FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

5. Perdoar, ou não perdoar ?


Fic: Gente grande II


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

                     No domingo Hermione acordou um pouco indisposta. Já não tinha dores desde o incidente de quase dois meses atrás. Talvez fosse preocupação. Ela não tinha vontade de comer e se sentia muito enjoada. Ela não via Rony desde a confusão do aniversário de Hugo, mas ele ia até lá todos os dias ver os filhos. Ela fazia questão de se trancar no quarto mas sempre ouvia a conversa que ele tinha com os pais. Perguntando se ela estava se alimentando, se ela estava bem. No fundo ela estava feliz por ele ainda se preocupar com ela, mas ela ainda estava muito confusa. O prazo que Sírius lhe deu tinha acabado, e ela iria almoçar na casa dos Weasley.  Ela se espreguiçou na cama e olhou para o seu lado. Rose estava acordando e olhava pra ela com brilho nos olhos. Do outro lado Hugo dormia tranquilamente. Ela adorava ver seus filhos dormindo e acordando, sempre tinham um brilho nos olhos que fazia ela se sentir mais feliz.


- Bom dia meu amor. – Hermione passou as mãos nos cabelos ruivos de Rose.


- Bom dia mamãe. – Rose sorriu meio triste.


- Que foi amor? Não dormiu bem?


- Dormi sim mamãe, gosto de dormir com você. Mas é que ... sinto falta do papai. – Ela brincava com o bichinho de pelúcia que ela dormia.


- Mas vocês dormiram com ele anteontem amor. – Hermione sorriu.


- Eu sei, mas sinto falta de vocês dormirem juntos e acordarem juntos. – Rose falou manhosa.


- É meu bem ... mas a mamãe já te explicou que o papai precisa de um tempo para ele. Ele tem trabalhado muito e precisa descansar um pouco.


- É... eu sei. Tomara que ele descanse logo. – Rose sorriu.


- Tudo bem. Então que tal se eu te falasse que você vai ver o papai hoje? – Rose deu um pulo na cama sorrindo.


- Sério? Nós três vamos?


- Sim, nós três ! E o vovô e a vovó também. Mas temos que nos arrumar logo, o vovô Paulo já deve estar esperando.


- Então vamos logo mamãe, vamos nos arrumar. – Rose disse se levantando. – Ah , quase me esqueci. – Ela beijou a barriga de Hermione. – Bom dia Ninna, bom dia Emily.  – Hermione olhou interrogativa para a filha e lhe deu um sorriso.


- Você sabe que podem ser Erick e Gabriel também não é? – Hermione acariciou a barriga.


- Não mamãe, é Ninna e Emily. Eu sei disso. Eu sei que são duas irmãzinhas e que eu vou cuidar muito bem delas. Eu vou pentear os cabelos delas, vou vestir roupinha nelas, tudo isso. – Rose falou empolgada e Hermione riu.


- Quem bom que pensa assim meu bem. Você vai ser uma super irmã mais velha hein ! – Hermione riu . – Olha, estão chutando. Coloque a mão aqui. – Hermione pegou a mãozinha de Rose e colocou em sua barriga.


- É verdade. Elas estão te machucando mamãe? – Rose perguntou sentindo o chute de um dos bebês.


- Não meu bem. Isso é muito bom. Eu fico sabendo que os bebes estão bem desse jeito. Quando eles chutam eu sei que está tudo bem, e fico mais tranqüila. Entendeu?


- Sim mamãe. Agora vamos nos arrumar logo pra ver o papai. – Rose pulou da cama.


- Vamos. – Hermione riu. Não demonstrava mas também estava ansiosa para ver Rony. Não o tinha visto desde o aniversário. Ele tinha ido ao seu quarto algumas vezes mas ela fingiu que estava dormindo. Ele ficava olhando para ela durante uns 5 minutos. A vontade de Hermione era esquecer tudo e lhe dar um abraço bem apertado e chamar ele para dormir com ela. Mas ela não fazia isso. Sabia que se fizesse, isso tudo que ela tinha feito teria sido em vão, e ela não poderia confiar mais nele.


