FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

13. Juntos?


Fic: A Bela e a Fera - contos para bruxos


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________


Mais de três acromântulas avançaram sobre a ruivinha que encolhe-se de medo jogando a cesta sobre uma delas que, sentindo-se provocada, ficou mais feroz ainda. Mais um trovão ecoou pelos céus acompanhado por um relâmpago e as primeiras gotas de chuva começaram a cair.



As quelíceras atiçadas das acromântulas gigantes abriam-se mostrando as presas  afiadas, tal imagem apavorou Ginny. Uma delas lançou num jato violento uma bola de teia para atordoá-la, mas por sorte a ruiva fora mais rápida desviando do primeiro ataque, no ultimo instante  e viu a bola de teia passar de raspão por seu ombro direito.


No entanto, a ruiva não percebeu que outra bola da gosma branca pegajosa seguia em sua direção lançada do outro lado do jardim, o impacto fora tão forte que a fez gritar de dor, ela debatia-se, mas a teia endureceu rapidamente atando seus pés a fazendo desequilibrar-se e cair duramente no chão.



Cercada e impedida de mover as pernas, Ginny levanta-se usando as próprias mãos para livrar as pernas das tantas bolas de teia lançadas que agora já chegavam à altura do joelho. As acromantulas aproximavam-se lentamente como apreciando a visão de sua vítima debatendo-se em desespero.



-SOCORROOOO!!!! MALFOY ME AJUDA POR FAVOR!!!!



Gritava em pânico quando não encontrara outra alternativa para fuga, a chuva ficara mais intensa e os trovões ganharam uma constância mais freqüente abafando seus gritos. Os olhos castanhos da menina iam de um aracnídeo a outro em pânico,  e usando as próprias mãos arrastava-se no chão.


Tentando inutilmente fugir daquele círculo da morte que se encontrava. Porém mais bolas de teia a tiveram como alvo, cada vez mais violentas chegavam a machucar a Weasley que continuava a gritar desesperadamente pelo Malfoy.



-MALFOOOOOOY!!! ME AJUDA!!! POR FAVOR!!! DRACOOOO!!!


Ela gritava muito assustada quando a maior delas preparava-se para atacá-la de frente. Ginny fechou os olhos com força virando o rosto para o lado, suas mãos já presas e os longos cabelos ruivos grudados ao rosto pela água da chuva.


Já não restava mais esperanças. A acromântula já tinha as patas dianteiras ao alto aproximando as presas do rostinho da ruivinha quando num vulto prateado aquelas patas enormes vieram ao chão num baque úmido.


Um silencio fúnebre instalou-se até ser cortado bruscamente com uma trovoada estrondosa, um relâmpago iluminou os céus antes de Ginny abrir os olhos e surpreender-se ao encontrar uma espada cravada no chão diante de si.  


-Ma-Malfoy?


Sussurra temerosa a Weasley tentando enxergar o loiro, mas a chuva tornara-se intensa demais e seus cabelos caíam sobre os olhos.


-WEASLEY???


Gritou o sonserino na tentativa de saber se estava bem.


-MALFOY!!! EU ESTOU AQUI!!!


Respondia desesperada a ruiva ainda sem conseguir ver o príncipe.


-USA A ESPADA PARA SE LIVRAR DAS TEIAS!!!


Exige o loiro ao encontrá-la com os olhos treinados. A acromântula gigante que estava sobre ela andava em círculos difusos agonizando de dor, emitindo sons agudos irritantes que pareciam agitar as demais.


Ginny com dificuldade estende as mãos até a lâmina da espada raspando com dificuldade as teias já endurecidas em seus pulsos. A tempestade aumentara rapidamente, agora além dos relâmpagos e trovões havia a ventania que fazia as folhas secas levantarem do chão seguindo em direção ao jardim.


