FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

3. Capítulo III


Fic: Os Marotos e o Segredo De Sangue - parte I.


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Os Marotos e o Segredo de Sangue




Capítulo III - Conflitos





- Senhorita Mills, já avisei que não é admissível tal troca de recados na minha aula, por favor, ou terei de ler toda a folha para a classe toda.


Ao contrário de Lily, Sasha não corou terrivelmente. Ergueu a cabeça com as sobrancelhas erguidas, em desafio ao professor de Defesa Contra as Artes das Trevas - o chato, odiável, e puxa-saco professor de Defesa Contra as Artes das Trevas. Nas aulas dele, era muitíssimo comum uma troca de bilhetes entre todos os alunos, e ele lia todos os bilhetes - menos o da única metamorfogama com várias especialidades em aparência de toda a escola; ou de todo o país. Não obstante, Sirius e Tiago se entreolharam significativamente e observaram os atos da garota.


- Não irá perder seu precioso tempo, professor Charlen. - ela disse seguramente, mas pelo olhar estreito do homem, ele tomou as palavras como um desafio de aluna para professor.


- E o que te faz pensar isso, garota? - elevou a voz, exatamente o contrário do que a garota fez.


- Pelo simples fato de eu já ter queimado silenciosamente o bilhete embaixo da carteira e não haver nenhuma cópia oficial ou não-oficial dele, a não ser que você tenha sido inteligente o suficiente para copiá-lo antes que eu fizesse isso.


Os olhos negros do professor se estreitaram tão perigosamente quanto podiam, carregados de uma fúria imensa - mas a garota só olhou para ele como se admirasse uma caricatura sinistra de Picasso.


- Eu achava que todo professor pensasse o bastante para saber o que fazer numa situação inadmissível como esta na sua sala de aula. - continuou a provocá-lo.


O silêncio era estarrecedor e ela sabia que professor Charlen explodiria a qualquer momento e tiraria enormes pontos com zeros da Grifinória por falta de disciplina e educação de uma aluna - mas não o fez. Girando os calcanhares, retornou ao quadro negro onde começou a escrever furiosamente o dever. Sasha trocou um sorriso e uma piscadela maliciosa com Sirius, o qual foi captado por Tiago, que balançou negativamente a cabeça, revirando os olhos, tentando voltar a se concentrar - mas o que ele não captou foi que a varinha de Sasha permanecia intacta em cima da carteira que ela ocupava.



*****




- Já leram isso? - perguntou um indignado Remo, esticando o braço e jogando por cima da mesa o novo número do Profeta Diário.


Na primeira folha - a qual todos, mesmo que não queriam, liam - uma foto grande em preto e branco de uma casa grande e aparentemente abandonada, as folhas secas ao seu redor rodopiavam enquanto em uma das muitas janelas uma luz verde foi seguida de um grito surdo e um relâmpago, e de repente o semblante de uma caveira, na boca da qual uma cobra escorregava e se enrolava. "A Ameaça 'Você-Sabe-Quem'", escrito em grandes e sombrias letras garrafais; mais abaixo uma matéria completa que bruxuleava tristemente por toda a folha surrada e amassada do jornal sobre um bruxo que começava a aterrorizar famílias bruxas e trouxas.


Sirius estreitou os olhos e olhou do jornal para Tiago, e dele para Pedro; que permanecia imutável, como se já soubesse de tudo. Pontas correspondeu seu olhar de preocupação.


- Vocês acham que... poxa vida, o que esse cara quer? - murmurou Remo, apoiando a cabeça nas mãos, a testa franzida levemente.


- Mostrar que tem poder? - arriscou Tiago, passando a mão direita entre os fios negros dos cabelos.


- Qualquer bruxo tem poder. - informou Sirius, com um tom levemente cínico e indignado na voz - ele quer se aparecer, isso sim.


- Só que matar gente pra se aparecer é algo muito mais sério do que o Pontas faz pra se aparecer, e olha que ele consegue. - balbuciou Remo.


