FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

7. Primeiro beijo?


Fic: Gente grande II


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

- Mãe, eu e o Hugo vamos até a casa da tia Gina, voltamos pro jantar ok?! – Rose deu um beijo no rosto da mãe.


- Ok, mas não se atrasem. Aproveita que seu pai tá bonzinho hoje e não façam ele ficar nervoso não. – Hermione riu e Rose concordou e saiu com Hugo.


- Aonde eles foram? – Rony chegou na sala e beijou Hermione.


- Na casa da Gina.


- Tem certeza que é na casa da Gina mesmo né?! – Rony perguntou olhando os dois pela janela.


- Rony relaxa. Aproveita que as meninas estão lá dentro e fica um pouquinho aqui comigo. – Hermione sorriu maliciosa e apontou o sofá pra ele.


- Com prazer. – Ele sorriu e sentou ao lado dela puxando ela para o seu colo.


- Rony! As meninas... – Ela olhou em direção ao quarto delas.


- Calma Mione, elas estão desenhando. Não vão sair de lá tão cedo. – Ele a puxou para um beijo.


  Com o tempo Hermione se esqueceu que as meninas estavam no quarto, e os dois ficaram num fogo que só. Ele a puxou para mais perto de si, e quando Hermione se deu conta ele já estava entre suas pernas com ela sentada em cima dele.


- Rony... E se as meninas vierem. – Ela disse sem fôlego enquanto ele beijava seu pescoço.


- A gente fala que você caiu. – Ele disse enquanto beijava seu pescoço e passava a mão pelas suas costas.


- Elas não são tão bobas assim Rony...


- Hermione, vamos aproveitar a oportunidade. Quase não temos tempo pra isso... Por favor.


- Tá, mas não aqui. Vamos para o quarto. La as meninas não vão entrar sem bater. – Ela se levantou e puxou a mão de Rony piscando para ele.



         Eles foram até o quarto e quando chegaram Rony fechou a porta e jogou Hermione na cama. Ela riu e ele subiu em cima dela, e a coisa começou a esquentar.



 - Cara, não acredito que o tio Harry te deu uma guitarra. – Hugo falou olhando o instrumento.


- Pois é. Tiago me ensinou a tocar na dele quando eu era menor, aí eu aprendi e meu pai resolveu comprar uma pra mim. – Alvo sorriu enquanto pegava a guitarra e tocava algumas notas.


- Que tal se a gente gravar um vídeo cantando? – Lilian sugeriu.


- Mas a gente não sabe cantar Lilian. – Hugo falou rindo.


- E daí?! É só de brincadeira. Vamos fazer assim. – Ela se levantou e pegou duas caixas de sapato e colocou no chão. – Hugo, vamos fingir que você é o baterista. – Ela lhe entregou duas canetas. – Você bate nas caixas com essas canetas como se fossem bateria. – Hugo riu e pegou as duas canetas e começou a bater nas caixas fingindo ser um baterista. – Alvo, você toca a guitarra mesmo, óbvio. – Tiago riu e concordou. – Eu e Rose vamos ser vocalistas. – Ela sorriu para a prima.


- Lili você é doida, nós nem sabemos cantar. – Rose falou pegando um vidro de desodorante que Lilian lhe entregou. – Pra que isso? – Ela riu.


- Nosso microfone. – Ela pegou outro pra ela e preparou a câmera. – Qual musica vamos cantar? – Ela perguntou para os garotos.


- Vamos cantar sweet child o mine. – Alvo sugeriu e os outros concordaram.


- Ok, então... Rose você lembra a letra não é?!


- Claro. Cresci ouvindo essa musica graças ao meu pai. – Ela riu.


- Ótimo, então quando eu ligar a câmera você começa a tocar Alvo, Hugo você faz batidas na caixa como se fosse uma bateria de verdade. – Eles concordaram e ela ligou a câmera. – Pronto!


        Alvo começou a tocar a introdução da música e logo depois Hugo começou a bater nas caixas. Por incrível que pareça as batidas estavam parecidas com a música e então as meninas começaram a cantar. Primeiro foi Lilian, sua voz não era ruim, pelo contrário, era bonita e combinava com a música, mas era muito baixa. Então Rose a ajudou e começou a cantar. Os meninos ficaram olhando assustados para ela. Tinha a voz perfeita. Nunca tinham ouvido ela cantar, e se assustaram por ela cantar tão bem. Lilian percebeu que a voz de Rose era perfeita e resolveu fazer segunda voz. 


