FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

14. Capítulo 13


Fic: A new beginning


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capítulo 13


 


Os dois homens deram as mãos. Um gesto claro de desculpas. Sem rancor e sem dores de cabeça. Simples e eficaz. Matthew tocou a campainha e esperou. Renata abriu a porta e ele logo notou que não houve interferência de Hermione em seus trajes.


- Entrem – ela disse, de forma simpática.


Quando Ártemis surgiu, Fred sorriu bobamente. Ela usava a mesma roupa do seu aniversário. Renata e Matt aparataram, ela segurou a mão de Fred e sussurrou no ouvido dele:


- Por um novo começo – ela piscou e o ruivo a abraçou. Seu coração descompassado. Sim, por um novo começo.


A boate em que foram era maior que a outra e ficava em Leeds. Antes de escolherem onde ficar, os dois casais foram conhecer o local.


Havia três ambientes diferentes. O primeiro era repleto de mesas, um bar à esquerda e uma música calma tocava. Havia uma porta automática que separava esse do segundo ambiente, onde uma grande pista se estendia e uma música mais agitada começava a tocar. Ao fundo, um grande bar. O último ambiente era no andar de cima, o acesso era por uma escada pela direita da pista de dança. Matt e Renata subiram antes e Fred subiu atrás de Ártemis. Uma excitação percorreu seu corpo ao ver o movimento do bumbum dela ao subir os degraus.


Desceram novamente e optaram por beber e conversar no primeiro ambiente. Todos aceitaram começar a noite tomando cerveja trouxa. Foram servidos e começaram uma animada conversa.


- Renata comentou que seu aniversário está chegando. – Matt começou a falar.


- Sim, farei uma festa. Acho que pode ser até aqui mesmo. Parece um lugar animado. Será que as meninas topam vir aqui amanhã?


- Meninas? – Fred perguntou sem entender.


- Sim, meu amigo, as duas aqui vão sair amanhã com Hermione e Maris, a mulher do Blaise Zabini, sabe? Amigo de Draco? – o ruivo assentiu.


- Você está pensando em vir aqui?


- Sim! – Ártemis falou animada, olhando para sua amiga que tinha uma expressão “enlouqueceu?” no rosto – O que acha?


- Eu? – Renata indagou e olhou para Matt. Eles, é claro, podiam sair com seus amigos e amigas, não viviam grudados, mas uma boate daquelas era tipicamente um lugar de paquera... Tinham combinado de não frequentar esses lugares sozinhos. O loiro estava sério.  – Bem, Ártemis... – ela foi salva por Fred, que perguntou, olhando seriamente para Ártemis.


- Por que você quer vir aqui amanhã? Só com mulheres?


- Venha, Rê – Matt falou – Vamos atrás do cardápio. Escolher alguma coisa para comer – a bruxa não pensou duas vezes e seguiu o namorado.


- Então... Por que vir aqui amanhã? – o ruivo repetiu a pergunta.


- Ah... Porque parece ser um lugar legal para dançar – ela disse, sem entender o motivo de tanta confusão.


- E paquerar – ele completou a resposta dela. Sério. A mão sobre o ombro dela e a outra na cerveja.


- Todas elas namoram e nós estamos em “algo sério”, eu não ia paquerar ninguém – Ártemis falou, bebendo da sua cerveja.


O ruivo estava com a fisionomia fechada. Já sentia ciúmes só de imaginá-la ali. Pois sabia o que aconteceria. Apesar de ter perdido peso, vinha recuperando-o nas últimas semanas. Fazendo flexões e outros exercícios, mas não perdera os reflexos que aprendera no treinamento. Nem sua minuciosa observação. Não precisava olhar para os lados para saber que havia um bruxo, na outra mesa, que não tirara os olhos de sua... dela.


- Ártemis – ela depositou sua cerveja na mesa e encarou os azuis. Fred percebeu que não havia provocação ou maldade no convite que ela fizera para as amigas – Eu sei que você e as outras garotas não iriam paquerar. Acontece que alguns homens, a maioria deles, não respeita isso. Aqui é local de paquera. Se vissem quatro bruxas, chegando juntas e desacompanhadas... – ela entendeu o que ele queria dizer. Claro...