Draco estava desarmado, mas com o treinamento que recebera em Hogwarts poderia enfrentar qualquer uma daquelas criaturas usando os próprios punhos, mesmo sem magia, sabia onde encontrar os pontos vitais e onde acertar para derrubá-las de uma vez.


-AQUI!!!!


Gritava o sonserino jogando pedras sobre os olhos das acromântulas tentando chamar a atenção para si enquanto a Weasley soltava-se. Os trovões ficaram mais altos fazendo Ginny encolher-se enquanto livrava-se das teias em suas mãos.


A ruivinha ofegou ao perceber que Draco chamava a atenção das criaturas sobre si para salvá-la, mas ficou desesperada quando o viu sem arma alguma. Determinada ela arranca a espada do chão e usando-a como apoio se coloca de pé com dificuldade, afinal as pernas ainda estavam presas.


-MALFOY!!!! MALFOY SEGURAAAA!!!


Gritou ganhando um olhar descrente do sonserino.


-FICASTE LOUCA??? VOLTE PARA A MANSÃO AGORA!!!


Exigia furioso enquanto desviava das inúmeras bolas de teia, agradecia pelos anos de treinamento e pelo bom reflexo, mas não conseguiria livrar-se de tantas acromântulas assim, mas a ruivinha ignorou o perigo que os cercava e joga a espada de volta para o loiro com certa dificuldade. Mas, como estava fraca a espada caiu a poucos metros do príncipe.



Draco joga-se ao chão na tentativa de alcançar a espada, mas uma das aranhas prendeu as presas em sua bota o arrastando para o outro lado do pátio. Draco arrastou o corpo no chão arenoso sentindo as pedras rasgando sua pele e com um chute forte afasta a aranha gigante bem a tempo de desviar das bolas de teias e investidas das companheiras acromântulas.


Ofegante e com o corpo ainda no chão,  ele tentou chegar até a espada mas todas as tentativas lhes pareciam inúteis, toda vez que tentava aproximar-se da espada alguma delas o repelia ou atacava agressivamente e se pedisse para Ginny pegá-la as demais acromântulas a fariam de alvo novamente.


-MAS QUE RAIOS!!!



Ele tentava de todas as formas, mas não conseguia, sua visão já embaçada com a chuva não ajudava muito, desferiu diversos chutes potentes machucando e até quebrando algumas das patas dianteiras das criaturas, mas sua atenção sempre retornava à Weasley.


Ela estava tão vulnerável agora. O sonserino trincou os dentes furioso, tinha que agir rapidamente. Jogando a capa para o ar, ele confundiu os sentidos das acromântulas ganhando tempo para jogar-se com tudo para onde estava sua espada.


Com a arma em punhos fora questão de instantes até derrubar uma a uma com seus movimentos ágeis e precisos. Com mais um relâmpago ele estava ao lado de Ginny, que tremia bastante, não sabia se fora por medo ou frio. Com um suspiro cansado ele levantou a espada para o alto descendo em direção à ruiva com rigidez, arrancando a grossa camada de teias sobre as pernas dela.


Os olhos da Weasley ampliaram-se em choque e antes que Draco dissesse qualquer coisa, ela já estava com os braços envoltos de seu pescoço e a cabeça escondida em seu peito enquanto soluçava assustada colando seu corpo ao sonserino.


-E-eu ti-tive tan-tanto me-medo!!!


Dizia entre soluços apertando-se mais contra o loiro que perplexo demorou a retribuir ao abraço, envolvendo protetoramente seus braços firmes ao redor da ruivinha.


Sentiu o coração acelerar e um sentimento de alívio percorrer seu corpo ao tê-la em seus braços, ao tê-la em segurança. Apoiando o queixo sobre o topo dos cabelos ruivos de Ginny, seus olhos percorreram todo o jardim em busca de alguma possível ameaça antes de guiar a garota para o interior da mansão onde estariam protegidos.


