FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

9. O beijo escondido


Fic: Gente grande II


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

N/A: ESSE CAPITULO FICOU UM POUCO GRANDE, (OU MUITO GRANDE), MAS É PRA DESCONTAR OS DIAS EM QUE NÃO POSTEI, E ACHEI MELHOR NÃO COLOCAR EM DOIS CAPITULOS, POIS NÃO TERIA ASSUNTO SUFICIENTE PARA DIVIDR EM DOIS. HIHI


 


                 No sábado a tarde todos marcaram de se encontrar no shopping para irem ao cinema. Eles marcavam de sair pelo menos três vezes ao mês, para divertirem. Harry, Gina, Tiago, Alvo, Lilian, Luna, Neville, Milly, Zeck, Sirius, Rony, Hermione, Rose, Hugo, Nina, Emily … enfim, toda a cambada. Só Fred e Jorge que não se encontravam com tanta freqüência com o pessoal pois moravam um pouco longe. Milly e Zeck não estudavam na mesma escola que os outros, estudavam em uma escola particular e quase nunca tinham tempo de sair ou se divertirem. A única vez em que se encontravam com os “primos” era em alguns almoços na casa de Molly e Arthur e nos encontros que tinham aos sábados.


                 Milly já tinha 16 anos. Como fazia muito tempo em que não se viam, Tiago ficou encantado com sua beleza. Ela tinha cabelos longos, loiros, parecia uma boneca de porcelana. A suavidade e a delicadeza em tudo o que fazia lembrava muito sua mãe.


- Oi Milly. – Tiago sorriu para ela.


- Oi Tiago. – Milly sorriu de volta.


- Quanto tempo hein. – Ele puxava assunto.


- Pois é, tenho estudado bastante.


- Rãm rãm. Oi Tiago. Bom te ver também. – Neville falou intrometendo na conversa dos dois.


- Ah, me desculpe Neville. – Ele sorriu sem graça. – Oi Luna.


- Ok, não precisa cumprimentar todo mundo se não nunca vamos consegui entrar no cinema. – Sirius falou passando entre todo mundo.


- Que filme vamos assistir ? – Rony perguntou olhando para os filmes em cartaz.


- Ah eu quero ver um de comédia. – Sirius falou.


- Eu quero ver um de romance. – Milly sugeriu com uma voz suave e sempre sorrindo, como Luna.


- Eu também. – Tiago concordou e sorriu para Milly.


- Eu quero ver um de ação. – Hugo falou e Alvo e Zeck concordaram com ele.


- Eu quero ver um de terror. – Rose sugeriu e Lilian concordou.


- Não, de terror nem a pau. – Rony falou e Sirius,Harry e Neville concordaram.


- Deixem de ser medrosos. –Hermione falou olhando para os três.


             Depois de quase meia hora escolhendo o filme, o romance ganhou. Tiago convenceu a todos de assistirem o filme mais romântico que tinha em cartaz. Os homens não gostaram muito, mas as mulheres concordaram e gostaram da idéia. Luna e Neville foram ver um filme infantil acompanhando Emily, Nina e Zeck.


           Durante o filme Rony estava impaciente e não agüentava mais ver o filme. Ele puxava Hermione para um beijo e os dois mais beijaram do que assistiram filme. Harry fez o mesmo com Gina, também não via a hora do filme acabar logo. Sírius dormiu enquanto Alvo e Hugo passavam batom nele. Rose ria enquanto Lilian brigava com eles por terem pego seu batom. Milly prestava atenção no filme mas Tiago só prestava atenção nela. Ela reclamou que estava frio e ele a abraçou para esquentá-la. Ela sorriu agradecida e os dois assistiram ao filme agarradinhos.


               No final do filme os homens deram graças a Deus que tinha acabado. Só Tiago lamentava que teria que soltar Milly do abraço. Mas ele não saía de perto dela. Sírius notou que Alvo, Hugo e Zeck e as meninas davam risadinhas dele, mas só quando passou em frente a um espelho que ele percebeu que tinha batom na sua boca.