Antes que qualquer um pudesse intervir ou até mesmo rir, uma voz animada e doce atrás do quarteto interrompeu-os: Sasha.


- O que é isso? - quis saber, curiosa, esticando o pescoço por cima da mesa de deveres; ainda vestia o uniforme escolar, o que era estranho para a hora da madrugada em que estavam.


Ela avaliou por um momento em silêncio a primeira página; pressionava levemente os lábios e tinha a testa franzida, denunciando o quanto estava concentrada na leitura. Nenhum dos quatro interrompeu-a, mas a observaram durante o tempo em que seus olhos corriam pela página - quando pareceu o fim, ou o que eles concluíram que fosse, ela ergueu a cabeça e deu um sorriso estranho:


- Eu não acredito que estão preocupados com a ameaça de alguém que não quer nem que saibam seu nome verdadeiro, isso é patético! - ela falou calmamente.


- É. Se ele apontasse a varinha pro seu nariz você ficaria totalmente segura. - argumentou Rabicho com uma pontada de sarcasmo.


- Isso é modos de falar com uma garota, Pedro? - indagou Sirius mansamente, jogando novamente os cabelos lisos para trás, arrancando um sorriso de Sasha.


- Sasha Victoria Mills, onde andou todo esse tempo? - soletrou uma ruiva de rosto muito vermelho que desceu as escadas do dormitório feminino pisando firme.


- Ah, não, ruivinha, agora se for pra controlar as fugas noturnas da nossa amiga aqui eu vou morrer de ciúmes. - informou Tiago irônico.


Sasha e Sirius abriram um de seus sorrisos de dentes perfeitos - que deixava qualquer um com inveja. Lílian fitou Pontas com os olhos estreitos, pensando em algo agressivo para responder e Remo balançou negativamente a cabeça, desaprovando, enquanto voltava seus olhos para o jornal novamente em busca de algo muito mais interessante para prestar atenção - enquanto Rabicho achou algo bem mais interessante para prestar atenção em um grupo de segundanistas risonhas e grudentas que passavam olhando interessadas nos mais velhos.


- Eu faria uma festa se isso acontecesse. - a ruiva balbuciou, quando seu rosto já ficara tão vermelho quanto seus cabelos.


- Então você quer sair comigo? - perguntou Tiago, mais sorridente que antes.


- Errado. A festa seria comemorando sua morte, seu cervo maluco. - respondeu ela.


Tiago arregalou os olhos e seu ânimo e sarcasmo pareciam ter se esvairado totalmente; Sirius fez uma expressão dubitável, entre "eu-não-acredito-nisso" e "ajoelhou-agora-reza". Sasha observou como Remo Lupin poderia se concentrar tão facilmente em uma leitura certamente idiota e insignificante.


Já passavam das duas e meia da manhã quando, em meio a risos e flertes, os seis perceberam uma estudante de cabelos louros muito encaracolados e longos, na outra ponta da longa e pesada mesa de deveres onde estavam, escrevendo em um pergaminho não muito concentrada, fazendo gestos insinuantes e jogando os cabelos para trás constantemente, dando olhadelas e piscadelas para Sirius - ou era para Tiago? Lílian trocou um olhar tedioso com Sasha, mostrando-a logo após a garota.


- Que tal fazer a lista andar, caro Pontas? - quis saber, em voz baixa e maliciosa, mas alta o suficiente para todos ouvirem, Sirius, passando as pontas dos dedos no queixo.


- Por que não você, Almofadinhas? Faz tempo que a sua lista não anda. - quis saber o outro, mas ao receber um olhar severo e significativo de Sirius, prosseguiu: - oh, ok, entendi caro amigo. Então agora é comigo. - voltou-se para Rabicho que agora os observava - preste bastante atenção como um profissional no ramo "fiquetício" faz, amigo, e terá quem quiser aos seus pés.