Naquela noite, pela primeira vez em sua vida, Draco estava a cuidar de alguém. Apesar de ainda sentir-se exausto ele ignorou seus próprios ferimentos. Ao retornar à mansão com a ruivinha em seus braços ele permaneceu por horas a acalmá-la. Diferente do que ele mesmo esperava não fez nenhum comentário sarcastico ou grosseiro, apenas permitia que ela chorasse em seu ombro por tudo aquilo que a aflingia.


Mais tarde, Draco colocou-a na cama e antes de partir prometeu que ficaria ao seu lado até adormecer, como quem faz uma promessa a uma criança pequena, lembrou-se que Ginny era a caçula de seis irmãos e talvez não tivesse recebito tanta atenção de seus pais... rapidamente ele saíra a procura de roupas secas para os dois, naqueles quartos havia inúmeros guarda-roupas e armários, e agradeceu aos céus por encontrar vestidos de tecidos grossos e roupas masculinas em seu quarto.


Sorriu satisfeito ao notar que as roupas adequavam-se magicamente ao seu corpo e seguiu para o quarto vizinho segurando um vestido branco em suas mãos. Por alguma razão achava que esta cor ficaria bem na ruivinha.



Momentos depois o sonserino permanecera a velar o sono da Weasley por toda a noite, com uma dedicação única, assim como prometido. Ao amanhecer Ginny surpreendeu-se ao encontrar o loiro dormindo em uma cadeira desconfortável ao lado de sua cama.


-Ele cumpriu a promessa...


Um sorriso maroto cruzou os lábios rosados antes que ela levantasse cuidadosamente colocando um cobertor sobre ele e seguir para a cozinha para preparar um café da manhã reforçado, afinal os dois não comeram nada desde o almoço no dia anterior.


A ruiva cantarolava animadamente, estranhamente feliz ao lembrar que fora salva de acromântulas por um verdadeiro príncipe. Um Malfoy arriscou-se para salvá-la enfrentando aquelas criaturas sem sua espada. Fora corajoso colocando a sua segurança acima da dele.


-Ele pode estar mudando...



No andar superior Draco acorda com fortes dores nas costas, e surpreende-se ao notar que tinha um aconchegante cobertor o cobrindo, um sorriso fraco formou-se ao pensar que a Weasley o fizera. Talvez os dois poderiam conviver em certa "harmonia" a partir de agora, assim como a tarde de tempestade, ele desejara que suas discussões com a ruivinha fossem passageiras.


E assim passaram-se os dias, Draco cada vez mais atencioso com a Weasley e a ruivinha revelando-se amável e carinhosa ao cuidar dele nas noites de pesadelos. passavam as manhãs a explorar a mansão e suas tardes a procurar nos tantos livros da biblioteca alguma solução mais rápida para a sua maldição, durante a noite cultivavam o hábito de ir ao terraço ver as estrelas ou jogar xadrex bruxo diante da lareira aconchegante da biblioteca principal.



...........................D&G.............................


Estavam há exatos três dias naquela mansão e nesme momento os dois reuniram-se na biblioteca onde a coruja negra parecia estranhamente inquieta enquanto Ginny tentava entender um livro de runas que tinha em seu colo. Draco percebeu a agitação da coruja e seu semblante tornou-se mais frio que de costume.


-O que está acontecendo com ela?


Questionou a ruivinha colocando o livro de lado e aproximando-se da coruja. Draco continuou com a expressão indiferente e fechando os olhos enquanto massageava as têmporas ponderou o que deveria responder... mas decidiu-se por revelar a verdadeira razão à Weasley, ejá chegara a hora!


O sonserino estava sentado numa confortável poltrona diante de um bureau de mogno com os braços apoiados sobre um pergaminho em branco.


-Em algumas horas a noiva do príncipe da Sonserina, Daphine Greengrass, chegará ao castelo Malfoy na companhia de sua irmã mais nova Astoria!!!


