FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

9. Captítulo IX


Fic: My Destiny


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

CAPÍTULO 9


- Harry? – sussurrou a garota.

O moreno olhou para a amiga num misto de alegria e insegurança. A voz dela estava baixa e sua respiração era irregular. Mesmo assim, ficou aliviado de vê-la consciente.

- Hermione, que bom que acordou! Como você...

- Onde está Draco? – perguntou vacilante, enquanto sua respiração continuava acelerada.

Harry não gostou nada da pergunta. Espera ter de responder questões relacionadas ao beijo que acabara de acontecer. Estava preparado para perguntas como: “Por que me beijou?” ou “Como você pôde me beijar enquanto estava desacordada?”. Ele tinha acabado de beijá-la e ela se preocupava com Draco, não com ele.

- O Rony aparatou com ele. Provavelmente estão na Toca – falou sério.

- Entendo... – ela engoliu em seco – E você? Está bem?

- Um pouco cansado, mas tudo bem – respondeu desanimado.

- Que bom... Fico mais tranqüila... – ela sussurrou, esboçando um fraco sorriso, enquanto tornava a fechar os olhos.

- Mione? – Harry chamou, mas não obteve reposta - Hermione!

A garota continuou quieta. Havia desmaiado novamente.




Rony largou Malfoy sem nenhum cuidado assim que entrou na cozinha da Toca. Estava furioso com ele. Enquanto o loiro ofegava devido às dores que sentia, o ruivo andava de um lado para o outro, muito nervoso.

- Sua doninha idiota! Você disse que não podíamos aparatar lá! – gritou irritado.

- E não... Podíamos mesmo...

- Como explica o fato de estarmos aqui então? – bradou com raiva.

- Bellatriz... Ela deve ter tirado o feitiço... – respondeu o loiro, enquanto fazia caretas de dor.

- Quando ela fez isso?

- Acho que... Na hora... Na hora em que convocou os outros comensais... - respondia com dificuldade.

- Então por que ela não lançou o feitiço novamente?

- Porque a deixei muito ocupada... – respondeu sorrindo cinicamente.

- Quer mesmo que eu acredite nisso?- perguntou descrente.

- Não quero... Nada... Vindo de você Weasley – retrucou o loiro irritado.

- Ora seu imbecil...

- Chega! Parem os dois! – o senhor Weasley entrou na cozinha parecendo irritado – Os dois me devem explicações!

- Pai! Estávamos tentando salvar a Hermione, você sabe!

- Lógico que sei. O que não sei é o motivo pelo qual não nos informaram onde ela estava – falou muito sério.

- Bem, nós não...

- Vocês tentaram resolver tudo sozinhos não foi? Quando vão perceber que não são mais crianças! - Rony tentou justificar, mas o pai não deixou – Não me venha com desculpas tolas Ronald! E tire o Draco do chão!

- Mas pai...

- Agora Ronald!

Muito a contragosto, Rony segurou Malfoy descuidadamente pelos braços e o ajudou a sentar. O senhor Weasley, vendo o estado em que Draco se encontrava, apontou a varinha para o loiro e murmurou um feitiço que diminuiu bastante a dor que sentia.

- Isso vai aliviar um pouco as dores, mas assim que a Molly chegar, ela cuida melhor de você. Agora me contem o que aconteceu... - ordenou.

- A culpa foi toda do Malfoy! Ele estava com essa coisa... – começou Rony.

- Hei! Não tive culpa alguma... – Draco tentou se defender.

- Você estava com kronos Draco? – perguntou o senhor Weasley perplexo.

- É... Eu estava... – falou sem encará-lo.

- Por que não nos falou? Sabia que a Hermione estava tentando achar o objeto e que a Ordem desconfiava que você tinha pistas sobre seus paradeiro.

- Eu... Eu não queria que descobrissem que kronos estava comigo – falou baixinho.

- Mas...

- Na verdade, não queria voltar para Londres. Queria ficar na França...

- Com a Mione? – perguntou Rony, começando a entender a situação. Malfoy levou alguns segundos para responder.

- É. Queria ficar com Hermione lá ou em qualquer lugar, menos aqui.

- Desde que fosse com a Mione... – repetiu Rony, ficando com raiva – Escondeu da ordem que tinha kronos porque queria que Hermione ficasse com você!

