FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

9. Aniversário, Sacerdócio e Negó


Fic: Keepers - O Segredo da Magia


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Hermione entrou com cuidado e silenciosamente no quarto de Harry, que ainda dormia. Deixou sua bolsa na cadeira e foi até a cama, abaixando-se para observá-lo dormir por um momento, antes de se aproximar e beijá-lo suavemente nos lábios.



-Hora de acordar, dorminhoco! –Diz baixinho, o acariciando levemente na nuca, sentindo-o despertar. –Vamos, Harry, sem preguiça hoje.



-Hermione? –Pergunta surpreso, piscando várias vezes como se tentasse focar.



-Feliz aniversário, preguiçoso. –Sussurra antes de beijá-lo novamente, dessa vez sendo abraçada e correspondida por ele.



-Melhor manhã de aniversário de todas! –Harry diz a puxando para que deitasse com ele, porém Hermione se afasta.



-Nada de preguiça, temos um dia de sol pra aproveitar!



-Dia? Vai passar o dia comigo? –Pergunta animado, sentando-se para conseguir enxergá-la direito.



-Eis um benefício de estar em Londres! Além disso, estava te devendo depois de todo aquele gelo…



-Isso é verdade. Quais seus planos?



-Como assim meus planos? O aniversariante sempre decide!



-Mesmo? Qualquer coisa?



-Desde que não envolva nadar ou vassouras…



-Nada de vassouras? –Harry arrisca e a vê franzir o cenho. – Ok, tudo bem, sem pressões.



-Podemos passear por Londres ou ir pra algum lugar por perto já que tenho minha carteira de motorista e estou de carro!



-Wow, estamos motorizados! –Brinca com o ânimo da namorada que lhe dispensa uma careta. Em resposta, Harry a beija rapidamente. –Já que temos uma variedade de opções, que tal deixar a cidade grande de lado e ir pra um lugar mais acolhedor? Podemos fazer um piquenique.



-Parece bom. Enquanto você toma café podemos dar uma olhada em dicas da região, algum lugar onde dê para passar o dia e voltar no fim da tarde.



-Fim da tarde? Não ganho nem um pouquinho da noite?



-Pelo contrário, vai ganhar grande parte da noite, apesar das notícias não serem tão boas assim.



-Como assim? O que houve?



-Agora que estamos oficialmente namorando, preciso te apresentar oficialmente a família e como a Mel também precisa fazer o mesmo com Nikolai, pensamos em um jantar especial essa noite.



-Jantar oficial… Wow… seria empolgante se eu não soubesse que isso fará com que três gerações de leões O’Donnell queiram me matar.



-Pense pelo lado positivo, estarão confusos entre atacar você e o Nikolai. Além disso, as mulheres da família estão meio que os preparando psicologicamente para a ocasião, então pode ser que não tentem agredi-los fisicamente.



-Animador! –Diz ironicamente, enquanto colocava seus óculos.



-Se quiser, podemos deixar pra outro dia, apesar de eu achar que não será muito bom deixar isso pra quando já estivermos viajando.



-Não, tudo bem. Como você disse, eu não serei o único alvo. Também não quero adiar mais nossa situação, melhor que todos saibam de uma vez.



-Nesse caso, vamos tomar café e planejar nosso dia! – Diz se levantando e o fazendo sinal para que ele fizesse o mesmo.



-Nosso dia! Gostei de como soa. –Diz se levantando e depois a beijando carinhosamente.



**********************************************************************************



Artemis estava em seu escritório na Mansão Fowl entretido em uma simulação de estresse de um novo dispositivo de hardware que havia projetado para construir um computador que superaria os do Povo e o permitiria suportar seu novo sistema, quando uma quantidade massiva de energia surgiu, fritando o composto, logo antes de uma figura feminina aparecer à sua frente.



-Bom dia, Artemis. Eu sou Athena, deusa da sabedoria, justiça, guerra, e outras várias atribuições.



-Uma deusa? –Repete tentando entender como aquilo era possível, apesar de não duvidar diante de uma presença tão poderosa.



-Imagino que deva estar se perguntando o porquê de não haver registros nossos entre o Povo ou por que não aparecemos publicamente para os homens. Correto?



