FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

16. Confusos


Fic: Diário de Lilian Luna Potter


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

N/A:



Marcela Prince Snape: Poxinha, a Lilian ficou magoada /mimi



*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*



-Acho que não vou virar monitora, é muito chato, por mais que possa ficar mais tarde fora da cama, mas é chato. – Lilian comentara no salão principal na mesa da grifinória



-Concordo, tia Minnie enlouqueceu ao pensar que você seria uma boa monitora. – Lucas comentara e Lilian o olhou com raiva, ele riu. De repente, Lilian sentiu o ar ficar mais rarefeito, “Cheiro de vadia”, ela pensou enquanto Samantha Parkinson se direcionava a mesa da grifinória e sentava ao lado de Hugo. Ela se aproximou mais de Lucas.



-Bom dia Samantha! – Ela dissera sorrindo falsamente.



-Bom dia Lilian, você finalmente mudou o visual. – Ela disse olhando para Lilian, procurando algum defeito. – Agora você pode se considerar bonita. – Ela sorriu cínica e beijou Hugo. “Filha da puta!”, Lilian pensou.



-Sabe Samantha...



-Ela é bonita! – Dissera Lucas enquanto Lilian o olhava assustada, ele piscou para ela e sorriu. – A Lilian não precisa de tudo isso para ser bonita, ela é linda, e ela sabe usar maquiagem muito melhor que certas pessoas que usam tanta maquiagem que parecem árvore de natal – Lilian segurou o riso enquanto Samantha o encarava com raiva, ela abriu a boca para discutir, mas Lucas a cortou. – Não tenho culpa se ela é bonita naturalmente e você não, por isso que você se veste que nem uma vadia e usa tanta maquiagem que parece uma palhaça de circo, e eu se fosse você colocava juízo nessa sua cabecinha de merda e parava de se oferecer para os meninos, Hugo já cansou de você, sabia? Acho que você devia usar maquiagem dentro de você também, ai talvez você fique bonita por dentro! – Ela saiu de lá emburrada, quando ela se afastou Lilian, Lucas e até Hugo, começaram a rir.



-Obrigada Lucas! – Ela disse abraçando o menino e rindo. – Aquela doida precisava disso mesmo.



-De nada.



-Ela precisava saber umas verdades mesmo. – Dissera Hugo rindo



...



Lilian estava em sua aula de História da magia, quando de repente um pedaço de pergaminho chegou a sua mesa, ela leu e olhou ao redor, não viu quem mandou o bilhete.



“Encontre-me no corredor esquerdo do terceiro andar as onze da noite”



 



Ela não notou, mas Lucas, que estava sentado atrás dela, leu o bilhete.



...



 



Lá estava Lilian, exatamente as onze da noite, no corredor escuro e sombrio do terceiro andar, ela estava sozinha esperando o dono do bilhete, até que uma voz se fez presente.



-Olha se não é a protetora dos sangue-ruins – Dissera Vermont



-O que você quer? Não os chame assim! – Ela puxou a varinha imediatamente, ela não sabia onde ele estava.



-Oh querida Lilian, está com medo? Cadê os seus amiguinhos perdedores? O Weasley e o Rivel?



-Eu sei me cuidar muito bem! Aparecium! – Ele finalmente apareceu na frente da garota, a uns três metros de distância.



-Sério? Não parece. – Ele disse se aproximando



-Sai daqui Vermont!



-E se eu não quiser?



-Eu te faço sair à força!



-Petrificus totalus.



-Protego



-Petrificus totalus! – Ele dissera mais rápido, a menina caiu dura no chão, lágrimas estavam caindo. Ela sabia o que ele ia fazer, mas ela estava paralisada, ele chegou mais perto com um sorriso malicioso, e foi tentar retirar a blusa branca da garota.



-Pare! – Ela pedia chorando, mas não conseguia se mexer, as lágrimas caiam involuntariamente de seus olhos, ela não sabia o que fazer, até que outro alguém se fez presente.



