FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

7. Parte 7


Fic: Impostora


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

- Eu não vou agüentar por muito tempo. – Hermione gemeu.


- Ok. Ok. Onde está seu marido? – perguntou voltando-se para Hermione.


-Ma-marido? – gaguejou.


- Sim... Teremos de fazer uma cesariana e... – o médico anunciou.


- UMA O QUÊ? – todos gritaram ao mesmo tempo, Hermione e Harry por saberem o que era e os demais por não saberem.


- Se a forçarmos a fazer mais força ela pode não agüentar.


- Mas uma cesariana é arriscada. – Harry protestou.


- O que é uma... Cezaiana?


- É cesariana Gina, é uma outra forma que os trouxas sabem para que uma mulher possa dar a luz.


- Então porque ele não sugeriu isso desde o começo? – Roger se indignou.


- Porque é arriscado, terei de cortar a barriga dela e de todas as vezes que já usaram esse método, nem todas foram bem sucedidas.


- Você irá cortá-la? – Pansy levou às mãos à boca em espanto.


- Sim, cortarei pouco abaixo do umbigo e cortarei a bolsa amniótica e retirarei o bebê, depois irei costurar.


- Faça qualquer coisa, mas não o deixe morrer.


- Precisarei da autorização do pai da criança para poder realizar a operação.


Hermione ofegou apreensiva, olhou para seus amigos e eles estavam tão estáticos quanto ela. Sentiu o olhar de Draco sobre si e se virou para encará-lo, seu rosto estava inexpressivo, mas a castanha pode notar o desafio em seus olhos.


- O senhor precisa da autorização do pai para...


- Em casos de risco, é necessária a autorização de ambos os pais. E este é o seu caso.


- Bem... Er... O pai não está aqui. Eu... Meu filho é só meu.


- Desse jeito eu não poderei ajudá-la.


- Como não...


Um gemido de Hermione interrompeu a frase de Harry.


- O que foi Mi? A dor aumentou? – Gina perguntou se aproximando da amiga.


- Estou... Estou... – Hermione segurava o ventre enquanto tentava falar e respirar.


- Está sentindo o quê? – Roger perguntou segurando a mão dela e automaticamente Draco se aproximou irritado com o gesto de carinho.


- Estou com fome.


- O quê? – Roger perguntou surpreso. Gina e Harry prendiam o riso.


- Ótimo! – Draco exclamou empurrando Roger para longe de Hermione. – Ela não está com dor, não precisa manter contato físico com ela.


- Ah, por favor, Malfoy, não tenho tempo para suas crises de ciúmes.


- Eu não estou com ciúmes.


- Então não irá se incomodar se eu beijá-la não é?


Draco sentiu o sangue esquentar, mas não disse nada. Diante do silêncio do loiro, Roger se dirigiu para perto de Hermione, se curvando sobre ela e lhe beijando a bochecha de modo que apenas o médico visse.


- Então ele é seu marido? – o médico perguntou.


- Não! – Draco respondeu antes do moreno. – Ela não tem marido. Eu era o marido dela e nos separamos.


- Então você é o pai? Mas ele acaba...


- Eu não sou o pai. – Draco praticamente rugiu. – E espero que o Davies também não seja Granger.


- E porque ele não pode ser? – Hermione desafiou.


- Você só passou a ser vista com esse idiota pelo castelo tempos depois de estarmos separados.


- E se foi de propósito? Eu não queria dar na vista assim que me separasse de você. Não queríamos levantar suspeitas.


- Então ele é mesmo pai do seu mestiçozinho?


- Não fale assim Malfoy.


- Fica na sua Potter. Agora... Me diga Granger, ele é melhor do que eu?


Hermione arregalou os olhos, pensando se ele estava mesmo perguntando o que ela achava que estava. O médico acenou para papoula que foi empurrando calmamente os outros para fora da enfermaria. Harry e Roger carregaram Rony e todos saíram silenciosamente sem sequer serem notados pelo casal que discutia.


