FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

13. Cap. 13 – A força de Gina.


Fic: Gina Potter e os Poderes Secretos


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Cap. 13 – A força de Gina.


 


Um pouco depois do almoço, Sirius recebeu uma carta de Dumbledore pedindo para que retornassem a Hogwarts imediatamente. Surpreso e duvidoso avisou o pessoal e como Dumbledore parecia ansioso, arrumaram as malas de todos com mágica. Após um pequeno conflito entre os adultos e Gina, que insistiu que iria por último para fechar a casa, um a um foram indo para a lareira pública de Hogsmeade. Assim que cada um foi passando pelo pó de flú, foram sendo atingidos, sem chances de se defender, por comensais da morte que estavam à espreita. Depois que todos passaram, eles aguardaram Gina. Já tinham controle sobre os professores remanescentes e Dumbledore, que enviou uma coruja a Sirius assim que a escola começou a ser invadida, estava enfraquecido e desarmado, devido ao duelo com Lord Voldemort. Passados uns vinte minutos que Harry, o último a passar pela lareira, tinha sido pego, eles seguira para Hogwarts, onde prenderam os Weasley, Black, Lupin, Malfoy, Hermione, Katherine, Amanda, Luna, Neville, Ana, Juliana, Alicia e Angelina com os outros professores. Se Gina aparecesse, iria imediatamente a Hogwarts.


E foi assim que Gina chegou e viu seus amigos, professores, namorado e família presos, desarmados e com alguns arranhões, além de uma corja de dementadores, lobisomens, comensais e Lord Voldemort, bem mais forte agora. Abriu os portões e se obrigou a ficar calma. Os “reféns” a olharam e seus olhos diziam claramente: “Fuja! Salve-se! Chame ajuda!”. Mais ela apenas acenou com a cabeça, dizendo claramente: “Nem pensar que perco essa!”.


- Finalmente! A nossa convidada de honra chegou! Não devia ter nos feito esperar tanto, Potter! – disse Riddle.


- Vejam só, aqui temos cãezinhos sem adestramentos, demônios malvados, lambe-botas inúteis e o babaca maior, o titio Voldie. – disse Gina zoando com eles, e os deixando ainda mais furiosos. – To morrendo de meda! – disse empunhando a varinha. Mais assim que fez isso, Tom a convocou para si. – Não devia ter feito isso, Voldie! Acha mesmo que pode me parar apenas me desarmando?


- Veremos o que os dementadores fazem com você! – disse Tom, ordenando que os dementadores atacassem a ruiva.


Antes mesmo de chegarem perto, foram destruídos pelo Expecto Patrono Múltiplos da garota. – Strike um! – disse Gina para irrita-los ainda mais. – Depois foi a vez dos lobisomens, mais Gina apenas conjurou algo de pata, sabe se lá de onde, e transformou em gaiola para os cãezinhos sem adestramento. – Strike dois! Quer mesmo continuar Tom?


- Ora sua... Você pegou meus dementadores e meus lobisomens, admito que ficou bem forte. Mais nem mesmo você pode com mais de vinte comensais, não sozinha. – disse o Lord.


- E quem disse isso? – perguntou no mesmo momento que os comensais começaram a atacar. Os prisioneiros puderam ver algo que nunca viram no rosto da doce Gina Weasley, viram ódio, raiva e poder. Além do sorrisinho irônico que os marotos conheciam bem. O sorriso de Thiago James Potter, quando começava a pegar pesado no trabalho de auror.


A partir daquele momento, todos prometeram a dar mais ouvido a Ginevra Weasley, por que derrotar sozinha mais de vinte comensais, e um exército de lobisomens e dementadores em menos de uma hora, não é para qualquer um. Vendo a cara surpresa dos prisioneiros e de Tom, disse:


- Acharam que eu faço o que durante os meus treinos? – e fazendo a cara e voz mais sarcástica do mundo, completou – Tricoto?


