FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

6. Vingador e ela


Fic: O castigo de Ares e Afrodite. Atualizada!


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capítulo 6


  Hermione não se sentiu bem por esses dias. A saudade de Draco era muita. Sabia que não podia mandar cartas. Não se atreveria. Ele mesmo não mandou. Talvez não tenha se interessado. Pansy  havia dito que ele não prestava e talvez ela tivesse razão. Ficou dias, se remoendo por causa das sensações que teve com ele, e mesmo com todas as declarações que  fez, ela ficou meio receosa. Mas no fundo sabia que era verdade e talvez ele tivesse tido o mesmo sentimento que ela. Receio de afrontar seus pais ou principalmente seu irmão. Sonhava todas as noites com ele. Nos seus sonhos, eles eram diferentes, no físico. Porém a personalidade era igual. Lembra-se claramente de um desses sonhos em que ela dançava em meio a um majestoso salão enquanto era admirada por todos os outros. Muitas pessoas estavam nesses sonhos, mas as imagens eram meio que desconexas,  algumas formas não estavam nítidas. Já a de Draco ela via claramente. O olhar apaixonado e possessivo que ele lhe lançava, durante seus movimentos suaves. A melodia era antiga  e suave. Nada sensual, no entanto qualquer movimento rítmico surtiam o efeito contrário. Seus cabelos eram de um dourado intenso, e o brilho deles reluziam por todo o salão. Os olhos castanhos esverdeados mudavam conforme o contrate da luz. O corpo bem formado era só uma atenuante. Nesse lugar ela via como uma espécie de ritual, mágico e hipnótico. Todos os olhares estavam nela, e de repente a cena mudou, e nesse mesmo lugar uma imagem surgiu, que aterrorizou a castanha. Nela ela via claramente Draco com o semblante sombrio e de suas mãos corriam sangue, muito sangue... e ele sorria. Sorria como se fosse a coisa mais normal do mundo. Com um gesto de mão ela viu que ele a chamava, esticou as mãos para tocá-lo até que viu outra pessoa em seu lugar. A figura loira deu lugar a um homem branco com os cabelos negros como ébano e sua expressão era ainda mais fria que de Draco. “ Chegou a hora de vir comigo minha amada! Nunca será dele, nunca!”


     Hermione acordou assustada. Quem era esse homem que aparecia em todos os seus sonhos?


O que a morena não tardaria descobrir em breve.


- Hermione, querida. O que você tem?


- Ai, mamãe! Se eu te contasse.


- Nem precisa. Está apaixonada, não é? E pelo melhor amigo de seu irmão.


- Mamãe! Como sabe?


- Simples meu amor. Você é minha filhinha e conheço você mais que tudo. E quanto ao Draco meu bem, você fala dormindo sabia?


- Ai, mamãe tem razão. Estou perdidamente apaixonada por ele. Queria tanto vê-lo. Tenho saudades dele, mamãe. E sei que Harry e papai me matariam  se soubessem e...


- Meu bem. Não se martirize tanto. E particularmente acho ele lindo!


- Mamãe! – exclamou rindo a castanha ao ver sua mãe suspirando. Realmente ele era maravilhoso.


- Tudo bem querida. Isso não é impedimento para ficarem juntos. O que te perturba?


- Não sei mamãe. Parece tudo tão errado. É como se fossemos proibidos um para o outro e ao mesmo tempo feitos para o outro. Draco representa tudo de mais lindo e puro para mim.


- Ele não sente o mesmo? É disso que tem medo? Acha que ele não a amaria? Isso eu duvido muito. Quem não gostaria de você?


- Não sei mamãe, mas eu o amo! De uma forma tão louca que tenho a impressão de amá-lo muito antes de conhecê-lo. Será que isso é possível? 


Meu amor, acho que o único que pode atrapalhar vocês dois é o medo. E respondendo sua pergunta, é claro pode ser possível. Vocês não são os primeiros a protagonizar historias assim. E tenho certeza que ele sente o mesmo por você, meu bem. Quem não sentiria? Mas agora chega. Vocês dois podem contar comigo. Sou sua mãe. Amo você mais que tudo, minha filha. E fico muito feliz por ver que está amando pela primeira vez. Bem, posso te dizer uma coisa?- Hermione acenou com a cabeça em sinal de afirmação. Feliz por ter a mãe como  aliada. – Você  escolheu muito bem! Ele é lindo! Lindo! Que James, não me ouça. Filha ele é um Deus grego, que coisa mais linda!