 


  - E aí como que eu to? – Rony perguntou abrindo os braços para Harry .


- O mesmo idiota de sempre. – Gina respondeu fria de braços cruzados.


- Gina... por favor. – Harry segurou sua mão.


- Não Harry, deixa. Deixa ela continuar me tratando assim pro resto da vida dela. – Rony respondeu bravo. – Deixa ela esquecer tudo o que eu já fiz por ela, todas as vezes que ela fez coisa errada e eu levava a culpa sem dedurá-la, todas as vezes que ela ficava doente e eu que tinha que cuidar dela, todas as vezes que ela sentia medo de trovão ou de monstro e ela vinha dormir na cama comigo. Deixa ela esquecer tudo isso. – Rony ficou vermelho e Harry arregalou os olhos para os dois, esperando que Gina explodisse. Mas ela não fez isso. Ela se levantou e se apressou para um abraço apertado no irmão. Harry sorriu satisfeito pela ação de Gina.


- Desculpe Rony, é que... eu não posso me dividir. – Ela falou triste mas sem derramar uma lagrima, era muito orgulhosa pra isso. – No fundo eu sei que você ama Hermione e quer muito que tudo se resolva, mas não posso esquecer o que você fez. Se fosse Harry no seu lugar eu não teria a paciência de Hermione, já teria pedido o divorcio e nunca mais queria vê-lo. Mas Hermione está sendo forte Rony. Ela está engolindo a falta que sente de você, e tentando parecer forte. – Rony quis argumentar, mas não tinha nada o que falar. Gina já tinha falado tudo por ele. A única coisa que ele pôde fazer nesse momento foi abraça-la. Gina sabia que não era um simples abraço. Era um abraço de tristeza, e ao mesmo tempo de alívio. Eles nunca conseguiram ficar mais de dois dias brigados.


- Quero que me perdoe Gina. Eu... eu não vou te falar que não aconteceu nada, porque aconteceu... mas você tem que acreditar em mim, tem que acreditar que eu estou arrependido, e vou pagar pelos meus erros. – Gina sorriu para ele orgulhosa. Seu irmão tinha sim mudado muito. Se fosse a alguns anos atrás ele deixaria isso pra lá e arrumaria outra mulher. Mas ela sabia que o amor que ele tinha por Hermione era mais forte.


- Você não tem que pedir desculpas pra mim, e sim pra ela. – Ela apontou para a janela e o pai de Hermione estava estacionando o carro.


O coração dele acelerou. Ver Hermione novamente  o acalmava. Durante essa semana ele não tinha medo dela não perdoar ele, mas tinha medo dela não estar se cuidando e o pior acontecesse. Mas vê-la ali, sorrindo, mesmo que fosse um sorriso triste o acalmava. Ela estava mais linda do que antes. Com um vestido não muito curto, soltinho, realçando a barriga maior do que da ultima vez que ele a viu. Os cabelos soltos caindo nos ombros com cachos e os olhos castanhos. Ela estava linda.


- Hermione! Que saudade!- Gina correu e a abraçou.


- Oi Gina! Que saudade também! – Hermione abraçou ela feliz.


- Como você está se sentindo querida? – Molly a abraçou apertado.


- Estou bem obrigada. – Hermione sorriu para a sogra. – Acordei meio indisposta hoje, mas nada grave. – Ela sorriu e olhou para Rony. Deus, ele estava lindo. Uma blusa social branca e uma calça social preta. A camisa um pouco aberta por causa do calor que estava fazendo. Mas o olhar preocupado, não devia ter falado que estava indisposta.


- Você... não quer descansar um pouco? – Foi a única coisa que ele conseguiu falar.


- Não, obrigada. – Ela respondeu simpática não querendo causar uma briga logo cedo. – Tenho ficado deitada na cama a semana inteira, preciso andar um pouco. – Ela tocou na barriga sorrindo. Rony olhou sua barriga como se quisesse acariciá-la, e Hermione sabia que os bebês sentiam o carinho que Rony dava a eles. – Eles estão chutando muito esses dias. – Hermione falou para ele como se só os dois estivessem na sala. – Talvez sintam sua falta. – Ela disse com um pouco de vergonha.