- Desculpe... – ela corou – É que eu nunca fui muito de namorar, quer dizer, bom... Faz um tempo que não estou num “relacionamento sério”... Eu... – Fred sorriu e inclinou-se para beijá-la. Seus lábios pararam a milímetros do dela.


- Que tal algum barzinho, vocês sentam em alguma mesa... – ele dava pequenos e rápidos beijos – depois, Hermione vai para casa do Malfoy e você... Você pode vir para minha. O que acha?


- Acho uma boa ideia, Fred – Ártemis segurou-o pela nuca para que pudesse aprofundar o beijo.


A língua dele logo roçou pelos lábios dela, que os abriu. Ouviram um pigarreio e se separaram.


- Pedimos uma porção de queijos variados – Renata falou, sentando-se ao lado do namorado – Daqui a pouco trazem aqui.


- Desculpe. – Ártemis disse olhando para a amiga e Matthew – Eu...


- Tudo bem, flor! – Renata exclamou.


Matt, então, olhou para Fred que tinha os olhos em outro ponto.


- Fred, tudo bem? – o loiro perguntou.


- Claro... – a atenção dele voltou para a mesa, sorriu e resolveram pedir mais uma rodada de bebidas.


As duas amigas entraram numa conversa animada sobre roupas e convidados para a festa. Notando a distração delas, Matt perguntou para Fred:


- Não vou olhar para trás, para não parecer muito curioso, mas que tanto você olha?


- Um bruxo. Não para de olhar para... – ele fez um pequeno gesto de cabeça. Ele sentou-se mais ereto ao ver que mais dois bruxos sentaram ao lado do homem que ele encarava. Os três olharam para ele – Ótimo... Mais dois chegaram.


- Fred, estamos aqui para nos divertir. Esquece esse cara, curta com sua garota. Já não bastou a confusão da outra semana? – o ruivo olhou para os olhos do amigo, bebeu seu uísque e resolveu tentar deixar o assunto para lá.


- Preciso ir ao banheiro – Ártemis falou – Quer ir, Rê?


- Eu estou de boa, flor – Fred levantou-se e ajudou a puxar a cadeira.


Ártemis levantou-se e ajeitou o vestido. Deu um pequeno selinho nele e começou a ir em direção ao banheiro. Nesse meio tempo, Fred notou o bruxo de cabelos castanhos da outra mesa levantar-se também. Ele tinha sorrido e falado algo com os companheiros.


- Filho da puta – Fred murmurou – Ártemis, espere! – ela parou e olhou para trás. O outro bruxo parou quando viu que Fred aproximava-se dela – Eu te acompanho – ela sorriu e ambos seguiram em direção ao banheiro.


- O que houve? – Renata perguntou para o namorado.


- Esse Fred... Ele acha que tem um bruxo numa mesa aqui atrás que não para de olhar para Ártemis.


- Ah é? – Renata perguntou e virou o corpo, olhando para a mesa atrás de si. Viu três bruxos conversando, que mandaram um sorriso para ela.


- Por Merlin, Renata! – Matt falou e olhou furioso para os três – Sem confusões por hoje. Quando eles voltarem, a gente some na pista e evita brigas.


- Apenas fiquei curiosa – o loiro puxou-a pela nuca e a beijou com possessividade.


Fred aproveitou para ir ao banheiro também, depois ficou do lado de fora, esperando. Os braços cruzados. Ignorou algumas bruxas que passaram sorrindo. Claro que ele não queria confusão, mas fora treinado para identificar quando alguém procurava por uma. E ele tinha localizado isso naqueles três bruxos que estavam na mesa atrás deles.


- Banheiro feminino é uma merda! – foi puxado de seus pensamentos ao ouvir a voz dela.


Descruzou os braços, um sorriso nos lábios. Até ele já tinha percebido que sorria muito mais desde que ela aparecera em sua vida.


- Se quiser, levo você escondida ao banheiro masculino...


- Não, obrigada! – ela disse, rindo.


- Que tal irmos dançar? Estou te devendo algumas danças... – ele falou enquanto andavam em direção à mesa. Seus olhos rapidamente foram para o trio de bruxos que o encarava.


- Vamos dançar?! – Ártemis perguntou, animadamente, ao chegar à mesa.