- Mamãe!...,- exclamou a castanha toda sorridente. Sua mãe era demais e muito engraçada. – ele é sim. Maravilhoso!


- Sim, filha. Mas não tanto como você. Isso é inquestionável. Só espero que esteja preparada para o que vai enfrentar. Sabe? Harry, seu pai, outros rapazes. Só temo pela sanidade de Draco e Harry. Acredito que talvez seu irmão seja contra no inicio, mas vai aceitar. O resto, eu já não sei. Quero que tome muito cuidado. Harry me contou como Draco a defendeu naquele dia na mansão. Seu irmão disse que o garoto ficou muito descontrolado por sua causa.


- Bem isso é verdade, mas não foi só ele. Ai mãe que saudades que estou dele. Queria tanto vê-lo!


- Pois bem, então arrume-se bem bonita, vá ao Shopping e compre uma roupa bem linda, porque ele vem jantar aqui hoje. Harry o convidou.


A castanha sorriu lindamente. O veria hoje finalmente.


Olimpo


Mãe! Você tem que fazer alguma coisa. Eu preciso saber se eles estão se encontrando. Não consigo ver nada, por causa do maldito dia em que Atenas me traiu. Faça alguma coisa mãe!


- Infelizmente, meu filho, não posso te ajudar dessa vez. Mesmo aqui, por mais que nos odiemos as vezes não desrespeitamos, contra maldições. Atenas não é uma pessoa ao qual quero desafiar, não por medo dela e sim por causa da preferencia de Zeus por ela. Por mais que eu o desafie ele é o Deus supremo do Olimpo. Eu tenho medo que ele se volte contra você. Viu o que ele fez com Calibus.  No entanto eu tenho uma ideia do que fazer sem que nós sejamos descobertos. Já coloquei em prática e apelei para Hades que me devia um favor.


- O quê? Mãe tu ficaste doida! Tio Hades é traiçoeiro vai nos trair, sem pensar duas vezes!


- Também pensei nisso, ele não se atreverá diante do que eu posso fazer com ele. Veja!


Hera e seu filho se aproximaram da fonte dos humanos, porém ela não via nada que se refere-se a Draco e Hermione, justamente por serem quem são. Mas o que dizia respeito aos outros ela tinha livre acesso.  – Quem é ele, mãe?


- Essa é a pessoa que vai destruir de uma vez qualquer possibilidade dos dois ficarem juntos. Esse ser mortal, por enquanto, possui um poder maior que qualquer outro do mundo bruxo. Esse bruxo vai causar uma das maiores guerras da história da Terra.  Seu pai foi o pior ser dessa espécie. A mãe uma das piores mulheres que o mundo já viu.


- Ainda não entendi, o que quer com isso, mãe! O que esse mortal pode fazer?


- Ele não será tão mortal assim querido. Ele é bruxo e quando vir Afrodite encarnada na mulher mortal ele irá sucumbir a ela como os outros, no entanto ele fará qualquer coisa, passará por cima de qualquer um, causar uma verdadeira batalha por ela. E Ares, fará de tudo para impedir. A garota causará um verdadeiro inferno. Zeus a castigará por tanta devastação.


E conhecendo Hades como conheço, ele fará de tudo para que Ares sofra. Ele o odeia, por causa de suas afrontas.


- Mas ele ama a sobrinha! Ele adora Afrodite, mãe! A senhora não pensou nisso?


- É claro que pensei! Hades não sabe da condição de Afrodite. Lembre-se que ele rompeu com Zeus e nada quis saber de suas decisões e quando Atenas proibiu que os víssemos ela também fechou para Hades. – Hefestos sorriu triunfante com a engenhosidade da mãe. Mas sabia do risco que corriam se Hades descobrisse o plano.


- O que o tio Hades fará mãe? M


- Ele dará um pouco de seus poderes sobrenaturais e a maldade do pai para o garoto. Diante dos outros ele ficará invencível. Somente Ares pode vencê-lo. Porém o garoto terá um triunfo nas mãos que fará com Ares fique vulnerável.