Rony se aproximou devagar, e colocou a mão em sua barriga. Ele sorriu quando um dos bebês chutaram.


- Oi bebês, é o papai. Logo logo vocês vão estar aqui e eu vou dar muito carinho pra vocês ok?! – Quando Rony falou Hermione se emocionou, e o bebê deu mais um chute. Todos olharam emocionados para a cena, parecia que não tinha havido briga nenhuma, que eles estavam bem. Mas Rony se afastou um pouco e abaixou a cabeça. Se ele tivesse ficado mais alguns segundos Hermione não pensaria duas vezes e ia abraçá-lo. Dizendo que perdoava tudo o que ele tinha feito.


- Bom. Hermione, eu vou ajudar Molly com o almoço, e você vai ficar sentada lá no jardim. Precisa de um pouco de ar puro. – Renata sorriu para a filha e Hermione a obedeceu, sendo seguida por Gina. Rony ia acompanhá-la quando Rose e Hugo vieram correndo ao seu encontro.


- Papaaai ! Papaaai! – Rose o abraçou e logo depois Hugo também pulou em seu pescoço.


- Oi princesa! – Rony beijou a filha. – E aí campeão ! – Ele abraçou o filho. – Papai sentiu tanta falta de voces! – Ele sorriu feliz para eles.


- Nós também papai! Quando você vai voltar pra casa? – Rose perguntou triste.


- Logo meu bem, logo. – Ele sorriu.


- E o padrinho não ganha abraço? – Harry perguntou sorrindo e Rose e Hugo pularam em seu pescoço.


 


Logo depois os quatro foram para o jardim. Rony aproveitou um tempo com os filhos e brincava com eles no jardim. Ele tirou a camisa para não sujá-la e corria com as crianças. Os sobrinhos estavam adorando isso, ele brincava de pega-pega e eles corriam dele felizes. Hermione olhava a cena e sentiu uma saudade. Saudade do abraçou dele, saudade dos seus carinhos, e saudade de ver ele ser tão carinhoso com os filhos.


- Hermione. Você pensou no que Sírius disse? – Harry perguntou olhando para a amiga suplicando que ela tenha perdoado ele.


- Sim Harry, pensei muito. – Hermione respondeu olhando as crianças brincando com Rony.


- E então, o que decidiu? – Gina perguntou interessada.


- Bom, eu decidi que...


- ALMOÇO! – Arthur gritou indo para o jardim. – Vamos, o almoço está pronto. Quem chegar por ultimo vai lavar as vasilhas. – As crianças correram gritando pra dentro de casa e os adultos riram. Gina e Harry se levantaram e foram para dentro, Rony foi até Hermione e deu a mão para ajudá-la a levantar. Ela sorriu pra ele e se levantou.


- Obrigada. – Ela sorriu e ele sorriu de volta. Os dois entraram em casa para o almoço.


 


     Os gêmeos e Neville e Luna não iam almoçar lá hoje, tinham outros compromissos. Sirius chegaria mais tarde depois do almoço. A casa não estava tão cheia assim, então todos conseguiram sentar à mesa. Rony sentou na frente de Hermione, e não parava de olhá-la. Ele se sentiu com 16 anos de novo. Paralisado com seu sorriso, com sua risada. Apesar de tudo Hermione parecia feliz, talvez estivesse feliz sem ele, ou talvez estivesse feliz por estar ao lado dele. Mas ele só saberia isso depois do almoço, quando ele fosse conversar com ela.


     Ele ficou observando ela durante todo o almoço, até perceber que ela não estava mais comendo e estava ficando pálida.


- Hermione, você tá bem? – Ele perguntou baixo sem ninguém prestar atenção.


