FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

13. O grande Idiota (Betado!)


Fic: Ferias no Brasil


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________



Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

N/A (inicial): Não vou separar como sempre faço, porque, bem, eu to morrendo de preguiça e acho que da pra entende direitinho, quem é quem....
BJKAS


O grande Idiota!

No cap anterior....

_Ótimo Potter, você também não é quem eu imaginava!
_Ótimo! – ele suspirou sentando-se no chão, de costas para a ruiva.
_Ótimo! – ela replicou.
_Olha, eu obviamente cometi um erro vindo aqui. – James levantou-se e saiu andando pelo lugar sombrio.
_Não. Você não pode sair e me deixar assim. – Lily o seguiu desviando das pedras ao longo do caminho. – Precisa mais que isso pra se livrar de mim... Uh. – ela caiu
_Lily!
_Ah. – estava de cara com a grama do chão.
_Você esta bem?
_Estou. As pessoas não deveriam cavar buracos por aí assim...


--------------------------

(James) -

Bem eu não posso dizer que me sentia orgulhoso por ter feito uma burrada, mas calma afinal, errar é humano. E por mais perfeito que eu possa parecer baby, perfeito eu ainda não sou...
Isso, eu deveria dizer para a Lily, o amor da minha vida, a garota que eu havia, a pouco tempo, pedido em casamento. Mas da minha voz não saia. Não sei, talvez eu saiba que eu estava errado, e ela certa, só para diversificar um pouco. Além do mais, eu odeio essa minha ironia. Eu a ajudei a se levantar e dentro dos seus olhos eu já não via raiva, eu via algo pior, desapontamento. Preferiria que ela tivesse gritado, talvez me dado um belo tapa, afinal, eu merecia. Mas não, ela era a Lily, e a Lily adulta não fazia esse tipo de coisas. Talvez a Lily de quinze anos, estudante de Hogwarts faria. Mas a Lily Evans com que eu iria me casar, já era bem mais que isso.

_Sabe James, eu só queria saber porque!- tive a impressão que aquela era uma pergunta retórica, mas mesmo assim eu queria inventar uma desculpa, algo mais para mim mesmo do que para ela, que aliviasse minha consciência.
_Eu não sei. Queria pedir desculpas, mas alguma coisa me diz que não é o suficiente.
_Realmente não é.

Nós sentamos um ao lado do outro, olhando as estrelas, eu senti sua mão gelada em cima da minha perna, e dentro de sua mão ela soltou um anel, o nosso anel.

_Sinto muito, não dá...
_Pelo menos me diz que um dia vai me perdoar.
_Quem sabe... –ela sussurrou. – Um dia...
_Você vai embora? – eu perguntei temeroso.
_Ainda não, quero dizer, eu tenho um certo dever para com meus amigos. Certo? – eu confirmei com a cabeça.
_Pelo menos uma amiga?
_Talvez, mais não uma grande amiga...
_Tá. _É
_Tem razão.
_Com certeza....

E nós tivemos, talvez, a conversa mais sincera de nossas vidas. Sabe, o tipo de conversa em que não se diz muita coisa, apenas se sente, e naquele momento eu pude perceber que eu não era mais um garoto, mais ainda não era um homem, estava naquela faze da vida em que se faz muita besteira. Fazer o quê? Eu sou um homem/garoto, e homens/garotos são assim, idiotas.

(Lily)

Me levantei abruptamente, sentia uma espécie de dor no peito. “E..” falei pra mim mesma. “essa deve ser a dor que todo corno sente um vez na vida”. Mais a minha perspicácia que me ajudara e animara tantas vezes não estava mais funcionando.

_Acho melhor irmos para Curitiba, lá eu fiz reservar de quartos, creio que vamos ficar mais ... Confortáveis do que aqui...
_É... – o James é assim, quando está profundamente triste, fala em monossílabas. E eu achava que o conhecia...

Então nos caminhamos pelo campus sem trocar uma só palavra. Chegamos ao quarto onde todos nos esperávamos... como posso dizer?Acho que ansiosos se enquadraria perfeitamente aqui.

Sem falar muito, eu comecei a arrumar uma coisa. Foi estranho, porque todos me olhavam, mas ninguém fazia nada, eu queria que eles tivessem gritado comigo, talvez feito uma piada, mas não, eles simplesmente escolheram o silêncio.

