FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

1. Capítulo Um


Fic: HHr - Pra que servem os amigos?


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________




CAPÍTULO UM


 


Hermione estava estudando Runas quando Harry entrou sozinho. Ultimamente era assim, ou estava com Hermione ou sozinho. Os amigos só viam realmente Rony quando ele os acompanhava até o Salão principal para o café da manhã, depois fugiam dele. É claro que não fugiam dele, Rony, mas dele: Rony e sua nova namorada que estava sempre grudada no seu pescoço, Lilá Brown.


Hermione levantou os olhos e lhe sorrio, ao que ele correspondeu sentando-se à frente da amiga.


- Hermione, eu preciso muito da sua ajuda. – Falou.


- É claro Harry, pode falar. – Hermione analisou o rapaz. Harry estava aparentemente vermelho e suado, e seu cabelo negro mais bagunçado que nunca. Parecia ter corrido até ali. E seus olhos mudavam de foco freneticamente, enquanto ele se curvava por sobre a mesa, para lhe falar mais baixo, como se receasse ser ouvido.


- Bom, você sabe aquela garota da Lufa-lufa. – Hermione franziu a testa e lhe fitou com pena, enquanto guardava para si a resposta irônica que queria lhe dar.


 Haviam umas dez garotas na casa Lufa-lufa, sem contar com as "pequenininhas", como ela saberia de que diabos de garota ele estaria falando? Mas Hermione percebera o desespero do amigo e apenas respondeu:


- Não, que garota?


- Sabe, uma meio loura, alta... – Ele continua a olhar ao redor, observando quem se aproximava.


- Ela tem nome? – Hermione tentou tirar os vestígios de sua irritação da pergunta.


- Cinthia Bukarter. – Por algum motivo, Harry lhe fitou enquanto pronunciava o nome e analisou sua reação.


- Hm, é sei quem é. Ela é bem popular não é?


- Eu diria que é a garota mais popular da escola. – Disse Harry, sacudindo a cabeça em concordância com sua própria frase, enquanto deixava o olhar se perder. Hermione classificou seu estado como aparentemente desolado.


- Se você diz. – Deu de ombros. - O que tem ela?


- Vou sair com ela. - Lhe olhou sincero.                  


- Não sabia que gostava dela. – Hermione franziu a testa, e o olhou com confusão.


- Eu não gosto. Só vou sair com ela. – Respondeu.


- Por que convidar alguém que você não gosta pra sair?


- Bom, eu não convidei ninguém. – Harry suspirou, e baixou a voz um pouco mais, enquanto Hermione também se curvava sobre a mesa para lhe ouvir melhor -  Depois do treino de quadribol ela apareceu do nada e disse que queria falar comigo, eu disse que tudo bem ai nos afastamos do resto da equipe.


- E...?


- Bom, ela meio que disse que queria sair comigo, eu não sabia o que dizer ai ela disse “que tal no próximo passeio pra Hogsmead”, ai eu disse Ok, ela me deu um selinho piscou e foi embora. Agora está todo mundo achando que estamos juntos. – Harry falou tudo muito rápido e sua feição parecia mais desolada que nunca.


            Hermione se impressionou com a ousadia da garota.


- Ela beijou você?


- Não era exatamente um beijo. Foi mais um selinho. – Harry fitou Hermione, enquanto esta mordia o lábio inferior, analisando.


- Então vocês estão juntos?


 - Não! Quero dizer, ela é maluca, nunca tínhamos nos falado antes.


Hermione suspirou cansada.


- Ela não é maluca, Harry. É uma vadia, e esta afim de você.                     


A ofensa nem pareceu ser notada pelo moreno.


- Certo, também cheguei a essa conclusão. Só não entendo por que de repente...


Hermione reformulou sua conhecida e divertida cara de irritação. Cara de quem entende as coisas mais rápido que os outros. Mas Harry não estava em condição de achar graça.


- Ah, Harry, eu já te disse antes, você é o capitão do time, esta tão alto, e é O Esco...


- Tá, eu sei. É só que... Não sei se estou interessado. – Hermione lhe sorriu.