- Sim, só estou... um pouco zonza. Eu... eu vou ao banheiro. – Ela se levantou e todos a olharam. – Com licença. – Ela se apressou para o banheiro e todos ficaram olhando preocupados. Rony saiu logo em seguida seguindo ela.


           Ele parou na porta do banheiro e esperou ela sair. Já tinha dois minutos que ela estava lá dentro, e ele resolveu bater.


- Hermione! Hermione você tá bem? Me responde! – Ela abriu a porta mais pálida do que  quando saiu da mesa. – Hermione por Deus o que tá acontecendo. – Ele segurou ela esperando que ela desmaiasse a qualquer momento.


- Eu to bem Rony, eu só... to um pouco enjoada e zonza, só isso. – Ela andou devagar até a sala se apoiando nele.


- Hermione você não tá se alimentando né?! Eu já falei pra você se alimentar direito. – Ele falava nervoso.


- Rony...


- Não adianta ! Eu sei que você não tá comendo direito. O que passa na sua cabeça? – Ele aumentava o tom nervoso.


- O que passa na minha cabeça? Talvez você saiba o que tem passado na minha cabeça durante e semana inteira! – Ela respondeu nervosa.


- Mas isso não tem nada a ver. Você não pode castigar os bebês pelos meu erros ! – Ele ficava vermelho.


- Eu não estou castigando ninguém Ronald ! Você acha que eu queria isso para os meus filhos? Você acha que eu pensei: “nossa, o Ronald poderia beijar outra mulher na minha frente só pros meus filhos sofrerem por isso” ! – Ela falou com a voz irônica. – É claro que não! A culpa de tudo isso é sua! Se eu quisesse que meus bebês sofressem eu teria feito isso no inicio da gravidez não é?! – Ela respondeu sem pensar. Mas na verdade nunca pensou nessa possibilidade.


- Talvez fosse melhor para eles não sentirem nada antes do que sentirem agora! – Ele falou nervoso e percebeu a idiotice que tinha falado.


- Eu não acredito que você falou isso... – ela respondeu com lagrimas nos olhos e os outros que estavam na cozinha já tinham ido para a sala.


- Tudo bem. Chega disso. As crianças estão aqui Ronald. – Molly chamou a atenção deles e Rony olhou para Rose. Ela estava com os olhos molhados de lágrimas.


- Mamãe... – Rose se aproximou. – Não fica brava com o papai. Ele não beijou aquela mulher por mal, eu vi. Ele não queria. – Ela disse inocente e todos olharam assustados para ela.


- Você viu Rose? – Hermione olhou triste pra ela e ela balançou a cabeça dizendo que sim. Rony colocou a mão na cabeça se sentindo o pior dos seres humanos. Hermione olhou com fogo nos olhos. – Ela viu Ronald...- ela disse baixo. – VOCÊ DEIXOU SUA FILHA DE CINCO ANOS VER ISSO!- Ela gritou com raiva.


- Hermione... eu ...


- BOAAAAAAA TARDE FAMILIA FELIIIIZ! – Sirius chegou abrindo a porta sorrindo mas parou quando viu todos na sala com cara de pastel. – Ou nem tão feliz assim. – Ele abaixou a cabeça e foi se juntar ao resto do pessoal olhando para os dois.


- Não fala nada Ronald. Nunca mais fale nada. – Ela chorava e se sentiu zonza, o pior momento para isso. Ela colocou a mão na barriga como se implorasse que não fosse a hora. Não ainda, não nesse momento.


- Hermione você tá bem? – Rony olhou preocupado e ia se aproximar mas Hermione o parou com a mão.


- Me deixa Ronald! – Ela disse fria e saiu para o jardim batendo a porta.


 Rony olhou para os outros como se pedisse ajuda. Harry pegou Rose no colo para que ela não presenciasse aquela cena mais. Gina pegou Hugo e olhava triste para Rony. Ele olhou para a janela esperando as palavras certas virem, mas ele não conseguiu mais pensar. Olhou em direção à Hermione e só teve tempo de correr. Os outros olharam assustados e Gina só conseguiu murmurar um: “Meu Deus...” e saiu correndo.


