FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

3. Capítulo 02


Fic: A new beginning


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capítulo 02


- Fred é um idiota às vezes – Hermione reclamou enquanto picava com uma força desnecessária os tomates. Draco, ao lado dela, temperava a carne.


- O que houve? – ele perguntou, entre curioso e divertido.


Desde que saíra de Azkaban, fazia questão de alimentar-se bem. Precisava ganhar seu peso e sua saúde novamente. Boa alimentação, exercícios frequentes. Voltara ao seu cargo assim como Hermione. Desde a morte de Demming que as coisas andavam calmas, então, os dois resolveram rever casos antigos que não haviam sido concluídos.


Ela contou a história toda, indignada com a reação do seu amigo.


- A pobre garota quase chorou! – Hermione exclamou.


- Eu não mandei ninguém – Draco disse e lavou as mãos, literalmente – Hermione, você não é babá do Weasley. – disse sem esquecer-se do merecido, mas dolorido soco que levou anos atrás do ruivo – Só falta você querer ir atrás dessa garota para se desculpar por ele – o loiro olhou para namorada – Não! Você não fará isso! O Weasley fez merda, ele arca com isso.


- Eu só não sei como ajudá-lo...


- Não é possível ajudar quem não quer ajuda – Draco falou, já colocando-se atrás da morena – Agora – ele começou em seu tom arrastado – que tal descontar toda essa raiva em mim, ao invés de descontar nesse tomate? – Draco indagou, roçando seu quadril contra o dela. Hermione sorriu e entregou-se ao beijo.


---


Renata seguiu a amiga, que estava nervosa, chateada, frustrada.  Ártemis jogou-se na cama e escondeu o rosto no travesseiro. Falou e sua voz saiu abafada:


- Fui uma idiota – Renata sorriu levemente e passou a mão pelos cabelos extremamente lisos da amiga.


- Não foi uma idiota, ele que foi. – murmurou, sentindo raiva ao lembrar-se da cena – Um idiota completo!


- Achar que sou uma dessas garotinhas interessadas no dinheiro... Ele que enfie o dinheiro...


- Ok, amiga! Entendi!


- Nunca mais volto àquela loja ridícula! Com aqueles produtos babacas!


- Amanhã é sábado! Vamos sair? – Renata mudou de assunto, tentando animar a amiga - Ir para alguma balada, dançar até não ter mais perna e beber até não ter mais fígado! O que acha?


- E conhecer algum bruxo gato e beijar até não ter mais língua! – Ártemis completou, levantando o rosto e sorrindo para a amiga – Quer dizer, eu vou beijar, já você... Provavelmente vai ficar sonhando com o Doutor Reid... – provocou Ártemis.


- Ai, mas ele é um sonho mesmo, não? – Renata murmurou deitando-se na cama ao lado da amiga – Mas não ficarei pensando nele! – sentou-se, apressada – Não vou deixar de viver por causa dele, ainda mais por que ele sequer sabe que eu existo! E eu tenho necessidades! Como todo mundo!


- Prefiro um ruivo... – Ártemis murmurou em voz baixa.


- Quê?


- Nada, nada. Mas é ridículo você achar que ele não sabe que existe. Todo dia ele leva o Danny até a sala, conversa com você, sorri para você,...


Renata corou na hora ao lembrar-se daquela mesma manhã. Depois olhou para a amiga, fazendo uma careta.


- Ele sabe quem sou – disse, impaciente – A professora do irmão caçula! – suspirou – ele não me vê como mulher...


- Ai, Renata! Que dramática! – Ártemis rolou os olhos, levantando-se – Você me disse que ele falou sobre te levar para casa dele­. Se isso não foi uma cantada, não sei o que pode ser.


- Ele estava brincando! Não estava falando sério! – ela também se levantou – Quisera eu... – sorriu, marotamente, diversas imagens surgindo em sua mente – Tenho tantas ideias...