Lilian: She's got a smile that it seems to me
Reminds me of childhood memories
Where everything was as fresh
As the bright blue sky


Rose:  Now and then when I see her face
She takes me away to that special place
And if I stare too long
I'd probably break down and cry


Todos:  Ohh! Ohh! Sweet child o' mine
Ohh! Ohh! Sweet love of' mine


 


     Eles pararam de cantar e tocar e Lilian desligou a câmera. Eles começaram a rir e não pararam mais. Ficaram imaginando o estrago que o vídeo tinha ficado, mas quando Lilian colocou no computador eles ficaram de boca aberta. Apesar de Hugo não ter tocado uma bateria de verdade o som combinou com a música, e a voz de Rose e Lilian ajudaram bastante.


- Rose... Sua voz é incrível! – Alvo falava enquanto eles paravam de rir da situação.


- Não é nada, nossa que vergonha que eu fiquei. – Rose falou rindo. – Lilian não mostre esse vídeo pra ninguém. – Lilian riu e concordou.


- E onde você aprendeu a tocar daquele jeito Hugo? Parecia uma bateria mesmo. – Lilian riu.


- Ah, o Pedro tem uma bateria na casa dele, aí de vez em quando eu toco. – Ele riu.


- Bom, então depois temos que marcar outras vezes hein. – Lilian falou.


- Podemos ir ensaiando algumas agora... – Rose deu a idéia e eles concordaram.



          Ficaram a tarde inteira decidindo quais musicas iam cantar, e ficaram ensaiando como se fossem uma banda de verdade.



- Isso foi muito bom. – Rony caiu cansado na cama.


- Foi mesmo. – Hermione falou quase sem fôlego.


- Tanto tempo que não ficávamos assim. – Rony a abraçou e eles riram.


- Quase não temos tempo Rony... Você tá sempre trabalhando e quando não tá as crianças ficam aqui.


- É, mas precisamos separar um tempo só pra nós... Tenho certeza que as crianças não vão ligar se nós dois nos trancássemos aqui por umas duas horas. – Hermione riu.


- Rony, não temos mais só crianças em casa. Rose e Hugo já estão virando adolescentes, não podemos simplesmente sumir. Eles vão perceber o que estamos fazendo.


- Ah, mas uma hora eles terão que saber que isso acontece.


- Já sabem Rony. Tenho certeza que você já conversou sobre isso com Hugo e eu obviamente já conversei com Rose.


- Hermione, eu não quero que fique tendo essas conversas com Rose. – Rony levantou da cama.


- Mas Rony, ela já vai fazer 14 anos, e logo 15. Eu preciso conversar com ela sobre essas coisas. Minha mãe teve essa conversa comigo quando fiz 12 anos, e isso me ajudou muito.


- Ah Hermione, tenho certeza que se sua mãe não tivesse conversado com você, você teria feito tudo certo do mesmo jeito.


- Não teria não. Se você não se lembra eu não pensei direito quando perdi minha virgindade aos 15 anos. – Ela também se levantou da cama.


- Ah você não pensou direito?  Então quer dizer que eu te obriguei, foi isso? – Ele respondeu irritado.


- Eu não disse isso Rony, só disse que eu poderia ter esperado mais um pouco. Foi perfeito, não estou dizendo que foi ruim.


- Talvez se você tivesse feito com Victor teria sido melhor. – Ele respondeu sem pensar.


- Retire o que você disse agora. – Ela se irritou e colocou o dedo na cara dele.


- Não vou retirar nada, aposto que é verdade. – Ele continuou nervoso.


- Ronald, você é um idiota! – Ela se virou com raiva.


- Eu sou idiota? Você que acabou de dizer que nossa primeira vez não foi boa. – Ele respondeu irritado.


- EU NUNCA FALEI ISSO! SE VOCE LIMPASSE BEM OS SEUS OUVIDOS ENTENDERIA O QUE EU FALEI! – Ela gritou de volta.


- Vou sair pra tomar um ar. – Ele andou nervoso até a sala.


- AONDE VOCE VAI? – Ela gritou.


- Talvez em passe na casa de alguém, se é que você me entende. – Ele respondeu nervoso e saiu batendo a porta.