Diz sem emoção o loiro ao que Ginny sente uma estranho aperto no peito quando ele falou o nome da noiva. A única vez que ele a mencionara fora antes do acontecimento das acromântulas, lembrando o quanto era linda e perfeita para uma futura rainha, mas escolheu deixar esses sentimentos estranhos de lado voltando aos pensamentos mais racionais.


-Mas como podem levar este casamento adiante sem a presença do noivo?


Questiona a ruivinha incrédula fitando o sonserino com descrença, mas Draco ignora a pergunta de Ginny, apenas levantando uma sobrancelha sarcasticamente, como se a resposta fosse obvia.


-Hoje é o dia que devo enviar uma resposta á minha mãe!!!


Comenta o príncipe fitando o pergaminho com intensa ânsia. As coisas apenas complicaram-se mais após sua fuga. Ele deveria agir com mais cautela de agora em diante.



-Malfoy... não podemos continuar presos aqui para sempre! Alguma hora terás de enfrentar vosso pai, a maldição e este casamento arranjado!!!


Diz com seriedade cruzando os braços e aproximando-se da mesa ficando frente a frente com o loiro.


-Não é algo fácil de se fazer Weasley!


Responde Draco com impaciência jogando o pergaminho longe.


-Permanecer nas sombras também não é!!!


Rebate a Weasley com determinação.


-Ótimo!!! Digamos que possamos sair desta mansão, ainda estejam a me caçar como a um javali selvagem, meus pais aguardando que eu despose a Greengrass que me repudiará pela minha aparência e o bruxo das trevas querendo minha cabeça numa bandeja de prata!!! O que me sugere Weasley???


Brada furioso o Malfoy levantando-se e batendo as mãos na mesa com força. Ginny pisca algumas vezes assustada com a reação explosiva do príncipe.


-Sugiro que tomes as rédeas da vossa vida Malfoy!!! E independente de vossa escolha...  tenho-lhe uma dívida de honra por salvar minha vida... e podereis contar comigo, eu estarei ao seu lado...


Diz num sussurro antes de deixá-lo sozinho na biblioteca com uma coruja real inquieta.



..............................D&G................................


Draco permaneceu trancado na biblioteca até o entardecer, observando o crepitar das chamas da lareira com profunda concentração. As palavras da Weasley ecoando em sua mente., ela tinha toda a razão. Draco não poderia deixar Lúcius brincar com a sua vida assim.


-Meu pai merecia pagar por me tratar como estorvo...


E um brilho sagaz atravessou seus olhos quando sua mente iluminou-se numa idéia insana. Os lábios do loiro abriram-se num sorriso malicioso quando levantou-se do sofá e buscou pena e pergaminho para responder à sua mãe.



Horas mais tarde partiu em busca de Ginny.


-GINEVRA WEASLEY!!!


Gritava enquanto atravessava o salão de entrada da mansão Black ás pressas.  Draco corria pelas escadas pulando degrais até adentrar o primeiro corredor esbarrando com toda a força em algo, ou melhor alguém. Graças ao seu ótimo reflexo o sonserino agarrou a cintura fina a impedindo de colidir contra o chão.


-Aiiiiii Malfoy!!! Querias matar-me de susto ou durante o impacto???


Reclamava a ruivinha não percebendo um sorriso presunçoso nos lábios do sonserino.


-Onde está teu broche Weasley?


Pergunta com ar misterioso ao que a ruiva estreita os olhos.


-O que pretendes Malfoy???


Num movimento elegante, o loiro gira o corpo da Weasley como num passo de valsa segurando uma de suas mãos e com a outra mão em sua cintura.


-Tenho o plano perfeito para "tomar as rédeas da minha vida"!!! Sairemos desta mansão em três dias!!!


Anuncia com determinação fazendo a Weasley sorrir. Mal sabia o que se passava na mente do loiro.


.............................D&G.........................



-Perdestes o juízo!!!