Ambas riram e Ártemis falou:


- Rê, acho que deveria investir... O cara está dando mole, é bonito, inteligente,... E você gosta dele há eras! – disse olhando para a amiga – Agora, vou tomar um banho e dormir... – Renata notou que a amiga ainda estava, abraçou-a e disse antes de sair do quarto:


- Esquece o ruivo e o que ele falou. Um cara desse não merece você. Definitivamente não merece!


Ela saiu do quarto fechando a porta atrás de si. Vestiu o pijama e deitou na cama, tentando dormir. Sua cabeça imersa em pensamentos e fantasias que possuíam apenas um nome: Matthew Reid.


No quarto ao lado, Ártemis preparava-se para entrar no banho. Nada como ter um apartamento bem dividido com dois quartos e duas suítes. Abriu o chuveiro e deixou a água cair sobre os cabelos castanhos claros e fez o que tinha vontade desde que ouvira as palavras de Frederick: chorara.


Quando ela começou a frequentar a loja, cerca de dois anos atrás, fora por curiosidade. Depois, por admiração. Chegara a conhecer, de vista, o gêmeo que havia falecido e vira o quanto aquilo afetara o outro. Sempre o observava de longe.


Ele raramente ficava no balcão. Normalmente estava repondo produtos, atendendo clientes ou resolvendo algumas questões burocráticas, pois, às vezes, o via sumir pelo fundo da loja.


Era uma idiota. Agira como uma tola. Só que tinha decidido: não voltaria à loja.


---


Era naqueles momentos que precisava de Jorge. Com ele que Fred conversava quando fazia alguma merda como a que tinha acabado de acontecer. Era ele que o ouvia. Só que agora não havia ninguém para ouvi-lo. Ninguém com quem conversar.


O gelo tilintava em seu copo. Havia Lino, mas o amigo estava sempre viajando agora que se tornara locutor internacional. Bebeu mais um gole do uísque. Não sentia fome. Hermione deixara um sanduíche preparado, mas ele não conseguia pensar em comer. Via sua vida passando e não sentia vontade nenhuma de vivê-la.


A lareira em sua casa brilhou. Estava jogado no sofá e ajeitou-se.


- Bill? Aconteceu alguma coisa?


- Posso ir até aí?


- Claro... – Fred levantou-se e esperou pela chegada do irmão, que surgiu pela lareira segundos depois – Aconteceu alguma coisa?


- Por que acha que viria aqui apenas se acontecesse alguma coisa? – o ruivo alto indagou. Ainda tinha cabelos longos e os usava preso no típico rabo de cavalo.


- Parece que agora nossa família só conversa quando acontece alguma coisa – ele disse em tom amargo – Quer um uísque? – o outro assentiu e Fred serviu um copo, entregando-o para o irmão.


- Estamos preocupados com você, Fred. – Bill começou, sentando-se em uma poltrona.


- Não quero ouvir esse discurso de novo...


- Não ouviria se fizesse algo para mudar. Estamos todos sofrendo, Fred. Você mal nos visita. Fleur teve o bebê e você a viu o que? Duas vezes? Ela é sua sobrinha!


- Vocês agem como se nada tivesse acontecido! – Fred disse com raiva, encarando o irmão mais velho.


- E você age como se não tivesse mais ninguém na sua vida! – Bill exclamou, levantando-se. Andou pela sala e Fred apenas o observou – Não sei como é perder um gêmeo, mas eu perdi Charlie. E você sabe o que ele significava para mim.  Não somos mais a família Weasley de antes. Numerosa e barulhenta. Mas ainda somos os Weasley: eu, você, Rony, mamãe, Fleur e agora, Vitória.


Fred ficou em silêncio. A verdade pesava e era dolorosa. Bebeu o uísque de uma vez e levantou para servir mais para si.


- Eu não consigo ver saída para isso – falou em voz baixa.


- Vá mais até o Chalé... Nós sempre nos demos bem, Fred... Podemos nos aproximar mais... Como irmãos e como amigos. Nós dois precisamos disso.


- Tenho um... Um colega que vem me chamando para sair. Ele me ajuda com a parte legal da Loja... Quer ir conosco amanhã? Você pode?


