FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

32. Estupidez


Fic: O Mesmo Destino - Vários Ships - UA


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

N/A: Estava com esse pronto. Precisava postá-lo e tinha que ser antes dos próximos acontecimentos. Apenas um pouco de romance.

____________________________________________

 


- Hermione, sossega.


 


Gina falou, no mínimo, pela décima vez aquele dia com a amiga. Hermione estava estranha desde a manhã e ela não fazia ideia do que havia acontecido, apenas presenciava a amiga andar de um lado para o outro na sala do apartamento que dividiam momentaneamente desde que voltara da faculdade.


 


- Você não quer me contar o que você tem?


- Não é nada Gina, apenas estou preocupada.


- Isso eu já percebi Mione. Mas porque você está assim?


- Preocupada com o Harry. - Gina não acreditou, a fitou e calou-se.


 


Sim, é verdade que estava preocupada com o irmão. Ele estava bem melhor, embora ele fosse precisar de um período de repouso devido aos órgãos afetados e as sérias pancadas na cabeça, quase não havia cicatrizes no rosto e já andava pelos corredores do hospital. Sua melhora foi aclamada pelo corpo médico que cuidou dele e todos o parabenizaram por sua rápida e ótima recuperação.


Mas o que deixava Hermione irritada não era o seu irmão, mas o irmão da amiga sentada a sua frente. Como foi capaz de deixar que o ruivo a beijasse durante aquele filme? Como pode ter sido tão desfocada ao ponto de se envolver com um homem que ela mal conhecia? Como permitiu que a beijasse outras vezes? E depois de ter passado tudo o que passou? Devia estar mais atenta.


E o pior é que ela havia desejado, e muito, aquele toque. Sentia-se uma boba por estar pensando em tudo aquilo; ele tinha fama, dinheiro, muita beleza e a mulher que ele bem quisesse, e ela, como uma idiota mor que sempre fora, apaixonada por ele.


 


Como se apaixonara em apenas uma semana? Isso era impossível.


 


...


 


- Mione


- Hum...


- Eu não sei o que está acontecendo comigo.


- Por quê?


- Porque eu... Eu tenho pensado muito em você.


- É...? - ela estava hipnotizada no azul de seus olhos.


- Sim.  Sinto coisas estranhas quando você está perto de mim e... Tenho vontade de estar junto de você quando não estamos perto um do outro.


- Eu também.


 


...


 


Ele não poderia ter mentido em relação aquilo. Parecia tão sincero. Aquele momento foi tão perfeito. Era tão bom beijá-lo. Sentir seus lábios contra os dela foi, no mínimo, reconfortante, envolvente, estimulante...


Hermione dirigiu-se para o sofá e sentou-se ao lado da amiga, ainda presa em seus pensamentos. Remoía cada minuto vivido nos dias anteriores, e tentava de alguma forma, conscientizar-se que aquilo não era certo e que Rony era apenas uma paixão momentânea devido a sua situação atual muito mais que debilitada.


 


...


 


- Eu gosto de você, Mione - ele falou quando o beijo foi interrompido. Ela permaneceu em silêncio. Parecia absorver para si aqueles momentos.


- Isto tudo é muito estranho... - ela falou finalmente.


- É sim. Nos conhecemos há alguns dias e o que eu mais desejo é ficar com você. Te abraçar e te sentir...


- Eu também... - ela falou envolta em seus pensamentos felizes - Mas eu pensei que estava surtando.


- Por quê? - Ele sorriu. O hálito quente perto de seu pescoço fez com que ela arrepiasse.


- Porque eu pensei que estava imaginando tudo. Que isso era só uma confusão louca da minha cabeça. Mas ai você foi ficando cada vez mais carinhoso e tão gentil... E a Gina fala de você de uma forma que encanta... E eu acho que me apaixonei.


- Hermione - ele sorriu novamente. Um meio sorriso tentador - Eu acho que me apaixonei por você desde o dia do restaurante.


- Não seja tão extremista Rony - ela assustou-se.


- É verdade - ele riu com a palavra - Eu comentei inclusive com a Gina o quanto a moça que me esbarrou era bonita.