- Pai? Aonde você vai? – Rose perguntou vendo seu pai passar nervoso por eles.


- Diga pra sua mãe que não volto para o jantar. – Ele falou sem ao menos olhar para a cara deles. Rose e Hugo se olharam e entraram em casa. Hermione estava chorando no sofá com Nina e Emily a abraçando.


- Alguém pode me dizer o que aconteceu ? – Hugo foi até a mãe e a abraçou também.


- O papai gritou com a mamãe e saiu de casa. – Nina falou fazendo carinho na mãe.


- E por que ele fez isso? – Rose perguntou nervosa.


- Não sei... Só ouvimos os gritos e depois ele falou que talvez passasse na casa de alguém. Eu não entendi direito. – Emily falou como se sua mãe não estivesse ali.


- Mas eu entendi. – Rose se lembrou de quando tinha cinco anos e viu a cena mais inesquecível da sua vida. Ela foi nervosa até a porta a abriu ela.


- Aonde você vai? – Hermione perguntou limpando as lagrimas e olhando pra filha.


- Vou atrás do Ronald. – Ela respondeu com frieza. Hermione sabia aonde ela ia, e não ia dar certo. Antes que ela pudesse falar alguma coisa Rose saiu e fechou a porta.


- Aonde ela foi mãe? – Hugo perguntou ainda abraçando Hermione.


- Não sei... Só espero que não seja onde estou pensando. – Ela deitou a cabeça no ombro de Hugo.


 


     Rose andava pela rua com raiva. Sabia onde seu pai poderia ter ido, mas ela torcia para não encontrá-lo lá. Ela foi até uma casa verde bem grande e tocou o interfone. Seu estomago revirava.


- Posso ajudar? – Uma voz masculina no interfone fez Rose se assustar.


- Pedro, é Rose irmã de Hugo. Você sabe por acaso se sua mãe está em casa?


- Sim, ela tá aqui do meu lado, mas por quê? Aconteceu alguma coisa?


- Não... Nada. Por acaso você sabe se meu pai passou por aqui? – Ela sentiu o coração acelerar com medo da resposta.


- Não. Ninguém veio aqui em casa. Rose, tá tudo bem mesmo? – Sua voz parecia preocupada.


- Sim. – Ela respondeu aliviada. – Está tudo bem. Desculpe incomodar. Até amanha. – Ela saiu correndo em direção a sua casa.  Quando virou a rua viu que um homem alto conversava com sua mãe na porta de casa. Ela se escondeu atrás de uma árvore e ficou observando. Não dava pra ouvir o que conversavam, mas dava para notar que o homem alto estava um pouco bêbado. Ele tentava se aproximar de Hermione e ela o parava com a mão. Não parecia que eles eram estranhos, pelo contrario. Rose viu que o cara estava forçando muito e pegou os braços de Hermione tentando beijá-la. Ela o empurrava, mas não gritava. Rose não sabia o que fazer, não poderia simplesmente chegar lá e o enfrentar. Só tinha mais um lugar onde Rony poderia estar, e ela rezou para que o encontrasse lá, e saiu correndo.



 



- Para! Me solta! Você está bêbado não está pensando direito ! – Ela tentava se soltar, mas o rapaz era muito forte. Ela não falava tão alto para que seus filhos não escutassem. Não queria que as meninas vissem uma coisa assim.


- Eu estou pensando muito bem Hermione. – Ele tentava se aproximar de seu rosto, mas ela afastava. – É você que eu sempre quis, e é você que eu vou ter. Deixe esse seu marido idiota pra lá e fuja comigo.


- Deixa de ser idiota! Eu nunca faria isso. Eu amo o Ronald, e amo minha família. Agora me solta!


- Não vou te soltar enquanto você não falar que me quer também.


- Para com isso! O que aconteceu com você? Você não era assim, nunca demonstrou ser agressivo . Porque isso agora? Sei que não é efeito da bebida. – Ela ainda tentava se soltar.



- Durante todos esses anos eu fui um bobo. Eu tentei me aproximar de você do jeito mais fácil, tentando ser legal e amigo. Mas não consigo mais, você não me notava desse jeito. Mas agora vai notar, querendo ou não. – Ele apertou Hermione mais ainda e ela lutava contra a vontade de gritar.



