FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

21. Capítulo 20


Fic: A new beginning


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capítulo 20


As varinhas estavam escondidas, mas não havia meio de pegá-las. Matt olhava da cesta para a mochila. Duas varinhas já fariam diferença na hora em que saíssem... Mas como pegá-las?


- Usem os reféns como escudo.


- Ômega, me escute... – Alfa tentou – Vamos soltar mais alguém... Uma das garotas. – apontou para Ártemis e Renata – Elas estão feridas!


- Lembra quando você falou sobre termos mais dinheiro para dividir? Insinuando que me mataria? – o outro assentiu – Eu gostei da sua ideia... Avada Kedrava. – Beta deu um grito e correu até o corpo inerte de Alfa.


- Ômega! – Delta exclamou – É loucura isso!


- Se não quiserem ter o mesmo destino, é melhor ficarem e se concentrarem na nossa saída. Delta, leve a diretora. Beta, leve o heróizinho que trouxe a comida ali. Beta! – a bruxa limpou as lágrimas e foi até Matt, colocando-se atrás dele. A varinha nas costas do bruxo.


Renata não teve tempo de protestar, pois logo se sentiu ser puxada com força por Sigma.


- Beta... – Matt começou a falar em voz baixa ao ver que Ômega estava ocupado dando ordens – Entregue-se ao sair.


- Cale sua boca! – ela disse. A voz embargada.


- O sequestro está dando errado desde que Ômega assumiu.


- Fique quieto...


- Vocês serão presos... Ou mortos... – ele parou uns instantes e viu que a pressão da varinha dela cedera um pouco – O namorado dela... – e apontou discretamente para Ártemis – ...não é auror e posso garantir que não vai pensar duas vezes em matar Ômega ao saber o que aconteceu.


- Nós sairemos daqui com o dinheiro...


- Não. – Matt falou – Não sairão... A garota é namorada de um dos Weasley. Draco Malfoy e Hermione Granger estão liderando o caso. O primo dela deve ter sido chamado... Ele é outro bruxo que vocês não querem no caminho...


- Eles nos darão o dinheiro. E se esse Weasley nem auror é... – Matt soltou a risada pelo nariz.


- Eu não posso te contar muita coisa, apenas te digo isso: não fique entre Fred Weasley e quem ele quer proteger.


- Está tudo bem aí? – Ômega perguntou.


- Sim. – Beta respondeu – Vamos terminar logo com isso.


Renata notou que Matt conversava com Beta, mas manteve os olhos fixos no chão. Ela pensou que o namorado deveria estar tentando convencer a bruxa a se entregar. Renata queria agir, detestava ficar à mercê da situação.


Tinha que tentar se controlar. A mochila não estava longe, mas jamais conseguiria chegar até lá e pegar a varinha da amiga.


Do lado de fora


- Hermione. – ela ouviu Draco a chamando e ela o seguiu. O loiro a puxou e a beijou com força. Ela entregou-se ao beijo. Sentia a mão dele em seu corpo. Pressionando-a. Os lábios dele desviaram da boca, indo até a orelha – Por favor, por favor se cuide...


- Draco...


- Eu te amo... Por favor... Tome cuidado! – ele pedia.


O corpo dele pressionando o dela. A mão dele em sua coxa.


- Draco... – ela disse afastando para olhá-lo. As íris cinzas brilhando de desejo e preocupação – Nós não passamos tudo que passamos para morrermos na mão de um bando de sequestradores idiotas. Temos que nos preocupar com apenas um bruxo e você sabe que Fred vai atrás dele.


- Racionalmente, eu sei disso tudo, mas não quero te perder.


- Eu te amo. – Hermione disse beijando-o.


Foram interrompidos por um curto pigarreio.


- Desculpem... Mas precisamos ficar lá fora. Deu o horário. – Fred disse, encarando qualquer coisa menos os dois.


Draco passou por ele, mas Hermione parou e encarou o amigo.


- Fred, perdão, mas... – o ruivo segurou a mão dela com a sua.


- Eu entendo... – ele sorriu, um sorriso triste que Hermione não via há muito tempo.


- Eles não têm chances contra nós, Fred. Você sabe disso, não sabe?


- Sei... Só que mesmo assim é a sensação da outra vez: não pude fazer nada para protegê-la... Para evitar...


Hermione aproximou-se e apoiou a cabeça no peito do amigo, abraçando-o pela cintura. Fred retribuiu o gesto. Deu um beijo no topo da cabeça da amiga e os dois saíram. A noite estava apenas começando...