Rapidamente, Renata colocou-se de pé e Matt a seguiu. Ele lançou um olhar para o trio também e ouviu Fred perguntar:


- Entendeu o que eu quis dizer? – o loiro apenas assentiu.


Renata foi puxada delicadamente antes que pudesse olhar para a mesa e Ártemis ficou sem entender. Mas ela não gostava de ficar sem entender...


A pista estava enchendo, mas havia espaço para dançar sem que se esbarrassem. Vantagens de locais bruxos: o ambiente ampliava magicamente conforme era necessário. Foram até o bar, Matt e Renata pegaram suas cervejas, enquanto Ártemis e Fred pegaram uma dose de uísque.


O casal de namorados foi até a pista, mas Ártemis impediu a saída de Fred e perguntou:


- O que houve lá atrás?


- Como assim? – Fred perguntou de volta.


- O que você disse para Matt... Todos entenderam, menos eu. O que houve? – Fred segurava o copo com uma mão e a outra estava na cintura dela.


- Tem um cara que não parava de te olhar. Depois chegaram mais dois bruxos. Eles não estão bem intencionados. – o ruivo falou com o tom sério.


- Estou com você. Com certeza ele percebeu isso. O cara não tentaria algo ao ver que estou acompanhada, certo? – Ártemis perguntou.


- Eles não estão bem intencionados. Eu sei disso... – Fred reafirmou.


- Não tem como você saber isso...


- Tem e eu sei... Eu... eu não posso explicar, não agora... Um dia eu te conto, pode ser? – ele passou a mão pelo cabelo castanho – Hoje, quero apenas estar com você, dançar com você,... – Ártemis sorriu e colou seu corpo ao dele, depois murmurou:


- Quem sabe se você se comportar, não ganha seu presente de aniversário? – Fred sorriu de lado e beijou-a. Terminou seu uísque e puxou-a para a pista.


Matt e Renata dançavam juntos. Muito juntos. Os corpos na mesma sincronia. Ela sentiu o assopro dele em seu pescoço. Quase deixou a cerveja escapar de sua mão. Como uma pequena vingança, deixou que sua língua, gelada pela cerveja, deslizasse pelo pescoço quente dele. O loiro sentiu o corpo arrepiar. Puxou-a pela cintura. Beijou-a com desejo.


Fred segurou Ártemis pela cintura. A mão que segurava o copo ao lado do corpo, enquanto a outra mão estava na nuca dele. Os dedos passeando pelos cabelos. Fred tinha a cabeça levemente inclinada para baixo. Mesmo de salto ela ainda era mais baixa que ele. E o ruivo gostava daquela sensação: de poder protegê-la.


- Largue esse copo – ele pediu – Quero suas duas mãos no meu corpo – ele mandou.


Ártemis sorriu e terminou o conteúdo. Entregou o copo para um garçom que passava. Então, passou a mão pelo braço dele, peito, abdômen.


Uma nova música começou a tocar e os corpos se mexiam ao ritmo da batida.


When you came in the air went out.


And every shadow filled up with the doubt.


I don't know who you think you are,


But before the night is through,


I wanna do bad things with you.


 


Fred sorriu pelo nariz, sem saber se xingava ou agradecia o destino pela música que começou a tocar.


Ártemis sorriu ao reconhecer a música.


Fred levou uma mão até a nuca dela, a outra desceu um pouco mais. Os dedos na curva do bumbum, sem realmente tocá-los. Os narizes se tocavam e eles gingavam juntos. Um movimento sensual.


I'm the kind to sit up in his room.


Heart sick an' eyes filled up with blue.


I don't know what you've done to me,


But I know this much is true:


I wanna do bad things with you.


 


Ele passou os lábios pelo maxilar de Ártemis e cantou, em voz baixa, o último verso na orelha dela. Ártemis sentiu o corpo se arrepiar. Ele mordeu levemente o lóbulo de sua orelha. Ela subiu e desceu a mão pelos braços dele. Sua língua lambeu levemente os lábios dele. Mordiscando o lábio inferior. Mas afastou-se quando ele tentou beijá-la.


O som da guitarra começou a tocar. Sem letra. Ártemis puxou-o para si, colando ainda mais o quadril.