Rose correu até finalmente chegar na praça. Lá era o lugar em que a família mais ia antigamente. Quando as gêmeas eram menores, Rony gostava de sair com os filhos para Hermione descansar e os levava até a praça. Rose sabia que encontraria Rony ali, e lá estava ele. Sentado no banco com as mãos na cabeça como se estivesse arrependido de alguma coisa. – PAI! PAI! – Ela corria até ele e gritava. Rony olhou em volta e viu Rose correndo em sua direção.


- Rose! O que você tá fazendo aqui? Aconteceu alguma coisa? – Ele segurou nos ombros de Rose vendo sua expressão aflita.


- Pai... Um cara... Um cara alto tava conversando com a mamãe. – Ela falava sem fôlego. – Eu pensei que eles se conheciam, mas ele começou a pegar o braço dela e não queria soltar.


- Cara, que cara? – Ele perguntou preocupado.


- Um cara alto, meio forte. – Ela falou respirando para recompor o fôlego.



       Rony pensou por um tempo quem poderia ser então seus olhos se arregalaram e ele pegou a mão de Rose e os dois começaram a correr em direção a casa deles.



- Para! Me solta eu já falei! – Ela falava mais alto do que antes.


- Vem comigo Hermione. – Ele a puxava para perto de si e passava a mão em suas costas.


- ME SOLTA! – Ela gritou.



     Rony virava a rua quando ouviu o grito de Hermione. Ele parou assustado e então voltou a correr o mais rápido que podia. Rose não conseguiu acompanha-lo e ficou para trás. Quando virava a rua pensou em alguma coisa pra ajudar, então ela mudou de direção e correu para o lado oposto de seu pai.



- Eu sei que você quer Hermione. – Ele tentava beija-la e ela virava o rosto.


- LARGA ELA! – Rony gritou correndo em direção aos dois. O rapaz alto apertou mais ainda o braço de Hermione e se virou para Rony. – EU DISSE PRA SOLTAR ELA VICTOR! – Rony o puxou e finalmente ele soltou Hermione. Ela caiu sentada na porta sem forças de tanto lutar para que ele a soltasse. Rony dava socos em Victor, mas ele começou a reagir e também batia em Rony. Nina, Emily e Hugo chegaram correndo para ver o que estava acontecendo e Hermione os mandou entrarem. Eles obedeceram e entraram correndo para dentro de casa.


    Hermione chorava sem saber o que fazer, não tinha forças pra nada, não conseguia nem se levantar, até que avistou Rose vindo correndo com Harry, Gina e Tiago. Gina correu até Hermione e ajudou ela a se levantar. Tiago segurou Victor e Harry ajudou Rony.


- Parem com isso! – Rose gritou e os quatro olharam para ela assustada. – VOCES QUEREM PARAR COM ISSO? – Ela chorava.


         Rony abaixou a mão quando ia dar outro soco em Victor, Harry olhou para ele pensando no que ele faria. Tiago continuou segurando ele.


- Vai embora daqui se não eu te mato. – Rony falou nervoso olhando para Victor. Ele todo machucado não conseguia fazer mais nada contra ele. Tiago o soltou e ele saiu olhando com raiva para Rony. Os vizinhos saíram de suas casas para ver o que estava acontecendo. Sirius chegou logo depois ouvindo os gritos de sua casa.


- O que aconteceu aqui? – Sirius perguntou olhando para Rony machucado e Hermione chorando abraçada à Gina.


        Ninguém respondeu. Rose ainda chorava assustada com a situação e Tiago a abraçou entrando com ela em casa. Harry ajudou Rony a entrar em casa e Gina ajudou Hermione a se sentar no sofá. Sirius entrou perdido com tudo o que tava acontecendo. Nina e Emily correram para abraçar o padrinho.


- Ei lindas. O que tá acontecendo aqui? – Sirius perguntou olhando para elas.


- Um cara tentou agarrar a mamãe a força e depois o papai bateu nele. – Emily respondeu.


- Certo. Então agora vocês vão buscar gelo para o pai de vocês porque ele tá machucado ok? – Elas concordaram e foram até a cozinha.


           Hugo trazia um copo de água para Rose e Hermione que ainda estavam chorando.


- Rose, tenta se acalmar. Já passou. – Tiago falou ainda abraçado com a prima.


- Não dá. – Ela falava baixo bebendo o copo de água.


