FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

5. Entre conversas e memórias.


Fic: Divergências.


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Apesar de já ter chegado a essa conclusão, não consigo evitar arfar diante dessas palavras tão firmemente ditas por Hermione.


- Então... ele...  – a eloquencia me abandona completamente quando preciso dela.


- Exato. A noite que você terminou tudo Dino, justo aquela noite, era a noite que o Harry estava com toda a sorte do mundo a seu favor. – Hermione conclui triunfante.


Bem, eu poderia dizer “há, eu já sabia” ou “eu sou demais, né”, mas sinto desaponta-los, o que eu fiz mesmo foi ficar parada, lá, olhando para Hermione, completamente estupefata, tentando fazer com que o meu cérebro assimilasse o que tinha acabado de ouvir. E bem, depois de alguns minutos, nos quais Hermione esperou pacientemente que eu saísse de meu estado catatônico, me observando com um sorriso de “finalmente!”, eu simplesmente sorri. Mas não foi um sorriso. Foi o sorriso, deixo claro. Aquele tipo de sorriso, “eu ganhei um milhão de galeões, descobri a poção da imortalidade e como eu sou maravilhosa, tudo no mesmo dia”, mas, adaptado a minha realidade, seria mais como “eu ganhei o Harry! Descobri que ele gosta de mim, e que eu sou maravilhosa, pois ele gosta de mim!”.


Hermione parece estar com dúvidas quanto a minha saúde mental nesse momento.


-Você está bem? – indaga, mas eu vejo que por trás da sua expressão neutra, que ela está feliz também. Só ela sabe há quanto tempo eu espero isso.


 


 Flashback


 


3° ano de Gina/ 4° ano do trio.


 


Gina estava infelicíssima naquele momento, sentada em um canto da sala comunal já muito tarde, olhando apaticamente o fogo. Por mais que soubesse que as chances de Harry a convidá-la para o baile fossem quase nulas, não pode evitar criar esperanças. Esperanças essas que foram brutalmente exterminadas ao vê-lo confessar ao seu irmão, Rony, que havia convidado Cho Chang. Cho Chang, pensou amargamente. Ela já vinha notando os olhares demorados e sorrisos que Harry dedicava a ela, mas ainda assim tinha esperanças de que não fosse nada demais. Triste ilusão. Saber que ele havia convidado ela para ir ao baile, por mais que ela não tivesse aceitado, havia despedaçado o coração de Gina, que estava mentalmente xingando-se, por ter deixado aquele garoto ter tomado conta dele daquela maneira, por dar a ele o direito de deixá-la absolutamente péssima.


Estava tão mergulhada em suas reflexões que nem viu quando Hermione sentou-se ao seu lado.


-Pensando nele, não é? – nem precisou perguntar sobre o que ela estava falando, Hermione era a única pessoa que sabia que, apesar de tentar esconder, ela ainda gostava muito de Harry. Muito mais do que queria ou do que gostaria.


-Sim. Ele convidou Cho Chang para ir ao baile. E Rony, depois de você sair, me empurrou para cima dele. Mas agora eu já vou com Neville. Então, ta tudo na mesma. – informa em um tom sem emoção.


- Eu soube. Ah Gina, nessas horas eu juro que tenho vontade de bater no Harry – murmura contrariada.


-Bem, também não é como se ele tivesse muita culpa, em todo caso, eu não converso quase com ele. – responde conformada.


-Bem, como se a Chang fizesse muito mais. Garotos são tão idiotas Gina.


Então Gina se dá conta que ela não é a única que está tendo sérios problemas sentimentais.


-Eu juro Hermione, que até hoje eu não entendo como uma garota esperta como você pode gostar de um trasgo como o meu irmão. –Não estava mentindo, ela realmente não entendia.


Hermione não responde, o que é tomado por ela como uma espécie de confirmação.


-Eu quase pulei no pescoço dele a hora que ele exclamou “Mione! Você é uma garota!”, aquele imbecil.


Hermione dá uma risadinha sem humor.


-É incrível como ele consegue ser sensível às vezes, não é? -diz irônica.           


-Às vezes?Só as vezes? Mas não se preocupe quanto a isso. Ele vai ter um infarto à hora que ver você toda linda e poderosa, lá com o Krum. - Hermione sorri de lado.