(Sirius)

Me aproximei de James e fiz um cara típica de “e agora?”, ele abaixou a cabeça, não sorriu, mas nos seus olhos eu identificava uma pontinha de esperança marota, brigando como uma erva daninha no cafezal..

(N/A: cara, eu juro que eu pense “vou escrever um capitulo serio!”, mais ai minhas mãos vem e digitam algo como “uma erva daninha no cafezal.”, eu não agüento! Que tipo de pessoa escreve isso?
N/S: o tipo de pessoa doente.
N/A: eu sei!
N/S; cara, garota, tu é esquisita eh?
N/A: Eu sei!
N/S: issty!)

(Lene)

Eu acho que nunca tinha visto os marotos assim tão sérios, mas aí veio uma luz, não, mentira, não me veio uma luz, me veio ‘A’ luz!

_Sirius Black! – eu gritei quebrando o clima de enterro.
_Marlene Mckinnon.- ele entendeu meu plano.

Lily deu um micro, quase inexistente, mas mesmo assim um sorriso.

_Você sabe porque a sala de aula é como o mar? – eu falei, o mais toscamente possível.
_Não Lene, porqueeeee? – Sirius retribuiu com igual intensidade. Sabe, nós estávamos realmente sendo palhaços, o que não deixa de ser uma profissão digna e honrada. Bem melhor que matar e/ou roubar.
_Porque os professores navegam... – eu olhei para o Sirius de um jeito que nem se eu passasse o resto da vida descrevendo não conseguiria dizer da metade o que foi engraçado, uma espécie de olhar torto, assim meio de lado.
_E os alunos Lene? – ele colocou a mão na boca como aquelas garotinhas do jardim que acabaram de contar uma mentirinha.
_Os alunos bóiam... – eu disse dando um tapinha meio do tipo “mamãe quero ser gay”
_Não se esqueça das notas Lene! – Sirius apontou o dedo para mim como uma velha aposentada brigando com os netos.
_Ah sirius todo mundo sabe, que as notas...- eu fiz uma pausa. - ...bem, as notas afundam!

E nos dois danamos a rir como se aquilo fosse a coisa mais engraçada desse mundo. O silencio de apoderou da sala, e então Remo deu uma espécie de ... tossida?Após, o que eu imagino ser, milésimos de segundo, ele começou a rir, sendo seguido por todo o grupo. Sim, nenhum de nós, pelo menos naquele momento, tinha noção do ridículo...

_Hum-hum – Era o Kauãn

(N/A: tha-tham.... (sorry, eu não agüentei!))

(James)

Quando eu vi aquele “cara” na minha frente, juro, tive vontade de.. argh!... Bater bastante nele. Mas, em fim, eu não podia. Apenas o olhei com um dos meus “famosos olhares”, daqueles que a Lily falou que iria fazer um livro, quero dizer, antes do nosso rompimento. Eu realmente não existo... Tudo bem. Como diria uma antiga amiga (N/A: Né Bru!?) na vida tudo se releva. Então, para não perder a cabeça, entrei no banheiro, sentei atrás da porta, e antes mesmo que eu pudesse perceber, já estava ouvindo tudo por trás da porta...

_Lily, você vai fazer tudo? – eu ouvi a voz do .... prefiro não me referir mais a ele, então vou chamá-lo de Ele

_Não. Não há mais motivo. – ela deu um longo suspiro.
_Seu namorado não aceitou? Quero dizer é tão... romântico para jovens casais. – devo confessar que nessa hora, comecei a prestar mais atenção na conversa (Não que eu já não estivesse completamente “conectado” ao assunto).
_O que você quer dizer com isso? – reconheci a voz de tom grave e rouca (N/A: Oh, que calor!##N/B: *empurra a autora*Dá licença que esse calor é meu!), sendo do meu amigo, Almofadinhas.
_Bem, acho que não deu tempo das garotas contarem... Todos os anos eu, junto com alguns outros professores, preparamos a cerimônia de solstício de verão. E é de costume que jovens bruxos, desde que se amem realmente, dancem e ofereçam seu amor pedindo proteção a magia dos elementos.
_Isso seria bem legal, mas não vai dar.. – Pude perceber uma voz menos familiar, deduzi ser a da tal garota do Aluado, digo, a Tonks. – Já reservamos vagas num hotel em Curitiba, e se não formos na data, bem, perderemos a vaga, o que vai atrasar toda a viagem.
_Oh, isso é uma pena. Minha mulher ficaria muito feliz de ver a Lily depois de tanto me ouvir falar dela. Quero dizer, sobre seus dotes em porções. Nunca vi ninguém ter um dom tão espontâneo na minha vida. – eu simplesmente não tinha o que pensar, mas antes de concluir meus pensamentos pude ouvir ele, que agora não precisava mais ser chamado assim, já que “O grande idiota” da historia, como sempre, era James Potter, concluir sua historia..- de qualquer jeito, se precisar de qualquer erva rara para uma porção quando finalmente virar curandeira, o que eu tenho certeza que vai acontecer, não se acanhe em me mandar uma coruja. – e quando ele terminou de falar eu era oficialmente, “O grande idiota”.