O portão estava fechado. Fred ficou preparado. Diversos postes e archotes iluminavam a rua. Draco mais à frente. Ao lado esquerdo de Fred, estava Hermione. Do outro lado, Karl Drogo e Fleur.


Os grandes portões da escola começaram a se abrir. Matt vinha na frente, as mãos erguidas. Logo, outros começaram a sair. Fred controlou-se. Tinha que ser frio. Renata vinha sendo contida por um bruxo alto e de expressões sérias. Frias. Fred estava certo que ele foi o primeiro a se juntar a Ômega.


Ômega.


Os olhos azuis fixaram-se no bruxo. Olhou para Ártemis. Ela tinha o rosto bem ferido, a blusa rasgada. Os nós de seus dedos ficaram brancos. Ômega a segurava na frente do próprio corpo, a varinha pressionada contra a cabeça dela. Respirou fundo.


Sem erros... Deveria seguir o plano.


Draco levantou as mãos, mostrando que estava sem a varinha. No entanto a varinha estava presa ao seu braço, sob a manga da camisa.


- Os galeões de vocês estão ali. – Draco fez um gesto com cabeça e eles viram caixas transparentes empilhadas com o ouro. Sigma riu de lado. – Soltem os reféns.


- Precisamos saber se o ouro é real. Gamma... – o bruxo, o único que não tinha um refém, andou até as caixas.


Ômega procurou alguém com os olhos e parou em Fred.


- Ruivo... Então você é um auror e sua namoradinha está metida nessa confusão...


- É o que parece. – ele respondeu.


Hermione olhou rapidamente para o amigo, torcendo para que ele não entrasse na provocação.


- Precisei insistir muito para saber sobre os bilhetes... Sigma me ajudou. – eles olharam para o bruxo que continha Renata. A bruxa tentou se soltar, mas ele a mantinha firme perto de si. – Mas eu não vou precisar de ajuda pra terminar o que comecei. – ele falou, a varinha contornando o corpo dela.


Fred mordeu o lábio inferior.


- Seu filho da puta! – ela murmurou - Não acredite nele! – Ártemis gritou olhando para o namorado. Apesar da distância, via que ele tinha o corpo rígido.


- Lancem um feitiço na cabeça desses imbecis! – Renata aproveitou para gritar, ainda tentando se soltar e ignorando a dor na costela. – Drogo, acerte esse babaca! – ela gritou, vendo que o primo da amiga estava lá.


Zeta deu um passo vacilante para trás ao ver as feições do outro bruxo. Matt aproveitou a confusão e sussurrou para Beta:


- Está vendo? Entregue-se... Aquele grandão é primo de Ártemis e o ruivo é o namorado... Como acha que eles vão reagir quando souberem detalhadamente o que Ômega andou fazendo?


Beta ouvia a tudo calada. A pressão nas costas de Matt vacilando mais um pouco.


- Me provocando com palavras,... Você não passa de um covarde, Ômega... – Fred disse – Lute como um bruxo de verdade... Se você realmente é um! – o outro sorriu de lado.


- Sim, eu sou. E quem sabe ainda lutemos. – ele puxou Ártemis com força – Mas gosto de provocar com palavras, observar o efeito delas... Sua garota é corajosa. E saborosa. Senti o gosto dela quando minha língua passou por esses lábios... – ele passou o indicador pela boca dela.


- Chega! – Draco interrompeu ao perceber que Fred quase se movimentara. – O ouro é verdadeiro. Soltem os reféns.


- Espere! – Beta quem gritara e todos se voltaram para ela – Eu... Eu vou me entregar.


- O que você está falando?! – Ômega gritou.


- Você matou Alfa! Isso está uma loucura! – ela jogou a varinha no chão. Saiu de trás de Matt e ajoelhou-se no chão, as mãos na cabeça.


- Teremos mais dinheiro. – Ômega falou, de forma displicente. Olhou para Gamma, que assentiu. Era ouro mesmo.


Matt não ousou se mexer. Não quando um deles ainda tinha a varinha apontada contra a namorada. Ao seu lado, Beta estava ajoelhada.


- Libertem os reféns que liberamos a aparatação. – Draco disse.


Dois professores foram soltos e andaram da maneira mais calma possível. Depois, Lauren também foi solta, mas ela permaneceu atrás dos aurores. Seus olhos indo de Ártemis para Renata.


- Reid, venha até aqui! – Draco exigiu, mas o loiro não se mexeu – Solte as duas, Ômega.


- Vamos mudar uma regra. – ele disse.


