FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

2. Lua Cheia: Preparativos e Susp


Fic: As Fases da Lua


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Harry tocou a campainha da Toca, continuava a mesma casa com torres. Não demorou muito e uma luz se acendeu, Harry ouviu passos descendo escadas e em pouco tempo Arthur Weasley de pijamas verde esmeralda abriu a porta:


― Harry! Mas é você? - Arthur abraçou o quase-filho - Não estávamos esperando, você escreveu que vinha amanhã! MOLLY!Desça rápido e venha ver quem chegou! - gritou ele para dentro da casa - O que fez você mudar de idéia?


― Tive que embarcar essa noite, não havia aviões trouxas marcados para amanhã, parece que vai chover canivetes em Madri, pelo menos é o que dizem os homens do tempo por capital - riu Harry.


― Ah,esses trouxas. Ainda tem muito que aprender, se ao menos eles tivessem nossa esfera das estações*...Vamos entrar, deixe que carrego essa mala...


― Não, não se preocupe, ela está leve - recusou educadamente Harry.


Os dois entraram, a sala estava escura e apenas uma luz brilhava pela escada. Em tantos anos poucas mudanças haviam ocorrido. “Parece que estou parado no tempo quando fico aqui” pensou Harry. Ouviu passos descendo às escadas de madeira, era tia Molly. Com uma vela na mão e a varinha na outra ela parou a alguns degraus do chão, e ao bater os olhos em Harry veio correndo em sua direção e o abraçou:


― HARRY! - ela tinha um abraço forte para um senhora de quase 70 anos - Aonde você se meteu todos esses meses! - soltando Harry ela olhou para ele checando se tinha se alimentado bem - Espero que Prudence tenha alimentado você bem!


­― Pode ficar tranqüila tia Molly. Eu engordei muito na Espanha - sorriu ele.


― Molly precisamos arranjar um quarto para ele passar a noite...- interrompeu gentilmente Arthur


Molly parou para pensar um momento...Harry sabia exatamente no que ela pensava...Foram sempre cinco quartos na Toca. Um para Gui e Carlinhos nos tempos em que moravam lá, que depois se tornou o quarto de Percy. Outro para Fred e Jorge, outro para Gina...E outro para Ronald...Desde da queda de Voldemort, o último quarto esteve fechado a sete chaves e Molly rugia para qualquer um que quisesse olhar lá dentro. O fato que estava ocorrendo no momento era que a Toca estava lotada com os filhos Weasley...Exceto por um é claro, o que deixava um único lugar para ele dormir. Harry resolveu evitar problemas:


― Eu posso dormir no sofá mesmo... - disse ele quebrando o silêncio


Arthur se virou para ele com uma expressão de gratidão no rosto. Molly por outro lado parecia relutante, mas ao mesmo tempo aliviada:


― Tem certeza, Harry, querido? - perguntou ela. Ele assentiu. - Então está bem...


Os três foram para a sala ao lado. “Depois de dormir em uma tenda esse sofá vai parecer a melhor cama do mundo” riu Harry para si mesmo. Ele tinha passado os últimos dois meses e meio em uma tenda nas redondezas de Tebas, dormir em um sofá seria fichinha. Assim que o casal Weasley voltou para o seu quarto, Harry se ajeitou na cama improvisada, nem se deu o trabalho de abrir sua mala para pegar um pijama...Não demorou muito e já estava na terra dos sonhos...



--------------------------------------------------------------------------------



― Quer um pouco de manteiga, Fred? - perguntou uma voz


― Claro, passa aqui! - respondeu animada outra


Um barulho alto de pratos caindo acordou Harry, seu cabelo estava mais bagunçado que o normal, seus óculos caídos no chão e sua roupa toda amarrotada...Onde estava mesmo?


― FRED!!!