Bill sorriu e respondeu:


- Vá até o Chalé, nós jantamos juntos e depois saímos. Que tal?


Fred assentiu. Um esboço de sorriso em seus lábios.


---


Ártemis e Renata chegaram depois de tomar umas cervejas em casa. Ambas riam, se arrumavam, bebiam, se maquiavam, bebiam mais um pouco.


Chegaram ao local e uma música alta já tocava. O balcão não estava totalmente tomado. Alguns bruxos e bruxas sentavam-se lá fazendo seus pedidos. Outros ocupavam mesas.


Renata vestia uma calça preta com a cintura relativamente baixa, uma blusa baby look preta deixando à mostra um pouco de sua barriga. Usava um colete branco com estrelinhas pratas que combinavam com seu brinco de argola. No braço direito, uma pulseira prata. Tinha os cabelos escuros soltos.


Ártemis aguentou as provocações da amiga sobre se vestir para caçar. E era isso mesmo que ela estava disposta a fazer. Caçar. E esquecer o que acontecera no dia anterior.


Manteve seus cabelos lisos e longos soltos, assim como os da sua amiga. Usava uma calça jeans de um tom escuro. Sandálias de salto fino e alto. Sua blusa era verde-escura e, assim que a vestiu, ouviu o comentário da amiga. Também pudera, a blusa atrás era totalmente aberta, presa no pescoço e por uma tira nas costas. Na frente, o pouco tecido cobria os seios e caía solto e levemente aberto pela barriga, deixando pouco à imaginação e mostrando o piercing de estrela no umbigo.


- Balcão? – Renata perguntou, já sabendo a resposta da amiga. Ambos sorriram. Balcão, claro.


Elas sentaram. Renata pediu cerveja trouxa, Heineken, enquanto Ártemis fez o seu pedido costumeiro, uísque de fogo. Elas conversavam quando Renata exclamou, tensa:


- Puta merda! Eu não acredito! – ela olhava atentamente em direção à entrada do bar.


- O que foi? – Ártemis perguntou, sem entender.


- Não olhe agora! E realmente não olhe agora! – Ártemis tentou virar o corpo, mas Renata a impediu – Estou falando sério. Sabe aquela frase: O mundo é um...


- Sei! O que tem? Ai, Renata! Eu vou olhar...


- Não! Lembra quando fiz aquele estágio de verão no Gringotes? – Ártemis concordou com a cabeça, mas sem entender aonde sua amiga queria chegar – Bom, tinha um funcionário... Bill. Devo ter falado nele...


- Falou, o que não entendo é aonde você quer chegar...


- Ele acabou de entrar... Acompanhado de Matthew Reid e... Oh, Merlin!!! Weasley! Eles são irmãos!


- Eles quem, Renata? – porém, antes que a amiga pudesse responder, seu rosto ficou vermelho e ouviram uma voz:


- Senhoritas Cassel e Stark... Nunca imaginei encontrá-las aqui – disse marotamente Matthew, seus olhos fixos em Renata. Ao lado dele estava um bruxo alto e ruivo que Ártemis não conhecia. Atrás deles, Frederick Weasley. Suas feições tornaram-se sérias na hora.


---


Fred ainda não acreditava que realmente estava fazendo aquilo. Saindo. Estava acostumado apenas a sair com Jorge e Lino. E desde a morte do irmão não saíra mais. Escolhera uma calça jeans escura, um sapatênis e uma camisa azul marinho. A manga estava dobrada de maneira desleixada até o cotovelo. Os primeiros botões abertos.


Ele e Bill encontraram-se com Matthew na frente da boate.


- Matthew, esse é meu irmão, Bill. Bill, Matthew Reid – os dois homens se cumprimentaram.


- Finalmente concordou em sair, Fred... Esse lugar é bacana e agitado. Cheio de gatinhas – ele falou sorrindo.


- Deixo as garotas para vocês, rapazes... Tenho duas em casa me esperando – Bill falou e os três entraram.