When you came in the air went out.


And all those shadows there are filled up with doubt.


 


Ela afastou-se dele e abraçou-o por trás. Fred sentiu os seios dela em suas costas e viu as mãos dela deslizando sobre seu peito. Virou-se, puxando-a para si…


 


I don't know who you think you are,


But before the night is through,


I wanna do bad things with you.


I wanna do real bad things with you.


Ow, ooh


 


Ártemis sussurrou os últimos versos dessa vez, virou-se nos braços dele. Ficando de costas. A imagem da tatuagem dela fazendo com que ele imaginasse novamente até onde iria... Ela rebolava sensualmente contra o quadril do ruivo. A mão de Fred em sua coxa.


Ele fechou os olhos. Ela desceu um pouco, ainda rebolando. Depois subiu, lentamente...


I don't know what you've done to me


But I know this much is true


I wanna do bad things with you


I wanna do real bad things with you


 


Fred sentiu seu membro latejar ainda mais. Sem dúvida ela o sentia. Quando ela voltou a subir, os últimos acordes tocando, ele girou o corpo dela. Um pouco violento.


- Você não sabe quem está provocando... – o ruivo disse.


- Acho que está na hora de eu saber... – ela pressionou o quadril contra o dele.


Outra pequena provocação. Não sabiam mais qual música estavam tocando. Ele segurou-a pela nuca, na base dos cabelos e beijou-a com força. As línguas travando uma luta. Separaram-se alguns minutos depois, ofegantes.


- Por Merlin, garota... – Fred falou, soltando o ar. – Preciso de um uísque. E preciso me acalmar. Ande na minha frente... – ele pediu.


A garota sorriu. Os dois encontraram Matt e Renata no balcão.


- Belo show, hein, amiga? – Renata riu – Algumas pessoas pararam para ver a pequena dancinha de vocês... – Matt sorria de lado, observando a expressão do amigo e imaginando muito bem o que ele deveria estar passando.


- Não fale nada, Matthew – Fred antecipou-se – Dois uísques – pediu ao garçom – Um deles, dose dupla... Tripla! – exclamou.


- Melhor você se sentar, Fred – o loiro levantou-se, cedendo o lugar ao amigo, Ártemis permaneceu em pé, ao lado do ruivo. A mão dele ainda em sua cintura.


- Fique aqui. – Renata disse – Eu preciso ir ao banheiro.


- Também preciso – Matthew falou ao ver o olhar do amigo.


Ártemis observou os dois se afastarem e perguntou, sentando-se na frente do ruivo:


- Tudo isso por causa daqueles bruxos? Eles devem estar dançando por aí... – a bebida chegou e eles agradeceram ao garçom.


- Não sei onde eles estão, alguém roubou totalmente minha atenção – o olhar de Fred percorreu a coxa esquerda dela que estava cruzada sobre a outra perna.


A abertura no vestido mostrando um pouco mais do corpo. Subiu o olhar, parando um pouco nos seios, e depois encontrou os castanhos olhando-o de forma divertida.


- Fico tranquila em saber que quando estou dançando com você, o senhor não fica olhando homens pela pista... – Fred riu e entrelaçou seus dedos aos dela. Distraído, não notou uma aproximação até que ouviu:


- Hidromel, por favor – um bruxo aproximou-se do balcão, fazendo o pedido e colocando-se entre Fred e Ártemis.


O corpo do ruivo tornou-se tenso quando viu quem falava. O bruxo de cabelos castanhos apenas lançou um olhar para Ártemis, que pegou seu copo e fingiu nada ver.


- Desculpe, estou apenas esperando o meu pedido. – o bruxo falou.


- Poderia ter feito o pedido em outro lugar. O bar é bem extenso – Fred rebateu.


- Fred... – Ártemis falou – Deixa para lá. – o ruivo deixou o copo sobre o balcão. Atento a qualquer movimento do outro.


- Você dança muito bem – falou, olhando para Ártemis.


- Olha, cara, – ela disse, meio nervosa – estou acompanhada, caso não tenha percebido.


- Percebi, mas... Não me importo – Ártemis rolou os olhos e Fred sentiu o sangue correr mais rápido.


- Cai fora. É o melhor que você faz. Não quero brigar, mas não force a barra. – o ruivo disse.