Acusa Ginny cruzando os braços furiosamente recusando-se a acompanhá-lo. Draco estava vestindo um traje de gala  azul marinho colocava o broche preso na lapela do casaco, admirando-se diante do espelho.


-Weasley...


Diz o loiro com um tom de voz sedutor, mas ganhou um olhar cético da ruiva.


-Não!!!


-Por favor!!!


Pede o sonserino puxando as mãos pequenas da garota entre as suas.


-Resta-me alguma escolha?


Questiona retoricamente a Weasley cerrando os olhos para o Malfoy.


-Sinceramente... não!


Responde com satisfação o sonserino, ao que Ginny dá-lhes as costas entrando em seu quarto para trocar-se. Em cima de sua cama encontrava-se um lindo vestido vermelho de seda.


-Maldito Malfoy!!!


Reclamava a Weasley, achava a idéia do loiro absurda, apenas a contaria seu plano durante um jantar especial... isso tinha cara de armadilha, pensava a ruiva.


Mas tinha de admitir, aquele vestido ficara maravilhosamente bem nela, o espartilho marcava a cintura fina e acentuava seus seios e as várias camadas de saia fazia parecer com pétalas de rosa gigantes com um balanço suave, os sapatinhos trabalhados em pedrinhas de rubi e brilhantes eram uma jóia à parte.


Diante da penteadeira, a Weasley prende os longos cabelos num coque elegante no topo da cabeça deixando os cachos caírem em cascata ao lado do rosto delicado presos por uma tiara de cristais e rubis assim como a gargantilha e os brincos.


Olhando-se no espelho, não conseguira acreditar, esta era a mesma menina que vivia num casebre a cuidar do pai, mais parecia uma princesa. Ginny respirou fundo antes de seguir escadaria abaixo à procura de Draco.


A ruivinha ficou surpresa ao encontrar inúmeros castiçais de vela iluminando o caminho e sob seus pés centenas de pétalas de rosas tão vermelhas quanto o vestido que usava.


O caminho estendia-se até o salão principal antecedendo o sala de jantar, as portas estavam fechadas, e curiosa a Weasley as abriu encontrando o sonserino à sua espera. Ele estava definitivamente lindo, na opinião de Ginny.


Tinha uma taça de vinho em sua mão e seu sorriso congelou diante da imagem da garota. O sonserino não encontrava palavras para descrever a beleza de Ginny, parecia um botão de rosa que acabara de desabrochar, tinha o rosto de um anjo e o corpo de uma mulher.


O loiro piscou várias vezes na tentativa de recuperar sua postura antes de seguir até ela oferecendo-lhe o braço ao que ela aceitou com uma breve reverencia.


Draco a guiou até o centro do salão quando uma música suave começou a tocar. Os olhos da ruiva buscaram a fonte da melodia quando encontrou uma linda caixinha de música sobre a mesa de canto.


-Estás deslumbrante lady Weasley!


Sussurra o sonserino próximo ao ouvido da ruiva que estremece com a proximidade, virando seu rosto bruscamente em sua direção. Seus olhares se encontraram e os narizes quase tocando-se.


-Obrigada!


Diz Ginny num suspiro suave, sentia-se atraída demais por aqueles olhos metálicos, eram fascinantes demais para não admirá-los. Draco não conseguia desviar os olhos da ruivinha em seus braços, ela encaixava-se perfeitamente dentro deles, e a cada segundo que passara tinha mais confiança na decisão que tomara.


-Dances comigo!


Sorrindo ele a segura mais próximo a si e deixando-se guiar pelos passos do príncipe os dois dançaram graciosamente por todo o salão. Nenhuma palavra fora pronunciada, seus olhos permaneciam ligados um ao outro com uma vontade inquebrável, desvendando os sentimentos um do outro através deles.