(Sirius)

Eu, realmente, podia agora dizer, com orgulho, que havia participado, literalmente de uma novela mexicana. Foi tudo tão “pen”, “pan” e.. “cara” foi realmente, surpreendente. Num momento eu tinha a leve impressão de que as garotas haviam aprontado algo como “o negocio da ponte” e no outro eu descubro que tudo não passa de “um pequeno conto de fadas” criado por elas. Eu, ser tão brilhante, inteligente (N/A: ...e blá, blá, blá... Já sabemos, então desenrola né moço!), já desconfiava que o Pontas iria se arrepender profundamente, mas nunca que a consciência dele fosse ficar tão pesada. Digo, quando ele saiu do banheiro, logo após o tal Kauãn bater a porta, ele estava.. Bem, ele estava pior do que quando entrou. Eu nunca via alguém tão derrotado em toda a minha vida. Seus olhos estavam inchados (de chorar, imagino eu.), e seus lábios mordidos. Havia também um nítido cansaço em todos nós e como eu e Marlene não somos dessas coisa, assim como a “idéia brilhante’ da Marlene, que no fim das contas nem era tão brilhante assim, no mínimo engraçada, eu tive um não brilhante, mais ótima idéia.

_Bem, quem quer ir para Curitiba? Soube que lá tem uma comida ó... – fiz o um sinal afirmativo e dei uma piscadinha marota, Lily me olhou agradecida e eu continuei. – ... é claro que eu e a Lene queremos ficar no mesmo quarto e... – Marlene me deu um cutucão do tipo “quebra-ossos”.
_É claro que não. – ela virou-se para a Lily. – Lily, é uma pousada inteiramente bruxa certo? – Lily afirmou com a cabeça e Lene perseguiu. – Não vejo a hora de ver.. como se chamam “aquele negócio”?

_Hum... Jardim Botânico? – Lily perguntou incerta.
_Isso mesmo, garota esperta!



(Remo)



Sabe, eu não sou do tipo que se mete em tudo (N/A; Não pensem em nada pervertido! ## N/S: cara, vc é maluca...## N/A; Isso é a vida na escola em que eu estudo, vc não pode falar nada que o pessoal já vem com um “heee”. ## N/S: a tá, eu finjo que vc não finje que vc sabe que eu estou finjindo que não sei que vc finje. ##N/A; Oh my? Que “d’abos” foi isso? ## N/S: A essência Black! ## N/A: É nessas horas que eu adoro o “issssssssty Black!”) mas em fim, sou um observador.
_Remo, posso te contar um segredo? – Tonks me tirou dos meus devaneios...
_Sim, quero dizer, se você quiser, porque se não quiser eu não me importo, quero dizer, pessoas tem segredos certo? Segredos são coisas absolutamente pessoais, e se você não os quiser dividir, saiba que eu que também tenho segredos, vou ficar absolutamente traquilo. Afinal, somos muitos jovens para dividirmos grandes segredos e.. – eu me embolei com as palavras, afinal, quem mais do que eu sabe o que é um “Grande Segredo”.
_Cala a boca! – ela esbravejou. – quero dizer, será que você poderia calar a boca por um minuto? Eu QUERO contar um segredo.. – já que ela insiste... - O que você achou da Brenda? – Tudo bem, eu confesso, por esse segredo, eu não esperava...