- EU PEGO VOCÊ SEUS PESTES ! – Ele saiu correndo atrás dos dois enquanto eles davam a volta pelo shopping correndo de Sirius.


- Parem de correr ! – Gina segurou Alvo e ele se escondeu atrás da mãe, rindo.


- O que aconteceu ? – Hermione perguntou quando Hugo também se escondeu atrás dela.


- Olha o que eles fizeram ! – Sirius apontou para a boca com um batom vermelho mal passado.


                Ao invés de brigarem com os meninos todos deram risada. Sírius por fim também riu da situação e Luna lhe deu um lenço para limpar o batom. Depois que todos pararam de rir eles foram para a praça de alimentação comer pizza e comentavam sobre o filme.


- Foi um lixo. – Rony falou abraçando Hermione.


- Você nem viu o filme Ronald. – Hermione virou os olhos.


- Nem você. – Ele retrucou.


- As vezes é porque você não deixou né... – Eles se viraram prontos para começarem uma discussão.


- Ei. – Harry interrompeu. – Hoje não galera. Vamos aproveitar. – Harry sorriu e piscou para Hermione.


- É. Concordo. – Ela sorriu para Rony e se virou.


- Mas quem gostou mesmo foi o Tiago e a Milly. – Sirius sorriu olhando para os dois que conversavam animados como se estivessem sozinhos.


- Isso vai dar namoro. – Luna sorriu e Neville balançou a cabeça. Neville não era igual Harry e Rony, ele não era ciumento com Milly. Mesmo que ela nunca tenha tido namorado, pretendentes era o que não faltava. E ele adorava a idéia de Tiago e ela namorarem, ficaria tudo entre família.


- E aí Rose. Que dia você e o Pedro vão sair ? – Lilian cochichou para Rose para que só as duas ouvissem.


- Não sei ainda... – Rose olhou para seu pai para ver se ele estava ouvindo. – Vamos combinar amanhã na casa da vovó. Ele vai pra lá. – Rose sorriu com os olhos brilhando e Lilian riu.


- Você só tem que arrumar um jeito do tio Rony não saber, se não... – As duas olharam ao mesmo tempo para ele que percebeu os olhares.


- Que foi ? Eu to sujo ? – Ele perguntou passando a mão no rosto.


- Não pai. É que eu pensei que você tinha me chamado. – Rose mentiu e Lílian concordou. Rony deu de ombros e continuou a conversa com os outros.


- Amanhã eu te ajudo qualquer coisa... pra vocês darem uma fugidinha. – Lílian deu leves batidas no ombro de Rose e as duas riram.


- Então amanha tá combinado. Fred e Jorge vão para lá e nós fazemos uma peladinha. – Harry falou e os homens concordaram.


- Vamos precisar ter mais filhos Harry, pra podermos montar um time de futebol. – Rony falou e eles começaram a rir.


- Ah tá, só se vocês aprenderem um jeito de homem engravidar, porque eu não vou ter mais filhos não. – Gina falou séria fazendo Luna e Hermione rirem.


- E quem disse que tem que ser com vocês ? – Rony falou sério e elas pararam de rir, cada uma olhando para seu marido. Harry e Neville seguraram o riso enquanto Hermione deu um tapa em Rony e levantou com raiva. Gina começou uma discussão com Harry e Luna apenas virou de costas para Neville.


- Vish! – Sírius falou abaixando a cabeça sabendo que ia dar briga.


- Hermione espera ! – Rony andou atrás dela tentando alcançá-la e pegou seu braço.


- Rony me solta por favor. – Hermione pediu em voz baixa para não chamar atenção.


- Ei eu tava só brincando. – Ele se aproximou dela e a abraçou pela cintura. – Foi brincadeira.


- Eu não gosto desse tipo de brincadeira. – Ela disse abaixando a cabeça.


- Desculpa. Não pensei que você ia ficar chateada. – Ele acariciou seu rosto.


