FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

11. Capítulo 11


Fic: We Are Young - The Marauders Aviso Onn. Cap 13 em breve!


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capítulo 11 
Don't speak I know just what you're saying so please stop explaining...
Don't tell me 'cause it hurts!
Parte 1


 


 


Tudo bem, ele não precisava se preocupar, certo? CERTO?


Não... Não estava certo. O fato é que - apesar de TUDO o que ele tinha feito e sofrido por Lily nas ultimas duas semanas - foi tudo em vão. Ele tinha praticamente sido partido aos pedaços há duas semanas a trás, passou essas duas semanas deitado em uma cama na Ala Hospitalar, agora estava sentando na Arquibancada assistindo SEU time de Quadribol (o time que ELE montou) treinar sem ele; tudo isso pra nada!


Ele tinha que aceitar: Lily era um caso perdido.


Porque ela não podia simplesmente aceitar que James gostava dela? Porque tinha que ser tão difícil? Tudo bem que James sabia que ruivas eram mais estressadas e difíceis - sua mãe é ruiva, ele sabe muito bem como é isso -, mas assim já era demais. O que ele teria que fazer, morrer de verdade por ela? É... Quem sabe ele morrendo Lily finalmente perceba que estava falando a verdade sobre seus sentime...?


- Terra para Prongs! – Uma voz fez James voltar para o mundo real.


Sirius apareceu diante de James, montado em uma vassoura e segurando o bastão de Batedor. Ele balançava o bastão em frente ao rosto de James, tentando chamar atenção.


- Hum? Ah... Desculpa, estava distraído. – James disse, balançando a cabeça para os lados.


- É a ruiva, não? – Sirius disse, rindo. – Essa mulher ainda vai ter matar, Prongs. Porque simplesmente não a esquece?


- Eu tento, Padfoot... Eu tento. – James suspirou. – Mas é impossível! Eu vou dormir pensando nela e acordo pensando nela. – James se levantou e passou a perna por cima da vassoura de Sirius. – Me leva para falar com o time. E sabe o que é pior? Ela tem namorado!


- Não acho que ela e Fabian namorem. – Sirius disse, fazendo a vassoura voar.


- Ah, pode não ser um namoro real, mas eles estão sempre juntos agora! Eu não consegui falar com ela desde que sai da Ala Hospitalar e ela só me visitou uma vez nesse tempo todo... E nem conta porque foi na noite do acidente.


- Bem... Eu vou me arrepender de te avisar isso, mas... Eu acho que o mundo não está mais tão cheio de arco-íris no planeta dos ruivinhos apaixonados. – Sirius disse, parando no ar. – Fabian estava mais distraído do que o normal hoje. Eu quase o acertei com o balaço três vezes em uma partida. E ele costuma ser o mais atento.


- É. Achei que era coisa da minha cabeça. Ele parece meio cabisbaixo hoje, não? – James disse, pensativo.


Sirius baixou até o chão. James desmontou lentamente – se Madame Pomfrey descobrisse que ele estava voando e tinha se machucado, ele passaria o tempo todo até as férias do Natal preso na cama – da vassoura. Seus amigos o cumprimentaram e deram sorrisinhos.


- Bom, gente. O treino está ótimo! – James sorriu de volta. – Assim que voltarmos do feriado, teremos um jogo contra a Corvinal e Merlin sabe como quero ganhar desses caras. Então, continuem treinando se possível em casa e vamos ganhar essa taça mais uma vez!


- Isso ai! – O time gritou de volta.


- Mas você já vai poder jogar, não é James? – Alice perguntou.


- Claro, claro... Ninguém vai me impedir de ganhar uma partida contra o Chang. Nem mesmo Madame Pomfrey vai poder me prender na Ala Hospitalar.


- Falando em feriado... Vai ter festa esse ano na sua casa, James? – Mary perguntou, rindo.


- Não, não... Nada de festa, pessoal. Meus pais vão fazer uma ceia pro pessoal que eles chamaram. Sinto muito, mas nada de festinha esse ano.


- Aaaah... – O time fez um muxoxo.


James entendia o desanimo deles. Desde o quarto ano James fazia uma festa em sua casa durante o feriado de Natal e Ano Novo. A festa durava desde o primeiro dia que botavam o pé pra fora da escola até o dia que tinham que voltar à Hogwarts. A festa costumava ser bem maluca, já que todos os Marotos estavam presentes e chamavam muitas garotas e alguns amigos que conheciam.


Além disso... Ele era James Potter, obvio que ele sabia dar uma festa.


- Então, galera. Chuveiro, agora! – James disse, apontando para o banheiro.


O time se dispersou. James viu Fabian passando. Ele andava olhando para os pés e tinham o rosto um pouco inchado. James se aproximou dele e passou o braço por cima do ombro do colega de time.


- Hey, cara. O que houve? Você está meio distraído ultimamente...


- Hum. Ah, nada não, James. Não tem motivo pra se preocupar. – Fabian respondeu, saindo de perto de James.


- OW! Foi alguma coisa que eu fiz? – Ele perguntou, desconfiado.


- Não... Eu acho. – Fabian suspirou. – É, não. E bem... Você vai acabar sabendo mesmo... Lily terminou comigo...


- O QUE?


- ... não que a gente namorasse, claro. Mas ela disse que não quer mais sair comigo. – Fabian disse, olhando para baixo.


James tentou ao máximo segurar a felicidade pra dentro dele. Quer dizer que Lily estava livre? Sua ruivinha poderia ser sua novamente?! Ele estava explodindo de felicidade por dentro, mas tinha a consciência de que Fabian sofreria o vendo feliz.


- Puxa, cara... Que chato. – James respondeu, evitando o sorriso que queria aparecer.


- Não precisa ser falso assim, James. – Fabian sorriu, sem humor. – Eu e toda Hogwarts sabemos o que você sente pela Lily. Sei que não sente pena do termino, muito pelo contrario, está feliz... Tudo bem, eu também estaria.


- Sinto muito por gostarmos da mesma garota, Fabian. – James respondeu, após um longo silencio.


- É, eu também. – O ruivo suspirou. – Estava tudo indo tão bem, até aquele acidente com os Sonserinos. Depois do que você fez, acho que Lily perdeu um pouco o chão e decidiu que não sou bom pra ela. É uma droga, porque eu ainda gosto muito dela.


- É difícil não gostar. – James riu.


- Você tem razão. – Fabian riu. – Bem, eu tenho que tomar banho. – Ele disse, virando de costas para James. – A gente se fala depois, capitão.


James já se virava para andar na direção oposta quando Fabian gritou de volta.


- AH! Potter, isso não acaba aqui. Eu não vou desistir da Lily e se você um dia vier a machuca-la eu te parto a cara, ouviu bem?


- Recado recebido, Prewett. – James gritou de volta. – Mas sinto te dizer que você vai perder!



 



 ____________________________________________________________________________________


James acordou cedo na Sexta-Feira e se aprontou para descer para o café. Desde que tinha passado várias noites deitado, James evitava ao máximo – pelo menos por enquanto – a cama. Desceu as escadas para o Salão Comunal da Grifinória e andou meio distraído em direção ao retrato da Mulher Gorda. Estava mexendo na mochila, conferindo os livros, quando esbarrou em alguma coisa.


Ele tropeçou e o que tinha esbarrado nele, caiu por cima de seu corpo, no chão. Um acumulado de cabelo ruivo caiu por cima de seu rosto e por muito tempo, James não conseguiu ver muita coisa além dele. Sua pele voltou a formigar – reflexos dos cortes do feitiço Sectusempra.


- Descul... – A voz falou, levantando a cabeça. – AH! Potter!


James observou Lily ganhar uma coloração rosa, que foi se intensificando até se tornar vermelho vivo. James esperava que de vergonha, não de raiva.


- Lily! Estava mesmo atrás de você... – Ele disse, sorrindo em resposta. – Só não esperava que fosse te encontrar em cima de mim.


- Ah, pelo amor de Merlin, Potter! – Ela resmungou, mas não saiu de cima de James. – Porque não me deixa em paz?


- É impossível, ruivinha. Eu gosto muito de você pra isso. – Ele disse brincando, mas começou a se sentir ofendido pela forma como ela o estava tratando.


- A essa hora da manhã, Jam-Potter? Achei que tínhamos passado dessa fase já. – Ela disse, saindo de cima de James.  


- Também achei que tínhamos passado da fase “você é um cafajeste, arrogante e metido, POTTER”, mas cá estamos nós. – Ele sorriu.