- Melhor do que você? Como assim?


- Ele é melhor do que eu na cama? Porque ele não tem mais dinheiro do que eu. – Hermione abrira a boca para revidar, mas ele a interrompeu. – Ah! Espera! Você não precisava se preocupar mais com dinheiro, porque você já havia levado metade de tudo que tenho não é mesmo? Você quem sustenta seu amantezinho?


- Ele não é meu amante. Eu nunca tive um amante. E eu estou pouco me lixando para o seu dinheiro.


- Você diz isso agora que metade dele é seu não é?


- Se o senhor não se calar eu terei que colocá-lo para fora. – o médico disse ao ver os olhos de Hermione se enchendo de lágrimas.


Draco bufou e se virou para sair.


- Não vá embora. – Hermione pigarreou tentando melhorar a voz embargada. – Fique Draco, por favor.


O loiro parou ao ouvi-la falar, virou de volta para ela, vendo-a coberta de suor, o ventre inchado e os lençóis sujos de sangue.


- Está querendo demais. Lhe daria tudo que me pedisse, mesmo depois de ter me feito o que fez, mas querer que a veja morrendo assim por um mestiço cujo pai sequer está com você está além da minha capacidade Hermione. – respondeu calmamente e saiu da enfermaria.


Hermione sabia que ele a odiava pelo que ela estava fazendo, que odiava o fato dela estar dando a vida por um filho que ele achava ser de outro e por um momento Hermione quis ter insistido mais ao tentar contar para ele, mas agora era tarde e não iria voltar atrás, iria acabar causando mais dor em Draco se ele descobrisse que o bebê era dele, ele ficaria dividido entre escolher a ela ou ao bebê, e no momento Hermione preferia que ele continuasse a odiá-la, seria mais fácil caso algo de ruim viesse a lhe acontecer e se escapasse com vida, faria o possível e o impossível para contar-lhe.


- Pode começar a cesariana. – disse decidida ao médico.


********************************************************************************


Todos os preparativos estavam prontos e Hermione estava disposta a fazer tudo por seu bebê, a dar tudo pelo seu filho com Draco. Papoula saiu para providenciar algo para Hermione comer enquanto o médico preparava os instrumentos.


- E afinal, onde está o pai da criança para que possa autorizar a cesárea?


- Ele não poderá assinar, ele não está mais entre nós.


- Bem, se ele faleceu e só resta você como responsável. Irei pegar a papelada.


O médico se levantou e foi para os fundos da enfermaria, Hermione ainda estava atônica, não queria dar a entender que Draco estava morto, só quis dizer que ele não estava mais com eles na enfermaria, mas ficou feliz pelo mal entendido ter saído bem, não queria jogar a responsabilidade nas mãos de outra pessoa e não ia contar à Draco, o melhor era que ela fosse a única responsável por seu filho.


********************************************************************************


Do lado de fora, Minerva voltara e mandava que todos voltassem para seus dormitórios para tomarem banho e trocarem seus trajes de galas por roupas mais informais. Draco saiu da enfermaria e passou por eles feito um furação.


- Mas nós queremos esperar a Hermione. – Gina contestou.


- Vocês ainda estão com as roupas do baile e estão cansados. A Srta. Granger não vai sair daí tão cedo e a... O processo irá demorar. E a senhorita devia levar seu irmão para o dormitório Srta. Weasley.


Minerva se virou entrando na enfermaria sem esperar resposta.


- Ela tem razão Ginny. Vamos levar o Rony para a Grifinória, tomamos um banho, comemos algo e voltamos pra cá.


- Não poderemos fazer nada por enquanto mesmo. – Roger apoiou. – Eu ajudo você a levar o Rony para a torre Harry.


- Weasley. – Pansy chamou. – Acho que nós temos um assunto a tratar.