-Vai ser uma coisa linda de se ver. Roniquinho descobrindo o que é o ciúme. Porque ele gosta de você Mione, por mais que seja um trasgo imbecil e insensível, ele gosta. Só que é tão lento que ainda não se deu conta disso. – Gina não tem duvidas da veracidade de suas palavras.


-Gostaria de ser tão otimista assim, Gina. Acho que tenho que me conformar que o seu irmão é um caso irreversível. – Hermione parece contrariada.


-Eu não sou otimista, sou realista, e são duas coisas bem diferentes. E eu tenho certeza de que o meu irmão gosta de você. Mas já vou te avisando, senta bem confortável em uma cadeira, com muitos livros e comida, pra esperar ele se declarar para você. Pode levar anos, e eu não estou brincando. –declara como que já conformada.


Hermione ri.


-Só você mesmo para conseguir fazer brincadeira com uma coisa dessas.


-Bem, não era uma brincadeira.


 


[...]


 


-Mas e o Harry?


-Mas nada. Ele não gosta de mim, me vê como irmãzinha do melhor amigo, e está gostando de outra. –declara sucintamente, apesar de não conseguir evitar a tristeza que a envolve.


-Eu sei Gina, agora ele está ligado demais na Chang, mas eu tenho certeza que um dia ele ainda vai se arrepender por isso. Você é simplesmente perfeita para ele Gina. E ele é perfeito para você. Vocês deveriam estar juntos.


-Bem, acho que agora quem está sendo otimista demais aqui é você, heim – Gina é sarcástica, apesar de não evitar querer acreditar nas palavras de Hermione. “Perfeitos, perfeitos um para o outro”. Não. Não. Passou Gina, acabou Harry não te deu e nem vai dar bola, contente-se com isso. Arrgh, porque é tão difícil então, meu Merlim?- Enquanto Gina praticamente trava uma batalha mental entre desejos e sentimentos, Hermione a olha, um vestígio de sorriso em seus lábios.


-Sabe, acho que você deveria seguir em frente. Sair com outros garotos, curtir a vida, e não ficar esperando uma coisa que pode vir à nunca acontecer.  –declara objetivamente.


- Já pensou alguma vez em seguir seus próprios conselhos?


- Não é de mim que estamos falando. E realmente acho, não, eu tenho certeza, que você deve seguir em frente, sair com outros garotos, afinal, não é só ele que existe, você sabe. Pode ser muito pior ficar alimentando uma possibilidade do que tentar observar o mundo em volta.


- Não era você mesma que agora a pouco mesmo, estava falando de como somos perfeitos um para o outro e de como deveríamos estar juntos? – Gina se sente absolutamente perdida com a fala de Hermione, e pensa que ou ela mesma estiva se contradizendo, ou talvez fosse só ela mesmo que era muito lenta para conseguir entender inteiramente a amiga. Hermione suspira.


- Eu sei o que eu falei Gina, mas não é como se a minha opinião fosse mudar a realidade. Harry neste momento, não me pergunte o porque, está interessado em Cho, e você não deve deixar a sua vida girar em torno dele e nem de esperanças, e sim aproveitar a sua.


-Você notou que está me pedindo para desistir dele?- Apesar de ter dito isso, Gina tem de admitir que Hermione tinha razão. Ela tinha uma vida, e não podia deixar um garoto, por mais que esse garoto fosse Harry, a fazer deixar de aproveitá-la. Mas não custaria nada tentar, pensa.


- Eu notei que eu estou te dizendo o que é certo fazer, Gina.


- Certo?


- Claro. Além de não ser nada bom para você alimentar uma esperança que pode vir a nunca se concretizar, você pode até se apaixonar por outro menino, sabe? Talvez, se você olhar em volta,e estiver menos concentrada em Harry, isso venha a acontecer.


Gina esperava que sim. Esperava sinceramente que pudesse encontrar outro garoto que a fizesse sentir o que Harry a fazia sentir. Que pudesse ver Harry só como amigo. Mas não estava muito confiante em relação a isso.


- E, sabe, eu tenho quase certeza de que se Harry te conhecer melhor, ele vai se apaixonar por você.


