojões começou a colorir ainda mais o céu.


A pista encheu de casais, depois da dança dos noivos. Fred puxou Ártemis rapidamente, envolvendo-a em seus braços.


- Eu já disse que você está linda?


- Algumas várias vezes... – ela falou, sorrindo.


- Acho que vou começar comprar para você umas roupas que escondam suas costas – ele disse, em tom zombeteiro. Ela riu, notando a brincadeira. Ártemis usava um vestido lilás, decotado, com as costas abertas. Seu dragão vermelho chamando a atenção de alguns convidados.


- Seu bobo... – ela disse, fitando-o. Fred deu um beijo nela.


- Não, não... Seu bobo. – Fred rodopiou a namorada e depois a puxou para si novamente – Você pensa em um casamento assim?


- Não – ela disse depois de um tempo – Não faço questão de nada disso. Apenas estar com alguém... Uma cerimônia muito, muito mais simples – Fred parou a dança e a olhou. Ártemis usava o longo cabelo preso em um coque casual, alguns fios caíam ao redor do rosto. Fred colocou um desses fios atrás da orelha dela.


- Quando chegar o momento, casarei com você. Sabe disso, não sabe?


- Fred... – ela falou, um misto de vergonha e alegria.


- Quando chegar o momento, Ártemis Stark... – e puxou-a para si, em um longo e apaixonado beijo.


---


Dois anos depois...


- Lembra-se daqui? – Matthew perguntou, seus dedos entrelaçados aos de Renata. Na outra mão cada um segurando uma garrafa de Heineken. Ela sorriu, olhando o discreto bistrô.


- Sim, me lembro – ela bebeu sua cerveja  - Nosso primeiro encontro, saindo daquela exposição...


- Se Ártemis não tivesse me convidado... Você teria? – ele perguntou.


- Não – ambos riram – Não teria te convidado, teria esperado um convite seu...


- Então apenas antecipamos o inevitável, pois eu já queria te convidar para sair. Aliás, eu ia te convidar para sair – Matthew colocou sua cerveja sobre a mesa e virou-se, olhando a namorada profundamente – Eu te amo.


- Eu também, Matt – ela disse, beijando-o brevemente.


- Queria dizer algo... Esses anos que estamos juntos foram os melhores da minha vida. Sempre sonhei, mas nunca achei que fosse me apaixonar dessa forma... Da forma como estou apaixonado por você. – Renata abriu a boca para falar, mas ele balançou a cabeça negativamente – e sei que não é algo momentâneo ou passageiro ou fugaz... É com você que quero construir a minha vida, entende? É você que eu quero ao meu lado. Mesmo quando brigarmos e quando eu pedir desculpas do jeito mais ridículo que houver... Por isso – ele colocou a mão no bolso do casaco. Renata sentiu o coração parar. Ou ele bateu mais acelerado? Ela não sabia. Viu em câmera lenta quando ele retirou a pequena caixa, abriu-a. duas alianças – Quer casar comigo?



 



 ________________________________________________________________________________________


 


N.A.: para as leitoras tão surtadas qto eu... Penúltimo cap postado!
Ainda essa semana: EPÍLOGO!


 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Júlia rodrigues valente em 26/06/2012

Não quero acreditar que já está no fim :( É demais para mim!!! Mal perdi a UNC vou perder A new beginning? É muito para mim :((((
Draco e Hermione passou a ser clichê depois que comecei a ler apenas Dramiones, mas não tem como não amar esse delícioso casal!  E Fred com Ártemis... Achei que um P.O com o Fred não daria certo. Mas foi uma criação prefeita. Sou supeita afinal eu amo as suas fics !!!

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.