FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

1. Sarah McKinnon Black


Fic: A Filha do Maroto - Agora Pra Ficar


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

 : A Filha do Maroto - Sirius Black


 


- John, acho que chegou a hora de contarmos tudo a Sarah - Disse Marie


- Não sei se precisamos... - ele tentou desconversar


- Mas ela precisa saber a verdade, como, por que e por quem Marlene foi assassinada, e quem é o pai dela...


- Mas vai ser um choque para ela Marie...


- Uma hora ela vai descobrir, e melhor que seja por nós...


- Se você acha melhor... - disse John dobrando o jornal em que se lia na primeira pagina:


 


 


A Volta D’Aquele-Que-Não-Deve-Ser-Nomeado


 


Por Roger LLoris


 


Ontem o Ministro da Magia Britânico Cornélio Fudge em entrevista afirmou que Aquele-Que-Não-Deve-Ser-Nomeado, o maior bruxo das trevas de todos os tempos, voltou a ser visto em Londres, mais precisamente DENTRO do Ministério da Magia Britânico. Aquele-Que-Não-Deve-Ser-Nomeado não era visto desde o dia 31 de Outubro de 1981, em Godric’s Hollow, quando na noite do mesmo dia Assassinou Tiago e Lílian Potter, e tentou a mesma coisa contra o filho do casal, Harry, que na época tinha um ano, mas misteriosamente ele não conseguiu matar o garoto e desde então nunca mais tinha sido visto. Ele teria sido visto em companhia de seus seguidores, auto-denominados “Comensais da Morte”. Teria acontecido ali uma terrível batalha, que entre os envolvidos estava o foragido SIRIUS BLACK, mas, ao contrario do que muitos acreditavam, ele não estava do lado d’Aquele-Que-Não-Deve-Ser-Nomeado, e sim do lado dos que o confrontaram. O nome de Sirius Black esta na lista de mortos no combate. Dois outros ilustres combatentes foram Alvo Dumbledore e HARRY POTTER, o Garoto-Que-Sobreviveu, como ficou conhecido depois do ocorrido na noite de 31 de Outubro de 1981. Cornélio Fudge retirou todas as acusações sobre Sirius Black, acometendo a acusação do assassinato de doze trouxas a Pedro Pettigrew, a quem todos pensavam estar morto, também assassinado por Black:


 


“Sirius Black era inocente de todas as acusações. O assassinato de doze trouxas em 02 de Novembro de 1981 foi cometido por Pedro Pettigrew, aliado D’ Aquele-Que-Não-Deve-Ser-Nomeado, que simulou sua morte para incriminar Black.”


 


Como diria um velho ditado trouxa, “a justiça tarda, mas não falha”. Black pelo menos depois de morto foi inocentado das acusações que o fizeram passar 13 anos em Askaban.”Que isso sirva de consolo para a alma de um homem que sempre acreditou na sua inocência” diz Alvo Dumbledore depois do pronunciamento de Fudge.


 


Será que os tempos de Pânico voltaram? Esperamos que Aquele-Que-Não-Deve-Ser-Nomeado seja logo capturado para conseguirmos deitar nossas cabeças e dormir sossegados.


 


 


- Já sei o que vamos fazer... Vamos mandar uma carta a Dumbledore. Ele vai nos ajudar nisso. - disse Marie pegando um pedaço de pergaminho e uma pena.


 


 


 


 


Sarah era uma garota de 15 anos, morena, com longos cabelos negros e cacheados que chegavam a sua cintura. Seus olhos eram de um azul perolado quase branco, e um sensor de humor que não deixava ninguém perto dela triste. Mas também tinha um gênio difícil, quando maltratavam alguém na sua frente, era melhor sair de perto. Todos gostavam dela em BeaxBeatons. Mas naquela tarde tudo ia mudar...


 


Sarah chegou em casa e deixou a mochila no Sofá da sala...


 


- Vó, você esta ai?


- Estou aqui na cozinha Sarah...


- Que bom, estou morrendo de fome. - disse ela dando um beijo na buchecha da avó. - o que a senhora está fazendo?


- Almondegas...


- Que delicia, vou tomar um banho e já desço para almoçar.


- Desça logo que depois precisamos conversar Sarah...


- Nossa Vó, o que aconteceu?


- Vamos esperar seu vô chegar. Agora vá tomar o seu banho...


- ok...