Dizendo isso se levantou e caminhou vagarosamente, observado pela garota loura e por todos na outra ponta da mesa; ao chegar no rumo sentou-se e virou a cadeira para ficar de frente à garota, que observava cada gesto do maroto com um sorriso malicioso nos lábios - por fim, começaram a conversar animadamente entre sorrisos flertantes.


Sasha notou que Lílian começara a piscar os olhos mais rapidamente do que de costume e balançar a perna direita freneticamente, enquanto arranhava com a unha as laterais da mesa. Franziu o cenho com um meio-sorriso para Sirius e indicou a ruiva com a cabeça; em resposta, ele sorriu com uma malícia desgastante.


- Então, Remo. - começou Sasha, desejando terrivelmente que o clima pesado que se formara se dissipasse - como vai a sua... o seu dever?


Os olhos aveludados de Remo se erguera, em misto a surpresa e indignação. Anteriormente se encontrava tão concentrado que Sasha duvidou que ele fosse fazer aquilo; mas ele continuou a olhá-la esperando alguma explicação ou alguma outra pergunta que o interessasse.


- Boa noite. - murmurou em voz baixa Lílian, e subiu pisando firme na escada, sem olhar para trás, nem receber nenhuma resposta.


- Acho melhor você ir falar com ela, Sasha - disse Remo calmamente, continuando a escrever em seu pergaminho, após a ruiva ter sumido pela escada espiralada - não que nenhum de nós possa ir, mas se tentarmos digamos que não dará certo.


Foi isso que ela fez, antes mesmo de pensar duas vezes. Tinha que mostrar para a amiga a real situação da sua vida - isso é, se ela já não soubesse. Subiu as escadas e abriu lentamente a porta; não que não esperasse aquela cena, mas Lílian penteava furiosamente os cabelos acaju e murmurava em voz baixa algumas imprecações para si mesma.


- Algum problema, Lily? - perguntou, se aproximando.


A ruiva estancou e jogou a escova sobre a penteadeira com força. Levantou-se da cadeira e abriu o armário com a mesma força, arrancando ruídos altos da porta que deslizava para os lados, procurando seus pijamas.


- Lílian... espera, Lílian! - a morena a segurou pelos ombros, fazendo-a parar com a agressividade repentina.


- Esperar o quê? - ela quis saber com violência, mas não esperou Sasha responder: - ele está lá embaixo fazendo aquilo de novo! - vociferou - quer saber? Eu nem sei por que me incomodo com isso. Não sei mesmo. - concluiu se virando e continuando a espalhar todas as próprias roupas no chão, atrás de um pijama, sem prestar a mínima atenção no que fazia.


- Lílian, pense: por que você se preocupa tanto com Tiago? - Sasha tentou ajudá-la.


- Com o Potter? Você acha que eu me preocupo com o Potter? Ah, Sasha, sinceramente... eu me preocupo com a garota que estará pelos corredores chorando com um coração partido por um asqueroso idiota! E não com o Potter! - afirmou com um leve tom de nojo na voz.


- Vocês eram assim quando conversavam antes de eu chegar? - ela perguntou, em um meio-sorriso.


- Nós-não-conversávamos antes de você chegar! - vociferou novamente, visivelmente nervosa, virando-se para encará-la outra vez - e eu não sei por que estou cedendo! Sabe, eu realmente fingia que o Potter não existia, mas você me aproxima dele! Ah, claro... eu tinha que saber...


- Tinha que saber do quê?


- Droga! Como eu não desconfiei? Nunca vi duas pessoas tão parecidas! Por que não fazem seus planinhos com outras pessoas menos briguentas? - ela questionou, indignada.


- De quem você está falando? - a outra quis saber, arrumando os cabelos negros atrás da orelha.


- De você e daquele montoado de cabelo preto! De você e do Black, claro! Sarcásticos, engraçados, e a todo minuto estão sorrindo e olhando diferente um para o ou... - ela começou a contar nos dedos, mas foi interrompida bruscamente.