- O que é um alívio, confie em mim Harry, ela não é o seu tipo. Mas, disse que precisava da minha ajuda?


- É, e preciso. Com a Cinthia.


- Quer que eu diga a ela que você não esta interessado? – Hermione pareceu indignada.


- Não, é claro que não. – apressou-se Harry.


- Ótimo, por que eu não faria. E não estou te entendendo Harry.


- Ok, - ele tentou sustentar o olhar concentrado de Hermione - é que eu preciso estar interessado Hermione.


- Precisa estar interessado? Como assim? – Hermione já deixara de lado os sussurros e falava em alto e bom som.


- Hermione, fale baixo!!!- Harry ajeitou os óculos – Olhe, vou sair com ela e ver no que vai dar.


- Oh. Bom, Ok Harry, mas – Onde esse garoto quer chegar? Questionou-se Hermione. - em que você quer minha ajuda exatamente?


- Certo – Ele suspirou e se endireitou na cadeira - Preciso que me prometa que não gritará, não dirá não, nem vai ficar ofendida.


- Por que eu ficaria ofendida? Harry dá pra falar logo.


- Prometa.


- Não, não posso prometer algo que nem faço idéia se posso cumprir. – Falou com expressão de quem fala o óbvio.


- Ok! Sabia que não aceitaria. – e tomou fôlego - Preciso que me ensine a beijar.


- Perdão? – Ele falara tão rápido que talvez ela realmente não tenha ouvido ou talvez ela estivesse apenas tentando digerir a frase ou disfarçando a surpresa. Em todo caso, Hermione estava certa que Harry estava praticando uma espécie de brincadeirinha sem graça.


- Hermione você ouviu. Preciso aprender a beijar e você é a única que me pode ajudar. – Harry achou que estava sendo mais fácil do que ele havia imaginado. Ela nem se levantara da cadeira!


- Harry, que loucura é essa? – Hermione estava piscando rapidamente os olhos e um sorriso incrédulo surgiu inesperadamente em seu rosto.


- Hermione, você é minha melhor amiga, confio minha vida a você, por favor? – Ele estava pedindo “por favor”? E estava usando um tom sério? Oh, Ok. Hermione também falaria sério.


- Ninguém aprende a beijar, Harry, isso é uma coisa natural, não algo que se possa ensinar na teoria. Em todo o caso, tenho certeza de que você não precisa. Por que precisaria? - Apesar da reação pacifica, Hermione se controlou mentalmente para não gritar com o amigo para que ele fosse pedir ajuda à Mulher Gorda.


- Hermione, quem foi a última garota que me beijou? – Perguntou naturalmente, transparecendo uma calma que Hermione lhe amaldiçoaria se não tirasse.


- Sei lá, me diz você.


- A Cho Chang, e foi uma única vez e nunca mais aconteceu de novo. Isso é o suficiente pra se perceber que sou péssimo. – Harry estava extremamente feliz por Hermione estar tão calma, isso talvez fora suficiente para ele continuar seus argumentos sem se constranger.


            - Não Harry, vocês brigaram, a amiga dela contou sobre a AD, e depois ela estava com ciúmes, sei lá. Isso não quer dizer nada.


            - E ela chorou durante nosso único beijo. – continuou Harry, ignorando as objeções de Hermione - Eu não posso sair com a Cinthia sendo um fiasco beijando, ela espalharia pra toda a escola


            - Mas Harry, a Cho chorou por que estava confusa.


            - Não Hermione, Rony tinha razão na época, ninguém chora durante um beijo. Era de se esperar que ela se alegrasse um pouco, mas não.


- Se você prefere acreditar que beija mal, e ainda acha que essa Cinthia vai sair contando sobre vocês pra todo mundo, então não saia com ela, simples. – Concluiu como quem quer encerrar o assunto. Mas Harry não estava disposto a encerrá-lo. Sua vida social estava em jogo.


- Eu não posso simplesmente não sair com ela. Os garotos achariam que sou louco dispensando a menina mais popular da escola, Hermione, eu estou encalhado desde a Cho. – Hermione quis rir ante a declaração,mas manteve-se firme.