- Mas ele me conhece Hermione!


-Não Gina, ele não te conhece. Ele conhece a irmã mais nova do melhor amigo que gostava dele, a mesma que, se antes corava e derrubava coisas em sua presença, agora quase não fala mais de duas frases em sua frente. Desculpe-me Gina, mas não é assim que você vai fazer Harry prestar mais atenção em você.


Gina não pôde responder à amiga, pois estava estarrecida demais para fazê-lo. E mais uma vez, tinha de admitir, ela tinha razão.


- A visão que você o fez ter de si mesma absolutamente não é você. Não é Gina que eu, que todos nós, exceto Harry, conhecemos. Mas é assim que Harry ainda a tem, porque ele não te conhece. Se eu contasse agora mesmo para ele que você é extremamente engraçada, irônica e apaixonada por quadribol, ele sem dúvidas iria me perguntar se eu tinha certeza que estava mesmo falando de você. E você pode mudar isso. Você pode fazer Harry conhece-la, é só parar de ter medo, e ser você mesma. Você não precisa mudar, não precisa fingir, é só agir normalmente, como age comigo ou com seus amigos. Eu tenho certeza que um dia você vai me agradecer por te falar isso. Não digo que você e o Harry vão ficar juntos, claro, ninguém sabe o futuro, mas as probabilidades estão todas a seu favor.


- Você está certa. Como sempre, alias.  Eu não posso ficar assim, tenho que seguir em frente e blábláblá, exato?


-Exato. Seja você mesma Gina, você não vai se arrepender disso. Você tem seu jeito, e é maravilhosa por ele. E bem, se o Harry não gostar, sinto muito, aí ele que não é o garoto certo.


A objetividade e sinceridade franca de Hermione desarmou a ruiva, que apesar de ter ficado um pouco chateada pelo que ouviu, sabia que era a mais pura verdade. Ela jamais fora ela mesma na frente de Harry. Tudo bem que já podia ficar no mesmo ambiente que ele sem corar, e trocar algumas frases com ele, mas nunca havia sido do jeito que ela verdadeiramente era, não com ele. E bem, se Harry não queria ficar com ela, não seria ela que ficaria rastejando por ele, não, definitivamente não fora feita para isso. Seguiria em frente, e tentaria esquecê-lo. Prometeu a si mesma que tentaria. E conversaria normalmente com ele também, sem medo de rejeição ou desprezo, mostraria a ele o que estava perdendo. Hermione apenas abrira seus olhos para a realidade de que ela era uma garota, e que mesmo que Harry não tenha percebido isso, outros perceberam. E se algum dia realmente Harry a notasse, bem, aí só o tempo diria o que poderia acontecer, apesar de achar que não haveria tempo que mudasse qual seria a sua resposta.


 


 / Flashback.


 


Perdida em lembranças, praticamente esqueço que Hermione estava ali comigo. Alias, eu praticamente esqueço quem eu sou. O Harry, esta gostando de mim! Harry está gostando de mim! Harry está...


-Gina, Gina! Estou falando com você! – apesar de estar chamando a minha atenção, Hermione está sorrindo.


- Ahn?


- Compreendeu agora? Não é imaginação sua, não é um mal-entendido meu, é um fato. Harry está sim, sem a menos sombra de dúvidas, gostando de você. Eu diria inclusive que ele não está gostando de você. Ele está apaixonado por você.


Bem, se Hermione desejava me ver praticamente ter um enfarto, ela conseguiu. E como conseguiu.


- Eu... ele... ah!


- Sim, sim, isso mesmo que você deve ter tentado dizer. Vocês são apaixonados um pelo outro, e, na minha opinião, é só uma questão de tempo para ficarem juntos. – Ela sorri enquanto eu tento colocar em ordem as minhas ideias. O que não é exatamente uma tarefa fácil. Após um tempo, eu decido desabafar com ela.


- Eu nem sei o que falar, quase nem sei o que pensar, para ser sincera. Sabe, por muito tempo, eu pensei que eu ia ter que conviver e agüentar isso sozinha, sabe? Eu nunca imaginei que Harry pudesse gostar de mim, que pudesse me ver como algo mais do que uma amiga, no máximo. Eu nunca imaginei que algum dia eu pudesse de fato poder ficar com ele. Ele gosta de mim, Hermione! Você entende isso?