- Estou apenas esperando a minha bebida – ele anunciou novamente, sem tirar os olhos de Ártemis, que já estava se sentindo mal.


Fred percebeu e falou:


- Ei! Pare com isso! – empurrou o ombro do outro, que se voltou para ele.


- Estou apenas esperando minha bebida – ele repetiu.


Matthew chegou com Renata e falou, em tom apaziguador:


- Tudo bem por aqui?


- Sim – o bruxo desconhecido anunciou – Em companhias tão agradáveis – e piscou para Ártemis.


- Cara, você é idiota? Pare com isso! – ela pediu e Fred sentiu a mão do amigo sobre seu ombro.


Viu que os outros dois homens, amigos do senhor inconveniente, chegaram, postando-se atrás dele. A bebida dele chegou. O moreno pegou o copo e, propositalmente, deixou parte do líquido cair sobre a perna de Ártemis.


- MERDA!ela xingou.


- Desculpe! – ele pegou o guardanapo que veio com o copo e foi em direção à coxa dela.


Fred rapidamente o impediu, segurando-o pelo punho:


- Nem pense nisso! – falou em tom ameaçador.


- Melhor vocês se afastarem... Estamos aqui, com nossas garotas, na paz... – Matt falou e viu que um dos amigos do causador da confusão olhava intensamente para sua namorada.


Ele sentiu o sangue ferver também. Principalmente, quando o homem lambeu os próprios lábios.


- Foi um acidente – ele disse, dando de ombros.


- Não tem problema – Ártemis falou, escondendo sua raiva – Eu limpo. Venha, Fred. – mas o ruivo não se mexeu.


- Isso não teria acontecido se você não tivesse se intrometido entre mim e minha garota – ele falou, nervoso. O rosto corando de raiva – Como disse: não falta espaço nesse bar, você poderia ter feito o pedido atrás de mim.


- Desculpe, cenourinha, mas eu preferia muito mais fazer o pedido atrás dela. – Ártemis abriu a boca de indignação e, antes que pudesse entender, Fred já tinha dado um soco no outro bruxo.


Com a força do impacto, o moreno foi atirado contra os amigos, que ampararam sua queda, colocando-o de pé.


- Você não tem ideia com a garota de quem acabou de mexer. – o ruivo anunciou.


Uma roda se abriu.


- Puta merda... – Matt exclamou.


O bruxo ajeitou-se e partiu sobre Fred. Matt, percebendo que o outro também veio para cima de Fred, impediu a aproximação dele com um soco.


Renata colocou a mão na boca. Era o bruxo que tinha olhada para ela.


Ele acertou Matt nos lábios, mas logo o bruxo recuperou-se. Ouviu o outro dizer:


- Se prepara, loirinho, vou te derrubar e vou ensinar para a morena ali – e apontou Renata – O que é um homem de verdade.


Reid sentiu uma raiva como poucas vezes sentia e partiu sobre o outro. Sabia sobre o treinamento de Fred; sendo assim, sabia que ele daria conta dos outros dois.


Renata estava extasiada. Era uma garota extremamente romântica e ver seu loiro agindo assim, por ela... Estava deixando-a extremamente excitada.


Quando a raiva pulsava mais forte, homens traziam seu lado animal, ou seja... Não se lembravam de usar a varinha. Apesar de levar alguns golpes, Matthew Reid derrubou o outro.


Enquanto isso...


Antes que o bruxo pudesse acertar Fred, ele desviou-se e acertou o outro com um soco na barriga. Seus anos de treinamento vieram à tona. Viu que o colega dele se aproximava e o acertou com um chute.


Ártemis olhava aquilo tudo sem entender. Aquele não era o mesmo bruxo que lutara com Derek. Ele mexia-se com uma rapidez que ela mal conseguia acompanhar.


- Renata! – ela gritou – Está com a comanda do Matt? – a outra assentiu, sem tirar os olhos da briga. – Puta merda... – Ártemis xingou pela sua amiga estar hipnotizada com aquilo e por estar sem sua varinha.


Pegou a da amiga e convocou todas as comandas. Os bruxos-segurança se aproximando. Ela não queria passar a noite no departamento dos aurores.