- Que conversa Rony.


- Confirma com ela então se não acredita em mim.


- Não... Não precisa. Ela é sua irmã, sempre estará do seu lado.


- Não Ginevra Weasley.


- Bobo...


- Mas então. Depois eu te vi na perfumaria. No shopping e... Eu não sabia quem você era. Por vezes eu tive vontade de ir lá comprar qualquer coisa que fosse só pra poder te ver de novo, e a Gina vivia me incentivando a isso...


- E por que não foi?


- Vergonha.


- Vergonha?


- Sim... Eu sou um bicho do mato às vezes. Mas o fato é que senti vergonha. E eu mal sabia o teu nome, e falava de você umas dez vezes por dia.


- Não sei se devo acreditar...


- Acredite. Durante muito tempo, o que eu queria era apenas te beijar...


- Então... Por que não me beija?


 


Ele sorriu da ousadia dela. Ela sorriu de volta e beijaram-se novamente. Era uma sensação indescritível. As minhoquinhas sapateavam com sapatinhos de gelo dentro dela. Estava tão feliz mesmo vivendo uma angústia tão grande. Sentia-se bem com ele. Era simplesmente bom.


 


- É melhor você atender... - ela falou depois que o celular do ruivo tocou algumas vezes.


- Não... Não quero - ele voltou a beijá-la e o som parou um momento, voltando em seguida.


- Rony, atende - ela ainda tinha os lábios colados aos dele quando as palavras foram sibiladas - Pode ser a Gina.


- É... Deixa eu ver - ele pegou o celular sobre o centro de mesa e reconheceu o número de Pansy - Não é a Gina não.


- E quem é?


- Uma amiga - ele sorriu encabulado e ela afastou-se um pouco.


- Sua namorada?- sentiu-se péssima ao deixar sair àquelas palavras.


- Não. Claro que não - ele foi firme e o telefone parou novamente.


- Hermione...Essa garota... Ela é...


- Não precisa me explicar nada. Não somos nada um do outro. Pode ligar pra ela se quiser - tentou ser impassível, mas estava abalada por dentro. Queria gritar de ódio. Devia ser um de seus casos. Se sentiu uma completa idiota por ter revelado seus sentimentos. Burra é o que era.


- Ela deve querer saber por que eu não liguei mais. Afinal, estou aqui há uns dias. Deve ser só isso.


- Realmente, não me interessa.- é a namorada dele, certamente - Hermione pensou - Não há outro motivo para ter ficado assim. Se não é a namorada, é um caso, e ela seria a outra do caso... NUNCA!


- Mas eu... - o telefone tocava novamente


- Não vai atender?


- Sim. Claro.


- Quer que eu saia? - ela estava ficando cada vez mais distante. Mais fechada e ele sentiu.


- Claro que não - sorriu ainda encabulado - Eu não quero mentir pra você. Eu vou atender e deixar o ‘viva voz’ pra você ouvir tudo.


- Não precisa de...


- Eu faço questão. - sorriu - Oi Pansy.


- “Oi Ronald. Vamos sair?” - a voz estava embargada. Provavelmente estava embriagada. Hermione sentiu-se envergonhada por ouvir.


- Hum... Não vai dar não.


- “Como não? Sei que amanhã você só trabalha à tarde. Poderíamos aproveitar essa noite e amanhecer juntos... Programa perfeito, não acha?”


- Não posso ir mesmo Pansy. Eu estou ocupado.


- “Com o que Ronald? Vamos nos divertir...” - ela sorria.


- É... - ele olhou para Hermione que o observava atenta com uma das sobrancelhas arqueadas - É uma amiga minha. Ela teve um problema e estou ajudando.


- “Está dormindo com ela?”


- Claro que não.


- “Então venha dormir comigo.”


- Não Pansy. Não vou. Você está bêbada.


- “O que importa? O que importa é a gente ficar bem juntinhos e transar a noite toda, até não mais suportar o cansaço de nosso corpo. Eu quero você Ronald. Você é muito gostoso e eu estou com saudades.”