- Eu sei como você deve estar se sentindo. Você não tinha mais esperanças, não é?


- Não. Sabe, eu imaginei até que Harry pudesse vir a ser meu amigo, alguma hora. Mas nunca imaginei que pudesse gostar de mim.


- Você não quer ficar ele, é isso? 


- O que? Não! Você não está entendendo. O que eu estou querendo dizer é que o meu cérebro está demorando a assimilar a realidade. Uma coisa é eu achar que ele está gostando de mim, afinal, eu sempre quis isso, eu poderia estar criando o que queria ver, sei lá. Outra coisa bem diferente é você me falar que ele gosta de mim, Hermione. Você é a aluna mais inteligente daqui, é a rainha da lógica e do bom-senso, além de ser, claro, a melhor amiga do Harry. É quase como se eu não pudesse acreditar, sabe? Parece tanto com aquelas fantasias que eu alimentei por anos.


Ela sorri compreensivamente para mim.


- Eu te entendo. Mas você tem que aceitar Gina, ele gosta de você. Gosta muito. E não é nenhuma fantasia sua. Além do mais, eu, que convivi com Harry todos esses anos, sei muito bem identificar as mudanças nele. E é incrível o jeito como ele muda quando fala ou está com você. Não era assim com a Chang. Tenho certeza que Harry se apaixonou pela beleza dela, e se decepcionou muito quando a conheceu mais profundamente. Já vocês conversam, se entendem, brincam, se dão bem. O que é de longe muito mais do que qualquer coisa que ele e Chang tenham feito. Então, aceite os fatos, e faça alguma coisa de uma vez, porque eu já não aguento mais ver Harry olhar para você, e olhar, porque tem medo do que o Rony possa achar de ele tomar alguma atitude quanto a sua irmãzinha.


Hermione fala tudo isso de uma vez e muito rápido, quase não me dando tempo de assimilar tudo. E eu posso dizer uma coisa? Eu estava simplesmente adorando essa conversa. Hermione poderia repetir quantas vezes quiser que Harry gosta de mim, eu ficarei feliz em todas elas (mas Merlim me livre isso ser espalhado, tenho que manter minha imagem, afinal de contas).


Eu sorrio para ela.


- Não se preocupe quanto a isso, se Harry não tomar alguma atitude logo, eu não vejo o porquê de eu não o fazer.


Ela riu, e, com certo ar maroto, ou o mais próximo disso que Hermione Granger poderia chegar, disse:


- Isso é bom, porque o numero de pretendentes do Harry aumentou vertiginosamente este ano.


Ah, ela sabia como aquilo ia me irritar. Porque ela tinha lembrar aquilo? Argh. E o pior é que eu tenho certeza de que foi para ver a cor vermelha que eu tinha certeza de estar se espalhando por todo o meu rosto.


- Humpft. Aquelas galinhas atiradas, isso sim. Não sei o porquê disso agora. – mentira deslavada, porque era óbvio que eu sabia. Quem não sabia?  Harry estava lindo demais esse ano para não se notar. Ele estava bem mais alto, e com um ar, sei lá, tão sexy e compenetrado. Além de ter aquele rosto lindo e aqueles olhos verdes até demais. Nessas horas eu acho que até queria que ele tivesse continuado baixinho e magricela. Não que ele não fosse magro, ele era, mas é tipo um magro elegante, um magro sexy e muito ... Deu, pára Gina. Pára. Não pense no quanto seria bom agarrar ele. Nem em como deve ser passar a mão naqueles cabelos rebeldes, ou então... Argh. A minha própria imaginação me trai.


Hermione, obviamente não notando meu debate mental comigo mesma, especifica o que eu já sabia muito bem.


- Não se faça de tola, é óbvio que você notou. Até eu notei, e olha que eu considero o Harry um irmão. Mas a verdade é que ele está muito bonito mesmo. Muito interessante.


- Hey! Eu não tola. Ta certo, eu notei mesmo, quem não notou? – sôo aborrecida até para mim mesma –E eu sei que você o considera como um irmão. E sei muito bem também que o meu irmão, você não considera como um irmão.