Ah...Na Toca...Levantou devagar com um sorriso. Deu um jeito rápido no cabelo e na roupa, vestiu um par de meias e sapatos e foi para a cozinha. Uma cena normal ocorria...Jorge tinha jogado a manteiga para Fred, que não pegou, deixando cair bem em cima do prato de Arthur, Molly estava olhando brava para Fred enquanto ele ajeitava a bagunça com a varinha. Não demorou muito para que as atenções se voltassem para o hóspede, e logo Harry já estava sendo cumprimentado e entrevistados por todos os moradores da Toca. Após o café os Weasley se dividiram para fazer os preparativos da festa. Fred e Jorge foram cuidar do jardim (Molly não deixou que eles ficassem dentro de casa para testar suas novas “Abóboras Brilha e Pega Fogo” ), expulsando os últimos gnomos, Gui foi com a mãe buscar os pratos encomendados (poucos, pois Molly fez questão de fazer a maioria da comida, como Harry descobriu depois) , Arthur e Gina começaram a decorar a Toca, com Carlinhos ainda para chegar junto com sua mulher e filhas, Harry teve que acompanhar Percy na ativação de “pontos anti-trouxa” ou PAT**, instalados pelo Ministério especialmente para a festa.


Enquanto caminhavam em direção da estrada onde estaria o primeiro PAT, surgiu uma dúvida na mente de Harry, ele ficou surpreso por ela não ter aparecido antes...Os Weasley não davam grandes festas a anos...Eles nunca davam para falar a verdade. Então qual seria o motivo dessa? Na última vez que tinham conversado sobre isso, antes dele partir, o Dia das Bruxas iria ser como todos os outros anos...Não agüentando mais, interrompeu o silencio da caminhada:


― Por que uma festa tão grande? - perguntou de repente.


Percy que estava lendo a lista dada por Arthur, olhou meio que surpreso para Harry:


― Ninguém te contou? - perguntou ainda mais surpreso


― Eu estou perguntando não estou? - sorriu.


― Certo...É que eu não esperava que seria eu que contasse...Afinal...Sou Percy e esse não é o meu trabalho... - suspirou um pouco desapontado


Harry já estava ficando preocupado...Seria tão grave assim?


― Bem, parece que sou eu mesmo que terei que te contar - deu um longo suspiro, Harry não tinha visto Percy tão fora do seu jeito formal desde a festa na comemoração da derrota de Voldemort - Vamos vender a Toca.


Aquela última frase caiu como raio, vender a Toca? Harry não tinha palavras


― Foi uma conversa longa, mamãe era totalmente contra...Você deve imaginar. Mas está na hora de deixar o passado para trás...Não é saudável ficar preso a ele, não é mesmo? - continuou Percy, Harry ainda não tinha captado direito a informação - Eu ainda não consigo acreditar, acho todos não conseguem...Mas vai ser para melhor.


― Quando isso foi decidido? - perguntou rouco Harry.


― Há um mês...Mas não foi do dia para o outro...Com a chegada da aposentadoria de papai, ele decidiu que estava na hora de mudanças...A festa é um tipo de despedida da casa...Uma última homenagem.


Harry não podia acreditar...A Toca...Vendida...Isso significava que todas as ligações com seu passado estavam se esvaindo...Pouco tinha sobrado dos tempos de Hogwarts, e agora...Seu único refugio iria desaparecer. Percy tinha parado de falar, com certeza ele também estava pensando na mesma coisa..Andaram por alguns momentos em silêncio pela grama, uma brisa suave levantava as folhas caídas de outono, finalmente Harry criou coragem para fazer uma última pergunta:


― E quando vai acontecer a mudança?


― Daqui duas semanas exatamente...Assim que assinarmos os papéis, a mudança começa imediatamente.A maioria dos móveis vai para a casa que compramos no subúrbio de Londres, o resto vai para quem for dono, eu já comecei a levar algumas caixas de antigos materiais de Hogwarts, junto com outras papeladas...- disse amargo


Mais silêncio...Percy voltou a ler a lista de PATs, e depois indicou o caminho, pouco depois e eles estavam na frente de um poste elétrico.


― É aqui.