E após certo tempo, desacordou e desarmou os últimos comensais, ao virar-se, encontrou um Tom Riddle furioso, espumando raiva.


- Como pode uma garota fazer isso? Estou cercado de inúteis que não conseguem nem derrotar uma colegial! – revoltou-se Riddle.


- Abaixa a crina ai, cara de cobra. – disse zombeteira. – Está se esquecendo de um pequeno detalhe, eu não sou uma colegial normal.


Pronto, se queriam ver Voldemort furioso é só darem uma passadinha aqui em Hogwarts. Ele começou a atacar de tudo quanto é jeito e em todas as direções. Gina fora obrigada a fazer um feitiço protetor em si, para poder proteger a escola, a floresta e os prisioneiros, mais assim que terminou o feitiço, seu escudo se quebrou e ela voou longe. Mais rapidamente se levantou. O que se viu foi uma troca de golpes e feitiços que deixariam qualquer mago ou bruxo normal no chinelo. Eles nunca tinham pensado que a delicada e doce Gininha, protegida dos meninos desde que entrou para Hogwarts, protegida de Fred e Jorge dede que se tornou apanhadora e protegida dos outros com o passar do tempo e da amizade adquirida, pudesse se tornar tão selvagem e tão agressiva. Depois daquele dia, ninguém jamais pensou que Gina Potter era indefesa ou não tinha maturidade o suficiente para saber das coisas. A partir daquele dia, eles entenderam o que o ditado popular: “Tamanho não é documento”, realmente quer dizer. Perceberam que a garota tinha mais maturidade e poder que muitos deles juntos. Porém, ao mesmo tempo em que chegavam a essas conclusões, Gina e Tom ainda duelavam. Este, ao perceber que estava enfraquecendo usou um de seus novos truques, a Estrela Negra de Drake, ou só Estrela Negra. O feitiço consiste em fazer um círculo e dentro uma estrela, com as pontas tocando no círculo, cada uma representando uma parte das Trevas: Dor, Ódio, Raiva, Vingança e Trevas.  Gina ainda tentou se defender e esquivar, mais foi pega de raspão. A última coisa que se lembra, é de ver Tom sumindo junto do seu exército de comensais e lobisomens, de ter convocado sua varinha e libertado todos, depois caiu na escuridão.


Ao se verem livre das amarras e das proteções feitas por Gina, todos correram em direção a ela, pois devido à potência dos feitiços realizados e recebidos, principalmente a Estrela Negra, Gina tinha caído inconsciente no chão. O primeiro a chegar foi Harry, que pegou a namorada nos braços e a virou, procurando pulso rapidamente.


- Está viva! – disse aos demais, mais devido à ligação, acrescentou. – Mais está muito fraca e ferida.


- Vou levar ela o mais rápido possível ao St. Mungus. - disse Sirius já se abaixando para pegar a afilhada no colo.


- Não! – gritaram Luna, Mandy, Mione e Kat.


- Por que não? – perguntou Marlene. – Ela precisa de cuidados!


- Sabemos disso. - disse Luna, estava uma pouco melhor que as amigas. – Mais Voldemort pode estar influenciado no hospital.


- A Srta. tem razão. Vamos levar Gina para a ala hospitalar. Papoula deverá poder fazer algo, ainda mais se tiver a sua ajuda, Marlene. E creio que os quadros possam nos ajudar também. – disse Dumbledore.