- Rony não diga bobagens... – pediu o senhor Weasley, mas o filho o interrompeu.

- Não é bobagem! Se fosse, ele se defenderia!

O senhor Weasley olhou então para o jovem sentado e percebeu que sua expressão triste e ao mesmo tempo contrariada, confirmava as palavras do filho.

- Então foi por isso? Foi pela Hermione?

Draco olhou para o chão, tentando achar uma forma de negar, mas não encontrou. Há muito tempo que sufocava seus sentimentos e as coisas que fez para poder ficar perto da pessoa amada e por mais que não considerasse as duas pessoas a sua frente dignas de ouvir seus sentimentos, não pôde mais guardar para si.

- Eu... – limpou a garganta – Eu só queria tê-la comigo e em segurança.

- Ela estaria em segurança se estivesse ficado aqui, com os amigos dela! – irritou-se Rony – Agora nem sabemos se está viva!

- Amigos? Grandes amigos vocês são! Só souberam a tratar com frieza e indiferença desde que ela voltou! – retrucou o loiro. Rony ficou vermelho.

- Isso também é culpa sua! Não ficaríamos chateados se ela não precisasse mentir por sua causa!

- Corta essa, seu ruivo idiota...

- Parem com isso! Será que não podem passar meia hora sem trocar ofensas? – interrompeu o senhor Weasley. Os dois se calaram. O senhor ruivo virou para Draco – Onde kronos está agora?

- Está com a Hermione. Entreguei a ela momentos antes de Bellatriz acertá-la com aquela maldição... – falou desolado.

- Hermione está ferida? – o ministro encarou o filho. Rony confirmou com a cabeça.

- Ela ficou desacordada e o Harry aparatou com ela. Mas ele estava fraco, usou muita magia duelando, não sei até onde conseguiu aparatar...

- Está bem. Vou entrar em contato com os outros membros da Ordem da Fênix, precisamos encontrá-los – o ministro saiu, deixando os dois jovens sozinhos.

Draco continuou olhando para o chão, mas com a mente longe. Estava muito preocupado com Hermione, afinal não sabia se o feitiço que ela recebeu era muito forte. Um frio esquisito se instalou em seu estômago quando pensou na possibilidade da amiga nem estar mais viva.

- Você acha... – ele limpou a garganta – Você acha que ela está viva?

Rony olhou com desprezo para o loiro, mas ao ver sua expressão agoniada suspirou preocupado.

- Acho que está sim. O Harry está com ela e a ele nunca deixaria que nada de ruim acontecesse com a Mione.

- Ah claro! O grande Potter sempre salva todo mundo! – falou com ironia.

- Olha aqui Malfoy! Se acontecer algo com a Hermione a culpa é sua! Foi você que escondeu dela que estava com esse objeto esquisito! Se tivesse falado a verdade, não estaríamos passando por isso. Então, pare de tentar atacar o Harry está bem?

Malfoy nada respondeu. Sabia que Rony tinha razão. Ficou tão cego por querer tê-la ao seu lado, que não pensou que poderia colocar Hermione em perigo. Logo ela que tanto fez por ele. Agora, ela estava ferida e sobre a proteção de um bruxo exausto magicamente. E era sua culpa. Se ela não sobrevivesse, o que seria dele?


- Aquele mestiço imundo! Quando encontrá-lo, vou acabar com ele! – gritava Bellatriz furiosa.

A comensal estava com parte do rosto com queimaduras e seu corpo estava repleto de cortes. Dolohov também não estava em melhores condições que ela. Apresentava vários cortes e hematomas. Ainda ocupavam a mansão Malfoy, já que todos estavam fracos devido à batalha.

- Não vai adiantar gritar desse jeito Bella. Temos que ir atrás do Potter, da garota e do seu sobrinho idiota. Kronos ainda está com eles.

- Eu sei! A lua cheia está chegando e precisamos nos apressar! Eles não devem estar tão longe assim, estão exaustos como nós!

- Concordo. É melhor tomar uma poção para animar e recobrar as forças. Quanto antes o acharmos, melhor.



