FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

41. Ameaças


Fic: O Mesmo Destino - Vários Ships - UA


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

41 - Ameaças


Hermione jamais imaginou que passaria por tantas situações tristes e injustas em um espaço de tempo tão curto. Depois da polícia investigar e chegar a conclusão que não havia como encontrar suspeitos e definiram o caso como um crime hediondo, a turma de amigos se revoltou ainda mais. Sabiam que a polícia havia sido silenciada. Sabia que haviam sido comprados.


Depois da autopsia quase impossível de ter sido feita pelo precário estado em que se encontrava o corpo da garota, arquivaram o caso sem nenhum tipo de remorso e o corpo foi liberado para o enterro.


Foi um dia difícil. Observar os pais da amiga naquele desespero foi assustador.


Harry estava com ela, assim como Gina, Cho, Luna e uma boa parte de alunos e professores da faculdade. Ela não conseguia segurar as lágrimas. Se sentia cruelmente culpada. Recebera um aviso antes de tudo aquilo acontecer. Uma ameaça. Sabia o porquê de aquilo ter acontecido. As amigas também sabiam. Todos eles sabiam, mas não foi o suficiente para pará-los.


Uma semana depois do jornal da escola tinha a matéria feita por Luna estampada em suas páginas principais. Hermione suspirou resignada enquanto lia e não pode deixar que a tensão em relação às suas vidas não a penetrasse.


Já havia conversado com a amiga várias vezes, inutilmente. Apenas Gina afastou-se um pouco depois que ela ligou desesperada para um Rony frio e distante, pedindo que ele conversasse com a irmã. Também não sabia o que ele tinha. Tolamente pensou que iriam ficar juntos, mas, aparentemente, se enganou.


Não conseguiu evitar pensar no que poderia ter acontecido com ela caso Rony não tivesse aparecido naquela triste noite. Pensou, com fortes dores preenchendo o seu peito, que poderia ser ela agora, morta, esquartejada... Deixando um buraco eterno em sua família. Chorou. Esses pensamentos a entristeceram.


Quando entrou em casa, à noite, depois do trabalho, sentia que o corpo havia sido atropelado. Aquela sensação irritante de impotência lhe corroía por dentro. Não sabia o que fazer, e ainda pior, não tinha o que fazer. Sentia-se perdida em meio a tantas loucuras, tanto desespero, tristeza e angústia.


Quando relaxou o corpo sobre o sofá, apoiou a cabeça no encosto, fechando os olhos e tentando relaxar um pouco. A semana havia sido intensa demais. Sentiu a vibração forte do celular sendo seguida pelo toque dentro de sua bolsa. Com pesar, como se seu corpo pesasse uma tonelada, moveu-se e abriu o objeto, pegando o pequeno aparelho e reconhecendo o número que a chamava graças ao nome que piscava em sua tela: Rony chamando. Estranhou. Há semanas que não se falavam.


 


- Ah... Oi Rony. - tentou parecer o mais normal possível.


- Mione, sou eu. - era Gina e estava nervosa.


- O que houve? - se exaltou sem querer.


- Mione, eu... Posso ir ai? Por favor.


- Claro, Gina. O que houve? - Gina quase chorava.


- Te conto tudo ai. Talvez demore um pouco, eu vou de ônibus.


- Tudo bem. Eu vou ficar te esperando.


 


Não poderia negar que ficou apreensiva. Harry ainda não havia chegado, estava no Longbottom, e ela se viu tensa ao esperar a amiga. Respirou pesadamente, já temendo o que viria, e foi até o banheiro se banhar. O inevitável aconteceu: sem que percebesse, se viu pensando em Rony. Imaginou o motivo de ele estar tão distante depois da aproximação que ela imaginou ser tão boa.


Ouviu o som da campainha enquanto penteava o cabelo. Ela chegou mais rápido do que tenha imaginado. Prontamente, se levantou e foi até a porta, espiando a ruiva pelo olho mágico antes de lhe dar passagem.


 


- Oi Gina - saudou abraçando-a, mas percebeu que a amiga não estava tão animada.


- Mione - ela a abraçou, mas a voz estava claramente alterada - Eu tô com medo. Medo de verdade, agora.


- O que houve? - Hermione ficou tensa.


- Isso estava entre as correspondências de casa - estendeu um envelope - não tem remetente.


 


Hermione pegou o envelope e o abriu, ainda temerosa. Não sabia do que se tratava, mas pela expressão de Gina, imaginou que não seria nada de bom, afinal.


 


Olá Gina.


Você realmente me parece muito sensata.


