FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

1. Caçada à Black


Fic: Aurores - A Fan-Fics


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

01 de Novembro de 1981 – 07:30
Londres - Inglaterra


A sirene tocava ao fundo, à luz vermelha giratória iluminava o vestiário. Dezenove bruxos e bruxas colocavam suas vestes: um macacão azul abaixo de uma placa negra sobre o tronco como também as ombreiras, cotoveleiras, caneleiras e luvas. Testavam suas varinhas mágicas, e as prendia num coldre no cinto. Por fim, todos colocavam um pequeno chapéu pontudo também azul escuro onde estava estampado o brasão da elite do Esquadrão de Execução das Leis da Magia, os Aurores.
Prontos, pararam em sentido diante do líder deles, um homem com uma longa juba loira e dois penetrantes olhos azuis, era conhecido como o homem forte dos Aurores, um dos maiores captores de comensais da morte, seu nome era dito sempre com respeito entre qualquer bruxo, Alastro Moody.
- A noite inteira o departamento de Catástrofes Mágicas passou procurando pelo bruxo Sírius Black. Ele é suspeito de traição à comunidade bruxa, pois era o fiel de segredos de Tiago e Lílian Potter, que como todos aqui sabem, assassinados à poucas horas. Ele foi visto próximo a Ponte de Londres. Porém, lembrem-se nada de ação letal, nossa missão é captura-lo e traze-lo para cá vivo. Senhores, aparatar!

A cena era horrível, mesmo para Alastor que havia lutado e matado dezenas de gigantes por toda Europa. Uma torre de fogo crescia do meio da rua, alimentada por uma tubulação de gás rompida, e do outro lado um cano de esgoto, jogava uma água negra e fedida formando uma grande poça. Tinha sangue e pedaços de corpos por todo o lado, muitos foram reduzidos à cinza. Os sobreviventes estavam em pânico, muitas queimaduras, e medo espalhava por todo o lado. E Auror Chefe sabia quem foi o responsável. Sírus estava ali no meio do caos, rindo que nem um louco. Profundas olheiras e o cabelo negro embaraçado completava a face do maníaco.
- Vamos precisar do pessoal da Reversão, principalmente de obliviadores. Chamem urgentemente. Mandem preparar a sala de interrogatório, quero dois dementadores lá.
Alastor ainda falava quando aparatou Cornelius Fudge, um bruxo com belos trajes vermelhos, mas que não combinava com o chapéu-coco verde limão:
- Meu Deus! O que aconteceu aqui?
- Estamos investigando, senhor ministro júnior, mas antes controlando os danos. Temos muitos trouxas aqui. Um boletim inicial indica que isso foi o resultado de um duelo entre dois bruxos.
- Prendam Sírus, e levam-no para o Ministério.
Pareceu que aquelas palavras foram ouvidas por Black, ele se levantou e começou gritar: “Petrificus Totalus”, “Expelliarmus”, “Estupefaça”, “Rictusempra” e “Impedimenta”. Alguns Aurores caiam no chão, varinhas eram jogadas ao longe, um caiu estupefado. Sírius era rápido, a elite bruxa só conseguia desviar dos feitiços, poucos conseguiam lançar um ataque. Alastor olhava tudo cuidadosamente, e viu o bruxo correndo pela poça de esgoto. Cornelius apontou a varinha para sua boca e disse “Sonorus”:
- Sírius Black, o senhor está preso em nome do Ministério da Magia!
Foi o que precisou, o breve momento de distração de Black foi o segundo necessário. Ele aparatou bem em frente do bruxo e lançou a magia Lumus, o pequeno brilho supressa da varinha deu mais dois segundos para Alastor:
- Crucio!
Black caiu no chão, contorcendo de dor, a sensação era tão forte que nem falar conseguia. “Férula” disse um dos aurores se aproximando do bruxo preso, e amarrando suas mãos. Todos olhavam para o chefe, ele usara um Feitiço Imperdoável.
- Vamos fingir que isso não aconteceu, certo, Alastor?
- Certo, Cornelius. Mesmo com o fim Daquele-que-não-deve-ser-nomeável, não é o fim das trevas. Acho que é o momento de atacarmos com todas as forças.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.