Harry não agüentava mais a angústia que estava sentindo. Várias horas tinham passado desde que deixaram a mansão Malfoy e eles ainda estavam na floresta. Sua magia já estava voltando, mas ainda não tinha forças para aparatar para longe. Estava atento a qualquer movimento ou ruído. Receava que os comensais já estivessem atrás dele. Sabia que isso aconteceria, mas contava que os ferimentos recebidos por eles os atrasassem um pouco.

Olhou para a amiga deitada ao seu lado, envolta por sua jaqueta. Hermione continuava desacordada e seu estado não parecia bom. Um medo terrível se apoderava de Harry ao pensar na gravidade do feitiço. Lembrava que no seu quinto ano, a amiga recebera este mesmo feitiço. Sabia disto, pois presenciara a realização do feitiço naquele dia. E hoje o tinha visto novamente. Contra a mesma pessoa. E ele novamente não pôde fazer nada.

Um grande sentimento de culpa lhe invadia cada vez que relembrava de Hermione caindo no chão diante dos seus olhos no departamento de mistérios. Sonhara com aquela cena tantas vezes quanto a de Sirius atravessando o véu. Esses dois momentos o perturbaram durante todo aquele verão.

Agora as imagens que inundavam sua mente eram de momentos mais recentes, mas igualmente dolorosas. Ainda se sentia no mesmo pesadelo. Hermione ainda estava desacordada e machucada e provavelmente levaria um pouco mais de tempo para sua magia voltar.

O que faria se ela não resistisse? Não suportaria perde-la, com certeza. Seu coração doía com essa possibilidade, mas não tanto quanto pensar que poderia nunca ter a oportunidade de contar-lhe sobre seus sentimentos. Será que ela lhe daria uma chance? Chance de cuidar dela, ter mais tempo ao seu lado, fazê-la feliz, amá-la?

Não fazia idéia se Hermione tinha alguém. Pensando bem, não sabia mais nada da amiga. Nesses três anos separados, teve poucas notícias da amiga. Teria mudado muito? Deixara de gostar de ler, de gatos, de runas, de cinema? Ainda protegia os elfos domésticos e a todos que ela via sendo injustiçados?

Olhou para a amiga se perguntando quem poderia estar no seu coração agora. Tinha consciência que provavelmente era Draco. Ela foi embora com ele para protegê-lo e parecia se preocupar muito com ele. Lembrava perfeitamente que, quando Malfoy se reuniu a Ordem, ela era a única do trio que tentou se aproximar dele. Tal ato era recebido inicialmente com ironia e desdém, mas com o tempo e a insistência de Hermione, o rapaz foi cedendo e até lhe salvou a vida.

Harry não teve a mesma paciência que a amiga. A seu pedido tentou ter uma relação no mínimo cordial com Draco, mas velhos hábitos eram difíceis de deixar. Portanto, qualquer tentativa de aproximação resultava numa briga, quase sempre apartada por Hermione. Rapidamente, Harry abandonou as tentativas de manter uma conversa que fosse com o loiro.

Draco por outro lado, parecia apreciar a companhia de Hermione cada vez mais, deixando Rony morrendo de ciúmes. Foram descobrindo pontos em comum e o loiro foi mudando muitas de suas atitudes. Mas só com ela. Até tinha certo respeito por Arthur Weasley e por Remo Lupin, responsáveis por sua entrada na Ordem. Com todos os outros ele se comportava como o velho Malfoy: irônico, convencido e prepotente.

Harry não tinha gostado nada dessa nova amizade de Hermione. Tentou, assim como Rony, várias formas convencê-la a se afastar do rapaz, mas foi em vão. Ela parecia apreciar tanto a nova amizade quanto Harry e Rony detestavam.

Suspirou chateado por ter cada vez menos chances de tê-la ao seu lado. Já não bastava a hesitação que sentia por ela ser ex-namorada de Rony. Ainda tinha que brigar contra os sentimentos de Malfoy por ela e talvez até contra seus próprios sentimentos. Realmente a vida dele não foi feita para coisas fáceis.

Recostou-se a uma árvore e manteve Hermione perto. Olhou para ela com carinho e fechou os olhos desejando que ainda não fosse tarde para lutar por seu amor. Relaxou um pouco e deixou que o cansaço o dominasse, adormecendo em poucos momentos.



- Não podemos esperar mais! A lua cheia é daqui a três dias, temos que obter kronos o quanto antes! – sentenciou Dolohov.