- Você sabe muito bem porque não gosto disso.


- Por que ?


- Pretendentes é o que não faltam pra você Ronald... a hora que você quiser arrumar outra mulher você arruma, e nós dois sabemos que não é difícil.


- E quem disse que eu quero ou vou querer arrumar outra mulher Hermione ? – Ele disse sorrindo pra ela. – Eu já tenho a mulher mais linda do mundo ao meu lado, que me deu filhos tão lindos quanto ela, o que mais eu vou querer nessa vida ? – Ele puxou seu rosto para que ela olhasse pra ele.


- Tudo bem... eu fui muito boba de ter saído daquele jeito. – Ela sorriu para ele.


- Tudo bem, eu devia ter pensado antes de falar. – Ele a beijou e depois a abraçou. – É melhor voltarmos para lá, antes que Gina mate o Harry. – Os dois riram.


               Voltaram para a mesa e Gina e Harry já haviam se entendido. Ele sorriu para o amigo como se dissesse que tudo estava bem. Eles voltaram a conversar animados até a pizza chegar.


 


            Depois de comerem a pizza eles ainda conversaram mais um pouco, até se despedirem para irem pra casa. Combinaram que no dia seguinte todos iam almoçar na casa de Molly e Arthur como faziam todos os domingos. Rose estava ansiosa, seria a primeira vez que iria estar perto de Pedro realmente, fora da escola. Ela foi dormir imaginando como seria os dois ficando tão juntos. Nessa noite ela sonhou com um beijo, mas não um beijo qualquer como o que ela e Bryan deram, mas um beijo apaixonado e doce.


                  O domingo amanheceu nublado. Não chovia mas estava prestes a cair uma tempestade. Mas  isso não desanimava os Weasleys para o almoço na casa de Molly e Arthur. Rony apressou Rose que se arrumava mais do que de costume.


- Pronto pai, estou pronta. – Rose chegou na sala carregando sua bolsa impaciente.


              Rose vestia um short não muito curto e nem muito longo, uma camiseta de alçinha rosa bem delicada e tênis. Os cabelos longos e com cachos tampavam o decote da camiseta, que não era muito grande. Ela usava os brincos novos que ela e Hermione compraram no shopping e usava uma leve maquiagem.


- Você vai assim ? – Rony perguntou olhando para a filha de cima a baixo.


- Por que ?


- Porque não tá com sol pra você usar roupa assim. Você pode ficar doente. – Ele disse calmo mas por dentro morrendo de vontade de pegar uma blusa que tampasse Rose do pescoço até o pé.


- Tudo bem pai, eu coloco um moletom de frio, pode ser ? – Ela disse paciente indo ao quarto e pegando seu moletom branco para evitar uma discussão. Colocou ele mas continuou charmosa. Voltou para a sala sorrindo satisfeita. – Tá bom assim ?


- Ér... tá né. – Rony desistiu. Sua filha era linda de qualquer jeito.


- Então vamos logo mamãe. – Emily puxou a mão de Hermione.


- Vamos. Cadê o Hugo ? – Hermione perguntou sendo puxada pela filha.


- Ele e o ... Pedro já estão no carro. – Rony falou com certo desgosto em sua voz. O coração de Rose acelerou ao ouvir esse nome.


- Ok, então vamos.


            Rony trancou a porta e eles foram até o carro. Quando as gêmeas nasceram Rony comprou um carro grande que cabia sua família inteira e mais um acompanhante. (*N/A: Não sei se existe um carro assim, mas vamos fingir que existe . u_U KK ). Todos se acomodaram no carro e Rose ficou ao lado de Hugo. Rony olhava os dois pelo retrovisor a cada dez segundos enquanto dirigia. Mas eles não demonstravam nada, para o alivio de Rony. Rose conversava com as irmãs enquanto Pedro conversava com Hugo.


             Chegaram na casa de Molly e todos se espalharam. Hermione foi para a cozinha ajudar as mulheres no almoço, Rony foi se juntar aos homens para falarem sobre o jogo que teriam mais tarde depois do almoço, as crianças foram brincar e os jovens ficaram conversando no jardim.