-Sim. Pode me explicar? –Pergunta tentando se recompor.



-Artemis! –Butler entra com a arma em punho, rapidamente percebendo a presença que emanava tanto poder e apontando sua arma para ela.



-Guarde a arma, Butler. Não teria efeito sobre Athena, a deusa. –Artemis explica se adiantando até um dos sofás e apontando a poltrona para a deusa.



-Deusa? De verdade? –Butler pergunta com os olhos arregalados, podia lidar com o Povo, magia, mas divindades eram uma novidade.



-Eu ia começar a explicação. –Diz sentando-se e esperando Butler repetir o gesto.



-Antes de iniciar, uma pequena dúvida: o Povo sabe que a mitologia grega não é uma mitologia? –Artemis pergunta concentrado.



-Eles sabem, mas preferem adorar os Titãs. –Responde simplesmente antes de continuar, sem deixar de observar a sombra que passara pelos olhos do rapaz.



**********************************************************************************



Jesse estava em seu escritório temporário no Palácio de Buckingham, quando o telefone toca e a secretária informa da chegada de Daniel Williams, o qual a jovem pede que entre.



-Bem-vindo, Sr. Williams. –Jesse diz de modo simpático, levantando-se para cumprimenta-lo, porém o olhar frio a faz baixar a mão.



-Não desperdicemos nosso tempo com encenações. Sabemos bem que só vim por ter recebido um convite do Príncipe William e, um homem sábio, não recusa o chamado do futuro Rei.



-Essa hostilidade é por eu ter vindo da publicidade? –Pergunta sentando-se após vê-lo fazer o mesmo.



-Não se faça de ingênua. Sei bem como uma bela jovem consegue convencer jovens rapazes das ideias mais estapafúrdias. –Diz de modo frio, sentindo-se bastante confortável na cadeira à frente da jovem, como se o escritório e a mesa à frente fossem seus e ela apenas uma figura insignificante que estivesse de passagem.



-Ah, então é só preconceito de gênero mesmo! –Jesse diz sem se intimidar. –Eu estava certa em imaginar que não adiantaria tentar explicar novamente o projeto ou me aprofundar em seus aspectos técnicos e conceituais. Então sejamos objetivos e passemos a próxima pauta…



-Que próxima pauta? Não entendeu que não estou interessado em dar suporte a amantes ambiciosas de poderosos?



-Vinte de maio de dois mil e dez, onze e vinte da noite. –Jesse diz e vê o homem à sua frente ficar tenso.



-Não sei do que está falando. –Diz tentando se manter firme, mas seus olhos denunciavam a insegurança que sentia, especialmente ao encarar os frios olhos azuis à sua frente.



-Duvido que tenha esquecido do dia ou da hora em que atropelou e matou Oswald Jameson. –A voz de Jesse não havia flexionado, seus olhos observavam analiticamente cada reação do homem.



-Ele atravessou o cruzamento, a preferência era minha, foi um acidente. Não sei como descobriu, mas certamente não tem como provar nada. –O tom de Williams mudara, passou a ofensiva, mostrando nervosismo.



-Você o atingiu por estar bêbado e ainda não prestou socorro.



-O carro rodou, eu fiquei de frente pra ele, imóvel no chão, não havia ninguém a socorrer além de mim mesmo, o único que estava vivo.



-Não se importa com a morte de um jovem de 19 anos ou estava tão apavorado depois do efeito do álcool passar que não procurou detalhes da morte de Jameson?



-Do que está falando? Eu não sou nenhum monstro. Houve um acidente, eu protegi a minha família e minha carreira e não a deixarei levar à frente essas…



-Jameson estava vivo. –Jesse o interrompe e coloca o arquivo com a foto do rapaz e o nome sobre a mesa. –Ele morreu afogado no próprio sangue porque você não prestou socorro.



-Não! –O homem diz em desespero, erguendo-se de súbito, as mãos na cabeça como se tentasse lembrar. –Ele estava morto, imóvel…



-Estava desmaiado, afogando-se em seu próprio sangue. Veja os arquivos…



-Pare! –O homem pede quase em súplica. –Eu assino o cheque que quiser, considere seu projeto aprovado, qualquer outro também… só nunca mais volte a falar disso comigo e muito menos com outros.



