FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

2. capitulo-2


Fic: Muito mais que inimigos.


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

N.A.:Oii gente...Bom atualizando pra vcs porque sou uma autora muitoo boazinha rs.Comentem!!


cap 2


 


A luz da manhã bateu em seus olhos quando um pequeno elfo abriu as cortinas de seu antigo quarto na mansão Malfoy, ele se virou contra a luz e tentou tapar os olhos com o travesseiro.


-Mestre Scorpius, seu pai pediu para acorda-lo.


Ele resmungou mais um pouco e se sentou na cama.


-Claro que ele mandou,acorda antes do sol nascer, meu pai está ficando senil, Jinkie.


-Jinkie não saber de nada mestre, mestre Malfoy mandou Jinkie e Jinkie veio.


-OK! OK! Já pegou minhas vestes?Porque hoje o dia vai ser adorável, vou poder infernizar a vida de Lily Potter a vontade.


-Jinkie já deixou as vestes do mestre no armário, estavam estranhas, mas Jinkie arrumou tudo para mestre Scorpius.


O homem foi tomar banho e poucos minutos depois se juntava ao seu pai na mesa para tomar o café da manhã.


-Bom dia, meu filho. - disse o senhor que não tirava os olhos do Profeta Diário.


-Só se for pro senhor, pai, ou se esqueceu da minha adorável missão?


O velho loiro não se deu ao trabalho de responder continuou lendo seu jornal enquanto bebericava uma xícara de café, duas elegantes mulheres entraram na sala: uma senhora muito enrugada e a outra já com certa idade.


-Vovó, mãe, como acordaram as duas mulheres da minha vida?


As duas sorriram diante do galanteio do jovem.


-Muito bem, querido, sua velha avó dorme como um anjo quando sabe que seu pequeno está sob o mesmo teto que ela. - A velha senhora, que usava um coque muito apertado, tinha vestes escuras que nunca tirava, mostrando seu luto eterno pelo marido, sorriu de leve para o neto.


-Vovó...sabe que tenho minha casa agora e já sou grandinho para morar com vocês, não vamos voltar a essa discussão logo pela manhã.


-Claro, querido, foi só uma observação.


Todos tomaram o café da manhã em silêncio Draco se despediu após ler todo seu jornal e pegou sua chave de portal para França. Antes de sair apenas sugeriu ao filho que se comportasse e cumprisse as ordens dadas pelo chefe.


Quando Scorpius já estava empanzinado com o café da manhã dos elfos, anunciou que estava indo trabalhar.


-Mãe, qualquer problema me procure, vou para meu calvário agora. - E sumiu no ar parando de frente à casa do seu chefe e amigo.


A porta se abriu e o velho Monstro mandou Scorpius entrar com uma cara de poucos amigos. A senhora Ginny Potter veio recebê-lo com um lindo sorriso.


-Bom dia, querido, vamos tomar café?


-Obrigada, Sra.Potter, mas já tomei meu desjejum na casa de meu pai.


-Então sente-se à mesa comigo. Albus já saiu e Lily já deve descer. - O rapaz acompanhou a mulher e aguardou em silêncio. Uma ruiva desceu e desejou bom dia aos presentes e se sentou à mesa, usava roupas trouxas simples calça jeans e uma camiseta.


-Malfoy, já que vou ter que te tolerar durante um mês você terá que me acompanhar até minha casa, preciso buscar uns papeis e trocar de roupa. Tenho uma última audiência no ministério antes das minhas “férias” e papai já autorizou então, sugiro que se prepare, pois o dia vai ser cheio.


Pouco tempo depois estavam em frente a uma porta branca, o prédio era grande e ficava no centro da Londres trouxa. A garota girou a chave na porta e mandou o convidado entrar.