_Boa menina. – eu respondi monossilábico. (N/A; quem vê até pensa que eu falo uma palavra como “monossilábico”.. ¬¬)
_Só?
_Bem, eu quero dizer que eu... eu gosto de você. – dito isto, lhe “tasquei” um beijo ao estilo “hollywoodiano” (N/A: Finjam que é assim que se escreve ok?). – O que você dizia? – sorri maroto, sabe, convivência com certos marotos.
_Era eu! – A ta, era ela...
_O quê?
_Brenda. Era eu!
_Ó meu Merlim! – só agora eu havia entendido.
_Eu só quero que você saiba que eu, bem, eu te amo muito cara! – ele me deu mais um beijo “hollywoodiano”, já que aquilo entre nós estava virando uma constante. De repente, aquilo já não era tão grave. E toda história, parecia, no mínimo, muito distante.

(Lily)

Graças a grandes amigos, é que às vezes as coisas parecem mais fáceis do que realmente são. Quando Remo e Tonks se aproximaram de nós, Remo estava com um sorriso, indecifrável.
­_E ai, quando vamos? – ele perguntou discretamente. A maneira, Remo de ser...

_Agora? – eu indaguei.
_Pois não senhorita... er.. Qual o nome do hotel? – Sirius me perguntou com o seu típico sorriso “desmancha corações”, mas que em mim, infelizmente, não funciona.
_”La Chance”. – que ironia, pensei. - Não é um hotel de luxo, já que quase falimos lá no Copacabana, mais em fim, é uma pousa distinta e confortável... (N/A: Meu Deus, como eu to falando difícil, há se minha professora de português ouvisse isto.)
_Tudo bem, todos prontos? – James perguntou baixo, que pelo menos é melhor que nada. Já que há algum tempo ele não pronunciava nada, o que , vamos convir, é quase que impossível para alguém com um ego do tamanho do ego do Potter, ou seja, monstruoso.
_Então, au revoir! – Marlene fez um trocadilho com o nome da pousada, que é em francês, e aparatou, sendo seguida por Sirius, e depois por Remo e Tonks.
_Até, Potter. – dei um pequeno tchau, e aparatei.

Apareci, segundos depois, numa espécie de saguão principal, onde todos já estavam lá, inclusive o Potter. Havia um pequeno fluxo de aparatações, o que nos tirou qualquer possível dúvida sobre a qualidade da pousada.

_Bom dia! Bem na hora. Devem ser os hospedes do 110 e do 112, meu nomes é Isabella e serei sua guia-bruxa por toda a Curitiba! (N/B: EU QUERO ELES AQUI NA MINHA CASA!) – uma garota morena, de aparentemente dezesseis anos, cabelos negros e olhos castanhos nos perguntou com um grande sorriso.
_Sou Lily Evans, aqueles são Sirius Black, Remo Lupin, Nimphandora Tonks e Marlene McKinnon.. ah, e aquele é o Potter.
_Hm, grupo grande. Legal! – a garota me pareceu um pouco inexperiente, mas enfim, era uma guia, e guias tem a tendência a serem estranhas.
_Vocês tem certeza que só querem dois quartos? Quero dizer são muitas pessoas, e devo avisar que por sorte a temporada de férias por aqui já acabou e nós temos alguns quartos extras... – até que não seria uma má idéia.
_Pensando bem, acho que vou querer um quarto só para mim, pode descontar desse cartão de crédito? – entreguei o cartão que havia recebido do meu pai antes de toda essa loucura, afinal, não ia me deixar ser sustentada pelo Potter. Marlene estava pagando a parte dela, Tonks, Remo e Sirius também, porque só eu estava sendo sustentada pelo Potter? Ele me olhou e eu o encarei, então, automaticamente, abaixamos os olhos ao mesmo tempo.
_Então, o que temos aqui? Um quarto para cada? Ou vocês vão ficar só com os três?
_Lene, eu não me importo de dividir um - Tonks disse
_Eu também não, Tonks. Eu e a garotinha de cabelo... – tanto Lene quanto eu nos assustamos, o cabelo dela não era mais azul, e sim lilás. – de cabelo lilás, vamos ficar no mesmo quarto! – Isabella sorriu e lhes entregou a chave do 110.
_Eu também não me importo? E vocês? – Remo e o Potter, afirmaram com a cabeça que não, então a moça lhes entregou a chave do 112. E eles sumiram vagarosamente entre os outros hospedes.
_E você .. Posso lhe chamar de Lily, ou a senhorita prefere senhorita, ou se quiser também posso lhe chamar de “madame”. Também tem gente que gosta de...
_Lily está bom para mim. – sorri, aquela garota me pareceu simpática, um pouca atrapalhada mais simpática.
_Sim, Lily! – ela sorriu. – Uns bonitos nomes, me chamo Isabella, com “s” e dois ”l’s”.
Sorri, então a garota simpática me levou até o 120. Era um quarto simples e confortável, se parecia um pouco com o meu, exceto pelas paredes que eram amarelas, em quanto no meu quarto eram rosa-bebê.