Lily bufou.


- O que você quer, Potter? – Lily disse, recolhendo seus livros que tinham caído na queda.


- Eu quero te fazer um convite. – Ele respondeu, recolhendo os livros de Lily e entregando a ela.


- Outra vez? Eu achei que você tinha desistido dessa luta em vão.


- Nunca, Lily. – James disse, se aproximando dela. Lily deu dois passos para trás e se afastou dele.


- Olha, James. – O coração dele deu um pulo ao escutar seu nome. - Não vamos estragar o que conseguimos... Erm... Concertar durante essas semanas em apenas alguns minutos, ok? Então vamos esquecer que isso aconteceu e esquecer o seu convite. Tudo bem? Ótimo! Até a aula.


Lily disse, sem deixar que ele respondesse. Ela correu até à Mulher Gorda e sumiu rapidamente da visão de James. O Maroto bufou e jogou as mãos para o alto. Será possível que ela nunca iria acreditar nos sentimentos dele?


Mas uma coisa ele tinha certeza: ele ainda iria chama-la para passar o feriado em sua casa, nem que isso fosse acontecer no trem em direção à Londres!


 
 


 


- É impressão minha, ou você está fugindo da sua namorada, Moony? – Sirius perguntou, vendo Remus se esconder atrás de uma gárgula enquanto Dorcas passava no fim do corredor.


- Shhh! Ela vai te ouvir! – Remus sussurrou. Depois de alguns segundos. – Ela já passou?


- Já. – Sirius disse, sorrindo. – Porque tudo isso, afinal?


- Porque eu... – Remus suspirou. – Estou me desesperando mais uma vez. Não acho que mereço namorar com Dorcas.


- Ah, Merlin, porque? Porque isso agora? – Sirius revirou os olhos.


- Porque eu estou ficando cada vez mais fraco e pálido. Ela fica me fazendo perguntas a todo instante e eu não sei como dizer a ela que isso é normal pra mim sem dizer que sou um Lobisomem. – Remus recomeçou a andar. Sirius o seguiu. – Além do mais, a Lua Cheia está muito próxima e eu estou começando a sentir o peso do meu... Probleminha cair sobre mim.


- Cara, sabe do que você precisa desesperadamente? – Sirius disse, passando o braço por cima do ombro de Remus. O outro maroto o observou, curioso. – De sexo. E diversão. – Remus revirou os olhos. – Não, sério! Há quanto tempo você não fica desse jeito com uma garota?


- O suficiente pra eu não ter mais um motivo pra me achar não merecedor, obrigado.


- Oh, por Merlin, Remus! – Sirius riu. – Dorcas deve estar subindo pelas paredes e você ai, bancado o santo só porque tem um “probleminha peludo”? Você precisa parar com isso.


- Eu não consigo, Sirus. Eu simplesmente tento esquecer, eu juro. Só que isso sempre volta pra me assombrar!


- Deixa disso. Você é o melhor namorado que uma garota pode querer, Moony. Você é lindão como todos Os Marotos.... menos Peter, claro. – Sirius ficou pensativo. - Ele gordinho, não conta pontos pra ele. Enfim... – Balançou a cabeça para os lados. - Você é lindão, super charmoso e o homem mais cavalheiro e carinhoso com as namoradas que eu conheço. Você devia parar de se preocupar com isso, porque é uma mancha insignificante no seu currículo.


Remus ficou pensativo. Os dois já tinham percorrido dois corredores quando Remus voltou a falar, um pouco mais bem humorado.


- Quer saber? Você está certo. Eu vou... Ãh... Tentar voltar a ignorar isso.


- Isso o que? – Uma voz falou, às costas dos dois.


Remus e Sirius se viraram e encontraram Dorcas os encarado, com uma expressão curiosa. Remus estremeceu e tentou sorrir, mas Sirius percebeu que isso era um grande esforço pra ele. Era praticamente impossível sorrir – primeiro porque estava passando mal, segundo porque ele não conseguia esquecer sua condição – tendo a Lua Cheia tão próxima de ocorrer.


- Olá, foqueira. – Remus disse. – Ignorar o enjoo e a dor de cabeça que me acompanham desde a hora que eu acordei hoje.


- Oh sim. – Ela disse, tentando se aproximar de Remus e dar um beijo nele. No entanto, o Maroto involuntariamente se afastou. – Hey, o que houve?


- Eu... Acho que posso estar com algo contagioso. – Ele suspirou. – Quero evitar ficar perto de você ou você pode pegar de mim.


- Hum... Tudo bem então. – Ela disse, cabisbaixa. – Está tão ruim assim?


- É... Está.


- Você devia ir a Ala Hospitalar. Tem certeza de que não sabe o porque de sua saúde ser tão...?


- AH! Dorcas! – Sirius disse, tentando mudar de assunto. Remus o agradeceu com os olhos. – James já te convidou pra passar as festas lá em casa?


- Por “lá em casa” você define a mansão dos Potter? – Ela disse, desviando o olhar de Remus. – Porque se for, não. Ele não disse pro time de Quabribol que não iria ter nada na sua casa esse ano?


- Sim, mas ele decidiu chamar um grupo pequeno de amigos pra festa dos pais dele. – Sirius disse, com um suspiro. – Nâo me entenda mal, papai e mamãe Potter são super gente boa, mas James não suportaria passar o feriado inteiro longe de civilização. E por civilização eu digo pessoas da nossa idade. – Sirius completou. – E eu também não.


- Oh sim, é tão difícil suportar alguns poucos dias com seus pais. – Dorcas riu. – Bem, James não comentou comigo, mas como vocês moram na mesma casa, vou considerar a oferta. Meus pais não vão gostar muito, mas posso ver com eles.


- Tudo certo então. – Sirius riu. – Agora, se você quiser convencer Marlene e Lily a comparecerem, seria muuuuito legal.


- Ah, sabia que tinha alguma coisa sombria por trás disso tudo. – Ela riu.


- Não, foi só uma dica. – Sirius fez a melhor expressão de inocente.


- Sei... Agora, vamos pra aula, não é? Professor Manson não vai gostar se demorarmos muito para chegar na aula. Ele odeia ter que voltar o assunto por causa de atraso.


Siris recomeçou a andar e deixou Dorcas e Remus se entenderem atrás dele. Sem querer ele escutou Dorcas perguntar:


- Mas porque você não me chamou pra ir à casa de James?


- Ah... Eu... Esqueci. – Remus respondeu, meio esquivo. – Eu estou passando mal a semana toda, acabei esquecendo, perdão.


 



________________________________________________________________________________________



 


- Ok, pessoal. Estão liberados. – Professor Manson disse, apagando o quadro com um aceno de varinha. – Na próxima aula iremos rever conceitos importantes para os NIEMs desse ano. Estejam preparados para aguentarem uma aula conteudista e sem graça. Até amanhã, jovens.


Sirius se espreguiçou e agradeceu a Merlin pelo fim da aula. Professor Manson era um cara realmente legal, mas ficar vendo aquelas matérias na teoria era muito chato! Há uma semana que não estudavam Defesa Contra a Arte das Trevas na prática.


- Six... – O Maroto levantou a cabeça na direção da voz feminina e deu de cara com Lien Chang. Ela sorriu pra ele, e Sirius retribuiu. – Olá... Estava querendo saber se você não quer, sabe, dar uma volta comigo já que temos meia hora até o almoço de hoje.


- Hum... Convite interessante. – Ele disse, ficando de pé. – E o que, exatamente, você tem em mente?


Lien se aproximou dele, sorrindo.


- Já que seu amigo não quer, - Sirius entendeu isso com James. - eu pensei que você com certeza não iria recusar. – Ela sussurrou em seu ouvido. – Estava pensando em algum corredor escuro ou talvez um lugar mais apertado, para darmos uns amassos.


Sirius sorriu de canto e se virou para os amigos, que o esperavam na porta.


- Vão sem mim. Eu encontro vocês na hora do almoço.


James, Peter e Remus sorriram e balançaram a cabeça para os lados. Dorcas revirou os olhos, ao mesmo tempo em que Lily suspirou e saiu andando atrás de Marlene... Que já tinha andando no momento em que Sirius olhou para os amigos sorrindo.


Assim que os amigos saíram – com o professor logo atrás dele, que deixou um aviso para Sirius: “Feche a porta assim que sair, Black, e não demorem muito tempo na minha sala, por favor. Se comportem, meninos.” – Sirius voltou a olhar para Lien.