- Calma aí! Você não é um plano! Cada idéia maluca você tem, Lily! Acha mesmo que eu poderia trair alguém dessa maneira? Alguém que eu gosto? - indagou indignada - Oras! Você estar chateada com a falta de concideração de Tiago tudo bem, mas não jogue sua frustração pra cima de mim e de Sirius!


Lílian a olhou por um momento. Só então percebeu o que fazia - o que não costumava fazer. Se enfurecera tão rapidamente que mal podia se reconhecer; mas continuava sem querer aceitar as teorias sobre seus sentimentos com relação a Tiago, que ela mesmo bolara, nas férias, e que foram arrancadas de si rapidamente ao vê-lo cantando outra estudante no dia de embarcarem para Hogwarts, no começo do ano. E ela jogava toda a sua raiva em cima da pessoa que não tinha absolutamente nada a ver com isso! Fechou os olhos e abaixou o rosto, envergonhada.


- Olha, desculpa. - ela começou docemente, voltando a encontrar os olhos azuis da amiga - eu me descontrolei, não queria ter jogado a culpa em você... e no Sirius.


- Ok, agora você realmente pirou, chamando o Sirius de Sirius. - a outra disse, rindo - mas vem cá - puxou-a para se sentarem na cama e abraçou-a pelos ombros - me fala... você acha mesmo que eu e o Sirius combinamos?


Lílian riu.



*****




- Qual é a emoção de ter Tiago Potter aos seus pés? - perguntou uma garota de cabelos prateados, com uma forte pontada de sarcasmo na voz - eu gostaria de saber, afinal, não é qualquer garota trouxa que consegue seduzir tão violentamente alguém como Tiago Potter.


- Lílian - começou Sasha em voz baixa, quase num sussurro - aquela garota está falando com você ou comigo?


- Comigo. - afirmou a outra no mesmo tom de voz.


- Ela é bem simpática, porque não a presenteamos com uma resposta do nível dela? - murmurou ironicamente.


- Por que seria se rebaixar ao nível dela. - respondeu enojada.


- Então, Evans, a sangue-ruim deusa futura Potter, não vai responder?


- Ah, não, isso eu já não admito. - murmurou furiosamente Sasha, antes de se levantar da mesa da Grifinória e encarar profundamente os olhos acinzentados da outra - perdeu alguma coisa aqui, garota?


Uma sombrancelha fina foi erguida em resposta - denunciando seu interesse maios por Sasha do que por Lílian. Algumas atenções do salão já encontravam as duas moças e cutucavam a pessoa ao lado para também olharem.


- Vejam se não é Sasha Victoria Mills... mais conhecida como "Garota Perfeccionista", e tenho o prazer de encará-la frente a frente... - a outra murmurou mais para si mesma a outra frase.


- É realmente uma pena que eu não possa dizer o mesmo. Pelo menos eu não tenho esses cabelos plastificados. - a outra disse.


- Está comparando a minha beleza à sua? - questionou a loira, indignada - Ninguém é comparado à beleza de Narcisa Black. - fez questão de falar em tom mais alto o sobrenome.


Sasha ouvira direito - ou enlouquecera? Black? Aquela garota terrivelmente diferente tanto fisicamente quanto internamente era nada mais nada menos que alguma parente de Sirius Black?


- Por que não fica quietinha, priminha? - Sirius murmurou entre os dentes, a cabeça baixa, num modo de não encarar ninguém.


Narcisa olhou de Sasha para Sirius, e por um momento pareceu avaliá-los externamente, nos seus olhos uma pincelada de surpresa e indignação. Ergueu uma sombrancelha e seus lábios se elaboraram em um sorriso malvado.


- Eu deveria saber. Olhos azuis, cabelos negros... sinceramente? Não achei que seria tão rápido ao fisgar uma garota, priminho traidor... - informou com seu habitual tom frio e sarcástico.