       Hermione bebeu sua água foi em direção a Rony. Ela o deitou no sofá e pediu para Hugo pegar o kit de primeiros socorros. Hugo pegou e entregou para Hermione. Ela tratava dos cortes no rosto de Rony e ele resmungava que estava doendo.


- Para de ser fresco Ronald. – Ela falava enquanto ele reclamava da dor.


      Depois que Hermione terminou de cuidar de Rony e quando todos já estavam mais calmos eles conversaram sobre o acontecimento. Hermione contou tudo desde quando Victor bateu em sua porta até a hora em que Rony chegou. Rose explicou que saiu para procurar Rony, mas preferiu não contar aonde ela tinha ido procurá-lo, e quando voltou viu a cena.


     Quando tudo já estava esclarecido Gina foi com Hermione fazer o jantar. Todos já estavam mais calmos e mudaram de assunto. Rony não estava tão machucado, só tinha alguns cortes pelo rosto, mas nenhum olho roxo ou lábios inchados.  Eles falavam sobre o almoço de domingo, e combinaram de jogar futebol. A campainha tocou e Rose foi atender.


- Pedro?! – Ela olhou sem graça pra ele e saiu e fechou a porta pra que seu pai não o visse. - O que você tá fazendo aqui? Você sabe que meu pai não gosta que você venha aqui...


- Eu sei. – Pedro sabia o que tinha acontecido no passado, e respeitava que Rony não gostasse dele. Mas ele não era como a mãe, pelo contrário. Ele odiava sua mãe ter essa fama de solteirona do bairro. Era da idade de Rose e era muito bonito. Tinha os cabelos pretos arrepiados com gel e um sorriso encantadoramente lindo. Desde que eram crianças e falavam que namoravam Rony proibiu Rose de falar com ele. Então eles só se cumprimentavam quando ele estava com Hugo.


- Eu sei que não devo vim aqui, mas você me pareceu nervosa quando foi até minha casa hoje. – Ele respondeu carinhoso. – Fiquei preocupado e vim saber se você está bem.


- Sim, estou bem. – Ela sorriu agradecida pela preocupação. – Mas é melhor você ir, não quero que meu pai te veja aqui. – Ela disse baixo.


- Só mais uma coisa... Você quer sair comigo qualquer dia desses? – Ele perguntou com uma voz angelical.


- Não sei Pedro... Se meu pai descobrir...


- Mas ele não vai. Eu prometo.


- Bom... então tudo bem. – Ela sorriu


- Ok. Boa noite Rose. – Ele beijou seu rosto e saiu andando pela rua.


       Rose ainda ficou um tempo parada na porta observando ele. Tinha crescido e ficado muito bonito. Ela não podia fingir que não se sentia atraída por ele. Ele era carinhoso, nunca a maltratou e nunca falou mal de Rony, apesar de ter todos os motivos para isso. Mas Rose não podia pensar nessas coisas, Rony a mataria só de pensar que ela estaria pensando nele. Ela sorriu pensando no encontro escondido que teria quando Rony abriu a porta e ela deu um pulo.


- Meu Deus! Que susto pai. – Ela colocou a mão no coração.


- Quem era? – Ele perguntou olhando para a rua vazia.


- Era uma moça vendendo... Chapéu. – Ela disse perdida.


- Chapéu? – Rony perguntou desconfiado.


- É pai... Chapéu. De colocar na cabeça.


- Eu sei o que é um chapéu.



- Então... Foi isso. – Ela sorriu e entrou. Rony ficou parado olhando desconfiado e depois entrou também.



            No jantar ninguém tocou no assunto de Victor. Como se nada tivesse acontecido eles conversavam animados. Perguntaram as novidades para as crianças, enquanto Sirius ensinava as gêmeas a lançar comida com a colher, e a comida sempre caía no prato de Rony. Elas riam baixinhas e ele olhava ameaçador para Sirius.


- Fiquei sabendo que vocês inventaram uma banda. – Tiago falou rindo olhando para Rose. Ela se engasgou com a comida e todos olharam para ela.


- O que? Lilian te mostrou? – Ela perguntou ainda engasgada com Sirius dando tapas em suas costas.


- Sim. Eu achei bem legal, você tem uma voz bonita Rose, pode ter futuro com isso. E você também. – Ele disse olhando para Hugo.