- Bem que a gente poderia gravar outra música né ?! – Lílian sugeriu e os outros riram.


- Tá doida Lili ?! Eu passei a maior vergonha com aquele video, não vou fazer outro não. – Rose falou e Pedro sorriu.


- Pois eu concordo! Acho que ficou muito bacana. – Hugo falou sorrindo.


- É mas a gente precisaria de uma bateria né. – Alvo olhou para todos.


- Eu posso emprestar a minha. – Pedro sorriu.


- Sério ?! – Rose sorriu para ele e Hugo deu uma tosse como se chamasse sua atenção.


 


 


 


- Então, Tiago e Alvo serão do meu time, junto com Jorge, Neville e Sírius. Hugo será do time do Rony junto com Fred, Arthur, Zeck e Pedro.- Harry falou e todos concordaram menos Rony.


- Por que o Pedro tem que ser do meu time ? – Rony perguntou mal humorado . – Você sabe que ...


- Sim Rony eu sei. – Harry o interrompeu .  – Sei que você não gosta dele mas já tá na hora de você crescer. Alvo me disse que ele joga futebol muito bem, e você tem que parar de culpar o garoto pelos erros da mãe dele. Ele é diferente, e qualquer um pode notar isso. Por que você não ?


       Rony não respondeu. Sabia que Harry estava certo. Ele olhou para onde os meninos conversavam, não muito longe, e percebeu que em nenhum momento Pedro olhava malicioso para Rose. Talvez ele realmente não fosse como a mãe dele.


 


        Na hora do almoço não coube todo mundo na mesa, então os jovens foram almoçar na sala. Rony disfarçava para olhar Rose e Hermione reparou os olhares. Também reparou o sorriso que Rose e Pedro trocavam, como ela fazia com Rony quando eram jovens.


          Depois do almoço os homens foram jogar o tão esperado futebol. Rony tentou ser gentil com Pedro ao máximo, mas por fim acabou percebendo que ele não era como ele imaginava. Com o tempo Pedro foi mostrando ser um grande jogador e quando perceberam Rony estava tratando-o como se fosse seu filho. Hermione aproveitou o jogo e puxou Rose para um canto para conversarem.


- Então filha... o que tem pra me dizer ? – Hermione levantou as sobrancelhas sorrindo para a filha.


- Como assim mãe ? – Rose perguntou sem tirar os olhos de Pedro, ops, do jogo.


- Eu percebi os olhares que você e o Pedro trocam de vez em quando, é muito intenso.


- Ma... mas do que tá falando mãe ? – Rose olhou chocada para a mãe.


- Desde quando você gosta dele ? – Hermione sorriu.


     Rose tentou argumentar mas nenhuma palavra foi dita. Ela ficou alguns segundo calada olhando para Hermione até que finalmente decidiu ser sincera.


- Não sei. Desde o dia que teve aquele problema com o Victor. Ele ficou preocupado comigo, e foi lá em casa para saber se eu estava bem. Ele é diferente mãe, ele se importa comigo, e me trata muito bem. – Rose olhou para Pedro com os olhos brilhando, e ao mesmo tempo ele olhou para ela sorrindo.


-  Isso é muito bom Rose ! – Hermione a abraçou. – Finalmente você gosta de alguém que te de valor. Eu acho Pedro um ótimo garoto, e dou todo o apoio que precisar.


- Ér.. pois é mãe. – Rose deitou em seu ombro. – É que ... sabe, as vezes parece que ele quer... hum... me beijar. – Rose ficou vermelha e Hermione riu. – Mas o papai fica na nossa cola o tempo todo. Pelo menos agora ele tá gostando dele. Mas mesmo assim...


- Olha, eu vou te ajudar. Mas teremos que ser cautelosas. – Hermione contou o seu plano para Rose e ela riu do inicio ao fim. Era estranho ouvir sua mãe planejando esse tipo de coisa com ela, parecia uma adolescente. Gina chegou na hora em que elas conversavam e acabou ajudando também.