Era um apartamento muito amplo e claro, as paredes todas em tons de branco e marfim, um grande sofá branco estava impecavelmente limpo, uma TV grande estava sobre um móvel moderno também em cor clara, uma decoração rica e discreta completava todo ambiente. Dava para ver a entrada pra cozinha , e um corredor que levava aos quartos e banheiros, Scorpius olhou tudo por alguns segundos. Uma elfa apareceu assustando o homem que puxou a varinha por reflexo.


-Bom dia, minha senhora, Flor estava muito preocupada com a senhora. - A elfa que vestia roupas pequeninas muito brancas parecidas com roupas de governantas se curvava numa reverência.


-Lily Flor...pare de me chamar de senhora, e não havia motivos de preocupação, estava na casa do papai.


A mulher entregou o casaco a criatura e mandou ela servir um chá para o convidado enquanto ela tomava banho para saírem.


Scorpius acompanhou a pequena elfa até a cozinha ouvindo histórias que a criatura contava, recusou o chá e pegou uma maçã verde que estava em um suporte e metal, a elfa disse que ia ver os livros da Srta Potter e aguarda-la na sala de estar. Analisou a estante cheia de livros de direito bruxo e sussurrou um “CDF” bem baixinho, seguiu o corredor e viu a porta do quarto encostada, o som do chuveiro preenchia o ambiente e ele entrou.Um conjunto rosa bebê estava sobre a cama e sapatos de salto muito altos da mesma cor estava no canto da cama.Ele olhou o ambiente e viu que a cama era muito grande e tinha mais uma porta do lado oposto do banheiro. Entrou e viu um closet com muitas roupas ocupando três das quatro grandes paredes, muitos terninhos, todos de cor clara. Ele notou que não tinha uma peça que não fosse cinza rosa azul bebê marfim e branco , uma das paredes tinha roupas dentro de sacos brancos e não permitia uma visão do que realmente eram, uma das paredes era sapatos,incontáveis pares de sapatos de todas as cores e tipos a maioria de saltos “quem diria a Srta certinha é uma consumista selvagem”. Eele saiu e se sentou em uma poltrona branca perto de uma escrivaninha pegou um livro qualquer que estava na mesa e começou a folhear quando uma ruiva enrolada num roupão rosa felpudo entrou secando os cabelos com uma toalha.O cheiro de lavanda fresca invadiu o quarto,ele levantou os olhos do livro pra ver a mulher o observando parada.


-Não posso me afastar de você por dez minutos e já se passaram 20. - Olhou pro relógio em seu pulso e deu mais uma mordida na maçã.


-Saia imediatamente do meu quarto, MALFOY, ou vou arrancar cada fio desse seu cabelo oxigenado.


O homem sorriu maliciosamente para mulher,  olhou-a totalmente tampada com o grande roupão e foi para a saída sem antes comentar.


-Gosto mais dos unicórnios, Potter.


A ruiva bateu a porta do quarto com força e começou a se  vestir rápido, estava em cima da hora.


Apareceu na sala onde o homem estava deitado em seu sofá com as botas pretas sobre algumas almofadas.


-Vamos, estou atrasada, e tire suas patas do meu sofá agora mesmo!


-Como você é chata, Potter. - A olhou de frente agora, ela usava o terninho que ele já tinha visto,a saia ia ateé os joelhos e a blusa branca debaixo do casaco tinha um leve decote que não mostrava nada. Os pés pequenos estava tapados pelos scarpins e ela andava com maestria sobre aquela coisa alta.Ele arqueou a sobrancelha imaginando como uma pessoa tão louca podia ser tão elegante, sem fazer nenhum comentário aparatou para o ministério onde a mulher trabalhava, antes de ajeitar os cabelos longos que caiam nos olhos. Ela apareceu ao seu lado andando com passos curtos e firmes sem olhar para ele, que vinha ao seu lado.


Muitas pessoas cumprimentavam a mulher e sorriam, ele pensou quantos idiotas lambiam os pés da cabeça de fósforo, outros cochichavam baixinho olhando pro casal tão diferente. Ela completamente séria e bem arrumada e ele com vestes negras, o sobretudo de couro farfalhava em suas costas, os cabelos lisos e soltos davam um ar de desleixo.


