FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

28. Is the time.


Fic: A Broken Heart and a Troubled Mind - reescrevendo


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

 - Liz. - Annie disse, ainda assustada mas sabendo o que fazer. - Lembra-se? "Quando todos recuarem, vocês atacarão". É isso que dizia, e todos estão recuando, e...




- Não, Annie. Tem a outra parte. "E assim, uma deusa salvarão". Que deusa, Annie? Isso não tem sentido... - Liz disse, achando que o plano falharia.




- Você está errada. Essa é outra parte. Cada verso com seu verso. Levante dai, ou todos estaremos mortos. Temos de atacar agora! - Sussurrou Annie, fechando os olhos e se concentrando ao máximo.  Vamos lá... Pai, Poseidon, por favor... Ajude-me... Atena, deusa da sabedoria, da estratégia e da Habilidade, ajuda... Afrodite, mesmo que eu não goste de você, preciso da sua ajuda... Essa única vez. A todos os deuses, ajudem-me! Pensou Annie, concentrando-se totalmente. Seus cabelos começaram a mudar de cor, indo do laranja para o vermelho-sangue. E seus olhos, mudaram do verde para o azul/cinza, como os de Liz. Nesse momento, as duas estavam exatamente idênticas, e Liz já estava do outro lado, esperando Annie aparecer para entrar em cena.




    Liz e Annie estavam preparadas. De alguma forma estavam. De certo modo estavam. Mas alguma coisa as fazia esperar.




    Todos em volta de Allynne. E elas observavam. Não sabiam se era o momento certo. Elas somente esperavam.




    Julieta chorava aos prantos nos braços de Harry, que a acalmava. Luna olhava sem acreditar. Ela observava o corpo de Allynne, como se tentasse buscar desesperadamente algo de vivo dela. Todos estavam. Delcroxs se mantinha forte. Forte para não derramar lágrimas. Ela sabia que Allynne não iria gostar. Até que, Annie cansou de observar. Elizabeth enfim, também estava impaciente.




    Com um pulo, Annie pulou detrás dos arbustos. Ela logo se pôs em posição de batalha. Liz pulou atrás dela. Apoiou-se em seus ombros e deu um pulo por cima de Annie, que estava preparada. A sintonia delas era perfeita, como se tivessem os mesmo pensamentos, não só a mesma aparência. Liz pousou bem na frente de Annie, já em posição de batalha.




    Aquela leve apresentação chamou a atenção dos que estavam presentes. Adam e Marianne se surpreenderam com as garotas, mas Marianne logo deu seu sorriso desdenhoso.




- Ora ora, duas Elizabeth's. Mais brincadeira pra mim. - Ela deu um sorriso maligno, que assustaria qualquer um, mas não semideusas.




- Marianne, sempre duvidando dos poderes dos Williams. Eu vou acabar com isso que você chama de cara, você vai sentir toda a minha ira. - Annie logo respondeu, com raiva nos olhos, mas foi repreendida pelo olhar de Liz. Ela não podia se deixar entregar, estragaria todo plano que elas há tempos planejavam. Annie teria que manter a cabeça fria.




- Engraçado dizer, eu fiz o mesmo isso com o lindo rostinho da sua mamãe. - Annie sentiu o sangue ferver no seu corpo,mas se manteu indiferente. Elizabeth se entreviu.




- E eu vingarei minha mãe fazendo o mesmo com a sua, Marianne. - Liz disse com a sua voz um pouco mais suave. Annie sempre teve a voz mais rígida do que de Liz, mas para o plano todo dar certo, ela tinha se esforçado para controlar a sua voz grave.




- E eu farei o mesmo com o seu namoradinho. - Annie olhou com desdém para Adam, que se mantinha sereno a discussão, até ser mencionado.




- Pensei que tinham esquecido da minha existência - ele deu seu sorriso sarcástico e cheio de dentes. Só de olhar, Annie tinha nojo. - Bom, meu bem, se eu fiz isso com a sua amiguinha, farei o mesmo com você. - Ele, instantaneamente, se pôs em posição de batalha, assim como Marianne. Ela, pelo que parecia, não se dava bem com espadas, mas se dava bem com maldições da morte.