- Agora chega! - exclamou Sasha, enfiando a mão por dentro da capa e tirando dela sua varinha, apontando-a diretamente para o nariz da garota, murmurando somente para que ela ouvisse: - ouve e grava: se mete comigo de novo e irá se arrepender terrivelmente, até às pontas duplas desse seu cabelinho ridículo.


Um sombra de medo transpareceu nos olhos antes estonteantes de Narcisa, e ela arregalou-os com uma rapidez incrível - a mesma rapidez com que Sasha tirara a varinha da capa e apontara para seu nariz - como se temesse, mais que tudo, o feitiço que pudesse sair numa linha invisível da varinha rústica de Sasha e atingí-la diretamente no nariz empinado e minunciosamente cuidado. Sirius ergueu uma das sobrancelhas, visivelmente animado com a repentina mudança de humor da querida prima; Lílian observou atenta e Tiago fez o mesmo que Almofadinhas. Ante uma troca de olhares, Pedro observou atentamente as reações de Narcisa diante da ameaça Mills e, de repente, pareceu estar estranhamente esperando que ela reagisse de forma grossa e rude.


- É bem previsível alguém como você querer alternar tudo para a agressividade, não é? - a loira tornou a alfinetar ao notar que Sasha abaixara a varinha, surpresa com a reação da garota.


- Não. É imprevisível alguém como você não apontar a varinha para alguém que faz o mesmo com você. - Sirius respondeu por ela, com um tom de irritação - retire-se educadamente, antes que eu faça você fazê-lo à força. - ameaçou rispidamente.


Novamente Narcisa deslizou os olhos lanzudos pelos seis, depois virou-se de costas e desfilou até a mesa da Sonerina. Sasha voltou ao seu lugar e olhou para Sirius:


- Por que ela te chamou de traidor? - ela quis saber.


Sirius olhou para Tiago, que afirmou com a cabeça e depois passou a mão nos cabelos, despenteando-os como costumava fazer a cada minuto; olhou para Remo, que deu os ombros; voltou seus olhos para Sasha, que aguardava ansiosa pela resposta.


- Minha família inteira foi recrutada para servir à... Voldemort. - sussurrou o nome para que ninguém ouvisse, sem querer causar má impressão - e o pior: todos aceitaram. Menos eu. Desde aí a família inteira me chama de traidor e me trata como um elfo doméstico. Com Pontas foi a mesma coisa, só que os pais dele também não aceitaram seguir o "todo poderoso" e eles o apoiam.


- Por isso vocês são rebeldes? - ela questionou, um sorriso levemente esboçado no canto dos lábios.


- Não somos rebeldes. Somos marotos. - corrigiu Tiago dando uma piscadela, fazendo Sasha rir.


- Pra mim são rebeldes, com certeza. - murmurou Lily, mal-humorada.


- Ah, ruivinha, não vai ficar revelando nossos segredos íntimos que eu fico envergonhado. - repreendeu falsamente Tiago, fazendo Lílian corar fortemente e fingir que não ouvia o comentário.


Após o estranho e amigável café da manhã - onde as mesas voltaram a ser compridas e pesadas, uma para cada Casa - Sasha e Lílian foram para a aula de Herbologia sem esperar os marotos. Andavam em silêncio por um corredor movimentado e barulhento quando um garoto loiro de olhos castanhos claros, a pele alva e lisa, o nariz pontudo e o semblante alto, parou frente a frente às duas garotas e por um momento as duas pararam e se entreolharam - o garoto era realmente bonito. Tão bonito que somente a presença dele em frente à elas foi de invejar alguns grupinhos que começaram a prestar atenção no trio.


- Oi, você deve ser Sasha Mills, ouvi falar de você... sou Amos Diggory. - e estendeu a mão direita simpaticamente.


A garota sorriu com os dentes e esticou a mão para apertá-la - antes de sentir um braço forte envolto a si e o hálito quente de alguém em sua nuca, e sua voz pifar surpreendentemente; voltando a cabeça para o lado, estreitou os olhos ao encontrar Sirius Black sorrindo falsamente para Diggory, parecendo furioso, e seus braços enlaçando-a.