Pare com tudo. Parem de tentar entender o que não podem ou talvez, mais alguém acabe sofrendo as consequências de suas irresponsabilidades.


Seria, realmente, uma pena se seu irmão tivesse a carreira interrompida tão cedo.


 


Abraços.


Um bom amigo.


 


- Gina... - ficou sem palavras. O peito doía.


- Eu sei - Gina jogou-se sobre o sofá quase chorando - O que eu faço? - perguntou claramente perdida em seus pensamentos.


- Eu... Não sei. A polícia, talvez...


- você ta louca?  A ruiva desesperou-se - Essas pessoas não estão brincando. Ameaçaram todos nós de uma única vez fazendo aquilo com a Milda. Não da pra envolver a polícia. É pedir que matem o Ron... - ela chorava. Hermione apenas a abraçou carinhosa, mas temendo.


- Puta que pariu... - Harry entrou xingando, assustando as duas e se assustando ao ver Gina ali, chorando. - O que houve, Gina?  Aproximou-se, ficando ajoelhado a sua frente.


- Ah... Harry ela chorou ainda mais nos braços da amiga.


- Depois eu te falo, Harry. - Hermione disse, não menos abalada que a ruiva, ao ver a cara do irmão. - Gina, cadê o Rony?


- Ele... Foi gravar. Levou meu celular por engano e deixou o dele. Ele... não sei quando ele volta.


- você vai dormir aqui - disse com altivez.


- Não quero dar trabalho - disse chorosa.


- Não é trabalho, você já é de casa - a morena continuou - Além do mais, está nervosa. Fica aqui e amanhã vemos o que fazemos. Algum problema se eu dormir com você, Harry?


- Não quero atrapalhar... - a ruiva tentou protestar.


- Nenhum, maninha. E você não atrapalha, Gina. Nunca.


 


No outro dia, Gina não foi para a primeira aula. Havia mandado um sms avisando para Rony que estava na casa de Hermione e agradeceu aos céus quando ele respondeu dizendo que estava bem e voltaria no fim da tarde. Depois, enquanto iam para a faculdade, decidiram falar com Cho e Luna.


 


- Você não devia ter feito isso, Cho - Gina estava exaltada - Estamos correndo perigo. Será que ainda não percebeu?


- Calma, Gina.


- Como calma, Harry? Vamos morrer, um a um, se não pararmos - ela gritava histérica enquanto Harry a abraçava - Vão matar meu irmão... - desabou no choro.


- Do que ela está falando?  Cho falou assustada enquanto Luna observava tudo.


- Ela recebeu um bilhete nos mandando parar ou seria pior para nós. - Hermione explicou - Que poderia acontecer algo de muito ruim com o irmão dela.


 


Cho, se era possível, ficou ainda mais pálida. Deu alguns poucos passos e sentou-se sentindo o estômago revirar. Luna observou tudo calada enquanto esperavam gima se reestabelecer.


 


- Me desculpa, Gina - Cho começou - Eu fiquei tão revoltada com tudo o que houve com a Milda, como a trataram com um nada qualquer... Eu... Eu só queria justiça, de alguma forma.


 


Cho havia enviado para um grande jornal e este havia publicado o provável envolvimento da Máfia X com os Malfoy, assim como a ameaça recebida e a suspeita morte de Romilda Vane.


 


- É tudo minha culpa - Luna falou pesarosa - Eu envolvi vocês em tudo isso. Me desculpem. Por favor. Vamos voltar a ser normais e falar de banalidades. Não quero perder mais ninguém, muito menos obrigar vocês a perder alguém.


 


Seus olhos brilhavam enquanto ela falava. Era claro como aquelas palavras lhe doíam. Ela estava abrindo mão daquilo que a manteve com forças até ali: vingar sua mãe. Todos os presentes assentiram confirmando suas palavras. Gina suspirou aliviada, mas Hermione duvidou que Luna realmente fosse parar.


 


***


 


Luna caminhava pela casa. Seu pai havia saído. Estava só, sentada sobre o sofá da sala. Pensava em tudo o que acontecia em sua vida desde que Lucio Malfoy a cruzara. Respirou pesadamente e deixou o corpo relaxar. Pensou em Neville e sorriu.


 


- Olá Luna.


 


Ela saltou sobressaltada do sofá. A respiração pesou e apressou se misturou a um ódio dolorido.


 


- Como entrou aqui? - vociferou baixo.


- Eu consigo tudo o que quero, minha querida.


- Não sou sua querida. - ela tremia de raiva.


- Hum... Forte e resistente como sua mãe. Eu gosto disto.