- Bem, se eu posso sugerir um lugar, eu conheço uma sala vaga muito aconchegante e interessante e está a apenas um andar de distancia. – Sirius disse, sorrindo e puxando a garota pela mão.



 



____________________________________________________________________________________________


- Olha quem resolveu aparecer para o almoço. – James disse, vendo Sirius passar pelas portas do Salão Principal. O Maroto estava um tanto bagunçado. Seu cabelo estava mais displicente do que o comum e sua blusa pulava para fora do suéter.


- Hahaha, muito engraçadinho. – Ele respondeu, sentando à mesa.  – Por favor, diga que ainda tem comida o suficiente!


- Ninguém mandou demorar tanto com a Chang, Black. – Dorcas disse, levando o copo de suco à boca. – Exercício físico deve ser acompanhado de boa alimentação, sua mãe não te ensinou nada?


- E quem disse que fiz exercício físico? – Ele perguntou, pegando uma coxa de pernil e colocando no prato.


- Está sujo de batom aqui. – Marlene disse, apontando para o pescoço e para gola de Sirius.


Ela disse, sem levantar os olhos do livro que lia. Sirius soltou um palavrão e tentou limpar. Era incrível como ela sempre as encontrava. Marlene fechou o livro e o colocou de baixo do braço.


- Também não estou passando bem. A gente se vê mais tarde, gente. – A morena disse, levantando e saindo do Salão Principal. Gideon levantou da mesa ao mesmo tempo e a chamou, saindo do Salão atrás dela. 
Sirius se sentiu mal. Apesar de se recusar a admitir até pra si mesmo, ele sabia que no fundo ele ainda sentia muita falta de Marlene. Ele tentava contornar seus sentimentos com garotas como Chang, mas isso nunca daria certo. Nenhuma delas o conhecia como Marlene.


Isso era uma droga, porque parecia que eles nunca mais iram se entender como antes. Ele sinceramente não sabia mais o que fazer para mostrar que estava arrependido de todos os seus pecados e que a queria de volta.


Se bem que ele tinha certeza que aparecer com marca de batom para o almoço não era a forma correta.


- Hum... – Sirius disse, chamando atenção de James e Dorcas. Ele tentou engolir o mais rapidamente que conseguiu o seu purê de batatas. – O que ela quis dizer com “também”?


- Ah... Remus saiu agora a pouco. – Dorcas disse, cabisbaixa. – Ele comentou algo sobre estar passando mal e piorando. – Ela ficou pensativa. – Alías, vocês não acham estranho o fato de ele sempre estar doente? Desde que voltamos ele já ficou passando mal tantas vezes...


Sirius, James e Peter se entreolharam, alarmados. Dorcas não podia nem ao menos suspeitar de como as coisas eram na realidade. Peter suspirou e tentou fazer ar de desentendido.


- É mesmo? Eu nunca reparei nisso... Deve ser porque estamos sempre juntos. É comum passar mal de vez em quando.


- Mas ele... – Dorcas voltou a falar.


- Nha... Deixe isso pra lá, Dorcas. – James disse, sorrindo. – Remus está bem, só cansado e estressado com os NIEMs. E você sabe que ele tem a imunidade baixa e que como isso prejudica a saúde sensível dele. – Ele cruzou os braços atrás da nuca. – Você vai ver como daqui a alguns dias tudo vai voltar ao normal.


Sirius concordou com a cabeça, enchendo a boca de comida para não falar a respeito. Dorcas por fim se deu por vencida e decidiu acreditar no que eles diziam o tempo todo. Já com alguns poucos minutos para o final do almoço, ela saiu da mesa deixando os três Marotos sozinhos.


- Sabem... – Sirius sussurrou, limpando a boca com o guardanapo. – Remus tem que contar logo tudo para ela. Dorcas não é estupida... Uma hora ela vai acabar descobrindo e irá ser pior se isso acontecer por outros meios que não a boca de Remus.


Os outros dois concordaram e se levantaram da mesa junto de Sirius. Os três retornaram às aulas, mas Remus sumiu por boa parte do dia, voltando a aparecer apenas no final das aulas.


Sirius olhou pela janela. Pelo menos tinham dito uma verdade à Dorcas. Em alguns dias seria a lua cheia e logo depois tudo voltaria ao normal com Remus.


Ou assim ele esperava.


 


 


Seu humor não era dos melhores naquela manhã. James tinha tentado parar pra conversar três vezes durante a manhã, uma durante o almoço e agora quando retornavam para a aula da tarde. Ela já estava começando a enlouquecer tentando evita-lo.


Lily simplesmente não entendia o porque de ele não deixa-la em paz. Ele sabia que ela iria recusar qualquer pedido pra sair. Porque insistir naquilo?


- Bom tarde, alunos. – O professor Manson disse entrando na sala.


Lily o cumprimentou junto dos outros alunos. Observou o professor extremamente alto e esguio se sentar em frente à mesa. Lily se perguntou o porque de em sete anos em Hogwarts ela ter tido cinco professores diferentes para Defesa Contra a Artes das Trevas.


Manson era um dos que tinha durado mais tempo, já que estava ali desde o inicio do ano passado.


- Abram o livro na página 394, por favor. – Ele disse, anotando o título da aula na louça. – Como eu já disse no início do ano letivo, esse ano iremos não só iniciar o estudo mais elevado em DCAT, como acontece todo ano, como iremos fazer revisões de outros anos. Revisões extremamente necessárias para os NIEMs.


Lily leu o título na louça: “Lobisomens”.


À sua direita, alguns metros de distancia, Remus se mexeu incomodado. Lily viu de rabo de olho que ele soltou a pena e cruzou os braços. Era raro ver Lupin sem anotar algo na aula. Isso era no mínimo estranho. Dorcas – que estava ao lado de Lily – pareceu achar a mesma coisa.


- Alguém poderia me dizer as principais características que diferenciam um lobisomem de um lobo qualquer?


- Os Lobisomens são pessoas normais que na Lua Cheia se transformam. – A voz de Sirius se sobrepôs a de todos na sala. – É fácil diferenciar-los de um lobo porque tendem a ser maiores, se já são adultos, e ter muito menos pelo. – Ele tirou alguns fios de cabelos dos olhos. – Além de claro, não serem tão bonitos e nem tão dóceis quanto os lobos comuns.


- Lobos não são animais dóceis, Black. – Liang Chang disse revirando os olhos.


- Perto de um lobisomem? São cachorrinhos bem treinados. – Ele disse dando de ombros.


- Black tem razão. – Professor Manson disse, parecendo assustado. Era raro que Sirius se manifestasse durante a aula. – Dez pontos para a Grifinória. – Sirius deu um sorrisinho de canto. – Agora... Quem saberia me dizer o que, então, diferencia um Lobisomem de um Animago?


- Essa é fácil... – James disse rindo. O coração de Lily deu um pulo com a sua voz e o som da risada dele. – Animagos escolhem se transformar em animais, os Lobisomens não tem escolha. Os Lobisomens são obrigados a se transformar durante toda Lua Cheia. O processo é bem complicado e é muito perigoso... Para um humano... Ficar por perto durante todo o período da Lua Cheia.


- Você diz “para um humano”. – Manson disse, apontando o indicador para James. – Porque deixou isso bem claro?


- Porque em geral eles não se incomodam com a presença de outros animais. A menos que estejam com fome, claro. E animais não podem ser transformados em Lobisomens. – James disse dando de ombros.


- Perfeito. Mais dez pontos para Grifinória. – Manson passou os olhos pela sala. – Quem poderia me dizer porque é perigoso que um Lobisomem viva em uma sociedade como a nossa? Porque eles costumam procurar se esconder em bandos? Já que eles são pessoas comuns a maior parte do tempo? – Manson sorriu. A turma toda o observou, sem ter uma resposta completa. – Vamos... Quem sabe?


- Porque além da transformação ser muito dolorosa... – Remus disse. -... Eles... Perdem a noção de quem eles são quando se transformam. Poderiam matar até um melhor amigo ou irmão sem ao menos perceber isso. Eles são perigosos porque são selvagens e não existe hoje nada que possa controla-los durante a transformação. – Remus suspirou. Era impressão de Lily, ou ele estava extremamente pálido e com aparência de doente? – Além disso, os bruxos tem medo deles porque a maioria foge para viver em bandos com medo da reação da sociedade. Eles se tornam marginais e mais selvagens do que deveriam ser inicialmente. Um lobisomem não deve viver com os bruxos porque ele correria o risco de misturar seus genes doentes com o resto da sociedade... Isso teoricamente, claro, porque não tem nenhum caso de Lobisomens que tenham procriado.  