- Estou decepcionada com você, Marianne. - começou Liz - Está com medo de perder na espada? - Ela deu risada, não como se tivesse graça, mas para se sentir superior a figura na sua frente. Marianne rosnou, e da bainha da roupa que ela usava, ela quase arrancou uma espada. Era longa, brilhante, e no punho, havia um brilho que Annie reconhecia. Eram pedras verde musgo. Aparentemente tiradas do mar... Era a espada de Percy Harvelle.




- Lembra disso Ann? A espada que seu papai lhe daria. Bom... Eu a tomei para mim. - Annie não sabia de forças a mantinha parada, não atacando Marianne. O sangue dela fervia mais forte e mais poderoso, mas ela se manteu firme. - Ela é muito boa. A espada do seu papai irá te matar. - Ela sabia que Annie a atacaria. Ela estava com esperanças disso. Estava confusa. As garotas eram idênticas. Ela não teria prazer ao matar a outra garota. Ela queria matar Annie.




    Annie lentamente se recuperava do choque. A espada que por direito seria dela. "Filha..." , Percy dizia, quando treinava com as meninas no pátio, sob a atenta supervisão de Annabeth, "está espada por direito será sua quando crescer... é uma promessa!” Ele tinha dado um sorriso, sempre caloroso. Annie derrubou uma lágrima dos olhos. A espada que seu pai lhe daria... estava nas mãos sujas de Marianne. "Eu irei arrancar aquela espada daquelas mãos. Eu vou vingar meu pai" , Annie pensou, agora controlada. Ela ia manter-se assim, indiferente.




- Ora, isso é uma lágrima? - Marianne se aproximou de Annie, que logo se pôs em posição - Calma queridinha - ela riu - fraca... Como sempre. 




- Fraca? De quem você está falando Marianne? Só pode ser de você. Quem fica a sombra de um homem é isso pra mim. - Liz deu uma olhadela para Adam, que a fuzilou.




- Marianne... Quem é ela? Se for Annie, bom, eu terei que matá-la. - Ele segurava sua espada com força. Ele não gostava de ser insultado.




- NÃO! Ela é minha! MINHA! - Ela olhou para as garotas, rapidamente, e as viu dar um sorriso sarcástico, como se dissessem: "vadia, você não vai saber quem é quem".




    Liz ainda estava na sua perfeita posição de batalha e Annie tinha retornado a sua, já que quando se lembrara de seu pai, tinha baixado a guarda.




    Marianne discutia consigo mesma. Não sabia quem era quem. Annie nunca choraria na frente dela, nem se fosse atingida por várias maldições da morte. Disso ela sabia, mesmo não querendo admitir. Ela se manteria firme, assim como a outra garota...




- Ela é minha! - Ela repetiu, apontando para Liz, que deu sorrisinho.




- Tem certeza Marianne?




- É claro que tenho. Eu vou acabar com você, até que você chore por piedade!




- É o que veremos. - Como Liz previu, Marianne começou a atacar. "Uma iniciante", ela se gabou nos seus pensamentos. Rapidamente, ela desviou o ataque de Marianne, quase tirando a espada da mão dela, que rapidamente se livrou do contra-ataque.




    Do lado delas, todos os outros, que tinham aparado para observar Allynne, voltaram a batalhar com o exercito de mortos vivos. Delcroxs logo atacou três dos mortos e em um corte mortal, os massacrou. "Pela Allynne", ela pensou. Luna também voltou ao mesmo ritmo, motivada, pela memória de Allynne. Julieta, ainda com os olhos inchados, fez o mesmo. Todos fizeram. O último a sair de perto de Allynne, foi Fred, que chorava mais que todos. Ele se levantou,




    Adam e Annie ainda se olhavam. Ele sempre com o seu sorriso superior e Annie pensava no ponto fraco dele. Ela não sabia nem de longe o maior ponto fraco dele. O seu calcanhar de Aquiles.




    A garota pensava. Allynne tinha contado a ela das manhas e coisas do passado de Adam. "Ele simplesmente odeia perder, mas sempre age de maneira tão obvia", Ally dizia numa noite, quando as duas garotas conversavam alegremente, sem nenhum dos seus problemas eminentes, "chega a ser meio estúpido", ela riu. Annie quase desabou quando percebeu que não veria mais aquele sorriso. Era o que ela achava.




    Enquanto Annie e Adam se confrontavam com olhares, Liz e Marianne travavam uma longa batalha.




    Marianne era ardilosa, mas previsível. Já Liz, era rápida, e pensava antes de fazer qualquer coisa. Bem diferente de Marianne.