 


Sarah tomou seu banho rapidamente. Nunca tinha visto a Avó tão séria e preocupada. Quando desceu, seu avô já tinha chegado e estava sentado à mesa com sua avó, e trocavam olhares nervosos...


 


- O que está acontecendo? - perguntou Sarah já não conseguindo se conter


- Sarah, eu preciso que você mantenha a calma e ouça tudo que nós temos a te dizer. - começou Marie


- Mas o que?...


- Nos ouça primeiro, e depois eu juro que responderemos todas as suas perguntas.


- Mas sobre o que vocês vão me contar?


- Sobre a morte de sua mãe, e.... sobre o seu Pai.


 


Nessa hora Sarah congelou. A Avó nunca tinha deixado Sarah perguntar sobre seu pai... era um assunto proibido na casa dos McKinnon. Mas sobre o que eles conversariam sobre a morte de sua mãe?


Ela sabia que sua mãe, Marlene McKinnon havia morrido pouco depois do seu parto, vitima de complicações do mesmo...


 


 


- Sarah, você precisa saber de algumas coisas. - agora quem falava era John, que até aquele momento tinha se mantido calado.


- Ok, podem falar.


- Bom, primeiro, nós... eh... hum... mentimos sobre a morte de sua mãe...


- O que como assim?...


- Sarah, nos deixe terminar por favor...


- ok vovô...


- Sua mãe não morreu no seu parto. Ela foi assassinada, quando você tinha um pouco mais de um ano. Ela foi assassinada a mando de um bruxo das trevas muito poderoso,talvez o mais poderoso de todos os tempos...


- É aquele que está na capa de todos os jornais? - disse Sarah com a voz embargada... já estava ficando difícil segurar as lagrimas...


- Sim. Eles invadiram as casa onde vocês moravam e a torturaram para conseguir informações...


- Que informações?


- Espere Sarah, vamos chegar lá. É preciso que você entenda. Sua mãe era uma bruxa muito talentosa e corajosa, e sempre bateu de frente com esse bruxo. Ela e seus amigos formaram uma equipe que tinha como objetivo acabar com esse bruxo das trevas...


- A Ordem da Fênix - lembrou Marie


- Isso mesmo. Mas Voldmort, esse era o nome dele, estava ficando muito incomodado com isso e ordenou ataques contra os membros da Ordem.


- Um desses ataques foi contra minha mãe?


- Não. Ele ordenou ataques a duas Famílias, os Longbotton e os Potter. Os Longbotton foram torturados até ficarem loucos, mas não foram mortos, diferentente dos Potter, que foram atacados pelo próprio Voldmort; ele matou Tiago e Lílian Potter, mas não se sabe como, quando foi matar o filhinho deles, Harry, ele perdeu seus poderes e desapareceu. Os seus seguidores ficaram loucos e queriam saber o paradeiro de seu líder, e começaram a atacar os amigos dos Potter. Sua mãe era a melhor amiga de Lílian Potter, desde o tempo da escola, e não demorou muito para eles a procurarem. Marlene negou saber do paradeiro de Voldmort, mas eles não acreditaram nela e a mataram.


- Essa é a verdadeira história sobre a morte da minha mãe?


- Sim Sarah...


- E por que não me contaram? - as lagrimas escorriam pelo belo rosto da jovem


- Por que você era muito nova para entender isso. Sua mãe pressentindo que corria perigo mandou você para nós e tentou se esconder, mas mesmo assim eles a acharam... - Marie também chorava.


- Mas onde entra o meu pai nessa historia?


- Seu pai ficou louco quando soube da morte da sua mãe. Ele não sabia que você existia. Eles tinham resolvido terminar a relação deles com medo de que Voldmort usasse um ao outro como chantagem, já que pertenciam a Ordem da Fênix. Sua mãe escondeu a gravidez do seu pai, fugindo da Inglaterra e vindo para Paris morar com a gente. Mas a Ordem precisava dela, então ela voltou. Quando ele soube quem tinha matado sua mãe, ele caçou e achou o culpado... Pedro Pettigrew...


- Espera ai, eu li esse nome hoje no jornal, ele fingiu morrer para incriminar... - e a compreensão caiu como gelo no estomago de Sarah. - não... não pode ser, meu pai era...


- Sirius Black. Sim Sarah, seu pai é Sirius Black. - Disse John vendo que a neta não queria acreditar.