- Correto. Mais dez pontos para a Grifinória. – Manson virou de costas e pegou algumas gravuras em cima da mesa. – Vou passar algumas imagens de Lobisomens para vocês observarem para saber identifica-los com facilidade.


As imagens passaram de mão em mão. Boa parte da sala soltou um som de assombro ao observar o animal de perto. Lily tentou gravar a maior quantidade de características que conseguiu. Esticou a foto para Remus, já que era a pessoa mais próxima a ela depois de Dorcas. Ele apenas balançou a cabeça para os lados e apontou para James e Sirius. Lily não entendeu aquela reação... Remus devia conhecer muito sobre Lobisomens para não querer revisar a matéria.


- Ultima coisa? Alguém saberia me dizer quando será a próxima Lua Cheia? – O professor perguntou sorrindo. – Isso é muito importante de se saber se for andar por uma floresta a noite. – A turma riu.


- Essa noite. – Remus respondeu, em sussurro.


- Certo mais uma vez, Senhor Lupin. Turma, vocês estão liberados. – O professor disse, acenando a varinha e recolhendo as fotos. – Na semana que vem vamos iniciar uma matéria nova. Venham preparados, com varinhas á mão.


Remus deu um pulo e saiu rápido da sala, com Sirius, Peter e James atrás dele. Dorcas franziu o cenho e puxou Marlene e Lily pela mão, para se juntarem a eles.


Lily viu Remus se apoiando em uma pilastra e respirando fundo. Ele parecia estar tremendo além de estar extremamente branco. Dorcas correu para falar com ele. Sirius e James pareciam estar pensativos também.


- Hey, Remus, você está bem? – Marlene perguntou, preocupada.


- Amor... O que você tem? – Dorcas perguntou, tentando se aproximar dele.


- Não! – Ele disse, respirando fundo outra vez. – Eu... Não... Acho que não estou bem não. -  Ele olhou o relógio no pulso e depois para a janela. – Eu acho que vou à Ala Hospitalar.


- Mas... – Dorcas tentou argumentar e se aproximar dele mais uma vez.


- Por favor, não se aproxima. – Ele disse, esticando as mãos. – Não sei se... Eu posso estar com algo contagioso. – Remus olhou para Sirius, Peter e James. – Vejo vocês depois, ok?


- Ok. – Os três responderam ao mesmo tempo.


- Sinto muito, Dorcas. – Remus disse, se despedindo dela de longe. – Não quero... Não quero te passar nada. – Dizendo isso ele virou de costas e andou à passos largos pelo corredor, até sumir de vista.


- O que Remus tem? – Dorcas disse, olhando os Marotos. Ela colocou as mãos nos quadris.  – E não me venha com essa de que ele está passando mal! Ele passou muito mal a semana toda, porque agora ele não quer me deixar chegar perto dele?


- Eu que sei? – Sirius disse, dando de ombros. No entanto, seus olhos pareciam preocupados. – Remus é meio hipocondríaco às vezes.


- É... E ele tem a saúde frágil... Você sabe disso. – James disse, começando a andar.


As meninas e os Marotos o seguiram. Agora teriam aula de Transfiguração – Marlene e Dorcas teriam Adivinhação - e depois disso o jantar.


- Ele nunca vai me dizer o que exatamente ele tem? – Dorcas disse, triste.


- Ah, não se preocupa com isso. – Peter disse, passando o braço por cima do ombro de Dorcas. – Não há nada com o que se preocupar. Um dia você vai saber... Até lá... Dê tempo ao tempo.


- Nossa, como ele está profundo hoje! – Sirius disse, rindo.


- Eu sou profundo. – Peter disse com um falso tom ofendido.


- É... Tão profundo quanto um “shot”... – Marlene disse, revirando os olhos.


- O que é...? – Peter começou a falar.


- Lily, posso falar com você? – Ela escutou alguém sussurrar ao seu lado. Lily nem tinha visto que James tinha ficado um pouco mais pra trás.


Muito menos que estava tão perto dela...


- Ãh... Eu não sei... – Lily disse tentando se afastar. James a puxou pela mão e virou o corredor errado de proposito. Seus amigos continuaram andando sem nem perceber que eles tinham se separado. – HEY! Eu não te dei essa intimidade, Potter!


James a soltou e a mão de Lily formigou durante muito tempo, lembrando-se do toque.


- Eu só quero conversar. – Ele disse, sorrindo e bagunçando o cabelo.


Lily o observou. Seu rosto ainda tinha uns arranhões – graças ao feitiço de Regulus – e sua pele ainda estava muito vermelha em muitas partes do corpo que estavam visíveis. Ainda assim, ele parecia muito bem e tinha aquele sorriso irritante costumeiro no rosto. Lily as vezes não sabia se queria soca-lo ou beija-l...


- Tudo bem. – Ela disse cruzando os braços. – O que você quer?


- Quero saber se é verdade que você terminou com Fabian. – James disse, perdendo o sorriso.


- Quem... Como...?


- Ele apareceu muito triste no treino. – Lily arregalou os olhos e abriu a boca para chama-lo de irresponsável. – Não... Eu não estava treinando, só observando o treino. E... Eu decidi perguntar o que estava acontecendo e ele me disse que você...


- É... Eu terminei o que seja lá que eu tinha com ele. – Lily disse, desdobrando os braços.


- Porque? – Ele disse, não conseguindo manter o sorriso. – Vocês pareciam tão bem semana passada!


- É... Mas eu não me sentia bem não correspondendo os sentimentos dele. – Ela disse, sem pensar. Quando se tocou de com quem estava falando, sentiu seu rosto ficar muito quente. – E o que você tem com isso, Potter?!


- Nada... – Ele sorriu e se aproximou dela. Lily foi andando de costas, até que se encostou à parede. James ainda se aproximava dela. Ele apoiou a palma da mão na parede, prendendo-a perto dele. – Quer dizer... Tudo, na verdade. Isso significa que eu ainda tenho esperanças...


- Do que você está falando, Potter? – Lily disse perdida o observando tão de perto.


- Ah, qual é? Você não percebeu que eu estive fazendo uma trégua porque você estava com um... – Ele engoliu em seco e pareceu irritado. -... namorado? As coisas agora vão voltar a ser como eram...  


- QUE? Não, Potter! NEM PENSAR!


Ele riu. Que risada mais linda.


- Já pensei, Evans. – Ele disse aproximando mais o rosto do dela. – E sabe por onde eu vou começar? – Ela balançou a cabeça para os lados. – Perguntando se você quer sair comigo.


- Hogsmead está longe, Potter... – Ela disse, revirando os olhos. – O Natal está chegando e daqui a uma semana começa o feriado.


- E quem disse que eu iria oferecer Hogsmead? – Ele riu. – Quero que você, Marlene e Dorcas se juntem a mim, Remus, Peter e Sirius na minha casa, para passar as festas.


- Você só pode estar brincando! – Lily disse, irritada. Ele tentou empurra-lo, mas James apesar de aparentar ser magricelo era muito mais forte do que ela.


 - Não estou não! – Ele disse rindo mais ainda e tocando seu nariz no dela. – Vai ser muito legal! Meus pais disseram que vão fazer uma festa e que eu devia chamar meus amigos. E você e Dorcas não conhecem minha casa ainda... – E a Marlene conhecia a casa dele? Hum...  Ela não sabia dessa história... – Vamos, Lily! Deixe de ser chata!


- Eu não sou chata! – Ela disse, emburrada.


- Você fica linda, brava, sabia? – Os lábios dele tocou os lábios da ruiva por cinco segundos.


- AH! Saia da minha frente! – Ela disse o empurrando. Ela começou a andar de volta ao corredor.


- PENSE NO QUE EU TE DISSE! – Ele gritou, enquanto ela se afastava. – VOU TE PERGUNTAR ISSO O RESTO DA SEMANA!


Lily continuou vermelha até chegar à sala de Transfiguração. Ela estava irritada com o Potter... Onde já se viu? Convida-la para sua casa! Como se ela fosse passar o Natal na casa do Potter! NUNCA!


Mas ela não pode negar que ficou muito mais feliz do que devia com o convite.