    Ela fazia golpes previsíveis, e Liz logo a bloqueava.




- É isso que você pode fazer Marianne? - Deu risada Liz. Ela já estava com roupas rasgadas e vários cortes. Mesmo sendo previsível, Marianne tinha conseguido arrancar alguns cortes dela.




- Eu vou acabar com você Annie, mas cedo, ou mais tarde... Você vai ficar cansada. - Ela faliu entre suspiros. Ela estava destruída, mas não desistiria. A garota na sua frente era melhor que ela. "Como Annie melhorou tanto?", Marianne bufava.




- Bom, eu não estou nem um pouco cansada se você quer saber. - Elizabeth fincou a espada no chão e se apoiou nela, como se estivesse descansando. - Já você... - Ela riu. Marianne deu um súbito ataque de raiva e correu para atacar Liz. Para ela Annie.




    Liz rapidamente arrancou a espada da terra, e bloqueou o ataque mal preparado de Marianne. Ela tentou se livrar, mas Liz já tinha enroscado as espadas. Logo, em um movimento rápido, a garota atirou longe a espada de Marianne. Elizabeth deu um sorriso vitorioso e encostou a ponta a lamina da sua espada na garganta de Marianne, que estava de mãos pra cima, como se tivesse sido pega pela policia.




- Bom, vamos ver quem é a fraca Marianne. - Liz não podia matá-la, era dever de Annie. Ela sabia. Mas brincar com Marianne ela podia... Ela pressionou mais a lamina da espada na garganta da vilã. - Eu tava pensando, quem sabe com um pedido de desculpas, eu tivesse piedade de você. - Um olhar feroz tomou a face de Marianne.




- NUNCA! Vamos, mate-me. Isso não trará seus pais de volta, eu os matei. COM AS MINHAS PRÓPRIAS MAOS! - Sua voz tinha um tom de desespero. Não queria morrer. Elizabeth já esperava aquilo dela. Deu um chute certeiro no peito de Marianne, que caiu violentamente no chão.




- Vai se levantar ou sair correndo atrás da mamãe? 




----------------




 - Bom, quando você quiser ... Hum... Não sei quem você é. Afrodite abençoou vocês, certo? - Adam tinha uma voz calma. Annie, é claro, não se deixaria enganar.




- Não, a gente sabe se maquiar sabe. - Ela disse sarcástica. - Maquiagem faz milagres. - Adam a olhou, com raiva, por ser sido insultado pela segunda vez naquele dia.




- Vamos terminar logo com isso. - Ele correu em direção da garota, que logo desviou o seu ataque. Ele era feroz, com um olhar matador. Ela sabia como se defender. Ele tentou começar com um corte fatal, no meio do peito de Ann. Ela, simplesmente se desviou, e tentou atacar pelas costas dele. Ele nem se desequilibrou nem caiu, apenas se virou de volta, e defendeu a punhalada que Annie ia dar. Eles ficaram com as espadas enroscadas por um tempo.




- Você acha que vai ser assim tão fácil querida? Não... Não sou tolo como a sua amiguinha. - Ela, com um giro, se livrou da espada de Adam contra a sua. - Impressionante. - Disse Adam, antes de atacar Ann novamente. Dessa vez tentou um ataque pela esquerda de Ann, mas ela se virou, e deu um corte cego. Quase se desequilibrou. Adam riu o que fez Annie ser tomada pela raiva. Ela deu um salto para trás de ficou de costas para Adam, que, não notando a rapidez de Annie, foi pego de surpresa por um chute por trás. Ele apenas se desequilibrou, para completa decepção de Annie.




     Ele logo se pôs em frente de Annie, com um sorriso maquiavélico, e deu três passos para trás. Do céu, sombras vieram ao encontro do Adam. Era como se elas se fundissem a ele. Dessem-lhe mais força. Annie se manteu em posição de guarda, com a espada firme na sua frente. As sombras ainda rodeavam Adam. Até que simplesmente evaporaram.




     Annie ficou um pouco confusa com aquelas sombras, e nem viu Adam atacar. "MERDA, ERA ISSO QUE ELE QUERIA", ela pensou quando caiu no chão, logo depois de desviar de uma nova cortada fatal de Adam. Ela se levantou, toda suja.