- Sirius? - ela exclamou, surpresa.


- Sasha. - falou calmamente - perdeu alguma coisa aqui, Diggory? - perguntou ao garoto com uma leve irritação na voz.


- Co-como ass...


- O que queria com elas? - quis saber, agora completamente irritado, interrompendo Sasha.


Sasha viu de relance Tiago ao lado de Sirius, segurando firmemente um riso, fazendo a face se expremer; Remo revirava os olhos com tédio; Pedro olhava Lily estranhamente, e esta tinha os olhos arregalados para Sirius abraçado à Sasha, e parecia um pouco corada.


- Eu queria saber se Mills está livre para dar uma volta comigo depois das aulas. - ele respondeu, dando um outro sorriso para a garota.


- Ah, é clar...


- Ela não vai, desculpe, garanhão. - informou Sirius com um tom de sarcasmo, interrompendo novamente a garota.


- Como é?


- Ela não vai. Agora cai fora.


Amos franziu o cenho, completamente surpreso e atônito à situação e à arrogância de Sirius. Olhou para Sasha, mas esta estava muda e indignada, os olhos fechados, esforçando-se fortemente para não voar no pescoço de Almofadinhas. Antes de dar as costas, Digory murmurou:


- Já enlouqueceu, Black...


Sasha enfureceu-se. Como ele tivera coragem de fazer aquilo? E ela nem sabia o que significava aqueles olhares enlouquecidos que trocava com Sirius por impulso! Tinha certeza que não era carência. Livrou-se dos braços fortes de Sirius e voltou-se contra ele, uma raiva cintilando nos olhos:


- O que você pensa que fez? Enlouqueceu, foi isso? - quis saber, indignada e a voz em tom mais alto que esperava.


- Enlouqueci? - ele repetiu, no mesmo tom - Eu estava é te protegendo de...


- De um encontro com Amos Diggory! - ela interrompeu completando a frase, tremendamente irritada - Amos Diggory! E quer saber? Eu realmente não pedi isso! - terminou e deu as costas, pisando firmemente.


Qual era o problema dele? Que ela soubesse, ele não tinha problema com garotas; e muito menos estava atrás de Sasha, pois já teria, com certeza, dado suspeitas. Ou talvez as suspeitas tivessem vindo e ela nem notado? Aquele montoado de olhares flertantes queriam dizer o quê, afinal? Já ouvira as teorias de Lily sobre o assunto - e os olhares mortíferos das garotas fofoqueiras quando ela andava com Sirius pelos corredores. Mas nenhum dos dois havia tentado arriscar uma iniciativa, afinal! "Ah, Céus, o que está acontecendo?", ela pensou, desesperada. Sua cabeça girava e a imagem daqueles olhos azuis escuros não saía da sua cabeça; nunca, em toda a sua vida, sentira isso por um garoto. E porque afinal brigara com ele? Ela nem ao menos conhecia Amos Diggory.


Suspirou e decidiu seguir seu caminho até as estufas, esperando esquecer Sirius Black.



*****




- Mal jeito, Almofadinhas. - murmurou Tiago, quando a garota desaparecera do outro lado do corredor.


- Ah, qual é? O que eu fiz de errado? - perguntou, indignado.


- Você fez uma loucura. Uma feia loucura, Black. - Lílian disse, jogando os cabelos acaju para trás, fazendo Tiago estremecer - qualquer garota daria um braço para sair com Amos Diggory, e ele veio até aqui falar com Sasha!


- E ela queria sair com ele, por acaso?


- Quantas vezes por dia se ouve o nome de Amos Diggory entre suspiros pelos corredores, junto com o seu? Milhares!


- O meu nome não escutam, ruivinha? - perguntou Tiago, fazendo cara de coitadinho, falsamente triste, interrompendo.