Fred agilmente nocauteou um dos bruxos. O que mexera com Ártemis tinha o rosto machucado e sangrando e parou, de repente, dizendo:


- Foi um engano...


- Foda-se... – Fred disse e acertou um soco, derrubando-o no chão.


Ártemis jogou as comandas sobre o bar e gritou:


- Libere logo nossa aparatação! Vai, porra! – o barman viu o estrago que estava sendo causado e pensou em suas garrafas. Liberou as comandas magicamente, o que liberava os bruxos.


Reid limpou o canto da boca e voltou-se para Renata. Ártemis empurrou a varinha de volta para ela:


- Vá para casa dele! Vai! Você está ai... hipnotizada... Vai, Renata! – a amiga viu a urgência na voz da outra, deu a mão para o namorado, beijou-o com urgência nos lábios e aparataram. Ártemis colocou a mão no braço de Fred e continuou – Nos aparate para minha casa. Agora!


Fred respirava rapidamente. Jogou os cabelos para trás, pegou sua varinha e aparatou.


---


Assim que chegou na casa do namorado, Renata empurrou-o sobre o sofá, caindo em cima dele.


- Aiiii – ele reclamou de dor. Ela o beijou avidamente.


- Essa foi a coisa mais sexy que eu já vi! Você estava lindo! E você o derrubou! – ela dizia, animada. Levantou-se e imitou os gestos do namorado de forma um tanto destrambelhada.


Ele riu ao ver tal cena e murmurou:


- Acho que preciso arrumar mais brigas dessas,... – ele gemeu de dor e Renata voltou a si.


- Matt! Eu te curo! – ela ajoelhou-se ao lado do sofá – Que tal tirar essa camisa ensanguentada?


- Você poderia ser uma boa curandeira e fazer serviço completo...


- Serviço completo? – ela perguntou, sem entender.


- Claro... Como me dar banho... – ele riu de forma sexy e Renata começou a curá-lo, fazendo questão de beijar cada ferida que sumia.


---


- Você está bem? – foi Fred quem perguntou.


- Eu? Você que se envolveu numa briga com dois caras! E você... Você nem está ferido! – ela exclamou, aturdida.


- Ártemis... Eu posso explicar...


- E com Derek...


- Sente-se que eu explico, ok? – poucos sabiam sobre aquilo, mas ele sentia que poderia contar para ela.


- Preciso me limpar... Aquele idiota... Ainda estou toda melada! – ela exclamou.


Fred fez um floreio e a pele dela foi limpa imediatamente.


- Sente-se... – ele disse. Então, contou sobre a guerra, seu treinamento,...


- Mas, Derek... Com Derek...


- Eu estava fora de forma e eu não usei meu treinamento. Senão, esse outro idiota teria ficado um bom tempo afastado dos campos de quadribol.


Ela riu pelo nariz.


- Parece que nunca teremos um encontro normal... Mas o cara mereceu... Obrigada mais uma vez. – ela pegou na mão dele – Meu cavalheiro da armadura dourada! – falou cenicamente e ele sorriu e a beijou.


A mão dele foi até a coxa dela.


- Vou te confessar... esse vestido... Espero que use mais vezes... – ele murmurou contra os lábios dela.


- Quando quiser, Fred... – o ruivo deitou-a no sofá, seu corpo sobre o dela.


- Você é linda... – ele murmurou. Ártemis foi até a orelha dele, mordicando-lhe.


- E sua...


Fred fechou os olhos. Seu coração descompassado. Aquela era uma declaração muito maior do que ele esperava, muito maior do que ela imaginava. Voltaram a se beijar, o corpo dele reagindo. Excitando-se.


- Espere... – ela repetiu.


- Tudo bem. – ele respirou fundo – Melhor pararmos... – saiu de cima dela e sentou-se.


- Não é isso... – Ártemis levantou-se e pegou na mão dele – Venha para meu quarto. Está na hora do seu presente.


- Quê? Ártemis, eu...


- Venha... – Fred levantou-se e a seguiu, reparando no rebolado dela.


Assim que entraram, ela fechou a porta e empurrou-o contra a porta.


- Ártemis... O que pensa que está fazendo...?


Ela não respondeu, apenas o beijou. Depois murmurou em seu ouvido:


 


I wanna do real bad things with you.