- Afrodite!


- Sim. Ela. Eles vão se destruir! E nós ficaremos imóveis a partir de agora e nada mais faremos para separá-los deixe tudo nas mãos do rapaz abaixo. E ele já está a procura dela. E não demorará acha-la.


- Então qual o nome de  nosso vingador?


- Tom Riddle Lestrange! – disse maquiavelicamente Hera, sendo interrompida pela voz que não queria e nem podia ouvir naquele momento.


- O que estão fazendo aqui? – Atenas e Apollo entravam no recinto. Somente eles tinham a passagem para o lugar.


Horas antes do jantar


- Ridlle? Ridlle..., o senhor está bem?


- Estou bem Ray. Só estou pensando. Conseguiu o que eu te pedi?


- Infelizmente ainda não. Não consegui se quer chegar perto. Ela está sempre protegida. Mas se me permite senhor,  porque está tão interessada na filha dos Potter? Pelo que me consta nem a conhece. – dizia Ray ao rapaz.


- Ainda não sei Ray. Tem alguma coisa nela, no nome, nessa incógnita de não deixarem que ela se apresente para a sociedade bruxa e ainda tem essa voz que ..., - o jovem parou de falar de repente e voltou seus olhos para seu capacho  e seus olhos exprimiam toda indignação de quem não quer ser interrogado.


- Desculpe Ridlle. Não é da minha conta. Perdão. Mas hoje fiquei sabendo que haverá um jantar na casa dela e que ela sairá de sua casa. Me parece que vão leva-la a um Shopping trouxa. Eles tem medo da multidão. Acho que quando ela sai, causa muitos tumultos, confusões.


- Confusões? Como assim confusões?


- Se me permite dizer senhor dizem que é a mulher mais bonita de todo o mundo bruxo ou trouxa. Dizem que ela tem uma beleza incomum, radiante e digna de...


- Chega Ray! Eu mesmo averiguarei isso. Descubra que lugar é esse e me informe. Duvido que haja uma mulher tão bonita assim. – ria o moreno alto até ser interrompido.


- Tá rindo de que Riddle? Acha que é mentira? – disse Blaize Zabine entrando no recinto. -Você não tem noção do que é essa mulher. Ela além de ser linda é gentil, meiga, tem o dom de acalmar e transmitir sensações boas quando nos toca. Eu nunca vi beleza igual, chega a ser enlouquecedor. Posso dizer por experiência própria.


- Acho que seus gostos estão baixando o nível,  Zabine! Que exagero!


- Tom... Tom não sabe o que diz. – dizia Blaize ironicamente.


- Bem isso não importa. Hoje vou conhecer essa famosa Hermione Potter de uma beleza sem igual. – Tom Ridlle falava sarcasticamente. Para ele não existiam pessoas assim. Beleza, amor, bondade eram sentimentos inconcebíveis para ele. Nada disso existia, somente o poder. Isso era o que ele pensava até aquela tarde. Tudo mudaria. Tudo.


- Vamos Jai, vamos..., quero sair um pouco. Anda. – dizia uma eufórica Hermione. Feliz por sair um pouco. Há muitos dias que seus pais haviam prometido que ela poderia sair para a Londres trouxa. Lá seria menos visada.


- Mi. Mi! Calma, já vamos!- falava Jai sorridente. Era bom ver sua irmã feliz. Apesar de não ter percebido que sua alegria tinha apenas um motivo. – Então o que vai comprar? Você e Gina juntas, coitado do dinheiro do papai! – Harry sorria enviesado levando uns belos soquinhos da irmã que parecia nem fazer cócegas.


Quando Gina chegou  eles se dirigiram para o shopping trouxa. Aparataram em uma rua deserta que seria o ponto. Saíram direto para as lojas. Mesmo estando em lugares trouxas Hermione não conseguia passar despercebida.  Se para os bruxos ela parecia uma deusa imagina para os trouxas. Ela parecia não se incomodar, já o mesmo não acontecia com o irmão que fazia questão de fuzilar qualquer um que assobiava ou encarava, enfim. O problema era que era somente ele no meio duas beldades. Gina era uma delas. Há muito tempo Jai vinha se interessando pela ruiva. Ao contrário de Harry, Gina não se dava conta e achava que o moreno sentia apenas amizade por ela. E quase perdeu a cabeça quando um rapaz a segurou pelo braço querendo se apresentar. Um sentimento louco apossou dele e ele fez questão de puxá-la pra si e andar com as duas em seu encalço.