- E daí com o que os outros acham. Harry, aquela garota é um acéfalo e só quer sair com você por que você é O Escolhido.


- Não me importa quão burra ela seja nem se esta interessada na minha fama, eu só preciso sair com ela, e esfregar na cara de todo mundo que eu não sou um debilóide em relacionamentos. – Por que era tão difícil para Hermione entender o que estava em jogo?


- Faça o que quiser. Mas não venha me...


- Hermione, eu sou péssimo beijando, essa é a verdade. E isso é uma coisa muito constrangedora, mas você é minha melhor amiga, e a única garota com quem me sinto seguro pra falar sobre isso. Não posso sair com aquela garota assim. Preciso de você. Por favor?


Hermione olhou o garoto a sua frente. Queria esbofeteá-lo por tê-la tirado a atenção de sua atividade Runas Antigas por algo tão... tão... ridículo. Mas ao mesmo tempo queria estender-lhe a mão, afinal, estava sendo tão corajoso e sincero falando sobre isso com ela.


- Harry, não acho que na biblioteca tenha algum livro que...


- Hey, espera! Não estou falando em teoria Mione!


- Ah, não? Então como espera que eu o ajude? – Hermione fitou por um segundo antes das intenções do amigo lhe parecerem finalmente claras – Harry, você não acha que eu, você não pode realmente acreditar que eu vou aceitar, não, Harry, você só pode estar brincando... – Para o histórico de Hermione Granger esse foi seu recorde, como pode demorar tanto para perceber? Pensou Harry, sorrindo mentalmente.


- Não, não estou. – Declarou.


- Há, há. – E inesperadamente ela lhe sorriu, não um sorriso Hermione, mas uma versão ainda pior de um sorriso Malfoy. – Certo Harry. Quer me beijar até achar que está bom o suficiente pra tal da Cinthia?  Hermione, não se sinta ofendida, agora esta bem claro Harry. Quer começar as aulas agora? Vamos lá Harry, você quer um beijo doce do tipo “Meu primeiro amor”? Hã, não, que tal um no estilo “Não há amanhã”? É mais a cara da Cinthia não é? – Ela se levantou e tirou o sorriso - Mas não é a minha cara. Sou sua amiga, não vamos ficar nos beijando, é ridículo. E além do mais, eu não sou nenhuma expert em beijos. Até mais. – e saiu, deixando um Harry mortificado.


            Harry deixou o olhar se perder enquanto continuava sentando na biblioteca onde Hermione o deixara. Seu encontro com Cinthia seria um fiasco. A garota iria acabar com ele para as amigas, e depois as amigas repassariam a historia para os colegas e assim seria repassado por todos em Hogwarts sua humilhação. Ele deveria adotar uma atitude madura e simplesmente dispensar a garota, mas a verdade é que seus amigos não seriam maduros quando começassem a lhe fazer chacota sobre como ele era um burro. Já podia ouvir Rony: “Cara, você ficou maluco? Ele é simplesmente a garota mais incrível da escola!”. Harry não compartilhava da mesma opinião, mas a idéia de namorá-la não era algo abominável; Na verdade, ele era um garoto solteiro, ela era uma garota bonita. Como podia perder essa oportunidade?


            Levantou-se sem vontade e recolheu o material que Hermione deixara na sua indignada retirada. Talvez não tenha sido tão ruim, pensou. Talvez Hermione mudasse de ideal. Teria exata uma semana até o passeio para Hogsmead. Até lá só precisaria sorrir para Cinthia nos corredores. Harry saiu da biblioteca um pouco mais leve, emocionalmente falando. De fato seu material somado ao de Hermione não era nada leve.


            Hermione jantou o mais rápido possível, para não estar no Salão Principal quando Harry entrasse. Não fizera seu trabalho de Runas e ainda aquela bobagem a deixara esgotada das idéias. Explodiria com Harry se o vesse. Então correu para a torre da Grifinória e deitou-se no dormitório das meninas, sem nenhuma palavra.