- Você não tem o direito de abrir essa sua boca imunda para falar da minha mãe, Malfoy.


- Desafora - sorriu - Eu gosto, realmente.


- Sai daqui - falou entre os dentes.


- Hum... Mesmo com sua maravilhosa hospitalidade, preciso ir. Apenas quero que saiba, Luna, que estou de olho e, que se não parar, as consequências serão sérias.


- Não tenho medo de você.


- Eu sei - ele sorriu - Mas deveria. Sei que mentiu para seus amigos e vai continuar a me irritar, mas é bom que pare. Estou avisando.


- Não vou parar nada - gritou - Você vai pagar por tudo o que fez.


- E será você que vai me pegar, presumo? - falou debochado.


- Sai da minha casa - gritou ainda mais rápido jogando a primeira coisa que viu a sua frente.


- Você terá notícias minhas em breve. Preciso te mostrar com quem está se metendo.


- Deixe meus amigos em paz - esbravejou.


- Até mais ver, Luna - sorriu e saiu.


 


Ela refreou-se para não ataca-lo. Ódio fervia dentro dela e seu desejo era o de mata-lo. Mas nunca poderia diminuir-se até a altura dele, embora tenha ponderado a ideia enquanto tentava controlar a respiração alterada. Eu não sou um monstro. Ele sim. Refreou os impulsos e voltou ao sofá, ainda tremendo de tanta raiva. Ligou no celular imediatamente.


 


- Oi meu anjo.


- Oi Nev...


- Luna? - Neville a chamou depois de um tempo em silêncio.


- Oi... Nev, está tudo bem?


- Claro que sim, meu amor. O que você tem?


- Nada. Só estou com saudades.


- Hum... - ele não duvidou, mas sabia que havia algo a mais.


- Vai trabalhar até tarde hoje?


- Acredito que não...


- Não quer vir ficar aqui comigo? - quase chorava.


- Vou... Vou sim. Te ligo quando estiver saindo, pode ser?


- Sim - sorriu de leve - Vou ficar esperando ansiosa.


- Tem certeza que está tudo bem?


- Sim.


- Tudo bem, então. Até já.


- Até.


- Beijo.


- Darei o seu quando chegar aqui.


 


***


 


Na faculdade, todos do jornal já sabiam da visita nada esperada de Lucio. Luna havia contado um dia depois dele aparecer e os amigos ficaram ainda mais tensos.


Mesmo sob os protestos de Gina, Harry e Hermione, ela pediu desculpas e decidiu que não poderia ceder. O clima entre eles estava a cada dia mais pesado.


 


- O que você tem?


 


Hermione se aproximou do irmão, calado e sozinho, debaixo de uma árvore no pátio da faculdade enquanto olhava em transe um ponto qualquer no horizonte.


 


- Nada. Quero dizer... Tudo.


- Te entendo - ela falou sentando-se ao seu lado.


- Queria que a Luna e a Cho parassem, mas não sei o que fazer.


- Nem eu. Elas me preocupam. E ainda há o bebê.


- Nem me fale... Ela acha que tem o direito de colocar meu filho em perigo por estar dentro dela e... - ela riu e ele a encarou - O que foi?


- Nada... - sorriu mais - É estranho te ouvir falar assim, tão responsável... - riu mais.


- Mas eu sou... - ele protestou e ela riu ainda mais.


- Sei, sei...


- Qualé eim? Eu sou responsável - viram Gina sair do carro e passar mais a frente, apressada, rumo as suas aulas. Atrasada, como sempre.


- E como está com ela? - perguntou contendo o riso.


- Com quem? - desconversou.


- Com o trem, Harry Potter - ela sorriu.


- Estamos como sempre.


- Quando vai falar do bebê?


- Não sei... Na verdade, não temos nada. É tanta coisa junta, tanto problema...


- Mas ela precisa saber.


- Eu sei. Vou tentar conversar com ela hoje.


- Seria ótimo. Ela gosta de você. - disse certa e o irmão continuou a fitar o horizonte.


- Não sei.


- Gosta sim. Tenho certeza.


- E o Rony?


- Não sei...


- Não te procurou mais?


- Não. Mas não temos nada. Nunca tivemos.


- Sei que estão mais avançados que Gina e eu.


- Talvez... Mas ele sumiu.


- Deve estar ocupado. Logo se acertam.


- Tomara - ela suspirou - Gosto dele.


- Eu sei... - sorriu.


- Como sabe? - ela espantou-se.


- Sou seu irmão. É meu dever saber o que te faz bem ou não, e principalmente, o que você sente.


- Como é? - ela perguntou sorrindo, incrédula.