- Calma Harry, assim você machuca agente. – dizia Hermione sorridente, ela sabia que o irmão estava gostando de sua amiga. E adorou a ideia. Gina era perfeita para ele.


- Então vamos para aquela loja ali, lá tem vestidos lindos e...,


- Não. Lá não Gi, lá está cheia de marmanjos e...


- Ah, Jay conheço todos ali, não se preocupe, nenhum deles vai nos engolir te garanto.


- O quê? Você conhece eles? De onde Gina? – o moreno perdeu um pouco a compostura. A ideia da ruiva ter tido qualquer contato com aqueles marmanjos afetou Jai raivosamente. Gina percebendo algo logo se adiantou esclarecendo.


- Jai eles são Gays. Não fique com raiva. O perigo é você. Lindo e sexy deste jeito. É com você que temos que preocupar. – a ruiva falou rindo internamente.


- Bom, então acho que... hum, vou ficar esperando aqui de fora então...- as duas caíram na gargalhada e entraram na loja. Sem perceber que uma aglomeração de homens começava  a se instalar perto dali, Harry vendo a situação liberou um belo olhar que aos poucos essa multidão foi se dissipando. Enquanto as garotas experimentavam uma série de vestidos Jai, sabendo que não sairiam dali tão cedo resolveu comprar alguma bebida no café que ficava em frente da loja. De costas não pode perceber uma presença que acabava de chegar ao local.


Sem mais delongas, Tom chegou perto da loja. Havia tido informações que a princesinha dos Potters estaria ali. Achou um absurdo de inicio ter tido a ideia de ter ido ele mesmo para isso, mas a curiosidade era maior. Nem ele sabia o porque dessa obsessão de conhecer essa garota. Sorriu de lado imaginando a cena da bela mulher se é que era mesmo saindo dali. Lançaria uns mil crucius em Zabine por ter plantado a semente da dúvida em sua cabeça. Tinha planos para sua ascensão e não poderia perder tempo seguindo uma jovem que era mais jovem que ele apenas um ano. Sentou-se na mesa que ficava de frente a loja e não havia percebido que o irmão dela fazia o mesmo. De onde estava tinha visão delas apenas de costas.


- E ai Harry, o que faz por aqui cara? – era Neville que cumprimentava.


- Nevi, quanto tempo! Não tive chance de agradecer por  ter ajudado minha irmã naquele dia e...- os dois continuavam a conversa o que dispersou Harry por uns minutos. Tom que já estava cheio de ficar ali, levantou e se aproximou mais da loja onde as duas estavam.  Pode visualizar uma delas e ficou maravilhado com o que viu. Era alta e ruiva de olhos azuis intensos e um corpo de dar inveja a qualquer uma. Seria ela? Não era uma beleza tão incomum como diziam. Ela estava vestida com uma calça preta e blusa azul colada ao corpo com uma jaqueta de couro. Os cabelos eram enormes com belos cachos dourados na ponta a cor deles eram de um vermelho bem intenso. Sorriu por dentro.


- Será que é ela? Era linda na verdade, mas não...- Tom não pode terminar quando a viu. A mulher saia do provador de roupas. Vestia uma vestido negro, e rodopiava a frente de um espelho enquanto a cascata de cabelos acompanhava os gestos. O brilho deles era inigualável. As curvas da mulher era tão perfeitas que pareciam ao seus olhos esculpidas por anjos. O rosto, a boca tudo era fascinante.


- Por Merlin! O que era aquilo? Não podia ser real? Não podia ser. tinha que chegar perto e averiguar se o que estava vendo não era apenas uma miragem. Saiu de encontro a loja sem sequer pensar no que estava fazendo,  parou em seguida ao perceber a figura de outro homem chegando perto delas.


- Garota! Eu já tinha visto coisas bonitas mais você é uma escândalo! Como pode ser tão maravilhosa desse jeito? – A castanha apenas sorria diante dos elogios dele, inocentemente continuou experimentando os vestidos sem saber que era observada.