- Ela não tem nada a tratar com você Parkinson. – Harry disse rispidamente.


- Deixa Harry. Eu tenho mesmo que resolver um assunto com a Parkinson. Pode ir indo na frente que eu já alcanço vocês.


Harry, muito a contragosto, foi embora com Roger e Rony, os morenos carregando o ruivo em direção à Grifinória.


- Diga rápido Parkinson.


- Eu já falei tudo pra você, não vou repetir. Eu vou contar ao Draco, você vem pra tentar amenizar o lado da sua amiguinha?


- Contar o quê ao Draco? – Blaise perguntou.


- Que o filho da Granger é dele. – a morena disse de uma vez.


- O QUÊ? – Blaise gritou. – Como... Desde quando você sabe disso Pan?


- Eu ouvi uma conversa entre a Granger e o Davies há um tempo atrás e ela disse tudo.


- E porque não contou?


- Porque eu conheço o Draco e sei o quanto ele iria ficar irritado se não descobrisse isso da própria Granger e resolvi esperar que ela contasse. Mas ela está à beira da morte e os amiguinhos dela pretendem ficar com o bebê.


- Mas isso nunca! Ele é do Draco também, ele tem seus direitos.


- Sua lembrança não é garantia de que esteja certa. A Hermione estar mentindo para o Roger.


- Eu não sou burra Weasley, e vou contar para o Draco o que sei, ele irá julgar se estou mentindo ou não. – Pansy se afastou ido na direção em que Draco foi, puxando Blaise consigo. – Você vem ou não?


Gina deu um suspiro, pedindo desculpas mentalmente à Hermione e seguiu o casal.


********************************************************************************


Depois de procurar por todo o castelo, por fim o trio achou o loiro na Torre de Astronomia.


- Draco. – Pansy chamou se aproximando.


- Eu quero ficar sozinho.


- Mas temos que te falar algo importante. É sobre a Granger.


- Eu não quero saber de nada relacionado a ela Blaise, muito menos agora.


- Nem a respeito do bebê?


- Muito menos a respeito daquele mestiço Weasley. Será que você podem me deixar em paz?


- Pra se ser mestiço é necessário ser filho de um bruxo puro-sangue e de um mestiço ou nascido trouxa certo?


- Eu não posso sair perguntando “quem dormiu com a Granger?” á todo sangue-puro da escola Blás.


- Não precisa perguntar seu idiota! – Gina se exaltou. – O único sangue-puro com quem ela dormiu foi você imbecil.


Draco permaneceu imóvel olhando pela sacada da torre. Gina bufou sentindo sua irritação alcançar níveis alarmantes.


- Seu loiro burro! Será que tenho que falar com todas as letras? Você é o pai do bebê pelo qual a Hermione está dando a vida. – a ruiva gritou e saiu da Torre sem ver os olhos arregalados de Draco.


- O quê ela disse?


- Você ouviu bem o que ela disse cara, e ela foi bastante clara, não acho que você não tenha entendido.


- É mentira. É mentira. Não há como ser verdade, eu vi a barriga dela, essa coelha está querendo me enganar.


- E porque raios ela iria querer te enganar Draco? Nem a Weasley nem a Granger vão ganhar nada com isso. – Pansy argumentou.


- Não é possível, eu vi...


- Ela te enganou Draco. Por merlim, deixe de ser cabeça dura e vá atrás da coelha e exija uma explicação.


- Você tem razão, ela vai me explicar o que pretende com isso, nem que eu tenha que usar a força.


Draco saiu correndo sem esperar pelos outros dois, ao terminar a escadaria ficou na dúvida de por onde Gina havia ido e por fim resolveu seguir o caminho para a Grifinória.


Encontrou a ruiva no meio do caminho e lançou-lhe um Imobilus antes que ela desse por sua presença. Se aproximou a passos rápidos a encarando de frente.