Dito isso, Harry levantou-se, com a namorada no colo, e todos seguiram para a ala hospitalar. Lá, Marlene tomou uma poção calmante, e ela e Mad. Pomfrey cuidaram de Gina e dos outros. Arranhões foram curados, dores foram tiradas e poções foram tomadas. Mais nada que faziam, acordava a pequena ruiva. O corpo foi curado e estava em repouso. A noite se foi e o dia chegou, e com ela os alunos voltaram do período natalino. Dumbledore, como sempre, não mentiu para os alunos e falou sobre o que ocorreu na véspera. Falou que os estado de Gina está crítico, pois o corpo dela não aceita poções repositoras de energia, e que se ela não acordar logo morrerá de desnutrição. Tirando os pequenos partidários das Trevas, todos ficaram preocupados com Gina, mais ninguém superava os marotos e Harry. As aulas corriam com naturalidade, apesar de todos estarem triste pela garota. Harry, Ron, Dan, Gab, Nev e Draco se esforçavam bastante, pois sabiam que a ruiva iria acordar e quando isso acontecesse, eles receberiam uma dura por não ter feito os deveres. A mesma coisa ocorreu com as meninas. Os treinos continuaram, mesmo sem o animo e a alegria de antes. A cada intervalo de aula, Harry ia até a enfermaria e ficava velando o sono de sua ruiva. Os marotos também a visitavam bastante, assim como alguns professores e os amigos e colegas. Em certo sábado, passado quase um mês e meio do Natal, encontravam-se na enfermaria Harry, Sirius, Marlene, Remo, Narcisa e Dumbledore, além de Papoula que estava fazendo alguns exames na menina.


- Estou dizendo, Alvo. Seria mais fácil ajuda-la se soubesse como é e quais são os efeitos desse feitiço. – disse Papoula.


- Eu sei Papoula. Mais não sabemos que feitiço é esse. Nem os quadros dos fundadores sabem. – falou Dumbledore. Desde que Gina tinha sido atingida, todos tinham ficado com um ar triste, um cansaço maior.


- Tem que ter em algum lugar aquele feitiço, Dumbledore. – exasperou-se Sirius.


- Na ala restrita, nos arquivos secretos, nos documentos dos fundadores, sei lá! Em algum lugar deve ter! – concordou Remo.


- O problema é que já reviramos a biblioteca e os arquivos secretos. Os fundadores já disseram que não tem nada em seus documentos. – disse Marlene pesarosa.


- Que raios de feitiço era aquele, meu Merlin! – disse Harry.


- A Estrela Negra de Drake, ou só Estrela Negra. – ouviram uma voz, vinda da cama de Gina. Assustaram-se quando viram a menina acordada e tentando se levantar. Não reconheceram a voz, por que foi só um sussurro, quase não ouvida.


- Gina! – falaram todos juntos. Logo e seguida Harry foi para seu lado e lhe ajudou a se sentar, enquanto Sirius, Marlene, Remo e Narcisa foram para o outro. Dumbledore e Papoula se limitaram a ficar em frente a paciente.


- Você está bem? Desde quando acordou? Sabe que feitiço é aquele? Como? – Começaram a bombardear a garota de perguntas.


- Calma ok! Uma coisa de cada vez. – disse a menina, tinha tomado uma poção renergizante que Mad. Pomfrey lhe deu e estava mais corada também. – Já estive melhor e já estive pior, acreditem! Acabei de acordar e é claro que conheço esse maldito feitiço. – disse quando todos se acalmaram.


- Conte-nos sobre esse feitiço, querida. – disse Narcisa calmamente.


- Ok! Há muito tempo atrás, existia dois grandes magos, dois irmãos gêmeos. Drake e Merlin. Enquanto Merlin era pacifico e utilizador de magia branca, Drake era o oposto. Merlin jurou fazer justiça, mesmo que tivesse que matar seu irmão. Merlin e Drake se confrontarem milhares e milhares de vezes, aperfeiçoaram suas mágicas e criaram seus feitiços. Então Drake a criou, a Estrela Negra. Um poderoso feitiço que junta as piores sensações, sensações que só bruxos negros podem conjurar Dor, Ódio, Raiva, Vingança e Trevas. Cada ponta da estrela é uma sensação. Em contrapartida, Merlin criou sua própria estrela também, a Estrela Branca. Cada ponta é uma energia branca, Ar, Terra, Água, Fogo e a própria Luz. É a única coisa capaz de combater a Estrela Negra. – disse Gina. Há essa hora, os outros amigos já tinham vindo visitar Gina e estavam ouvindo a história também.