- Chega Alfredi, ela é mesmo e nem vem com seus pedidos para desfile. Isso está fora de cogitação. – dizia Gina brincalhona. –


- Ah, Gizinha, só porque seu irmão não deixou não quer dizer que o de Hermione não vai.


- Ahha! Gina ria. Você é que não conhece o irmão dela. Ele é pior do que o meu.


- Mentira! Isso é ultraje! Duas beldades dessas e privando os homens desse espetáculo! Melhor  para nós! – as duas caíram na gargalhada. – Tom pela primeira vez sorriu sinceramente. Era bom o som das risadas das duas.


- Não conhece quem Gina? – entrou Jay na loja.


Saíram da loja rapidamente depois da bronca que Jay havia dado no Alfredi pela ousadia de convidar as duas para desfilar, eles andavam distraidamente pela avenida. Seguiam para o lugar de aparatação. Harry vinha dando um sermão em Gina por causa do vestido que ela tinha comprado. Ele achou curto demais e Hermione  andava calmamente ficando um pouco para trás mexendo em uma de suas sacolas, quando se chocou com alguém deixando cair todas elas.


- Ah por favor desculpe eu estava distraída e...- foi quando Hermione levantou seus olhos. Tudo nela tremia ao olhar naqueles olhos extremamente negros.


Tom ficou completamente chocado. Mas não deixou transparecer. Sem dúvidas nenhuma, Zabine tinha razão. Era sublime demais. Seus olhos foram direto para os dela. Os dois se encaravam. Hermione não sabia ao certo o que sentia. Ele era belo demais, mas os olhos,... eram... sombrios. Causou-lhe medo e angustia. Pareciam ter efeitos sobre os dela. Porque não conseguia desviar.


- Perdão Senhorita. Eu que estava distraído. Permita-me? – dizia Tom como um  perfeito cavalheiro que era. Quando ele foi pegar as sacolas suas mãos se chocaram com as dela. Imediatamente ele sentiu uma corrente elétrica em seu corpo. Uma força jamais vista ou sentida se apoderou dele. Sentiu-se mais forte e poderoso. Parecia que seu corpo estava entorpecido de magia. Estava  tremulo, seu coração disparou e seus sentidos ficaram aguçados pelo perfume  dela. Sentiu uma dor no peito, uma coisa que nunca pensou que sentiria. Olhou para ela novamente. Era linda! Em todos os sentidos da palavra. A boca, os olhos, o rosto o corpo. O olhar doce e amedontrado, tudo o hipnotizava. Começou a arfar e saiu correndo do lugar sem se despedir. Estava desesperado e perdido.


- Hermione? Tudo bem? O que aconteceu?


- Nada Jai,  trombei em alguém e minhas sacolas caíram. Ele me ajudou...  depois saiu correndo logo em seguida.


- Credo! É o primeiro que vejo correr de você ao invés de te agarrar que estranho! – Gina disse recebendo um olhar mortal de Harry.


- Chega de conversa e vamos porque já estamos atrasados. Logo, logo nossos amigos vão chegar e não estaremos prontos. – Hermione sentiu uma alegria imensa de pensar que poderia encontrar Draco novamente.


A mansão dos Potters estava pronta para receber os amigos de Harry e Hermione. Aos poucos eles foram chegando.  Primeiro Neville, depois Pansy e Rony. Gina já estava lá. Comarck chegou depois. Era amigo de Harry apesar de Draco e Rony odia-lo. Sirius chegou depois. Afinal era padrinho dos dois. Todos estavam na sala e apenas Harry fazia companhia a eles. Pansy subiu ao quarto para chamar as meninas.


- Vamos Hermione. Meu Merlin! Coitado do meu amigo. – dizia Pan sorrindo ao ver a castanha trajando um lindo vestido verde tomara que caia que ressaltava a cor dos olhos. Ele não chegava ao joelho. O que deixaria Jai furioso. Os cabelos estavam soltos e caiam como cascatas em suas costas. Qualquer um que a visse perderia a insanidade. Era o que temia que Draco fizesse.


- Então, acha que ele vai gostar?