         O jogo terminou e o time de Rony ganhou. Eles comemoraram e Rony abraçou todos, inclusive Pedro. Harry gostou de ver o amigo fazendo a coisa certa, e depois todos eles jogaram Rony no chão e caíram em cima dele. Hermione foi até Rony para comemorar com ele e Rose foi até os primos e é claro, Pedro, para comemorar também. O resto das mulheres foram abraçar os maridos.


- Que tal se comemorássemos de outro jeito ? – Hermione cochichou no ouvido de Rony e saiu puxando sua mão. Rose olhou e fez o mesmo com Pedro, e eles entraram em casa, aproveitando que todos estavam lá fora. Qualquer um percebeu o que ia acontecer, e eles riam baixo. Molly e Arthur se entreolharam e ela apenas murmurou sorrindo um: “Eles nunca vão mudar”


 


 - Então... como vamos comemorar que o seu marido lindo e maravilhoso ganhou o jogo ? – Ele sorriu malicioso para ela puxando-a para mais perto.


- Convencido. – Hermione riu e o enlaçou pelo pescoço. – Lembre-se que não era só você lá no jogo. Mas vamos comemorar por eu ter um marido charmoso. – ela beijou seu pescoço fazendo ele arrepiar. – Encantador. – ela deu outro beijo. – e sexy. – ela sorriu e beijou seus lábios. Rony não agüentando mais de desejo pegou Hermione no colo e intensificou o beijo.


- Peraí. – Ele disse ofegante. – Desde quando éramos adolescentes eu quis fazer isso aqui, mas você nunca deixou por causa dos meus pais. Por que isso agora ?


- Eu tenho que ter um motivo para querer seduzir meu marido ? – Hermione sorriu mordendo os lábios e Rony desistiu das perguntas. Puxou ela para um canto mais “reservado” mais próximo da cachoeira, e a partir daquele momento ele não se importava mais se Hermione estava tramando alguma coisa.


---------------------


- Rose, por que me trouxe aqui ? – Pedro perguntou divertido olhando ao redor. Estavam na varanda no segundo andar da casa. Molly nunca gostou de casa muito fechada, então por todos os cantos tinha uma pequena varanda com vista para o jardim e um banco para relaxar. Rose sentou e sorriu para Pedro, fazendo sinal para que ele se sentasse com ela e ele se sentou.


- Bom, vou ser direta. – Ela sorriu. – Eu gosto de você Pedro, muito. Você me passa uma tranqüilidade que nenhum outro consegue passar. Você faz com que eu me sinta protegida todo o tempo, e faz com que eu me sinta especial com apenas um olhar. – Ela sorriu esperando uma resposta. Por um momento ela sentiu que não ia ser correspondida mas Pedro lhe deu um de seus melhores sorrisos.


- Eu também gosto muito de você Rose. E já tem um bom tempo. Nunca tive coragem pra dizer ou pra aproximar de você, pra evitar uma briga, tanto minha com seu pai quanto de vocês dois. Hugo sempre me contava que vocês viviam brigando por causa de garotos. E eu não queria fazer vocês dois brigarem, que eu tenho certeza que seria bem pior pelo fato de seu pai não gostar de mim. – Ele abaixou a cabeça.


- Mas agora ele gosta, e é isso que importa. Podemos ficar juntos Pedro. – Rose levantou seu rosto carinhosamente. – Minha mãe ajudou a gente agora,e  vai continuar ajudando.


- Ah então por isso ela saiu puxando seu pai ? – Ele riu divertido e Rose riu também.


- Sim. – Ela se aproximou.


- Aonde aprendeu a ser tão sedutora ? – Ele sorriu pegando carinhosamente em sua nuca.


- Não sei... você gosta ? – ela se aproximou mais.


- Muito. – Ele a puxou e lhe deu um beijo.