(Tonks)

Eu devia ser a mais confusa naquela historia. Nunca vi, grupo mais complicado. Num momento estão bem e no outro brigando. Aff! Mas, bem, não vou gastar meu tempo falando de brigas sem sentido. Eu estou, agora, oficialmente, namorando o cara mais gato do mundo! Não senhoritas, não estou falando do Brad Pitty, e sim do meu, e somente meu, Remo Lupin. Finalmente ele parou com essa besteira de “você é boa demais pra mim” ou “Não vai dar certo”. Então já deve ser, sei lá, umas duas da manhã, e eu estou deitada olhando para o teto e me lembrando dos beijos que estamos trocando desde que chegamos aqui, há exatos nove dias! Como o tempo passa rápido. A Lily ainda está brigando com o James, quero dizer, com o Potter, como ela faz questão de chamar. Lene e Sirius estão, bem, no jeito “Lene e Sirius” de ser, ou seja, entre tapas e beijos. Apesar de eu não ser a “senhora maturidade” acho que estou até me saindo bem com um cara mais velho (e muito mais gato). Eu e Remo ficamos a maior parte do tempo com o James já que Lene e Sirius cada dia visitam um bar e sempre chegam falando “esse é o melhor que já vi!”, Lily pelo que me parece virou uma grande amiga da moça da pousada, a Isabella. Que é muito simpática, mais tem um parafuso a menos, sabe, ele é filha da dona, por isso não se importa muito em fazer bobagens, já que como ela mesmo afirma “minha mãe não pode me demitir, é antiético!”, não que ela ao menos saiba o significado dessa palavra. Então, agora vejo o sol nascer, é um belo espetáculo. Lene está acordando então, acho que vou parar de falar sobre estas férias como se fosse uma maluca falando com o meu “eu imaginário” e vou tomar um banho, já que a Lene é extremamente possessiva com banheiros...

(Autora)
_Oh, Isabella não fale besteira, ele é um idiota. – Lily resmungou deitada de barriga para cima na cama.
_Não seja má Lily, pessoas não são perfeitas!
_Ah, diga isso ao senhor “Potter-eu-não-erro”. Se ele realmente estivesse arrependido ele já teria vindo me pedir desculpas, não que eu as vá aceitar, mas enfim, a culpa é dele, e não vai ser eu a pessoa a pedir desculpa nesse relacionamento, digo, nesse ex-relacionamento.
_Hm... Você vão realmente embora hoje?
_Provavelmente. Porque você também não tira umas férias? Vamos passar um tempo em Fortaleza e depois vamos partir, eu realmente queria ir a Recife, tenho uma amiga lá , a Maya Soares, mas não vai dar, então já liguei para ela e ela vai mandar o irmão dela vir aqui para dar um alô, ela não vai vir porque, bem, ela está grávida! ...
_Nossa! Mas, porque vocês não vão para Recife?
_Meu curso vai começar.
_Que chique, uma amiga curandeira! – Isabela deitou-se na cama ao lado da amiga espalhando as madeixas por todo o colchão.
_Se eu passar no curso né querida!
_Mas, mudando de assunto, como é esse irmão da sua amiga? Ele, hum, tem namorada? Sabe, ultimamente eu não pego nem resfriado.
_Indique-nos um bar que eu te levo!
_Vamos ao “Botequim”, o melhor happy-hour de Curitiba!

(James)

Chegamos a um bar, “Botequim”, Sirius, Lene, Remo, Tonks, Isabella, Lily (que ainda estava brigada comigo, não sem motivos) e eu. Havia planejado um grande pedido de desculpas com direito a musica e tudo. Tudo estava muito bem armado, e nada falharia. Numa das mesas o irmão da Maya já estava nos esperando. Ele era da nossa altura, digo, da minha e do Sirius, já que o Remo é um pouco mais baixo. Moreno como a irmã de olhos negros e blá, blá, blá, sabe, não gosto de descrever macho.
Conversamos durante horas até chegou a grande hora, em que eu iria pedir perdão para ela, afinal, eu sei quando estou errado.