 


- Por Merlin, Ártemis... O que você está pensando?


- Não importa o que eu estou pensando... Importa o que você está sentindo. – ela pegou a varinha sobre o criado-mudo, fez um floreio e a música Bad things começou a tocar.


- Merlin... – ele murmurou mais uma vez. O corpo reagindo por antecipação.


Ela sorriu de lado. Abriu os botões da camisa dele e tirou a camisa do ruivo. As unhas dela percorreram o peito dele. O abdômen. Descendo e subindo... A cintura no ritmo da música...


- Como sabia que essa música...


- Eu não sabia... Só que você não sabe o que já fiz pensando em você ao som dessa música... – a voz dela falando baixo.


Fred não acreditava que aquilo estava realmente acontecendo. Nem acreditava no que acabara de ouvir. Quem era aquela mulher?


A mão dela abriu o cinto. O botão da calça. Desceu o zíper.


A música terminava. E recomeçava. Ela virou-se de costas. Fred segurou a cintura dela. O rebolado novamente. A mão dele na lateral do corpo dela. Os dedos roçando os seios. Sua cabeça recostou-se contra a porta. Seu membro latejava.


Ártemis virou-se para ele novamente e o puxou pelo cinto. Ele a seguiu. Ela inverteu as posições e o empurrou. O ruivo caiu na cama. Apoiou-se nos cotovelos, olhando-a. Ele subiu mais o corpo, deitando-se por completo.


- Ártemis...


Ela tirou o sapato dele. As meias. De quatro, engatinhou sobre ele. Os olhos azuis olharam o decote. Ele mordeu os próprios lábios. Os cabelos lisos caindo ao redor do rosto. Roçando seu peito nu...


Ela sentou sobre ele. Fred deixou o corpo cair sobre a cama e passou a mão pela nuca dela, puxando-a para um beijo. Sentiu o corpo dela ajeitando-se. Ele estava excitado. E ela mexendo-se sobre ele só deixava tudo mais tenso.


Ártemis passou as mãos pelos braços dele. Até que seus dedos estivessem entrelaçados. Depois, os levou até o alto da cabeça dele. Segurando-o. Sem fazer, realmente, força. Ele estava entrando no seu jogo. Sem saber exatamente onde estava entrando.


Segurou os punhos dele com uma mão, beijava-o. Sugava a língua dele. E ele gemia e chamava o nome dela. Com a outra mão, ela foi até a varinha. Afastou-se dele e sorriu maliciosamente.


- Hora do jogo, Frederick Weasley – com um floreio, amarrou-o. Ele sentiu os punhos presos.


- Não faça isso... Eu preciso te tocar. – ela colocou a varinha sobre a cama novamente. As unhas passando pelo peito dele.


- Hoje não, Weasley. – ela mexeu o quadril e Fred gemeu. Alto.


Ártemis deitou-se ao lado dele, puxando o rosto para si e beijando-o. A mão novamente descendo pelo peito, abdômen. Até tocá-lo sobre a calça...


Ele gemeu. Tentou soltar-se. O corpo dele arqueou-se.


- Solte-me! – ele exigiu.


- Não... – a morena tirou a calça dele. Viu uma boxer escura que contrastava com a pele clara, os pelos ruivos, as sardas – Você é realmente lindo...


- Ártemis! – ele falou, o tom bravo.


- Vamos deixar as coisas mais... iguais... – ela pegou a varinha.


Fez um floreio e Fred sentiu o corpo sendo levado até a cabeceira, fazendo com que ficasse sentado. Os braços ainda presos. Ela usou a varinha e, agora, vestia a camisa dele. Os primeiros botões abertos...


- Quando eu me soltar... – ela ignorou o comentário e saiu da cama. A varinha ainda em sua mão. Um floreio e um ferro surgiu do chão ao teto. O ruivo arregalou os olhos e pediu mais uma fez – Solte-me... Ártemis... Que porra você está fazendo?!


Ela fez com que a música recomeçasse. Segurou a trave de metal e começou a dançar de forma sensual. Percebeu que ele tentou, novamente, soltar-se.


Ela rebolava. Dançava. E ele observava cada movimento. A morena virou-se de costas, os cabelos sobre os ombros.