-PARE! – Gritara Lucas chegando mais próximo de Vermont, que se levantou e encarou seu desafiante. – Estupefaça! Levicorpus! – Vermont desmaiou e Lucas levou seu corpo para longe dali, depois murmurou um contra-feitiço do Petrificus totalus, fazendo Lilian se sentar e chorar mais ainda, ele a carregou nos braços enquanto ela ia aninhada no corpo do menino e chorando, até que eles pararam por um tempo para conversar.



-O-obrigada. – Ela disse soluçando.



-De nada, aquele idiota do Vermont! Eu vou matar ele! – Ele dissera com raiva se levantando, mas Lilian o puxou mais para si.



-N-não me deixe a-aqui sozinha... Por favor. – Ela suplicou entre soluços. Ele a abraçou.



-Não vou, vamos para o salão comu... – Eles ouviram o barulho de passos abafados no corredor, Lucas puxou sua varinha e ficou na frente de Lilian, era Scorpio.



-O que vocês estão fazendo aqui há essa hora? Sabiam que já passou das onze?



-É q-que...



-Lilian? Porque você está chorando? – Ele dissera com o tom de voz mais compreensivo.



-Sabe do seu amiguinho Vermont? – Lucas dissera com raiva. – Então, ele tentou... Você sabe... Com a Lilian, a força! – Ele respirou fundo – Eu vou mata-lo! – Ele disse entre dentes.



-Ele... o que? Não acredito que aquele idiota fez isso! – Scorpio massageou as têmporas para se acalmar. – Bom, já está tarde, onde vocês vão dormir?



-No dormitório, eu acho.  – Lucas respondera enquanto brincava com os cabelos de Lilian.



-Se vocês quiserem, podem dormir no meu quarto de monitor-chefe, é melhor irem logo, antes que Filch passe por aqui.



-Tá... M-mas onde vo-você vai dormir? – Perguntara Lilian ainda soluçando.



-No quarto de Rosa, se ela permitir, ela é a segunda monitora-chefe, ela tem um quarto só pra ela também. – Ele olhou em seu relógio. – Vamos logo, me sigam.



...



Quando chegaram ao quarto, Lucas transfigurou roupa de dormir para Lilian, e uma calça para ele, o quarto era grande, decorado com verde e prata, móveis marrons escuros, o quarto era um pouco sombrio. Lilian se deitou ao lado de Lucas, os dois ficaram fitando o teto por um momento, até que se viraram um de frente para o outro, ficaram se encarando por um tempo, era um silêncio mortal, as lágrimas de Lilian já haviam secado, seus olhos estavam menos vermelhos e sua respiração havia voltado ao normal, Lucas estava resistindo a todos seus impulsos, mas ele sabia que não conseguiria aguentar por muito tempo, então ele se virou.



-Não, vira pra mim, por favor! – Lilian dissera com a voz embargada, ele virou para ela, e voltaram a se encarar. Lucas não se conteve, ele a puxou e a beijou ardentemente, Lilian sentiu como se uma onda de eletricidade passasse por seu corpo, ela sentia um arrepio correr-lhe a espinha quando ele beijava e mordia seu pescoço, ele mordia o lábio inferior da garota com tanta ferocidade, mas não a machucava, ela arranhava a costa do garoto com tanto pudor que o fazia soltar exclamações, eles se beijavam cada vez mais, parecia que o beijo ia consumá-los, a cada beijo vinha uma nova onda de arrepios para cada um, como se precisassem daquilo para viver, quando perceberam o que estavam fazendo, Lucas já estava em cima da menina quase tirando a roupa da mesma, ele parou e ficou a encarando, ela também o encarava, estavam assustados, cederam seus desejos mais profundos, mas não iam continuar, ela estava com uma marca roxa no pescoço e ele com vários arranhões na costa, porém a adrenalina no corpo deles era tamanha, que nem sentiram os arranhões e mordidas que tinham, não estavam sentindo aquela dor, eles estavam tentando entender o que acabara de acontecer, estavam confusos, ele saiu de cima dela, deitou na cama e fitou o teto, ela fez o mesmo, ela se virou de costas para ele, que se aproximou dela, para dormirem de conchinha, o que havia acontecido os assustou muito, mas eles não queriam pensar nisso agora, eles apenas adormeceram.