Embaixo do poste, estava um pequeno, minúsculo botão verde escuro. Cada PAT tinha uma forma diferente, dependendo de seu objetivo. Alguns eram quadrados outros triangulares, esse era retangular, do mesmo tamanho do terreno da Toca. Harry lembrava bem como PAT funcionavam, acompanhou de perto a criação deles. O Ponto simplesmente criava uma dimensão paralela, quando acionado qualquer humano não-mágico caminharia em um terreno vazio (ou nesse caso, na Toca vazia), o processo era complicado, era necessário vários PAT espalhados em um ângulo especifico para se cruzarem e criarem (naquele) um retângulo perfeito em volta do espaço desejado. Claro, havia algumas falhas ainda, Harry soube que certa vez um trouxa com um cachorro entrou “no meio” de um churrasco dos torcedores do Wingtown Wanderers, famosos por seus bifes, mas o cachorro conseguiu passar pelo PAT e estava na dimensão dos bruxos enquanto seu dono não, ele ficou procurando o cachorro a tarde inteira, quando descobriram o problema um dos membros do churrasco cuidadosamente levou o cachorro para fora da área demarcada, sem antes perderem alguns bifes para o animal. Em um outro caso, que saiu em um jornal bruxo, o problema foi um pouco mais grave, um cavaleiro ficou sem cavalo literalmente...Caiu com o traseiro no chão, o ministério teve que fazer um feitiço de memória, apesar de Arthur ter insistido que seria desnecessário afinal ninguém acreditaria no pobre cavaleiro.


― Bem, vamos liga-lo - falou Percy depois de um breve momento.


Ele pegou sua varinha do bolso e disse apontando para o pequeno ponto no chão:


― Astros Corpus!


Um pequeno brilho apareceu no chão e na frente deles, onde a estrada estava, tudo ficou borrado, como quando se olha algo ao longe no calor. Percy olhou a lista novamente:


― O próximo está há uns 100m há esquerda daqui...Debaixo de uma árvore.


Sem falar muito os dois seguiram as orientações da lista...”Percy está mudado” refletiu Harry. De todos os irmãos Weasley, Percy era o que ele menos conseguia encontrar...Fred e Jorge estavam em Hogsmeade “corrompendo” os alunos de Hogwarts na sua loja (a primeira aberta, e também sua favorita), Gina estava em Hogwarts, professora de Transfiguração, Carlinhos, casado e com duas filhas(Anne Marie, 8 anos e Virginia, 12 anos), ainda estava na Romênia mas visitava a família sempre que podia em Londres, Gui tinha aberto uma agência especializada em contra-maldições e tinha um escritório no Cairo e em Londres, Hermione morava na antiga casa dos pais em Gloucester , mas Percy não parava em lugar algum, como chefe do Departamento do Cooperação Internacional, ele vivia viajando para reuniões em Ministérios internacionais, bem, Harry viajava muito também, mas, incrivelmente, não tanto quanto Percy. No passado, Harry não ligaria muito para os poucos encontros, mas agora com a venda da Toca, se sentiu culpado em nunca ter sentado e conversado com o antigo monitor.


― Como andam as coisas? - finalmente perguntou Harry.


Percy pareceu surpreso com a pergunta, mas respondeu no tom pomposo de sempre:


― Muito trabalho! Recebi uma carta de convocação do próprio Ministro para visitar o Ministério da Rússia, parece que eles estão tendo problemas com as importações de caldeirões, e eles são minha especialidade, você sabe - depois ele soltou um suspiro - Mas eu tentei convencer o meu assistente… hum… am… Chippernham? Não, não… Ah! Chopperman, isso… Davis Chopperman, tentei convencer a ele que não é necessário entregar duas dúzias de relatórios adiantados… Mas ele me ouve? - concluiu Percy balançando a cabeça… - Bem e você, Harry? Há tempos que não ouço uma notícia com o seu nome!


― E é exatamente assim que eu prefiro - riu Harry - Estou só agora pesquisando…


― Sobre o quê? Algum trabalho para o Departamento de Mistérios?