- Porque mentiu pra mim? Diga por que está tentando me enganar. – Não houve resposta e Draco gritou empunhando a varinha. – Vocês querem que eu fique pior do que já estou?


Draco estava cego de raiva e tristeza e já se preparava para lançar um feitiço quando Pansy e Blaise viraram o corredor.


- O que pensa que está fazendo Draco Malfoy? – Pansy gritou assustando o loiro.


- Vou obter as respostas que ela não quer me dar.


- Como quer que ela responda imobilizada? Retire o feitiço dela agora!


Draco se encolheu desconcertado, murmurou um Finite Incantatem e Gina teve o comando do seu corpo de novo.


- Idiota! Fuinha loira! Barbie falsificada! Era só perguntar que eu responderia imbecil! – Gina gritou enfurecida.


- Não achei que contribuiria de boa vontade. Mas não muda de assunto não, desembucha logo.


- Em primeiro lugar, não perderia meu tempo subindo para a torre mais alta da escola para mentir pra você. E em segundo lugar, que merda se passa pela sua cabeça pra imobilizar alguém assim e ainda exigir explicações?


- Não estou no melhor dos meus dias Weasley, por isso explique logo o que disse lá na torre.


- Sua amiguinha não te explicou?


Draco olhou confuso para seus amigos e voltou a vista para Gina.


- Se ela tivesse me explicado não estaria aqui.


- O filho da Mi é seu, ela nunca te traiu com outro cara nem mesmo depois que se separaram.


- É mentira. É mentira... – Draco repetia segurando a cabeça sentindo-a latejar com as informações pertubadoras.


- Por Merlim, diga á ele o que você sabe Parkinson.


- Você sabe de algo a respeito disso Pansy? E não me contou?


- Não cabia a mim e eu achava que ela iria contar. Fui eu quem convenci a Weasley a vir te falar a verdade.


- Então é verdade?


- Eu já desconfiava. – Blaise comentou recebendo um olhar furioso de Draco.


- Explica essa história Weasley, antes que eu perca a paciência e te lance um Avada. E não tem Pansy no mundo que me impeça.


- A Hermione já sabia que estava grávida antes de se separar de você, mas com toda aquela confusão ela não teve coragem de contar.


- Que se dane a coragem dela, eu tinha o direito de saber.


- Ela tentou te contar algumas vezes, mas você sempre a tratava mal. Ela acabou desistindo e resolveu que teria o filho só pra ela. A barriga dela era pequena pra quantidade de meses e ela usou isso a favor dela


- Ela mereceu a forma como eu a tratei, e ela ainda me fez de bobo. – a varinha na mão dele tremia, mas a foz continuava firme. – E você Pansy? Onde entra nessa história?


- Lembra do dia em que encontramos com ela no corredor, a humilhamos e você a fez sair de lá correndo e chorando?


- Lembro.


- Depois que você voltou furioso pro Salão Comunal da Sonserina eu fui atrás dela com medo que as emoções a prejudicassem. – disse baixo como se sentisse vergonha.


- Você ficou preocupada com a Hermione? – Gina debochou. – Essa é boa. Aposto que queria humilhá-la mais.


- Caba a boca Weasley! Você não conhece a Pansy. – Blaise gritou abraçando a namorada.


- Chega de brigas idiotas. Continua Pansy.


- Eu a encontrei chorando num corredor e pouco depois o Davies apareceu e a consolou. – Draco tremera mais ainda ao ouvir a frase. – Ela contou tudo a ele e eu fiquei escondida escutando.


- O que ela disse à ele?


- Ela contou que eu a chamei de gorda, contou que irá dar o bebê, contou que o filho era seu e que você não o queria e que não iria obrigar você a ficar com ele, contou de todas as brigas que tiveram depois do casamento, contou que casou com você para pegar seu dinheiro e financiar as buscas pelos pais dela, contou que depois que casou com você acabou se apaixonando e se esqueceu do plano e contou que está pobre porque não aceitou a parte do seu dinheiro que ela ganharia com a separação. – quando Pansy terminou o resumo Draco estava com os olhos arregalados.