 


 


 


 


 


 


 


 


            Na manhã seguinte, Harry acordou decidido a fazer Hermione levantar a bandeira de paz. A esperou no Salão Comunal para lhe entregar o material, e fazerem juntos o rotineiro caminho ao Salão Principal e posteriormente às aulas.


            - Harry onde está Hermione? – Questionou Rony.


            - Ela ainda não desceu.


            - Hermione Granger ainda está deitada – Disse-lhes Lilá Brown, que descia as escadas do dormitório. - e recusou-se a levantar quando Gina a chamou.


            Rony olhou para Harry com o cenho franzido.


            - Tem certeza? – voltou-se para a namorada.


            - Mas é claro Uon-Uon, eu mesma vi Gina tentar acordá-la.


            - Que coisa estranha – impressionou-se Rony, - você acha que aconteceu alguma coisa?


            - Eu acho que não, ela já deve estar descendo.


            - Por que a preocupação docinho, ela nem sua amiga é mais – falou Lilá. Harry virou se para Rony, como se esperasse uma reação do amigo em defesa de Hermione, mas Rony apenas abaixou o olhar. Lilá continuou: - Não tem falado com você desde que começamos a namorar. Vamos?


            Rony fez uma careta para Harry.


            - Não se atrase. Aula de DCAT com aquele morcego velho.


            - Ok. – Fez Harry e observou Rony ser arrastado por Lilá.


            Hermione não se importou ao perceber que perdera a hora, e vestiu-se lentamente. Afinal, talvez Harry desistisse de esperá-la como ela sabia que ele faria. Quando desceu ao Salão Comunal deserto, não se surpreendeu ao encontrar um Harry paciente a esperando.


            - Nossa pensei que não ia sair desse dormitório. – Sorriu-lhe Harry – Bom dia.


            - Dia, Harry.- Hermione parou ao pé da escada que lhe trouxera do dormitório feminino e observou Harry por um tempo até acrescentar. – Então você esqueceu aquela história de beijo, certo?


            Harry abriu a boca várias vezes tentando formular uma resposta que não gerasse discussão. Mas Hermione já percebera o porquê da falta de resposta do amigo.


            - Eu não acredito que você ainda tenha esperanças de que eu... hã 


            - Hermione, não vamos falar sobre isso agora. Estamos atrasados. – cortou-lhe Harry.


            - E quando vamos falar? Harry, isso é sério, você precisa tratar essa sua insegurança.


            - Espera, insegurança?


            - Isso mesmo. Insegurança ridícula, aliás.


            Harry a fitou extremamente atordoado.


            - Olha, beleza Hermione. Esqueça o que lhe pedi. Passe uma borracha sobre o que eu lhe falei ontem na biblioteca. Eu já percebi que qualquer coisa que não envolva seu mundinho organizado é sem importância e ridículo para você.


            Agora era Hermione quem estava perplexa, aproximou-se tomando fôlego para protestar, mas Harry ainda falava.


- Insegurança ridícula, sim é uma insegurança ridícula. Mas ainda é uma insegurança, e acredite: se tivesse opção não teria pedido ajuda a você. Aliás, a culpa é sua.


            - Perdão? Minha culpa?


            - Grande parte da minha insegurança é graças a você, Mione querida.


            Hermione sorriu um sorriso incrédulo. – ah é? E porque exatamente?


- Como acha que me sinto? Ando com uma garota desde quando entramos em Hogwarts, e ela nunca, nunca demonstrou nenhum tipo de reação à mim. Os outros garotos fazem as garotas suspirarem e correrem atrás deles. Como vou estar seguro se a garota que me conhece melhor que ninguém sente tanta atração por mim quanto sentiria por uma pedra na estrada pra Hogsmead? O que acha que as outras garotas acham? Elas percebem que se você que esta o tempo todo com o Potter não sente nenhum encanto por ele, o que ele pode ter de bom?


Hermione continuou lhe fitando como se nunca tivesse ouvido coisa mais absurda. Seu choque era tão grande, que as palavras ficaram paralisadas na sua boca entreaberta.


Harry então completou:


- E pra você é simplesmente terrível a idéia de me beijar.