Harry sorriu novamente, não ia com a cara dos Inomináveis, e com certeza não iria nunca trabalhar com eles, sempre colocavam a missão em primeiro lugar, não ligavam para vidas humanas. Mas por algum motivo, a maioria da população parecia acreditar que ele tinha algo a ver com aqueles abutres…


― Só pesquiso por divertimento…Curiosidade, pode se dizer…- respondeu amigavelmente. Percy não via ele mesmo, e provavelmente nem os familiares, para estar tão fora da realidade de Harry.


Logo depois eles chegaram a um bosque de pinheiros, entraram cuidadosamente para não chamar atenção de qualquer trouxa (havia uma cabana perto dali). Pararam na frente de uma árvore gigantesca,. Sem dúvida nenhuma era esse o local do PAT. Percy se abaixou a procura do botão, demorou alguns minutos, mas ele finalmente encontrou, ele indicou com o dedo indicador para Harry, parecia a ver algum problema com esse…


― Está vendo? Está partido ao meio - e estava apesar de que a diferença fosse quase impossível de se notar, havia uma pequena distância no meio retângulo - Precisamos avisar aos agentes do DRETB, vou aparatar de volta para a Toca, você pode ir até o outro ponto para ir adiantando? - pediu Percy.



― Tudo bem - respondeu Harry pegando a lista enquanto Percy desaparecia.

Harry leu a lista:


PAT Base-direito - Abaixo de um poste demarcado com uma faixa branca a 5m sul da entrada do terreno, ao lado da estrada para Ottery St. Catchpole.


PAT Base-esquerdo - 100m a esquerda do PAT 1. Abaixo da árvore mais alta a 80m da cabana de madeira trouxa.


PAT Topo-esquerdo - 50m a norte do PAT 2. Ao lado da maior pedra, demarcada com uma pequena faixa branca.


PAT Topo-direito - 100m a esquerda do PAT 3. Abaixo do único pinheiro sem folhas da área


― Certo então! - disse para si mesmo, e partiu para o norte.



--------------------------------------------------------------------------------



Hermione demorou para abrir os olhos…a preguiça pareceu ter tomado conta de seu corpo, não havia tido uma boa noite de sono…Mas ao se virar e olhar o relógio, se obrigou a levantar. Eram 10:00am.


Depois de um rápido banho, já estava de pé preparada para o dia. Passou para de seu quarto até a cozinha, onde encontrou Bichento se espreguiçando e ronronando a procura de seu café.


― Bom dia para você também - disse Hermione para o gato


A cozinha durante o dia era uma visão totalmente diferente, a luz clara e amarela batia pela janela tocando todos os móveis, dando um toque de ouro, os armários de madeira clara com faixas pintadas de azul claro, tinham tudo dentro organizados por dia e consumidor (Ela, Bichento e Titânia, coruja dada de presente por Harry), o fogão elétrico, do tempo em que seus pais ainda moravam lá, estava impecavelmente limpo, graças a magia é claro, Hermione não era muito boa em trabalhos domésticos e não fazia questão em ser, a mesa, também de madeira, onde ela tomava seu café, estava coberta por fina toalha quadriculada em azul claro e branco. Hermione olhou orgulhosa, “A casa perfeita” sorriu com si mesma, e começou a “preparar” o café, usando simples feitiços, já tinha sua torrada quente, e seu suco pronto. Não se esqueceu de Bichento, colocou leite morno (ele não suportava outro tipo) em sua tigela, e foi abrir a janela para Titânia, era um pequeno ritual que fazia, um dos únicos que se permitia ter, todo feriado era assim.


Sentou-se à mesa, e começou a comer sua torrada, observando Bichento a tomar seu leite. “Ele está ficando gordo” riu consigo mesma. Um gato velho, gordo, mas muito inteligente...Logo sua coruja rubra apareceu pela janela com o jornal e cartas no bico:


― O que você tem para mim hoje? - perguntou Hermione sem esperar resposta.