Drogo trocou o peso da perna. Os dedos coçando para pegar sua varinha. Um feitiço... Só que sua prima estava na linha de ataque.


- Vamos aparatar levando o ouro e ela. – disse apontando para Ártemis em seus braços – Quando estivermos em segurança, aviso onde buscá-la.


- Nada feito! – Draco respondeu, antes que Fred falasse algo – Vocês não sairão com nenhum refém daqui.


- Solte as duas. Agora! – Fred exigiu.


- Ômega... – era Zeta falando – Temos o nosso dinheiro. Libere as duas e vamos embora logo. – passou os olhos pelos aurores. Seu olhar demorando um pouco mais em Drogo e depois no olhar frio de Fred, que não desprendia sua atenção de Ômega.


Então, o inevitável aconteceu. Todos estavam nervosos. A liderança novamente sendo questionada... Alguém tomou uma decisão precipitada...


Lauren Hills correu para o meio, passando por Fleur, que não conseguiu segurá-la. Com a repentina movimentação, Sigma, assustou-se e lançou um jato verde que acertou a dona da escola em cheio. Renata aproveitou e chutou seu sequestrador na canela e saiu correndo em direção a Matthew.


- Merda! – Draco exclamou.


Logo, feitiços eram lançados dos dois lados. Ômega puxou Ártemis para dentro da escola. Renata, Matthew e Fred fizeram o mesmo. Karl Drogo ia segui-los, mas começou a duelar com Gamma. Sigma seguiu para dentro da escola também. Hermione seguiu instantes depois.


Ártemis tentou jogar o corpo para frente, tentando cair e interromper a corrida dele, mas ele a segurava firmemente. Só que, de qualquer forma, ela o estava atrasando.


- Pare com isso ou eu vou te matar! – ele disse, sério.


Renata foi diretamente até a mochila e Reid, para a cesta. A garota chegou segundos antes de Reid e pegou a varinha da amiga. Não seria a mesma coisa, mas não teria tempo de entrar na escola e procurar pela sua.


A batalha, então, começou a ocorrer no jardim. Os sequestradores duelavam melhor do que era esperado. Gamma, que conseguiu fugir de Drogo, entrou na escola correndo e gritando que o ouro era de leprechaun. Aquilo irritou ainda mais Ômega, que se escondeu atrás de um pilar. Bateu com violência com o corpo da garota contra as pedras.


Renata tinha contas a acertar com dois bruxos, mas quem encontrou foi Delta.  Ao longe, ouvia-se a chegada de outros aurores.


Hermione duelava com Zeta e Draco tinha entrado numa luta com Gamma. Drogo, do lado de fora, coordenava o cerco na escola.


Matt pegou sua varinha e viu Sigma apontar a varinha para as costas de Hermione. Draco viu a mesma cena, mas milésimos de segundos depois. As palavras se formando no bruxo sequestrador. A maldição da morte.


Porém, ele não a terminou. Logo foi lançado longe. Matt bloqueara o feitiço. Sigma caiu desacordado. Draco olhou para o outro loiro e deu um breve sorriso em agradecimento. Na tensão do momento, não amarraram o bruxo...


- Não adianta você se esconder, Ômega... Eu vou te achar...


Ártemis começou a gritar, mas o bruxo tapou a boca dela com sua mão. Depois lançou um feitiço, fazendo com que ela não pudesse emitir nenhum som.


- Seguinte. – ele disse em voz baixa – Pare de lutar ou eu vou achar um ponto e aparatar com você daqui. Está me entendendo?


Ártemis assentiu e parou os protestos. No instante em que ele afrouxou um pouco a pressão sobre o braço dela, Ártemis deu um joelhada que pegou na coxa dele. Ômega contraiu com a dor, soltando-a. Ela correu em direção à voz de Fred.


O ruivo andava pela escola. Os ouvidos atentos. Sabia que logo ele lançaria algum feitiço para silenciá-la.


De repente a viu. Correndo para ele. Não pensou duas vezes: correu até ela e a puxou para trás de outro pilar. Antes de perguntar qualquer coisa, abraçou-a.


- Ele tirou sua voz? – o ruivo perguntou sem quase emitir um som. Ela assentiu. Fred fez o contra feitiço.


- Fred... – ele voltou a abraçá-la, beijando o rosto machucado dela.


- O que ele fez com você...? – indagou passando, delicadamente, o polegar pela lateral do rosto dela.


- Ele... ele me torturou... e...


- Uma coisa. – Fred a interrompeu – Ômega... realmente – ele olhou para os lábios dela, depois encarou o castanho.