- Você tá doida. Você está linda minha amiga. É claro que vai gostar, não só ele, mas todos lá embaixo. Mas acho que terá problemas com Jai. As meninas sorriram cumplices e a castanha se encaminhou para o espelho que ficava ao lado da janela e de forma que ficou de frente para a janela grande. Uma figura encapuzada estava a espreita admirando a bela visão.


- Linda! Sussurrou! Linda..., logo serás minha meu amor. Logo!


- Hermione não vai descer? Filha seus amigos estão te esperando! – Lilian Potter falava enquanto entrava no quarto. – Nossa, filha você está linda!


- Mi, porque você está demorando tanto. – disse Harry. Seus olhos pararam em Hermione e depois em Gina. A ruiva estava linda de vestido preto estilo camisetinha colado na cintura e solto nos quadris. Estava arrasando literalmente. – Onde pensam que vão com esses vestidos. Podem tirar agora!


- Nós duas! Sua irmã é Hermione esqueceu? E mesmo assim não tem direito de decidir que roupa vamos usar! – falou a ruiva que ria internamente do ciúmes de Harry. Era isso que queria, provoca-lo. E estava conseguindo.


- Para com isso Jai, Hermione e Gina estão lindas e não vão tirar nada. Podem descer meninas a campainha está tocando deve ser o Draco. Atende para mim Hermione enquanto vou a cozinha ver como está tudo. E você Harry se comporte, ouviu?


- As meninas passaram diante de Harry, primeiro Pan depois Hermione que levou um olhar nada carinhoso de Jai. Quando Gina moveu para sair também foi barrada por ele.


Draco estava ansioso. Cheio de saudades. Queria vê-la, tocá-la. E não aguentaria esperar para tê-la de novo em seus braços. Aparatou diante da mansão dos Potters e tocou de leve a campainha esperando o momento em que os elfos atenderiam a porta. Houve uma demora considerável. Mas o loiro não cabia em sei de ansiedade então quando ia voltar a tocar a porta se abre. E ele perdeu o fôlego.


- Olá Draco!


- Hermione!... - sussurrou,  Draco. Eu...


- Draco meu rapaz que bom vê-lo. – era o pai de Hermione que passava pela sala. A castanha fechou os olhos tentando conter suas emoções. Draco foi arrastado para a sala. Mas sem deixar de encará-la com só segundo. Seus olhos apaixonados eram tempestades. Os lábios de rapaz emitiram um mudo “eu estava com saudades”, fazendo o coração da garota disparar.


- Por que não desce só de lingerie. Este vestido está tão indecente que não faria diferença nenhuma.


- O que foi Harry, sinceramente eu não estou te entendendo. O que você tem haver com isso? – a ruiva falava enquanto se aproximava.


- Eu tenho tudo haver com isso. Você é amiga de minha irmã. Sem falar que seu irmão também é meu amigo. E eu tenho a obrigação de cuidar de você. Vai tirar esse vestido rápido! – dizia o moreno se aproximando também.


- Você não manda em mim, Jai. E nem o meu irmão. O que eu visto ou deixo de vestir não é da conta de vocês e não vou trocar nada!


- Você não vai descer com esse vestido, Gina! Não vai! – o moreno falou ameaçadoramente.


- Ah, é? E quem vai me impedir? Você? – a ruiva falou desafiadoramente. - Quero ver! – disse e tentou passar pela grande barreira a sua frente. No qual foi impossível.


- Então vamos ver! – em seguida o moreno tomou nos braços esmagando os lábios da ruiva num beijo esfomeado. O corpo dos dois ardiam um pelo outro. Há muito tempo descobriram que estavam apaixonados. Quando Harry viu Gina no vestido ficou insano só de pensar em outros homens olharem para ela. Estava divina! Linda! Como Hermione ele não deixaria que nenhum homem se aproximasse dela. Só ele. A ruiva ansiava por aquilo a bastante tempo. Amava Jay desde a primeira vez que o viu. E agora ele estava ali, exigindo-a. Possuindo não só sua boca, mas  também sua alma. Devagar,  foram diminuído o ritmo do beijo. Gina ainda continuou de olhos fechados e suas pernas estavam bambas e seus lábios estavam trêmulos. “Como podia ficar assim apenas com um beijo.” Perguntou em pensamentos. O moreno segurou nos cabelos da ruiva forçando a encará-lo. Os lábios de Gina eram tentadores demais, voltou a beijá-los de forma calma ainda segurando-a.