Rony correu até Hermione caída no chão, pálida e com a mão na barriga.


- Hermione... pelo amor de Deus Hermione me responde, o que você tá sentindo? – Ele ajoelhou ao lado dela e colocou a mão em seu pescoço deitando ela em seu colo.


- Dói Rony... muito... – ela falou baixo e Rony não pôde agüentar mais.  Ver Hermione sofrendo era a pior coisa de se presenciar. Ele pegou ela no colo e correu até o carro. Colocou ela no banco da frente para ir conversando com ela e não deixar ela desmaiar. Ela chorava baixo sem soltar a barriga em nenhum momento. Harry e os outros também entraram no carro o seguindo. Molly e Renata ficaram com as crianças e brincavam com Rose para que ela não visse a cena.


 


             Em 15 minutos eles já estavam no hospital. Rony pegou Hermione e a colocou na maca que o enfermeiro trazia. Eles entraram no hospital e Rony segurou sua mão.


- Não me deixa sozinha Rony, por favor. – Hermione chorava e apertava sua mão.


- Nunca Hermione. Nunca.- Ele também tinha vontade de chorar. Chorar de medo, mas tinha que ser forte por Hermione. O médico correu até eles e olhou a situação de Hermione.


- Precisamos fazer o parto agora. Não temos muito tempo. Hermione, você acha que tem forças para um parto normal? Uma cesariana nessas horas seria muito arriscado. – Ele olhava para Hermione e ela olhou para Rony, e ele apertou sua mão, para que ela entendesse que ele estaria com ela.


- Sim. – Ela respondeu firme.


- Muito bem. Será um parto normal. – O médico falou para os enfermeiros. – mas deixem uma cesariana preparada para qualquer problema.  Os enfermeiros assentiram e eles entraram com Hermione na sala de parto. Um dos enfermeiros segurou Rony para que ele parasse.


- Senhor, tem que vestir essa roupa. – Ele entregou a roupa para Rony e ele vestiu correndo. E logo depois entrou  na sala.


      Em poucos minutos tudo já estava preparado, Hermione ficou na posição para o parto e o médico já estava preparado. Rony segurou a mão de Hermione e passou a outra mão em seus cabelos.


- Fica comigo Rony, por favor. – Ela implorava.


- Eu vou ficar com você sempre Hermione, fica tranqüila. Eu estou aqui com você. – Ele beijou sua testa.


- Muito bem Hermione, quando vier outra contração você pode fazer força. – O médico disse e Hermione concordou, e logo veio a primeira contração e ela usou toda a sua força.


- Isso muito bem Hermione, continue assim. Está indo muito bem. – Ele falava e Hermione fazia mais força a cada segundo. Ela apertava a mão de Rony e ele passava a mão em seu cabelo.


- Isso amor, continue.


- Muito bem, já está vindo o primeiro bebê Hermione. Agora na próxima contração quero que faça mais força, pra que seu bebê chegue logo está bem? Vou contar até três, e no três você empurra. Um, dois, três. – Hermione ficava vermelha de tanta força. Queria acabar logo com isso e queria ver seus bebês logo. Ela não sentia mais raiva de Rony, só queria que sua família estivesse unida como sempre. Ela gritou para que empurrasse mais forte até que um choro a fez parar.


- É uma menina Hermione. – O médico falou mostrando para ela uma menina grande e saudável. Ela chorou emocionada e Rony também. Ele beijou sua cabeça e olhava para a filha. O doutor entregou à enfermeira e ela a pegou para cuidar dela. – Muito bem Hermione, você tem que ser forte agora. Mais um pouco de força e seus dois bebês estarão aqui. Pode fazer isso? – Hermione fez que sim com a cabeça e se preparava para empurrar. – Um, dois, três. – Hermione tentou, mas não tinha mais força como antes, estava cansada.


- Vamos amor, só mais um pouco. – Rony incentivava ela.


- não consigo... não consigo mais. – Ela chorava e deitou a cabeça no travesseiro cansada.


