FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

11. ¤ Tragédia e Segredo


Fic: Dangerous Love


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

-- Gina... Gina! -- Exclamou Harry, sacudindo levemente o braço da menina, que estava ajoelhado próximo a garota. Uma multidão vasta havia se juntado ao redor da garota, e não havia mais ninguém bailando na pista de dança. Todos pareciam sérios e temerosos. Gina, então, estremeceu e abriu os olhos.



A garota deu um sorriso pálido, e apoiou-se nos braços para se levantar, causando expressão de alívio geral. Sentou-se no chão, decidida, e recebeu um abraço forte de Draco Malfoy, que estivera muito pálido, as unhas completamente roídas. Pansy Parkinson, então, berrou:



-- É ela? É ELA A GALINHA MORTA QUE VOCÊ ESTÁ NAMORANDO, SEU BUNDÃO?? -- A garota parecia completamente descontrolada, e rosnou para ele. Apanhou a varinha nos bolsos, mas a deixou cair. Draco acionou a varinha para sua mão e disse, em um sorriso absolutamente presunçoso:



-- Cale a boca, buldogue fedorento. -- E partiu a varinha da garota em vários pedaços, triturando-os com uma só mão e jogando o pó brilhante e mágico na cara de Pansy, que ladrou:



-- Você vai ver, Draco Malfoy! Você não me conhece como deveria! Todos esses anos juntos, e somente agora você vai descobrir quem é Pansy Parkinson! -- E saiu impestivamente do Salão, ao som de verdadeiras gargalhadas gerais. Gina levantou-se, acudida pelos amigos, e estava retornando, segura por Harry em um braço e Rony em outro. Draco suspendeu a varinha e disse para Sarah, que olhava toda a cena como se divertisse-a.



-- Só não lhe mato para cuidar de Gina..! -- E virou-se para a namorada, que já estava devidamente acomodada em uma cadeira confortável. Sarah riu, mas não fez nenhum comentário. Apenas apreciou a cena, o que deixou Harry muito desconfortável.



Foi então que ocorreu o golpe fatal.



Harry curvou-se para falar com Gina, e verificar se a garota estava bem; os dois conversaram brevemente, tranquilamente. Então Harry se ergueu e foi juntar-se a Rony e Hermione.



Foi muito rápido; Harry ouviu um grito alto, seguido por enunciamento de algumas palavras mágicas, um estampido alto de feitiço e PAF - empurraram Harry ao chão, o garoto desabando pesadamente. Em seguida, gritos e mais gritos desesperados, choro, desespero total. Harry, temendo o pior, olhou para trás.



Gina estava mais uma vez ao chão; desta vez, porém, estava completamente ensanguentada, e delirava. Draco a observava com lágrimas transbordando dos olhos, segurando firmemente suas mãos. Obviamente, Sarah enunciara algum feitiço contra Harry, mas Gina jogou-se contra Harry para defendê-lo, e recebeu o impacto do feitiço em vez de ricochetear no menino. Agora, gemia de dor no chão.



Harry, mais uma vez, correu até Gina. A garota sorria, os olhos cheios de lágrimas e sangue, porém seu rosto absolutamente pálido.



-- Oh, não... de novo... -- Disse Harry para si mesmo.



-- Harry... -- A garota segurou suas mãos manchadas de sangue no braço de Harry. O garoto se abaixou para ouví-la, pois sua voz era tão fraca e suave como um sopro leve de vento. Os olhos da garota transbordavam em lágrimas, mas ela sustentava um sorriso dolorido no rosto. -- Ah, Harry... como eu esperei por esse momento... o momento -- a garota parou, colocando um braço sobre um rasgo muito grande em sua pele (o feitiço de Sarah, pensou Harry com tremor), acreditando que o sangue estancaria --... o momento em que eu poderia.. retribuir... o que você.. fez por mim no... segundo ano -- Completou a garota, suspirando. -- Finalmente, Harry... salvei a sua vida, sem se importar com a minha.... minha dívida está paga.... todo esse tempo de sofrimento e angústia acabou...



-- Você não me devia nada. -- Disse Harry simplesmente, seus olhos coçando.



-- Eu... eu devia sim... tudo... tudo o que você faz... e sempre fez... por mim.... foi... você sempre estava lá para me salvar.... e isso me fazia sentir tão mal, Harry.... como se eu estivesse sempre em uma terrível dívida com você e... não tivesse.... meios.... de pagar.... -- A garota fechou os olhos, em uma careta de dor, e os abriu de novo, lágrimas escorrendo pelo rosto. -- Achei que você... nunca iria me perdoar... se eu trocasse você pelo Draco... mas agora.... eu paguei a minha dívida... espero que você reconheça... e me perdoe... pelo que fiz você passar...