Ela cora levemente e murmura alguma coisa que soa como “ruiva intrometida e indiscreta”. Ah, como eu adoro irritar Hermione com esse assunto! São as poucas vezes que ela não parece ser tão confiante e certa do que faz. Chegar a ser engraçado ver que é o meu irmão, Ronald Weasley, que provoca isso nela. Na pessoa mais controlada, inteligente e sensata que conheço. Vá entender o amor.


- Em vez de você ficar prestando atenção nisso, deveria fazer alguma coisa em relação a Harry, isso sim. Eu já vi meninas até discutindo dar poções do amor para ele na época da festa do Slughorn. E isso foi o que eu vi. Tenho certeza de que outras já planejam a mesma coisa. Pobre Harry, e a única menina na qual ele está interessado só o nota agora. – ela termina ironicamente.


Eu coro e dessa vez sou eu que murmuro coisas como “bem, mas eu notei” e “eu achava que era só a minha imaginação, tá?”. Ela ri antes de falar novamente.


- Vai me dizer que você não achou no mínimo estranho quando ele convidou Luna para a festa de Natal do Slughorn? Não que eu tenha nada contra Luna, claro, mas é que com certeza Harry não é interessado nela. E ele poderia levar qualquer garota da escola. Qualquer.Porque, as que ainda não notaram como ele está interessante, com certeza notaram o quanto está famoso. E ele levou Luna, justamente porque sabia que ela não tentaria nada com ele. Eles são só amigos. Se querem bem, e só. Eu juro que a minha vontade era bater a sua cabeça na parede por não ter ligado os fatos depois disso. Mas eu não pude fazer nada, pois você estava com Dino, e não queria influenciar você a fazer algo do qual pudesse vir a se arrepender depois, além de que gostaria de ver se você se daria conta de tudo sozinha, o que veio a acontecer, claro. Depois de meses.


- Bem, o que eu posso fazer, nem todos tem o seu privilegiado cérebro, sabe Hermione – enquanto tento soar magoada, o que a faz rir, penso que na verdade eu achei sim, muito estranho Harry levar Luna a festa, mas nunca, jamais, cheguei nem perto do verdadeiro motivo por detrás daquilo. Até agora, claro. Bem que eu gostaria de ter o cérebro de Hermione às vezes. Ela faz tudo parecer tão fácil e óbvio. Quem dera fosse assim para mim.


- Falando em Harry, o que ele e Dumbledore andam fazendo, Hermione? - verbalizo a pergunta que venho me fazendo há tanto tempo. Tenho certeza de que eles estão fazendo alguma coisa, ou Dumbledore está ensinando alguma coisa a Harry. Eu tenho uma suspeita do motivo quanto a isso, e não é nada boa. Nada. Rezo para que seja a minha só a minha imaginação.


-Co.. como? – Hermione gaguejar não é um bom sinal. Nem um pouco. Mostra que ela não deveria imaginar que esses pontos eu tinha ligado, e que há sim alguma coisa.


- Não se faça de tola agora você, Hermione. Você sabe do que eu estou falando. Há tempos que eu venho notando que o Harry desaparece às vezes, e já o vi recebendo vários bilhetes. Um inclusive fui eu mesma que entreguei, e ele mesmo disse ser de Dumbledore. Disse ser da próxima aula de Dumbledore. Porque Harry está tendo aulas com o diretor, Hermione? – Ela não reage, parecendo estar procurando o que dizer, e eu decido verbalizar a minha teoria, a mesma que eu rezo para estar errada, porque tem de estar errada – É alguma coisa relacionada a aquela profecia que ele encontrou no ministério, julho passado?