- Hermione, olha só, nossa menininha nasceu, só falta mais um Hermione, você consegue, você é forte. – Hermione juntou todas as suas forças e empurrou. Ela gritava querendo que tudo aquilo acabasse logo. Mas o médico pediu para que ela parasse.


- Muito bem, houve uma complicação aqui. O cordão está enrolado no pescoço do bebê. Hermione você tem que parar de fazer força. – O médico levantou e se dirigiu ao enfermeiro. – prepare a cesariana, não podemos correr o risco. O enfermeiro concordou e preparou os equipamentos. Hermione olhou para Rony.


- Calma meu amor, vai dar tudo certo, calma.


- Rony, eu não to sentindo nada. Rony por favor fala que nosso bebê está bem. – Ela chorou e apertou sua mão. – Eu não o sinto Rony.


- Doutor, por favor... – Rony olhou para ele.


- O cordão está enrolado no pescoço, o bebê não tem forças para nada. Temos que fazer uma cesariana.


--------


- Ai Harry, tá demorando muito... – Gina andava de um lado para o outro.


- Calma amor, tá tudo bem. Hermione é forte, vai dar tudo certo. – Harry a abraçou tentando acalmá-la.


- Eu não gosto de hospitais. – Sirius falou olhando para o lado.


- Sírius, aqui é uma sala de espera, você nem precisa imaginar que isso é um hospital. Finja que é uma boate. – Harry falou rindo.


- Por favor Harry não me faça imaginar que isso é uma boate, vou fazer coisas que serei expulso daqui, e eu pretendo ver os meus afilhados. – Sirius falou serio e Gina e Harry riram.


--------


- Tudo bem Hermione você pode sentir isso? – Ele beliscou de leve a barriga de Hermione e ela negou com a cabeça. – ótimo, estamos prontos.


      Rony segurou a mão de Hermione e ela lutava contra o cansaço. Queria deitar e dormir mas não poderia antes de ver seu bebê. Ela apertava a mão de Rony aflita, torcendo pra que tudo desse certo. Ela só queria que tudo aquilo acabasse e sua família voltasse a ser como antes. Não queria mais pensar nas coisas ruins que tinham acontecido, só queria seus filhos o mais rápido possível. Ela fechava os olhos cansada quando um choro fraco a despertou. Rony riu e lagrimas de emoção corriam em sua face.


- É outra menina. Parabéns ! – o medico mostrava a garotinha um pouco menor do que a outra mas aparentando ser tão saudável quanto ela.


- Duas meninas Hermione. Nós temos duas meninas lindas. – Rony falou tirando a máscara de seu rosto e beijou Hermione. – Eu te amo Hermione, muito.


- Eu também te amo Rony. – Ela o beijou, o rosto molhado por lágrimas. Tudo tinha acabado bem.


----------------------


- Ai Harry eu não to agüentando mais esperar. – Gina balançava a perna impaciente.


- Calma Gina, daqui a pouco...


- NASCEU! – Rony chegou ainda com a roupa do hospital batendo a porta. – São duas meninas ! Duas meninas lindas! – Rony falava entusiasmado e Gina correu para abraçá-lo.


- Graças a Deus! – Ela segurava as lagrimas.


- Que bom Rony, parabéns! – Harry o abraçou forte muito feliz.


- Então quer dizer que vou ter duas afilhadas? – Sirius sorriu e abraçou Rony.


- Sim Sirius, duas afilhadas de uma vez. – Rony sorriu pra ele.


- Há! Te passei Harry, você só tem uma e eu tenho duas. – Sirius riu da cara de Harry.


- Por enquanto, Hermione pode querer passar Molly. – Harry brincou e eles riram.


- E vocês também! – Rony falou olhando para a Gina.


- Quem sabe. – Ela riu e olhou para Harry.


- Ai meu Deus... to perdido. – Eles ficaram rindo.


- Bom, vou voltar lá para ver minhas mulheres. – Rony sorriu e voltou correndo para o quarto.