A coruja pousou na mesa deixando as cartas ao lado de Hermione, e beliscou os petiscos especialmente feitos para ela.


Hermione abriu o jornal, a primeira página não podia ser mais monótona: “Ministro assina nova lei”.Não que ela não gostasse dos tempos de paz...Mas uma saída da rotina que mantinha há quase 8 anos não seria uma má idéia. Virando a página, mais monotonia, a coluna social escrita pela sobrinha de Rita Skeeter, Ruth Skeeter, Hermione ia virar a página quando uma notícia chamou sua atenção, particularmente pela foto em destaque, um casal de jovens bruxos, os dois de pele muito branca e cabelos loiros, seus rostos mostravam sorrisos perfeitos, o homem tinha um olhar familiar de desdém, era sobre um casamento de uma jovem de família rica:


Miki Clearmont encontra noivo!


Miki (Mikaela) Clearmont anunciou em um jantar finíssimo ontem a noite seu noivado com Milton Drest, jovem de promissora carreira.A data do chiquíssimo casamento está marcada para 07/11, daqui exatamente duas semanas. Miki conheceu Milton em um jantar, os dois logo se apaixonaram..Graças a um gosto comum: Poções. Miki é especialista em antigas poções complicadíssimas e Milton gosta de criar novas...Com o talento dos dois unidos não é a toa que são ricos!


Fui conferir pessoalmente o jantar...Lady Clearmont, a elegante mãe de Miki nos deu uma entrevista exclusiva:


Ruth: A senhora acha que Milton é o melhor noivo para Mikaela?


Lady Clearmont: Mas é claro! Milton é um dos últimos descendentes de uma tradicional família puro-sangue...Hoje em dia está tudo banalizado, não existe mais respeito com os verdadeiros bruxos!


“Ridículo! Mesmo depois de tudo que se passou!” Pensou indignada Hermione, parou de ler com nojo...”Verdadeiros bruxos! HA! Quem eram os Comensais?!”. Não querendo se irritar mais ela fechou o jornal. Olhou para os outros dois envelopes deixados por Titânia, um deles era o familiar envelope alaranjado da Comissão, sendo a chefe do Escritório de Suprimento e Criação*** ela recebia eles freqüentemente.Abriu com cuidado:


Para: Hermione Granger - Chefe do ESC


De: J. C. Harley - Diretor do CFE


Granger, o projeto do feitiço escudo está pronto, recolha na casa de Wintson hoje, urgente.


J. C. Harley



As mensagens sempre eram curtas por medida de segurança...Hermione suspirou, além de ir para Ottery St. Catchpole teria que passar no caminho na casa de Charles Wintson...Isso significaria um adiantamento de no mínimo 15 minutos na saída de casa...Pegou o outro envelope, era bem pequeno, estava com a aba um pouco aberta, provavelmente culpa de sua coruja, abriu, e para sua surpresa era um convite:


Cara srta.Hermione Granger;


É com grande prazer que a convidamos para o 5º Festival Anual de Feitiços, onde homenagearemos a incrível Shirley Hynde, criadora do fabuloso Feitiço Contrarium Plectrum, que salvou milhares de vidas durante a segunda guerra contra o Lord das Trevas Voldemort. Sua presença seria muito apreciada, grandes bruxos como a srta são sempre bem-vindos em nosso festival. Seu trabalho na Comissão de Feitiços Experimental se mostra de valor inimaginável para a cultura moderna mágica.


Esperamos sua presença no dia 1 de Novembro,


Anna Beth Hutson e Katie Bell



Hermione leu alto de tanto entusiasmo, o FAF premiava os melhores bruxos na área de feitiços, ser convidada era uma honra imensa...Ela leu mais uma vez, mais outras...Até que o entusiasmo baixou um pouco e ela viu a data do evento: primeiro de novembro! “Que falta de educação enviar um convite na véspera...” Meio que decepcionada “Provavelmente sobrou algum lugar e mandaram para mim...” ela colocou o convite de volta no envelope...Olhando uma última vez antes de voltar a seu café, ela percebeu algo a data no carimbo do FAF marcado ao lado do remetente, a data de envio era de 1 de outubro...”Que estranho...Talvez tiveram algum problema com suas corujas. Não foi uma decisão de última hora afinal de contas” sorriu consigo mesma. Novamente animada, continuou a tomar seu café.