- Desculpe não ter avisado querida... - Annie sentiu seu sangue ferver pela segunda vez no dia. Já estava cansada de tudo isso. Cansada. Queria sua vida normal de volta, não queria perder mais pessoas que amava. Ela acabaria com aquele "homem" que estava na frente dela. "Deuses do Olimpo, venham e me abençoem nesse momento. Eu preciso derrotá-lo. Deuses do Olimpo aceitem minhas preces." Adam a olhava atentamente. Incrivelmente não tinha atacado. - Eu não queria acabar com você Annie, sinceramente... - Ele não terminou a frase. Vários cortes e ataques, de diferentes maneiras, partiram pra cima dele. Annie tinha perdido a "paciência".




 




----------------




 




     Marianne se levantou e tropeçou até sua espada. Elizabeth riu só ver a cena. A garota, sempre com expressão superior, estava na frente dela, tateando atrás de sua espada.




- Cadê... A minha ESPADA? - Marianne gritava.




- Sua espada? Melhor repensar essa frase. - Ela só não atacava a garota, porque sabia que não podia matá-la. Naquele tempo em que ficou "á toa", ela olhou pro corpo de Ally. Por um momento, parecia que ainda tinha vida ali. Vida... Vida. Tinha vida. Elizabeth foi obrigada a parar com aqueles pensamentos, Marianne estava atacando novamente.




     Ela começou por um ataque baixo, que foi bloqueado. Elas chocaram as espadas diversas vezes, até que Marianne recuou, suspirando.




- Medinho? - Liz riu. Ela atacou. Quanto mais Marianne atacava, mas era rápida, como se seu cansaço a ajudasse. "Não, isso não pode, ela deve estar tendo ajuda", Liz pensou.




     A garota notou que sombras rondavam Marianne, até atravessá-la. Aquilo parecia que lhe dava forças. Ou só serviam para confundir Liz. Era mais provável. Confusa em pensamentos, a garota não pode evitar um corte no braço que Marianne fez cruelmente. E o chute exageradamente forte no peito. Ela caiu no chão.




- Ora, ora, quem atinge com chute no peito, com chute no peito é atingido. - Liz não pensou duas vezes. Ela enroscou suas pernas nas de Marianne e a paralisou. Ela urrou de raiva, porque tinha achado que tinha vencido. Mesmo com um braço imóvel, Liz continuaria a lutar. Ela se virou, como se fosse rolar no chão e derrubou Marianne. Ela se levantou, com o braço ainda ardendo, e com a espada sendo segurada no braço bom.




     Marianne também levantou, raivosa. Logo atacou Liz, que, como sempre, a bloqueou. Com o braço escorrendo sangue, ela ficava mais fraca a cada momento. Agora estava mais invulnerável. Elizabeth lutava contra a dor e com a "mulher" na sua frente. Não que ela pudesse chamar aquela vadia sem coração de pessoa.




- VOCÊ ESTÁ MAIS FRACA ANNIE, DESISTA! - Não, ela não desistiria. Ela ainda tentou golpes de ataque, mas sempre tinha que se defender, para não levar outro corte realmente profundo e doloroso. Marianne não, parecia que ficava mais forte. Ou... Era ainda as sombras.




     Elizabeth cansou de se defender. Ela tentou um ataque que seria doloroso pro braço ruim dela.




     Ela deu um dos seus saltos, e pulou exatamente nos ombros de Marianne. Foi tão rápido que ela não percebeu, estava no chão. Elizabeth se impulsionou para frente e assim fez Marianne cair. Ela, com a dor do braço duplicando, se impôs de pé com Marianne logo atrás dela. A garota empunhou a espada no "braço bom".




     Marianne estava sim, sendo ajudada por sombras, assim como Adam, mas as duas eram tão exatamente iguais... Era confuso por dois. Principalmente para Marianne. Ela tinha uma necessidade doentia de matar Annie. Ela tinha raiva daquela garota.




- VOCÊ É UMA FRACA! VOCÊ NÃO VAI TENTAR ME MATAR! - Elizabeth realmente não ia matar. Annie teria o prazer.




- NÃO... PELO MENOS AGORA NÃO. - Ela riu desdenhosamente, assim como Marianne. Quase igual. Liz pensou e riu. A garota relaxou igual à Marianne, quando achou que tinha finalmente ganhado Liz. Ela errou exatamente como Marianne.




     A vadia (melhor nome pra ela, "mulher" é muito elogio!) se levantou sem Elizabeth perceber e lhe deu uma rasteira. A espada de Liz, que estava sendo segurada sem muita força, pois ela estava ficando cada vez mais incapaz de lutar, voou da mão dela. Muito sangue tinha saído da ferida de Liz, e isso a deixou mais fraca. Como Marianne queria.