Fitaram-se por um minuto antes de Hermione se lembrar de como falar.


- É claro, somos amigos.


Harry suspirou - O que eu quero dizer, como posso ser um cara confiante?


- Harry, eu...  eu estou simplesmente...  não tenho palavras. Isso é tão... Ridículo, essa é a palavra. É óbvio que me sinto atraída por você, Harry. Você tem olhos verdes lindos, é alto, seus cabelos bagunçados é perfeito, você tem cara de anjinho, é o famoso Harry Potter, e isso é só por fora. Eu o conheço por dentro e você é completo, modesto, gentil... Harry é claro que eu vejo todas suas qualidades, seu charme, sou uma garota, e sim, me sinto atraída por você. Mas, somos e sempre fomos amigos, apenas... amigos.


- Por isso Hermione você é a única pessoa que pode me ajudar. Só você não espalharia pela escola que eu sou esse inútil.


Ela o encarou por um longo tempo. Ele não era um inútil, Harry estava exagerando.


- Estamos atrasados.


- Tudo bem Harry, você venceu. É só escolher o lugar.


Harry a fitou surpreso por um instante.


- Sério? – Perguntou franzindo o cenho. Hermione lhe sorriu.


- Sério Harry.


Harry acompanhou seu sorriso e lhe abraçou.


- Você é a melhor.


- Ok, sem puxar saco. – Harry riu.


- Seu material esta aqui. Vamos, se não levaremos detenção.


 


 


 


 


 


 


 


 


- Com licença senhor.


- Srta. Granger e Sr. Potter, ora ora, se não é a Monitora e o Capitão do time Grifinório. Sinto lhes informar mas a aula começou a trinta e dois minutos atrás e a não ser que tenham uma boa desculpa – o que posso lhes garantir que não tem – sugiro que os dois dêem meia-volta e me encontrem nessa quinta para sua detenção. – Snape fez uma pausa, para causar um efeito e então continuou com desdém – Ter postos de autoridade na escola não significa que não sejam mais alunos. Agora, retirem-se.


Harry e Hermione encarou o professor e todos os alunos com a cabeça virada para a porta antes de se retirarem.


- Que ótimo. – Ironizou Hermione. – Simplesmente perfeito.


- Ele não teria feito isso se fosse um outro aluno qualquer. Teria apenas lhe permitido entrar.


Hermione lhe fitou e sorrio enquanto caminhavam pelo corredor.


- Uma das vantagens em ser Harry Potter. Seja dispensado da aula inteira por perder apenas trinta minutos.


Hermione ainda sorrindo lhe agarrou pelo braço.


- Ei, só uma detenção. Quem se importa? –Harry lhe olhou de esgueira.


- Quem é você? Onde esta a Mione?


Rindo, eles seguiram até o buraco do retrato.


 


- Que tal hoje a noite, depois que todos forem dormir? – Harry perguntou se sentindo animado, enquanto sentava em uma poltrona.


Hermione demorou a perceber sobre o que ele falava.


- Aqui? – perguntou.


- Sim.


 - Isso é tão... – Harry podia agir com a naturalidade que fosse, mas para ela aquilo ainda era muito estranho.


- Vamos lá... – insistiu, lhe sacudindo delicadamente o braço.


- E se alguém levantar e aparecer? Como explicaríamos?


- Então trago minha capa e podemos ir até a Sala Precisa.


- Harry, eu não sei... – começou Hermione receosa.


- Está combinado, carinho.


- Seu idiota, isso vai dar merda. E a culpa é toda sua, Potter.


- Certo, eu assumo toda a culpa se precisar, Granger. Está comigo?


Riram.


 


 


 


 


 


 


- Tem idéia do quanto isso é constrangedor? – Sua voz estava fraca e desanimada.


Harry caminhou até ela.


- Tenho. – Sentou-se na almofada de fronte à amiga, – Mas com você tudo parece...