O Malfoy a segurava com tamanho cuidado que a fazia sentir-se como uma peça valiosa de cristal, extremamente rara e delicada. Ele estava inebriado pelo perfume adocicado da ruivinha e aos poucos fora diminuindo o ritmo dos passos até ter a menina em seus braços apenas num balançar suave, mal saindo do centro do salão.


Ginny deitava a cabeça em seu peito e ele aspirava o perfume adocicado dos cabelos da Weasley. Até o momento que a música parou de tocar e ficaram os dois abraçados no enorme salão iluminado por centenas de velas. Calmamente o loiro a guiou até a varanda que tinha vista aos jardins, onde poderiam ver as estrelas enfeitarem o céu como milhares de pedrinhas de diamante sobre um manto negro infinito, a lua então, recordava uma imensa pérola branca irradiando uma luz suave e fria.


O aroma das rosas misturavam-se às flores do campo e Draco podia perceber um sorriso confuso se formar nos lábios da ruivinha. Chegara a hora.


-Deves estar a se perguntar a razão que levou-me a fazer tudo isso não é lady Weasley?


Questiona Draco beijando a mão da garota num gesto cavalheiresco.


-Disse que anunciaria sua decisão depois de comemorar-mos!!! Que seria uma grande surpresa... e por que me chama de lady Weasley???


Responde Ginny o fitando com uma mistura de desconfiança e admiração. Os olhos de Draco faiscaram num brilho misterioso.


-Entenderás em breve o título de tratamento...mas admitas que até agora cada instante desta noite fora surpreendente!


Comenta seriamente o sonserino levantando o queixo da Weasley com a ponta dos dedos.


-Prometeste que ficarias ao meu lado independente da escolha que fizesse... e eu preciso de você mais do que em qualquer outro momento da minha vida... Se existe alguém capaz de olhar para mim e enxergar mais do que um trasgo repugnante, este alguém é você!!! Você desafiou-me desde o primeiro momento, e agora desejo que venhas comigo, que faças parte desta batalha... ao meu lado!


Os olhos do sonserino pareciam hipnotizar a ruivinha que mal percebeu quando um anel dourado marcado em runas antigas materializou-se em seu dedo anelar esquerdo.


-Retornarás ao palácio do rei Lúcius... como Lady Ginevra Weasley Malfoy!!! Princesa do condado da Sonserina!!!



..............................DG............................




Ahhhhhh Rayyy Malfoyyy  que bom que está comentandooo XD


Sim, essa fic é mais que 100% dedicada a você!!! Gostou do capítulo??? O que achou da surpresa  do Draco? Qual será a reação de Ginny?? Afinal ela prometera ficar ao lado dele independente da escolha do sonserino!!! Será que eles vão conseguir enganar a família de Draco com essa farsa??? Ou essa farsa acabará os enganando??? e Daphine Greengras vai ficar quieta ao perder o noivo para uma grifinória???


Proximo capítulo: Preparando o retorno do príncipe...

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 2

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Isis Brito em 13/11/2012

Mil desculpas, Mariana!! *-*
Por Merlin, há quanto tempo não apareço por aqui?? Sacanagem da faculdade, rsrsr. ^^"
Mas agora eu voltei!! Posso não terminar essa madrugada, mas vou ler essa fic na velocidade de um raio!! Termino (me atualizo) até o fim da semana, sem falta!! 

E esse Lady Weasley??!! AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHH
Ela vai casar com o Malfoy! Ela vai casar com o Malfoy! La la la la la... ^^" 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Ray_Malfoy em 01/02/2012

não, não, não, não!!!! ahhhhhh não acredito que vc terminou o capitulo assim!! vc tá tentando me matar?? o.O

esse foi sem duvida o capitulo mais perfeito até agora!!!

se ela não aceitar o pedido do draco, pode deixar que eu aceito!!!

Muuuito bom esse capitulo, muito bom mesmo!!

Adorei as fanarts!!

Atualiza logo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.