     Normalmente Liz se levantaria num piscar de olhos do chão, mas ela estava cansada. Fraca. O sangue parecia que escoria cada vez mais. Então, como num flash, ele se lembrou de Annie falando da espada do seu pai, de como queria recuperá-la... "Aquela espada era perfeita. Qualquer mínimo corte faz quase um grande estrago. Meu pai disse que sai tanto sangue que...". Liz parou por ali. Marianne então sabia que a espada fazia isso. Ou não. Não fazia diferença.




     Ainda no chão, com a espada longe dela, Liz estava com a espada de Percy Harvelle apontada para ela.




- Riu de mim? Pois cometeu o mesmo erro. - Ela riu de mesmo jeito de sempre. E pensar que era Elizabeth que estava assim há segundos atrás... - Estou pensando se vou te torturar com um crucio antes de te matar... - Marianne gritava, como se Liz fosse surda. Seu pior erro. - ... Ou se te mato com um corte só... Com a espada do seu pa... - Ela não terminou a frase. Um chute pelas suas costas a derrubou brutalmente no chão.




- VOCÊ NÃO VAI MATAR MAIS NINGUÉM SUA VADIA! - Disse a Annie verdadeira, com espada em mãos, sangrando pelo corpo inteiro, e com olhar feroz.




---------------




     Annie não atacava Adam precisamente como antes. Atacava como se fosse uma criançinha... Do mesmo jeito que atacava quando lutava com seu pai. Aos cinco anos...




     Ela estava com raiva, muita raiva. Adam a tinha irritado com seu sarcasmo e mania de se achar superior.




     Mesmo com ataques tão imprecisos, ela fez vários cortes em Adam, que o irritaram, assim como ele fez com Annie.




- Você não devia ter feito isso... Elizabeth... - Ele disse sem certeza. Ele ainda não sabia se era Annie ou Elizabeth. As garotas tinham realmente conseguido uma bela de uma benção de Afrodite.




- Estou morrendo de medo, filho da puta. - Annie disse ainda com intensa raiva.




     Adam foi quem tomou a iniciativa, e Annie bloqueou sua espada. As espadas se chocaram mortalmente. E assim seus olhos se encontraram. Logo se desviaram e continuaram a batalha.




     As espadas se chocaram inúmeras vezes, mas nenhum dos dois chegavam perto de algum golpe mortal. Eles eram realmente bons, quando não havia sarcasmo ou ironia pela parte de ambos.




     A garota ainda procurava o ponto fraco de Adam, se pudesse... Se pudesse pelo menos achar seu ponto fraco. E matá-lo. Sim, ela queria matá-lo. Bom... Somente assim ela vingaria Allynne. Ah, Ally... 




     Adam continuava investindo bem, só que Annie bloqueava. Sempre. Nem as sombras conseguiam ajudá-lo. Alguma coisa estava ajudando ela... Alguma outra força. Annie de alguma forma também notava isso. Não era somente a vontade de vingar Ally, era... Algo entrando em seu corpo e dizendo "você consegue". Não dizendo com palavras... Mas, simplesmente deixando esse recado.




     O filho de Hades (Tio suquinho, como Annie falava) tentou uma rasteira, mas Annie pulou, e ainda no ar, chutou o queixo de Adam. Ou o rosto. Ela não tinha visto... Mas não importava. Ela ouvia gritos... Gritos de Marianne.




- Estou pensando se vou te torturar com um crucio antes... - Então a garota viu.




     Liz estava no chão, com um dos seus braços sangrando. "MERDA! A ESPADA DO PAPAI! Eu tinha esquecido..." , ela pensou. Ela correu sem pensar até Marianne e Liz, não deixaria ninguém mais morrer nas mãos sujas de Marianne. Adam ficou para trás, urrando de dor, pois o chute de Annie atingiu em cheio sua boca.




- ...com um corte só... Com a espada do seu pa... - Marianne não terminou sua frase, pois Annie lhe deu um chute. Um chute que quebraria a coluna de qualquer pessoa, menos a de uma vadia unida ao mal, como Marianne. "Infelizmente", ela pensou, com um sorriso sombrio.