- Ora, ora... Não acredito – Matthew murmurou ao ver Renata conversando com outra garota, que ele presumiu ser a outra professora. Ele observou por uns instantes e sorriu de lado. Sempre notara algo diferente em Renata. Algo que o cativava sempre que a via, porém agora tinha a oportunidade de vê-la fora da escola. E ela estava linda, ele tinha que assumir – Eu conheço aquela garota – falou apontando para Renata. Bill olhou atentamente.


- Sério? Eu também! – Matthew olhou desconfiado para o irmão de Fred – Ela fez estágio durante uns meses no Gringotes. Anos atrás.


- Vamos até lá... Eu sei com quem ela está conversando. Uma garota bonita e simpática, Fred... Acho que gostará de conhecê-la – ele andou até lá, Bill ao seu lado. Fred seguiu um pouco atrás. – Senhoritas Cassel e Stark... Nunca imaginei encontrá-las aqui...


Renata olhou para Matthew sem saber o que falar. Ele estava lindo. Mais lindo do que normalmente estava. Vestia uma calça preta com uma camisa pólo lilás. Trazia um sorriso maroto. As covinhas aparecendo e os cabelos meio úmidos caindo de uma forma despojada. Os olhos brilhavam por trás das lentes dos óculos, um brilho diferente que ela não soube decifrar...


Ártemis desviou seus olhos de Fred e olhou para Matthew, sorrindo.


- Acho que aqui não são necessárias formalidades, Matthew – ela disse sorrindo.


- Renata Cassel, não? – a bruxa saiu do seu torpor e olhou para o ruivo ao lado de Matthew. Ele estava com Bill... Ela tinha se esquecido disso por alguns segundos.


- Sim! Quanto tempo... Bill Weasley, certo? – ela perguntou, ignorando propositalmente o outro ruivo.


Ártemis balançava o gelo do copo em sua mão. As pernas cruzadas. Disfarçava seu nervosismo, pois sua vontade era azarar aquele idiota.


- Isso. E vocês – ele disse apontando de Matthew para as garotas – Se conhecem de onde?


- Elas são professoras daquela nova escola para os bruxinhos que não têm idade para entrar em Hogwarts. E Renata... – ele falou o nome de forma sedutora e a garrafa quase escapou da mão da bruxa – ... é professora do meu irmão.


- E como foi que saiu de um estágio no banco para virar professora? – Bill perguntou curioso. – Você era muito boa com a parte legal dos contratos... Excelente, pra dizer a verdade!


- Ah é? – Matthew perguntou curioso, olhando profundamente para os olhos castanhos de Renata, que pigarreou antes de continuar.


- Sim... Eu gostava, mas dar aula, ensinar... Sempre foi algo que achei interessante. A oportunidade acabou surgindo e minha amiga aqui me convenceu – ela disse apontando para o lado.


Fred apenas observava a conversa, sua atenção na bruxa que tinha ofendido no dia anterior. Ele notou o brilho de surpresa nos olhos dela quando o viu, porém ela logo o ignorou. E não era para menos.


- Olá, acho que não nos conhecemos – Bill falou de forma simpática – Sou Bill Weasley e esse é meu irmão, Fred.


- Ártemis Stark – falou e cumprimentou Bill, mas ignorou a mão esticada do outro ruivo que, sem graça, enfiou-a no bolso.


- Irmãos? Só pelo sobrenome e os cabelos ruivos, porque em relação à educação, eu nunca diria que eram! – Renata soltou, ferina como só ela conseguia ser quando queria.


Bill e Matthew trocaram um olhar de incompreensão, olhando para o bruxo atrás deles, depois o loiro emendou, irritado:


- É do meu amigo que está falando.


- É minha amiga que estou defendendo.


- Pare com isso, Renata... Deixa para lá. – Ártemis falou, sem graça, e terminou seu uísque – Vocês não bebem?


Fred ainda permanecia calado. A bruxa morena o ignorando. Na hora da raiva, não tinha notado como ela era bonita, nada exótico ou exagerado. Mas, mesmo assim, bonita.