- Concordo! – olhou para o comensal que estava ao seu lado e ordenou - Reúna os comensais, vamos atrás do Potter e seus amigos – o comensal assentiu e saiu para avisar os outros. Bellatriz voltou-se para Dolohov – Os quero mortos.

- Sem problema – deu de ombros - só faço questão da garota viva, se é que sobreviveu ao seu ataque.

- O que tanto quer com a sangue ruim? – desconfiou a comensal.

- Me divertir, claro – sorriu com malícia.

- Está bem, mas a deixe longe de mim. Se ela me atacar, farei questão de matá-la.

- Certo, vamos começar a procurar por perto, se estavam tão fracos quanto nós, não devem ter ido longe.


Acordou assustado. Acabara de ter um pesadelo, aonde murmúrios desconexos chegavam ao seu ouvido, deixando-o angustiado. Respirou fundo, se recompondo. Percebeu que o tempo estava mais frio e se perguntou que horas deviam ser. Não sabia exatamente quanto tempo tinha dormido, mas sentia-se menos cansado. Pegou a varinha e tentou um feitiço simples.

-Lumus! – a ponta da varinha instantaneamente ascendeu. Respirou aliviado por sua magia ter voltado quase que completamente. Voltou sua atenção para a amiga que continuava desacordada. Colocou a mão em sua testa e sentiu que sua temperatura estava elevada. Hermione queimava em febre. Ela começou a murmurar coisas sem lógica e ele percebeu que eram os mesmos sons de seu sonho.

Levantou rapidamente e se aproximou da amiga. A ergueu nos braços e estava se preparando para aparatar, quando ouviu vozes. Escondeu-se atrás de uma grande árvore e apurou os ouvidos tentando perceber quem era.

- Acha que os idiotas da Ordem da Fênix vieram buscá-los? – perguntou uma voz de homem.

- É bem provável. Eles pareciam procurar com muita atenção. Sorte nossa que não nos viram – responde um segundo homem.

- Na verdade, acho que estamos perdendo tempo aqui. Com certeza eles já devem estar bem distantes - as vozes ficavam cada vez mais próximas.

“A Ordem está nos procurando”. Harry ficou apreensivo. Se a ordem estava por perto, isso dava certeza aos seus inimigos de sua presença aos arredores da mansão. Percebendo a proximidade dos dois comensais, ficou com a varinha em punho, pronto para atacar se fosse preciso. Ele sabia que estavam cada vez mais perto, portanto tinha de agir logo. Esperou que os dois homens entrassem em sua linha de visão. Assim que os viu, apontou a varinha para uma arvore bem próxima aos dois e lançou o feitiço.

- Reducto! – a árvore explodiu na frente dos comensais.

- São eles – gritou um dos homens, tentando enxergar através da poeira causada pela explosão. O outro comensal tentou avançar, mas Harry foi mais rápido.

- Petrificus Totalus! – falou e assim que o comensal paralisou, Harry aparatou com Hermione.



- Nada ainda? – perguntou Rony angustiado assim que seu pai entrou na sala.

Ele e Draco tinham tomado porções de animar, mas ainda precisavam descansar só que nenhum dos dois conseguia relaxar. O loiro estava sentado no sofá e não falava desde a conversa com o ministro. Tinha assumido uma expressão distante e concentrada.

- Não Ronald. Ainda não os achamos – respondeu o Sr. Weasley, muito sério.

- Eu não consigo ficar aqui parado, sem fazer nada! – o jovem ruivo andava de um lado para o outro – A Mione está ferida e só Mérlim sabe se ela e o Harry estão vivos!

- Sei que é difícil Rony, mas tente se acalmar...

- Como posso me...

Rony não conseguiu terminar a pergunta. Um dos aurores que guardavam a casa entrou correndo na sala.

- Senhor Ministro! Eles estão aqui! – falou afobado.

- Eles quem Smith? – indagou o ministro.

- O senhor Potter e a senhorita Granger!

O auror não precisou dizer mais nada. Draco pulou do sofá e saiu correndo em direção aos jardins e foi seguido por um Rony ansioso por ver como seus amigos estavam.

Quando chegaram ao jardim, viram Harry caminhando a passos firmes em direção a casa. Nos braços, trazia Hermione, ainda inconsciente. Draco alcançou Harry e ficou olhando preocupado para Hermione. Seus olhos não paravam de analisar cada parte do seu corpo em busca de ferimentos. Não foi difícil perceber que seu estado não era bom.