- Simples e entre amigos, é eu sei. – Hermione completou a frase por ele e lhe ofereceu um sorriso, nervoso, mas companheiro. Harry sentiu uma onde de carinho por Hermione estar jogando seu bom senso de lado apenas para ajudá-lo, e também uma culpa momentânea por se aproveitar de sua amizade dessa maneira. Mas era necessário decidiu, e a sensação de culpa afastou-se para deixar mais espaço à idéia de que beijá-la nunca fora algo absurdo para ele. De fato, ele que sempre a conhecera tão bem, se perguntava como seria conhecer uma Hermione que se derretia ao beijo de algum garoto. Por que era de esperar que ela se derretesse, ou choraria como a Cho? Tentou lhe retribuir o sorriso. Mas a tensão era demasiado presente. E ambos estavam nervosos apesar da declaração de “entre amigos”.


- Harry, vamos acabar com isso logo. – Hermione adiantou e arrastou-se para mais perto. Harry não pode evitar, fitava descaradamente seus lábios. – Diz alguma coisa! – pediu Hermione, e ele piscou várias vezes ao desviar seu olhar para o teto, a porta, a janela, e abrir a boca tentando dizer algo.


Hermione continuou encarando o desconcerto do amigo pensando que se ele ficasse tão sem graça assim com Cinthia, provavelmente ela ia achá-lo um babaca.  Mas então, soube que Chintia certamente não estaria disposta a gastar o passeio à Hogsmead com conversas.


- Harry, é só me beijar. – Ele a encarou, ela parecia desesperada.


- Eu... Ok, - Ele inclinou o corpo, aproximando seus rostos - só me diz o que eu... me diz como quer... que eu...


- Que tal você segurar meu rosto, é romântico. – Hermione estava tentando ignorar a coloração que sabia estar ganhando.


- Certo, Ok! - Harry segurou seu rosto com as mãos.


- Depois as coisas acontecem, sei lá... – Ela deixou a frase morrer enquanto Harry cortava a distancia entre seus lábios, de esgueira ela pode ver sua declaração sobre as coisas serem “simples” sair de fininho, e toda a calma se dissipar quando ele moveu os lábios sobre os seus. Involuntariamente seu coração disparou, e ela soube que algo estava errado, muito errado. De repente ela queria aquilo, e simplesmente soube que se Harry não aprofundasse o beijo ela mesma o faria.


            Harry sentiu a sala abafar, estava repentinamente muito receoso de aquilo dar merda, como Hermione dissera. Quando ele encostou seus lábios e sentiu sua maciez, soube o que queria fazer. E ele queria ir mais fundo, queria realmente beijá-la. E seu coração aumentou o ritmo, pelo medo de Hermione não reagir bem a essa idéia. Quando pensou em beijá-la, pensou em só trocarem uns beijos para ele aprender como se faz, mas agora suas mãos estavam formigando para trazê-la mais perto, para acariciá-la e para entrarem por seus cabelos. Ops, isso estava errado, muito errado.


            Hermione sentiu Harry pedir passagem com a língua para aprofundar o beijo, e se pudesse dizer algo naquele momento para ele, era que ele era muito lerdo, teriam que praticar isso. E com essa idéia, Hermione deixou de lado a insegurança e investiu contra ele. A sensação, assim como esperava, era incrível, tomou a iniciativa e o beijou mais forte, o puxando pela camisa para ela. Sentiu-o corresponder a altura, e tirar suas mãos que acariciava suas bochechas e colocá-las em sua cintura. Ele queria estar mais perto, e ela concordava com ele. Mas não teria como se aproximarem mais, estando ainda sentados. Então se levantaram com dificuldade, suas bocas perdendo o contato por alguns instantes, e tão logo estavam em pé colaram o corpo um ao outro desesperados por um maior contato. Hermione o enlaçou pelo pescoço e deixou sua mão se perder pelos cabelos já desalinhados do rapaz. Harry postou suas mãos na cintura de Hermione, a puxando para estarem ainda mais perto. E simplesmente não havia a necessidade de pararem. Exploravam a boca um do outro com uma voracidade que os deixaria constrangido depois. Ou não.