...



Scorpio bateu na porta de Rosa, ele estava suando frio.



-ENTRA! – Ela gritou de dentro do quarto, ele abriu a porta, entrou e a fechou de novo. Ela ergueu a sobrancelha. – O que você quer?



-Eu queria... Saber... Se... Eu poderia... Dormir aqui? – Ele perguntou envergonhado.



-O que? Você está ficando doido? Porque você faria isso?



-Porque a Lilian... – Ele percebeu que a menina estava vermelha de raiva. – Nós não... Você sabe... É que o Verme do Vermont, tentou... Você sabe... Com ela, a força... – Rosa levou a mão a boca. – Mas Lucas a salvou e eles vão dormir no meu quarto, e eu não tenho onde dormir, então eu pensei que...



-Pensou errado! – Ela disse irritada. – Como está a Lily?



-Ah, ela esta bem. – Ele dissera um pouco envergonhado. Ele foi em direção à porta. – Então... Tchau, eu durmo no corredor mesmo, só espero que Filch...



-Tá! Você pode dormir aqui, mas se você tentar alguma coisa... – Ela disse irritada e contrariada.



-Eu sei, você me mata, não tem problema, eu só vou me trocar. – Ele transfigurou uma calça de dormir e se trocou enquanto a menina tapava os olhos com as mãos, ele riu. – Não precisa ficar assim, eu uso cueca sabia? – Ele riu e ela revirou os olhos, ele se deitou ao lado da garota e encarou as costas dela, ele pensava que ela já estava dormindo, então ele começou a roçar as costas dela com as mãos, e percebeu que ela sentiu um arrepio, ele ficou envergonhado. – Ah... Desculpa, eu... Eu não sabia que você estava acordada. – Ele ia se virando, mas ela o segurou, ele a encarou meio confuso, ele se lembrou do baile, e resolveu convida-la. “É agora ou nunca...” – Já que você está aqui, quero dizer... Dã! Esse é o seu quarto, claro que você está aqui! – Ela riu da confusão dele, ele encarou os olhos dela e respirou pesadamente. – Você quer ir ao baile comigo?



-Quero.



-Tá, desculpa por pedir... PERAI, O QUE VOCÊ DISSE?



-Eu disse que vou com você. – Ela disse rindo do rosto confuso do menino, os olhos dela brilhavam.



-Sério? – Ele riu. – Eu tô tão acostumado com a rejeição que achei que você ia dizer não. – Eles riram. – Obrigado mesmo! Vou te provar que eu mudei! – Ele a abraçou forte com um sorriso enorme no rosto.



-Tá. – Ela disse rindo enquanto se afastava dele. Eles se encararam de perto, seus lábios quase se encostando, quando num impulso, Rosa o beijou! E ele retribuiu o beijo (óbvio).



-Você... Você me beijou! – Ele disse ofegante com um sorriso de orelha a orelha.



-Foi... Eu te beijei. – Ela disse confusa. “Eu? Eu não acredito... Eu o beijei” – Eu te... Te beijei... – Ela ficou pensando confusa enquanto ele continuava sorrindo. – Eu... Acho que vou dormir. Boa noite. – Dizendo isso, ela se virou e ficou absorta em seus pensamentos até adormecer.



...



Lucas e Lilian se evitaram o dia todo, Lilian estava andando o dia todo com o cachecol da grifinória para esconder aquela marca roxa que Lucas deixara nela, e Lucas passara o dia com dor nas costas, “Merlin! Aquela menina tem unhas enormes!”, Eles iam se evitar o dia inteiro, mas não puderam Hugo, Nicole, Johnny e Louise os chamaram para ficar lá em baixo conversando.