- Pansy, por favor... - viu quando Hermione levantou-se de onde estava e foi em direção ao seu quarto batendo a porta em seguida. ‘Mas que merda’, pensou, pegando o aparelho e mudando a situação da ligação para o fone.


- “Por favor, digo eu.”


- Pansy, nós não temos nada. Até ficamos juntos, eu sei. Mas acabou. Eu estou gostando de outra pessoa e a menos que tenha algo importante para dizer, não me ligue mais.


- “Como assim? Está me trocando por uma qualquer? É essa garota que está com ela agora?”


- Sim, é ela. E ela é muito digna. Não é uma qualquer. E eu gosto dela.


- “Mas eu pensei que estivéssemos juntos. Até saiu em umas revistas.”


- Nunca estivemos juntos e...


- “Mas eu gosto de você Ronald. Eu quero ficar com você.”


- Mas não vai. Agora eu preciso desligar.


- “Ronald... Você não vai se livrar assim tão fácil de mim.”


- Pansy, eu realmente preciso desligar. Até depois.


 


Desligou então o aparelho deixando-o sobre a mesa de centro, onde estava antes. Respirou fundo lembrando-se da ‘cagada’ ocorrida e foi em direção ao quarto de Hermione. Precisava explicar o que havia acontecido, embora não soubesse como.


 


- Hermione - falou após bater - Podemos conversar?


- Não tenho nada para conversar Ronald. já vou dormir.


- Hermione. Eu não tenho nada com a Pansy.


- Não foi o que pareceu. E realmente, não me interessa com quem você se envolva - ela chorou silenciosamente - Não somos nada além de amigos.


- Hermione, por favor, me escuta. A Pansy é uma amiga. Eu tive um caso com ela, eu não minto, mas faz tempo que não saímos e não temos nada. A mídia espalhou uma conversa que somos namorados, mas não é verdade.


- Ronald, realmente não me interessa sua vida pública. Você faz com ela o que é mais conveniente para você.


- O que eu faço pra você acreditar em mim?


- Nada. Não precisa fazer nada porque não me deve explicações de nada. Por que não vai encontrar sua amiguinha? Ela está com saudades de você.


- Hermione - ele sorriu - Está com ciúmes?


- EU NÃO TENHO CIÚMES - o grito foi seguido por um estrondo.


- O que aconteceu? - ele preocupou-se.


- Nada. - ela respondeu irritada recolhendo os pedaços de seu globo terrestre lançado contra a porta em um momento de desespero.


- Você está bem?


- Boa noite Ronald.


- Hermione... Não faz assim.


- Boa noite.


 


...


 


Por que ele mentiu? Por que não falou que tinha uma namorada, um caso ou o que fosse para ela? Por que a beijou? Por que fez promessas? Apenas para desencadear ainda mais o que já sentia por ele. Agora estava ali, como uma idiota que era sem saber o que pensar ou como agir. Queria conversar com Gina, perguntar o que ela achava de tudo isso, mas não poderia...


 


 


- Vou ver o Harry daqui a pouco - Gina interrompeu seus pensamentos - O Rony deixou o carro comigo. Quer ir também?


- Claro! - ela sorriu virando-se para a amiga - Eu estava mesmo pensando nisso.


- Tudo bem - Gina sorriu ainda desacreditando - O Rony saiu com o Pacheco e...


- Pacheco?


- Sim. O agente dele. O cara é chato, mas super gente fina.


- Hum...


- Ele me falou hoje, assim que cheguei da faculdade, que você não estava bem e que não havia saído do quarto o dia inteiro - Hermione sentiu-se cercada - Daí ele avisou que iria com o Pacheco. Foi até antes do horário que iria sair. Parece que daria uma coletiva sobre o projeto de um filme...


- Filme?


- Humrum... Dessa vez não vai ser só uma ponta como das outras vezes. Ele conseguiu um papel secundário. Parece que morre no meio do filme, mas já é muita coisa.


- Claro.


- É a primeira vez que ele dá uma coletiva - ela parecia orgulhosa - Odeio esse trabalho do meu irmão, mas não posso negar que estou orgulhosa. Ele tem crescido tão rápido, mesmo que eu queira que ele desista de tudo.