 


 


 


Marlene se encontrava confortavelmente sentada na poltrona perto da lareira. A Sala Comunal estava silenciosa, porque a maior parte dos alunos já estava em seus dormitórios ou na biblioteca. As aulas tinham acabado mais cedo – algo sobre um acidente com uns alunos do quarto ano – e todos já estavam em seus Salões antes do anoitecer. Dorcas estava no dormitório tomando banho – muito triste porque Remus ainda não tinha dado as caras. Alice tinha comentado algo sobre dormir cedo porque tinha um bolo de coisas para estudar na manhã seguinte antes do café da manhã. Lily tinha dito que iria fazer a ronda, resmungado alguma coisa parecida com “Potter me paga... Me enrolar e me deixar fazendo a ronda sozinha! Ah, ele vai se ver comigo...!”.


Parando pra pensar, Marlene não fazia ideia de onde estavam os Marotos. Eles nunca dormiam cedo... Sempre estavam pra lá e pra cá. Assustadoramente, nem ao menos Peter tinha passado para seu lanchinho da noite.


Se bem que ainda não estava de noite... O céu estava começando a ficar alaranjado agora.


Alguma coisa fez barulho atrás de Marlene. Vinha na direção da escada do Dormitório Masculino. A coisa parecia tentar fazer o mínimo de barulho possível. Marlene se encolheu na poltrona e virou um pouco a cabeça, dando apenas a chance de ver quem era. Já a pessoa não poderia vê-la a menos que procurasse.


- Shhh! Wormy...!Quer que todo mundo saiba que estamos saindo? – A voz de James sussurrando cortou o silencio da Sala. Pelo rabo de olho, Marlene o viu tirando um pergaminho grosso do bolso e o observou atentamente.


- Shh, você também! – Sirius disse, emburrado. Ele segurava algum tipo de pano longo que parecia muito pesado. – Temos que ir depressa, já está anoitecendo.


- É... – Peter respondeu. - Ele anda meio estressado demais. Se não estivermos lá quando anoitecer, ele vai acabar se machucando durante a transf...


- SHH! – Sirius e James disseram olhando para os lados.


Marlene se encolheu na poltrona mais uma vez. Quando voltou a olhar para a poltrona, os três tinham sumido. Ela deu um pulo e por pouco não gritou quando o quadro da Mulher Gorda se abriu pro nada. Ela esperou alguns minutos e nada mais de estranho voltou a acontecer na comunal.


Com um pulo, ela se pôs de pé e correu para o Dormitório feminino. Teria que falar com Dorcas sobre aquele assunto estranho e sobre os três sumindo no meio do nada – ainda sem o Remus. Quando abriu a porta, Dorcas estava penteando seu cabelo em frente ao espelho, já de pijama.


- Troca de roupa, vamos dar uma volta! – Ela gritou, procurando pela saia e pela blusa do uniforme.


- Que...? Porque? – Dorcas perguntou confusa. – Daqui a pouco vai começar o toque...


- Sem perguntas! – Marlene disse, colocando a blusa com pressa. – Quero saber onde os Marotos vão nas noites que eles somem. E porque sumiram no meio do nada na Sala Comunal.


- Se eles sumiram, como espera segui-los? – Dorcas disse.


- Não sei... Vamos atrás de Lily e juntas vamos procurar por eles.



 



 _______________________________________________________________________________


- LILY! – As duas gritaram no meio do corredor silencioso, fazendo a amiga saltar. Ela observava alguma coisa nos Jardins do colégio.


- Oh, por Merlin! Querem me matar do coração? E o que estão fazendo aqui, afinal?


- Os Marotos sumiram no meio do Salão Comunal e eu quero saber onde eles vão tantas noit... – Marlene foi interrompida por um resmungo de Lily.


- Ah isso? Bem... Eles estão bem ali. – Lily disse apontando para os Jardins.


James, Sirius e Peter olhavam para os lados. O pergaminho e o pano grosso tinham sumido. Eles seguiam o caminho que dava até o Salgueiro Lutador. Marlene olhou para as amigas.


- Ora, vamos! – Ela disse, puxando-as pelas mãos. – Que mal pode ter nisso? Eu estou morrendo de curiosidade pra descobrir, vocês não?


- Eu não sei... – Dorcas disse pensativa. – Isso parecer ter relação com Remus, mas...


- É... – Lily disse incomodada. Ela parecia ter certeza de que não era uma boa ideia. – Talvez não. Snape uma vez me contou que entrou por aquele buraco e ele...


- Oh, por Merlin! – Marlene exclamou. – Snape? Sério, Lily? Vai acreditar no que ele disse? Anda... Vocês tem que estar curiosas também!


- Ah... Ok... Eu vou! – Dorcas disse, soltando a mão da de Marlene e andando sozinha.


- Se vocês vão, eu também vou né? – Lily resmungou. – Mas você me deve essa, Lenny.



___________________________________________________________________________________
 


No entanto, quando elas chegaram onde os Marotos estavam, Peter tinha sumido. James e Sirius avançavam sozinhos o campo e por mais incrível que pareça eles andavam em direção ao... Salgueiro Lutador que estava paralisado!


Aquela árvore nunca estava completamente quieta. Em razão dos inúmeros acidentes que aconteciam quando algum engraçadinho decidia brincar com o Salgueiro, todos eram agora proibidos de nos aproximar dele. Ninguém tinha visto aquele salgueiro quieto... Até agora.


James e Sirius andaram na direção do salgueiro e se esgueiraram por um buraco logo a baixo dele, sumindo de vista imediatamente.


Marlene olhou para Lily e Dorcas que pareciam tão chocadas quanto ela e – devagar – as três se aproximaram da árvore... Que começou a se mexer novamente. Antes que Marlene pudesse processar a informação Dorcas puxou a varinha e apontou para a árvore.


Imobilus!


A árvore voltou a ficar paralisada. As três sorriram e passaram por baixo da árvore. Encontraram um buraco, apertado e mal iluminado diante delas. A árvore voltou a se mexer e as três, assustadas, pularam no buraco. Não havia sinal de Peter, James ou Sirius. As três decidiram seguir pelo único caminho que tinha ali: Em frente.


- Meninas... Talvez seja uma boa hora pra dizer que isso talvez não seja uma boa ideia... – Lily sussurrou, no escuro. – Severus disse...


- E você ainda escuta o que o Ranhoso fala? – Dorcas reclamou. – Deixa isso pra lá, Lily... Não deve ter nada além de um clube de menino aqui em baixo.


Lily suspirou, mas não voltou a falar no assunto.


Marlene estava na frente, por isso estava bem atenta a qualquer sinal dos Marotos ou de luz. Após alguns – longos - minutos ela percebeu que o túnel começava a se inclinar para uma subida. Aos poucos uma luz se aproximava. Junto dela, uma fresta que dava de encontro a uma sala.


- Mas o que...?


Marlene deixou a voz morrer no meio do caminho. Ela conhecia muito bem aquele lugar... Não podia ser...  Mas como? Um túnel de Hogwarts até... A Casa dos Gritos?


Olhando cautelosamente para saber se estavam sozinhas, ela saiu do buraco dando espaço para que as amigas olhassem o que ela via. Lily foi a primeira a sair, logo depois apareceu Dorcas.


- É a ...?  - Lily parou a pergunta no meio.


- Casa dos Gritos. – Dorcas completou.  


Marlene concordou com a cabeça. Lembrava-se daquela casa escura, com papel de parede descascando e móveis destruídos. Também recordava do jeito estranho que a casa mexia, dando a impressão de que a qualquer momento ela iria cair e desmoronar. Ela tinha estado ali apenas uma vez... Com James a três anos atrás, durante um passeio a Hogsmead.  Esse pensamento fez com que ela sentisse suas bochechas corarem um pouco.


- Era por isso... – Dorcas sussurrou. – Que Snape dizia que era perigoso e dizia que James tinha livrado o pescoço dos Marotos. Porque provavelmente os meninos estão fugindo pra cá uma vez por mês... E provavelmente Sirius quis assustar Snape trazendo-o para a Casa dos Gritos. Essa casa é mal assombrada!


- Não acho que esse seja o motivo... – Lily sussurrou mais baixo ainda. Dorcas fingiu que não a escutou.


Marlene observou o quarto, tentando se lembrar se já tinha estado nele. Ela tinha quase certeza de que não.


- Ali! – Lily apontou para uma porta entreaberta que dava para um corredor muito escuro.