- Harry, Hermione... - Gina surgiu correndo afobada.


- O que houve? - Mione perguntou.


- A Cho...


- Meu Deus... O que houve? - Hermione assustou-se e Harry levantou nervoso.


- O que houve com a Cho, Gina? - ele perguntou tentando parecer calmo, mas não convenceu.


- Harry... - Gina estranhou, mas começou a contar - Bem, a Cho está internada no Hospital Central. Pelo que soube na sala, o carro dela virou enquanto ela vinha para a faculdade.


 


Harry correu em disparada entre elas e Gina não entendeu ao certo o que havia acontecido com ele. Ela olhou para Hermione, ainda sem entender, e a morena apressou-se em explicar, enquanto o seguiam.


Não poderia dizer o que Gina pensou, ela permaneceu calada e inexpressiva. Alcançaram Harry enquanto ele esperava um ônibus e lhe ofereceu o carro do irmão para leva-lo ao Hospital. Hermione já estava nele e antes dele entrar, Hermione lhe falou em silêncio através de seus olhos: Entra. Ela já sabe.


~~~~~~~~~~~

Oi gente, mais um capítulo nesse final de semana.
Antes de tudo, quero agradecer a cada um de vocês que tem lido e acompanhado a fic, mas gostaria de pedir imensamente que deixassem sua impressão, se estão gostando, se gostariam de acrescentar algo, dúvidas, sugestões. Queria fazer algo mais participativo, se assim fosse possível.

Agredeço de coração aos que tem comentado desde sempre, e prometo que agora não haverá mis vácuos e vou terminar aqui o mais rapidamente que puder.

Convido vocês também a participarem da Campanha VAMOS ANIMAR A F&B, porque quase ninguém mais aguenta essa morosidade que temos aqui.
Deem uma olhada nesse link http://fanfic.potterish.com/menufic.php?id=46113 e participem dando opiniões e acrescentando ideias. A ideia principal é que cada leitor deixe, ao menos, um comentário no capítulo que leu e um no menu da fic ao terminar a leitura.

Bem... São ideias bem vindas e acho que se trabalharmos em conjunto, podemos mudar muita coisa por aqui.
Agora deixem-me ir que eu já me estendi demais. Beijos e até a próxima.

PS: Próximo capítulo tem NC, atendendo ao pedido especial da minha querida amiga e leitora VanVet 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 3

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Lana Silva em 15/11/2013

Caracoles... Acho que Luna vai fazer muita coisa ainda, só espero que ninguém mais morra, só que como a história é desse jeito... Sei que mais alguém vai morrer. Talvez aconteça algo com o Nevi :/ Já sabotaram o carro de Cho, só falta também ela perder o bebê. Não sei porque, até achei que tinha sido Snape que mandou a carta, meio que pra alertar mais uma vez...  Mas vai saber, né ? Nem uma dica sobre quem é o NC do próximo capitulo ? kkkkkkkkk fiquei curiosa... E Acho que talvez Rony conheça logo Harry, quero ver como eles vão se conhecer. Ah, e a questão Harry/Snape... Eu quero ver se ele é pai dele mesmo. Sou Team James, mas também gosto do Snape, não para que ele fosse pai de James...

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Tati Hufflepuff em 14/11/2013

Oi Andye!
Cheguei até aqui e espero realmente que não queira me bater por comentar em todos os capítulos postados enchendo sua caixa de notificações! auahuahuahauah
A história até agora está incrível, prendeu tanto minha atenção que li em dois dias e agora quero mais e mais! A trama é intrigante e tem romance na medida certa! (tb quero Nc! uhuuul!!)
Esperando loucamente pra ver como tudo vai se desenrolar daqui pra frente... Como será que Ron e Hermione vão se entender, se Krum não vai tentar nada com ela só pra ferrar com o Ron, qual será o plano de Pansy e Cormaco, quem matou Lavander, como será o envolvimento entre Draco e Astoria... Enfim, são tantas coisas que quero saber que se ficar falando aqui o comentário ficará cada vez maior!

Curtindo muito sua história e esperando pelos próximos capítulos! Parabéns pela fic Andye!
:*** 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Eliana de Albuquerque Lima em 10/11/2013

Minha linda a cada capitulo ficou com mais raiva do Lucius, que homem nojento. Será que o acidente da Cho também é uma ratalhação? Estou com saudade do Rony, cada ele, quando as coisas vão se esclarecer entre o Ronald e a Mione? Que bom que no próximo capitulo teremos uma NC, pois a história está precisando de um pouco de romance, dá uma pausa na violência. Bjos

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.