           Rose não sentiu a mesma sensação de seu primeiro beijo. Seu primeiro beijo foi algo novo, estranho, que não tinha vontade de repetir. Esse não. Esse beijo era doce, e a cada movimento que faziam ela queria mais. Eles se abraçaram mas não pararam de beijar, de vez em quando davam uns selinhos para pegarem mais fôlego, mas depois se beijavam de novo. Era como no sonho de Rose, e estava se tornando real.


----------------


- Nossa Mione, isso foi realmente... demais! – Rony abraçou Hermione e beijou seu rosto.


- Foi mesmo. – Hermione respondeu cansada e toda descabelada. Os dois estavam deitados na grama em frente a cachoeira, dentro de uma pequena “caverna”. – Eu não sabia da existência desse lugar. – ela disse olhando em volta.


- É... Gina descobriu quando éramos crianças, a gente sempre se escondia da mamãe aqui quando ela chamava a gente pra tomar banho. – Ele falou sério e Hermione riu. – Mas depois isso daqui serviu para outra coisa, se é que me entende. – Ele sorriu pra ela.


- Como assim ? Não é a primeira vez que você vem aqui pra... isso ? – Ela perguntou se sentando.


- Bom... na verdade.. mais ou menos. É a primeira vez que eu faço tudo sabe, chego até o final... mas, ah Hermione não quero falar sobre isso com você. – Ele disse se sentando também.


- Mas eu quero saber agora... – ela disse calma. – Você veio aqui com outra... mulher ?


- Bom, não era exatamente uma mulher. Ah Hermione a gente era adolescente, e você sabe como éramos na adolescência.


- Foi... a Lilá ? – Ela perguntou engolindo seco e ele fez que sim com a cabeça, triste.


- Mas não pense que fizemos nada. Bom... você sabe que fizemos, mas não aqui. Poxa Hermione já brigamos tantas vezes por causa disso, não quero brigar de novo.


- Não estamos brigando, só conversando.


- Bom, a gente vinha aqui de vez em quando para ficarmos um pouco... a sós entende ? Mas não fizemos nada aqui porque, er... sempre alguém atrapalhava. Você sabe... um dia acabou rolando, mas não aqui.


- É eu sei, já conversamos sobre isso. – Ela respondeu triste e se levantou arrumando seu vestido e seu cabelo.


- Hermione, você não tá com raiva né? Eu disse que não queria falar. – Ele se levantou também.


- Não to com raiva Rony... mas é que nós mulheres temos esse problema com esse tipo de conversa. Só... quero ficar sozinha um pouco. – Hermione respondeu saindo em direção a cachoeira.


       Ele sabia que ela não estava com raiva dele, e sim chateada pela primeira vez dele não ter sido com ela, e sim com Lilá. Eles já tinham tido essa conversa a muito tempo atrás, logo quando começaram a namorar, e eles sempre brigavam por isso. Mas Hermione estava amadurecida, não brigaria por isso. Mas ele resolveu deixá-la sozinha. Hermione estava tão triste que não se lembrou do que tinha combinado com Rose.


 


      Rony andou devagar pelo jardim, pensando no que tinha acabado de acontecer. Hermione era tão perfeita, e ela sem dúvida, era muito melhor do que Lilá. Ele se arrependia, desde que transou com Hermione pela primeira vez, de não ter perdido sua virgindade com ela. Com Lilá foi tão sem graça, e com Hermione foi tão intenso, e ainda era. Ele daria tudo pra voltar no tempo e ambos terem sua primeira vez ali, naquela pequena “caverna” em frente a cachoeira.


 


    Gina lia uma revista sentada no jardim, estava tão entretida com as notícias das celebridades que não viu Rony se aproximar. Só percebeu que ele estava ali quando ele deu um leve tapinha em sua cabeça, como sempre fazia. Ela se assustou e deu um pulo do banco. Ela olhou para ele e viu que ele estava parado no meio do jardim, olhando para o nada, de costas para a varanda onde Rose estava com Pedro. Gina correu para dentro de casa e subiu as escadas correndo. Chegou na porta da varanda e se sentiu a pior pessoa do mundo em ter que atrapalhar aquele beijo adolescente.