- Como você sabe de tudo isso? A lendária batalha de Merlin e Drake não foi presenciada e em nenhum lugar fala que eram gêmeos. – falou logicamente Mione.


- Antes de ir para a batalha final, Merlin procurou um grande amigo, leal e honesto. Enfeitiçou um pergaminho e lhe deu. Este pergaminho enfeitiçado se atualizaria durante a batalha, mais deveria ficar escondido e protegido. Nem mesmo esse amigo poderia ler o pergaminho, sem que Drake “revive-se” e tentasse repetir a história, só que dessa vez, com a vitória garantida. – explicou Gina.


- E para isso, Tom tem que encontrar e matar a herdeira dos poderes e de Merlin. Bendita profecia! – concluiu Dumbledore, e viu a cara de todos surpresas.


- Eu explico professor. No final do ano passado, depois que voltei do labirinto e tomei a poção para dormir sem sonhar, acabei sonhando com uma profecia. Nela dizia mais ou menos que Drake renasceria em seu herdeiro, e pretendia matar a herdeira dos poderes e de Merlin. Mais, por serem demasiados perigosos, os poderes estariam adormecidos até chegada à hora, a herdeira despertaria e seria a única capaz de destruir o herdeiro de Drake. Acordei e falei com o professor Dumbledore. – explicou Gina.


- E a profecia não dá indícios ou provas sobre a herdeira? – perguntou Kat.


- Não sei, não a vi. Só sei o que Gina contou. – disse Alvo simplesmente. – Venho tentado faze-la falar desde então, mais ela não diz nada.


- Gi, você sabe de mais alguma coisa? – perguntou Mandy. Nem perceberam mais, Gina ainda estava cansada e esgotada da batalha e acabou adormecendo.


Discretamente e delicadamente, Marlene arrumou a afilhada na cama e a cobriu, e um por um foram saindo da enfermaria. Os marotos e Harry, antes de sair lhe deram um beijo na testa, para afastar “pensamentos ruins”. A notícia de que Gina Potter tinha acordado e estava se recuperando voou pela escola, a maioria ficou feliz com a noticia. Mais a maioria, não quer dizer todos. Alguns aspirantes a comensais, como Avery, Nott, Crabble e Goyle ficaram furiosos com a noticia e trataram de enviar cartas a seus pais reportando isso. Depois de recebidas as cartas, os papais comensais seguiram até a sala onde o mestre estava. Ao comunicar-lhe que Gina Potter tinha sobrevivido a seu ataque, ficou furioso. Sua raiva pode ser sentida a quilômetros de distância, mais ninguém sentiu mais que nossa pequena heroína. Gina estava na enfermaria, junto de Harry e os amigos, os professores logo chegariam. Depois que relatou parte da história e desmaiou novamente, Gina não acordara mais. E, apesar de reagir com as poções, essa inconsciência não era comum. E eles nem sabiam ainda os efeitos do feitiço de Tom e o restante da história. Os professores já tinham chegado e perguntavam para a Mad. Pomfrey o estado da pequena heroína, quando está acordou e se viu rodeada pelos amigos. Porem, antes mesmo de falar algo, ou de alguém perguntar se estava bem, sentiu sua cicatriz arder e começou a se contorcer. Desesperados, tentaram acalma-la, mais nada do que faziam tinha efeito. Então, Harry limitou-se a apenas abraça-la. Aos poucos, os tremores foram passando e Gina foi se acalmando. Após a garota parar de se contorcer e a cicatriz parar de arder, Gina sentou-se, mais não soltou-se de Harry.


- Você está bem? – perguntou Marlene. Gina apenas concordou. – O que foi dessa vez?


- Ele descobriu que eu sobrevivi. – disse Gina.


- Como assim, sobrevivi? – perguntou Dumbledore.


- A Estrela Negra é fatal para qualquer pessoa. – pelo menos, pessoas de Bem, acrescentou mentalmente.