Harry abriu a boca, comovido, mas Gina já se virara para Draco.



-- Meu amor... meu Draco.... me perdoe também.. por lhe abandonar agora.... quando finalmente conseguimos.... ah, Draco....



-- Você... você não vai me abandonar... você vai ficar boa -- Os lábios trêmulos de Draco beijaram a mão fria de Gina, em reverência --, você vai se curar, eu sei... eu sei que vai.



-- Não, Draco... terei que lhe abandonar, tão cedo, tão perto do que queríamos... mas não vou descumprir a minha pro-promessa... eu vou continuar com você, hoje e sempre, lembra-se? Hoje e sempre.... seguiremos juntos, Draco, eu em su-sua mente, e você virá comigo, Draco... uma parte sua lhe abandona hoje..... até voltarmos a nos encontrar.... Hoje e sempre, juntos de qualquer maneira.... me perdoe, Draco... me perdoe....



O maxilar de Draco parecia travado.



-- Eu... eu, eu.... eu.... eu t-t-te.... perdôo sim.... -- Disse o garoto, as lágrimas caindo no chão. Draco parecia lutar contra elas, e com o mundo ao seu redor. Parecia não querer acreditar que Gina, sua finalmente namorada, estava morrendo, bem diante dos seus olhos. Harry, tampouco, acreditava naquela situação. Parecia que seu corpo tinha saído de dentro dele, e ele agora vivia uma outra vida, uma vida terrivelmente errada. Como num sonho, e ele aguardava ansiosamente para despertar.



Gina deu um sorriso.



-- Ah, agora sim... agora eu posso... agora eu vou.... obrigada, Draco... obrigada, Harry.... obrig.... -- e fechou os olhos, um sorriso de paz final estampado para sempre no rosto, a cabeça pendendo molemente para o lado.



-- NÃÃÃÃÃO!! -- Berrou Draco, dando murros pesados nas paredes, fazendo o lustre sacudir e ameaçar cair. O garoto não parecia se importar. Harry olhou ao seu redor. Hermione chorava copiosamente no ombro de Rony, que se sustentava em uma cadeira para não cair, seus olhos rasos de lágrimas e seu corpo tremendo violentamente; Luna também abraçava Neville, os dois chorando desesperadamente, as vestes de ambos ensopadas... as amigas de Gina pareciam tão desconsoladas que mal se sustentavam umas nas outras, fazendo berreiro.... e Harry não conseguia despejar uma lágrima que fosse; sentia-se seco, oco por dentro, vazio e sem esperança alguma... sua mente entorpecida parecia querer trabalhar, de alguma maneira.... Harry pretendia dormir durante dias e acordar quando o pesadelo acabasse... mas percebeu, duramente, que não era um pesadelo. Gina Weasley tinha morrido... um pedaço do coração e da mente de Harry fora levado irresistivelmente embora.... o garoto se sentia tão sem rumo...



Foi então que um ódio escaldante se apoderou de Harry; sentiu seus olhos se tornarem brasas vivas, e seu corpo todo queimando de uma fúria enlouquecida e assustadora que Harry nunca sentiu antes; o garoto gritou, tentou jogar para fora aquele veneno que corria em suas veias que era o ódio, mas pouco adiantou, Harry sentiu-se ainda mais enfurecido, e virou-se para Sarah Pennyfeather com uma violência maníaca.



-- SE EU SOU O PROBLEMA, ME MATE ENTÃO! POUPE O QUE NÃO LHE INTERESSA!



Sarah riu. O Salão se calou, abruptamente.



-- Na verdade, matar você não me interessa, Potter. O que realmente me interessa -- Disse a garota com um sorriso -- é fazer você sofrer tudo o que eu sofri na minha vida... e levá-lo para alguém que tem interesse em matá-lo. -- Terminou a garota, ainda sorrindo.



Uma luz acendeu na cabeça de Harry.



-- Você... é a enviada de Voldemort! -- O garoto olhou abismado para Sarah; não pensou um segundo nela.



-- Nossa, como você é esperto! -- Ironizou Sarah, gargalhando. -- Ah, Harry Potter, eu pensei que você era bem mais inteligente do que isso! Sim, sou eu, e devo lhe avisar que não sou somente Sarah Pennyfeather, Harry... Conheça-me pelo meu sobrenome completo: Sarah Pennyfeather Karkaroff -- A garota sorriu ainda mais brandamente do que anteriormente, ao ver o espanto de Harry.



-- Você...



-- Exatamente, sou neta daquela traíra imunda que foi meu avô, como Comensal da Morte... Fiquei sinceramente aliviada quando soube que o Lord finalmente o pegou, ah, sim, uma verdadeira vergonha para meu sobrenome puro e digno de honrarias de Lord Voldemort.. Ainda bem que o Lord me vê totalmente separada da minha família indigna, impura.