- Isso é um pouco contraditório - Hermione falou sem muita emoção.


- É sim, eu sei. Mas tenho orgulho dele. Entendo os motivos que fizeram com que ele se aventurasse por aqui... Não vou ter como ver a entrevista, mas tenho certeza que já devem estar publicando alguma revista com tudo o que ele falou. Quando voltarmos do Harry eu paço em uma banca e compro uma pra poder ler.


- Tudo bem. Eu vou tomar banho para irmos.


- Hermione - Gina falou e ela parou no meio do caminho, voltando-se para a amiga - Não sei o que aconteceu com você, mas o Rony pareceu um pouco perturbado quando falou comigo hoje  cedo. Só te peço uma coisa, independente do que seja, tente observar os fatos antes de tomar uma conclusão definitiva.


- Não houve nada Gina - ela sorriu - Mas lembrarei de seu conselho.


 


[...]


 


- E como está o doentinho mais lindo de todo o mundo? - Hermione beijou a cabeça de Harry sentando-se ao seu lado na cama enquanto ele fazia uma careta tirando risadas animadas de Gina.


- Irritado - ele respondeu sem muita alegria depois - É um saco dos infernos está aqui sem fazer nada.


- Mas você já está quase que novo, Harry - Gina falou sorrindo e Harry se encantou.


- Quero mesmo é voltar para casa.


- Segundo o Dr Lewis, você volta pra casa amanhã - Hermione falou animada - Ai vou poder cuidar de você.


- Ah não... Você é pior que todas as enfermeiras e médicos daqui. Estou perdido Gina - ele fitou a ruiva - pode assinar meu atestado de óbito.


- Não seja tão dramático - Hermione ralhou e Gina sorriu.


- Hermione, eu sei bem quem você é - ele esbugalhou os olhos num falso medo.


- Se não quer que eu cuide de você, pode continuar aqui então.


- Ah não. Não mesmo. Não aguento mais essa comida de hospital sem tempero nenhum. É pior que a sua comida, Mione.


- Ah... Mas que cara chato. - Hermione levantou-se também falsamente irritada. Gina sorria.


- Vocês dois são ótimos - ela sorriu aproximando-se - Mas mesmo saindo daqui, você ainda precisará de cuidados Harry.


- Eu sei. Eu suporto - sorriu para a ruiva que se intimidou.


- E nós precisamos conversar Harry - Hermione sentou-se novamente. Gina estava de pé com os braços apoiados no encosto ao pé da cama - Aproveitar que estamos a sós.


- Quer que eu saia Mione?


- Claro que não Gina - ela virou-se rapidamente para a amiga, fitando Harry em seguida.


- Sobre o que? - ele parou com as brincadeiras assim que notou o semblante da irmã.


- Eu fiquei extremamente preocupada com você depois disso tudo. Antes de tudo, eu preciso te pedir desculpas.


- Não tem que pedir desculpas por nada Mione.


- Foi minha culpa Harry. Se tivesse te ouvido a tempo nada disso teria acontecido.


- Mione, aquele cara precisa de uma lição.


- Mas não será você a dar - ela falou séria - Ele me ligou.


- Mas que sem vergonha - Harry mexeu-se impaciente sobre a cama.


- Me escuta. - ele parou - Ele me ligou no dia que te espancaram. Falou que não havia feito nada ‘demais’ porque acima de tudo, me admirava, mas se acontecesse novamente, não te pouparia. Por favor, Harry, me prometa que você não vai mais se envolver em nada que diga respeito aos Mclaggen.


 


Realmente, não era o que Harry queria. Pretendia matar o sem vergonha com as próprias mãos, esse era os eu plano para quando saísse do hospital. Mas se algo saísse errado, não apenas ele se daria mal, mas Hermione também, e provavelmente seus pais. Não gostava de ser pressionado a aceitar coisas das quais não era a favor, mas desta vez, ele tinha realmente que relevar, pela vida e integridade física de sua família.


 


- Tudo bem Mione - ele a olhou nos olhos - Eu prometo.