- Como assim? – Rony perguntou olhando para os três.


- É que nós gravamos um vídeo hoje, mas foi de brincadeira. – Ela disse bebendo um gole de água.


- Depois eu quero ver. – Hermione sorriu para a filha.


- Melhor não, vou pedir Lilian para apagar, ficou muito bobo. – Rose sorriu sem graça.


- Ficou nada. Eu gostei bastante. – Tiago sorriu.


              Rose sorriu e voltou a comer. Rony ficou olhando para ela por um tempo. Esperava que esse vídeo ficasse só em família mesmo. Imagina sua filha cantando para várias pessoas, ficando famosa... Os homens iam chover em cima dela. Ele perdeu o apetite pensando nisso e tentou prestar atenção na conversa.


           Depois do jantar Gina ajudou Hermione a arrumar a cozinha e depois se despediu.


- Fica mais um pouco Gina. – Hermione disse manhosa, fazia tempo que elas não conversavam como antes.


- Desculpe Mione, eu queria. Mas deixamos Alvo e Lilian sozinhos. Eles tinham lição de casa pra fazer e não deixei que eles viessem, acabei jantando aqui, eles devem estar com fome. – Gina abraçou a cunhada. – Mas no domingo prometo que vamos conversar. – Ela piscou para Hermione e ela riu.


            Harry e Tiago se despediram de todos e eles foram embora. Depois de um tempo Sirius foi também, contra a vontade das afilhadas. Hermione colocou Nina e Emily para dormir e Rose e Hugo ficaram na sala assistindo televisão. Hermione foi para o quarto arrumar a cama, tentando fugir de uma conversa com Rony.


- Hermione, você sabe que teremos que conversar. – Ele disse escorando na porta.


- Vamos deixar pra amanha... Estou muito cansada e...


- Não, vamos conversar agora. – Ele disse se aproximando e fez sinal para que ela se sentasse.


- Tudo bem Rony, o que você quer saber? – Ela perguntou olhando para ele.


- Quero que me diga exatamente o que Victor te falou. – Ela respirou fundo, sabia que uma hora teria que contar tudo.


- Ele pediu para que eu fugisse com ele, e largasse vocês. – Ela disse abaixando a cabeça.


- Filho da...


- Rony! – Hermione chamou sua atenção delicadamente.


- Como ele pôde fazer isso? – Ele andou de um lado para o outro com raiva. – E o que você respondeu?


- Bom, eu estou aqui agora não é?! – Ela respondeu fria. – Acho que não aceitei o pedido.


- Isso eu sei, mas quero saber o que falou.


- Eu disse que te amava e amava minha família, e não faria isso. – Ela disse olhando para ele. Ela percebeu o arrependimento nos olhos de Rony pela briga que tiveram mais cedo. – Mas eu poderia ter pensado mais um pouco, talvez fosse melhor do que levar desaforo na minha própria casa. – Ela alfinetou se levantando e preparando a cama para dormir.


     Rony ficou parado por um tempo. Não sabia o que dizer. Estava se sentindo péssimo por ter falado aquilo. Quando ele abriu a boca para falar Hermione o cortou.


- Fique sabendo que eu não fui a única a ser atingida por suas palavras. Rose foi atrás de você e eu sei muito bem aonde ela foi te procurar. – Ela falou fria.


   Rony pensou por um momento e entendeu o que Hermione quis dizer.


- Ela foi lá? – Ele perguntou baixo temendo a resposta.


- Sim.


- Ela sabe que eu não gosto que ela vai lá. Já a proibi disso. Hugo eu não posso proibir porque são amigos, mas ela sim.


- Você não tem que proibir nada. Ela foi por conta própria, e você mais do que eu sabe por que ela foi lá. – Ela respondeu nervosa.


- Eu não quero que ela se encontre com esse menino, mesmo que seja por um erro meu. Ela é minha princesa e eu não vou deixar que nenhum marmanjo chegue perto dela. – Ele falou com raiva.


- Pois fique sabendo que ela não será sua princesa para sempre. Ela está crescendo, e você não pode proibi-la disso. E só pra te dar uma dica de que você não pode proibi-la de tudo. Ela deu o seu primeiro beijo hoje, e foi no Bryan. – Hermione falou furiosa com Rony.