-Não sabe mesmo nada sobre mim, não é? –Jesse pergunta quase rindo. –Eu sou uma O’Donnell e O’Donnells não negociam com criminosos. –Diz de modo frio, apontando um controle para o lado, ligando uma TV na estante que mostrava-os em tempo real.



-Me dê a gravação ou … -Diz furioso, mas ela o interrompe sem parecer minimamente abalada.



-Está na nuvem. Suas ameaças não fazem qualquer sentindo.



-O que você quer? Diga de uma vez qual é a chantagem.



-O que você não entendeu da parte em que disse que eu não negocio com criminosos? Mas se quer um conselho, aproveite o celular e ligue pra se despedir de seus filhos, em instantes a polícia estará aqui com algemas.



Mal ela terminara de falar, o homem sai desesperado da sala, fazendo-a manear a cabeça negativamente. Apenas desligou a TV e habilitou o interfone, que tocou instantes depois.



-Detetive Mallone, conseguiu pegá-lo? –Diz após atender.



-Como sabia que era eu? –Pergunta a voz do outro lado.



-Por que o senhor estava acompanhando a conversa e o viu fugir? –Diz como se fosse óbvio.



-Faz sentido. –Diz após um momento de silêncio. – Ele está conosco, o levaremos para a delegacia em instantes.



-Há algo mais em que eu possa ajuda-los?



-Por enquanto, não. Mas é provável que seja chamada como testemunha no julgamento. Se alguém ligado a ele ameaçá-la, por favor nos informe imediatamente.



-Não se preocupe, estarei fora do país nas próximas semanas. Obrigada detetive.



-Obrigado a senhorita pela ajuda.



Assim que o comunicador é desligado, Jesse pega sua bolsa para guardar suas coisas quando Apollo surge diante de si, tomando cuidado para conter seu poder e não chamar a atenção de quem estivesse do lado de fora.



-Espírito vingativo, foi isso que atraiu Hades em você? –Pergunta tentando entender o que acabara de ver.



-Vingança é algo pessoal, um verme como aquele jamais me atingiria a tal ponto. Eu apenas removi um obstáculo irritante do meu caminho, a pessoa que deve substituí-lo na BBC, ao menos por enquanto, votou a favor do meu projeto. Ligarei pra ela depois do almoço e tenho certeza de que conseguirei a aprovação. –Responde de modo simples.



-É tão irritante ver o quanto de Hades você tem…



-Eu tenho um horário mais longo de almoço e depois compromisso familiar, o que se você providenciar o almoço, me dá três horas livres.



-Quer comemorar ter colocado um homem na prisão?



-Coloquei um assassino na prisão. E a comemoração é pelo meu trabalho, que em breve me levará a dirigir uma série de sucesso mundial.



-Esse excesso de confiança é tão irritante e ao mesmo tempo tão sexy…



-Isso significa que devo ligar desmarcando a reserva no restaurante? –Pergunta com um sorriso de canto, recebendo um igual em resposta.



**********************************************************************************



Após algumas buscas na internet, Hermione e Harry decidiram ir a St. Albans, que ficava a menos de 2 horas de Surrey. A cidade medieval oferecia passeios por marcos históricos, museus e poderia ser conhecida em um dia.



Pararam o carro no estacionamento e andaram alguns minutos pelo centro da cidade até chegar a um ofício de turismo, onde obtiveram um mapa com os pontos turísticos interessantes da cidade. Passearam observando as construções, foram aos sítios romanos e depois ao Verulamium Park para fazer o piquenique.



-Tem algo no meu rosto? –Hermione, que comia um sanduiche com molho de pizza, pergunta a Harry.



-Não, por que?



-Porque você não para de olhar pra mim.



-Gosto de olhar pra você. –Responde de modo simples, a vendo se retrair e baixar a cabeça como se tentasse evitar uma resposta. –Sei que as coisas estão difíceis, mas tente pensar pelo lado positivo, não tem cicatrizes no seu lindo rosto.



-Porque coloquei a mão na frente. –Diz olhando para a mão imobilizada. –Você não precisa tentar arranjar formas de me elogiar…



-Eu não estou forçando nada. Você me perguntou algo e respondi sinceramente. Eu adoro olhar pra você, esses olhos embriagantes, os lábios perfeitos, que estou tentando evitar dado o número de crianças ao redor.