            Foi Hermione quem pediu por ar primeiro. Afastou-se ofegante e manteve os olhos fechados, e não o soltou. Os dois continuaram abraçados enquanto Harry observava Hermione de olhos fechados respirando rápido, focou seus lábios inchados e vermelhos e não resistiu a roçar-lhe o próprio lábio nos dela. Hermione abriu os olhos ao gesto, e havia um entendimento silencioso ali quando se fitaram, com seus rostos próximos e Harry lhe dando beijos curtos nos lábios. Hermione beijou-lhe novamente, e anotou mentalmente ‘Harry precisa de atitude!’, enquanto invadia com a própria língua a boca do amigo. 






------------------------------ OI LINDOS ;***********
 
Eu nem sou má por terminar o capitulo assim tá u_u 
Uauhsduas, amores acreditem eu fico super anciosa querendo escrever tudo que está no minha cabeça de uma vez!! Minha vontade é de escrever sobre esses dois se agarrando logo ;P, pq eu amo eles demais!
Bom, mas enfim. Se gostarem comentem, se não gostarem comentem também! E me perdoem pelos erros gramaticais que eu sei que deve ter muitos (eu tento tirar o maximo que consigo). A verdade é que eu nunca fui uma aluna exemplar como Hermione. Eu me identifico mais com Rony no quesito estudos XD, então perdoem meus erros de concordancia, coerencia e o escambal. Beijos 
 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 17

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Diênifer Santos Granger em 27/06/2013

Querida! Posta logo! Balde de gelo aqui!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por PamyPotter em 11/11/2011

Caramba! Que que é isso?! Esquentou legal aqui, e esse beijo com certeza vai dar merda!

Muito lindo, postaa! Você é maléfica!!!!!

Como pode acabar o capítulo assim?! Amei, amei, amei!

Ganhou uma fã!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Jane Granger_Potter em 04/11/2011

muito boa essa historia, continua, porfavorr

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por maria elisa em 08/10/2011

mais

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Mariana Thamiris em 20/08/2011

OMG!!!

Que aula de beijo!!!!! hauhauahuhuahuahuahau

Estou adorandooooo quero mais capítulos pleaseeee!!!

 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Six Phelps em 16/08/2011

Adorei *-*

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Josianne em 14/08/2011

haha' essas aulas vão se estender de um jeito..

posta mais, *--*

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Caroline Lindoso em 08/08/2011

postaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

ansiosa

 

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Karen Luiza em 08/08/2011

VAII!! POSTA LOGOOOOOOOO!! TO MUITO ANSIOSA!! VOCÊ PAROU OCAP. NUM MOMENTO MUITO CRÍTICO! NÃO VOU CONSEGUIUR AGUENTAR! TA MUITO LINDA A FIC! SÉRIO... AGORA, VOCê TEM QUE POSTAR LOGO OU VAI ME MATAR DO CORAÇÃO!!!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por michelle lima em 07/08/2011

adorei!! a mione cheia de atitude!!!
harry meio devagar mas nada q umas aulas nao ajudem!!rsrs
adoro de paixao esse casal!! eles tem muita quimica... so a jk nao viu isso!!
espero q continue...
esse cap deixou um gostinho de quero mais...

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Melissa Resende em 05/08/2011

Aaaah mas como vc é má!! E eu aqui rindo pra caramba! Eu sei como é constrangedor isso.. IAHSOIAHSOIAHOSIHAOSIA aaaah muito ansiosa pelo proximo capitulo!! E vc escreve muito bem!! (:

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Sys em 05/08/2011

Muito bom.. Estou super curiosa pra saber onde essas aulas vão parar..

 

Continua...

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por HarryS2Hermione em 04/08/2011

Gostei...muito bom

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Miillaa em 03/08/2011

MEU DEUS :o Que foda cara, não tenho nem palavras, muito boa, continua *-*

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Isis Brito em 03/08/2011

UAU!! CHOCADA!!

Mas ameeeeeiii!! Continua!! =D

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por carol.fm em 01/08/2011

Quem diria heim Hermione,haha.Adorei o capítulo,esperando por mais...

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por rosana franco em 01/08/2011

Muito bom o capitulo ele é realmente muito fofo essas aulas vão longe.

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.