- Ah Harry - ela o abraçou - Obrigada. De verdade. Não faz ideia do peso que está tirando de minhas costas. Eu te amo meu irmão. Muito. Não me perdoaria se algo acontecesse com você novamente.


- Não se preocupa louquinha. Vai ficar tudo bem.


- Oi! - Romilda acabara de chegar, e após bater a porta, entrou no local - Como vai esse doente?


- Louco pra ir embora - Harry respondeu sorrindo.


- Vim ver como você estava, mas parece que está muito bem - ela referiu-se a Hermione e Gina.


- Milda... - Harry continuou - Você viu a Cho? - Gina estremeceu discretamente - Ela não vem aqui desde ontem.


- Hum... Pelo que sei, está envolvida em um projeto com a Luna.


- Certo - ele olhou um ponto invisível - Preciso falar com ela. - Hermione o encarou e ele confirmou seus pensamentos com um sorriso. Ela sorriu.


- E essa revista Milda? - Gina perguntou tentando mudar o assunto de Cho.


- Ah... É nova. Acabei de comprar.


- Sobre o que? - Harry que perguntou. As duas giraram os orbes imaginando o que viria agora da tiete mor que conheciam.


- É de fofocas - ela sorriu animada por poder falar sobre o que estava prendendo.


- Isso a gente já sabia - Hermione falou e ela a encarou incrédula.


- Hermione, você realmente é a última das pessoas com a qual eu debateria sobre a fama. Você não curte.


- Mas sobre o que é então? O que descobriu de tão empolgante. Olha a tua cara! - Hermione continuou. Romilda realmente estava exasperada. Empolgada, muito mais que o convencional.


- É sobre o meu ruivo. O Ronald, aquela coisa linda e perfeita que veio mandada dos céus - Gina e Harry sorriram. Hermione fechou-se - Ele deu uma coletiva sobre o seu novo filme. O que começa a rodar mês que vem.


- Você sabe até quando vão gravar? - Harry falou engraçado.


- Faz parte do meu trabalho de fã - ela sorriu orgulhosa.


- E o que ele dizia? - Gina perguntou interessada.


- Não sabia que se interessava por essas coisas? - Romilda perguntou curiosa.


- Ah... Só queria saber - Gina desconversou.


- Hum... - Milda continuou - No geral, ele disse que está feliz com o projeto, e que agradece aos fãs e a família, e em especial, a irmã que o tem apoiado muito aqui em Londres - as palavras eram soltas em direção a ruiva que se sentiu constrangida - e falou também sobre a Pansy Parkinson - Hermione sentiu um soco no estômago, mas não demonstrou.


- Falou? - Gina perguntou novamente e Romilda estranhou ainda mais - O que ele disse?


- Que as notícias eram falsas - Romilda tinha uma sobrancelha arqueada, muito desconfiada do interesse da ruiva - e que ele nunca teve nada com ela, o que eu achei muito bom.


- Por que achou bom Milda? - Harry perguntou para ajudar à ruiva.


- Por que eu não gosto dela.


- Você também vivia falando mal da outra. Da loira - Hermione continuou impassível.


- A Lavender Brown? Sem vergonha aquela. O traiu. Saiu em todos os jornais e revistas.


- É... Fiquei sabendo - Gina comentou aproximando-se de Harry e sentando-se ao seu lado.


- Mas o ponto alto da coletiva foi quando ele disse que está apaixonado - Romilda tinha uma expressão sonhadora e jogou-se contra a cadeira abraçada a revista.


- Apaixonado? - Gina perguntou após olhar de Hermione para Harry.


- Sim... - Romilda continuou sonhadora - Ele disse que ela não é do meio artístico... Ele foi tão amável falando dela...


- Sério? - Hermione a fitou interessada e Romilda acordou do vislumbre instantaneamente.


- Sim. Sério. Queria ter a sorte de ser essa garota - falou pensativa - Mas não sou eu, infelizmente. Nem o conheço, não é? Bem. Fique com a revista - entregou para Gina - Eu vou tomar um lanche. Estou morrendo de fome. Depois eu pego ela de volta.