As três saíram e perceberam que no final do corredor tinha uma escada. Elas subiram e chegaram em um patamar escuro. A única coisa que iluminava o lugar era a pouca luz do pôr-do-sol que atravessava as frestas na madeira da casa. Olharam para as poucas portas do andar, onde apenas uma delas – a mais longe – estava aberta. Uma voz fez com que elas saltassem.


- Hey, Remus, como está se sentindo? – James disse, energético.


Espera ai... Remus? O que ele estava fazendo ali quando devia estar na Ala Hospitalar? Dorcas se mexeu incomodada ao seu lado.


- Não muito bem... – O outro respondeu com a voz fraca. – O que não é nenhuma novidade. – Um riso baixo e sem graça saiu de sua garganta.


Marlene tropeçou em alguma coisa no chão. Ela conseguiu perceber que era um longo pano... O mesmo pano que tinha feito James, Peter e Sirius sumirem mais cedo. Marlene se abaixou e pegou o pano. Ela então percebeu, maravilhada, que se tratava de um Capa de Invisibilidade!


Com uma exclamação ela chamou Lily e Dorcas e jogou a capa por cima das três. As meninas pareceram entender do que se tratava e deram um sorriso de entendimento para ela. As três puderam se aproximar da porta aberta.


James estava de pé, apoiado na parede enquanto Sirius e Peter estavam sentados no chão. Remus estava de costas para elas, de cabeça abaixada.


- Relaxa, Moony... – Sirius disse, brincando com a poeira. – Faltam poucos minutos pra transformação... Porque está tão tenso?


- Eu não sei... Alguma coisa está errada. – Remus sussurrou, olhando para os lados. – Eu sinto um cheiro... diferente.


Remus começou a andar pela sala, passando os olhos cuidadosamente pelos cantos. Ele parou ao olhar para a porta.


- Prongs... onde está sua capa? – Remus disse, virando rapidamente para James.


- Onde eu sempre deixo, no corredor. – James respondeu.


- Então porque tem alguém usando ela?


- O QUE? – Sirius disse, se pondo de pé. – Quem está ai?


As meninas se mantiveram em silencio. Como Remus podia saber que elas estavam ali?


Remus arregalou os olhos e olhou por entre as fretas na madeira. Estava anoitecendo.


- NÃO... Tirem elas daqui, agora! – Ele disse, se encolhendo e pressionando a cabeça por entre as mãos.


- Que...? Elas que...? – James disse, mas parou a frase no momento em que Marlene despiu a capa.


- O que está acontecendo...? – Lily disse.


- TIRE ELAS DAQUI! – Remus soltou um grito.


- Remus! Calma, cara! – Sirius disse, muito nervoso e se aproximando do amigo. – Se você se descontrolar isso não...


- NÃO TENTA ME DEIXAR CALMO! TIRA ELAS DAQUI! RAPIDO!


- Já está anoitecendo... – Peter sussurrou.


- Merda! – James disse. – O que vieram fazer aqui?


- Eu... Nós... – Dorcas sussurrou olhando para Remus. – Remus, o que está acontecendo?


- SAIAM DAQUI! Antes que seja tarde... AH!


Um rosnado medonho saiu da boca de Remus, fazendo os cabelos de Marlene se arrepiarem.


- Sirius, você vai ter que controla-lo com Peter! – James disse, desesperado. Sirius concordou com a cabeça, os olhos pregados em Remus. – Eu vou leva-las e volto o mais rápido possível!


A cabeça de Remus começou a se alongar de uma forma muito estranha. O corpo seguiu a cabeça, depois os ombros caíram. Marlene não tinha folego nem para ao menos soltar um grito.


- Meninas, prestem atenção em mim! ISSO VAI SER ESTRANHO! Quando eu me transformar, subam em mim, combinado?


As três assentiram com os olhos pregados em Remus... Que já não era mais Remus.


Uma luz fez com que ela se distraísse e quando Marlene deu conta... Não era mais James que estava ao seu lado e sim um enorme cervo. As três pularam na garupa do cervo – Marlene ainda segurava a Capa de James.


Remus soltou outro rosnado. Marlene olhou para ele e preferia não ter feito isso.


Suas mãos e pés tinham se tornado patas com garras e pelos começavam surgir em seu corpo.


- Remus, meu amigo! – Sirius dizia, o abraçando em uma tentativa de acalma-lo e afasta-lo dos outros. - Presta atenção em mim! Você precisa se concentrar. Você é melhor do que isso. Concentre-se em quem você é!


Remus rosnou mais uma vez e o arremessou pelo quarto. Marlene soltou um grito. Remus virou para ela. James – cervo – começou a correr pelo corredor da Casa dos Gritos, descendo as escadas com um equilíbrio magnifico para a velocidade em que corriam. Remus – que já não era mais Remus – os seguiu. Sua boca estava aberta e seus olhos assustadores seguiam as meninas. Dorcas gritou e Lily tentou abraçá-la, como conseguiu. De repente, um enorme cão negro entrou no campo de visão e achatou o Lobisomem na parede.


Marlene só teve tempo de ver quando os dois começaram uma briga de mordidas e garras para todos os lados. James se enfiou no quarto por onde elas tinham vindo e – se encolhendo – passou pelo buraco, ainda correndo.


Em um tempo muito mais rápido do que tinham levado para entrar na Casa dos Gritos, os quatro chegaram até o final do buraco. James empurrou um pequeno pedaço de madeira – ou isso pareceu para Marlene – com o casco e o Salgueiro voltou a se acalmar. Os quatro se afastaram o máximo que conseguiram, indo parar no meio dos jardins. As três desmontaram de James e caíram no chão.


As pernas de Marlene tremiam e ela começou a chorar, sem perceber. Dorcas tremia e soluçava a seu lado. Lily tentava consola-la, mas tremia tanto quanto a loira.


- Você... Animago... Remus... Ah... Pobre Remus... Lobisomem! – Marlene começou a falar.


O cervo tinha um olhar muito raivoso e antes que Marlene pudesse se dar conta, eram os olhos de James que a olhavam com raiva.


- O QUE VOCÊS ESTAVAM PENSANDO, AFINAL? – Ele gritou.


Marlene nunca o tinha visto daquele jeito. Isso só serviu para fazer Dorcas voltar a chorar.


- PARA COM ISSO, POTTER, ESTÁ FAZENDO ELA CHORAR! – Lily gritou para ele.


- QUE BOM! – Ele disse, jogando os braços para o alto. – PELO MENOS ISSO É UM SINAL DE QUE ELA ESTÁ VIVA. POR POUCO, MUITO POUCO MESMO, VOCÊS TRÊS NÃO MORRERAM HOJE! OU PIOR VOCÊS PODIAM... ARGH! ESQUECE! EU TENHO QUE VOLTAR PRA LÁ...


- Sirius... Ele vai ficar bem? – Marlene conseguiu falar, em sussurro.


- Com sorte sim. – James disse, tentando se controlar. - Lobisomens não passam o vírus para animais, no entanto, eles podem matar se quiserem. Normalmente, Remus não nos ataca, mas como Sirius pulou nele... Eu não tenho certeza...  – James suspirou. – Depois eu quero ter uma conversa seria com vocês. Agora eu tenho que voltar. Vocês três peguem a capa, vistam, voltem para a Sala Comunal IMEDIATAMENTE e não falem com ninguém sobre o assunto. NINGUÉM!


Dizendo isso, ele voltou a correr para o Salgueiro Lutador.


As três demoraram alguns minutos para conseguir se levantarem e sair do lugar. Depois de longos minutos – que mais pareceram horas – as três vestiram a capa de James e voltaram para o castelo. Dorcas ainda tremia muito quando chegaram à Sala Comunal.


- Deixa, Lily, eu a ajudo agora. – Marlene disse, abraçando Dorcas pelos ombros e levando-a escada a cima até o Dormitório.



 



_________________________________________________________________________________________
 


As horas se passavam. Marlene e Dorcas não tinham dormido a noite toda... E pelo que parecia, Lily muito menos. A ruiva não tinha subido para o dormitório. Dorcas estava encolhida em sua cama, abraçando as próprias pernas e sem dizer nada a noite toda. Marlene respeitou seu silencio e também se manteve quieta em sua cama. A luz do dia passou pelas frestas das cortinas. 
Pelo tempo que o dia já estava claro... Já devia ter passado das seis e meia da manhã. Dorcas se mexeu em sua cama. Marlene olhou pra ela, pronta para ajuda-la se necessário. Não era todo dia que alguém descobria que o namorado era um lobisomem. Ela devia estar passando por um momento horrível.