 


Rony abriu a porta do quarto devagar, e viu a cena que mais adorava desde o nascimento de Rose. Hermione segurando seu bebê, mas dessa vez era ainda melhor, eram suas duas filhas. Tão lindas quanto a mãe. Tinham muito cabelo e já dava pra ver que eram castanhos como o de Hermione. Elas eram idênticas, com os olhos azuis de Rony. Eram uma mistura perfeita dos dois. Hermione olhava para as filhas sem parar de sorrir um segundo. Mesmo cansada ela estava linda, Rony poderia ficar admirando ela durante muito tempo, mas ela o viu e sorriu pra ele. Ele sorriu de volta e se aproximou.


- Olha o papai veio ver vocês ! – Hermione sorriu para elas. – Quer pegá-las?


- Claro. – Rony sorriu e pegou a primeiro bebe, depois Hermione o ajudou e colocou a outra no outro braço. – Oi minhas princesas. – Rony sorriu pra ela. – Eu sou o papai... e vou proteger vocês de tudo. – Hermione sorriu. – Principalmente dos rapazes que tentarem tirar vocês de mim. – Hermione riu. – E eu amo muito vocês, e amo aquela moça linda ali também. – Ele olhou para Hermione e ela sorriu.


- Ron.. eu sei que não é uma boa hora para falar nisso, mas eu preciso ouvir de voce. – Hermione falou fraca.- O que passou na sua cabeça... aquele dia? – Ela não quis entrar em detalhes.


- Voce pode até não acreditar... mas... quando eu não tive tempo de escapar dela... – Ele sentou ao lado dela na cama com suas filhas no colo. - ... eu só tive tempo pra fechar os olhos e pensar em você.


- Em mim? Poxa Rony, você beija outra mulher e pensa em mim? – Ela sorriu pra ele.


- Não foi bem assim. Como eu não queria machucá-la só me restou essa opção. Imaginei que era você. Por isso não parei de beija-la. Não que o beijo dela seja igual o seu, isso nunca! – Ela riu. – O seu é muito melhor. Mas... eu pensei em você. Espero que acredite em mim. – Ele abaixou a cabeça e olhou para as filhas.


- Eu acredito Ron. E eu te perdôo também. – Ela passou a mão em seu rosto e ele sorriu feliz.


 – Eu te amo Hermione, eu não poderia estar mais feliz. Você me deu uma família perfeita.


- Eu também te amo Ron. – Ele se aproximou dela e a beijou. Logo depois ouviram umas batidinhas na porta. Era Sirius, Gina e Harry. Hermione fez sinal para que eles entrassem e eles logo foram ver as novas integrantes da família Weasley.


- Ok, como vocês sabem quem é a Emily e quem é Ninna? – Sirius perguntou segurando uma das afilhadas.


- A que está com você é a Ninna, ela tem os olhos mais escuros do que Emily. – Hermione sorriu e Rony a olhou.


- E como você chegou a essa conclusão? – Harry perguntou segurando a outra.


- Não sei, extinto materno. – Ela sorriu e Sirius lhe entregou Ninna e Harry entregou Emily para Rony.  


- Tudo bem, sorriam. – Gina apontou a câmera para os dois e eles sorriram até Gina tirar a foto.


- Tá bom, agora é o seguinte. Precisamos conversar sobre a proteção delas Ronald. – Sirius falou serio. – Não é pra qualquer um se aproximar delas tá entendendo?


- Concordo Sirius. Não podemos deixar isso acontecer.


- Ai meu Deus, era só o que me faltava. – Hermione falou e os outros riram.


 


N/A: OK PESSOAL ! SEGUINTE... Agora a fic começa a tomar um rumo. Tem muita confusão pela frente ainda, e vão começar no próximo capitulo. Esses primeiros capítulos foi só pra fic não ficar sem sentido, mas a partir do próximo capitulo  vai começar realmente a diversão. Preparem-se ! Hehehe, beijinhos. Ah, e mais uma coisa. Não entendo muito desses negócios de parto e etc, então me perdoem se tiver erros.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.