-Realmente há muitas famílias. –Diz aproveitando a chance de mudar de assunto. –Aqui é bem tranquilo, um lugar bonito, estranho você não conhecer.



-Você conheceu meu tio e meu primo, longos passeios em lugares bucólicos não é muito a deles. –Responde com uma careta.



-Pra mim não há grande diferença entre cidade e campo, tudo depende da companhia.



-E eu sou uma boa, não? Até topei o museu!



-Eu fui com você e Rony pra Copa do Mundo de Quadribol, não? –Diz rindo com ele ao final.



-Acha que teremos tempo pra nós na viagem?



-Sinceramente, não sei. Vai depender do nível de paranoia dos leões e da quantidade de trabalho que terei no tempo livre. William tem se mobilizado para acelerar as coisas, assim que houver uma boa caixa preta em torno dos produtos da Dragon’s Corp, poderemos começar as negociações em torno do projeto das estações de Chave de Portal.



-Já falou com Dumbledore sobre tudo isso?



-Sim. Ele disse que poderei sair para comparecer em reuniões do governo e demais compromissos políticos. E, sendo você o grande herói bruxo, que tem grande capacidade de influência e prestígio do lado de cá, consegui que ele te liberasse como meu acompanhante.



-Sério? Teremos dias livres fora de Hogwarts? –Pergunta com um sorriso maroto.



-Dias livres é um grande exagero. Esses compromissos políticos costumam durar várias horas, além disso precisarei usar o laboratório do Nikolai em algumas ocasiões, resolver coisas da empresa… enfim, deveremos ter umas horas pra nós, mas não posso prometer nada.



-Algumas horas já significa algo. –Diz a abraçando. –Quem sabe o suficiente pra alguns jantares românticos? Com sorte cinema, teatro?



-Em alguns dias sim, em outros no máximo dormir abraçadinhos. –Hermione diz como se sentisse muito, mas o deixando surpreso. –Eu disse dormir, d-o-r-m-i-r.



-Eu sei, mas você acha que seus pais seriam tão compreensivos assim?



-Meus pais? Meus compromissos serão em Londres ou fora do país.



-E a melhor tia do mundo mora em Londres! –Harry complementa animado.



-Eu não posso eleger favoritas, aliás nem você deveria, tia Liza te adora tanto quanto a Mel.



-E eu ainda não sei o que fiz pra merecer tudo isso!



-Nem eu… mas parece ser algo que elas veem em mim quando falo de você.



-A mesma cara de bobo com que eu fico quando falo de você?



-Nem pensar! –Responde de pronto, o vendo franzir o cenho e aproveitando para beijá-lo antes que estendesse o assunto.



**********************************************************************************



Após Athena terminar as explicações básicas, deixou Butler e Artemis processarem por um momento todas as novidades que ouviram, principalmente sobre a parte da existência de humanos com poderes mágicos.



-Agora que compreendemos o básico desse mundo oculto, preciso perguntar: em que posso lhe ser útil? –Artemis pergunta à deusa, que sorri.



-Quero que se torne meu sacerdote e que se una a um trio muito especial de gênios que estão iniciando um projeto que mudará o mundo.



-Gênios? –Pergunta interessado.



-Meu neto, Nikolai Flamel, criador da Pedra Filosofal…



-Flamel, o alquimista, é real? –Artemis pergunta entre assustado e empolgado.



-Sim. Ele está orientando minha recém ordenada sacerdotisa Melissa O’Donnell e sua sobrinha Hermione Granger, uma talentosa bruxa que espero ter como sacerdotisa em breve.



-Fala da irmã e da sobrinha de Peter O’Donnell, do O’Donnell’s Office? –Artemis pergunta com um ligeiro sorriso, conhecia bem o escritório e a menina prodígio apontada como futura presidente.



-Que bom que conhece ao menos a face trouxa de Hermione, terá tempo para procurar mais sobre sua reputação entre os bruxos. Encontrará o necessário no Beco Diagonal.