--------------------------------------------------------------------------------



― Astros Corpus! - gritou Harry.


O pequeno ponto reluziu por um rápido momento, depois voltou a ser quase invisível.


― Menos um - falou alto ao nada.


Depois de suas últimas palavras ouviu um barulho de galhos se quebrando, temendo ser um trouxa Harry guardou a sua varinha e olhou a sua volta. Campo aberto de todos os lados, a paisagem não podia ser mais amigável, grama embaixo de seus pés, acima dele céu azul com pássaros voando de vez em quando, a sua direita a pedra demarcada pela faixa branca (a maior entre algumas outras no lugar), a sua esquerda ao longe o bosque de onde tinha partido, na sua frente a uma pequena distância a entrada para outro bosque, menor, e com arbustos do tamanho de um adulto pequeno. “Talvez tenha vindo dali”. Devagar ele se aproximou de um dos arbustos maiores...Suas folhas verdes não moviam um centímetro, em um súbito abriu a folhagem...Nada. “Deve ter sido um animal”. Dando os ombros seguiu para a direção do outro PAT...


“99m...98m...97m....” ia contando Harry. Afinal andar 100m sozinho é muito monótono...”Se ao menos pudesse aparatar****”...Começou a cantar o hino de Hogwarts (ainda se lembrava bem) na melodia da 9a Sinfonia de Mozart por um longo tempo, já que o local era vazio e silencioso o assobio fazia alguns pássaros voarem para longe. De repente ouviu outra vez o barulho agora mais perto, instintivamente se virou...Nada. “Nunca é nada” pensou ironicamente. Com a mão no bolso de seu casaco, onde se encontrava sua varinha, continuou andando, mas mais devagar. Logo que deu o primeiro passo começou a ouvir um ruído de respiração muito próximo, Harry continuou andando cada vez mais devagar, o som de sapatos e tecidos batendo na grama eram inconfundíveis. Precisava fazer alguma coisa...O som estava cada fez mais perto....

--------------------------------------------------------




* Esfera das Estações - Um globo do tamanho de uma bola de tênnis, muda de cor conforme o tempo do dia seguinte. As cores ficam misturadas quando há possibilidade de dois acontecimentos..Inventada no ano 2003.


** Ponto Anti-Trouxa (PAT) - Desenvolvido por Arthur Weasley em 2005, graças a essa invenção, o Ministro da Magia, criou um novo departamento (algo raríssimo, o último departamento criado fora no século 15, com a popularidade do Quadribol foi necessário o Departamento de Jogos e Esportes Mágicos), o Departamento de Relações Entre Trouxas e Bruxos (ou DRETB - pronuncia= drétibi), onde são feitas e organizadas as reuniões entre os governantes trouxas e os bruxos, o DRETB também é responsável pela manutenção e instalação dos PATs além de manter o TT (Tratado Trouxa) em funcionamento e respeitado pela comunidade bruxa.


*** Escritório de Suprimento e Criação (ESC) - A Comissão foi dividida em escritórios após a guerra contra Voldemort, para atender a demanda de novos feitiços. O ESC é responsável por pela criação e divulgação (suprimento) para a comunidade (encare como uma agência publicitária misturada com o cliente). Outros escritórios são: ET (Escritório de Testes), ELO (E. de Leis e Ordem) e ECQ (E. do Controle da Qualidade ou como conhecido pelos outros escritórios: S.O.S)


**** Ativação de PATs e Riscos em uma dimensão paralela - Para que o ângulo dos pontos estejam correto é necessário fazer o percurso totalmente a pé. Assim que ativados pelo menos 3 ou 2 PATs é impossível aparatar sem perder a consciência ou alguma parte do corpo no passado.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.