Ela entrou em uma sala similar à de sua casa e apenas apanhou uma pasta e saiu novamente em direção aos tribunais.


Um homem baixinho e barrigudo com cara de poucos amigos estava sentado ao lado de outro advobruxo muito bem vestido, e no oposto da mesa uma senhora também baixa a aguardava.


Ele se sentou em uma cadeira perto da mesa e ficou imaginando o que ela faria aquele dia.


-Bom dia, sra.Colleman, perdão meu atraso querida,mas tive alguns contratempos.- Falou olhando para o loiro que estava quieto.


O juíz entrou e se sentou na cadeira da ponta e pediu para que o advobruxo do senhor se manifestasse.


-Excelência, meu cliente, o Sr.Colleman, está disposto a pagar 50 galeões para a sra.Colleman, futura Srta.Brandie .Como não tem filhos e o divórcio foi decisão de ambas as partes, amigavelmente, creio que a advobruxa da sra.Colleman vai concordar.


O senhor baixinho e gorducho sorriu para Lily, e ela devolveu o sorriso mas não parecia um sorriso de confirmação.


O juíz pediu para a mulher prosseguir e ela apenas esticou uma pasta para o juíz.Depois dele abrir e analisar o conteúdo ele deu a palavra novamente para a ruiva que continuava com o sorriso arrogante nos lábios.


-Bom, excelência, creio que osenhor concorda comigo que não foi tão amigavelmente que minha cliente se separou e acredito que o senhor irá aceitar minha proposta de que a quantia de 1.500 galeões mensais será mais justo.


Scorpius que estava entediado com aquela monotonia de uma audiência de divórcio arregalou os olhos e quase engasgou quanto ouviu o valor que a mulher pedia para sua cliente.


 


 O advobruxo do velho ia protestar quando o juíz fez um movimento com a mão para que ele se calasse.


-Sr Colleman, vejo que escondeu alguns fatos, portanto façamos o seguinte: 1.500 galeões mensais, mais a mansão em que a sua esposa morava com o senhor.


O juíz fez um aceno com a varinha e encerrou a audiência. Lily se despediu da cliente que a abraçava e chorava contente.


Quando saíram da sala, Scorpius ainda olhava espantado para a mulher. Que cantarolava alguma coisa.


-Agora sei por que querem te matar, você arrancou até as calças do homem, 1.500 galeões, Potter?


-Aquele homem prendeu a mulher em casa por anos, a deixou estéril com a maldição cruciatus e levava prostitutas para a cama do casal enquanto a pobre ficava presa no porão. 1.500 galeões mensais não pagam os anos de humilhação que ela sofreu.O Sr.Colleman vai receber uma intimação para depor sobre seus atos discutíveis.Não creio que ele vai poder aproveitar a amante com quem planejava se casar.


-Como...como conseguiu essas informações?


-Não subestime minha competência, Malfoy, ao contrário de você eu tenho um cérebro, já você deve ter perdido o seu quando criava músculos.


Ele sorriu descarado e seguiu com ela para saída.


-Ora, Potter, anda me secando?


-Perfeito! - Ela disse revirando os olhos.


-Hummm, “perfeito” captura bem minha essência.


-Cala a boca, Malfoy.


-A frase universal da pequena Potter. Vamos almoçar, aquela sua audiência demorou muito to com fome.


-São onze e meia da manhã, como pode estar com fome?


-Estou em fase de crescimento, Potter...vamos almoçar no Beco Diagonal,quero comer massa.


Eles estavam em silêncio comendo. Ela comia uma salada e ele um prato com muita massa e molho, fazendo careta toda vez que olhava as  folhas no prato da mulher.


-Como consegue comer essa coisa verde?