-Bruxos vivendo uma vida dupla… -Artemis murmura pensativo, mas é interrompido pela deusa.



-Só Hermione é bruxa. Não mencionei antes, mas é possível que bruxos nasçam de trouxas, apesar de ser raro.



-Pelo visto há muito o que estudar antes de encontrá-la, não quero causar uma má impressão inicial.



-Hermione estará fora do país até meados de agosto, então terá tempo. Agora, sobre o sacerdócio, o que me diz?



-Alguém seria louco o suficiente para recusar? –Artemis pergunta animado. –O que preciso fazer?



-Nada. Apenas lhe passarei um pouco de minha energia, seu corpo deve mudar usando parte dela, absorverá outra parte em habilidades especiais e liberar o excedente no meio. Apesar de eu não esperar que se torne um guerreiro é natural que seu corpo se adapte como se o fosse, ganhará alguns músculos, mas o deixarei inconsciente, não sentirá dor. –Explica serenamente.



-Meu corpo irá mudar apenas para ganhar músculos ou como um todo? –Pergunta receoso.



-Como o que está preocupado?



-O olho que pertenceu a Holly… gostaria de manter. –Artemis responde sem jeito, as bochechas corando levemente.



-Você pode tentar se concentrar em mantê-lo, mas não é garantido que consiga. Além disso, a dor que sentirá será muito grande, vai ser difícil se manter consciente.



-Eu vou tentar. – Artemis diz se erguendo e estendendo a mão para Athena.



-Artemis… -Butler tenta intervir, mas o rapaz o interrompe.



-Eu já tomei minha decisão. Por favor, não interfira. –Pede observando a deusa se erguer e, com um gesto, transformar o sofá em que ele estava em um colchão.



-Melhor se deitar. Não tem porque ficar desconfortável. –A deusa indica e o rapaz assente, em sua mente procurava se concentrar no dia em que trocara de olho com Holly.



**********************************************************************************



Eram 18:00 horas quando Hermione e Harry voltaram para a casa dos Dursley. Se arrumaram para o jantar e desceram com as malas de Harry, que passaria a ficar com Hermione e a família dela, parando um momento para que Harry se despedisse dos tios. Às 20h já estavam na mansão de Richard Cavendish, Duque de Devonshire.



-O que é aquilo? – Harry pergunta apontando para o caminho iluminado que seguia pelo lado da casa e culminava em um clarão que parecia vir dos fundos.



-O jantar será aqui fora, a noite está agradável e achei que seria mais adequado se precisassem fugir. –Hermione responde sem jeito, enquanto saía do carro.



-Fugir? Você passou o caminho me dando orientações do que fazer, do que não fazer e agora isso! –Harry diz visivelmente nervoso, passando as mãos no terno enquanto saía do carro, como se quisesse garantir que não haveria nenhum amassadinho.



-Sinto muito. –Se desculpa estendendo a mão para que caminhassem de mãos dadas. –Alguma última pergunta?



-Você falou várias coisas sobre os leões, mas e seu pai? Algum guia express?



-Meu pai é uma pessoa racional, sensata, nunca deve ter ficado bravo na vida. Com ele não precisa se preocupar.



-Ao menos um! –Diz aliviado, a música ficando mais alta.



-Vai dar tudo certo. –O incentiva e o vê sorrir.



-Problema na luz? –Harry pergunta ao ver a luz piscar e depois apagar.



-Josh deve ter desligado o interruptor errado. Estava se embaralhando com a instalação do som mais cedo.



-Insta… -Antes que Harry terminasse de falar, holofotes acenderam o cegando por um instante, ao fundo um canto uníssono de parabéns para você.



À frente dele não havia uma, mas várias mesas distribuídas pelo jardim, duas grandes mais ao longe com comes e bebes, porém o mais chocante foi ver que além da família de Hermione, estavam lá os Weasley, todos os seus professores, amigos da Grifinória e alguns de outras casas. Havia até uma faixa com as caricaturas de Harry e Neville com a frase feliz aniversário entre elas.



-Fecha a boca, vai engolir um inseto! –Sírius diz aparecendo ao lado do afilhado.



-Feliz aniversário, Harry! –Lupin o cumprimenta com um largo sorriso.