- Por Merlin! – foi exclamação geral.


- Mais creio que querem que eu continue a história, não? – ao que eles concordaram, ela apenas se aconchegou mais no abraço do namorado e continuou. – Creio que vocês querem saber mais sobre a profecia, mais no momento, isso é tudo que posso falar sobre a herdeira: Ela existe, mais ainda não despertou seus poderes. Logo vocês saberão sua identidade.


- Você sabe quem é? – perguntou Minerva McGonagall.


- Sei. Mais continuando... Merlin criou a Estrela Branca e Drake a Estrela Negra. A Estrela Branca não causa nenhum mal aparente. – disse, mais ao ver o olhar inconformado de todos, acrescentou – Só aqueles que possuem Trevas no coração. No caso de Drake, que nunca ligou para amor, amizade, carinho e essas sensações boas, ele sentiria isso, aumentado, e isso o machucaria, e até mataria. Já a Estrela de Drake, é fatal. A pessoa que sente recebe uma grande carga das sensações Dor, Raiva, Vingança, Ódio e Trevas, o suficiente para levar a loucura e a morte. Nem pergunte, por que não sei como ele aprendeu e nem porque de eu sobreviver. Ainda estou tentando descobrir o porquê do Patrono de Mandy ser igual ao de minha mãe. – disse antes mesmo de deixa-los perguntar.


- Me deixa adivinhar... O amigo de Merlin que guardou o pergaminho era um Potter? – perguntou Mione. Ao ver a surpresa de todos acrescentou – Lembra que ela comentou que os Potter’s são a família mais antiga e que guardava os tesouros, documentados em pergaminhos? Então juntei as peças.


- Isso mesmo Mione. Com Tom tendo assumido o papel de Drake e se tornado um Guardião das Trevas, o pergaminho pode ser lido por mim, à última Guardiã dos Segredos, que era assim que os Potter’s eram conhecidos. – explicou Gina.


- Ok! Ela já explicou tudo, mais agora tem que descansar! Poderão voltar para vê-la após o jantar, agora me deixem cuidar da minha paciente. – Falou Mad. Pomfrey para todos, os expulsando da enfermaria.


O resto do dia, os amigos conseguiram se concentrar mais nas aulas, e Harry conseguiu dar uma escapadinha durante os intervalos com a capa e mapa para ver a amada. Durante esse tempo que ficou sozinha na enfermaria, Gina colocou os deveres em ordem, coisa que Dan deixou anotado o que os professores pediram e falaram. Gina tinha que agradecer pelos amigos maravilhosos que tinha e pelo namorado perfeito. Mas, sentia que mesmo tendo grande amizade com as meninas, Draco, os gêmeos, Neville e qualquer outro, nada superaria a amizade que tinha com Harry, Ron, Dan e Gab, era como se eles fossem a metade de um só ser. Gab era a parte marota, Dan a parte estudiosa, Ron a divertida, Harry a companheira, e Gina, bom, ela era o restante. A semana se seguiu e logo Gina pode ser liberada pela enfermeira, que não aguentava mais os tumultos na enfermaria durante o tempo de visitas. Enquanto alguns professores, pelo menos a maioria, e alunos ficaram felizes com a recuperação total da ruiva, outros não deixaram de provoca-la. Durante a primeira aula de poções que Gina assistia após recuperar-se, Snape logo tratou de despejar o veneno sonserino.


- Srta. Potter fico feliz que tenha se recuperado, mais a Srta. perdeu muita matéria e muitos deveres, por isso, deverá entregar uma amostrar de cada poção que seus colegas fizeram nessas semanas, além dos deveres. E quero isso tudo amanhã, sem falta na minha mesa, sim? – disse Snape. Como eles dividiam a aula com a Sonserina, muitas cobrinhas exclamaram felizes, enquanto o restante dava claros sinais de irritações.


- Amanhã professor? – perguntou Gina, fingindo uma cara de preocupada e desesperada.