- Como ela está Potter? - perguntou nervoso.

- Nada bem - respondeu Harry de má vontade.

- Quando eu pegar Bellatriz, não vai sobrar nada dela! - vociferou o loiro.

- Isso não é importante agora - disse Rony, que também observava a amiga - temos que cuidar da Mione agora. Entraram na Toca, onde o ministro os aguardava.

- Harry! - disse aliviado por vê-los de volta - Leve Hermione para o quarto de Gina. Molly logo cuidará dela.

Sem perder tempo, o moreno levou a amiga para o primeiro andar da casa. Com cuidado, a colocou na cama e tirou os cabelos que lhe caíam no rosto. Ainda sentia-se entorpecido de preocupação.

- Vou ver onde mamãe está - disse o ruivo e saiu rapidamente. Harry olhou para o lado e percebeu que Draco mirava Hermione com tristeza. Havia tanto sentimento naquele olhar e Harry teve que admitir para si mesmo que o loiro tinha mudado.

- Realmente se importa com ela? - perguntou baixinho. Malfoy demorou um pouco para responder.

- Mais do que gostaria - respondeu num sussurro.

Harry não disse nada. Era bastante doloroso saber que Hermione provavelmente amava Malfoy e esse amor era correspondido. Amaldiçoava-se por não ter percebido a tempo o que sentia por ela. Se ao menos desconfiasse, não teria deixado que ela partisse e passasse tanto tempo longe.

Draco não deixou de notar o tom ressentido com o qual Potter lhe fizera a pergunta. Sabia que ele e Hermione tinham um carinho especial um pelo outro e que os sentimentos da amiga tinham evoluído para um amor que ela não queria aceitar sentir. Mas nunca tinha percebido o que Harry sentia por ela. Pelo menos até aquele momento.

- Você a ama – disse convicto.

Harry ficou espantado com a afirmação de Malfoy, mas não teve oportunidade de retrucar, pois a senhora Weasley entrou correndo no quarto seguida por Rony e uma mulher vestida de branco que parecia ser uma curandeira.

- Garotos, fora! Tenho que cuidar de Hermione – ordenou.

Ao contrário do que a velha senhora imaginava, os três saíram silenciosos do quarto. Sem proferir nenhuma palavra uma ao outro, sentaram no corredor e ficaram a espera de notícias.

CONTINUA...




N/B: Ahh demoro, mas chegou... Esse capítulo todo meloso e cheio de paixão. Nick como sempre adora um Harry todo preocupado... todo cuidadoso! Rony como sempre, cabeça dura, mas ele até que foi um pouco compreensível com Draco... E claro que naum podia faltar meu lindo, meu loiro mais metido, Draquinho!!! Ele sem comparar é o melhor.. ahh e o pior é que ele gosta muito da Mione e eu sou uma H² e não posso desejar que ele fiquem juntos!! Ah! (Beta triste, momento emo!). Mas penso pelo lado bom... quem sabe ele não encontre alguém por quem ele realmente goste neh? Mas voltando a Nick, gente ela me informou que a fic está acabando... Acreditam???? Como ela pode fazer isso com minha pessoa... Mas to quase superando, dei meu depoimento na igreja jah (uahsuahsua) de como estou perturbada com tudo isso, e eu sei que vou conseguir superar isso! Espero que a AUTORA não demore a ATUALIZAR. Um grande beijo da louca da beta. Nick.. Nety te adora!! Bastante viu?! Até o próximo capitulo!


N/A: Olá! Séculos depois da última atualização, eis a Nick que volta do inferno arquitetônico no qual vive para postar novo capítulo!rsrs Estou dramática, mas é tudo verdade. Esse capítulo é mais sobre os sentimentos e dúvidas do Harry. Afinal, passou três anos longe da Mione e como no quesito sentimento o Harry é muito devagar, achei legal explicar como ele se sentia. Sei que tinha prometido falar mais de kronos neste capítulo, só que achei que não daria o devido destaque ao que ele significa. A Nety também achou, então ficou para o próximo. Concordo com minha ilustríssima beta quando ela se derrete pelo Draco! Adoro-o! E realmente a fic está perto de terminar! E só demoro a atualizar por causa da faculdade, do estágio, da minha vida louca e extremamente corrida!