- Estava falando das garotas que tem juízo, Potter. - ela respondeu, e virou-se para Sirius a fim de terminar o que falava: - É claro que ela ficou interessada! É melhor apressar as coisas entre vocês dois, Black, ou você perderá.


Sirius ergueu as duas sobrancelhas - jogou os cabelos negros para trás e fitou Lily com arrogância:


- Eu não me importaria realmente se ela fosse pisada por ele em uma semana.


- E não é isso que você faz com as garotas que saem com você?


O garoto semi-cerrou os olhos, malvado.


- Ah, com licença. - ela murmurou antes de sair pela mesma direção que a amiga passara minutos antes.



*****




O dia correra estranhamente. Sasha pouco se importou com os costumeiros enormes e compridos discursos dos professores sobre como o Natal era importante e uma época para a família. Na Escócia era a mesma perda-de-tempo, todas as vezes que a época se aproximava e os alunos já planejavam o que fariam. Não almoçou pois não queria encontrar os olhos de Amos Diggory e nem os de Sirius Black juntos em um mesmo recinto.



*****




- Ok. Agora: Remo, o que você respondeu na pergunta sete? - continuou Sirius, rindo muito, fazendo os outros fazerem o mesmo.


- Algo como: "Talvez eu esteja errado, mas a tendência é todos saírem berrando". - Remo aumentou a onda calorosa de risos.


Duas garotas que passavam perto deles deram risadinhas abafadas. Lílian, que vinha logo atrás, notou o acesso que as garotas tiveram e revirou os olhos, ainda seguindo seu rumo, até ser interceptada por um animado e risonho Sirius Black que lhe impediu de continuar, se colocando na sua frente:


- Ao contrário de você, eu tenho coisas bem mais interessantes para fazer além de piadinhas sobre as perguntas dos deveres. - ela falou antes que ele pudesse dizer faca.


- Calma, Lily, só quero trocar umas idéias com você... - ele começou, falsamente indignado.


- Ah, é? Não vou emprestar os deveres - contou nos dedos as possíveis "idéias" que a relacionavam com Sirius Black - não vou avisar nenhuma garota no dormitório que você quer sair com ela; não vou terminar com nenhuma garota por você; não vou te dar passe livre para passear pelos corredores após as nove horas; e... acho que acabou, Black, algo mais? - ela abaixou a mão, dando-lhe um sorriso forçado.


- Claro que sim. - e deu aquele habitual sorriso que não deixava de fazer as pernas das garotas vacilarem, menos, é claro, as de Lily - viu Sasha por aí? Eu tenho que trocar uma idéias com ela, sabe... - e terminou dando uma piscadela maliciosa.


- Não vejo ela desde que você resolveu dar seu showzinho de ciúmes. - falando isso, forçou passagem por ele e subiu três degraus das escadas, parando no terceiro ao parecer lembrar de algo que talvez o interessasse: - mas, quer realmente saber? - recebeu confirmação e continuou: - eu a vi conversando muito animada com Amos Diggory e não quis interromper. Quem sabe não estão juntos? - deu um sorriso provocador , continuando a subir os degraus com mais rapidez que antes.


Sirius estancou e fechou os olhos. Por dentro corroía! Não precisava realmente que a garota estivesse ali com ele, mas que ela não estivesse com outro garoto, pelo menos! Ouviu a voz de Tiago:


- Ok. Já vi que Sirius Black enlouqueceu por uma garota. O que você quer com ela?


- Isso é um interrogatório, Almofadinhas, ela é nossa amiga. - avisou Remo ao notar que o garoto não estava disposto a responder.


- Me deixa em paz. - ele murmurou antes de sair pelo retrato da Mulher-Gorda.



*****























N/A: esse cap. fugiu totalmente das minhas possibilidades o_o'
Ficou escandalosamente ridículo.
Mas a partir do próx. cap. é q as koisas começam a esquentar... ^^

;* comentem, all right??

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.