-- Eu sinceramente não acredito... -- Disse Harry, seu ódio pavoroso dando lugar a uma verdadeira curiosidade -- Como é possível?



Sarah riu.



-- Simplesmente é possível, Harry Potter... tudo é possível para o Lord das Trevas, e você já deveria conhecer este fato.. acontece que o Lord viu em mim uma notável característica que muitos poucos possuem, Potter... acredito que somente eu em uma linhagem Karkaroff de muitos anos tenha o dom verdadeiro da Legilimência Natural, que é a Legilimência sem necessitar de treino; eu já nasci com esse dom excepcional, e o Lord o percebeu, quando ainda eu era uma recém nascida, que não entendia nada das coisas do mundo... É claro que o Lord, assim que percebeu esse meu dom, chamou-me para trabalhar com ele, infelizmente não como Comensal da Morte, já que eu não tinha idade suficiente, mas como uma verdadeira aliada e treineira para ser Comensal, que seria provavelmente muito poderosa quando atingisse a idade correta. Aos três anos, comecei a receber, com amigos do próprio Lord, pois a esta altura ele já tinha desaparecido, um curso avançado de Magia Negra, essencial para os Comensais. Aprendi tudo, muito rápido, é claro, pois o Lord tem métodos inacreditáveis de ensinamento, e pude provar que sou realmente poderosa somente ano passado, confrontando-o em Duelos de Pensamento, há pouco tempo; ele não conseguia ver meus pensamentos, mas eu consegui ver os dele, mesmo que poucas vezes... e vi que a sua maior ambição era destruir Harry Potter... eu sabia vagamente quem você era, mas depois que descobri isso sobre você, tratei de auxiliar o Lord da maneira mais fácil e eficaz que pudesse; me ofereci para matar-lhe, disse coisas impressionantes, mas ele mandou que eu somente seguisse você, bem de perto, e que o conquistasse profundamente.... e foi o que vim tentando fazer, Harry Potter, porém falhando miseravelmente algumas vezes, em que deixava sem querer meu ódio intenso transparecer e o tratava mal, como deveria ser tratado... achei que você desconfiaria de mim, mas quando vi em sua mente que Hermione Granger lhe contara sobre os meus pais, sabia que você jamais duvidaria de mim, e comecei a te conquistar, mesmo que em sua cabeça só existisse Ginny e Cho.



-- Mas, então... seus pais...?



-- Sim, meu pai realmente morreu por ordem do Lord, e minha mãe se encontra desaparecida até hoje - eu agradeço imensamente ao Lord por ter acabado com eles. Éramos completamente diferentes. Meu pai era um moralista idiota, filho de trouxas, que mal sabia de que lado é a parte da frente das vestes, mas que achava que deveria haver igualdade na sociedade bruxa; minha mãe acobertava meu pai, mesmo sendo filha de um legítimo Comensal da Morte. Ela o amava! Idiotas aqueles que amam e se deixam levar pelas mais humanas emoções! Se você aprendesse isso, Harry, não seria tão bobo de se deixar levar pela morte de sua amiguinha; seria corajoso o suficiente para me enfrentar! Talvez seja isso que me levou à Grifinória, Harry, por mais que tenha odiado isso; sou corajosa para me defender, e acredito que o faço muito bem. Mas, na verdade, ludibriei facilmente o Chapéu Seletor; praticando Legilimência e Oclumência, que não dominava, mas sabia, é muito fácil enganar alguém que lê seus pensamentos; então, simplesmente pensei que queria ficar na Grifinória, que é uma casa interessante em alguns aspectos, e ele automaticamente me deixou lá, acreditando que eu fosse digna de ir para a Grifinória, por ter esse pensamento obsessivo.



Harry sacou a varinha.



-- Ótimo. -- Disse o garoto, rangendo os dentes -- Vamos duelar, então.



*****




Gentem! Vem muito mais pela frente, eu posso garantir para vocês! Agora, quem quiser me matar porque eu matei a Gina, por favor, pensem bem antes ^^''' Tem muita coisa vindo por aí, coisas bem legais, que eu acho que vocês vão curtir!! É SÓ TER PACIÊNCIA!! Bjuss e thanks por todos os comments demais q vcs deixaram para mim ^^; Vê, apareceu aqui pra me ver ^^ Bjaum, miga!! E desculpem por naum postar o nome de todos aqui, mas loguin eu agradeço seus comments direito ^____^ Bjões!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Biandera Lowers em 16/03/2011

Ò.Ó

MORRAAAAAAAAAA!

Mas a Fic tá ficando ótima ^^'

Bjs!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.