- Você... - Annie não tinha percebido, mas algo tinha mudado. Ela se olhou no reflexo da espada. Seu cabelo... Estava com algumas mechas laranja. Mas seus olhos... Estavam azuis ainda. Ela não compreendeu. - Annie... Então... Que bom que você esta aqui. - Marianne se levantou. Annie não a impediu porque ela ainda não compreendia o que tinha acontecido com a sua aparência. "Afrodite filha da puta, você me paga!", Annie pensou.




     Liz continuava no chão, agora se rendendo a dor, chorando de dor. A espada tinha realmente uma lamina fatal.




- Bom, Annie, que tal uma luta limpa, longe daqui, sem... Pessoas interferindo? - Liz ainda urrava de dor.




- Fechado. - Annie falou secamente. Era agora... Era agora que ela a mataria.




     Annie estava segurando um pedaço da blusa de Marianne, com certo nojo. Quando elas estavam aparatando...




- NÃÃAAAAAO! ANNIE, NAAAAAAAAAAAÃO! - Liz gritou e agarrou a perna de Annie.




- NÃO LIZ, VOCÊ ESTA MACHUCADA!




- NÃO, EU VOU COM VOCÊ! - Ela não conseguiu se livrar dela. E então as três partiram...




 -------------- 




     Adam, de certo modo, tinha sido abandonado. Elizabeth (ou Annie, ele não sabia), tinha desaparecido. Marianne e Annie (ou Elizabeth) também. Ele não sabia para onde.




     Ao seu redor, seus guerreiros mortos-vivos faziam o seu trabalho. Mas... Estava sendo derrotados. Ele percebeu que ele desconsiderou demais os amigos de Allynne.




     Uma das amigas de Allynne... Luna... Ele não tinha certeza se era seu nome, bom, ela estava massacrando seus soldados, assim como outra garota, pela qual um dos seus servos fiéis se apaixonou. "Hermione Delcroxs", ele grunhiu o nome da morena no seu pensamento. Julieta, a espertinha que tinha fugido da sua caverna, também lutava. Ele ainda não sabia como a menina tinha saído, mas ela fora habilidosa. Só com a cabeça, na espada ela não era tão boa assim. "Ela vai ser uma das primeiras que eu vou ter o prazer de esmagar...", ele novamente grunhiu em seus pensamentos. Outros garotas... E garotos lutavam. Ele não sabia seus nomes, e nem tinha interesse de saber.




     Ele olhou o corpo da sua irmã... Estava morta, de fato, mas ainda... Transmitia uma energia. Uma energia estranha...




     Adam se aproximou mais... E mais...




     Os olhos da garota ainda estavam abertos, mas seu corpo... Ele irradiava energia. E sombras a rondavam, como se dançassem, querendo que ela acordasse.




     A espada de Allynne continuava cravada do seu lado, na terra mal cuidada. Ela passou as mãos pela lamina de baixo para cima. Quando chegou o punhal, havia uma leve delicadeza quando ela o pegou.




     Ainda deitada, ela tirou facilmente a espada presa tão fortemente a terra, e a levantou em direção ao céu. Um raio... Partiu da espada.




     O irmão da garota olhava curioso. A energia que saia da garota o deixava tranquilo, como se não fosse uma ameaça, apenas... Era bonito de olhar. Era gracioso.




     Do céu, do mesmo lugar que o raio foi lançado... Uma nuvem... Não, várias partículas de energia se juntaram. E iam na direção da garota. E as sombras, pareciam estar querendo que tudo escurecesse, querendo que o dia parecesse noite. E era o que estava acontecendo, pois tudo ia ficando escuro: O céu e a floresta.




     Adam olhava... Quase que maravilhado.




     As partículas entravam no corpo da garota, que brilhava cada vez mais. Ela as poucos foi levantando... Levantando... As partículas a levantavam. Até que as partículas quase a levaram do chão, seu corpo inerte voava. Levitava, como num toque de mágica.




     O seu corpo era com um mini sol, e agora ele se curvava pra frente, como se ela estivesse ficando de pé, mas ainda no ar. Lentamente as partículas colocaram os pés da garota no chão, e ela finalmente piscou os olhos. Olhos que transbordavam energia.



Okay,esse cap eu copiei da fic da Allynne,porque eu tava com uma puta preguiça de escrever e também porque eu fiquei horas fazendo o próximo capitulo,então gostem.Porque a Ju e a Ally são foda,e morram bitches,eu sou fodinha e luto que nem uma buceta mijada. 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.