- E você sabia disso o tempo todo e não me disse nada? Sabe a diferença que essas informações poderiam ter feito se eu soubesse disso há mais tempo?


- Poderia ter feito alguma diferença, mas provavelmente ela teria um parto complicado do mesmo jeito.


- Nem tenta Blaise. Cadê a Weasley? – perguntou olhando ao redor.


- Ali. – Pansy apontou para o fim do corredor.


- Volta aqui Weasley! Eu ainda não terminei.


- Já contei tudo que tinha pra contar, o que mais você quer saber?


- Tudo! E eu sei que você sabe de cada detalhe, então volte aqui antes que eu fique mais irritado.


- Você não manda em mim, por isso acho melhor baixar essa sua bola e ser mais educado.


- Se eu fosse você Weasley, eu colaboraria e não o deixaria mais irritado do que já está.


- Mas eu não sou você Parkinson.


- Imobilus! Já perdi a paciência com você coelha.


Draco foi até Gina com Pansy e Blaise em seu encalço e levaram a garota para uma das salas. Com um floreio da varinha prendeu os pulsos e tornozelos da ruiva na parede e a liberou do feitiço paralisante.


- Você é maluco? – Gina gritou.


- Eu falei que você não iria querer ver ele irritado.


- Calem-se todos vocês! Você vai responder às minhas perguntas Weasley e quanto mais rápido melhor pra você.


Gina pensou numa resposta mal criada para dar, mas desistiu quando viu os olhos vermelhos de Draco e as mãos dele tremendo, preferiu ficar calada e esperar o interrogatório começar.


- Vamos pelo começo... Pra quê ela queria o meu dinheiro?


- Para financiar as buscas pelos pais dela, Parkinsonte disse isso.


- Isso é muito vago, seja mais específica Weasley. E rápido que estou com pressa. – Draco praticamente rugia.


- Ela apagou a memória dos pais antes de ir para a guerra, mas não os encontrou depois que ela terminou. Procurar por eles seria caro e contratar alguém para fazer isso também seria, então você apareceu demonstrando gostar dela e ela viu no seu dinheiro uma oportunidade de achar os pais.


Draco fechou os olhos e se virou de costas seguindo para a janela mais próxima e abrindo-a.


- Continue.


- Rony estava com ciúmes e vinha sempre tentando fazê-la desistir do plano, e naquele dia no salão comum de vocês eles discutiram e você acabou ouvindo, brigou com ela e se separaram. A Hermione já sabia que estava grávida e pretendia te contar, mas com os últimos acontecimentos ela preferiu esperar sua raiva passar.


O loiro lembrava perfeitamente do dia em que chegara mais cedo do treino de quadribol para fazer uma surpresa para Hermione e que quando estava saindo do banho ouviu as vozes no salão comunal, se aproximou da porta sem abri-la e ouviu o que os dois conversavam. Achava que aquele havia sido o pior dia de sua vida, até esta noite. Pansy e Blaise vendo a imobilidade do amigo sinalizaram para que Gina continuasse antes que ele se irritasse com as lembranças e não quisesse mais escutá-la.


- Ela tentou te contar e você a humilhou, então ela passou a esconder a gravidez, a barriga dela era pequena e poderia passar despercebida por um tempo. Depois de uma conversa com o Davies ela decidiu não esconder mais, então veio a febre mágica onde ela cortou todo o corpo para tirar o sangue sujo de si para que você a quisesse de volta, depois o sangramento pelo emocional abalado dela e ela se aquietou mais, se não contar com o incidente com o garoto da lufa-lufa...


- Nunca vou esquecer aquele dia. – Blaise riu.


- Eu escutei uma conversa dos dois entre esses acontecimentos aí. – Pansy pontuou.