Paulinha Marks: Oi! Desculpe se fui má! É que realmente não deu para postar antes. Dessa vez não demorou tanto né? Rssrs Fico feliz por você ter gostado do capítulo. Comenta esse ta? Beijo!

Teresa: Eu às vezes fico torcendo pelo Draco! Juro que tenho uma quedinha por caras sarcásticos e irônicos!kkkkkkkkkkkkkkkkk Com a Hermione ele é perfeito! Mas só com ela!rsrsrs Faz um tempo que não nos falamos no msn não é? Me diz o que você achou deste capítulo! Beijão!

Alais: Minha mais nova companheira de msn! É cada conversa que sei não! Até luta de quem tem mais sotaque sai! Isso é o que dá juntar duas nordestinas porretas numa janela só de msn!kkkkkkkkkkkk Alais adoro você e cada elogio que recebo de sua parte me deixa muito feliz, sei que é de coração! Beijo!

Elros Dust'Amandill: Dieguitooooooo! Amigo lindo do meu coração! Eu sei que demorei um pouco, mas você sabe como é minha vida né? Ainda fiquei doente para piorar!Bem, não é dessa vez que você ficará sabendo o que kronos faz, mas prometo explicar no próximo capítulo! Fico aliviada por saber que gostou do capítulo, sei que adora ação e fiquei ansiosa por saber sua opinião! E eu sabia que você ia dizer que maltrato SUA HERMIONE! Mas nós dois sabemos que ela é nosso personagem preferido e eu não teria coragem de fazer mal a ela. Eu acho... rsrs saudades suas! Beijão!

Jan Potter: Jan, quero mais choco-Harry! Você só me deu um! E olha que comento sempre! Não vale!¬¬ Obrigada pelo comentário! Fico feliz por você estar gostando. E ainda descubro o que significa “melgar”. Vou perguntar para a Jane_Potter!rsrs Beijão!

Priscila Rodrigues do Nascimento: Bem vinda a fic! Infelizmente não deu para postar no dia do seu niver, mas parabéns mesmo assim! Obrigada pelos seus elogios, fico feliz de estar agradando. Quero saber o que você achou do novo capítulo! Beijo

stephanie dos salles furtado: Oi! Que bom, você gostou! O que achou no novo capítulo? Beijo

Beatriz_Evans_Potter: Bem vinda a fic e continue acompanhando! Abraço

Potter_Salter : Oi! Que bom tê-la na minha fic! Acompanho a sua e gosto bastante! Realmente a correria do dia a dia deixa pouco tempo para escrever, mas aos trancos e barrancos vou postando!

Binks: Bia, salvadora do capítulo nove! \o/\o/\o/ Muito obrigada! Se não fosse você, teria perdido tudo que escrevi! Obrigada por tudo: por comentar, pelas conversas no msn e ajudinha básica! Adoro você! Beijo!

Capítulo de presente para a ANDRÉIA PISMEL, que comenta sempre e é uma ótima pessoa! Não chegou exatamente no dia, mas é de coração! Obrigada por comentar, elogiar e dar opiniões! E por cobrar atualização também né? Espero sinceramente que o capítulo tenha agradado! Beijão!

Nety obrigada mais uma vez por betar e pelas conversas intermináveis no msn! Adoro você também! E quero minha fic de presente! Estou desesperada por saber como ela será! Sem palavras para dizer o quanto significa ter você como amiga! Beijão!

Estou escrevendo outra fic. Ela é parceria com a JANE_POTTER_ e se chama Plenilúnio. É continuação de “Na sombra da Libélula”, fic da Jane e ela me convidou para escrever com ela. A fic é bem misteriosa, cheia de ação e romance. Vão dar uma forcinha a fic neste endereço: http://fanfic.potterish.com/menufic.php?id=27715. Espero a visita e os comentários de vocês lá.

Leiam também a fic “um novo sacrifício” da Tuty Malfoy é muito boa, vale a pena ler!

E aguardem que, por esses dias, eu, a Binks e a Nety teremos surpresa para vocês!
Vou ficando por aqui! Até a próxima atualização e COMENTEM!

Nick Granger Potter







Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.