A expressão de Hermione me diz tudo. Tem alguma a ver com essa profecia. Entro em choque. Porque não pode, não pode ser verdade. Harry já está envolvido demais com essa guerra para ser verdade. Não. Deve ser outra coisa... alguma outra coisa, ou a minha imaginação de novo. Porque uma profecia... não é nada bom. Nada. Ainda mais uma que Voldemort queria tanto. Uma profecia dos dois não pode ser uma coisa boa. É impossível. Mas eu nunca quis tanto que não fosse. Nunca quis tanto que essa profecia dissesse que o Harry ia se dar bem, e Voldemort se render, admitir que sempre foi apaixonado pelo Harry porque ele sabe que ele sempre foi o melhor e ele mesmo se entregar aos aurores. Mas eu tenho a impressão de que não deve ser bem isso. Ah meu Merlim! Será que bem... morte? Será que essa profecia fala da morte dele e de Harry? Ou ainda... um matando.. o outro. Não. Não. Não. Eu devo estar viajando, não pode ser isso. Não pode.


 - Que bobagem Gina, você sabe que a profecia foi quebrada. Ninguém a ouviu. – se o intento de Hermione era me acalmar com essas palavras, falhou miseravelmente. Porque está óbvio que ela sabe de alguma coisa, sabe algo dessa profecia, e só não quer, ou o mais provável, não pode me contar. Além do mais, só porque quebrou, não quer dizer que ninguém a tenha ouvido antes. Afinal, as profecias daquela sala definitivamente não foram parar lá sozinhas. Alguém tem de ter a ouvido. Será que ...? Não, não pode ser. Seria coincidência demais, não seria? Não pode ser que Dumbledore soubesse da profecia. Se bem que às vezes eu acho que ele sabe de tudo, Merlim me livre. Mas não, não deve ser nada. Mas... se Dumbledore está tendo aulas ligadas a profecia com Harry, ele tem de saber da profecia, não tem? E alguém tem de ter contado para Harry, ele não a ouviu naquela noite no ministério, Neville a derrubou antes disso. O fato é que alguém já tinha de saber dessa profecia, antes de ser quebrada. Ela não pode ter aparecido do nada para Harry. Não é? Decido deixar para pensar nisso mais tarde, e por hora me contento em tentar extrair mais alguma informação de Hermione.


- Você sabe de alguma coisa Hermione. Essa profecia, alguém já a havia ouvido, não é? E contou para Harry. – novamente vejo o quanto a estou surpreendendo. Hermione deveria ter mais fé em mim às vezes, eu sou inteligente e astuta, dependendo do assunto. Não que eu tenha sido uma coisa ou oura em relação dos sentimentos de Harry por mim, mas foi apenas um lapso. Ok, um enorme lapso, eu admito.

Hermione suspira e parece cansar de negar a não existência da profecia.


- Bem, eu não posso falar nada Gina, não posso. Por favor, não insista, ok? Quando o Harry estiver pronto, ele conversa com você.


E eu achando que finalmente ia saber a verdade. Pelo visto ainda vou ter que esperar um bom tempo para isso. Argh. Mas, se por um lado eu me sinto completamente revoltada com Hermione e com vontade de azará-la até me falar a verdade, porque eu mereço saber, sem dúvidas, por outro eu realmente a entendo. Ela não pode sair falando uma coisa dessas assim. Harry, Dumbledore ou sei lá mais quem deve ter dito para ela guardar segredo. E Hermione não é alguém que desfaça suas promessas.


- Certo, certo. Mas, essas aulas tem a ver com isso, não é? Com o que Harry e Dumbledore irão fazer, alguma coisa a ver com Voldemort.


Hermione estremece levemente com o nome dele, mas eu é que não vou ter medo. Não quando ele me possui com 11 anos, me manda fazer coisas horríveis, mata meus tios e ainda por cima ataca meu pai com aquela sua sucurizinha peçonhenta e quer matar o garoto que eu amo. Ah não, ele definitivamente me deve algumas pedrinhas. Se eu pudesse, pegaria aquele f$%# da p%¨# (minha mãe que não me ouça) e faria ele pagar por tudo o que já fez. Tudo o que já me faz. Tudo que a minha família. Tudo o que já fez ao Harry. Ele que me espere. É só eu crescer mais, treinar mais um pouco, me preparar, e treinar mais um pouc... Bem, você entendeu. Mas um dia eu ainda chego lá.


- Só o que posso lhe dizer, é o que você mesma já deduziu. Harry está sim tendo aulas com Dumbledore, desde o inicio do ano letivo. Bem, quanto ao resto, não posso afirmar nem negar nada.