- Você é minha Gina! Minha ouviu bem? Minha garota. Não quero que vá com esse vestido porque estou morrendo de ciúmes de você. Está linda demais e não suportaria que outro a olhasse além de mim. Já chega Hermione, agora você. Não. Isso eu não admito.


- Eu me vesti para você Jai. Achei que nunca me daria bola. – dizia a ruiva beijando  os lábios do moreno fazendo com que o mesmo fechasse os olhos e saboreasse as sensações. Ela mordeu os lábios inferiores dele enquanto a apertava em seus braços ainda mais forte. Ela adorou a sensação de posse dele. Mas não o deixaria vencer. Isso jamais. – Amei você desde a primeira vez que o vi. Mas não deixarei que mande em mim. – saiu depressa pela porta deixando um Harry possesso para trás.


Uma tortura sem fim passou durante todo o jantar. Apesar das brincadeiras de Sirius, os galanteios de Comarc McLanggen para com Hermione estavam deixando Draco fora do sério. O loiro estava a ponto de explodir. Harry não disfarçava a ira de ver sua irmã sendo cantada o tempo todo pelo seu amigo, e Gina sendo paparicada por Neville.  Hermione estava estonteantemente linda. Deixando todos da mesa, no caso os homens maravilhados. Era tão hipnótica que Draco por várias vezes teve que ser advertido por Pansy e Rony. Que acharam a noite muito divertida.


Mais tarde os jovens foram para os jardins. Hermione e Draco já não disfarçavam seus olhares. Comarc percebeu isso. Nunca gostou de Draco, por isso não facilitaria as coisas para ele. Comarc conseguiu roubar a atenção de Hermione o tempo todos no jantar com brincadeiras e assuntos interessantes. O que deixou Draco extremamente enciumado. Parecia que ele não estava mais ali. Parecia que ela não se importava mais com sua presença. Mas ao contrário do que ele pensava ela estava apenas despistando de Jai e seus pais. E tentando também ser simpática com as visitas. Nunca tinha estado tão feliz naquele dia. Mas ao contrário de tudo ela queria era ficar com Draco. Beijá-lo de novo, abraça-lo, era só o que queria.  McLanggen interpretou de forma diferente. Estava fascinado por ela. E cada sorriso que ela dava era como se fosse um sinal para ele. O clima começou a ficar tenso. De uma lado Harry que não sabia se ficava de olho na irmã e ou em Gina. E Draco que já não escondia sua raiva. Pansy viu quando os olhos de Draco se escureceram. Suas feições mudaram. Tinha que fazer alguma coisa. Ele ficava muito estranho. Suas feições mudavam. O olhos claros ficava  quase negros, tudo ficava sombrio.


Porém Draco não deixaria isso barato.


- De longe, ele vigiava os dois, Harry estava ao seu lado. Suas mãos tremiam, um ódio crescente se apoderava dele.


- Esse Comarc está muito atirado para meu gosto, Draco. E olha só o Neville! Achei que fosse meu amigo. Me faz um favor , amigo. Fique de olho na minha irmã enquanto dou um jeito naqueles dois ali. – o loiro sorriu exultante.


- Posso dar um jeito nele Harry? Ele está pegando na mão dela! Filho da mãe! – quando Draco disse Jay achou que fosse Gina e na mesma hora se encaminhou na direção da ruiva enquanto Draco fazia o mesmo na direção de Hermione.


- O que pensa que está fazendo McLanggen? – Hermione ficou sem ação. Draco estava ali na sua frente e provavelmente interpretou tudo errado. O medo tomou conta dela. Hermione seu pai está te chamando no salão de jogos. Agora! – o loiro falou numa imperatividade incrível. Hermione deu um beijo na bochecha de Comarc fazendo o loiro sorrir triunfante e deixando o outro morto de ciúmes.  Quando a castanha estava uma distância segura Draco segurou Comarc pelo colarinho.