_Lily podemos conversar?- Ela me olhou como se quisesse falar “Não”, depois olhou para Isabella que estava quase babando pelo Antonio, o irmão da Maya. Então, graças à Isabella e seu olhar “me deixe um pouquinho com ele”. Lily sorriu amarelo e me acompanhou. Então chegamos num lugar mais afastado, puxei um pouco de ar (já que naquela hora, o lugar me parecia muito abafado).
_Lily, eu sou um grande idiota...
_Continue – ela falou cruelmente.
-Quero dizer, desculpas e mil desculpas, meu arrependimento é tão grande que eu não tenho nem palavras e... Sabe, o que eu posso fazer é te dedicar uma musica. Eu corri para a área do Karaokê, mas antes que eu chegasse lá, Lily já estava conversando com um rapaz e pegando o microfone.







(Acima, a midi da Musica que a Lil vai cantar)







“As coisas mudam

E eu espero que nada aconteça”



Ela me olhou...



“Mas sempre acontece

Toda vez que eu perco a cabeça”

E começou a dançar...

“Eu digo frases que parecem

Ter saído de uma novela

E de repente lá se vai a tv

Pela janela”



Se não fosse tão trágico, seria engraçado.

Eu nunca te amei idiota

Eu nunca te amei





Ela cantava aquilo com um pouco de raiva, enquanto todo mundo (exceto Isabella e Antonio que estavam se agarrando, digo, se beijando) a olhava.

Cinzeiros voando, livros rasgados

Discos quebrados no chão



Eu estava na sua frente, então ela pegou um copo cheio de chope e jogou na minha cabeça, então, todo mundo começou a rir, inclusive ela...

Desta vez é pra sempre

Até... alguém implorar por perdão

Ela sorriu, então eu finalmente entendi o que ela queria dizer...

Eu escondi seu retrato

Embaixo do meu travesseiro

Vá embora, quebre a cara

Eu queimei seu dinheiro

Ela me puxou para cima do pequeno palco e envolve-me com seu braços, sem me beijar, apenas cantando e olhando nos meus olhos...



Eu nunca te amei idiota

Eu nunca te amei



Então quando ela acabou o refrão, encostou a cabeça nos meus ombros e sussurrou:

_Eu nunca quis te amar, idiota!

E ela me beijou, por baixo de aplauso e assovios.





(midi da musica do James)

Eu puxei o microfone de suas mãos, e olhei para o Sirius, que apesar de estar meio que antônimo, sorriu e começou a mexer no karaokê.

I heard you're doing OK,

But I want you to know

I'm a dick

I'm addicted to you

I can't pretend I don't care

When you don't think about me

Do you think I deserve this?

I tried to make you happy but you left anyway

Eu cantava olhando para ela e sorrindo, na nossa brincadeirinha de gato e rato.

I'm trying to forget that

I'm addicted to you

But I want it and I need it

I'm addicted to you

Now it's over

Can't forget what you said

And I never wanna do this again

Heartbreaker

Heartbreaker

Heartbreaker



Ela sorriu, eu senti que ela havia me perdoado. E não era mais uma “quebradora de corações”



Since the day I meet you

And after all we've been through

Still a dick

I'm addicted to you

I think you know that it's true

I'd run a thousand miles to get you

Do you think I deserve this?





Ela negou com a cabeça. E me abraçou enquanto eu continuava cantando...





I tried to make you happy

I did all that I could

Just to keep you

But you left anyway



I'm trying to forget that

I'm addicted to you

But I want it and I need it

I'm addicted to you

Now it's over

Can't forget what you said

And I never wanna do this again

Heartbreaker

Heartbreaker







How long will I be waiting?

Until the end of time

I don't know why I'm still waiting

I can't make you mine





Ela me sussurrou um: “Claro que pode”





I'm trying to forget that

I'm addicted to you

But I want it and I need it

I'm addicted to you



I'm trying to forget that

I'm addicted to you

But I want it and I need it

I'm addicted to you

Now it's over

Can't forget what you said

And I never wanna do this again

Heartbreaker

Heartbreaker



Todo mundo gritava um “beija, beija”





I'm addicted to you

Heartbreaker

I'm addicted to you

Heartbreaker

I'm addicted to you

Heartbreaker

I'm addicted to you

Heartbreaker



E a pedidos, bem, eu a beijei....