Essa enrolação toda, vinda de Hermione, quer dizer: “eles tão tendo aula, e sim, você está certa quanto à profecia, mas eu sou ética demais para confirmar isso”. Ah. Isso não é nada bom. Eu ainda torcia para ser a minha imaginação. Se bem que com a minha sorte...


Suspiro e decido acabar de uma vez com as perguntas. Hermione não vai me falar mais nada de qualquer jeito mesmo. Bem, pelo menos não por enquanto, porque eu com certeza não vou desistir de saber tudo, não mesmo.


- Ok. Você não vai me falar mais nada mesmo, não é? – ela confirma e eu suspiro novamente.


- Certo, então, srta. Curiosa, se já esclareci todas as suas dúvidas, preciso ir indo. Se você não percebeu, já estamos aqui há horas, e já está na hora do jantar.


- Certo. Obrigada por tudo, viu Hermione. Por me aguentar e aguentar também as minhas dúvidas e inseguranças.


Ela ri.


- Quando você precisar de conselhos e opiniões sobre o meu irmãozinho, saiba que eu estou às ordens também.


- Humpft. Você sempre tem de me incomodar com isso, não é?


- Como é que eu não incomodar a minha futura cunhadinha preferida?


Hermione abre a boca para me retrucar, mas para de repente, enquanto olha para a entrada, se despede e sai literalmente correndo pelo lado oposto da estante. Eu levanto e estou quase estou indo atrás dela, para perguntar o porquê da maluquice, quando dou de cara, ou melhor, dou no peito, de alguém.
Harry.


Eu amo a Hermione.


Ele parece sinceramente não notar que está me segurando muito perto dele (e não sou eu que vou lembra-lo), provavelmente porque está ocupado demais sorrindo para mim. Assim como eu estou sorrindo para ele (ao mesmo tempo em que rogo a Merlim para que ele não ouça o meu coração, que nesse momento está mais rápido do que uma Firebolt),e estamos assim, parados como dois idiotas, só olhando e sorrindo um para o outro (E Senhor, se o senhor ouvir o meu pedido e me deixar aqui assim, para sempre, eu prometo que paro de ser sarcástica. Peraí, isso foi sarcástico. Então, prometo então que eu vou tentar parar de encher o Rony, ou colocar aranhas de brinquedo no travesseiro dele à noite, por mais engraçado que isso seja). Tá, eu sei, isso foi patético, porém, em minha defesa, tenho a declarar que é com o Harry, a única pessoa com a qual (e pela qual) eu sou patética. Então, esse é um caso especial. E também, os espertos também podem tirar uma folga às vezes, ou pelo menos enquanto estão prensados em Harry Potter, sentindo o perfume que é só dele, gravando cada pedaçinho possível da sensação da pele dele que está em contato com a sua e olhando diretamente para os olhos mais verdes do mundo.


Continua...


 


N/a: Oláá meu povo! /autora corajosamente fica parada enquanto espera os tomates.


Dessa vez eu não demorei tanto, viu! Milagres acontecem.


Então, aí para vocês, meus lindos e lindas, mais um cap. tcharaaam! /eusouretardada.


Eu confesso, estava quase que completamente sem ideias para esse cap., mas ai fui escrevendo, escrevendo, e quando vi já tava enorme! /Mazaááá, autora se sente uma vencedora.


Creio eu que em poucos cap. já termos o super, mega, hiper esperado e lindo beijo. /confesso que estou me segurando para não fazer eles se agarrarem antes, e tenho que ficar me lembrando constantemente que isso aqui é o ponto de vista de Gina do começo do relacionamento deles, e que a Tia Jô carimbou, definiu, marcou e escreveu nas estrelas como foi o primeiro beijo. Que pena. Mas não se pode ter tudo o que queremos, afinal.


Acho que é isso por enquanto. Ah! O próximo cap. já está sendo pronto, mas não posso dar datas, depende do muito do meu tempo no pc e da inspiração, k. Mas prometo fazer o melhor para ele sair rápido.