- Rose. – Ela cochichou e eles nem se mexeram. – Pedro ! – Ela continuou cochichando mas ambos não ouviram. – Rose ! – Ela disse um pouco mais alto e eles não ouviram. – ROSE ! – Ela berrou perdendo a paciência e os dois se separaram no mesmo momento. Rose olhou assustada para a tia e viu seu rosto paralisado olhando para baixo, quando Rose olhou na mesma direção que Gina, lá estava Rony, mais vermelho do que uma pimenta, com os punhos fechados parecendo que ia explodir. Gina colocou as mãos na boca e Rose e Pedro ficaram paralisados. Não tinha como negar que estavam se beijando, e Rony viu. Estava morta, mortinha. Poderia escrever na sua lápide: “Rosalie Jane Weasley, filha amada mas desobedeceu o pai Ronald Weasley.” Ela e Gina só tiveram tempo para correr até o jardim, antes que Rony chegasse até Pedro. O resto da família viu a correria e também saíram para ver o que estava acontecendo.


- Pai por favor! – Rose corria em sua direção enquanto Rony dava passos longos e fortes em direção a eles. Ele não dizia nada, mas no seu rosto tinha uma mistura de raiva, angustia, ciúmes e o pior, decepção. Pedro desceu logo atrás das duas e Harry os seguiu. Hermione caminhava lentamente até a casa quando viu a correria toda, ela andou mais rápido já sabendo o que poderia ter acontecido.


- Rose sai da frente. – Rony falava com raiva enquanto olhava furioso para Pedro.


- Rony calma! – Gina segurava o irmão pelo braço. – Ele é só um garoto.


- ELE NÃO PENSOU QUE ERA SÓ UM GAROTO QUANDO ENFIOU A LINGUA NA GARGANTA DA MINHA FILHA ! – Ele gritou tentando se soltar.


- Sr Weasley, por favor me deixe explicar. – Pedro tentou argumentar mas foi interrompido pelo grito forte e grosso de Rony.


- É MELHOR VOCE NÃO FALAR NADA SE NÃO PIORA!


- Rony vai com calma. – Harry ficou do lado de Rony. – Vamos resolver isso na conversa.


- NÃO TEM CONVERSA HARRY! ELES DEVIAM TER CONVERSANDO ANTES DE SE AGARRAREM! – Ele olhou furioso para Rose. – E VOCÊ ! TÁ MUITO ENCRENCADA. – Rose abaixou a cabeça sem dizer nada.


- Ei mano calma aí. Eles só são crianças... – Fred se aproximou para ajudar na situação. Molly colocou as mãos no ombro de Pedro como se dissesse para ele não se preocupar. Arthur abraçou as gêmeas que estavam assustadas.


- Rony, calma. – Hermione segurou seu outro braço.


- Isso não é desculpa pelo que fizeram. – Ele abaixou o tom de voz mas ainda falando com rancor e raiva.


- Vamos resolver isso em particular Rony, por favor... – Hermione suplicou.


- Particular Hermione? Eles ficam com essa cena ridícula em publico e eu tenho que conversar em particular ? São uns irresponsáveis isso sim. Duas crianças que não sabem nem o que fazem...


- DA PRA PARAR DE ME CHAMAR DE CRIANÇA ? – Rose se manifestou gritando com raiva. – NÓS NÃO SOMOS CRIANÇAS PAI! QUANDO VOCE VAI ENTENDER ISSO ?


- NÃO GRITE COMIGO, QUEM AINDA POE AS ORDENS AQUI SOU EU ! – Ele gritou de volta.


- ME DESCULPA PAI, MAS DESSA VEZ NÃO VOU ABAIXAR A CABEÇA PRA VOCE. TO CANSADA DESSE SEU CIUME DOENTIO E SUPER PROTETOR, VOCE TEM QUE SER ASSIM COM A MAMÃE, E NÃO COMIGO. – Ela tomou fôlego. – Eu sei que o que eu fiz é errado, estou arrependida por ter feito isso escondido de você, mas não to arrependida por ter feito. Você ainda manda em mim, isso é claro, mas não pode mandar nos meus sentimentos.