O local estava meio escurecido, mas não totalmente. Os olhos dela encheram de lágrimas.


- Ele... Ele passou a língua... Fred... eu tentei... Eu tentei me afastar... E também ele me tocou... – Fred calou-a com um beijo delicado.


- Ártemis, eu quero dizer que...


- Agora, você que está se escondendo, ruivo? Vou achar você e sua garota. Ouro de leprechaun, hein? Inteligente, mas descobrimos... Ou seja, nada do que combinamos está valendo...


Fred inclinou-se para Ártemis e sussurrou:


- Vá embora... – ele saiu de trás do poste, a professora correu, mas não foi embora. Foi atrás de uma varinha.


Assim que ele apareceu, Ômega lançou um feitiço, que foi habilmente defendido pelo outro.


- Não parece tão bom com a varinha quanto é com seus joguinhos de palavras... – Fred disse, desdenhoso.


Os dois começaram a duelar.


Ártemis achou a varinha de sua amiga junto com as outras sobre a mesa da secretaria.


Os sequestradores eram rendidos e levados para fora. Gamma e Sigma ainda dando um certo trabalho. Fleur foi ferida por um ricochete de feitiço lançado por algum bruxo. Hermione tentou se aproximar de onde Fred estava, mas havia algo impedindo sua passagem.


Ártemis viu que também não conseguia passar de uma linha imaginária.


- RENATA! – ela gritou. As duas se abraçaram rapidamente – Acho que Ômega criou algo nos prendendo aqui. Melhor trocarmos de varinha... – as duas trocaram e seguiram caminhos diferentes.


Renata foi atrás de Matthew. Viu Hermione tentando desfazer os feitiços.


O loiro viu um feitiço passar próximo à sua cabeça. Sigma tinha voltado à luta. Ainda queria acertar as contas com ele pelo feitiço que lançara em sua namorada.


Renata viu Matt duelando com destreza. No entanto, notou quando um feitiço o atingiu na perna, retardando sua defesa. Rapidamente, ela interveio. Apontou a varinha para Sigma e o bruxo voou, batendo contra a força invisível e caindo no chão, com um estrondo. Ela correu até ele, passando por Matt.


Não teve dúvidas: acertou um chute bem no meio das pernas do bruxo que gemeu.


- Seu covarde filho da puta! Falei que te acertaria! Você matou Lauren! – ela dizia, chutando-o – E torturou minha amiga e queria o quê? Matar no meu namorado! Seu imbecil!


- Renata, por Merlin! Acalme-se! – Matt a segurou pela cintura, afastando-a do bruxo.


Não cometeria o mesmo erro duas vezes: além do feitiço do corpo preso, envolveu-o com cordas. Matt, então, se virou para Renata e puxou-a para um forte abraço. Depois a beijou. Sua língua invadindo a boca dela. Uma mão na nuca e a outra percorrendo o corpo da namorada, para ter certeza que era ela mesma. Que ela estava ali. Com ele. Viva...


Ela gemeu baixinho, mas foi um gemido de dor.


- Sua costela... – ele disse, lembrando-se. Com a adrenalina do momento, nem ela sentira a dor.


- Fred... Ele precisa de ajuda.


- Não, ele não precisa. O que ele precisa é resolver isso sozinho. – abraçou Renata com mais calma, repousando a cabeça dela em seu peito. Sua respiração normalizando-se – Eu te amo... Tive muito, muito medo...


Enquanto isso...


Fred notou que Ômega era um bom oponente. Bem treinado, mas não páreo para ele. Estava apenas cansando o outro. Desviando-se de cada feitiço que era lançado. Até que o outro interrompeu seus ataques.


- Cansado? – sem resposta. Fred ocultou um sorriso – Já lutou numa guerra? Numa batalha? Provavelmente, não. Aposto que se escondeu na época da segunda guerra.


- Agora, você quem virá com jogo de palavras... Logo, os outros aurores vão chegar.


- Não, não vão... Eu cerquei a gente aqui. O assunto é entre você e eu... – Ômega levantou sua varinha ainda mais. Um medo repentino.


- Eu falei sério que vou atrás da sua garota. E falei sério quando disse que ela era gostosa... Infelizmente, só pude sentir o peito dela e os lábios, o quadril dela contra o meu... – ele viu um feitiço passar perto de sua cabeça. Um feitiço verde.


- Acho melhor calar a sua boca agora mesmo. – Fred disse sério. Ele notou que o olhar do bruxo foi até um ponto atrás de si. Não precisava virar-se para saber quem era – Fique onde está, Ártemis.