----------------------------------

TRADUÇÃO

----------------------------------

Viciado



Eu ouvi dizer que você está indo bem

Mas eu quero que você saiba

Eu sou um viciado

Eu sou viciado em você

Eu não posso fingir não me importo

Quando você não pensa em mim

Você pensa que eu mereço isto?



Eu tentei fazê-la feliz mas você me deixou de

Qualquer maneira



Eu estou tentando esquecer que

Eu sou viciado em você

Mas eu te quero e eu necessito de você

Eu sou viciado em você

Agora tudo se acabou

Não posso me esquecer do que você disse

E eu nunca quero fazer isso outra vez

Destruidora de corações



Desde o dia que eu te conheci

E depois que tudo que nós passamos

Eu continuo viciado

Eu sou viciado em você

Eu acho que você sabe que é verdade

Eu correria mil milhas para ter você

Você pensa que eu mereço isso?



Eu tentei fazê-la feliz

Fiz tudo que eu pude

Só para ficar com você

mas você me deixou de qualquer maneira



Quanto tempo eu ficarei esperando?

Até o fim do tempo

Eu não sei porque eu ainda estou esperando

Eu não posso lhe fazer minha



Destruidora de corações

Eu sou viciado em você



----------------------------------------------------

Eu queria agradecer a:



Daay: Ai esta o capitulo.Que bom que vc gostou do 12, acho que gostou desse também né. Já que eu sinceramente não gostei muito dele, mas deste aqui eu adorei escrever. Bkas



Brianny:Sabe, até que eu tentei postar logo, só que como sempre, a escola me atrapalha mas logo, logo eu entro de férias (grandes férias, duas semanas ¬¬). Então eu vo postar rapidinho.Então respira logo e aquenta as pontas! BJOSssSSssSS



Bruh ternicelli]: espero que goste do capitulo... Eu adorei escreve-lo! BJKKKKK



Pan Potter :Ai esta o capitulo novinho em folha! BjUsSsS



Larissa Manhães:Eu cheguei a conclusão, Capitu não traiu Bentinh, foi so paranoi, igual ao que aconteceu com o James! BjKAsS


Xuh Black: O que achou dos marotos em Curitiba?Qualquer erro desculpa ai, é que eu nunca fui para Curitiba (Não por falta de vontade...). Mas em fim, eu pesquisei e olha só, me apaixonei pela cidade, um dia eu dou umas voltas por lá. BJJJSUSUSUS





Kiara_Granger: capitulo grande e emocionante(pelo menos para mim)! Espero que goste!BjUs





Mari Dias: e tem razão o pedido do James não foi romântico, mas em fim, é o jeito james de ser.. rhrhr. Quanto ao meu probleminha, ype! Já to digitando que nem antes, so o remédio que me engordou tipo uns 8 kgs (Que triste sina a minha, agora só malhando muito ), mas fazer o que? Pelo menos já to 100% BjJJUUUUUUUUSSSS





Léti: também amo a Claudinha! Tomara que o capitulo tenha sido a altura de uma musica dela.



,Gê Black: Que bom t ever por aqui de novo, quando a leitora deixa muitos comentarios e some agente at´pe sente falta. Bjus espero que goste dos capítulos.

A *A.D.P.* Gaby Night Angel: Tipo assim, o Sirius não é um Otário, ele é um bobo. Sabe, aquele do grupo que quer ver todo mundo de bem com a vida, nem que para isso ele tenha que ser um bobão. Sem contar que ele tem na faixa dos 18 anos, e todos os garotos de 18 anos, são uns babacas! BjkAs Espero q também goste do Remo mais tranquilo





Laura Black.: Eu não te aceitei não? Tenta de novo é que a matuta aqui se embola todo nesse tal de “MSN Live”.... Bjus! O q achou do capitulo? Deve ter um monte de erro pq eu digitei com pressa, mas, anway. BJUUUUUUUUUUUUSSSSSSS ;*

Se eu esqueci de alguém, sorry! E so avisar OKay? A, e também queria avisar sobre as palavrinha em inglês é que eu estudei de mais para passa de nível no curso e elas impregnaram na minha cabeça, mas eu tento ao máximo deixar tudo no “portuga”.

N/B Final: Yaaai \o/. A Tia Sakura posto \o/. Oks, eu to INDIGNADA que eles vem pra Curitiba e nem tentam passa ake in casa (ou perto), neah, mas faze o que ^^’. Beeeijos, e porfavor, passam na minha fic, a Filha Pródiga? xD ;*

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.