-Não quero ficar com minhas veias entupidas de gordura, e se eu fosse você parava de comer tanta coisa gordurosa ou vai morrer antes do que imagina, e sei que você tem o vício em cigarros trouxas, o que sua mamãezinha acha de você usar com tanta frequência uma coisa trouxa?E pior que ainda mata?


-Minha mãe não sabe, Potter, e não sou viciado. Só fumo às vezes.


Eles ainda discutiam um com o outro enquanto uma pessoa os observava de um beco escuro, ele ou ela, que estava escondido por debaixo de um capuz grande, se preparava para atacar a ruiva quando essa se levantava para sair do restaurante.Scorpius já tinha notado a pessoa, pois fora treinado pra ter olhos nas costas, mas não quis assustar Lily e continuou sorrindo para quem quer que fosse não desconfiasse quando saíram da mesa. A pessoa tirou a varinha e ele só se virou e desarmou  o estranho sem pronunciar o feitiço. Quando deu um passo para atacar,  uma adaga dourada voou na direção de Lily que ainda fechava a bolsa distraída, alheia a situação. Ele resmungou um “merda” e se jogou na frente para não acertar a mulher a adaga se fundiu ao lado direito do seu peito e o estranho desaparatou , Scorpius gruniu de dor e se amparou numa mesa próxima antes de cair,Lily olhou para o homem com os olhos arregalados e o segurou antes que ele caísse no chão.


-O quê ...Você está sangrando, Malfoy?


-Sério, Potter...não tinha notado! - Ele disse irônico mais tinha uma expressão de dor na face suada.


-Vou te levar pra minha casa e você me explica melhor...- e ele desmaiou, Lily desaparatou levando o loiro desacordado com ela .


Flutuou o corpo pesado atée sua cama e pediu para Flor ajudá-la a limpar o ferimento e chamar um medi-bruxo.


O homem estava pálido mais que o normal os cabelos longos grudados no rosto. Ela rasgou a camisa preta e viu a adaga dourada que estava fincada no peito musculoso e branco que estava sujo de sangue. Ainda tremendo, puxou o objeto e pôs ao lado da cama, limpou o ferimento com um pano úmido e quando terminou, o sangue voltou a descer e molhar os lençóis.


O medi-bruxo chegou ao quarto acompanhado pela elfa. Depois de longos minutos fazendo feitiços, o corte se fechou e ele deixou algumas poções para Scorpius tomar quando acordasse.Lily acompanhou o medi-bruxo à porta e agradeceu voltando ao quarto, ele dormia como um anjo. O ferimento estava fechado e uma cicatriz fina e rosada era visível.Ela encostou a mão no rosto do homem e ele tinha um pouco de febre, pegou o pano e começou a por na testa para refrescar, sentou-se do lado dele da cama e não resistiu em tocar a fina cicatriz com a ponta dos dedos.Ela passou da cicatriz para o abdômen liso e definido.


-Abusando de um doente, Potter!


Ela levou um susto e levou a mão no coração.


-Quer me matar de susto, Malfoy?!


-Não...só estava tentando imaginar o porque de você estar com suas mãos em cima de mim.


-Você é muito mal agradecido mesmo, Malfoy! Eu estava baixando sua febre e você fazendo suposições...


-Sei,sei...


-Agora dá pra falar o que aconteceu? - A ruiva se ajeitou do lado dele e esperou.


-A adaga era pra você, Potter, e ia acertar em cheio se eu não entrasse na frente, minha missão é te proteger, não tem mais nada, ponto.


-Eu não sabia... obrigada, Malfoy.


-Minha missão, minha obrigação. Não tem que agradecer, Potter.


Ela ficou sem graça e se levantou.


-Quer jantar? Posso pedir pra Flor trazer alguma coisa pra você.


-Não, Potter, vou dormir.  Estou meio grogue.


-Certo você dorme na minha cama hoje e tem toalhas limpas no armário do banheiro, fica a vontade, e pode chamar se precisar de alguma coisa. -Ela saiu do quarto e fechou a porta devagar.