- Sim, Srta. Nem um dia a mais, está ouvindo.


- Perfeitamente. Mais porque esperar até amanhã, o que posso te entregar hoje? – disse Gina, e para descrença de todos, a ruiva tirou da mochila alguns pergaminhos d dentro de uma caixa escrita Poções, com alguns frascos claramente identificados. – Tive muito tempo para adiantar os deveres durante as festas e durante o período que fiquei em repouso. – explicou. – E quanto as poções, tinha pronta, as fiz nas férias e no recesso.


Depois dessa, ninguém mais conseguiu se conter, todos caíram na gargalhada. Gina tinha feito o que muitos queriam humilhar Severo Snape. E a pior, ela tinha feito isso, não fazendo absolutamente nada. Snape apressadamente pegou os pergaminhos e os frascos e terminou a aula. Creio que essa foi a primeira aula que a Grifinória não perdeu nenhum ponto, só a Sonserina que perdeu. Os outros professores foram mais tolerantes com Gina, por saberem que ele era uma aluna brilhante, mais não exemplar. No final do mês de fevereiro, todos já sabiam, não pergunte como, que o feitiço que Gina recebeu era, mais uma vez fatal e ela sobreviveu. As aulas logo acabariam, e com ela o quinto ano do Quinteto maravilha acabaria, o sétimo dos outros e o quarto das meninas também. Mais antes, o sétimo e o quinto ano, teriam os NIEM’s e os NOM’s. 
_________________________________________________________________________________________________
Boom eu ia postar só na segunda, mais para minha querida amiga Luna Prungs não perder sua sanidade, posto hoje... Além do mais, na quarta começam minhas provas finais, e com isso e me fu.... Beem, espero que gostem, estou me esforçando para fazer bons capitulo, aguardo comentários de todos... Provavelmente não conseguirei postar antes do fim do feriado, por isso não me matem....
Beijinhos e bom FDSpara todos... 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 4

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por JuPJEWAL em 13/11/2011

"- Perfeitamente. Mais porque esperar até amanhã, o que posso te entregar hoje? – disse Gina, e para descrença de todos, a ruiva tirou da mochila alguns pergaminhos d dentro de uma caixa escrita Poções, com alguns frascos claramente identificados. – Tive muito tempo para adiantar os deveres durante as festas e durante o período que fiquei em repouso. – explicou. – E quanto as poções, tinha pronta, as fiz nas férias e no recesso.


Depois dessa, ninguém mais conseguiu se conter, todos caíram na gargalhada. Gina tinha feito o que muitos queriam humilhar Severo Snape."

 

Eu dava tudo o que estivesse no meu alcance para ver a cara do Snape!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK'

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por JuPJEWAL em 13/11/2011

"A partir daquele momento, todos prometeram a dar mais ouvido a Ginevra Weasley"

"Depois daquele dia, ninguém jamais pensou que Gina Potter era indefesa ou não tinha maturidade o suficiente para saber das coisas."


Quem canta comigo? ALELUIA!!!! ALELUIA!!!!!!! ALELUIA!!!!!!! ALELUIA!!!! ALELUIA!!!!!! Tava mais do que na hora de verem que a Gina não é mais uma criancinha!

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Luna Prongs em 11/11/2011

A-GINA-É-MUITO-F*ODA

Tipo, mata todo mundo e ainda faz aquilo com o Snape... kkkkk

Ahm, valeu por postar o capitulo antes (ainda que eu tenha feito uma linda desfeita e comentado só hoje, mas tudo bem), me deixou emocionada :') e me ajudou a manter minha sanidade mental...kkkk

Pode deixar que eu não te mato dessa vez, já que você não aparatou para o St. Mungus e eu não fasso ideia de como te encontar...

Bom Feriado!

Beijos


Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Bárbara JR. em 06/11/2011

TOMA SNAPE! KKKK' ri demais imaginando a cena e a cara que ele ficou

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.