-Ei vocês! – Dissera Hugo. – Fiquem aqui, venham conversar! E Lily, o que você vai fazer em relação a Vermont? – Lilian se sentou ao lado de Hugo e Lucas se sentou ao lado dela.



-Eu vou me vingar. – Eles riram. – Vou me vingar dele e de Finnigan. Vou fazer uma coisa que os meninos acham pior que se machucar, que perder no quadribol, que eles acham atpe pior do que a morte. – Ela disse sombria.



-E o que você vai fazer? – Perguntara Louise curiosa.



-Vou os fazer falharem naquela hora... No dia da festa. – Todos riram, exceto Hugo. – Se acalme Hugo, não vou me vingar de você. – Eles riram novamente e Lucas ficou com um pouco de ciúme. – Você é muito especial para eu me vingar de você. – Ela disse o abraçando.



-Tá... – Ele disse a abraçando. – Ei Lucas!



-O que foi? – Disse o menino pegando um copo com água e se sentando novamente, ele bebeu um pouco da água.



-Você não ficou com ninguém depois das férias, tá na seca é? – Todos riram, ele se engasgou com a água e Lilian corou.



-Ah é que... Cof cof... Você sabe... Tô me focando nos estudos. – Ele disse e todos riram.



-Tá certo... Tô sabendo... Quero ver os resultados. – Hugo disse imitando o tom de voz do pai de Lucas. – E você Lily?



-Eu o que? – Ela perguntou enquanto corava mais ainda.



-Porque você tá com esse cachecol o dia inteiro? – Ele disse puxando o cachecol do pescoço da menina enquanto ela perdia a cor e ficava com o rosto quase da cor de seus cabelos, “Porque eu tenho que ser branca e ruiva? Que merda!”, pensou. Ela tapou as marcas roxas de seu pescoço, mas todos já haviam notados e estavam pasmos, eles riram. – Quem fez isso? – Hugo disse entre risos, mas parou subitamente de rir quando percebeu que Lucas e Lilian se entreolharam ficaram vermelhos.



-Ah... Ninguém. Eu... Cai da escada.



-Hum... Você mente muito mal Lily, foi Vermont? – Hugo pressionou.



-Não!



-Foi quem então? – Perguntara Nicole curiosa.



-Cai da escada!



-Sério? O que você acha disso Lucas? – Hugo olhou para Lucas com a sobrancelha arqueada enquanto o menino se engasgara novamente com a água.



-Ah... Cof cof... Não sei, acho que ela caiu da escada... Vou dormir. Boa noite! – Ele deu um sorriso falso e subiu as escadas do dormitório.



-Eu também vou dormir. Boa noite! – Lilian sorriu e subiu as escadas do dormitório feminino. “Será que eles descobriram?”, pensou ela enquanto se jogava na cama e fechava o cortinado.



-Você acha que eles dois...? – Perguntara Nicole para Hugo, ele apenas tomou um gole de água e assentiu com a cabeça.



-Lucas e Lilian? – Johnny riu. – É estranho.



-Também acho. – Concordara Louise – Esses dois... Não sei...



-Também não sei. – Dissera Hugo pensativo vendo as chamas da lareira crepitarem, ele se levantou do sofá e bocejou. – Já vou dormir, você vem Johnny?



-Tô indo. – Ele disse se levantando também. – Tchau garotas, boa noite.



-Boa noite meninos! – Disseram as duas sorrindo.



-Boa noite. – Hugo acenou e subiu as escadas, seguido por Johnny

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 4

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Lua C. em 06/08/2011

Ammmmeeeeiii postra mmmmaaiiiiss muito maiisss, amo a lily nota 10000000

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Manuh_Potter em 06/08/2011

Nossa,estou amando sua fic...posta mais,estou morrendo de ansiedade

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Ana Martins em 05/08/2011

pelo amor de deus, eu preciso do cap 17 hahaha

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Marcela Prince Snape em 04/08/2011

Eu acho que Lilian foi colocada a casa errada.

O chapéu Seletor está começando a caducar.

Lilian malvada. Deveria ser da Sonserina!

Estou adorando!

Beijos!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.