Ele acordou confuso, olhou para os lados e se lembrou de onde estava., Sentou-se  e estava completamente inteiro, se sentia bem. O corte já quase não aparecia, o relógio no criado-mudo marcava 3 da manhã. Estava totalmente desperto e tentou se acostumar com a escuridão do quarto ,ela estava lá sentada na poltrona as pernas encolhidas e a cabeça apoiada no encosto parecia desconfortável mas dormia profundamente, se levantou e chamou por ela em voz baixa baixo.


-Potter...acorda, garota, vai deitar na sua cama. - Ela não acordou e ele pegou o corpo encolhido no colo e a colocou na cama tirou os cabelos do rosto e reparou que ela usava uma camisa branca de botões que ia até seu joelho.


-Malfoy? - Ela perguntou sonolenta


-Você dormiu no sofá... e eu já dormi o suficiente. Pode voltar a dormir, vou ficar na sala.


Ela se sentou meio sonolenta ainda e passou a mão onde a cicatriz já tinha quase sumido.


-Você está bem? Tomou as poções? Você precisa de alguma coisa?


Ele viu que a mão dela ainda estava em seu peito e os lábios vermelhos e carnudos estavam visíveis na pouca luz que entrava pela janela. Ela parecia tão inocente que nem reparou na respiração dele que estava descompassada quando ela permanecia com a  mão em seu peito.


-Você está se sentindo bem? Parece que está confuso...


E ele não resistiu. Segurou-a pela nuca e colocou os lábios finos sobre os dela. Sentiu o choque inicial dela e quando foi se afastar, ela o abraçou pelo pescoço aprofundando o beijo.


Eles ainda estavam sentados , as línguas faziam uma dança sensual na boca de ambos o ritmo foi aumentando e ele a puxou pro seu colo fazendo as pernas dela se enlaçarem nas suas costas. Puxou o ar quando foi de encontro ao pescoço branco e perfumado dela, mordiscava de leve a pele que já estava com pequenos pontos vermelhos dos chupões, ela jogava a cabeça pra trás enquanto ele descia os beijos por sua mandíbula até os ombros ainda cobertos pelo tecido da blusa de botões. As mãos frias que ainda estavam em sua cintura subiram pelas laterais do corpo até alcançarem os seios fartos. Ela arfou quando ele chegou nesse ponto encostando as mãos de leve, ele sorriu no pescoço dela e voltou a atacar a boca da ruiva que estava entreaberta, ela gemeu abafado quando ele apertou ambos os seios com força por cima do tecido, ele massageou ambos e ela sentiu a ereção dele latejar. Os dedos ágeis abandonaram os seios e Lily soltou um lamento entre o beijo. O loiro desabotoou rápido a blusa e se afastou-se dos lábios para olhar sua nova descoberta, afastou as laterais da blusa e passou a língua nos lábios úmidos, eram grandes e redondos, os mamilos de um rosa suave pequenas veias eram visíveis , e eram tão empinados que ele arfou ao encostar a boca em um deles. Sugou de leve e ela gemeu alto, puxou os cabelos longos dele para que  aprofundasse mais e ele abocanhou com força, sugou cada pedaço do seio e mordeu o mamilo que agora estava arrepiado e muito vermelho. A ruiva se contorcia e ele passou pro outro,  sugando com volúpia, os dentes arranhavam a pele sensível e a outra mão apertava com urgência e força o que ele abandonara, ele subiu os beijos novamente para os lábios vermelhos dela, mantendo as mãos o tempo todo apertando os seios com força todo o tempo. Já estavam sem ar quando ele a desceu de seu colo e  deitou-a na cama, a ruiva tinha os cabelos bagunçados e arfava. Quando ele deitou sobre ela as mãos foram para as laterais de uma pequena calcinha de algodão, retirou a peça sem pressa . Voltou a descer os beijos pelo colo e seio se demorando um pouco mais naquele ponto que ele tanto gostou, e quando sua boca alcançou o objetivo, ela soltou um longo gemido. A pele rosada desprovida de pelos, completamente lisa e úmida. Ele passou a língua em círculos enquanto ela gemia cada vez mais alto, os dedos longos foram até a entrada  e deslizaram  suaves, ele começou os movimentos de vai e vem ainda a sugando. Lily erguia os quadris na direção de seu rosto, ela estava quase alcançando o clímax e ele retirou os dedos fazendo ela protestar com um “ah” voltou a beija-la e sentiu quando as mão pequenas retiravam a bermuda frouxa que ele usava juntamente com a cueca. O membro pulsante foi liberto e ele gemeu quando as mão delicadas o envolveram num aperto suave, ela sentiu o tamanho e a largura entre seus dedos e apertou com mais força imaginado quando fosse preenchida, movimentos leves pra cima e pra baixo e ele estava se controlando pra não coloca-la de quatro e a possuir rápido e com força.