Ela parou. A voz dele num tom que nunca ouvira. Nem mesmo quando houve a confusão no bar.


- Ela disse que você me mataria. Eu duvido... Você é um auror e...


- Eu não sou auror. Sou Frederick Weasley, proprietário de uma loja. Gemialidades Weasley e você, Ômega, está com um problema sério. – silêncio – Eu vou realmente te matar...


- Fred... – Ártemis disse.


- Você será preso. – Ômega falou, nervoso.


- Não, eu não serei preso. E o feitiço verde que passou pertinho de você? Eu errei de propósito.


Ártemis deu alguns passos na direção deles.


- Fred, não faça isso...


- Você disse que eu o mataria, não disse? Você está certa, Ártemis. – o ruivo falou. Seus olhos preso no outro bruxo.


- Eu estava assustada e com medo, por isso falei o que falei. Todos os outros foram presos. – Ártemis tinha sua varinha preparada. Aproximou-se mais. Esticou o braço e tocou o ombro dele – Matá-lo não fará o tempo voltar. Desarme-o.


- Você é um fraco, ruivo. – Ômega provocou, porém mal levantou a varinha e Fred o desarmou.


Sentiu o corpo sendo imobilizado e depois puxado por um feitiço lançado pelo ruivo, que o pegou pela gola da camisa.


- Você vai receber o beijo de um dementador. Garanto. – e deu um soco, que derrubou o bruxo no chão. Depois se voltou para Ártemis, abraçando-a.


- Ártemis... – ele falou, soltando o ar pesadamente – Eu o teria matado...


A professora o olhou nos olhos. O rosto dele entre suas mãos, que estavam levemente machucadas.


- Seria impulsivo. Você não precisa viver com isso. Nós não precisamos viver com isso.


- Eu poderia matá-lo e só não o fiz porque me pediu. E eu obedeci por que eu te amo, Ártemis. – os olhos deles estavam uns presos nos outros.


Ela sentiu o chão rodar.


- Como?


- Queria preparar um jantar... Planejei algo muito mais romântico que um cenário pós sequestro, só que não posso mais esconder isso de você e de mim mesmo... Eu te amo e vou entender se voc... – ela o cortou, colando os lábios aos dele.


- Eu também te amo...


Voltaram a se beijar e foram interrompidos por Hermione. Ela sorria timidamente.


- Dessa vez, eu que peço desculpas, mas precisamos levar Ômega preso. – o bruxo gemia no chão. Dois aurores passaram e o levantaram.


- Eu posso apenas...? – Ártemis falou, fazendo um gesto com a mão. Hermione assentiu.


O sequestrador não tinha mais o sorriso irônico. Ela aproximou-se e Fred tentou ir junto, mas ela fez um gesto para ele esperar. Colocou as mãos no ombro de Ômega e deu uma forte joelhada, diretamente no saco. Os dois aurores fizeram força para evitar que o outro fosse ao chão de novo.


- Você receberá o beijo de dementador, será o último beijo que vai sentir e nunca mais vai aproximar isso de quem não quer, seu filho da puta. Eu não poupei a sua vida, eu poupei a vida do meu namorado.


Ela afastou-se e os dois levaram Ômega, meio arrastado. Quando eles passaram perto de Renata e Matt, a bruxa saiu correndo e começou a socar o bruxo e xingá-lo. Matt precisou segurá-la novamente pela cintura.


Do lado de fora, Drogo e Lary vieram correndo, abraçando as duas.


- Vocês precisam ir ao Hospital! – Matt falou, olhando para elas.


- Eu cuido disso. – Fred falou – Vá saber do seu irmão e nos encontre lá.


Eles despediram-se e o loiro sumiu no ar depois de beijar demoradamente Renata nos lábios.



 ________________________________________________________________________________________



N.B.: que tenso!!!!! Merlin, foi mto difícil betar esse cap!!! Adorei sua joelhada no saco, Fred dizendo que te ama!!! Lindo lindo lindo esse ruivo!!!Draco vai dever pra sempre a vida da Hermione ao meu bebê, bem feito!!! Cap sensancional!!! FANTÁSTICO!!!


 N.A.: e, por fim, a tensão acaba! Fic chegando ao final... Postando uma sequência  de caps para me redimir... Beijos, Ártemis


 


 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Maris em 01/07/2012

Renata não se controla, aff!
Amei o cap.
O Fred é fofo! Mas desculpas, o Draco é sempre Draco. E consigo perceber que embora descreva o Fred maravilhosamente, você tem muito carinho na escrita das passagens do Draco.

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.