- O que? – Ele perguntou olhando para ela. Seu rosto foi ficando vermelho e ele saiu com raiva em direção à sala. Hermione correu atrás dele para evitar uma coisa pior.


- Rose, que história é essa de primeiro beijo? – Ele chegou na sala cuspindo fogo. Rose olhou para ele assustada.


- O que? Que primeiro beijo? – Hugo perguntou olhado pra ela.


- Pai... Por favor...


- Por favor nada. Eu te falei tanto Rose, tanto! E você faz uma burrada dessas, e ainda mais com quem?! – Ele falava alto.


- Rony... – Hermione segurou o seu braço.


- Se você quer tanto saber como foi, eu te digo! Foi uma droga! – Ela gritava querendo chorar.


- Rose, olha como fala... – Hermione falou calma pra ela.


- Mas foi mesmo! Sabe o que mais pai? Você tinha razão... Garotos como ele só gostam de magoar as pessoas, e foi isso que ele fez. Ele não gosta de mim, e nunca vai gostar. Tá satisfeito agora? – Ela chorava enquanto falava alto com raiva.


      Rony ficou um tempo parado. A raiva tinha ido embora. Ver sua filha chorando, principalmente por causa de um garoto partia seu coração. Ele soltou seu braço de Hermione e foi em direção à Rose. Ela sentou no sofá e cobriu o rosto de vergonha, Hermione temeu o que Rony fosse fazer, mas ele se aproximou e abraçou a filha. Ela chorava em seus braços e ele a amparava fazendo carinho em seus cabelos. Hugo olhava estranho para a cena, e Hermione sorria.


- Calma... Não fica assim. – Rony falava enquanto fazia carinho em Rose.


- Me desculpa pai. Eu te desobedeci, e o pior é que acabei me magoando com isso. – Ela falava chorando.


- Não pense mais nisso... Agora... Agora já foi. Não tem como voltar atrás. Esse garoto é um idiota. Não merece suas lagrimas.


- Eu sei que você quer me matar. – Ela disse olhando pra ele.


- Não fala isso Rose. Eu só fico com ciúmes de que minha garotinha está crescendo, mas admito que tenho pegado muito no seu pé esses dias. E, eu te prometo que de agora em diante... – Ele respirou fundo, não acreditava que ia falar aquilo. – eu não vou mais brigar com você por causa de garotos.


- O que?! – Rose e Hugo falaram ao mesmo tempo.


- Isso mesmo. Não quero que você cresça com raiva do seu pai. E definitivamente não quero que cresça uma adolescente rebelde cheia de tatuagens. – Hermione e Rose riram.


- Obrigada pai. – Ela abraçou Rony.


- Tudo bem. Agora vão os dois dormir, amanhã ainda tem aula. – Ele disse sorrindo para Rose.


- Boa noite pai. – Ela beijou seu rosto. – Boa noite mãe. – Ela fez o mesmo com Hermione.


- Boa noite filha. – Hermione sorriu.


- Boa noite mãe, boa noite pai. – Hugo falou e foi para o quarto.


     Rony ficou sentado no sofá olhando pro nada. Hermione ficou olhando pra ele e sorrindo.


- O que foi? – Ele perguntou notando sua cara de felicidade.


- Você me surpreendeu. – Ela se aproximou dele.


- É?! – Ele sorriu pra ela.


- Uhum. – Ela se aproximou mais e passou a mão em seu rosto. – Estou orgulhosa de você. – Ela sorriu.


- Bom, pelo menos uma coisa certa eu fiz hoje. – Ele abaixou a cabeça. – Hermione, me perdoe pelo que eu falei hoje... Eu não queria ter falado aquilo, eu falei sem pensar... – Hermione colocou o dedo em seus lábios para que ele não falasse mais nada.


- Tudo bem Rony, eu sei que você não falou de propósito. – Ela sorriu e ele a puxou para o sofá fazendo ela se deitar e ele ficou em cima dela apoiado no braço.


- Eu te amo Hermione Weasley. – Ele sorriu olhando em seus olhos.


- E eu te amo Ronald Weasley. – Ela sorriu e ele a beijou.


         Eles não fizeram nada de mais, apenas adormeceram no sofá. Felizes pelo dia ter terminado feliz, e por terem feito as pazes. Mas é óbvio que fariam as pazes, eles são Hermione e Rony...


 


 


 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.