- Vou deixar uma coisa bem clara seu idiota. Não se aproxime dela! Está me ouvindo? – o loiro deu um forte soco no estomago de McLanggen depois de averiguar se tinha alguém por perto. – Se eu ver você a um metro de distância dela. Eu te mato! Está me ouvindo? Eu te mato! – o rapaz teve medo de Malfoy. Ele havia se transformado. Ele tinha ficado de repente absurdamente grande. Uma áurea negra estava envolvida nele. Alguma coisa estava errada. Mas não seria ele a descobrir.  O loiro soltou o rapaz pelo colarinho e partiu para a direção de onde Hermione tinha ido.


A castanha sabia que seu pai não estava chamando. Desde o inicio percebeu os olhares raivosos e ciumentos de Draco para ela. Sorriu internamente. Precisava testar o loiro. Foi caminhando devagar e antes de ir para a sala de jogos passou pela cozinha. Queria um doce. Não precisava ser esperta para entender que teria problemas com Draco. Ele parecia ser possessivo demais. Talvez fosse por sua condição. Estava apaixonada e perdida. Caminhou para a sala e sabia que ele estava lá esperando, irado. Entrou e o viu virado para a janela. Estava de costas e arfava muito, muito mesmo. Trancou a porta depois que entrou. Sabia que ninguém viria ali agora. Jai estava ocupado demais em brigar com Gina.


- Draco? - Chamou a garota. – ele se virou, ainda estava arfando, furioso, os olhos brilhando de raiva. Mas tudo ou qualquer coisa que sentia se esvaiu quando a viu sorrir para ele.


- Estava com saudades! Queria tanto ficar com você, meu amor! – Draco caminhou  lentamente em direção a ela. Sem deixar de olhá-la. Suas mãos, foram direto para a face linda e rosada da castanha.  


- E eu de você meu amor! Não sabe como têm sido vazio, esses dias sem você. Queria tanto te ver, falar com você, abraça-la..., - o loiro abraçava-a forte. Draco sabia que seu coração era dela. Sabia que ela era generosa o bastante e que sempre falava a verdade. Era boa demais. Isso era um perigo. Tinha que tomar conta dela. Ela era dele e de ninguém mais. Comarc que não se aproximasse dela de novo. O mataria com certeza. – Naquele dia em que saiu de minha casa, minha vontade era de invadir seu quarto. Saber se estava bem. Beijá-la outra vez. Fiquei com seu gosto em minha boca meu, amor! Sonhei todos os dias com você e achei que ia enlouquecer. – Hermione ficava cada vez mais apaixonada. Ouvir aquilo do homem que amava era a melhor sensação. Amava-o. e muito. Os olhos fixos nos dele. Atenta a cada gesto, ou balbuciar de sua linda boca. Estava perdendo a razão. Esses sentimentos eram tão primitivos. Não era humano.


- Por várias vezes pensei e mandar cartas. Mas fiquei com medo. Receio de ser atrevimento de mais de minha parte. Não sabia se tinha sido um sonho. Draco você se tornou meu sonho, meu desejo. Eu sonhei com você, meu amor, todos os dias. – o loiro se encheu de felicidade, só ela era capaz de deixa-lo desse jeito. Saber que era correspondido o mantinha em paz. – você é tão lindo Draco. Tão lindo! – dizia a castanha fazendo carinhos na face do loiro fazendo com que uma labaredas de fogo ascendesse no seu corpo. Sem aguentar mais, tomou Hermione em seus braços e fez aquilo que estava com vontade desde que chegou. Beijou-a como se não tivesse amanhã. 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 4

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Anne Lizzy Bastos em 23/04/2014

Adorei. Ficou otimo!

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por GabriielaMalfoy em 03/09/2012

Oii '
Noossa, sua fiic tá mto boa msm, assim, a mistura de coisas tão diferente deeu um ar totalmente novo sabe? Algo que não se vê tãaao normalmente, então, fez dessa fic uma mais inusitada que tal, skaopkao. Você escreve muuito bem, fico esperando o próximo capítulo,
bjos.
           GabrielaM. 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por H. Granger Malfoy em 07/07/2012

posta mais!!!!! Esses dois sao muito lindos, meu Deus.. eu amei esse Draco que so se segura com ela, e essa hermione taaaao linda hein? essa fic eh mt boa, vc na pode abandona=la =////// posta mais, por favor???????

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Bruna Bullock em 12/05/2012

AMEI!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Posta logo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Beijosssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.