-Ah Potter... assim você me mata. - Ele falou rouco e ela sorriu safada.


-Eu quero você dentro de mim agora, Malfoy. - Ela gemeu de encontro à boca dele, tirando a mão do membro muito duro.


Ele não esperou mais, se encaixou entre as pernas da mulher e a penetrou de uma vez com força, sem delicadeza. Lily soltou um gritinho de surpresa. Scorpius atacou um dos seios e começou se mover dentro dela com estocadas pausadas e profundas, toda vez que ele ia até o fundo ela gemia mais alto. Estava descontrolado de prazer, sugava cada vez mais forte os seios. Ela soltou um “mais forte” entre os gemidos e ele levantou o tronco ainda encaixado nela. Segurou a cintura fina com ambas as mãos e começou a penetra-la com força e rápido. A ruiva estava de olhos fechados, mordia o lábio inferior e soltava gemidinhos. Scorpius olhava cada curva, cada detalhe do corpo branco e pintado por algumas sardas. Não parava com os movimentos e o suor caía pela lateral de seus cabelos. Ele sentiu a mulher se apertando em volta dele .


-Abra os olhos, Potter... quero você me olhando quando gozar em mim. - Ela obedeceu e o encarou ainda gemendo, os olhos cor de  mel estavam brilhantes e fitavam os deles que estavam quase negros pelo grau de prazer. Sentiu ela arfar mais uma vez e o apertou com muita força  gemeu alto e ele não parou os movimentos, ela tremia as pernas sentindo ser penetrada mais fundo, estava quase lá também e não queria interrompê-la. Quase gritava agora, Scorpius soltou alguns sons desconexos quando sentiu que ela gozaria mais uma vez, seu membro foi fortemente sugado por ela que se contraía e gritava de prazer.  Deu mais duas estocadas fundas e se derramou com um gemido longo e rouco, a preenchendo tanto que o líquido branco escapava pelas laterais antes mesmo dele sair de dentro dela. A respiração de ambos estava alta e instável. Deitou-se de costas na cama e fechou os olhos quando sentiu-a  apoiar a cabeça em seu peito. Adormeceram quase instantaneamente.


 


---


N.B.: Opaaa, mas até que esses dois se entenderam bem rapidamente, não?! Rsrsrsrs Quem foi que quis matar a pobre Lily? (levanta a mão quem achou a moça meio lesadinha ao não ver toda a confusão?! – rsrsrsrsrsrs). Capítulo encerrado com chave de ouro com essa NC! Parabéns, minha flor! E, vcs leitores, não esqueçam de comentar!!!


N.A.:Espero que tenham gostado do capitulo, a NC começando, mais uma vez quero agradecer minha beta Artemis Granger, e recomendar suas fics tambem! Beijos leitores e comentem!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por jessica salicio da silva em 20/09/2011

Deixa o Sr. Potter saber disso, alguém vai perder as mãos, os olhos e mais um pouquinho! 

CARACA, TA MUITO BOAA. e olha que to no 2º capituloi e disse qe não ia comentar, entrei em contradição! *-*

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.