 


Romilda saiu e os três ficaram em silêncio. Harry não era bobo nem nada, então logo entendeu o que estava acontecendo ali com a irmã, e porque ela estava com aquela cara tapada olhando para ele. Cara de quem havia aprontado, mas não contaria o que foi.


Gina folheou a revista em seguida sem atentar aos detalhes que Harry observou, buscando a página onde reconheceu a foto do irmão, sentado em uma cadeira ao lado de mais três atores que ela reconheceu em frente ao banner promocional do filme. Ele sorria. O irmão era realmente muito bonito e simpático. Sentiu orgulho.


 


- Querem que eu leia pra vocês?


- Por mim tanto faz. - Harry respondeu ainda estranhando todo o clima que se fez ali.


- Não. Fique a vontade. - foi à resposta de Hermione que levantou-se e direção a garrafa de café.


 


Gina então leu para si enquanto Harry e Hermione conversavam sobre banalidades. Ela não queria demonstrar, mas estava curiosa demais para saber o que ele disse naquela maldita coletiva de imprensa. Mas não sabia como faria para ler.


Depois de um tempo, as duas voltaram para casa. Gina, com o pretexto de comprar uma revista para que o irmão visse e confirmasse se não haviam distorcido suas falas, parou em uma banca de jornal no caminho e comprou três edições diferentes, indo em seguida, para a casa de Hermione.


 


- Hum... O Rony não vem hoje - Gina falou um pouco depois de entrarem no apartamento.


- Algum problema? - Hermione tentava não demonstrar nenhum sentimento.


- Não. Precisou ficar no estúdio para fazer algumas fotos para o filme e não sabe a hora que vai sair de lá.


- Hum... Como você sabe?


- Ele esteve aqui e deixou um bilhete no quarto.


- Hum... Ele parece gostar bastante desse mundo de glamour, não é?


- Não. Ele não gosta não. Na verdade, ele se meteu nisso só para ter dinheiro. Tenho fé que rapidinho ele desiste disso e volta pra casa.


- Por que quer isto?


- Esse mundo não é pra ele, ele sabe. Embora seja muito bonito e tenha se dado bem nesse meio, não é o que ele quer.


- Como tem certeza?


- Ele deixa isso claro quando conversamos, embora nunca tenha falado diretamente. Sei que não gosta. Não gosta das mentiras na qual é enfiado sabe...


- Humrum...


- Bem... Vou tomar um banho, depois preparo alguma coisa para comermos, tudo bem?


- Não precisa se preocupar Gina. Estou sem fome. Fique a vontade.


- Mesmo assim farei. Saco vazio não para em pé - ela sorriu - Vou deixar as revistas aqui, caso queira ler um pouco sobre a vida das celebridades - ela sorriu ainda mais e saiu.


 


Parecia ridículo, mas era exatamente o que Hermione queria fazer. Olhou para os lados, um tanto que nervosa. A sensação que estava sendo observada. Curiosa em ler a entrevista, mas aflita por ser tão boba. Decidiu, por fim, ler. Não era nada demais. Ele era seu amigo. MENTIRA! Estava louca de curiosidade para saber o que ele respondeu.


Folheou a revista até encontrar a página onde falava do filme que ele faria parte. Parecia uma grande produção e a estreia era para dali a cinco meses. Viu uma jovem muito bonita que seria a estrela da produção. Havia uma página com sua entrevista, em seguida, a do mocinho, e por último a dele, que seria quadjuvante.


 


...E essa parte será destinada ao queridinho de toda a Europa. Ronald Weasley conseguiu conquistar em pouco tempo o que muitos tentam há anos. Com uma beleza impar, olhos profundos e um sorriso dissimulador, ele fará seu primeiro grande papel e promete arrasar nas telonas.


 


“Essa tiete idiota. Precisa falar tanta asneira? Você é uma repórter, não uma fã desesperada por um pouco de atenção.”


 


- Então, Ronald. O que você espera de mais este projeto?


- Hum... Preciso esperar o melhor. O que tenho certeza, é que farei o máximo para não decepcionar ninguém.


- Certamente que não. Sei que foi um papel curto, mas você não decepcionou ninguém em O Vale.


- É - risos - Espero que os críticos vejam assim também. Posso afirmar que estou um pouco ansioso para começar logo, mas acredito que dará tudo certo.