-Vocês… você! –Harry diz olhando dos homens pra Hermione em tom acusatório, lembrando da desculpa do padrinho de que iria viajar com Lupin e não poderia estar com ele.



-A ideia foi minha. –Sírius diz após dar um de seus risos roucos. –Hermione se ofereceu pra distraí-lo e a família dela para me ajudar a organizar a festa.



-Você tinha que ver a sua cara, parece um idiota! –Rony diz entre risos ao se aproximar com outros amigos, todos ansiosos para cumprimentar o aniversariante.



**********************************************************************************



N/A: Capítulo leve e que apresentou Artemis Fowl, que já foi recrutado por Athena. O que esperam da festinha feita pra Harry e Neville? Se estivessem lá, o que dariam de presente pro Harry?



N/A²: Se houver muitos comentários caprichados, posso postar o próximo capítulo no Natal!



N/A³: Como não consegui excluir os capítulos antigos, vou apenas substituí-los aos poucos. Pra não se perderem nos comentários, a data de publicação desse capítulo é de 18/12/2017



Irmaos Marotos : Li todos os seus comentários em todas as fics, se quiser bater um papo depois é só me procurar no twitter: @NayraMV. Respondendo a uma pergunta recorrente: por enquanto só tenho planos de continuar com esta fic, mas ainda terminarei as que estão em pausa.



Não sabe como eu fiquei feliz em saber que te converti em H/H! Estabelecer relações entre personagens da JK e originais, além de cria-los, é um desafio que fui melhorando aos poucos, acho que Príncipes do Apocalipse foi a fic que fez com que eu me sentisse mais confortável em criar mais personagens.



Ingrid T. Bem vinda de volta! Tenho atualizado Keepers todo mês, então pode vir com regularidade que vai achar um cap novo rsrs Melhorar sempre é um compromisso que tenho em tudo que faço e, no caso das fics, os comentários me ajudam muito a saber onde preciso melhorar.



Sobre seu problema com o Safari, o navegador está realmente instável. Aconselho a todos os usuários do site a usar o Firefox, o navegador é rápido e nunca dá problema com o site.



PriisRibeiro : Espero que tenha tido boa sorte na defesa do seu TCC! Entendo como esse período é complicado, já passei por graduação e mestrado, você perde até a saúde. Assim que tiver um tempo, espero um comentário contando se passou.



Coveiro : Eu já tenho alguns capítulos escritos, minha meta é postar de 15 em 15 dias (desde que tenha comentários), mas estarem escritos não significa que não possam mudar caso haja bons pedidos dos leitores. Hermione sempre foi muito responsável, nunca toparia fazer um exército e dar na mão dos outros sem se preocupar com as consequências. Imagine aí os gêmeos Weasley trabalhando com Hermione rsrsrs. Digamos que esse subfeitiço de Voldemort ainda vai dar o que falar.


Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 4

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por stille em 31/12/2018
haha, até eu fui enganada por hermione pobre harry, hermione fingindo que gosta pouco dele
Nota: 0

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Coveiro em 05/01/2018
Estou curioso sobre como tudo segue agora Começamos mais um crossover, então, o que esperar? E as cicatrizes de hermione, realmente intrigante Estou me divertindo muito com o namoro deles Deve ter sido interessante Hermione assumindo o namoro e tudo mais Sò estou com dó do Harry, Hermione insiste que não é uma boba apaixonada como ele. Quero ver quadno ela notar que é sim. Parabens. Mais um capitulo de tirar o chapeu Ainda vou insistir, queria ver mais de Heroes
Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Coveiro em 05/01/2018
E não se esqueça de Pangeia Eu queria ver o filho de Harry se relacionando com a filha de Malfoy.
Nota: 0

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Lediane Werner em 20/12/2017
Parabéns, a fic está ficando incrível. Super curiosa para ver a turma toda no Brasil e a reação da população aos planos da Mione de juntar bruxos e trouxas. Adorei a Jesse, não é porque ela é linda, que não possa ser brilhante! Queria ver um pouco mais de interação entre o Sirius e o Harry. Sempre achei que o relacionamento deles foi pouco explorado, pois se o Harry o via como pai, por que tão pouca convivência? Ansiosa pelos próximos capítulos...
Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2021
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.