Bem, eu gostaria de deixar aqui o meu muito, muito obrigada a:Tah snape e Auroroa Weasley Potter. Não vou responder a cada um individualmente, mas saibam que eu li todos, amei cada um e que vocês me dão muita força *-* , valeu mesmo. Continuem comentando ;D


E bem, como sempre, depois dessa enorme nota /sevocêleu,meumuitoobrigada!, meu muito, muito obrigada de sempre a quem está lendo a fic, me favoritou ou favoritou a história, nossa, vocês não sabem como me fazem feliz!


Finalizando, se você quiser, puder, estiver a fim, deixe uma review. Não é obrigatório nem nada, e eu não vou fazer greve de capítulos, mas incentiva muito mesmo. é sempre bom saber o que você está achando! Odiou? Pode dizer. Amou? Diz aí. Pode melhorar? Só mandar. Como eu já disse, essa área de reviews ae é pra ocês, mano. Bora lá então véi.


Bjos. /eu sinceramente tenho que aprender a diminuir essas notas.


 


 


 


 


 


 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 4

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Tah Snape em 06/10/2011

É que é muito dificil se adaptar, né? SDAHDASHU Pq tipo, em um livro um capítulo dura páginas, aqui é uma só, mas em compensação... SUHADASDUHADSHU Enfim, eu ,leio aos poucos mesmo, fica melhor pra mim *-* e eu me divirto e não me canso HUDSASADUH Adoro essa fic, e não vou deixar de le-la, só se vc pirar e começar a fazer uma Gina e Mione totalmente diferentes dessas lindas que tem ai u-u UHSADHUDSA Esperando os próximos <3

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por stephaniee s em 05/10/2011

Tah Snape: Eu sei bem como é isso, dhsaoduhasoudhs. Dá uma preguiça enorme mesmo. Só que eu me empolguei um pouquinho nesse aqui (pouquinho?) e deu no que deu. hsadiouhas. O problema é que eu não queria fazer um 3° cap. ainda com a conversa delas, e ai tive que compactar tudo em um só (compactar? a autora parece desconhecer o significado da palavra, pelo tamanho do capítulo acima).

Mas agora, nos outros, eu vou pegar bem mais leve, viu? (Y). Vão ser pequenos momentos, conversas, coisas do dia a dia. Nada mais tão grande. (pode crer, não é só você que cansa com cap. grandes. Eu tive que escrever tudo, imagina a minha situação?). Ele acabou ficando enorme assim também, porque de repente a autora super esperta aqui se deu conta de eles estão em um periodo de guerra, e que isso tem que aparecer também, porque com certeza a Gina está envolvida e pensando nisso. Além de que essa meio que introdução também vai ser de base para cenas futuras.(Nenhuma tão grande assim, prometo. kk).Então, quando você terminar de ler (recomendo que vá lendo aos poucos, a Gina está bem confusa nesse cap., tadinha, k) me diga o que achou, pf. Bjos, e boa /maratona leitura.

Aurora Weasley Potter: Muito, muito obrigada! é muito bom saber que você achou isso *-* /autora pulando. Ah sim, ela quase teve mesmo! Mas imagina, a coitada é apaixonada por ele a anos, e do nada descobre que ele está gostando dela. É pra acabar com qualquer um,djasodh.Ah sim! Eu adoro fazer a Gina irritar a Hermione /Muahaha. Tenho certeza de que a Gina fazia isso. E é bom mostrar isso também, talvez para mostar que, apesar de tudo, é uma adolescente normal (não é um robô ou uma enciclopédia, é uma adolescente e como tal às vezes chora, cora, é insegura /cofcof rony). É tão bom ver a Hermione sem palavras as vezes /autora suspira e sai correndo para escrever mais umas cenas dessas. Até o próximo! Bjos *-*  Senhor, eu escrevi um texto aqui .-. Perdoem-me, prometo me controlar.

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Tah Snape em 05/10/2011

AAAAAAAAI, to com tanta preguiça de ler .------. mas eu adoro muito essa fic s2 Só queria que os capítulos, mais parecidos com páginas aqui, fossem mais curtos... '-' ai, da um desespero ver o negócio grande assim xD

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Aurora Weasley Potter em 03/10/2011

Capítulo perfeito achei que a Gina ia dar mesmo um ataque no começo!!kkkk

E a Gina provocando a Hermione entao nem se fala, perfect.

Ate o proximo capitulo bjbj

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.