- Vou tomar banho... – Ela resmungou, levantando da cama e seguindo para o banheiro com passos lentos.


Mais de meia hora havia se passado... Marlene se perguntava se não era melhor ver se a amiga estava bem, quando Dorcas saiu do banheiro enrolada na toalha. Ela não tinha penteado o cabelo loiro e pegou a primeira roupa que tinha encontrado no malão e voltou ao banheiro para se vestir.  Dorcas demorou pouco tempo se vestindo e logo retornou ao quarto, se sentando na cama em silêncio mais uma vez. Isso era um péssimo sinal.


Uma batida na porta fez com que as duas saltassem no lugar. Lily colocou a cabeça para dentro do quarto, sem fazer barulho. Provavelmente tinha a esperança de que as duas estivessem dormindo. Marlene e Dorcas a olharam com expressão de duvida, fazendo uma pergunta sem precisar falar.


- Eles voltaram... – Lily disse. Seu cabelo estava bagunçado e tinha grandes olheiras. – E eu acho que é melhor vocês descerem comigo.


- O que aconteceu? – Marlene perguntou, se levantando.

Lily parecia cansada e muito nervosa. Provavelmente não queria dizer as noticias que vinha trazer. O coração de Marlene afundou com a notícia que ela deu, e ao seu lado Dorcas despencou na cama ao ouvir:


- Black foi ferido... E Remus vai sair de Hogwarts.



 



___________________________________________________________________________________


N/A: Oii gente,
Desculpem a demora mais uma vez :3 


Meu ano estava acabando e eu queria fecha-lo com chave de ouro! Como brinde aos meus esforços: Passei de ano direto! HAHAHAHHA QUE FELICIDADE!


Ah sim, e também demorei porque tive que reler o livro do Prisioneiro de Azkabam para deixar esse capítulo o mais perfeito possível pra vocês hahahah Espero que gostem bastante dele porque fiz o melhor de mim.
Também adimito que tive um pequeno bloqueio para as partes anteriores a Lua Cheia... E pesso que perdoem os possiveis erros de digitação, eu meio que corri pra postar logo esse capítulo. Eu estava enrolando muito tempo para posta-lo, né? 


 


P.S: Não sei se vocês reparam na descrição da fanfic, mas We Are Young tem um Tumblr agora! Ele vai ser usado para postar fotos, descrições, histórias entre outras atualizações da fic que não podem ser postados aqui no FeB (seja pelo tamanho ou para não atrapalhar o andamento dos fatos e organização de capítulos). Por enquanto tem os primeiros capítulos da fic e a meu dreamcast para os Marotos, Lily, Dorcas, Marlene e Severus! Aqui vai o link se vocês quiserem dar uma olhadinha: http://weareyoung-themarauders.tumblr.com

E não sei se vocês viram, mas eu também escrevi um especial de Natal que tem como tema o sofrimento de Jorge depois da morte de Fred. Sei que já passou o Natal e tudo mais, mas se quiserem dar uma passada lá e comentar irei ficar muito feliz: http://fanfic.potterish.com/menufic.php?id=44796


 


Agora, vamos aos comentários(quantos comentários, estou emocionada *-*):


 


Maria _Fernandes_99: OOh, mata não D: kkkkkk Também acho, né? Mas não é fácil assumir que gosta de alguém que antes você odiava D: De certa forma, eu até entendo a demora. Mas o demora chata essa u_u Espero que goste desse capítulo também. Beijos.


Lala Riddle: AUHAHUAUHAUHAUHAUHAUHA Ai, exagero u_u Brincadeira... Demorei mesmo :P hahhaha Que bom que não achou ruim... Eu fico meio na duvida com as NCs porque não sei se todo mundo está de acordo com elas :p Que bom que gostou. E Lily e James são uns fofos mesmo *-* hahahhaha Ooooh, obrigada *-* Não fala isso não que eu acredito HUAHUAHUAHUHUAUAHUHA Nossa, mãe... Deve ser bem frio ai mesmo O_O Mas mesmo assim, achei super divino o lugar onde você mora HUAHAHUAUH Beijos, espero que goste desse capítulo também.


luiza potter: Esse é realmente um capítulo muito triste, eu entendo seu sentimentalismo D: AHUUHAUAHHUA Eles nem fizeram muita coisa não, mas eu te entendo. Também fico um tanto incomodada com NCs do MEU Sirius. Isso é horrível, porque uma hora eu vou ter que desenvolver a vida do Sirius nessa fic, né? (se reparar, ainda não escrevi NC dele hahahhahahaaha)Mas tudo bem, desde que você pule fica tudo numa boa UHAHUAHUAHUUHA “MDDC até quase morrendo, gritando e sangrando mais do que mulher em dia de menstruação o James consegue ser FOOOOOOOOFO!” <<<< AMEI UHAHUAUHAHU SERIO, RI MUITO AQUI AUHUAUHAHUAHUA Ele é um lindo mesmo, sempre *-* Zero não diria, mas ta perto AHUUHAHUAHUA – nnnn Não demorei como da outra vez, né? Mas ainda demorei um pouco, sorry D: Espero que goste desse capítulo, beijoooos


Maria Clara CP Duarte: Oh, obrigada, linda *-*  HUHUAUHAUHA Vou tentar não demorar, prometo. Continue lendo e comentando hihi Beijos, espero que goste desse capítulo também.


MP__Potter: Oh, obrigada... Que nada, são seus olhos ;D kkkkkk Oh, que linda *-* Melhor do FeB HUAUHAHUAHUAHUAHU Obrigada, sério. Beijos, espero que goste desse capítulo.


Melissa Alves Bezerra: Que bom que está gostando!*-* Continue lendo e comentando e mil desculpas pela demora. Beijinhoos.


Georgia Amaral: Aaaah, pois aqui está o capítulo! Kkkk Desculpe a demora, espero que isso não volte a acontecer né. Beijos :* Continue comentando para eu saber a sua opinião :D


Lana Sodré: Hey, Sirius é um cafajeste, mas ele tem coração ;D kkkk Acho que perder James é a pior coisa que já aconteceu pra ele... E a ideia de que isso podia acontecer dessa vez deve ter sido horrível pra ele. Que bom que gostou dos sentimentos dele kkkkkkk Eu votaria por expulsão, se fosse minha opinião. Mas como os malvados sempre se dão bem, né, é obvio que Severus ia pensar em alguma coisa pra livrar a bunda dele kkkk Nem me fale... A guerra deve ter sido horrível D: nenhuma guerra é bonita, né? “Eles se amam, mas esse orgulho que vem entranhado no grifinório não os deixa admitir” Exatamente.  Penso o mesmo. Os dois são orgulhosos demais pra admitir qualquer coisa. Ahhahahaha Estou pensando seriamente em mostrar a guerra... Não sei se como segunda temporada, mas vou dar um jeito ainda :3 Ah, eu tenho uma visão toda dramática da morte da Marlene e tudo mais... Putz... Minha imaginação pra umas coisas me surpreende! UHAHAHHAAHUUAUAHAUH Não entendo com a J.K. consegue sair matando todo mundo sempre D: Isso doi em mim! HUAHUAHUUHAHUA TAMBÉM SOU ASSIM! Eu costumo fazer – ou pensar, anyway - a capa antes de escrever a fanfic ‘-‘ Não que as minhas capas sejam AS maravilhas do mundo kkkk Mas eu tenho certeza que sua fic vai ficar perfeita :3 kkkkkk “acho que Lily tem que cair na real, sei lá, James só de ela ter feito isso, salvado a vida dela já deveria ser uma desmonstração e baita de amor.” Né? Que tipo de maluco pula na frente de um feitiço desconhecido e quase morre sem gostar REALMENTE da pessoa? Mas acho que o caso da Lily agora é mais medo do mundo dele do que de James não gostar dela.  “Também espero que não dê merda, eles vão sofrer muito se a Dorcas descobrir de uma maneira triste sobre o segredo dele :/” Acho que já descobriu de uma maneira triste, não é? D: Aliás, de uma maneira HORRIVEL!


Ah sim, entendo sim! Também não me acho muito preparada... mas aqui em casa é morte se eu disser que não quero prestar vestibular UHAUHAHUAHU Mas eu até to feliz de começar a estudar pro que eu quero *-* Negligente nada, cada um tem seu tempo AHUHUAHAUHAUHAUH Ah, eu por muito tempo estive na duvida entre Desenho Industrial (design) ou Comunicação Social em Publicidade... Acabei escolhendo Publicidade mesmo AUHUHAHUAHUAHUA Espero que dê certo *-* E boa sorte pra você também! Jornalismo é uma área muito legal AUHHUAHAUHUAHUA Beijos, espero que goste desse capítulo também :*


 


 


 


Ah, gente... O título do capítulo é um trecho da musica “Don't Speak” do No Doubt.