- Eu quero uma cerveja trouxa. Heineken – Matthew respondeu.


- Humm, Heineken também? – Ártemis murmurou, sem disfarçar a ironia.


Renata corou violentamente e não conseguiu olhar para o bruxo, que continuava sorrindo, percebendo o jogo da outra bruxa.


- E você? – Ártemis perguntou para Bill. Fred notou que fora ignorado novamente, mas permanecia em silêncio.


- Eu e meu irmão acompanhamos você no uísque de fogo. – Ártemis rolou os olhos e chamou o garçom.


- Duas Heinekens e três uísques de fogo – ela disse.


Quando o garçom trouxe as bebidas, Matthew pediu que marcasse as duas cervejas em sua comanda. Renata ficou ainda mais sem graça. Lançou um olhar para sua amiga e murmurou um:


- Vou dançar – um tanto indignado.


O loiro seguiu-a sem que ela percebesse. Fred ocupou o lugar vazio.


- Eu ainda preciso marcar o uísque – o garçom falou.


- Pode marcar todos aqui – Fred disse, esticando sua comanda.


- Não – Ártemis falou, pegando a sua – Eu pago as minhas bebidas. Não preciso encostar em homem nenhum para pagar as minhas – o garçom olhou divertido para os dois e marcou as bebidas nas comandas.


- Eu perdi alguma coisa? – Bill disse, olhando de um para outro. Ártemis deu um gole de sua bebida. Não queria falar sobre aquilo. Afinal, Frederick tinha a humilhado.


- Pergunte ao seu irmão. Eu vou ao banheiro... – pegou o copo e desceu do banco.


Fred olhou a bruxa passando e alguns homens a olhando. Não era para menos. Seu cabelo descia pelas costas como uma cascata no meio das costas provavelmente bem desenhadas que terminavam com um bumbum redondo e levemente arrebitado. Ela parecia ter alguma tatuagem, mas devido aos cabelos não conseguiu identificar. Viu Bill estalando o dedo na sua frente.


- Você a conhece?


- Sim... Não! – Fred deu um grande gole do seu uísque – Não a conheço. Ontem ela comprou alguns produtos na loja. A loja estava fechando, poucos clientes... – então, Fred contou ao seu irmão o que aconteceu.


- Você falou o quê? – Bill deu um tapa na cabeça do irmão, que exclamou de dor – Tem merda na cabeça, Fred?


- Eu estava irritado!


- Isso não justifica você descontar na garota!


- Achei que fosse uma das amiguinhas de Malfoy!


- Mesmo que fosse! Isso não é jeito de se falar com uma garota! Papai ficaria furioso!


- Fui um idiota, eu sei disso... Me arrependi na hora...


- Agora tem a oportunidade de corrigir a merda, mas boa sorte...


- Por que “boa sorte”?


- Porque ela não parece o tipo de garota que desculpa uma ofensa como a sua tão facilmente.


___________________________________________________________________________---


 Mais um capítulo da minha ideia surtada... Espero que estejam gostandooo!!!!!


 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Maris em 01/05/2012

Eu deveria estr escrevendo RC, mas parei pr ler...

Agora não consigor é parar de ler...

Cara, estou dando ALTAS gargalhadas aqui... E olha que são quase uma da manhã!!! 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Mrs. Mari Oldman em 26/03/2012

Tô me acabando de rir com essa fic!!!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Vênnice em 20/03/2012
Adorando a história... Porque ela não parece o tipo de garota que desculpa uma ofensa como a sua tão facilmente... O que vai acontecer agora? Indo para o próximo...
Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Tonks Fenix em 14/03/2012

Acho que o Fredito vai sofrer um bocado nas mãos da Artemis, viu!
Isso aê, girls power! rsrsrs
brincadeiras à parte, estou amando essa fic! Fica cada vez mais interresante!
Bjinhos! 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por jessica salicio da silva em 13/03/2012

Vai ter que ralar agora Fred weasley para que a Artemis te desculpe .asoaoskaks
 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.