Fred sabia que seu punho ficaria machucado. Só que não se importava. Precisava soltar-se. Precisava senti-la.


Ela dançava sensualmente. Sexualmente. O mastro atrás de si. Ela abaixava-se, rebolando. O ruivo sabia a sensação daquele rebolado.


- Ártemis!


Ela ignorava e continuava sua dança. Até que a música chegou ao fim e outra começou... Light my fire.


- Sério, garota, quando eu me soltar...


A morena engatinhou até ele e beijou-o. Depois, deitou ao lado dele.


- Por favor,...


- Não.


A mão dela foi até o membro dele, já rígido e começou a tocá-lo. Fred fechou os olhos e mordeu os lábios. Entregou-se. Sentia a boca dela sobre a sua, sobre o pescoço. Ela beijava-o e lambia-o e mordiscava-lhe. Ele gemia. Havia apenas uma palavra, um nome que ele conseguia pronunciar: Ártemis.


- Eu... Puta merda, Ártemis... – ele murmurou depois de um tempo, e quando sentiu que não poderia mais segurar. O corpo em êxtase. Puro prazer. Até que não conseguiu mais segurar, controlar e jorrou na mão dela. Voltou a olhá-la. Os olhos escuros de desejo. – Solte-me. – ela pegou a varinha, fez um floreio e Fred pulou sobre ela – Que tipo de loucura é essa?!


- Você não gostou? – ela perguntou sob ele. Ele ainda estava excitado.


- Não é isso... Eu...


- Faz tempo que você não está com alguém... Você me disse isso... Quis fazer algo que você gostasse. Quis te dar prazer. Descul... –  ele a calou com um beijo.


- Acontece que quero fazer o mesmo por você. Ártemis, isso... – ele não conseguia dizer.


Quando alguém havia feito aquilo? E ele não queria pensar, não podia pensar que ela poderia ter feito aquilo para outro homem.


- Não... Ainda não é hora... Eu...


- Você não confia em mim? – Fred perguntou.


- Confio... Por que não aproveita o que houve? – ela perguntou e o ruivo deixou o corpo cair ao lado dela.


- Isso ainda terá volta... Essa dança... Onde aprendeu?


- Tive umas aulas, mas... – eles olharam-se e Fred a incentivou:


- Mas?


- Nunca tinha feito para ninguém... – os olhos azuis brilharam de algo que Ártemis não pôde reconhecer.


E Fred sentiu-se único. Puxou-a para si, fazendo com que ela deitasse a cabeça em seu peito. O coração acelerado, não apenas pelo o que tinha acabado de acontecer.


---


N.B.: MOOOOOOORRI!!!!! Como assim??? O.O Ok, eu preciso do próximo capítulo urgentemente, afinal, estou sem condições físicas e psicológicas e de esperar ou betar. Teeeeeeeeeenso!!!


 


N.A.: esse cap rendeu uma noite perfeita com meu marido kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Tonks Fenix em 08/05/2012

Amei!!!
Tô me divertindo tanto com essa fic! E o Fred todo machão ciumento foi d+!!!
Qndo tem mais???
Bjinhus! 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Mrs. Mari Oldman em 07/05/2012

AêeÊÊEÊÊÊ Ricardo saiu ganhando nessa!!!!!

 

Agora vc tem que arrumar um pole dance pra tua casa! hahaha

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Maris em 02/05/2012

Gente, li o cap pensando: "Ai, ai...Artemis descrevendo as OM dela".

Meu marido, louco pelas minhas, veio na sala para saber que merda que eu fazia na sala às 03:25 da manhã. Renatinha, se tá sem condições de betar, me dá que eu beto...já falei...

Gatas, nunca me diverti tanto lendo uma fic. Parabéns para as duas!!! 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por jessica salicio da silva em 30/04/2012

Ai meu jesuis !!!! Que capitulo quente foi esse, e tadinho do Fred. Essa Artemis mata leitoras, Fred's e jéssicas. Dificil viver assim, viu !?! Ficou uma lindeza, grande escritora !

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Júlia rodrigues valente em 30/04/2012

Gente o que foi isso o_o
AAAAAAAADOREEI!!!!!!!!! ♥ 

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.