- Que sentimentos ? – Ele riu debochado. – Você é uma criança Rosalie. – Rose sentiu um aperto no coração. Ninguém nunca a chamava por seu nome todo, na verdade o único que a chamou assim em toda a sua vida foi Rony, quando ela tinha 7 anos e falou que queria fugir de casa porque ninguém a amava, isso quando ela tinha ciúmes dos irmãos mais novos.


- Você me decepcionou. – Ele disse frio para ela com lágrimas nos olhos, mas o orgulho forte o bastante para deixá-las cair. Pior do que ouvir os gritos de Rony era o ver decepcionado. Todos ficaram calados olhando para ele, sem reação.


- Desculpe. – Rose abaixou a cabeça e saiu andando para o outro lado do jardim.


         O coração de Rony doía, muito, mas ele não poderia ser fraco nessa hora. Ele teria que demonstrar para Rose o quanto estava desapontado com ela. Ele saiu com raiva, na direção oposta de Rose, Hermione olhou para Pedro pedindo desculpas e ele sorriu triste para ela.


         Harry levou Pedro de volta pra casa. Rony não levaria ele nem sob tortura em uma hora dessas, e pra evitar mais confusões Harry tomou essa iniciativa. Gina procurou Rose, mas não a encontrou. Alvo e Lílian também procuraram e não acharam. O que mais tinha por ali era lugar para se esconderem, e deixaram que ela ficasse um pouco sozinha, mais tarde ela voltaria.


- Rony, você não pode ficar assim com ela. – Hermione sentou ao seu lado.


- Não dá Hermione. Não da pra fingir que nada aconteceu. Minha filha fez isso pelas minhas costas, e justo com quem...


- Ah Rony, para com isso. Você tava começando a gostar dele...


- Tava. Não gosto mais. Ele é igualzinho a mãe mesmo...


- Não diz isso Rony, você sabe que não é verdade.


- É e porque ele beijaria minha filhinha então ? Com certeza não era só pra saber o gosto da bala que ela tava na boca.


- Só acho que não precisava ter gritado com ela daquele jeito. – Hermione segurou sua mão.


          Ela sempre sabia falar as palavras certas. Sem mais o que falar Rony a abraçou. Precisava de um conforto nesse momento, e só Hermione poderia lhe passar esse conforto. Ele beijou seu rosto e os dois continuaram ali, em silencio, abraçados, ouvindo o barulho das águas caindo da cachoeira, e vendo um pôr-do-sol.


 


     Rose andava sem rumo pela estrada da casa dos avos. Nunca tinha explorado aquele lugar que ela adorava, se sentia livre, e nesse momento era o que ela mais queria. A casa de Molly e Arthur era como uma fazenda, tinha uma estrada comprida desde os portões grandes até a enorme casa. Ela não soube dizer por que, mas sentiu uma vontade de sair de lá. A casa não era isolada, havia algumas casas ao redor, mas não era uma rua muito movimentada. Ela abriu os portões e saiu um pouco, olhando a rua. Sentiu alguém se aproximar e não teve tempo para mais nada. Alguém tampou sua boca e a puxou para dentro de um carro.


 


 


- Rony, Hermione. Não estou encontrando Rose. – Gina falou aflita encontrando com os dois que vinham em direção à casa. Rony olhou para Hermione, e os dois sentiram alguma coisa ruim. Havia acontecido alguma coisa com ela.


 


N/A: OK, MIIIIIL DESCULPAS PELO ATRASO. PROMETO RECOMPENSAR VOCES ! E não pensem que a fic vai virar drama ou aventura. Claro que tem um pouco misturado com os dois, mas vocês vão se surpreenderem com os próximos capítulos. HEHEHE, beijinhos.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.