É isso ai. Espero que tenham gostado desse capitulo. Eu fiz o máximo pra não fugir muita da descrição da J.K. Não se esqueçam de comentar e votar para eu saber suas opiniões.


Beijinhos,


Vanity Black


 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 6

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por luiza potter em 02/02/2013

PASSADA. CHOCADA. MUMIFICADA. APENAS.
BABADO E CONFUSÃO NESSE CAPITULO, GEEEEEEEEENTE :o
Mas tembem, que menininhas bestas viu. Vó te contar. Era pro James ter dado um bom tapa em cada uma para aprender, ok, nem tanto.
Agora....
 E Remus vai sair de Hogwarts. E Remus vai sair de Hogwarts. E Remus vai sair de Hogwarts. E Remus vai sair de Hogwarts. E Remus vai sair de Hogwarts. E Remus vai sair de Hogwarts. E Remus vai sair de Hogwarts. E Remus vai sair de Hogwarts. E Remus vai sair de Hogwarts. E Remus vai sair de Hogwarts. E Remus vai sair de Hogwarts. E Remus vai sair de Hogwarts. E Remus vai sair de Hogwarts. E Remus vai sair de Hogwarts. E Remus vai sair de Hogwarts. E Remus vai sair de Hogwarts. E Remus vai sair de Hogwarts. E Remus vai sair de Hogwarts. 

NONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONONO
MEU REMUS. MEU REMINHO. MEU PEQUENO LOBINHO.
Gente ): Esse capitulo acabou comigo. 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Sah Espósito em 16/01/2013

Puts MANOOOO
o que e isso
tenso muitoo tenso
quero mais
e logoo 


Tava com saudades da Fic.... adoro muito
Tiago quase morre por Lily e ela ianda nao aceita
e agora tem essa historia de animado e lobisomem

quero maisss 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Lala Riddle em 15/01/2013

Isso é jeito de acabar o capítulo? Menina, eu vou te matar!!!!!

Sério, o Remo não pode sair. E o Black não pode morrer ou se machucar seriamente. A Lily precisa de uma boa dose de bom senso, pra ela perceber como o James ama elaa :) e a Marlene ideem!

Demora meenos pra atualizar, please ;)  

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Lana Silva em 15/01/2013

Pra começar, que capitulo foi esse Vanity ? Eu fiquei aqui besta quando as meninas descobriram tudo e esse final me deixou mais besta ainda. Agora Marlene, Dorcas e Lily vão se sentir mega culpadas, menina, eu pirei mesmo com o capitulo acho que esse se consagrou um dos meus prediletos. Poxa, nem acredito ainda que o Remus vai ser expulso, tipo como pode isso ? E o Sirius ? Eu fiquei muito preocupada, tipo, se o próximo capitulo não chegar rapido eu vou ter que reler pra ficar calma kkkkkkkkkkkkk bem, amei o capitulo ele estava muito bem escrito - como todos os outros - e ficou muito impactante, aposto que todo mundo tá surpreso com as noticias. A partir de agora, sim o negocio tá quenterrimo, o que rolar daqui em diante vai ser explosivo com certeza. 
Um cafajeste que tem coração, só o Sirius mesmo kkkkk ahhh falando nisso eu tava olhando o nome do ator que "dá  vida" ao Sirius na fanfic porque achei o rosto dele muito conhecido, ai tava lembrando do filme que assisti com ele, confesso que quando bati o olho nele lembrei do jeito rebelde do Sirius, ainda mais no filme que ele tava todo rebeldinho e tal, amei isso, apenas dois atores me faziam pensar em como seria Sirius, ele se tornou o terceiro, porque parece muito - pelo menos o que imaginamos. 
Gostei dos sentimentos dele porque é bem dificil o Sirius deixar isso transparecer, o James é o irmão dele, eles tem um laço profundo a amizade deles é assim, nesse capitulo mesmo dá pra notar quando eles estão com o Remus, é uma grande amizade, na qual eles se arriscam sendo animagos e tentando controlar o Remus só nisso ai tiramos que tipo de pessoas os marotos eram - bem tirando aquela peste que eu nem preciso dizer o nome - Snape merecia ser expulso, mas a vida nem sempre é justa né ? 
Tipo, minha amiga acabou uma fanfic há pouco tempo, uma que eu tô postando aqui na F&B pra ela e eu implorei para ela não matar a Marlene, porque tem outras fanfics dela em que ela mata mesmo a Lene e eu já escrevi tipo uma fanfic que a Marlene morre, mas chorei horrores depois, porque eu não queria ter matado ela, também não sei como a J.K consegue, poxa o Sirius tinha que ter tido um grande amor no passado, alguém que tivesse vivo para que ele pudesse se casar que nem o Remus com a Tonks, ter filhos e depois eles sobrevivessem, mas acho que ela fez isso para que entendessemos que nunca nada vai estar sempre bem, sempre vai ter algo sabe? Talvez alguém morra pode ser uma pessoa boa e morrer por uma boa causa , como acontece sempre ela meio que só quis nos mostrar a verdade, mesmo eu ficando triste por todas as mortes e tal, acho que foi isso sim.
Escreva a guerra na segunda temporada sim, ou até agora, no caso eu quero continuar lendo ela sabe ? Amo essa fanfic de paixão, sei que eu falo "Amo" demais em um monte de coisas, mas é a verdade, quando você vê a atualização e fica louca pra ler, mesmo quando tá ocupado e quando termina de ler o capitulo já está louco pelo próximo acho sei quando sinto isso, não é com todas as fanfics que leio, confesso que acontece com algumas, mas não com todas então eu realmente sou apaixonada por ela no começo foi pela musica e pelos marotos, quando vi o titulo, mas assim que li o que você escreveu eu sabia que seria uma fanfic marcante e que eu viraria fã \O/
A capa é algo que sempre vem antes, até em inspiração mesmo, eu fiz umas trocentas capas para um amigo secreto que tava participando, tipo eu tirei uma amiga que tem várias fanfics ai dei a ela capas de algumas fanfics dela que ainda não tinham capas e amei é claro. Ah minha fanfic, eu nem sei o que vai acontecer, acho que tô deixando os personagens me levarem, mas eu espero que fique boa, ou pelo menos apresentavel kkkkkkkk 
Sobre Lily ela já sabe que sente algo pelo James, só está reprimindo talvez e Dorcas... Nossa quero saber como ela vai ficar depois que o furacão passar, talvez as meninas implorem para que Remus continue ai na escola, ou sei lá, poxa seria ruim ele sair agora... Tadinho do Remus :/ esse capitulo fiquei morta de pena dele e do Sirius, mas ele deveria ter contado a Dorcas descobrir da maneira que elas descobriram foi muito chocante, realmente vai ser dureza...


 kkkkkkkkkkkkkk aqui em casa também não é fácil não, tanto que eu me inscrevi em alguns vestibulares, nem fiz a Federal, mas me inscrevi em uma e passei , tô vendo se me inscrevo em outra apesar de ter gostado bastante das materias dessa que passei. Acho que a faculdade meio que vai nos preparar, andei conversando muito com uma amiga minha que faz faculdade e pedindo explicações e outras coisas mais, não estou preparada ,mas se é pra ser agora será né ? Bem, quando eu vi que tinha passado fiquei feliz porque Jornalismo é meu sonho... Bem gostei da sua escolha, acho Publicidade e Propagando uma boa área *-* E vai dar certo sim \o/


Bjoos, até o próximo flr :) 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Maria _Fernandes_99 em 14/01/2013

Eu não acredito! O James mostrou uma maturidade que digo-te, NUNCA ví em nenhuma fic. Parabéns!
Tu não podes tirar o Remus de Hogwarts!!
Este capítulo foi bem dramatico, mas gostei!
Posta rápido!
Bjs 

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Georgia Amaral em 14/01/2013

Você quer me matar do coração acabando a fic desse jeito? Merlin, vou ficar maluca aqui! Quando é que o James e a Lily vão ficar juntos, eles tem que ficar logo! E o Remo e a Dorcas? Remo não pode sair de Hogwarts! Posta logo, estou muito curiosa ;) 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.