 


Para Sarah era muito duro de entender. Em menos de um minuto era ganhara e perdera seu pai. Conhecia a fama de assassino que Sirius Black tinha, mas depois de sua morte ele tinha sido inocentado. Passou 13 anos em Askaban por um crime que não cometeu, para vingar a morte de sua mãe que tinha sido assassinada.


 


- Sarah, eu preciso que você entenda que não te contamos nada porque você era muito nova e não entenderia o porque de seu pai estar na cadeia sem falarmos que tinha sido por cauda da morte de sua mãe. - disse Marie


- Está tudo bem... Por isso eu tenho o Black no nome... Eu pensava que era uma coincidência no mínimo incomum...


 


O nome de Sarah era Sarah McKinnon Black.


 


- Agora que você já sabe a verdade e Voldemort voltou, acho pouco seguro você continuar vivendo com a gente Sarah... - começou Marie


- Como assim vó?


- Pensamos muito e resolvemos que você deve voltar à Inglaterra, para ficar junto com a Ordem da Fênix. Lá você vai estar muito mais bem protegida do que nós. Voldemort com certeza sabe da sua existência, e não vai tardar a começar a te procurar. Eu e seu avô já estamos velhos demais para te proteger, mas em Londres, perto de Dumbledore, você estará muito mais segura...


- Mas eu não quero deixar vocês...


- Mas você precisa Sarah, é para o seu bem...


- Mas e a escola?


- Você estudará em Hogwarts, a escola onde sua mãe e seu pai estudaram e se conheceram...


 


Sarah voltou a chorar... Não queria deixar os avós em Paris e abandonar tudo. Mas via que não teria escolha. Se Voldemort viesse atrás dela, os seus avós não teriam nenhuma chance contra ele. Depois de um tempo ela entendeu que mudar para Londres seria o melhor... Poderia saber mais sobre sua mãe... E sobre seu pai...


 


Minerva McGonagall tinha sido chamada à sala do diretor por um bilhete de Fawkes...


 


- Bom dia diretor...


- Bom dia Minerva, tenho um assunto interessante para tratar com você.


- Sobre o que seria professor?


- Ontem à noite recebi uma coruja de John e Marie McKinnon...


- Os pais de Marlene McKinnon? Da Ordem?


- Sim. E a carta deles me pedia ajuda. Eles acham que está na hora de revelar o ultimo segredo de Marlene...


- Segredo? Desculpe Alvo, não estou entendendo.


- Sim Minerva, Marlene teve uma filha...


- Como? Uma filha?


- Sim... Ela escondeu a gravidez de todo mundo, menos a mim. Fui seu único confidente. Assim que a menina nasceu ela á mandou para Paris, para ser criada com os avós.


- Mas quem era o pai dessa criança? Não me diga que era...


- Sim Minerva, ele mesmo...


- Por Merlin, Alvo, isso é mesmo verdade?


- Sim Minerva. Sirius Black e Marlene McKinnon tiveram uma filha.


- Mas como escondeu isso de todo mundo?


- Sirius também não sabia, ela tinha medo que Voldemort fosse atrás dela e fizesse algum mau à menina.


- Mas o que há de novo para que você me conte este segredo?


- Como disse, recebi uma carta de John e Marie pedindo ajuda, para que eu a receba em Hogwarts e a proteja, pois agora com a volta de Voldemort eles temem muito pela segurança dela.


- E o que você vai fazer?


- Vou aceita-la é claro. Fiz uma promessa a Marlene que se acontecesse alguma coisa a ela, eu cuidara de Sarah...


- Então esse é o nome dela? Sarah...


- Sim... Ela chega hoje à noite em Londres, e como ainda faltam dois dias para o começo do ano letivo, ela vai ficar na sede da Ordem, com Lupin e os outros...


- lupin com certeza vai gostar de saber disso.


- Creio que sim. Fineus - disse o diretor para o quadro à sua direita - Você poderia, por favor, ir até o seu quadro no Largo Grimmauld e avisar á Remo Lupin que preciso falar com ele?


- Claro Alvo... - disse Fineus saindo do quadro. Instantes depois ele voltou dizendo que Lupin já estava a caminho.


_________________________________________________________________________________________________


Ta ai galera primeiro capitulo da fic...


Espero que gostem...


Não se esqueçam de Comentar, faça um pobre autor feliz...


 


Vlws...


 


Legrand Black.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.