- Depois veio o baile de formatura, e estamos aqui. – Gina completou. – Mas ela realmente se apaixonou por você Malfoy e estava a um passo de desistir de tudo quando você descobriu.


- E onde entra a parte em que ela decidiu que não ficaria com o meu filho? – perguntou ignorando a última frase.


Gina ergueu as sobrancelhas. “Agora é seu filho?!” pensou a ruiva.


- Quando ela se cortou magicamente e ficou mais debilitada, ela decidiu que daria o bebê para adoção, por não conseguir sustentá-los. Ela sabia que sem dinheiro não poderia começar o curso de curandeira, tentar encontrar os pais e sustentar a ela e ao bebê ao mesmo tempo, e achava que levaria muito tempo até encontrar algum emprego qualquer e não queria que o filho passasse necessidades e também não queria que nós a ajudássemos...


- Mas ela recebeu metade da minha herança.


- Não recebeu. Ela recusou a parte que ela ganharia, disse que não queria usar o dinheiro e lembrar de todo o sofrimento que passou e que estava passando na época por causa dele, por isso o divórcio demorou mais para sair.


- Não é como se o Draco estivesse esperando ansiosamente pelos pergaminhos. – Blaise disse e recebeu uma cotovelada da namorada.


- Ela está louca se acha que irá dar meu filho pra qualquer um.


Draco abriu a porta com violência e saiu batendo a mesma.


- Como as coisas mudam rápido. Há uma hora era o mestiço filho do amante agora é meu filho. – Gina debochou.


- A coisa vai ficar feia se ele chegar à enfermaria.


- Eu não vou tentar impedi-lo Pan. A Granger pediu agora ela que arque com as conseqüências.


- Será que vocês podem me tirar daqui?


-Temos que ir atrás dele Blás.


Pansy desfez os feitiços realizados por Draco e saiu puxando o namorado em direção à enfermaria deixando uma ruiva furiosa na sala vazia.


 


 


 


 


 


N/A: Vou ser linchada rsrs. Sorry a demora gente, é que eu tive que escrever uma fic de presente pra uma amiga super fofa e acabou que não tive tempo pra postar, mas olha o capítulo aí, é o que importa neh, eu postei o que deveria ser dois capítulos, mas como deixei vocês sem nada por um mês eu resolvi postar tudo junto. Sim Byanca você é um bom exemplo, continue assim rsrs e aí está o posto, atrasado, mas chegou rsrs. E Ruby o Draco sabe contar sim tadin rsrs, é que Hermione o deixa pensar que ela está com menos meses do que realmente tem, lá pela parte 3 ou 4 mostra isso, aí ele pensa que ela engravidou depois que eles se separaram, e que bom que se divertiu com as confusões lá rsrs. Obrigada  pelos coments meninas, isso é muito incentivados, continuem assim rsrs. Bêjuxs =* e até a próxima, prometo que dessa vez não vou demorar assim rsrs.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 3

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Larii Malfoy em 04/05/2012

Kiki sua má,como você para justo ai???!

Tô adorando a fic,viu?! Tudo que você faz é tão encantador de se ler,que eu até perdi o sono que estava sentindo kkk

Atualiza logo,pleaaase *-*

beijos ;*

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Byanca em 27/04/2012

ai ja to até vendo o Draco vai brigar com a Hermione :/ , mas o lado positivo é que talvez eles se acertem . Tá perfeita continue postandoo please *--*

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Minerva Lestrange em 22/04/2012

Coitado do Draco, mano, foi muita revelação para um dia só *-*. Ai, estou ansiosa, o que ele vai fazer??! Brigar com a Hermione? fazer as pazes com ela (o que eu acho não ser assim tão fácil)? Ai, tenta não demorar, ficou muito bom o capítulo, quase chorei quando Draco deixou a Hermione na enfermaria, sério! Parabens, Bjo!  

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.