- E o que você pode nos falar de seu personagem?


- Hum... Apenas que ele é um rapaz bem forte. É audacioso e vai fazer de tudo para alcançar os objetivos dele.


- Você se acha parecido com ele?


- Em partes. Sou bem obstinado no que quero. Luto pelo que acredito e não desisto tão fácil de meus ideais.


- E ao que você deve toda essa obstinação?


- Antes de tudo, aos meus pais. Mesmo minha mãe não me dando muito apoio. Eles são à base de tudo o que sei e acredito. Não conseguiria muita coisa sem eles.


- Você mantém sua família muito reservada. Por quê?


- Não é que eu os mantenha reservados. Acho que o que eu escolhi é de minha responsabilidade. Não acho que seja realmente necessário expor minha família se eles não querem assim.


- E como é a sua relação com eles? Como é sua família?


- Sempre me dei muito bem com todos. Crescemos de forma muito livre, porém, sempre unidos. Me afastei um pouco devido a toda a movimentação aqui do Centro, mas nós mantemos todo o contato necessário. Amo minha família muito mais que a mim mesmo.


- Tem irmãos?


- Mais do que você possa imaginar - risos.


- Apresente-nos. - risos.


- Ah... Não dá mesmo - risos - São todos casados. Apenas minha irmã e eu permanecemos solteiros.


- Está solteiro então?


- Sim.


- E Pansy Parkinson? Muitas revistas divulgaram um romance entre vocês. Inclusive, fotos de um beijo. Não estão juntos?


- Não. A Pansy e eu nunca tivemos nada mais além desse beijo. Ela é uma amiga.


- Então as fãs podem ter esperanças?


- Sinto muito, mas não.


- Como assim?


- Estou apaixonado.


- Wou! Nossa... E quem é a sortuda?


- Não falarei o nome dela. Não temos nada sério ainda.


- Então é artista?


- Não.


- Como a conheceu? Era uma fã?


- Na verdade, ela nunca soube quem era Ronald Weasley, o modelo, até que eu mesmo a falei sobre.


- Não é possível.


- Sim. É sim - risos - E eu estou muito apaixonado por ela.


- Então, as fãs podem desistir. Em breve, o ruivo mais desejado da atualidade estará comprometido.


- Se Deus quiser, e a garota também.


- Hum... E sua irmã? Está no meio artístico?


- Não. Eu sou o único da família virado para esse lado. Ela quer seguir outra carreira. Mas é meu pedacinho de casa.


- Mora aqui com você?


- Sim. E além de minha irmã, é sem dúvidas, minha melhor amiga. Eu a amo muito.


- Que lindo Ronald. Você é bem voltado para os laços familiares. Não costumamos ver isto hoje em dia.


- É verdade. Mas eu acredito que tudo na vida vem primeiro da sua base familiar. Quando você tem no que acreditar e em quem confiar, as coisas se tornam mais fáceis.


- É isto. Obrigada Ronald, e sucesso no seu novo filme.


- Obrigado.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 3

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Tati Hufflepuff em 14/11/2013

Aaaah gente, que entrevista gracinha!!!
Espero que a Hermione não seja boba e fique logo com o ruivo!
Seguindo >>> 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Violettaa em 20/01/2013

Essa entrevista do Rony foi linda demais...Adorei o capitulo *-*

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Spencer Cavanaugh em 16/01/2013

AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH *-* Eu reli a entrevista umas vezes aqui porque fiquei mega animada. Tipo, Ronald Weasley consegue ser o cara mais fofo do mundo em qualquer fanfics, poxaaaaaaaaaaaaaaaa eu vou roubar o Ron pra mim, ele é maravilhoso, ele disse que tá apaixonado por ela... Se a Mione não acreditar nisso ela tá muito lerda, ele é perfeito para ela e vice-versa... Bem, espero que Harry fiquei na dele porque o idiota do McLaggen é muito malvado... Bem ainda tô meio assim por causa do capitulo anterior então vou esperar o próximo para saber o que vai acontecer com essa galerinha...

Bjoos! 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.